Você está na página 1de 5

Ano

2017

PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIDADE UNIVERSITÁRIA: Faculdade de Filosofia e Ciências de Marília

CURSO: Ciências Sociais

DEPARTAMENTO: Sociologia e Antropologia

IDENTIFICAÇÃO

CÓDIGO DISCIPLINA OU ESTÁGIO SERIAÇÃO IDEAL

TEORIA SOCIOLÓGICA II 06 semestre

OBRIG / OPT /
PRÉ/CO/REQUISITOS ANUAL/SEM.
EST
OBRIG Teoria Sociológica I SEM

CARGA HORÁRIA
CRÉDITO DISTRIBUIÇÃO DA CARGA HORÁRIA
TOTAL

TEÓRICA PRÁTICA TEOR/PR. OUTRAS


04 60
52,5 7,5

NÚMERO MÁXIMO DE ALUNOS POR TURMA

AULAS AULAS TEÓRICO-


AULAS PRÁTICAS OUTRAS
TEÓRICAS PRÁTICAS

EMENTA (Tópicos que caracterizam as unidades dos programas de ensino)

A teoria sociológica, no contexto atual de crise de paradigmas, apropria-se dos


conceitos e debates presentes nos clássicos e se renova em várias direções ao
refletir sobre a significação da modernidade e de seus diferentes modos e
expressões. No entanto, a teoria sociológica, ao fazer isto, compreende que os
conceitos clássicos nem sempre dão conta das novas configurações da
modernidade em termos de uma sociedade globalizada e pós-industrial. A
disciplina aborda, portanto, as contribuições modernas sobre os desafios da
sociologia e da teoria sociológica.
OBJETIVOS (ao término da disciplina, o aluno deverá ser capaz de):

Introduzir os alunos nos debates da teoria sociológica moderna, sobretudo no


contexto posterior à segunda guerra mundial, como forma de problematizar
noções fundamentais da sociologia, como diagnóstico do tempo presente.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO (Título e Discriminação das Unidades)

1. Contexto histórico do capitalismo tardio (1945-2015)


2. Hipermodernidade e condição pós-moderna
3. Consumo, fetichismo da mercadoria e estranhamento

METODOLOGIA DO ENSINO

Aulas expositivas e análise crítica de filmes.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000, pp.
7-106. Edição original: 2000
BAUDRILLARD, Jean. A sociedade de consumo. Edições 70, Lisboa: 2007. pp.
47-99. Edição original: 1981
BECK, Ulrich. “Individualização da desigualdade social: sobre a
destradicionalização das formas de vida da sociedade industrial” in Sociedade de
risco: rumo a uma outra modernidade. São Paulo: Editora 34, 2010. pp. 105-228.
Edição original: 1986
DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Contraponto: Rio de Janeiro, 1997.
pp. 13-47; 103-118. Edição original: 1967
LASCH, Christopher. O mínimo eu. Sobrevivência psíquica em tempos difíceis.
São Paulo: Brasiliense, 1990. pp. 15-88. Edição original: 1984
JAPPE, Anselm. Crédito à Morte: A decomposição do capitalismo e suas críticas.
Hedra: São Paulo, 2013. pp. 129-153. Ediçaõ original: 2010
KUMAR, Krishan. Da sociedade pós-industrial à pós-moderna. Rio de Janeiro:
Jorge Zahar, 2006. pp. 78-158. Edição original: 1996
HAN, Byung-Chul. Sociedade do cansaço/A Sociedade da transparência. Relógio
dágua/Vozes: Lisboa/Rio de Janeiro, 2014/2015. Edições originais: 2010/2012
HAUG, Wolfgang Fritz. Crítica da estética a mercadoria. Editora Unesp: São
Paulo, 1997.pp. 67-85. Edição original: 1971
HOLLOWAY, John. Fissurar o capitalismo. Publisher: São Paulo, 2013; pp. 83-
193. Edição original: 2010
HABERMAS, Juergen. A nova intransparência. Novos Estudos Cebrap, 18,
setembro de 1987, pp. 103-114. Edição original: 1985
GIDDENS, Anthony. Mundo em descontrole. O que a globalização está fazendo
de nós. Rio de Janeiro: Record, 2000. Globalização, pp. 17-30; Risco, pp. 31-46;
Tradição, pp. 47-60 e Família, pp. 17-91. Edição original: 1999
MÈSZÀROS, István. A teoria da alienação em Marx. Boitempo editorial: São
Paulo, 2016. pp. 235-264. Edição original: 1970
POSTONE, Moishe. Tempo, Trabalho e Dominação Social. Boitempo editorial:
São Paulo, 2014. Pp.301-353. Edição original: 1993
SENNETT, Richard. “A sociedade intimista” in O declínio do homem público. As
tiranias da intimidade. São Paulo: Cia. das Letras, 1988. pp. 317-410. Edição
original: 1977
HONNETH, Axel. La sociedade del desprecio. Madri: Editorial Trotta, 2003. pp.
127-145. Edição original: 2000
LIPOVETSKY, Gille. Os tempos hipermodernos. Editora Barcarolla: São Paulo,
2004. pp. 51-103. Edição original: 2004
HARVEY, David. Condição Pós-moderna. Edições Loyola: São Paulo, 1993. pp.
185-317. Edição original: 1989
MARCUSE, Herbert. A Ideologia da Sociedade Industrial: O homem
unidimensional. Zahar editores: São Paulo, 1979. pp. 13-121 Edição original: 1964

FILMES

“Os delírios de consumo de Becky Bloom” (Confessions of a Shopaholic), de


P. J. Hogan (EUA, 2009). Duração: 104 min
“Roselie vai às compras” (Rosalie Goes Shopping), de Percy Adlon
(Alemanha/EUA, 1989). Duração: 90 min
“O clube da luta” (Fight Club), de David Fincher (EUA, 1999). Duração: 139 min
“Amor por contrato” (“The Joneses”) de Derrick Borte (EUA, 2010). Duração:
96 min.
“Psicopata americano” (American Psycho), de Mary Harron (EUA, 2000).
Duração: 102 min.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ARENDT, Hannah. “Vida activa e a era moderna” in A Condição Humana. Rio de


Janeiro e São Paulo: Forense Universitária, 1989, pp. 260-338.
ANDERSON, Perry. “O advento do marxismo ocidental” & “Inovações temáticas”.
In Considerações Sobre o Marxismo Ocidental. São Paulo: Brasiliense, 1989, pp
43-73; pp. 107-134
ADORNO, Theodor. “Capitalismo tardio ou sociedade industrial?” e “Crítica
cultural e sociedade” in COHN, Gabriel (org). Adorno: Grandes Cientistas Sociais.
São Paulo: Ática, 1986. pp. 62-75 e 76-91
BOURDIEU, Pierre (Coord.) A Miséria do Mundo. Rio de Janeiro: Editora Vozes,
2007. pp. 215/223; 733/736.
BECK, Ulrich et all. “A vida em uma sociedade pós-tradicional” In Modernização
reflexiva. Política, tradição e estética na ordem social moderna. São Paulo;
Editora da Unesp, 1997. pp. 73-134.
BENJAMIN, Walter, “Franz Kafka. A propósito do décimo aniversário de sua
morte” in Obras Escolhidas, volume I. São Paulo: Brasiliense, 1986, pp. 137-164.
ADORNO, Theodor & HORKHEIMER, Max. “O conceito de esclarecimento” in
Dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Zahar, pp 7-52.
ANDERSON, Perry. Modernidade e revolução in Afinidades Eletivas. São Paulo.
Boitempo, 2002. pp. 101-134.
ARENDT, Hannah. Walter Benjamin. In Homens em tempos sombrios. São Paulo:
Cia das Letras, 2008. PP.165-222.
GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. São Paulo: Edunesp,
1991. pp.11-60;
SOUZA, Jessé. “O conceito de racionalização” in Patologias da modernidade. Um
diálogo entre Habermas e Weber. São Paulo: Annablume, 1997. pp. 49-102
SOUZA, Jessé. “Norbert Elias e a seletividade do processo civilizatório ocidental”.
In Modernização Seletiva. Uma reinterpretação do dilema brasileiro. Brasília:
Editora da Unb, 2000. Pp. 43-58
ELIAS, Norbert. “Apontamentos para uma teoria de processos civilizadores” in O
processo civilizador. Vol. II. Rio de Janeiro: Zahar, 1990. Pp. 193-274.

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

Assiduidade, Participação comentários Filmes e Prova Escrita

ASSINATURA(S) DO(S) RESPONSÁVEL(IS)

___________________________________________
Prof. Dr. Giovanni Alves

APROVAÇÃO

DEPARTAMENTO CONSELHO DE CURSO COMISSÃO


DE GRADUAÇÃO PERMANENTE DE
ENSINO
_______/______/______ ______/______/_______ ______/______/_______
___________________ ___________________ ___________________
Carimbo e assinatura Carimbo e assinatura Carimbo e assinatura
do(a) Chefe de do(a) Coordenador(a) de do(a) Presidente da
Departamento Curso Comissão