Você está na página 1de 3

Lúcifer na Maçonaria / Parte 1

Nesse Post falaremos, finalmente, sobre a questão mais polêmica que envolve a Maçonaria: As muitas citações sobre
Lúcifer, vindas de renomados escritores da Ordem.
Como vocês puderam ver, no Post “Maçonaria para Não-Maçons“, há uma
clara citação do Maçon Manly Hall que fala sobre Lúcifer:
“Quando o maçom aprende que o segredo para o guerreiro é a correta
aplicação do dínamo do poder da vida, ele aprendeu o mistério de sua
Arte. As energias ardentes de Lúcifer estão em suas mãos e antes
que ele possa avançar para frente e para cima, precisa provar sua
capacidade de aplicar corretamente a energia.”
Saiba que ela não é a única. Por exemplo, há uma citação clara de Albert
Pike sobre o mesmo:
“Lúcifer, o portador da Luz! Lúcifer, o filho da manhã! É ele que traz a
luz e que com seus esplendores intoleráveis, cega as almas frágeis,
sensuais e mesquinhas? Não duvides!” (Existem outras citações sobre
Lúcifer, vindas de Pike, mas essa talvez seja a mais usada pelos
movimentos religiosos fervorosos que preferem fazer julgamentos, sem
conhecimento de causa, à conhecer a verdade dos fatos).
Há também uma citação de Charles Leadbeater que deixarei para o final.

A primeira dessas citações veio de Pike, no século XIX. As outras analogias, dos demais escritores, provavelmente
vieram dessa.

Talvez você esteja achando um tanto estranho, o fato de essas afirmações estarem sendo colocadas por uma pessoa que
NÃO está usando essas informações para dizer que essa é a prova CONCLUSIVA de que a Maçonaria é Satânica.

Vamos tentar entender um pouco dessa história.

Quem é Lúcifer?

Antes de mais nada, é importante entendermos algo que você jamais


verá nos sites protestantes/evangélicos, ao falar desse assunto (talvez
porque eles nem saibam disso). Mas Lúcifer não tem relação alguma com
a ideia de Demônio Cristão.

Aliás, nenhum dos nomes, além de Satan (que vem do hebraico


“Shaitan” – que já falamos no Post anterior), tem a ver com qualquer
tipo de demônio.

Todos os outros nomes de demônios são baseados em outras referências,


que é o caso de Lúcifer.

Inclusive, um dos primeiros a atentar para isso, no século XX, foi o


próprio Anton LaVey, pai do Satanismo Moderno.
Lúcifer é apenas a contraparte, em Latin, de Prometheus – o Antigo Titan da Mitologia Grega. Lúcifer é a tradução, em
Latim, da expressão “Phosphorus” (ou “Heosphoros”) que é um dos sinônimos de Prometheus.
Talvez você já conheça a história de Prometheus, mas vou resumi-la aqui.

Prometheus foi o Titan que roubou o “Fogo dos Deuses” para dar aos homens. Quando foi pego pelos deuses, sua
tortura foi cruel. Ele ficou acorrentado, em uma rocha, e todo dia vinha uma águia para comer o seu fígado. No dia
seguinte, o fígado dele se recuperava, para que a águia voltasse a comê-lo novamente.

A princípio Prometheus pode até não parecer uma figura tão importante, já que muitos acham que esse é o único
ponto importante de sua história, porém, algumas das lendas contam que ele teria sido o criador dos seres humanos, e
por isso essa “afinidade” que o teria levado a tomar tal atitude em favor da humanidade.

Lembram dos Cátaros do Post “Satanismo na Idade Média“? Lembram que eles acreditavam que o Demônio era o
responsável pela criação da humanidade?
Bem, talvez seja esse o motivo pelo qual a Igreja associou o nome de Lúcifer (Prometheus) com o Shaitan Bíblico. Além
do fato, é claro, desse “fogo mitológico” ser considerado por muitos a representação do conhecimentos dos Deuses, e
que esse conhecimento teria sido roubado para ser dado aos homens (como a famosa história da Serpente que oferece
a fruta Sagrada).

Na verdade, foi bem comum, na história da Santa Igreja, “demonizar” outros personagens de Mitologias que nada
tinham a ver com as crenças Judaico-Cristãs.

Futuramente, o nome Lúcifer também foi utilizado em outros contextos, além da Mitologia Grega, mas nenhum deles
da forma que o conhecemos hoje – como sinônimo de Satan.

Então, não era bem assim?

O nome Lúcifer só passou a ser usado, como referências demoníaca, no início do século XX – e, mesmo assim, não foi
tão rapidamente conhecido por todos, nos primeiros anos.

Ou seja, Albert Pike não fez essa referência pensando no demônio Cristão – e, muito menos, os demais autores Maçons
o fizeram.

Até porque, se o “verdadeiro objetivo” da Maçonaria fosse a adoração ao Demônio, você acha que alguém arriscaria
falar sobre isso em algum lugar?

Alguns ainda vão argumentar que “esses livros eram feitos naquela época, exclusivamente, para serem ‘fechados’ entre
os maçons, e não era para os demais terem acesso”. Porém, você não acha que se fosse isso, essas referências não
estariam, diretamente, nos Rituais da Ordem? Esses, inclusive, são mais “secretos” do que essa literatura, que é aberta,
apesar de não ser tão difícil assim, encontrar por aí, algum sebo que venda esses Rituais – que pode ter sido arranjado
de diversas formas.

Acreditar que “Maçonaria é Satânica” por causa de simples citações é uma grande falta de conhecimento. Primeiro
porque Satanismo não é ADORAÇÃO AO DEMÔNIO e, Segundo, porque Lúcifer NÃO É UM DEMÔNIO.

No entanto, a verdade é que alguns grupos não admitem nada que não esteja de acordo com os seus princípios
dogmáticos e consideram tudo como Demoníaco. É um grande exemplo da intolerância e da falta de respeito e
compaixão que estes mesmos pregam em suas religiões (sejam elas quais forem).

Ah, e sabe porque eu havia deixado para o final, a referência a Lúcifer feita por Charles Leadbeater? Veja:

“O 1º D. é o Lúcifer, que leva a luz a seus companheiros. O P.M.I. lhe dá a luz tomada do Fogo Sagrado e ele a leva
ao V.M. que lhe ateia fogo num fio de cêra, com o qual acende a vela grande do castiçal à sua direita, e depois apaga
os fios com os apaga-luzes, sem jamais soprá-la, para não contaminar o Fogo Sagrado” com o hálito, que é
impuro.”(citação de 1923)
Eu lhe pergunto: Agora que você sabe qual é a real referência, não ficou claro que a referência feita por Leadbeater não
se trata de um Demônio?

Mas não se iludam, nada do que foi dito é capaz de mudar a cabeça daqueles que só enxergam aquilo que querem ver.

Espero que o Post tenha esclarecido a questão, que é bem simples de ser entendida (mas, infelizmente, uma das mais
importantes). Com o tempo nos aprofundaremos nas questões mais específicas desses temas.

Antes de terminar, gostaria de avisar que faltou colocar uma citação sobre Lúcifer que também é citada por religiosos.
Essa citação é feita por um famoso Maçon e Martinista, conhecido como Papus.

Não coloquei essa referência porque a concepção dele sobre Lúcifer não é a mesma dos demais, e não é minha intenção
induzir pessoas ao erro. Em um futuro post falaremos sobre algumas correntes místico-ocultistas que admitem a
existencia de um ser espiritual, criador do nosso Universo, e que, devido às muitas referências, passou a ser chamado
de Lúcifer (mas que também, incrivelmente, não tem nada de demônio).