Você está na página 1de 4

CURSO WISC IV AVANÇADO

21/09/2018 – Cascavel/PR – 09hrs – Psic. Ivete Goinski Pellizzetti

- WISC que define se o sujeito, nos EUA, vai ou não para a cadeira elétrica;
- Dois relatórios: um para entrega (cuidado com os dados que são entregues), outro
para arquivo (dados reais);
- Estagiário para fazer observação nas escolas, ou espaços onde a criança e o
adolescente frequentam;
- Os dados psicosociaisfamiliares não devem ser encaminhados para as escolas,
principalmente pelo mau uso dos dados familiares;
- Os médicos fazem eletro no TDHA para descartar epilepsia, que não pode usar
ritalina;
- para fechar um diagnostico de Dislexia, Discalculia, etc, a cça precisa de uma
intervenção de no mínimo 6 meses;
- por que se faz wisc? Para descartar deficiência intelectual;
- Problema memória auditiva
- Dificilmente crianças com superdotaçao terão valores discrepantes em seus índices
- Wisc não avalia crianças com menos de 40 de QI
- No caso de adolescentes com 16 anos, deve se usar ainda o WISC e não o WAIS
- Quanto mais linear os resultados, mais fatores, extra inteligência estão envolvidos;
- Criança com problemas na memoria operacional, lê a primeira linha, mas não lê a
segunda, pela incapacidade de ENCADEAMENTO;
- Critério GAI: IOP e ICV para saber se tem superdotação ou deficiência;
- O WISC é “clínico” por que se aplica 1 de cada vez, não por que está somente para a
clínica;
- Os pontos ponderados é que são os resultados do WISC, não o bruto;
- a substituição não é feita para favorecer a criança;
- a criança precisa qualificar com letras e números;
- Intervalo de confiança: considerar o sujeito e o contexto
- Interpretação de Percentil: Pega-se o percentil, joga-se na curva do sino, ve-se
quantas pessoas tiveram esse percentil, se esta abaixo ou acima da média;
- Não se considera o que está acima do sujeito nos percentis, mas considerar o quanto
ele está distante em percentis de valores inferiores a 69 (que estaria como deficiência
mental);
- Pelo WISC não se pode colocar se é deficiente ou não, mas a mais critérios:
A) aplicação de testes individuais, nunca coletivos;
B) condutas adaptativas (grau de independência que a pessoa tem): Os défices na
generalidade das capacidades cognitivas prejudicam o funcionamento do sujeito
quando comparado com uma pessoa da mesma idade e grupo cultural, limitando e
restringindo a sua participação e desempenho em um ou mais aspectos de atividades
da vida diária, tais como: a comunicação, participação social, funcionamento escolar
ou laboral, e na independência pessoal em casa ou em ambientes comunitários. Estas
limitações têm, como consequência, a necessidade de um maior ou menor apoio na
escola, no trabalho ou na vida diária. Assim, para além de uma deficiência intelectual,
também é requerido um défice significativo no funcionamento/comportamento
adaptativo. Por norma, o comportamento adaptativo é medido através da aplicação de
testes individualizados, padronizados, culturalmente adequados e com validade
psicométrica. (DSM V)
C) Ocorrer antes dos 18 anos

Critério A do DSM-5 - a limitações no comportamento adaptativo (grosseiramente, da


funcionalidade do sujeito) em uma ou mais áreas como: comunicação, autonomia
pessoal, autonomia doméstica, competências sociais, uso de recursos comunitários,
autocontrolo (respostas emocionais adequadas em situações concretas), competências
académicas, competências no trabalho, tempos livres, saúde (como a automedicação
para uma dor de cabeça, o evitamento de excessos alimentares, ...) e segurança (como
a utilização de cinto de segurança durante o transporte automóvel ou o atravessamento
das ruas nos locais e momentos apropriados) –
Critério B do DSM – 5. O Critério B considera-se presente quando, pelo menos, um dos
domínios do funcionamento/comportamento adaptativo – conceptual, social, ou
prático – está suficientemente alterado de modo a necessitar de apoios contínuos no
sentido de adequar a sua participação e desempenho em um ou mais contextos de vida,
tais como escola, trabalho, casa ou comunidade. Para diagnóstico de PDI, os défices no
funcionamento adaptativo devem estar diretamente relacionados com as alterações
intelectuais descritas no Critério A.

O WISC IV Não apresenta resultados classificató rios :

Mas vc. pode usar a curva do Sino na última página da folha de resposta para a
interpretação (usando pontos compostos)
Abaixo de 70 - Extremamente baixo.
́
Para resultados entre 70- 79 – Limitrofe.
Para resultados entre 80 – 89 - Média Inferior.
Para resultados entre 90-109 – Média.
entre 110 a 120 - Média superior.
entre 120-130 – Superior.
Resultados maiores que 130 – Muito Superior.

D.I. - DSM V – abaixo de 69, mas com intervalo de confiança entre 70 e 75


AIDD (Administration on Intellectual and Developmental Disabilities) - abaixo
de 69, mas com intervalo de confiança entre 70 e 75
CID-10 – abaixo de 70

No teste WISC, fica claro que não é o resultado do teste que encaminha o sujeito para
condutas, mas o psicólogo e sua interpretação.

- Condição para ser dislexia - QI preservado, próximo da média;


- Percentis de 70 a 75 indicam retardo mental por que todos os indicadores dizem
isso;
- Atraso na linguagem não é mais critério para diagnóstico de autismo;
- Inteligência Fluída: aquilo que eu tenho sem precisar aprender muito, é do
individuo, mais biológico, um sujeito sem escolarização pode me dar;
-Inteligência Cristalizada: depende do meio, escolarizada, obrigatoriamente,
aprendida;

- Subtestes de Semelhanças: compara pelas diferenças. (do ponto de vista cognitivo,


muito difícil)

- Semelhança (S): tem seus requisitos


- Vocabulário (V) : além dos S mais outros
- Compreensão (C):
- Informação (I) :
- Raciocínio de Palavras (R): além dos S e V mais outros

ICV
- Conceito: descrição das características essenciais (inteligência cristalizada)
- verbal

IVP
- Visual

- No TODA ou TDAH a memoria operacional é baixa, (é a habilidade de reter


informações em mente temporariamente enquanto se executa algumas operações
mentais com estas informações ou se envolve em uma tarefa interferente e então
precisa reproduzir a informação corretamente ou agir sobre elas)

- Toda criança que tiver problemas na memoria operacional terá dificuldade nas séries
iniciais;
- Compreensão quando está baixa, pode ser característico de TEA, julgamento moral,
habilidades sociais.
- Na superdotaçao pode ter discrepância no julgamento moral;

- Teste Autismo PEP.R

- Pesquisas dizem que não há diferença em cçs que tomem ritalina, no WISC IV

- QITotal = ICV+IOP = 60% / IMO+IVP= 40%

- Deficiente: 70 ou menos, dois desvios padrão


- Superdotado: acima de 130

- Para saber o QI mais puro suma-se os pontos ponderados de ICV + IOP, e vai para a
tabela extra

Critérios de exclusão para avaliação de Dislexia:


Não decorre de deficiencias intelectuais;
Não decorre de deficiencias sensoriais;
Não decorre de deficiencia fisica;
Não decorre da falta de oportunidade de aprender;
Não decorre de diferenças culturais.

Na dislexia o indice de Compreensão Verbal é utilizado como um indice de desempenho


esperado porque o QI verbal ( raciocinio verbal) tem sido demonstrado em pesquisas
como o melhor preditor de desempenho em leitura em amostras cli ́nicas.

Você também pode gostar