Você está na página 1de 4

Programa Notas de Programa

Watts Chapel (2016) Watts Chapel (2016) – Stephen Goss (b. 1964)

Sonata for Guitar (2006) O compositor, nas notas de programa relata que Watts Chapel
1. Pastorale recebeu o seu nome a partir da capela memorial de Artes e ofícios
2. Toccata construída por Mary Watts em homenagem do seu esposo e marido, o
3. Adagio Sostenuto artista G.F. Watts. A capela está situada perto da casa de Stephen Goss
em Surrey, Inglaterra, e oferece aos transeuntes uma oportunidade
para a reflexão e a calma contemplação. A sua peça é inspirada em
Sound of Iona* (2016) música de Gustav Mahler composta na altura que a capela foi
construída – especificamente, fragmentos da 3ª e 9ª’s sinfonias, e a
canção Ich bin der Welt abhanden gekommen (eu estou perdido para
Cantigas de Santiago (2014) o mundo), de Rückter-Lieder. As referências a Mahler concernem à
lembrança e à transitoriedade da mortalidade. A música é lenta e
1. Quen a Virgen ben servirá espaçosa, procura evocar a pacifica atmosfera da Watts Chapel. A
2. Ondas do mare de Vigo obra é dedicada a todas as vítimas inocentes dos conflitos.
3. Como podem ser sas culpas
4. Kyrie Trope Sonata for guitar (2006) – Stephen Goss (b.1964)
5. A madre de Deus
6. Ay ondas que eu vin veer A Sonata for guitar (2006) explora a ressonância; não só a
7. Non é gran cousa se sabe ressonância histórica das várias sonatas que estão ligadas a esta, mas
também as características acústicas da ressonância na guitarra. As
texturas são construídas através das várias cordas, permitindo às
sonoridades ressoar e sobreporem-se; isto estimula o efeito de mistura

* Dedicada a Rui Mourinho


criado pelo uso do pedal sostenuto do piano. Pastorale usa as direcionada ao altar de Santiago (St. James) na catedral de Santiago
proporções estruturais e as relações harmónicas e tonais do primeiro de Compostela na Galiza no noroeste de Espanha. As peças recebem
andamento da sonata para flauta, viola e harpa de Debussy, estas inspiração de três fontes: as Cantigas de Santa Maria, as Cantigas de
foram reescritas e sobrepostas por novo material temático e textural. Amigo e o Codex Calixtinus.
O ímpeto inicial para o andamento central foi a Sonata K.141 para As Cantigas de Santa Maria, uma vasta coleção de mais de
teclado de Scarlatti, uma peça em estilo toccata na qual figuram 400 peças monódicas, constituem uma das joias das canções
repetidas notas em figurações rápidas. No entanto, o Scarlatti tornou- vernáculas medievais europeias. a coleção foi compilada pelo rei
se uma das várias peças virtuosísticas em moto perpetuo que Afonso X EL Sabio entre 1250 e 1280. As Cantigas narram os
alimentaram a versão final. A estrutura do finale, Adagio Sostenuto, é milagres da Virgem Maria. Os seus textos são vividos, terra a terra,
baseada em vários modelos da música de Beethoven. Goss retirou dois frequentemente obscenos e humorescos.
pequenos extratos das últimas sonatas para piano (o tema do finale da O Jogral Martin Codax escreveu as suas Cantigas de Amigo na
Op.109 e a segunda variação do finale do Op.111) e usou-os como segunda metade do séc. XIII. Estas são as mais antigas canções
base para os seus conjuntos de variações duplas. seculares ibéricas existentes. Uma jovem mulher, olhando para o mar
ao longo da baia de Vigo, espera o regresso do seu amante que
Sound of Iona (2016) – Stephen Goss (b.1964) embarcou numa longa e difícil viagem. O seu humor muda de
esperança para resignação quando ela se apercebe que certamente não
Sound of Iona é um estreito braço do mar entre a costa da o voltará a encontrar novamente.
Escócia e a ilha de Iona. Esta obra procura evocar os poucos dias do O Codex Calixtinus é um manuscrito iluminado do séc. XII.
ano quando o sol do Norte é quente e a água é perfeitamente calma. A Escrito como um guia de viagem, uma antologia de informação e
música é estática e tranquila, Goss tinha em mente duas peças de concelhos para os peregrinos que seguiam o Camino. O manuscrito
“aquáticas”, Ondine do Préludes, Deuxième Livre de Claude Debussy também inclui encontra o Kyrie Trope, Cunctipotens genitor. As
e Gaspard de la Nuit de Maurice Ravel. Estas fontes forneceram as canções extraídas das Cantigas de Santa Maria formam o esqueleto
suas harmonias, texturas e cores. Sound of Iona é uma adaptação da das minhas Cantigas de Santiago com interlúdios extraídos das outras
sua peça para piano com o mesmo nome, o primeiro andamento de duas fontes. O conjunto é organizado em três pares de andamentos
Portraits and Landscapes. que circundam o Kyrie Trope, onde este funciona como o centro
estático. Nos dos lados do Kyrie Trope, temos pequenos e vivos
Cantigas de Santiago (2014) – Stephen Goss (b. 1964) interlúdios retirados das Cantigas de Santa Maria. Flanqueando esses
dois estão duas lentas e refletidas Cantiga de Amigo. Este conjunto é
Cantigas de Santiago é uma adaptação moderna de música finalizado por um segundo par de Cantigas de Santa Maria.
medieval associada ao Camino. Esta antiga rota de peregrinos é
Goss selecionou sete peças para as Cantigas de Santiago Reino Unido, é professor de Guitarra na Royal Academy of Music em
porque o sete é um número de com um significado na fé Católica. É o Londres e é diretor do International Guitar Research Centre. Faz
número simbólico da caridade, graça e do Espírito Santo. É o termo parte do corpo editorial da ‘Guitar Forum’ e escreve para a ‘19h
que representa a perfeição. Existem sete sacramentos, sete virtudes do Century Music Review’. Ministrou diversas palestras e classes
Espírito Santo, sete pecados mortais, sete alegrias e sete tristezas da magistrais em muitos dos conservatórios de renome mundial,
Nossa Senhora. incluindo: a Royal Academy of Music, a Royal College of Music, a
Enquanto que as melodias são relativamente diretas para Guildhall School of Music and Drama em Londres o Robert
decifrar a partir das fontes medievais, os ritmos são mais ambíguos - Schumann Hochschule em Dsseldorf, o Conservatório de San
originando uma panóplia de diferentes interpretações nas gravações Francisco e o Instituto de Música de Cleveland em Ohio. Em 1999 foi
modernas. Esta readaptação usa o contorno melódico original, mas o convidado para Associado Honorário da Royal Academy of Music
ritmo foi livremente adaptado a partir das realizações contemporâneas pelas suas realizações profissionais. Como guitarrista, Stephen Goss
disponíveis. Goss harmonizou e ornamentou a melodia monofónica ganhou vários prémios, incluindo o Julian Bream Prize Trabalhou
da Cantiga usando uma variedade de estilos e texturas. Também com muitos dos principais compositores da atualidade as obras para
adicionou introduções, interlúdios e poslúdios. Em contraste, a guitarra solo destes últimos, destacando-se Toru Takemitsu Hans
adaptação do Kyrie Trope Cunctipotens genitor é muito próxima da Werner Henzee Elliott CarterTocou e gravou com uma série de
fonte original. O cantochão do Kyrie é ouvido na voz grave e o ensambles de música contemporânea tais como Jane's Minstrels,
organum livre flutua em cima deste. Gemini e o Brunel Ensemble, assim como com a Sinfonietta de
Bournemouth, a English Sinfonia e outras orquestras. Stephen fez
diversas turnés gravou extensivamente com o quarteto de guitarras
Tetra. Também se apresentou ao lado de John Williame do guitarrista
Compositor de Flamenco Paco Peña.

Stephen Goss, nasceu em 1964 em Carmarthenshire, País Intérprete


de Gales, Inglaterra. Estudou na Royal Academy of Music em Londres
e nas Universidades de Bristol e Londres onde completou o seu
doutoramento. Estudou composição com Edward Gregson Robert Rui Mourinho nasceu em Portimão em 1976. Em 1993,
Saxton Peter Dickinson , Anthon Paynee guitarra com Michael Lewin. ingressou no Conservatório Regional do Algarve Maria Campina,
Enquanto professor catedrático tem a seu cargo o departamento de onde estudou com os professores Konstantin Götzen, José Alegre e
Composição, é Diretor de investigação na Universidade de Surrey no Eudoro Grade. Mestre em Música e Mestre em Ensino de Música, pela
Escola Superior de Música de Lisboa, onde estudou na Classe de
Guitarra de Piñeiro Nagy e nas Classes de Música de Câmara de Olga
Prats, Nuno Inácio e Stephen Bull.
Participou em diversas Master-Classes com vários guitarristas,
destacando Piñeiro Nagy, Dejan Ivanovic, Alberto Ponce, António
Jorge Gonçalves, Ricardo Gallen, Joaquin Clerch, David Russell,
Hubert Kappel e Carlo Marchione entre outros.
Fez parte do grupo “Vá-de-Viró”, com o qual realizou vários
recitais por todo o país e com o qual, gravou o C.D. “Outras Musicas”.
Participou na gravação do C.D. “Balletti”, do “Ensemble de Flautas
do Município de Loulé”.
Tem sido convidado a atuar em vários festivais como os
Rencontres Musicales Internationales 2003 na Académie
Internationale de Musique Yehudi Menuhin na Suíça, XL Festival do
Estoril, na 1ª e 2ª edição do Festival de Música da Escola Superior de
Música de Lisboa, no 1º Festival de Música Erudita de Tavira e na
edição 2004 do Festival de Guitarra da Academia de Amadores de
Música de Lisboa. Em 2010, como solista, apresentou-se com a
Orquestra do Algarve sob a direção da maestrina Sinead Hayes.
É dedicatório de obras de vários compositores tais como
Cristóvão Silva, André Santos, Pedro Louzeiro, Juan Erena e Stephen
Goss.
Atualmente, para além da sua atividade concertista a solo,
dedica-se ao repertório de câmara integrando diversas formações.
Paralelamente prossegue estudos enquanto Doutorando na
Universidade de Évora no curso de Doutoramento em Música e
Musicologia na especialidade de Interpretação. É professor de guitarra
clássica no Conservatório de Música de Albufeira e na Escola Básica
e Secundária da Bemposta em Portimão.