Você está na página 1de 5

GEOGRAFIA DO MARANHÃO

Indústrias do Maranhão
Produção: Equipe Pedagógica Gran Cursos Online

INDÚSTRIAS DO MARANHÃO

Extrativismo

O extrativismo é uma atividade econômica que faz referência a toda coleta


animal, vegetal ou mineral de produtos espontaneamente gerados pela natureza.
No Brasil, teve início com a exploração do pau-brasil e extração das “drogas
do sertão”, borracha, madeira, castanha, metais preciosos e cacau.
Com relação ao extrativismo vegetal, no território maranhense, podemos des-
tacar o babaçu.
O babaçu é a principal fonte de renda do extrativismo vegetal do Maranhão, encon-
trada, principalmente, nos vales dos rios Munim, Itapecuru, Mearim, Grajaú, Pindaré.
É um gerador de emprego e renda para milhares de famílias do estado, tão
importante quanto a pecuária e agricultura.

Coco babaçu

→ Coco babaçu

O babaçu é matéria-prima na produção de cremes, sabonetes, xampus, deter-


gentes, artesanatos, brincos, pulseiras, farinha, azeite, leite, temperos etc.
Lei do Babaçu: movimentos sociais em defesa dos babaçuais e da garantia do
emprego e renda. A Lei do Babaçu livre foi aprovada em 1997 no município Lago
do Junco (conquista do movimento das quebradeiras de coco ao livre acesso):
ANOTAÇÕES

1
www.grancursosonline.com.br
GEOGRAFIA DO MARANHÃO
Indústrias do Maranhão
Produção: Equipe Pedagógica Gran Cursos Online

• Lei n. 05/1997 e Lei n. 01/2002 de Lago do Junco;


• Lei n. 32/1999 de Lago dos Rodrigues;
• Lei n. 255/1999 de Esperantinópolis;
• Lei n. 319/2001 de São Luiz Gonzaga;
• Lei n. 1.084/2003 de Imperatriz.

Jaborandi e madeira

O Maranhão é o grande produtor nacional, utilizada na indústria farmacêutica.


A maior extração desse produto ocorre nos meses secos nos municípios de
Arame, Morros, Barra do Corda, Santa Luzia e São Benedito do Rio Preto.
A extração de madeira avança no oeste do Maranhão, a Pré-Amazônia mara-
nhense, de floresta menos densa, pelo fato de estar associada ao processo de
ocupação da porção ocidental e a implantação de siderúrgicas na região.

Parque industrial

A década de 70 foi marcante no processo de industrialização, saindo de uma


economia agroexportadora (pecuária e agricultura) para uma de inserção de pro-
jetos industriais e urbanização.
O principal exemplo foi o projeto “Maranhão Novo”, com a instalação do dis-
trito industrial em São Luís, a implantação do Projeto Ferro Carajás, associado a
obras de infraestrutura como: rodoviária (São Luís-Teresina), ferroviária (Ferro-
via Carajás) e portuária (Porto do Itaqui).
ANOTAÇÕES

2
www.grancursosonline.com.br
GEOGRAFIA DO MARANHÃO
Indústrias do Maranhão
Produção: Equipe Pedagógica Gran Cursos Online

Porto de Itaqui

O Porto do Itaqui possui posição geográfica privilegiada em relação aos mer-


cados consumidores asiático e europeu, que contribuíram para atrair novos
investimentos do setor secundário da economia.

Polos industriais

São Luís: é o principal polo Industrial do Maranhão, possui o mais importante


complexo portuário das regiões Nordeste e Norte do Brasil.
A economia baseia-se na indústria de transformação de alumínio e alumina
através da Alcoa.
Destacam-se ainda as atividades tradicionais como alimentícia, bebidas,
oleaginosas e de serviços, com destaque para a indústria do turismo.
Imperatriz: localizada no sudoeste do estado, é a segunda maior cidade
maranhense e vem apresentando um crescimento no setor industrial, principal-
mente com a instalação da indústria Suzano de papel e celulose, a crescente
indústria da construção civil e a indústria madeireira.
Açailândia: a base da economia de Açailândia está no complexo do PGC
(Projeto Grande Carajás).
É um dos municípios que integram as áreas que são cortadas pela estrada de
ferro Carajás-Açailândia. É o município que abriga a maior extensão de malha
ferroviária, são 123,6 quilômetros.
ANOTAÇÕES

3
www.grancursosonline.com.br
GEOGRAFIA DO MARANHÃO
Indústrias do Maranhão
Produção: Equipe Pedagógica Gran Cursos Online

No povoado de Pequiá, a ferrovia tem uma estação de grande importância


regional, pois nessa parada, denominada Açailândia-Pequiá, fica o encontro da
estrada de ferro Carajás com a estrada de ferro Norte-Sul, que conduz a produ-
ção do Centro-Oeste brasileiro até o Porto de Itaqui, em São Luís.
As indústrias de ferro-gusa são uma fonte de empregos e a indústria madei-
reira também tem apresentado um crescimento a partir década de 1980.

Transporte rodoviário:
• Terminal rodoviário de São Luís;
• Terminal rodoviário de Imperatriz;
• Terminal rodoviário de Caxias;
• Rodovia Belém-Brasília;
• Rodovia Transamazônica (BR-230), BR-135, BR-316, BR-222, BR-226;
• Ferrovias Estrada de Ferro Carajás (EFC);
• Ferrovia Norte-Sul (EF-151).

Transporte:
• Aeroportos Aeroporto Internacional Marechal Cunha Machado (São Luís);
• Base Aérea de Alcântara – Centro de Lançamento de Alcântara (Alcântara);
• Aeroporto Prefeito Renato Moreira (Imperatriz);
• Aeroporto Regional João Silva (Santa Inês);
• Aeroporto regional de Balsas (Balsas);
• Aeroporto de Carolina – Brigadeiro Lysias Augusto Rodrigues;
• Porto do Itaqui;
• Porto da Aluma.
ANOTAÇÕES

4
www.grancursosonline.com.br
GEOGRAFIA DO MARANHÃO
Indústrias do Maranhão
Produção: Equipe Pedagógica Gran Cursos Online

Atenção!
Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) é a denominação da segunda
base de lançamento de foguetes da Força Aérea Brasileira. Sedia os testes
do Veículo Lançador de Satélites (VLS) e destina-se, futuramente, a realizar
missões de lançamento de satélites.

Este material foi elaborado pela equipe pedagógica do Gran Cursos Online, de acordo com a
aula preparada e ministrada pelo professor Júlio Santos.
ANOTAÇÕES

5
www.grancursosonline.com.br