Você está na página 1de 3

Sociologia do Direito (105970) 1/2016

Prof. Dr. Eurico Antônio Gonzalez Cursino dos Santos

O curso colocará o (a) estudante em contato com as principais correntes clássicas e contemporâneas do
pensamento sociológico-jurídico, de modo a permitir-lhe fazer uso dessas ideias e modelos para a proposição de
problemas de pesquisa; o curso também formulará, de maneira conceitual, os problemas sociológico-jurídicos mais
relevantes de nossa época. Em especial, o curso buscará discutir o direito como um fenômeno cultural, de modo a
identificar elementos jurídicos na formação da capacidade de ação individual.
As aulas serão expositivas, referidas a textos indicados em aula e com intensa participação dos alunos. A avaliação
será feita por meio de uma prova, ao final da primeira parte, e de uma monografia, ao final da segunda parte; ambas
comporão 70% da menção final. Serão cobrados ainda registros de leitura dos textos que serão indicados, o que
comporá 20% da menção final; por fim, será cobrada presença às aulas, o que comporá os 10% restantes.

PRIMEIRA PARTE – ASPECTOS HISTÓRICOS E TEÓRICOS


1. O que é direito, do ponto de vista sociológico?
a. Sistema de normas coercitivas para imposição de poder
b. Sistema de normas para coordenação da ação coletiva
2. Direito, poder e normatividade
a. Interesses e normatividade
b. Solidariedade social e normatividade
3. Direito e valores
a. Valores e ideias universais (direito e sociedade)
b. Valores e ideias particulares (direito e comunidade)
c. Valores e indivíduo (direito e indivíduo)
4. Investigação em sociologia do direito
a. A “medição” do efeito do direito na sociedade
b. Grau de atinência à norma formal; suas causas
c. Grau de “desvio” da norma formal; suas causas
5. A realidade social do direito
a. As instituições jurídicas, suas ligações com a sociedade e as redes de interesses em torno delas
6. As fontes do direito
a. O direito estatal
i. O “processo legislativo”: de que são feitas as leis? (Constituição Federal, arts. 59 a 69; Lei
Complementar nº 95/1998; Regimentos Internos da Câmara dos Deputados e do Senado
Federal)
b. O direito espontâneo da comunidade/sociedade
c. Os modos de relação entre o estatal e o espontâneo
7. Representatividade
a. Ideal da razão comunicativa/solidariedade social
b. Formalização do conflito social
c. Conflito social não formalizado, ou parcialmente formalizado (movimentos sociais)
8. O direito e as relações internacionais: supraconstitucionalismo
a. Os modos de relação entre o estatal, o espontâneo e o supranacional

SEGUNDA PARTE – ASPECTOS CONTEMPORÂNEOS DA SOCIOLOGIA DO DIREITO


Temas atuais em sociologia do direito
1. Direito, democracia como governo da maioria e valores
a. Direito, reconhecimento, minorias e maiorias: a pós-modernidade brasileira (Estatuto da Criança e do
Adolescente; Lei Maria da Penha; Estatuto da Pessoa com Deficiência; Estatuto do Índio; Estatuto do
Idoso, entre outras leis)
i. Questões de gênero (Lei nº 11340/2006)
ii. A questão racial (diversas leis)
iii. A questão indígena (Lei nº 6001/73; Constituição Federal, arts. 231 e 232)
iv. Pessoas com deficiência (Lei nº 13146/2015)
v. Crianças e adolescentes (Lei nº 8069/1990)
vi. Pessoas idosas (Lei nº 10741/2003)
vii. Outras minorias
b. Direito, Estado e religião (Constituição Federal, arts. 5º, 19, 143, 210 e 226)
c. Direito e liberdades individuais nas artes, ciências, economia, política, religião, sexualidade
(Constituição Federal, arts. 5º,
d. Direito e “dívida social”
2. Direito e política: a organização constitucional da expressão política da sociedade (Constituição Federal,
Títulos IV e VIII)
a. A compreensão da lógica interna do sistema político formal
b. A compreensão das relações sociais de poder
c. Realidades políticas municipais, regionais e estaduais: as relações e os conflitos de interesses de
grupos sociais de natureza econômica, moral ou religiosa
d. A expressão, distorção e confinamento da realidade política da sociedade no sistema constitucional:
a “luta pelos cargos do Estado”, enfim, a política brasileira
e. O Poder Judiciário e a política
f. A “defesa da sociedade” e/ou o ataque à sociedade por sobre a representação política: legislando em
lugar do parlamento
g. O Poder Judiciário, o supraconstitucionalismo e a globalização da economia, da política e da cultura
(moral, religião, arte)
h. A independência do Poder Judiciário e a autonomia sociológica da ordem jurídica (Operação Lava-a-
Jato)

BIBLIOGRAFIA

AGUIAR, Roberto Armando Ramos de. Direito, Poder e Opressão. São Paulo, Alfa-Omega, 1990.

ARNAUD, André-Jean e DULCE, Maria José Farinas. Introdução à análise sociológica dos sistemas jurídicos. Rio de
Janeiro/São Paulo, Renovar, 2000.

ARNAUD, André-Jean; LOPES JUNIOR, Dalmir (Org.). Niklas Luhmann: do Sistema Social à Sociologia Jurídica. Rio
de Janeiro, Lumen Juris, 2004.

ARNAUD, André-Jean. Dicionário Enciclopédico de Teoria e Sociologia do Direito. Rio de Janeiro, Renovar, 1999.

ARRUDA JUNIOR, Edmundo Lima de. Direito, Marxismo e Liberalismo: Ensaios para uma Sociologia Crítica de
Direito. Florianópolis, CESUSC, 2001.

ASSIER-ANDRIEU, Louis. O direito nas sociedades humanas. São Paulo, Martins Fontes,2000.

BOURDIEU, Pierre. A força do direito: elementos para uma sociologia do campo jurídico. In BOURDIEU, P. O poder
simbólico. Rio de Janeiro, Bertrand do Brasil, 1989.

BOURDIEU, Pierre; TEUBNER, Gunter. La fuerza del derecho. Bogotá, Ed. Uniandes, 2000.

CARBONNIER, Jean. Sociologia Jurídica. Coimbra, Almedina, 1979.

COTTERRELL, Roger. The Sociology of Law. An Introduction. Londres, Butterworths, 1984.

DEZALAY, Yves; SARAT, Austin; SILBEY, Susan. “D’une démarche contestataire à un savoir méritocratique -
Esquisse d’une histoire sociale de la sociologie juridique américaine”. In Actes de la Recherche en Sciences Sociales,
Paris, n. 78, junho de 1989.

DURKHEIM, Émile (1899). A divisão do trabalho social. Diversas edições.

EHRLICH, Eugen (1913). Fundamentos da Sociologia do Direito. Brasília, Editora Universidade de Brasília, 1986.

FARIA, José Eduardo; CAMPILONGO, Celso. A sociologia jurídica no Brasil. Porto Alegre, Sérgio Fabris, 1991.

FOUCAULT, Michel. A Verdade e as Formas Jurídicas. 2. ed. Rio de Janeiro, Nau Ed., 2001.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: História da violência nas prisões. Petrópolis, Vozes, 1996.

GEPHÄRT, Werner. Max Weber´s comparative cultural sociology of law. Frankffurt a. M., Vittorio Klostermann, 2015.

GEPHÄRT, Werner. Gesellschaftstheorie und Recht – das Recht im soziologischen Diskurs der Moderne. Frankfurt,
Suhrkamp, 1993.

GERALDO, Pedro Barros; FONTAINHA, Fernando; VERONESE, Alexandre. “Sociologia empírica do direito – uma
introdução”, in Revista Ética e Filosofia Política - Nº 12 - Volume 2 - Julho de 2010. Juiz de Fora, UFJF, 2012. Ver em
http://www.ufjf.br/eticaefilosofia/files/2010/06/12_2_pedroheitor1.pdf
GIDDENS, Anthony; BECK, Ulrich; LASH, Scott. Modernização reflexiva: política, tradição e estética na ordem social
moderna. São Paulo, UNESP, 1997.

GILISSEN, John, Introdução histórica ao direito. Lisboa, Fundação Gulbenkian, 1988.

GURVITCH, Georges. Éléments de sociologie juridique. Paris, Aubier, 1940.

HABERMAS, Jurgen. Direito e Democracia. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1997.

HESPANHA, António Manuel. O Caleidoscópio do direito. O direito e a justiça nos dias e no mundo de hoje. Coimbra,
Almedina, 2007.
JUNQUEIRA, Elaine Botelho. A Sociologia do Direito no Brasil. Rio de Janeiro, Lumen Juris, 1993.

JUNQUEIRA, Eliane Botelho; OLIVEIRA, Luciano. (Org.) Ou Isto Ou Aquilo: A Sociologia Jurídica nas Faculdades de
Direito. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2002.

LUHMANN, Niklas. A legitimação pelo procedimento. Brasília: UNB, 1980.

LUHMANN, Niklas. Sociologia do Direito. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1985.

MADEIRA, Ligia Mori, e ENGELMANN, Fabiano. “Estudos sociojurídicos: apontamentos sobre teorias e temáticas de
pesquisa em sociologia jurídica no Brasil”, in Sociologias, Porto Alegre, ano 15, no 32, jan./abr. 2013.

Ver em http://www.scielo.br/pdf/soc/v15n32/08.pdf

MIAILLE, Michel. Uma introdução crítica ao direito. Lisboa, Moraes, 1979.

NEVES, Marcelo. “Habermas, Luhmann e o Estado de Direito”. In Lua Nova: Revista de Cultura e Política, São Paulo,
n. 37, p. 93-106, 1996.

SANTOS, Boaventura de Souza. O discurso e o poder: Ensaio sobre a sociologia da retórica jurídica. Porto Alegre:
Sergio Fabris, 1988.

SANTOS, Boaventura de Souza. “Poderá o direito ser emancipatório?” Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra,
v. 65, p. 3-76, maio 2003.

SOUTO, Cláudio; FALCÃO, Joaquim. Sociologia e Direito: leituras básicas de sociologia jurídica. São Paulo: Pioneira,
1980.

TEUBNER, Gunter. O direito como sistema autopoiético. Lisboa, Fundação Kalouste Gulbenkian, 1989.

UNGER, Roberto Mangabeira. Law in Modern Society. Toward a Criticism of Social Theory. New York, Free Press
(Mac Millan), 1979

WEBER, Max. Economia e Sociedade. Brasília, EdUnB, diversas edições.

WOLKMER, Antonio Carlos. Introdução ao pensamento jurídico crítico. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2001.