Você está na página 1de 16

TAXBRA

A TAXBRA é uma atualização e melhora da TAXBRJ, ela trás a transação J1BTAX que
permite mapear praticamente qualquer condição de uma nota fiscal, facilitando o ajuste de
mudanças legais, análise de erros, configuração de cenários, sem a necessidade de alteração
ABAP.

Nela estão as tabelas para valores de impostos, sendo estes valores propostos,
alíquotas normais, exceções dependentes do material e exceções dinâmicas
Um aspecto importante na J1BTAX é Ordem de determinação de imposto, esta serve
para o sistema determinar qual será a ordem consultada de fatores que determinarão os
impostos, no caso visto a seguir primeiro é acessada a informação de material do cliente e
caso nenhuma entrada seja encontrada nesta, o próximo local a ser pesquisado é na Tabela de
categorias de item. Além da J1BTAX é possível utilizar a SPRO: Contabilidade financeira (nv.) >>
Configurações globais contabilidade financeira (novo) >> IVA >> Cálculo >> Opções para cálculo
de impostos no Brasil >> Definir sequência da determinação do cód.imposto SD
Outro ponto que deve ser mencionado é o Código de imposto ou IVA (Regido pela
Ordem de determinação descrita acima). Aqui é determinado se o cenário se trata de consumo
ou processamento e quais impostos serão calculados

Dentre as possíveis configurações, uma de destaque são os Grupos de impostos,


acessado pelo menu Cálculo do Imposto. Cada grupo é composto de até três chaves, podendo
estes campos serem NCM, material, fornecedor, entre outros. Também é possível determinar
se o grupo é relevante para SD, MM ou ambos.

Esta é uma das formas, possibilitando ser mais especifico, de determinar o código de
imposto
Toda vez que for feita uma ordem, será verificada se existe alguma exceção dinâmica
(grupo de imposto), sendo que a aplicada será a primeira encontrada na tabela. (Exemplo, se
uma ordem se qualifica no grupo 15 e 70, o primeiro será encontrado e utilizado enquanto o
segundo será desconsiderado).

Existe também uma sequência para determinar os Direitos Fiscais (Lei fiscal do ICMS,
IPI, ISS e COFINS, também atualizada e alterada tanto na J1BTAX quanto na SPRO:
Contabilidade financeira (nv.) >> Configurações globais contabilidade financeira (novo) >> IVA
>> Configs. Globais >> Brasil >> Definir sequência de determinação de lei tributária SD

A diferença entre Código de Imposto e Determinação fiscal é que o primeiro determina


quais obrigações serão calculadas e o segundo como estas serão aplicadas.
Quanto a aplicação e utilização da TAXBRA, é necessário a aplicação de três notas
principais (664855, 747607 e 916003), cujos pré-requisitos são:

O país Brasil deverá estar atribuído ao esquema de cálculo TAXBRA. (SPRO:


Contabilidade Financeira >> Configuração Contabilidade Financeira >> IVA >> Configurações
Globais >> Atribuir País a Esquema de Cálculo)

Determinar a estrutura de domicílio fiscal, feito pela SPRO: Contabilidade financeira >>
Configuração contabilidade financeira >> IVA >> configurações globais >> Determinar estrutura
p/ código de domicílio fiscal)

Deve haver um destino logico para domicilio fiscal (SPRO: Contabilidade financeira >>
Configuração contabilidade financeira >> IVA >> Configurações Globais >> Cálculo de Impostos
externo >> Definir destino lógico).

Ativar cálculo externo de impostos (SPRO: Contabilidade financeira >> configuração


contabilidade financeira >> IVA >> configurações globais >> cálculo de impostos externo >>
ativar cálculo externo de imposto.
Definir regiões ficais do brasil e atribuir regiões geográficas (SPRO: Contabilidade
Financeira >> Configuração Contabilidade Financeira >> IVA >> Configurações Globais >> Brasil
>> Definir Regiões Fiscais do Brasil e Atribuir Regiões Geográficas.)

Definir região fiscal para clientes e fornecedores estrangeiros SPRO >> Contabilidade
financeira >> configuração contabilidade financeira >> IVA >> configurações globais >> Brasil
>> definir região fiscal p/clientes/fornecedores e estrangeiros

Atribuir Códigos Postais aos Códigos de Domicílios Fiscais (SPRO >> Contabilidade
Financeira >> Configuração Contabilidade Financeira >> IVA >> Configurações Globais >> Brasil
>> Atribuir Códigos Postais aos Códigos de Domicílio Fiscal
Definir sequência para determinação da lei fiscal de SD

Definir sequência para determinação do código de imposto SD

Atribuir à empresa uma data de documento para determinação de imposto (SPRO:


Contabilidade Financeira >> Configuração contabilidade financeira >> IVA >> Cálculo >>
Atribuir à empresa uma data de documento para determinação de impostos.

Ativar geração da condição (SPRO: Contabilidade financeira >> configuração


contabilidade financeira >> IVA >> configurações globais >> brasil >> calculo de imposto
baseado em condições >> ativar geração de condições.)

Quando uma request é transportada para outro ambiente contendo percentuais de


impostos utilizados no esquema de cálculo CBT (ativação acima), é necessário executar uma
ferramenta de migração da J1BTAX.

E por último especificar o esquema de cálculo para cálculo dos impostos baseados em
condições. (SPRO: Contabilidade financeira >> configurações contabilidade financeira >> IVA >>
configurações globais >> Brasil >> cálculo de imposto Baseado em Condições >> indicar
esquemas de cálculo p/ cálculo de impostos baseado em condições).

Onde “A” é esquema de cálculo e “V” é para SD


Tratando de outro aspecto importante que existe na TAXBRA, a sequência de acesso,
este tem uma relevância muito grande, pois define qual ordem será seguida para calcular os
impostos de um item (J1BTAX).

Estes podem apresentar um requisito que faça com que ele seja exibido ou não no
esquema de cálculo. Existe também o flag “Exclusivo” que significa caso essa condição seja
encontrada, esta será a única disponível ou seja, não irá continuar a procura por outro
esquema de cálculo.
Estes esquemas são feitos com base nas condições, que estão ligadas a uma sequência
de cálculo ou fórmula para trazem os valores calculados. Esta funcionalidade pode ser acessada
pela J1BTAX.

É importante mencionar que cada um destes níveis é uma condição, sendo necessário
registra-las na transação VK11.
Quando PIS e COFINS forem necessários, é necessário que as condições BX72 e BX82
estejam cadastradas como impostos.

É importante mencionar que para que o SAP entenda como imposto as configurações
da condição devem estar exatamente como descritas na figura abaixo

Tratando-se nos impostos retidos, é necessário ajustar as condições BXWA, BXWT,


BIRZ, BCSZ, BCOZ, BGEZ.
Quanto aos códigos internos, estes são standard e deve ser evitado sua alteração,
sendo que é possível vinculá-los à grupos de impostos.

Já tratando da sua vinculação a condições, estas também não devem ser modificadas,
salvo com recomendação da SAP. Aquelas com valor V são de aplicação de “SD” e valor TX, de
“MM”.
É pertinente evidenciar que para que o cálculo de impsotos em “SD” a condição ICMI é
obrigatória, sem ela a base dos impostos é sempre jogada para condições de outras bases.

Também deve existir o vínculo das tabelas de exceções dinâmicas à sequência de acesso,
pois permite a atualização automática das tabelas com dados dos grupos de exceções dinâmicas

Existe também o vínculo das condições a um tipo de imposto, permitindo que estas
sejam selecionadas no momento da criação dos IVAs, determinando se existirá ou não o cálculo
daquele imposto naquele Código de Imposto, bem como se este será mapeado ou não para a
nota fiscal.
Quanto as Chaves de contas, estas podem ser criadas para lançamento de impostos e
demais custos e receitas que devem ser contabilizados, sendo que esta configuração não fica
na J1BTAX, mas sim na SPRO (Contabilidade Financeira >> Configurações globais
contabilidade financeira (novo) >> IVA >> Config. Globais >> Verificar e modificar opções
p/processo de tributação). Estas levam em consideração o tipo de imposto, não dedutibilidade
de montantes de imposto, código de lançamento e imposto não relevante para desconto.

As definições das contas devem ser feitas na transação OB40

Em relação aos códigos de imposto, todos devem ser criados na TAXBRA, e deletados
na TAXBRJ, visto que o sistema não permite um mesmo código para mais de um esquema de
cálculo. Os impostos calculados são aqueles marcados pelos flags e não são transportáveis
entre ambientes.

O caminho da SPRO para determinar quais impostos estão contidos em uma condição
de preço é: Contabilidade financeira -> Configurações globais contabilidade financeira -> IVA ->
Configurações globais -> Brasil -> Define quais impostos estão contidos em condições
p/determinação preços SD

Todos os esquemas de calculo são montados com base no RVABRA, ajustando o


esquema ao processo desejado

Os valores de imposto apresentados na aba de imposto do item de uma NF são


previamente mapeados na SPRO (Contabilidade financeira -> configuração contabilidade
financeira -> IVA -> Configurações globais -> Brasil -> Cálculo de imposto baseado em condições
-> Mapear valores fiscais SD para campos da Nota Fiscal.

Esse mapeamento deve ser feito para cada esquema de cálculo desejado
Para definir os valores que vão compor a nota fiscal, por esquema de cálculo, deve ser
acessada a J1BTAX (Preparação de condição -> Atribuição de NF -> Valores fiscais SD) ou a SPRO
(Faturamento -> Documentos de faturamento -> Características especiais do pais -
>Propriedades especificas de país -> Brasil -> Condições especiais de determinação de preço).
Aqui são configurados valor de frete, mercadoria, seguro, desconto e despesas acessórias

A migração dessas configurações deve ser feita no ambiente destino, após a


importação da request, sendo a ordem correta primeiro a sequência de acesso e depois a
tabela de imposto
Existe o programa J_1B_GEN_TAX_COND_BACK para executar em background e fazer
a migração de tabelas, evitando timeout

O motivo que justifica a utilização da TAXBRA, é que esta adapta os esquemas de


calculo devido a mudanças de legislação.

Este são alguns dos pontos importantes que abrangem a TAXBRA, como esquemas de
cálculo, determinação de imposto e atribuição a nota fiscal. Sem estes não é possível operar
em território brasileiro, tornando a sua devida configuração de extrema importância, evitando
assim incoerências e possíveis multas.