Você está na página 1de 4

AVALIAÇÃO DA APLICAÇÃO DA APRENDIZAGEM BASEADA

EM PROBLEMAS NA DISCIPLINA DE PROJETO DE


PROCESSOS DA INDÚSTRIA QUÍMICA DE CURSO DE
ENGENHARIA QUÍMICA

MORAES F 1,2, GONÇALVES M1, RICCI A2


1
Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino, Faculdade de Engenharia Química
2
Faculdade Municipal Professor Franco Montoro, Faculdade de Engenharia Química
E-mail para contato: franciscobertini25@gmail.com

RESUMO – Este estudo teve como objetivo avaliar a utilização do método de


aprendizagem baseada em problemas (PBL) na disciplina de Projeto de Processos da
Indústria Química. A metodologia de avaliação baseou-se em questionários
estruturados na aplicação e resultados obtidos com o método PBL e foram respondidos
pelos alunos ao final dos cursos. Observou-se que os alunos avaliaram positivamente a
aplicação do método PBL, com resultados bastante satisfatórios para o
desenvolvimento da pesquisa do conhecimento em busca da auto-aprendizagem de
aspectos técnicos e comportamentais, vitais para enfrentar os desafios no ambiente
profissional.

1. INTRODUÇÃO
O processo tradicional de ensino-aprendizagem encontra-se na maioria das vezes restrito à
simples reprodução e transmissão do conhecimento por parte do docente, gerando repetições das
informações, num processo passivo onde o discente torna-se apenas um expectador sem apresentar
a própria visão crítica e reflexiva (Moust et al., 2007).

A PBL-Aprendizagem baseada em problemas, como uma metodologia ativa de ensino, é uma


concepção educacional que coloca os estudantes da graduação como principais agentes de seu
aprendizado. Nela, o estímulo à crítica e reflexão são incentivados pela metodologia que conduz a
aula, com o professor atuando como tutor, mas o centro desse processo é, de fato, o próprio aluno.
As características da PBL favorecem a atuação do futuro profissional no mercado de trabalho,
podendo ser utilizadas nos mais variados contextos (Sales, Del, 2013).

Neste contexto, este artigo relata a abordagem pedagógica por PBL adotada na disciplina de
Projeto de Processos da Indústria Química, em 2016 e em 2017 na Faculdade de Engenharia
Química do Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino – UNIFAE em São Joao da
Boa Vista, SP e em 2017 na Faculdade de Engenharia Química da Faculdade Municipal Professor
Franco Montoro – FMPFM em Mogi Guaçu, SP.
2. METODOLOGIA DA APLICAÇÃO DO MÉTODO PBL

O método PBL aplicado, baseou-se em Moust et al., 2007 e possuem o seguinte conjunto de
atividades : (1) Apresenta-se um problema (ou projeto) aos alunos que, em grupos organizam suas
idéias, tentam defini-lo e solucioná-lo com o conhecimento que já possuem; (2) Por meio de
discussão, os alunos levantam e anotam questões de aprendizagem (learning issues) acerca dos
aspectos do problema que não compreendem; (3) Os alunos priorizam as questões de aprendizagem
levantadas e planejam quando, como , onde e por quem estas questões serão investigadas para serem
posteriormente partilhadas com o grupo; (4) Quando os alunos se reencontram, exploram as
questões de aprendizagem anteriores, integrando seus novos conhecimentos ao contexto do
problema; e (5) Ao final, os alunos avaliam o processo, a si mesmos e seus pares de modo a
desenvolverem habilidades de auto-avaliação e avaliação construtiva de colegas, imprescindíveis
para uma aprendizagem autônoma eficaz.

Os projetos realizados na disciplina, sao considerados de dimensionamento básico, e após


discussão ampla e consulta bibliográfica (Woods, 2000), chegou-se em um conjunto de etapas
possíveis de serem cumpridas dentro do ambiente acadêmico e divididas em cerca de 20 semanas :
(1) Conceitos de PBL e Definição do projeto; (2) Definição dos objetivos e escopo do projeto; (3)
Definição de capacidade e localização; (4) Balanços globais de massa e energia; (5) Alternativas
tecnológicas de projetos; (6) Viabilidade técnico econômica; (7) Decisão da continuidade e escolha
tecnológica; (8) Organização do projeto; (9) Definição do fluxograma e dados de processo; (10)
Fluxograma com balanços detalhados de massa e energia; (11) Controle de Processos e Fluxograma
P&I; (12) Processo de utilidades; (13) Dimensionamento de equipamentos; (14) Estratégia de
controle e intertravamentos; (15) Recomendações de segurança e hazop; (16) Comissionamento e
Start up; (17) Considerações finais; (18) Referências bibliográficas (manter atualizada desde o
início) e (19) Avaliação final e um relatório final com as etapas é formalizado.

Dentro deste contexto, a turma é dividida em grupos de 4 a 5 alunos, incumbidos com


diferentes problemas (ou processos químicos). A aula é composta de 3 seções, Pós-Seção ,
Avaliação e Pré-Seção. Na Pós-Seção são apresentados (40 minutos) por todos os componentes do
grupo o resultado o trabalho como resposta ao sub-problema, conforme a etapa correspondente e
definido na Pré-Seção da semana anterior e desenvolvido pelo grupo durante a semana. Em seguida
o tutor relata a avaliação dos componentes do grupo, comentando sobre o trabalho realizado e a
qualidade da abordagem (10 minutos). Ao final da aula é conduzida a Pré-Seção sobre a próxima
etapa (sub-problema), considerando os principais aspectos e conceitos a serem considerados, além
as melhores referências disponíveis sobre o assunto incluindo os projetos de turmas anteriores..

Para aplicação de conceitos da metodologia PBL na condução do trabalho, para cada etapa ou
sub-problema do projeto (ou problema) será designado um líder e um secretário, dando
oportunidade a todos os componentes de cada grupo vivenciarem esta responsabilidade por 4 vezes
durante o semestre.

A seguir listamos exemplos de projetos desenvolvidos em 2016 e 2017 e podem ser solicitados
para apreciação através do email para contato : Tratamento de efluentes por lodo ativado na
indústria de celulose; Dessalinização de água do mar por evaporação para obtenção de água potável;
Cogeração de energia com caldeira de biomassa numa indústria de papel; Produção de acetaldeído
e ácido acético a partir do etanol; Produção de etanol a partir da cana de açúcar; Produção de vinagre
a partir de vinho de uva; Descontaminação química de água do subsolo por dessorção com ar;
Tratamento de água para obtenção de água potável – ETA; Tratamento de esgoto municipal – ETE;
Produção de acetato de etila a partir de etanol e ácido acético; Caustificação do carbonato de sódio
para produção de soda cáustica; Produção de Benzeno através da hidrodealquilação do tolueno e
Evaporação de múltiplo efeito e stripping do condensado evaporado, além de outros.

3. RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DA APLICAÇÃO DO MÉTODO PBL


A metodologia de avaliação baseou-se em questionários estruturados na aplicação e
resultados obtidos com o método PBL (Sales, Del, 2013) e foram respondidos pelos alunos ao final
dos cursos. A Tabela-1 apresenta os resultados obtidos sobre a avaliação pelos alunos da aplicação
do método PBL e a Tabela-2 os resultados da avaliação pelos alunos das características específicas
do método PBL. Questões dissertativas foram incorporadas no ítem-4 em discussão.

Tabela -1 – Resultados da avaliação de aplicação do método PBL


Distribuição da Avaliação, %
Questões No.
Avaliação de Aplicação da PBL Alunos 1 2 3 4 5
Ruim Regular Aceitável Bom Ótimo
1. A avaliação geral da disciplina 54 0 4 7 21 68
2. Avaliação das etapas do projeto (1 a 15) 54 0 0 4 18 79
3. Auto avaliação quanto so seu desempenho 54 2 14 21 48 14
4. Avaliação da dinâmica apresentada 54 0 0 4 29 68
5. Avaliação da forma de avaliaçao na disciplina 54 0 0 7 18 75

Fonte : Autores, 2018

Tabela -2 – Resultados da avaliação das características do método PBL


Distribuição da Avaliação, %
Questões No.
1 2 3 4 5
Avaliação das Características da PBL Alunos
Ruim Regular Aceitável Bom Ótimo
1. O método é dinâmico 54 0 0 7 14 79
2. O método permite desenvolver competencias
54 0 0 14 29 57
de solução de problemas
3. O método estimula a busca do conhecimento
54 0 0 0 29 71
por meio da pesquisa
4. A pesquisa proporciona a auto-aprendizagem 54 0 0 7 18 75
5. O método proporciona o trabalho em equipe 54 0 0 0 14 86
6. O método estimula o comportamento para um
54 7 14 28 36 14
bom relacionamento entre membros do grupo
7. O método instiga o desenvolvimento de papéis
54 0 0 7 14 79
dentro do grupo
8. O método influenciará na futura atuação profis. 54 0 7 14 29 50
9. O método proporciona práticas reflexivas 54 0 0 14 29 57
10. O método provoca preocupação com o contexto 54 0 0 0 14 86
11. O método influenciará na sua postura profis. 54 0 7 21 29 43
12. O método depende da competência do tutor 54 0 18 29 32 21

Fonte : Autores, 2018


4. DISCUSSÃO E CONSIDERAÇÕES FINAIS
Nas questões de avaliação de aplicação do método PBL, os resultados de avaliação geral, as
etapas e problemas utilizados, a sua dinâmica e forma de avaliação mostram total aceitação e
aprovação pelos alunos, atingindo de 89 a 96% entre “bom” e “ótimo”.

Na avaliação das características, a dinâmica de trabalho com o método PBL adaptado à


disciplina, envolvendo os alunos ao trabalho em equipe ora líderes e ora liderados, com estímulos
à pesquisa e auto-aprendizem com práticas reflexivas para solução de problemas foram
positivamente avaliadas (80 a 100% entre “bom”e “ótimo”). Para a futura atuação profissional,
aponta como uma avaliação positiva (72 a 79% entre “bom” e “ótimo”), mas alerta para possíveis
melhorias no método PBL frente a este quesito, pois a preparação para o mercado de trabalho, tanto
técnica como comportamental é um forte objetivo da PBL. Uma melhoria possível durante o curso
é dar referências das expectativas de atuação do profissional no mercado em diferentes tipos de
trabalhos, por exemplos, área de engenharia, área de produção, área comercial, etc.

Por outro lado, os alunos avaliaram de forma não totalmente satisfatória a performance de
seus desempenhos na construção dos projetos (62% entre “bom” e “’ótimo”) e de estímulos ao bom
relacionamento entre membros no grupo (50% entre “bom” e “ótimo”). Este resultado pode estar
relacionado a aspectos comportamentais frente ao próprio conteúdo da disciplina, ao trabalho em
equipe, dificuldades de liderança e às características do método PBL, que pode inibir o aluno
acostumado a focar em um determinado assunto de forma individual para solução de provas.
Ressalta-se aqui que faz parte do método PBL permitir que os alunos desenvolvam suas habilidades
comportamentais de participação e liderança e de comunicação e apresentação, características
necessárias no atual contexto do mercado de trabalho e muito valorizada nas empresas. Estes itens
devem ser fortemente trabalhados para melhorias nas próximas turmas.

Segundo os alunos, a oportunidade de utilizar praticamente todas as disciplinas aprendidas


durante o curso de engenharia química, considerando todo o contexto envolvido num projeto de
processo na indústria química, foi uma das principais forças de motivação para os grupos.

Portanto, conclui-se que o método PBL é uma excelente opção para a aplicação na
aprendizagem da disciplina de Projeto de Processos da Indústria Química e recomendamos a sua
aplicação como opção ao TCC e em outras disciplinas da Engenharia Química a fim de que
tenhamos a melhoria contínua no processo de aprendizado alinhada às necessidades do mercado de
trabalho.

5. REFERÊNCIAS
Moust, J.; Bouhuijs, P; Schmidt,H. Introducing to Problem-based Learning. A guide for students.
Vol. 1 & 2. Ed.Noordhoff Uitgevers. Netherlands, 2007.

Sales, A.; Del,A. Avaliação da Aplicação da Aprendizagem Baseada em problemas na Disciplina


de Interação Humano Computador em Eng. de Software. CINTED-UFRGS, V11, No.3, 2013.

Woods, D. PBL, especially in the context of large classes. Mac Master University, Department of
Chemical Engineering, Web site : <http://chemeng.macmaster.ca/pbl/pbl.htm>, 2000.