Você está na página 1de 2

Genealogias: um estudo das gravuras em metal de Marcello Grassmann a partir da Suite

Vollard de Picasso

- Fayga Ostrower: e a ideia de criar a partir da percepção;

- Almoço na relva Manet e Picasso;

- Georges Didi-Huberman: montagem de tempos e anacronismos;

- Las Meninas Velázquez e Picasso;

- Henri Focillon: para explicar essa sobreposição de tempos, os contemporâneos;

- A morte e a donzela Grassmann, Hans Sebald, Grassmann, Schubert;

- Picasso: Sonho e Mentira de Franco I, e Grassmann: para apontar traços narrativos,


semelhanças na construção do espaço;

- José Geraldo Vieira, Aracy Amaral: elementos do universo visual de Grassmann e suas
influências (Bosch e Bruegel);

- Novamente a imagem de Grassmann para identificar esse universo: sereias,


esqueletos macabros, súcubos e íncubos, harpias aladas, peixes, o zoomórfico alado,
os rastejantes alados;

- Roberto Calasso: retoma a ideia de Fayga e podemos colocar o artista como o escritor
dos mitos que os molda segundo duas mãos;

- Minotaure: revista à qual Georges Bataille deu nome, ilustração de Picasso

- Brassaï: importante pelas fotos de Picasso, relaciona o personagem Minotauro de


Picasso à certas características, entre elas, o erotismo;

- Picasso (já Suite Vollard) e Grassmann, desenho;

- Picasso, Suite Vollard, lift ground - violação;

- Tadeu Chiarelli falando sobre a sensualidade como característica formal;

- Picasso Suite Vollard erótico Minotauro sem lift ground;

- Picasso Ovelha e suas digitais: marcas da mão do artista - literal e figurado;

- Leiris sobre Picasso: uma maneira absolutamente direta, franca, espontânea, ingênua,
sem qualquer dessas falsas armaduras que nada são além de meios (bem ineficazes!)
de falsear o assunto;

- Marcello Grassmann: aquele clássico;

- Apresentação de umas comparações do desenho dos artistas: o que seria esta forma
absolutamente direta, franca, espontânea, … Comparação de mãos e mentes;

- Focillon: a mão e sua autonomia em relação ao espírito;

- Imagens das mãos dos artistas, as verdadeiras autoras;


- Aracy Amaral: Textos do Trópico de Capricórnio. Como a mão que produz a linha e a
mancha (a gestualidade) cria o erotismo; Fase de Viena (Recebe, em 1953, o prêmio de
viagem ao exterior do Salão Nacional de Arte Moderna (SNAM), e viaja para Viena,
onde estuda na Academia de Artes Aplicadas. Passa a dedicar-se principalmente ao
desenho, à litografia e à gravura em metal. )

- Suite 347: Rafael e Fornarina Picasso e Rafael, Fornarina. Disso vêm algumas coisas:
contador de histórias, "imaginador de mitos", vigor da linha de modo a erotizar o
tema;

- Bataille: nudez e erotismo, outra forma de nudez, nudez da forma, forma que se
desnuda, relação com Leiris e a maneira absolutamente direta, franca, espontânea,
ingênua, sem qualquer dessas falsas armaduras;

- Afinal, o estudo culmina na comparação entre duas obras, que visto a extensão do
panorama, são estas. Cenas que de alguma maneira se opõe visto que em um caso é
uma interrupção e em outra trata-se de um fragmento de um estado que poderia durar
para sempre, da mesma forma, os instantes se congelam;

- Leiris: e no final sempre se lida com "dificuldade de traduzir em frases o que foi
transmitido numa língua cuja essência é operar de boca fechada". Existem muitas
maneiras de se olhar para ambos artistas, estes foram caminhos escolhidos, etc etc.