Você está na página 1de 19

Planejamento Anual de Língua

Portuguesa - 7º ano - De acordo


com o CBC - MG
PLANO DE CURSO 2017-02-06

I. IDENTIFICAÇÃO

Escola Municipal Coronel Ribeiro dos Reis

N° DE AULAS
CONTEÚDO: LÍNGUA PORTUGUESA TURMA: 7º ANO
SEMANAIS: 06

PROFESSOR (ES): Fabiane Faria da Silva

OBJETIVOS GERAIS:
*Compreender e produzir textos, orais ou escritos, de diferentes gêneros autonomamente.
*Compreender a língua como fenômeno cultural, histórico, social, variável, heterogêneo e
sensível aos contextos de uso.
*Reconhecer a língua como instrumento de construção da identidade de seus usuários e
da comunidade a que pertencem.
*Compreender a escrita como simbolização da fala.
*Compreender a necessidade da existência de convenções na língua escrita.
*Valorizar a escrita como um bem cultural de transformação da sociedade.
*Usar variedades do português, produtiva e autonomamente.
*Posicionar-se criticamente contra preconceitos linguísticos.
*Mostrar uma atitude crítica e ética no que diz respeito ao uso da língua como instrumento
de comunicação social
*Ler textos literários com envolvimento da imaginação e da emoção.
*Reconhecer e participar do pacto proposto por diferentes gêneros literários.
*Reconhecer o texto literário como lugar de manifestação de valores e ideologias.
*Reconhecer mitos e símbolos literários em circulação na cultura contemporânea.
*Identificar valores veiculados por mitos e símbolos em circulação na cultura
contemporânea.
*Posicionar-se criticamente frente a ideologias e valores veiculados por mitos e símbolos
em circulação na sociedade contemporânea.
*Organizar ações coletivas de apresentação e discussão de textos literários e outras
manifestações culturais.
*Valorizar a literatura e outras manifestações culturais como formas de compreensão
do mundo e de si mesmo
Eixo Temático I : Compreensão e Produção de Textos

Tema 1: Gêneros / Subtema: Operação de contextualização

Nº de
TÓPICOS/SUBTÓPICOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS
aulas
1.0. Considerar os contextos de
produção, circulação e recepção de
textos, na compreensão e na
produção textual, produtiva e
autonomamente.
1.1. Reconhecer o gênero de um texto
a partir de seu contexto de produção, 2
circulação e recepção
1.2. Usar índices, sumários, cadernos e
suplementos de jornais, livros e revistas
1
para identificar, na edição, textos de
diferentes gêneros.
1.5. Reconhecer semelhanças e
diferenças de tratamento dado a um
1
mesmo tópico discursivo em textos de
diferentes gêneros.
1. Contexto de produção, 1.6. Ler textos de diferentes gêneros,
circulação e recepção de textos considerando o pacto de recepção 1
• Situação comunicativa: produtor e desses textos.
destinatário, tempo e espaço da 1.7. Reconhecer o objetivo
produção; grau de intimidade entre comunicativo (finalidade ou função
1
os interlocutores. sociocomunicativa) de um texto ou
• Suporte de circulação do texto e gênero textual.
localização do texto dentro do 1.8. Identificar o destinatário previsto
suporte. para um texto a partir do suporte e da
• Contexto histórico. variedade linguística (+ culta / - culta) 1
• Pacto de recepção do texto. ou estilística (+ formal / - formal) desse
• Domínio discursivo, objetivo da texto.
interação textual e função 1.9. Analisar mudanças na imagem dos
sociocomunicativa do gênero. interlocutores de um texto ou interação
• Situações sociais de uso do texto / verbal em função da substituição de
gênero. 1
certos índices contextuais e situacionais
• Variedades linguísticas: relações (marcas dialetais, níveis de registro,
com a situação comunicativa, o jargão, gíria) por outros.
contexto de época, o suporte e as 1.10. Relacionar tópicos discursivos,
situações sociais de uso do gênero. valores e sentidos veiculados por um
texto a seu contexto de produção, de
circulação e de recepção (objetivo da
1
interação textual, suportes de
circulação, o lugar social do produtor,
contexto histórico, destinatário
previsto...).
1.11. Relacionar gênero textual,
suporte, variedade linguística e
1
estilística e objetivo comunicativo da
interação.
1.12. Relacionar os gêneros de texto às
1
práticas sociais que os requerem.
1.14. Participar de situações
comunicativas,
4
- empregando a variedade e o estilo de
linguagem adequados à situação
comunicativa, ao interlocutor e ao
gênero;
- respeitando, nos gêneros orais, a
alternância dos turnos de fala que se
fizer necessária;
- assumindo uma atitude respeitosa
para com a variedade linguística do
interlocutor;
- reconhecendo a variedade linguística
do interlocutor como parte integrante de
sua identidade.
1.15. Retextualizar um texto, buscando
soluções compatíveis com o domínio
2
discursivo, o gênero, o suporte e o
destinatário previsto.
1.16. Selecionar informações para a
produção de um texto, considerando
especificações (de gênero, suporte,
destinatário, objetivo da interação...)
1
previamente estabelecidas

TÓPICOS/SUBTÓPICOS N° DE
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
AULAS
2. Referenciação bibliográfica, 2.0. Integrar referenciação
segundo normas da ABNT, bibliográfica à compreensão de
• de jornais e textos de jornais; textos, produtiva e autonomamente.
• de revistas e textos de revistas;
2.1. Interpretar referências
• de livros e partes de livro; 1
bibliográficas de textos apresentados.
• de sites e artigos da internet.

SUBTEMA: OPERAÇÃO DE
TEMATIZAÇÃO

3.0. Construir coerência temática na


compreensão e na produção de
textos, produtiva e autonomamente.
3.1. Relacionar título e subtítulos a um
1
texto ou partes de um texto.
3.2. Justificar o título de um texto ou de
1
3. Organização temática partes de um texto.
• Relação título-texto 3.3. Reconhecer a organização
(subtítulos/partes do texto). temática de um texto, identificando
• Identificação de tópicos e - a ordem de apresentação das
2
subtópicos temáticos. informações no texto;
• Consistência: pertinência, sufi - o tópico (tema) e os subtópicos
ciência e relevância das ideias do discursivos do texto.
texto. 3.4. Reconhecer informações explícitas
2
• Implícitos, pressupostos e em um texto.
subentendidos. 3.5. Inferir informações (dados, fatos,
argumentos, conclusões...) implícitas 3
em um texto.
3.6. Correlacionar aspectos temáticos
1
de um texto.
3.7. Sintetizar informações de um texto
1
em função de determinada solicitação.
3.8. Avaliar a consistência (pertinência, 1
suficiência e relevância) de informações
de um texto.
3.9. Corrigir problemas relacionados à
consistência (pertinência, suficiência e
2
relevância) das informações de um
texto.
3.10. Comparar textos que falem de um
mesmo tema quanto ao tratamento 1
desse tema.
3.11. Produzir textos com organização
temática adequada aos contextos de 2
produção, circulação e recepção.
4.0. Usar, produtiva e
autonomamente, a seleção lexical
4. Seleção lexical e efeitos de como estratégia de produção de
sentido sentido e focalização temática, na
• Recursos lexicais e semânticos de compreensão e na produção de
expressão: sinonímia, antonímia, textos.
hiperonímia, hiponímia, neologia, 4.1. Inferir o significado de palavras e
2
comparação, metáfora, metonímia... expressões usadas em um texto.
• Significação de palavras e 4.2. Reconhecer recursos lexicais e
expressões. semânticos usados em um texto e seus 1
• Efeitos de sentido da seleção efeitos de sentido.
lexical do texto: focalização 4.3. Usar, em um texto, recursos
temática, ambiguidade, lexicais e semânticos adequados aos 1
contradições, imprecisões e efeitos de sentido pretendidos.
inadequações
1

4.4. Identificar, em um texto,


inadequações lexicais, imprecisões e
contradições semânticas.
semânticas intencionais e não 4.5. Corrigir, em um texto,
intencionais, modalização do inadequações lexicais, imprecisões e 1
discurso, estranhamento, ironia, contradições semânticas.
humor... 4.6. Produzir novos efeitos de sentido
em um texto por meio de recursos 1
lexicais e semânticos.
Nº de
TÓPICOS/SUBTÓPICOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS
aulas
5.0. Integrar informação verbal e não
5. Signos não verbais (sons,
verbal na compreensão e na
ícones, imagens, grafismos,
produção de textos, produtiva e
gráficos, infográficos, tabelas...)
autonomamente.
• Valor informativo.
5.1. Relacionar sons, imagens, gráficos
• Qualidade técnica.
e tabelas a informações verbais 1
• Efeitos expressivos.
explícitas ou implícitas em um texto.

Subtema: Operação de enunciação


TÓPICOS/SUBTÓPICOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS Nº de aulas
6.0. Reconhecer e usar estratégias de
enunciação na compreensão e na
produção de textos, produtiva e
autonomamente.
6.1. Reconhecer e usar, em um texto,
6. Vozes do discurso estratégias de representação de seus
• Vozes locutoras e seus respectivos 1
interlocutores (vozes locutoras e
destinatários (alocutários). alocutários).
• Recursos linguísticos de 6.2. Reconhecer e usar, em um texto,
representação do locutor e/ou do estratégias de não representação de seus
destinatário do texto e seus efeitos 1
interlocutores (vozes locutoras e
de sentido. alocutários).
• Recursos linguísticos de não
6.3. Interpretar efeitos de sentido
representação do locutor e/ou do
decorrentes da representação ou da não
destinatário do texto e seus efeitos 1
representação, em um texto, de suas
de sentido.
vozes (locutoras ou sociais) e alocutários.
• Vozes sociais (não locutoras)
6.4. Interpretar efeitos de sentido
mencionadas no texto:
decorrentes de variedades linguísticas e 1
representações e efeitos de sentido.
• Variação linguística no discurso das estilísticas usadas em um texto.
vozes e seus efeitos de sentido. 6.5. Reconhecer estratégias de
• Modalização e argumentatividade: modalização e argumentatividade usadas 2
uso de recursos linguísticos em um texto e seus efeitos de sentido.
(entoação e sinais de pontuação, 6.7. Usar estratégias de modalização e
adjetivos, substantivos, expressões argumentatividade na produção de textos
1
de grau, verbos e perífrases verbais, em função dos efeitos de sentido
advérbios, operadores de pretendidos.
escalonamento, etc.) como meios de 6.8. Identificar tipos de discurso ou de
expressão ou pistas do sequências discursivas usadas pelos
1
posicionamento enunciativo das locutores em um texto e seus efeitos de
vozes do texto e de persuasão dos sentido.
alocutários. 6.9. Reconhecer e usar focos
• Tipos de discursos (ou sequências enunciativos (pontos de vista) adequados 1
discursivas) usados em um texto aos efeitos de sentido pretendidos.
pelo locutor: narração, relato, 6.10. Reconhecer posicionamentos
descrição, exposição, argumentação, enunciativos presentes em um texto e 1
injunção, diálogo... suas vozes representativas.
• Focos enunciativos do texto 6.12 . Representar, produtiva e
(locutor onisciente, locutor autonomamente, posicionamentos 1
protagonista, locutor testemunha e enunciativos em textos.
outros) e seus efeitos de sentido.
6.13. Posicionar-se criticamente frente a
• Posicionamentos enunciativos das
posicionamentos enunciativos presentes 2
vozes (locutoras e sociais) do texto:
em um texto.
6.14. Reconhecer estratégias de
enunciação de uso frequente em
1
determinado gênero a partir da leitura de
vários textos desse gênero.
TÓPICOS/SUBTÓPICOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS Nº de aulas
6.14. Reconhecer estratégias de
• relações de divergência (oposição
enunciação de uso frequente em
e confronto) ou de semelhança 2
determinado gênero a partir da leitura de
(aliança ou complementação).
vários textos desse gênero.
7. Intertextualidade e 7.0. Reconhecer e usar, produtiva e
metalinguagem autonomamente, estratégias de
• Intertextualidade: estratégias intertextualidade e metalinguagem na
(citação, epígrafe, paráfrase, compreensão e na produção de textos.
paródia) e efeitos de sentido. 7.1. Reconhecer, em um texto,
• Metalinguagem: marcas e efeitos estratégias e/ou marcas explícitas de
de sentido. intertextualidade com outros textos, 1
discursos, produtos culturais ou
linguagens e seus efeitos de sentido.

Subtema: Operação de textualização

Nº de
TÓPICOS/SUBTÓPICOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS
aulas
8. Textualização do discurso
narrativo (ficcional)
• Fases ou etapas:
• exposição ou ancoragem
(ambientação da história,
apresentação de personagens e do
estado inicial da ação);
• complicação ou detonador
(surgimento de conflito ou obstáculo
a ser superado);
• clímax (ponto máximo de tensão
do conflito);
• desenlace ou desfecho (resolução
do conflito ou repouso da ação;
pode conter a avaliação do narrador
acerca dos fatos narrados e ainda,
a moral da história).
• Estratégias de organização:
• ordenação temporal linear;
8.0. Reconhecer e usar, produtiva e
• ordenação temporal com
autonomamente, estratégias de
retrospecção (flash-back);
textualização do discurso narrativo,
• ordenação temporal com
na compreensão e na produção de
prospecção.
textos.
• Coesão verbal:
• valores do presente, dos pretéritos
perfeito, imperfeito, mais-que-
perfeito e do futuro do pretérito do
indicativo.
• Conexão textual:
• marcas linguísticas e gráficas da
articulação de sequências
narrativas com sequências de
outros tipos presentes no texto;
• marcadores textuais de
progressão / segmentação temática:
articulações hierárquicas, temporais
e/ou lógicas entre as fases ou
etapas do discurso.
Nº de
TÓPICOS/SUBTÓPICOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS
aulas
8.1. Reconhecer e usar as fases ou
etapas da narração em um texto ou 1
sequência narrativa.
8.2. Reconhecer e usar estratégias de
ordenação temporal do discurso em um 1
texto ou sequência narrativa.
8.3. Reconhecer e usar, mecanismos
de coesão verbal em um texto ou 1
sequência narrativa.
• Textualização de discursos citados 8.4. Reconhecer e usar marcas
ou relatados: linguísticas e gráficas de conexão
1
- direto; textual em um texto ou sequência
- indireto; narrativa.
- indireto livre. 8.5. Reconhecer e usar mecanismos de
• Coesão nominal (referenciação): textualização de discursos citados ou
1
- estratégias de introdução temática; relatados dentro de um texto ou
- estratégias de manutenção e sequência narrativa.
retomada temática. 8.6. Reconhecer e usar mecanismos de
• Organização linguística do coesão nominal em um texto ou 1
enunciado narrativo: recursos sequência narrativa.
semânticos e morfossintáticos mais 8.7. Reconhecer e usar recursos
característicos e/ou frequentes. linguísticos e gráficos de estruturação 1
de enunciados narrativos.
8.8. Reconhecer e corrigir problemas de
textualização do discurso em um texto 1
ou sequência narrativa.
8.9. Retextualizar, produtiva e
autonomamente, narrativas orais em 2
narrativas escritas, ou vice-versa.
8.10. Recriar textos narrativos lidos ou
1
ouvidos em textos do mesmo gênero ou
de gênero diferente.
8.11. Usar, na produção de textos ou
sequências narrativas orais ou escritas,
recursos de textualização adequados 2
ao discurso, ao gênero, ao suporte, ao
destinatário e ao objetivo da interação.
9. Textualização do discurso de
relato
• Fases ou etapas do relato
noticioso:
- sumário (título, subtítulo e lide):
relato sumariado do acontecimento
(quem, o quê, quando, onde, como,
por quê);
- continuação do acontecimento
9.0. Reconhecer e usar, produtiva e
noticiado no lide: relato com
autonomamente, estratégias de
detalhes sobre as pessoas
textualização do discurso de relato,
envolvidas, repercussões,
na compreensão e na produção de
desdobramentos, comentários.
textos.
• Estratégias de organização:
- ordenação temporal linear;
- ordenação temporal com
retrospecção (flash-back);
- ordenação temporal com
prospecção.
• Coesão verbal:

Nº de
TÓPICOS/SUBTÓPICOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS
aulas
• valores do presente, dos pretéritos 9.1. Reconhecer e usar as fases ou
perfeito, imperfeito, mais-que- etapas do discurso de relato em um 1
perfeito, do futuro do presente e do texto ou sequência de relato.
futuro do pretérito do indicativo. 9.2. Distinguir fato de opinião em um
1
• Conexão textual: texto ou sequência de relato.
- marcas linguísticas e gráficas da 9.3. Reconhecer e usar, produtiva e
articulação de sequencias de relato autonomamente, estratégias de
1
com sequências de outros tipos ordenação temporal do discurso em um
presentes no texto; texto ou sequência de relato.
- marcadores textuais da 9.4. Reconhecer e usar mecanismos de
progressão / segmentação temática: coesão verbal em um texto ou 1
articulações hierárquicas, temporais sequência de relato.
e/ou lógicas entre as fases ou 9.5. Reconhecer e usar marcas
etapas do discurso de relato. linguísticas e gráficas de conexão
1
• Textualização de discursos citados textual em um texto ou sequência de
ou relatados: relato.
- direto; 9.6. Reconhecer e usar mecanismos de
- indireto; textualização de discursos citados ou
- resumo com citações. 1
relatados dentro de um texto ou
• Coesão nominal: sequência de relato.
- estratégias de introdução temática; 9.7. Reconhecer e usar mecanismos de
- estratégias de manutenção e coesão nominal em um texto ou 1
retomada temática. sequência de relato.
• Organização linguística do 9.8. Reconhecer e usar recursos
enunciado de relato: recursos linguísticos e gráficos de estruturação 1
semânticos e morfossintáticos mais de enunciados de relato.
característicos e/ou frequentes. 9.9. Reconhecer e corrigir problemas de
textualização do discurso em um texto 1
ou sequência de relato.
9.10. Retextualizar, produtiva e
autonomamente, relatos orais em 1
relatos escritos, ou vice-versa.
9.11. Recriar relatos lidos ou ouvidos
em textos do mesmo gênero ou de 1
gênero diferente.
9.12. Usar, na produção de textos ou
sequências de relato orais ou escritas,
recursos de textualização adequados 1
ao discurso, ao gênero, ao suporte, ao
destinatário e ao objetivo da interação.
10. Textualização do discurso 10.0. Reconhecer e usar, produtiva e
descritivo autonomamente, estratégias de
• Fases ou etapas: textualização do discurso descritivo,
- introdução do tema por uma forma na compreensão e na produção de
nominal ou tema-título no início, no textos.
fim ou no curso da descrição; 10.1. Reconhecer e usar as fases ou
- enumeração de diversos aspectos etapas da descrição em um texto ou 1
do tópico discursivo, com atribuição sequência descritiva.
de propriedades a cada um deles;
- relacionamento dos elementos 10.2. Reconhecer e usar estratégias de
descritos a outros por meio de organização da descrição em um texto 1
comparação ou metáfora. ou sequência descritiva.

Nº de
TÓPICOS/SUBTÓPICOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS
aulas
• Estratégias de organização: 10.3. Reconhecer e usar mecanismos
- subdivisão; de coesão verbal em um texto ou 1
- enumeração; sequência descritiva.
- exemplificação; 10.4. Reconhecer e usar marcas
- analogia; linguísticas e gráficas de conexão
1
- comparação ou confronto; textual em um texto ou sequência
- outras. descritiva.
• Coesão verbal: 10.5. Reconhecer e usar mecanismos
- valores do presente e do pretérito de textualização de discursos citados
1
imperfeito, do pretérito perfeito e do ou relatados dentro de um texto ou
futuro do indicativo. sequência descritiva.
- Conexão textual: 10.6. Reconhecer e usar mecanismos
- marcas linguísticas e gráficas da de coesão nominal em um texto ou 1
articulação de sequências sequência descritiva.
descritivas com sequências de 10.7. Reconhecer e usar recursos
outros tipos presentes no texto; linguísticos e gráficos de estruturação 1
- marcadores textuais da de enunciados descritivos.
progressão / segmentação temática: 10.8. Reconhecer e corrigir problemas
articulações hierárquicas, temporais de textualização do discurso em um 1
e/ou lógicas entre as fases ou texto ou sequência descritiva.
etapas do discurso descritivo. 10.9. Retextualizar, produtiva e
• Textualização de discursos citados autonomamente, descrições orais em 1
ou relatados: descrições escritas, ou vice-versa.
- direto; 10.10. Recriar descrições lidas ou
- indireto; ouvidas em textos do mesmo gênero ou 1
- indireto livre. de gênero diferente.
• Coesão nominal:
- estratégias de introdução temática;
10.11. Usar, na produção de textos ou
- estratégias de manutenção e
sequências descritivas orais ou escritas,
retomada temática.
recursos de textualização adequados 1
• Organização linguística do
ao discurso, ao gênero, ao suporte, ao
enunciado descritivo: recursos
destinatário e ao objetivo da interação.
semânticos e morfossintáticos mais
característicos e/ou frequentes.
11. Textualização do discurso
expositivo
• Fases ou etapas:
- constatação: introdução de um
fenômeno ou fato tomado como
incontestável;
11.0. Reconhecer e usar, produtiva e
- problematização: colocação de
autonomamente, estratégias de
questões da ordem do porquê ou do
textualização do discurso expositivo,
como;
na compreensão e na produção de
- resolução ou explicação: resposta
textos.
às questões colocadas;
- conclusão-avaliação: retomada da
constatação inicial
• Estratégias de organização:
- definição analítica;

Nº de
TÓPICOS/SUBTÓPICOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS
aulas
- explicação;
- exemplificação;
- analogia;
- comparação ou confronto;
- causa-e-consequência;
- outras.
• Coesão verbal:
- valores do presente do indicativo e
do futuro do presente do indicativo;
- correlação com tempos do
subjuntivo.
• Conexão textual: 11.0. Reconhecer e usar, produtiva e
- marcas linguísticas e gráficas da autonomamente, estratégias de
articulação de sequências textualização do discurso expositivo,
expositivas com sequências de na compreensão e na produção de
outros tipos presentes no texto; textos.
- marcadores textuais da
progressão/ segmentação temática:
articulações hierárquicas, temporais
e/ou lógicas entre as fases ou
etapas do discurso expositivo.
• Textualização de discursos citados
ou relatados:
- direto;
- indireto;
- paráfrase;
- resumo com citações.
• Coesão nominal:
- estratégias de introdução temática;
- estratégias de manutenção e 11.10. Recriar exposições lidas ou
retomada temática. ouvidas em textos do mesmo gênero ou 2
• Organização linguística do de gênero diferente.
enunciado expositivo: recursos
semânticos e morfossintáticos mais
característicos e/ou frequentes.
12.0. Reconhecer e usar, produtiva e
autonomamente, estratégias de
12. Textualização do discurso textualização do discurso
argumentativo argumentativo, na compreensão e na
• Fases ou etapas: produção de textos.
- proposta: questão polêmica, 12.3. Reconhecer e usar mecanismos
explícita ou implícita no texto, diante de coesão verbal em um texto ou 2
da qual o locutor toma uma posição; sequência argumentativa.
- proposição: posicionamento 12.4. Reconhecer e usar marcas
favorável ou desfavorável do locutor linguísticas e gráficas de conexão
1
em relação à proposta, orientador textual em um texto ou sequência
de toda a argumentação; argumentativa.
12.5. Reconhecer e usar mecanismos
de textualização de discursos citados
2
ou relatados dentro de um texto ou
sequência argumentativa.
Nº de
TÓPICOS/SUBTÓPICOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS
aulas
- comprovação: apresentação de 12.6. Reconhecer e usar mecanismos
provas que sustentam a proposição de coesão nominal em um texto ou 2
do locutor, assegurando a sequência argumentativa.
veracidade ou validade dela e
permitindo-lhe chegar à conclusão;
- conclusão: retomada da proposta
e/ ou uma possível decorrência
dela.
• Estratégias de organização:
- causa-e-consequência;
- comparação ou confronto;
12.10. Recriar textos argumentativos
- concessão restritiva;
lidos ou ouvidos em textos do mesmo 1
- exemplificação;
gênero ou de gênero diferente.
- analogia;
- argumentação de autoridade;
- outras.
• Coesão verbal:
- valores do presente do indicativo e
do futuro do presente do indicativo;
- correlação com tempos do
subjuntivo.
• Conexão textual:
- marcas linguísticas e gráficas da
articulação de sequências
argumentativas com sequências de
outros tipos presentes no texto;
- marcadores textuais da
progressão / segmentação temática:
articulações hierárquicas, temporais
e/ou lógicas entre as fases ou
etapas do discurso argumentativo.
• Textualização de discursos citados
ou relatados:
12.10. Recriar textos argumentativos
- direto;
lidos ou ouvidos em textos do mesmo 1
- indireto;
gênero ou de gênero diferente.
- paráfrase;
- resumo com citações.
• Coesão nominal:
• estratégias de introdução temática;
• estratégias de manutenção e
retomada.
• Organização linguística do
enunciado argumentativo: recursos
semânticos e morfossintáticos mais
característicos e/ou frequentes.

Nº de
TÓPICOS/SUBTÓPICOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS
aulas
13. Textualização do discurso 13.0. Reconhecer e usar, produtiva e
injuntivo autonomamente, estratégias de
• Fases ou etapas: textualização do discurso injuntivo,
• exposição do macrobjetivo acional: na compreensão e na produção de
indicação de um objetivo geral a ser textos.
atingido sob a orientação de um 13.1. Reconhecer e usar as fases ou
plano de execução, ou seja, de um etapas da injunção em um texto ou 1
conjunto de comandos; sequência injuntiva.
• apresentação dos comandos: 13.2. Reconhecer e usar estratégias de
disposição de um conjunto de ações organização do discurso em um texto 1
(sequencialmente ordenadas ou ou sequência injuntiva.
não) a ser executado para que se 13.3. Reconhecer e usar mecanismos
possa atingir o macrobjetivo; de coesão verbal em um texto ou 1
• justificativa: esclarecimento dos sequência injuntiva.
motivos pelos quais o destinatário 13.4. Reconhecer e usar marcas
deve seguir os comandos linguísticas e gráficas de conexão
1
estabelecidos. textual em um texto ou sequência
• Estratégias de organização: injuntiva.
• plano de execução 13.5. Reconhecer e usar mecanismos
cronologicamente ordenada; de textualização de discursos citados
• plano de execução não 1
ou relatados dentro de um texto ou
cronologicamente ordenada. sequência injuntiva.
• Coesão verbal: 13.6. Reconhecer e usar mecanismos
• valores do modo imperativo e seus de coesão nominal em um texto ou 1
substitutos (infinitivo, gerúndio, sequência injuntiva.
futuro do presente e outros). 13.7. Reconhecer e usar recursos
• Conexão textual: linguísticos e gráficos de estruturação 1
- marcas linguísticas e gráficas da de enunciados injuntivos.
articulação do discurso injuntivo 13.8. Reconhecer e corrigir problemas
com outros discursos e sequências de textualização do discurso em um 1
do texto; texto ou sequência injuntiva.
- marcadores textuais da 13.9. Retextualizar, produtiva e
progressão / segmentação temática: autonomamente, discursos injuntivos
2
articulações hierárquicas, temporais orais em discursos injuntivos escritos,
e/ou lógicas entre as fases ou ou vice-versa.
etapas do discurso injuntivo. 13.10. Recriar textos injuntivos lidos ou
• Textualização de discursos citados ouvidos em textos do mesmo gênero ou 1
ou relatados: de gênero diferente.
- direto;
- indireto;
- resumo com citações.
• Coesão nominal:
- estratégias de introdução temática;
- estratégias de manutenção e
retomada temática. 13.11. Usar, na produção de textos ou
• Organização linguística do sequências injuntivas orais ou escritas,
enunciado injuntivo: recursos recursos de textualização adequados 1
semânticos e morfossintáticos mais ao discurso, ao gênero, ao suporte, ao
característicos e/ou frequentes. destinatário e ao objetivo da interação.

Nº de
TÓPICOS/SUBTÓPICOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS
aulas
14.0. Reconhecer e usar, produtiva e
autonomamente, estratégias de
textualização do discurso poético, na
compreensão e na produção de
textos.
14.1. Relacionar sensações e
impressões despertadas pela leitura de
1
poemas à exploração da dimensão
material das palavras.
14.2. Escandir versos, reconhecendo as
possibilidades rítmicas de um poema 1
apresentado.
14.3. Interpretar efeitos de sentido
14. Textualização do discurso decorrentes do uso de recursos
poético musicais (ritmo, rima, aliteração, 1
• O estrato fônico e as estratégias assonância, eco, onomatopeia, etc.) em
musicais. poemas.
• O estrato óptico e as estratégias 14.4. Relacionar efeitos de sentido de
visuais (gráficas e digitais). um poema ao uso de estratégias
• O estrato semântico e a musicais de distribuição, repetição,
construção de imagens poéticas. acréscimo, corte ou substituição de 1
fonemas/sons (ritmo, onomatopeia,
aliteração, assonância, eco, metáfora
sonora, rima, paronomásia)
14.5. Relacionar efeitos de sentido de
um poema à sua configuração visual
(tamanho e distribuição de versos na
1
página, exploração de espaços em
branco, uso de sinais gráficos e
digitais).
14.6. Recriar poemas e canções,
buscando novas disposições visuais de
1
seus versos e palavras, de modo a
realçar uma ideia, um ritmo, uma
palavra...
14.7. Reconhecer imagens poéticas em
1
um texto ou sequência textual literária.
14.8. Reconhecer efeitos de sentido de
imagens poéticas, em um texto ou 1
sequência literária.
14.9. Reconhecer o uso de estratégias
do discurso poético e seus efeitos de
sentido, em discursos, textos e gêneros
não literários (canções, contos, 1
romances, anúncios publicitários,
slogans, provérbios, notícias, filmes,
telenovelas, etc.).
14.10. Usar, na produção de textos
literários ou não, estratégias do
discurso poético (ritmo, métrica,
sonoridade das palavras, recursos 1
gráficos e digitais, imagens poéticas) de
modo a obter os efeitos de sentido
desejados.

Tema 2: Suportes textuais


Subtema: Jornal.

Nº de
Tópicos / Subtópicos Objetivos específicos
aulas
15. Organização do suporte
jornal: relações com o público-
alvo 15.0 . Ler e produzir textos de jornal,
• Composição (cadernos, relacionando, produtiva e
suplementos, seções, colunas). autonomamente, a organização
• Formato. desse suporte ao público-alvo.

Nº de
Tópicos / Subtópicos Objetivos específicos
aulas
• Projeto gráfico (logomarca, 15.1. Reconhecer as funções
variedade de fontes ou caracteres sociocomunicativas (informação,
tipográficos, cores, imagens). conhecimento, formação de opinião,
1
• Funções sociocomunicativas do entretenimento) do suporte jornal e de
suporte e suas partes. seus cadernos, suplementos, seções e
• Pactos de leitura. colunas.
• Diversidade de domínios 15.2. Relacionar matérias e anúncios
discursivos, de gêneros, de temas e publicitários a cadernos ou seções de
de variedades linguísticas. 2
jornais, justificando o relacionamento
• Integração entre signos verbais e feito.
não verbais (sons, imagens e 15.4. Inferir o público-alvo do jornal ou
formas em movimento, fotos, de partes do jornal a partir do projeto
gráficos e legendas). gráfico, dos temas abordados, dos
1
gêneros e domínios discursivos, dos
pactos de leitura, das variedades
linguísticas.
15.5. Reconhecer, em matérias de
jornais, marcas linguísticas de dialetos
1
sociais (jargões, clichês, gírias...) e seus
efeitos de sentido.
15.6. Relacionar as variedades
1
linguísticas de matérias de um jornal à
diversidade de destinatários, gêneros e
temas abordados.
16. Primeira página 16.0. Ler e produzir textos
• Estrutura (título, cabeçalho, característicos da primeira página de
manchetes, chamadas, lides, jornal, produtiva e autonomamente.
ilustrações e legendas). 16.1. Inferir efeitos de sentido
• Funções sociocomunicativas. decorrentes da presença ou ausência
• Composição e função de 1
de determinada notícia na primeira
manchetes, títulos e subtítulos de página de um jornal.
matérias. 16.2. Avaliar fotos publicadas na
• Caracterização e função de lides e primeira página de um jornal, do ponto
chamadas. 1
de vista informativo, técnico e
• Integração entre signos verbais e expressivo.
não verbais (sons, imagens e 16.3. Inferir a importância atribuída por
formas em movimento, fotos, um jornal às notícias da primeira página
gráficos e legendas). a partir de aspectos como extensão dos
1
títulos, tamanho dos caracteres, posição
na página, presença ou ausência de
imagens.
16.4. Distinguir textos informativos de
textos opinativos a partir da análise de
seus títulos (preferência pela ordem
1
canônica e verbos nos presente do
indicativo x preferência por frases
nominais).
16.5. Explicar efeitos de sentido de
diferenças observadas entre os títulos
da primeira página e os títulos das 1
matérias correspondentes nas páginas
internas.
16.6. Explicar a função de lides que
1
aparecem na primeira página de jornais.
16.7. Produzir lides para notícias do dia
ou para títulos publicados na primeira 1
página de um jornal.
16.8. Distinguir entre lides e chamadas
publicadas na primeira página de um 1
jornal.
16.9. Produzir chamadas para títulos
apresentados na primeira página de um 1
jornal.
16.10. Produzir títulos para lides e
chamadas da primeira página de um 1
jornal.
16.11. Localizar uma matéria no jornal a
partir de indicações da chamada ou do 1
lide da primeira página.
16.12. Identificar os temas gerais de
uma edição de jornal a partir da leitura 1
da primeira página.
16.13. Produzir textos característicos da
2
primeira página de jornal.

Subtema: Livros literários

Nº de
Tópicos / Subtópicos Objetivos específicos
aulas
18.0. Ler livros literários,
considerando, produtiva e
autonomamente, as informações de
seus textos perigráficos.
18.1. Reconhecer as funções
comunicativas da capa de um livro
literário: identificar a obra e o 1
destinatário previsto, estabelecer pactos
de leitura, motivar a leitura da obra.
18.2. Usar, produtiva e autonomamente,
dados da folha de rosto ou da ficha
18. Perigrafia de livros literários catalográfica de livros para referenciar
• Capa (sobrecapa, primeira, obras consultadas, fazer empréstimos
1
segunda e quarta capas, orelhas, em bibliotecas, adquirir livros, catalogar
lombada). livros pessoais ou de uso coletivo.
• Falsa folha de rosto, folha de
18.3. Reconhecer a dedicatória e os
rosto e ficha catalográfica.
agradecimentos presentes em livros 1
• Dedicatória e agradecimentos.
literários como práticas discursivas.
• Epígrafe.
18.5. Usar o sumário, produtiva e
• Sumário
autonomamente, para localizar partes
• Apresentação, prefácio e 1
dentro de um livro literário: poemas,
posfácio.
contos, capítulos...
• Ilustrações
18.6. Ler e usar, produtiva e
autonomamente, orelhas,
apresentações, prefácios e posfácios na 1
compreensão do texto básico de um
livro literário.
18.7. Reconhecer a ilustração de livros
literários como um texto em diálogo com 1
o texto verbal.
18.9. Elaborar, produtiva e
autonomamente, textos perigráficos 1
para livros literários.

Eixo Temático II: Linguagem e Língua


Tópicos / Subtópicos Objetivos específicos Nº de aulas
19. A linguagem verbal: 19.0. Compreender a língua como
modalidades, variedades, fenômeno histórico, cultural, social,
registros variável, heterogêneo e sensível aos
• Modalidades linguísticas: contextos de uso.
- o contínuo oral–escrito; 19.1. Reconhecer semelhanças e 2
- condições de produção, usos, diferenças entre a fala e a escrita quanto
funções sociais e estratégias de a condições de produção, usos, funções
textualização da fala e da escrita; sociais e estratégias de textualização.
- convenções da língua escrita: grafia 19.2. Reconhecer funções da fala e da 2
de palavras (ortografia, acentuação escrita em diferentes suportes e gêneros.
gráfica, notações gráficas); parágrafo 19.3. Usar as convenções da língua 3
gráfico; pontuação; escrita produtiva e autonomamente,
- diferenças entre o sistema entendendo as diferenças entre o sistema
fonológico e o sistema ortográfico. fonológico e o sistema ortográfico.
Variação linguística e estilística: 19.4. Identificar fatores relacionados às 1
• fatores históricos (o passado e o variedades linguísticas e estilísticas de
presente), geográficos (o contínuo textos apresentados.
rural—urbano), sociológicos (gênero, 19.5. Avaliar o uso de variedades 1
geração, classe social) e técnicos linguísticas e estilísticas em um texto,
(diferentes domínios da ciência e da
considerando a situação comunicativa e o
tecnologia);
gênero textual.
• manifestações fonéticas, lexicais,
19.6. Adequar a variedade linguística e/ou 1
morfológicas e sintáticas;
estilística de um texto à situação
• o contínuo da monitoração
comunicativa e ao gênero do texto.
estilística: registros menos ou mais
monitorados. 19.7. Mostrar uma atitude crítica e não 1
• Prestígio e preconceito linguístico preconceituosa em relação ao uso de
variedades linguísticas e estilísticas.
19.8. Reconhecer a manifestação de 1
preconceitos linguísticos como estratégia
de discriminação e dominação.
20. Neologia de palavras 20.0. Reconhecer a neologia
• Neologia semântica: a criação de semântica, a lexical e o empréstimo
novos sentidos para palavras, como processos de criação linguística.
expressões e frases, e seus efeitos 20.1. Identificar a origem de neologismos 1
de sentido. em circulação no português brasileiro.
• Neologia lexical: os processos mais 20.2. Identificar o processo de formação 1
produtivos no português brasileiro de neologismos em circulação no
atual e seus efeitos de sentido. português brasileiro.
• Neologia por empréstimo: os 20.3. Interpretar neologismos em 1
estrangeirismos e seus efeitos de diferentes situações de interlocução.
sentido.
• Derivação: diferenças entre o
português padrão (PP) e não padrão
(PNP).
21. Uso de pronomes pessoais no 21.0. Reconhecer e usar o pronome
português padrão (PP) e não pessoal, produtiva e autonomamente.
padrão (PNP)
• Sistemas pronominais do PP e do
PNP: diferenças quanto 21.1. Reconhecer diferenças de uso do 2
- ao preenchimento da posição de pronome pessoal entre o português
sujeito; padrão (PP) e o português não padrão
- à extensão do emprego de (PNP).
pronomes pessoais tônicos como
objeto;
- ao desaparecimento de clíticos
junto ao verbo;
- ao emprego de pronomes
reflexivos;
- ao emprego de dêiticos e
anafóricos.
23.0. Reconhecer e usar mecanismos
de flexão nominal, produtiva e
23. Flexão nominal no português autonomamente.
padrão (PP) e não padrão (PNP)
23.1. Reconhecer diferenças de flexão 1
• Sistemas de flexão verbal no PP e
nominal entre o português padrão (PP) e
no PNP: diferenças de
o português não padrão (PNP).
- gênero e número do substantivo;
- gênero e número do adjetivo, 23.2. Avaliar adequação da flexão 1
quantificadores e determinantes nominal padrão ou não padrão em um
variáveis do substantivo. texto ou sequência textual, considerando
a situação comunicativa e o gênero do
texto.

Tópicos / Subtópicos Objetivos específicos Nº de aulas


23.3. Corrigir um texto ou sequência 1
• Concordância nominal no PP e no
textual, considerando a necessidade de
PNP:
uso da norma padrão de flexão nominal.
- concordância nominal e coesão;
23.4. Usar a norma padrão de flexão 1
- casos gerais de concordância
nominal em situações comunicativas e
nominal.
gêneros textuais que a exijam.
24. A frase na norma padrão 24.0. Reconhecer e usar, produtiva e
• Frase: estruturação, delimitação e autonomamente, a frase padrão em
articulação contextos que a exijam.
• Frase oracional e frase não 24.3. Manipular marcas do 1
oracional relacionamento entre as palavras de uma
• Marcas do relacionamento das frase, de forma a produzir diferentes
palavras na frase: efeitos de sentido.
- sinais de pontuação; 24.4. Relacionar mudanças de sentido, 2
- ordem de colocação; focalização e intencionalidade a
- concordância; mudanças formais operadas em uma
- articuladores ( preposições e frase: alterações de sinais de pontuação,
conjunções); ordem de colocação, concordância,
- natureza dos sintagmas; transformação de sintagmas, substituição
- operadores argumentativos; ou eliminação de articuladores e
- entoação / pontuação. operadores argumentativos.
• A frase e seus sintagmas: 24.5. Reconhecer sintagmas 1
- sintagma nominal, sintagma substantivos, adjetivos e adverbiais em
adjetivo, sintagma adverbial; uma frase.
- ordem canônica e não canônica 24.6. Identificar o núcleo ou os núcleos de 1
dos sintagmas na frase e seus sintagmas nominais, adjetivos e
efeitos de sentido. adverbiais apresentados em frases ou
sequências textuais.
24.7. Reconhecer, os processos 2
sintáticos de organização e
hierarquização dos sintagmas
(coordenação e/ou subordinação), em
frases apresentadas.
Eixo Temático III : A Literatura e outras manifestações

Tema: Mitos e símbolos literários na cultura contemporânea

Tópicos / Subtópicos Objetivos específicos Nº de aulas


28.0. Reconhecer a figura do herói
28. O herói como matriz de construção de culturas
• Mito, identidade e cultura e subjetividades.
• O herói épico e o herói trágico na 28.1. Reconhecer características e 2
tradição grega valores dos heróis épico e trágico em
• O herói da Cavalaria Andante na personagens de diferentes gêneros
Idade Média literários e de outras produções culturais.
• O percurso do herói: o chamado da 28.2. Reconhecer características e 2
aventura; o caminho de provas, valores do herói da Cavalaria medieval
tentações e ajudas sobrenaturais; a em personagens de diferentes gêneros
transformação; o retorno. literários e de outras produções culturais.
• O anti-herói 28.3. Reconhecer as etapas do percurso 2
• O vilão do herói e seus significados em textos
• A releitura do herói, do anti-herói e literários e em outras manifestações
do vilão na cultura contemporânea: culturais.
publicidade, cinema, telenovela, 28.4. Reconhecer características e 2
gibis, mangás e valores do anti-herói em personagens de
Videogames. diferentes gêneros literários e de outras
produções culturais.
28.5. Reconhecer características e 1
valores do vilão em personagens de
diferentes gêneros literários e de outras
produções culturais.
28.6. Avaliar criticamente a recriação dos 2
mitos do herói, do anti-herói e do vilão,
em textos literários e em outras
manifestações culturais contemporâneas.
28.7. Reconhecer a função de heróis, 2
anti-heróis e vilões na criação, no
desenvolvimento e no desfecho de
conflitos de uma narrativa.
28.8. Relacionar o ponto de vista de 1
enunciação do discurso com a
configuração de personagens como
heróis, anti-heróis e vilões.
28.9. Retomar o mito do herói na 1
produção coletiva de um texto poético,
narrativo, dramático (para encenação
teatral) e/ou de um roteiro (para filme de
curta metragem).