Você está na página 1de 18

CAPÍTULO 3 – ENTREVISTAS

INDIVIDUAIS E GRUPAIS
George Gaskell
OBJETIVO DO CAPÍTULO:
Fornecer fundamentação teórica e
orientação prática para a
realização de pesquisas
qualitativas.
 Entrevistas semi-estruturadas;
 Com um entrevistado (em profundidade);
 Ou grupo de entrevistados (grupo focal).
As formas de entrevista qualitativa
podem ser distinguidas:

 De um lado, a entrevista de levantamento


fortemente estruturada, em que é feito uma
série de questões predeterminadas;

 De outro lado, distingui-se da conversação


continuada menos estruturada da observação
participantes, onde a ênfase é mais em absorver
o conhecimento local e a cultura por um período
de tempo mais longo do que em fazer perguntas
dentro de um período relativamente limitado.
PESQUISA QUALITATIVA
Contribui para:
O conhecimento de dados básicos que
permitem o desenvolvimento, a compreensão
da situação local e a relação estabelecida
entre os atores sociais.

Objetivo:
Compreender “as crenças, atitudes, valores
e motivações” sobre o comportamento dos
indivíduos em determinados contextos
sociais (GASKELL, 2008: 65).
Preparação e planejamento
Aspectos centrais para a realização
de entrevistas individuais e grupais:
 Preparação;
 Planejamento;
 Seleção dos entrevistados;
 Introdução às técnicas de
entrevistas individuais e grupais.
TÓPICO GUIA:
 Elaborado para suprir os objetivos da pesquisa
e deve servir de referência ao entrevistador
durante a pesquisa;
 Proporciona também o monitoramento do
desenvolvimento das entrevistas;
 Pode haver necessidade de alterações no tópico
guia;
 Essas modificações devem estar presentes
nas próximas entrevistas;

 É necessário que modificações estejam


documentadas e justificadas.
SELEÇÃO DOS ENTREVISTADOS:
 Na pesquisa qualitativa não se deve utilizar
os mesmos procedimentos da pesquisa
quantitativa;

 A finalidade real da pesquisa qualitativa não


é contar opiniões ou pessoas, ao contrário, é
explorar o espectro de opiniões, as diferentes
representações sobre o assunto em questão;

 Quando o assunto é relevante para mais


meios sociais, a seleção dos entrevistados
torna-se mais complexa;
SELEÇÃO DOS ENTREVISTADOS:
 Necessidade de definir os ambientes
relevantes para a pesquisa no qual a seleção
será realizada;
 Diante das possibilidades de ambientes, o
autor sugere a segmentação por meio dos
grupos “naturais”;

 Nos grupos naturais, as pessoas interagem


conjuntamente; elas podem partilhar um passado
comum, ou ter um projeto futuro comum;

 Com isso, os grupos naturais constituem um


meio social.
SELEÇÃO DOS ENTREVISTADOS:

 Pesquisa qualitativa é uma amostra do


espectro dos pontos de vista;

 Não existe uma metodologia para a


seleção dos entrevistados devido ao número
pequeno de entrevistados;

 Com isso, exige-se a utilização da


imaginação social científica do pesquisador
para a seleção dos entrevistados.
Quantas entrevistas são necessárias?
”Mais entrevistas não melhoram
necessariamente a qualidade, ou levam a uma
compreensão mais detalhada”
1º Razão:
 À existência de um número limitado de observações e
versões da realidade. Apesar, das “representações de tais
experiências não surgem das mentes individuais; em
alguma medida, elas são o resultado de processos
sociais”;

 Representações de um tema de interesse comum, ou


de pessoas em um meio social específico são, em parte,
compartilhadas.
Quantas entrevistas são necessárias?

2º Razão:
 Remete-se ao tamanho do corpus a ser analisado,
que dependendo da quantidade de entrevistados pode-
se chegar a cerca de 300 páginas.

“Devido a estas duas razões, há um limite


máximo ao número de entrevistas que é
necessário fazer, e possível de analisar. Para
cada pesquisador, este limite á algo entre 15 e
25 entrevistas individuais, e ao redor de 6 a 8
discussões com grupos focais”.
Três limitações referentes às
entrevistas qualitativas
Becker & Geer argumentam que essas falhas
surgem porque o entrevistador se apóia na
informação do entrevistado no que se refere às
ações de outras circunstâncias de espaço e tempo:
1º) O entrevistador não pode compreender
plenamente a linguagem local;
2º) Por diversas razões, o entrevistado pode omitir
detalhes importantes;
3º) O entrevistado pode ver situações através de
‘lentes distorcidas’, e fornecer uma versão que seja
enganadora e impossível de ser testada.
Escolhas metodológicas:
Entrevistas individuais versus
entrevistas em grupo
Entrevista individual Entrevista grupal
Quando o objetivo da pesquisa é para: Orientar o pesquisador para um campo de
Explorar em profundidade o mundo da vida do investigação e para linguagem local.
indivíduo. Explorar o espectro de atitudes, opiniões e
Fazer estudos de caso com entrevistas comportamentos.
repetidas no tempo. Observar os processos de consenso e
Testar um instrumento, ou questionário (a divergência
entrevista cognitiva). Adicionar detalhes contextuais a achados
quantitativos.
Quando o tópico se refere a: Assuntos de interesse público ou preocupação
Experiências individuais detalhadas, escolhas e comum, por exemplo, política, mídia,
biografias pessoais. comportamento de consumidores, lazer, novas
Assuntos de sensibilidade particular que podem tecnologias.
provocar ansiedade. Assuntos e questões de natureza relativamente
não familiar, ou hipotética.
Quando os entrevistados são: Não pertencentes a origens tão diversas que
Difíceis de recrutar, por exemplo, pessoas de possam inibir a participação na discussão do
idade, mães com filhos pequenos, pessoas tópico.
doentes.
Entrevistados da elite ou de alto status.
Crianças menores de sete anos.
A natureza prática das entrevistas
Características do método grupal:
 O grupo é formado por seis a oito pessoas, que se
encontra em um mesmo ambiente por um período de
uma a duas horas;

 Os participantes e moderador sentam num círculo;

 Inicialmente, o moderador apresenta a si próprio, o


assunto e a ideia da discussão grupal;

 O moderador tem um tópico guia que sintetiza as


questões e assuntos da discussão;
A natureza prática das entrevistas
Características do método grupal:
 O moderador encoraja ativamente todos os
participantes a falar e a responder aos comentários e
observações dos outros membros do grupo;
 O objetivo é avançar a partir de uma discussão liderada
pelo moderador, para uma discussão onde os
participantes reagem uns aos outros;
 É fundamental que o moderador não assuma nada
como sendo pacífico;

 O moderador pode utilizar recursos de livre


associação, figuras, desenhos, fotografias como
materiais de estímulos para provocar ideias e discussão.
A natureza prática das entrevistas
Características do método individual:

 É uma conversação com duração de uma ou


duas horas, normalmente;

 Antes da entrevista, o pesquisador terá preparado


um tópico guia, cobrindo os temas centrais e os
problemas da pesquisa;

 A entrevista começa com alguns comentários


introdutórios sobre a pesquisa;
A natureza prática das entrevistas
Características do método individual:

 É útil começar a entrevista com algumas


perguntas bem simples, interessantes e que não
assustem;

 O pesquisador deve estar atento e interessado


naquilo que o entrevistado diz;

 É importante dar tempo ao entrevistado para


pensar, e, por isso, nas pausas não devem ser feitas
mais perguntas.
Os passos apresentados por George Gaskell:

1. Prepare o tópico guia;


2. Selecione o método de entrevista:
individual, grupal ou a combinação das duas
formas;

3. Delineie uma estratégia para a seleção dos


entrevistados;
4. Realize as entrevistas;

5. Transcreva as entrevistas;
6. Analise o corpus do texto.