Você está na página 1de 6

LAUDO DE MEDIÇÃO E RESITÊNCIA ELETRICA DE ATERRAMENTO

ATIVIDADE: Posto de Abastecimentos de Combustiveis e Serviços

PROPRIETÁRIO: AUTO POSTO BREJAO

END: Av 7 de Setembro, s/nº, Esq. c/ Rua C. Ribeiro, Centro, Novo Acordo/TO

CNPJ: 02.658.670/0001-25

L A U DO T É C N I CO S P D A

Palmas/TO
Agosto-2018
INTRODUÇÃO
Este relatório tem a finalidade de atestar as condicões dos sistemas de protecão
contra descargas atmosfericas - SPDA
A inspecao do tipo periódica foi executada em 28 de julho de 2018 e, além da parte
visual, constou de ensaio com medição de resistencia de aterramento, pelo método da
queda de potencial, auxiliado por instrumento - terrômetro.
Em funcão da localizacão geografica e demais caracterfsticas especfficas, as
consideracões elencadas levam em conta os diversos nfveis de protecao, conforme a Tabela
B.6 da Norma ABNT NBR 5419:2015 adequados para cada estrutura especffica da unidade.
Este trabalho tem como objetivo fazer uma avaliação detalhada do SPDA existente na
edificação,

2) OBJETIVO

Certificar-se de que todos os componentes do SPDA estejam em bom estado, as


conexoes e fixacões estejam firmes e livres de corrosão.
Assegurar-se de que os valores das resistencias de aterramento encontram-
se dentro do parâmetro especificado pelo subitem 5.1.3.1.2 da Norma NBR 5419:2015.
3) EDIFICACÕES

3.1 Escritório principal, Coberturas de Abastecimento.

As edificacões descritas formam um conjunto e estão contempladas com um


sistema de SPDA do com o tipo 'Franklin". As malhas superior e inferior estao interligadas
em malha única. Os subsistemas de aterramento das subestacoes eletricas estão
interligados e equalizados com o subsistema de aterramento geral, constituindo um
subsistema de aterramento único, atendendo ao disposto no subitem 5.1.3.1.1 da Norma
NBR 5419:2015.
Os elementos do SPDA estão identificados. Considera-se o nível de protecão III
adequado para esta estrutura.
3.2- RESULTADO DE INSPEÇÃO

Data/horário .............................................. 11/08/2018 ás 10hr e 35min.


Céu ............................................................. Ensolarado com pouca nebulosidade
Umidades relativas do ar/solo ..................... 60% / 25%;
Temperatura media .................................... 32°C;

3.3 - INSTRUMENTO DE MEDICÃO UTILIZADO

Nome ............................................ Terrômetro digital;


Fabricante .................................... Minipa;
Modelo/Serie ............................... MTR-1520D / 1520002620

3.4 Subsistema de descida:

Os condutor de descida de #35mm² e sua conexão estão corretamente


dimensionado e apresenta-se em condicãos normal de utilizacão.
3.5 Subsistema de aterramento:

Os condutores da malha de aterramento - de cobre nu # 50mm² -, encontram-se em


bom estado. As hastes de aterramento tipo "copperweld" de 24%" nao apresentam sinais
de oxidacão, assim como, os pontos de conexão estão em boas condicões de operacão.
3.6 Resistencia de aterramento
O valor da resistencia, indicada na Tabela 4.1, foi medida na unidade de descida,
após a desconexão ffsica e elétrica existente.
O resultado obtido, de acordo com a Tabela 4.1 demonstraram e atesta
homogeneidade e, consequentemente, equipotencializacão eletricas existente no
subsistema de aterramento.

3.7 DADOS TÉCNICOS DA EDIFICAÇÃO

Edificação enquadrada na norma NBR-5419/2015 da ABNT, como Nível lII de


proteção.
Necessidade de proteção evidenciada por se tratar de edificação de Nível III, com
presença de liquidos inflamáveis enterrados em recipiente metálico.
Tipo Franklin para proteção dos respiros e cobertura e bombas aterradas com captação
natural.
Aterramento: d i v e r s o s eletrodo vertical tipo “Copperweld” 5/8” x 2,40m (alta camada)
para descidas do Sistema Franklin na descida e um eletrodo horizontal com cabo de cobre
nu #50mm² a 50 cm de profundidade, em toda area de proteção do SPDA .

4) VISTORIA “IN LOCO” DOS SPDA EXISTENTE

4.1- Das Coberturas em Geral

Em vistoria realizada no local, foi constatado que área de abastecimentos tem um


coberturas em estrutura metálica com os pilares metálicos. Por definição da norma
Estruturas de metal aparente que sejam contínuas até o nível do solo, requerem apenas um
subsistema de aterramento.
Os aterramentos também não foram todos identificados uma vez que estão debaixo
do solo e somente alguns pontos foram identificados, como cabo de cobre interligando as
estruturas das bombas de abastecimento.
Foram realizadas medições de resistência do aterramento existente em um unido
ponto no terreno:
PONTO Único
Resistencia
8,75

a medição atende o que preconize a NBR 5419/2015: Média: 8,75 Ω. Convém lembrar que
esse valor obtido serve apenas para dar uma idéia aproximada da qualidade do solo e não
definem a eficiência do aterramento uma vez que o raio é um fenômeno de alta freqüência e
quase não enxerga a resistência ôhmica, sendo muito mais importante a impedância de
aterramento que o valor de resistência isoladamente.

5) CONCLUSÃO

A medição mostrau que apesar da existência das variáveis que influenciam


na resistência do aterramento, como o tipo de solo, e período de chuva que possa
melhora a resistência do solo, onde as temperaturas variando entre 32ºC e 36ºC,
nas medições dos valores de resistência pelo procedimento adotado verificou-se
que o nível de resistência ôhmica da malha conforme configurações adotada
possuem valores de resistência de aterramento satisfatórios, sendo de 8,75Ω e
que atendem as exigências das normas técnicas vigentes.
Conclui-se que a malha medida atende ao nível de segurança que requer as
instalações, e é importante que sejam efetuadas medições em vários períodos do
ano, para verificar se a resistência da malha de aterramento ainda permanece
em nível aceitável conforme NBR 5149-2015.
O S P DA e xist e n t e a t e n d e o m i n í m o n e c e s s á r i o p a r a p r o t e n ç ã o d a
e d i f i c a ç ã o n o POSTO BREJÃO.

Este Laudo tem validade de 12 (doze) meses a contar desta data.


Desde que não ocorra nenhuma descarga atmosférica no sistema.

Palmas/TO, 11 de agosto de 2018.

AERTON GUSMÃO
Engenheiro Eletricista, Engenheiro Civil
CREA-MG nº 140590675-8
CREA/TO 116792/V
REFERÊNCIAS TÉCNICAS
NBR-5410/2010 – INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO
NBR-5419/2015 – PROTEÇÃO CONTRA DESCARGAS ATMOSFÉRICAS

DICIONÁRIO E ABREVIATURAS USADA NESTE DOCUMENTO

EXPOSIÇÃO EXTREMA: Local com muita incidência de Raios e vulnerável aos efeitos

secundários dos raios que caiem na vizinhança.

BLINDAGEM ELETROSTÁTICA: Proteção contra as ondas eletromagnéticas provocadas

pelos raios que viajam pelo ar.

NBR-5419/2015 – Norma Brasileira que regulamenta o projeto e instalação de Pára-raios

ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas

SPDA – Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas ( Pára-raios)

ART – Anotação de Responsabilidade Técnica emitida no CREA

CREA – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia