Você está na página 1de 1

Ensinar a escrita Apreciação crítica

Ensinar a escrita na sala de aula 1. Características do texto de apreciação crítica

Esta secção indica métodos de ensino de escrita dos três géneros de texto previstos no Programa e Me- Sobre o ensino específico da apreciação crítica, o PMCPES estipula o seguinte: «Apreciação crítica: des-
tas Curriculares de Português do Ensino Secundário (10.o ano), doravante designado por PMCPES: o texto de crição sucinta do objeto, acompanhada de comentário crítico»); por outro lado, este ensino, efetuado à luz
apreciação crítica, a exposição sobre um tema e a síntese. dos descritores do PMCPES, deve passar por um processo que compreende as fases da planificação e da
revisão – Escrita E10 10, 11, 12 e 13. As propostas de trabalho que se apresentam tanto no Manual como
Para cada um deles apresentam-se não somente textos-modelo, mas ainda modelos de grelhas de pla- aqui seguem estas indicações programáticas.
nificação e de grelhas de avaliação.
O texto de apreciação crítica deve apresentar uma estrutura tripartida (Introdução, Desenvolvimento,
Em cada caso, a informação apresenta-se estruturada deste modo: Conclusão). A apreciação crítica propriamente dita centra-se no Desenvolvimento.
• características do género textual;
2. Modelo de texto de apreciação crítica do Manual
• apresentação do modelo presente no Manual e das atividades a ele relativas;
A oficina de escrita presente no Manual relativa a este género textual encontra-se na página 35 e termina
• solicitação da elaboração de uma ou mais propostas de texto(s) de género idêntico; na página 37.
• grelha de planificação desse(s) texto(s); Algumas notas a tomar em consideração:
• proposta de elaboração do(s) texto(s); • esta oficina surge na sequência da leitura de um texto de apresentação crítica relativo a um livro
(página 33);
• grelha de avaliação do(s) texto(s).
• trata-se de uma atividade que se inicia com a apresentação de uma grelha de planificação preenchida
Simultaneamente, indicam-se sugestões didáticas de trabalho na sala de aula, tendo em conta as várias (página 35); deve ser analisada com os alunos para saberem o que deve constar de um texto de apre-
etapas do ensino processual da escrita: planificar, escrever, aperfeiçoar. ciação crítica;
• segue-se uma proposta de resolução do texto solicitado (página 36);
A informação sobre cada género textual integra sempre uma referência à oficina de escrita a cada um
• imediatamente a seguir a este texto, os alunos podem verificar que ele cumpre o que se espera deste
deles relativa, as quais se encontram no Manual, nas três primeiras sequências, pela ordem indicada acima.
género textual (página 36);
• a atividade termina com a solicitação da redação de um texto do mesmo género (página 36). Para a pro-
Apreciação crítica dução escrita deste texto existem, no Livro Prático do Professor, grelhas de planificação e de avaliação.
Notas prévias
3. Solicitação da elaboração de uma proposta de texto de apreciação crítica – fotografia artística
• O PMCPES não apresenta qualquer sugestão sobre que tipo de «objeto» deve incidir a apreciação críti-
Tem em atenção a fotografia abaixo reproduzida. Escreve um texto em que a aprecies criticamente. O teu
ca, contrariamente ao que preceitua, por exemplo, para a leitura: «Apreciação crítica (de filme, de peça
texto deve ter entre 180 e 240 palavras e deve apresentar-se dividido em três partes; no Desenvolvimento
de teatro, de livro, de exposição ou outra manifestação cultural)», página 13.
deves descrever sucintamente a fotografia e comentá-la criticamente.
• O PMCPES é muito claro quando, a propósito do «Projeto de Leitura», estipula que as atividades a ele
relativas devem articular-se «com a Oralidade e a Escrita» «mediante a concretização de atividades
inerentes a estes domínios, consoante o ano de escolaridade e de acordo com o estabelecido entre pro-
fessor e alunos.»
– Uma vez que o «Projeto de Leitura» é uma atividade presente no decurso de todo o Ensino Secundário,
entendemos que no Manual deveríamos dar especial atenção a atividades de escrita e de expressão
oral relacionadas com a apreciação crítica de livros lidos. Por isso, a apreciação crítica aparece logo
na primeira sequência: na leitura e, dela decorrendo, na escrita e na expressão oral.

• Mas este tipo de texto ou de discurso não pode cingir-se a livros: o PMCPES refere filmes, peças de tea-
tro, exposições ou outras manifestações culturais, nas quais cabem, certamente, esculturas, quadros,
capas de livros, fotografias, cartazes turísticos ou políticos, entre outros.

• Para terminar: seja qual for o objeto de apreciação crítica, os alunos têm de partir desta base – numa
«São Paulo [Brasil], jardim público». Fotografia de Bruno Barbey, 1966.
parte do Desenvolvimento, descreve-se o objeto sucintamente, na outra ele é comentado criticamente.
In François Chaille, ABCdário da gravata, Lisboa, Público, 2003, p. 47.
Esta dupla vertente do trabalho deve ser considerada desde a planificação, como veremos.

24 Entre Palavras 10 • Como Ensinar... Oralidade e Escrita • Entre Palavras 10 • Como Ensinar... Oralidade e Escrita •
25