Você está na página 1de 2

DETERMINANTES

Definição: Determinante é um número associado a uma matriz quadrada.


a 11 , chamamos de determinante
a
Determinante de primeira ordem: Dada uma matriz quadrada de 1 ordem M=
associado à matriz M o número real a 11 . Notação: det M ou a 11 = a 11
 a 11 a 12 
Determinante de segunda ordem: Dada a matriz M= 
a 22 
, de ordem 2, por definição, temos que o
a 21
a a 12 
det M   11  a 11a 22  a 12 a 21 
a 22 
determinante associado a essa matriz é dado por:
a 21
Menor Complementar: Chamamos de menor complementar relativo ao elemento a ij de uma matriz M, quadrada e
de ordem n > 1, o determinante MC ij , de ordem n – 1, associado à matriz obtida de M quando suprimos a linha e a
coluna que passam por a ij .
Cofator: Chamamos de cofator (ou complemento algébrico) relativo ao elemento a ij de uma matriz quadrada de ordem

n o número A ij , tal que A ij  (1) i  j  MC ij .


Matriz Adjunta: A matriz transposta da matriz dos cofatores de uma matriz A é chamada adjunta de A.
adjA  A
t
Assim:
Teorema de Laplace: O determinante de uma matriz quadrada  
M  a ij mx m
m  2 pode ser obtido pela soma dos
produtos dos elementos de uma fila qualquer (linha ou coluna) da matriz M pelos respectivos cofatores. Assim, fixando
m m
j  N, tal que 1  j  m , temos: det M   a ij A ij ,onde,  é o somatório de todos os termos de índice i, variando
i 1 i 1

de 1 até m, m N e A ij é o cofator ij.


Teorema de Cauchy: A soma dos produtos dos elementos de uma fila qualquer de uma matriz M, ordenadamente,
pelos cofatores dos elementos de uma fila paralela, é igual a zero.
a
Regra de Sarrus: Dispositivo prático para calcular o determinante de 3  ordem.
a 11 a 12 a 13 a11 a12 a13 a11 a12
D= a 21 a 22 a 23 = a 21 a 22 a 23 a 21 a 22 =
a 31 a 32 a 33 a 31 a 32 a 33 a 31 a 32

D  a11a 22 a 33  a12 a 23 a 31  a13 a 21a 32   a13 a 22 a 31  a11a 23 a 32  a12 a 21a 33 

Matriz de Vandermonde: Chamamos de matriz de Vandermonde toda matriz quadrada de ordem n  2 , com a

1 1  1 
a a2  a n 
 1
a 12 a 2
2  a 2n 
 3 
V  a 1
3
a 2  a 3n 
seguinte forma: .
    
 n 1 
a 1 a n2 1  a nn 1 
 
 
Observe que cada coluna dessa matriz é formada por potências de mesma base com expoentes inteiros, que variam
de 0 até n-1. O determinante da matriz de Vandermonde é dado por:

det V  a 2  a 1 a 3  a 2 a 3  a 1 a 4  a 3 a 4  a 2 a 4  a 1     a n  a n 1     a n  a 1 


PROPRIEDADES DOS DETERMINANTES

P1 - Quando todos os elementos de uma fila (linha ou coluna) são nulos, o determinante dessa matriz é nulo.
P2 - Se duas filas paralelas de uma matriz são iguais, então seu determinante é nulo.

P3 - Se duas filas paralelas de uma matriz são proporcionais, então o seu determinante é nulo.
P4 - O determinante de uma matriz e o de sua transposta são iguais.

P5 - Multiplicando por um número real todos os elementos de uma fila em uma matriz, o determinante dessa matriz fica
multiplicado por esse número.

P6 - Quando trocamos as posições de duas filas paralelas, o determinante de uma matriz muda de sinal.

P7 - Quando, em uma matriz, os elementos acima ou abaixo da diagonal principal são todos nulos, o determinante é
igual ao produto dos elementos dessa diagonal.

Regra de Chió: A regra de Chió é mais uma técnica que facilita muito o cálculo do determinante de uma matriz
quadrada de ordem n ( n  2 ). Essa regra nos permite passar de uma matriz de ordem n para outra de ordem n – 1,
de igual determinante.
2 3 4

Exemplo: Calcular o determinante associado à matriz A  5 1 3 com o auxílio da regra de Chió:

2 4 6
Passo 1: Para podermos aplicar essa regra, a matriz deve ter pelo menos um de seus elementos igual a 1. Assim
2 3 4
fixando um desses elementos, retiramos a linha e a coluna onde ele se encontra. 5 1 3
2 4 6

Passo 2: Em seguida subtraímos do elemento restante o produto dos dois correspondentes que foram eliminados (um
2  (5  3) 4  (3  3) 2  (15) 4  (9)  13 5
da linha e outro da coluna):   .
2  (5  4) 6  (4  3) 2  (20) 6  (12)  18 6

Passo 3: Multiplicamos o determinante assim obtido por  1


i j
, onde i representa a linha e j a coluna retiradas (neste
 13  5
 ( 1) 4  78  90  12 .
a a
caso, 2  linha e 2  coluna). det A  ( 1) 22
 18  6

Você também pode gostar