Você está na página 1de 7

ITA – 012 Rev.

1 Janeiro / 2007

Critérios Básicos para


Elaboração de Projeto e
Construção de Rede de
Praça Leoni Ramos n° 1
São Domingos Distribuição com Poste de
Niterói – RJ
Cep 24210-205
http:\\ www.ampla.com
Concreto Duplo T

Diretoria Técnica
Gerência de Planejamento e Engenharia

Engenharia e Obras 05 Páginas


ITA – 012 – Rev. 1 Ampla

CRITÉRIOS BASICOS PARA ELABORAÇÃO DE PROEJTO E CONSTRUÇÃO


DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO COM POSTE DE CONCRETO DUPLO T

NOTA:

No DATA DISCRIMINAÇÃO DA REVISÃO REVISOR APROVAÇÃO


01 11/01/07 Inclusão de Construção Rede Ampla Vanderlei Vanderlei

ELABORAÇÃO NOTAS DE CRÉDITO


DATA : 03/05/2001
RESPONSÁVEL TÉCNICO
RUBRICA
(NOME E CREA)

VANDERLEI ROBADEY
RJ - 47976/D

VISTO EMISSÃO APROVAÇÃO

VANDERLEI ROBADEY CARVALHO ANTONIO CARLOS DA S. CESAR PEREIRA FERNANDES


ALVES
ITA – 012 Rev. 1 Ampla

SUMÁRIO

1 - OBJETIVO

2 - NORMAS COMPLEMENTARES

3 – CRITÉRIOS DE APLICAÇÃO

4 – CONSIDERAÇÕES GERAIS

5 – PADRONIZAÇÃO DE ESTRUTURAS

6 – RELAÇÃO DE MATERIAIS

7 - VIGÊNCIA

Engenharia e Obras Pág. 1/5


ITA – 012 Rev. 1 Ampla

1. OBJETIVO

Esta ITA – Instrução Técnica Ampla, tem por objetivo estabelecer os critérios
básicos para elaboração de projetos e construções de redes de distribuição
primárias e/ou secundárias, com utilização de postes de concreto duplo T,
considerando as diretrizes de qualidade e otimização de custos.
A aplicação desta Instrução é complementada pelos documentos citados no
item 2 a seguir, emitidos no âmbito da Ampla, os quais estão disponíveis na
Intranet.

2. NORMAS COMPLEMENTARES

NBR – 5433 – Redes de Distribuição Aérea Rural de Energia Elétrica –


Padronização

NBR – 5434 - Redes de Distribuição Aérea Urbana de Energia Elétrica –


Padronização

ITD – 01.08.01 – Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes


Aéreas de Distribuição – Rev. 1

ITD – 04.02.01 - Projetos de Redes de Distribuição Rural – Critérios Básicos

Padrão de Estruturas – 2º Volume – Redes Aéreas de Distribuição -


Eletrificação Rural – Anexo I

Padrão de Estruturas – Redes Aéreas de Distribuição

3. CRITÉRIOS DE APLICAÇÃO

Deverão ser utilizados postes de concreto duplo T na elaboração de projetos e


construções de redes de distribuição primárias e/ou secundárias novas, para
atender Universalização, Luz para Todos e Obras Pagas, inclusive em Rede
Ampla. Em autoconstrução de redes para loteamento, fica a critério do
interessado a utilização de postes de concreto circular ou duplo T.

Na utilização de poste de concreto duplo T em Rede Ampla, deverão ser


observados os seguintes procedimentos:

• O carregamento do poste deverá levar em conta o esforço provocado


pelos ramais de ligação, calculado pelo kg/metro dos mesmos. Este
esforço deve ser decomposto para cálculo da resultante na face A e B.

• Em estrutura com concentrador, porém sem transformação, quando o


carregamento provocado pelos ramais comprometer a resistência
nominal do poste, os ramais podem ser ancorados em roldanas,

Engenharia e Obras Pág. 2/5


ITA – 012 Rev. 1 Ampla

localizados abaixo da mão francesa e após direcionados para as unidades


consumidoras.

• A montagem das estruturas segue o mesmo procedimento utilizado para


poste circular, sendo que o lançamento dos cabos de MT e BT deve,
sempre que possível, ser o mais próximo do poste, deslocando-os após
para a extremidade da cruzeta.

Alimentadores em saídas de subestações com previsão de mais de um circuito


por poste, estruturas em ângulos acentuados, derivações e outros pontos que
requeiram a utilização de postes excessivamente pesados poderão ser
projetadas com postes de concreto circulares.

Em locais onde seja aplicável rede do tipo Protegida Compacta, estas devem
ser projetadas também com postes de concreto duplo T.

Não deverá ser utilizado poste duplo T em rede localizada em área com
contaminação salina agressiva.

4. CONSIDERAÇÕES GERAIS

As condições para elaboração de projetos, tais como, afastamentos mínimos,


cálculos elétricos, flechas e trações de condutores, critérios para engastamento
de postes, escolha dos tipos de estruturas, iluminação pública, etc., são as
mesmas de projetos com postes de concreto circular ou madeira.

Os postes de concreto duplo T devem ter características de acordo com o


Padrão de Materiais nº 0055. O comprimento e resistências nominais
padronizadas são:

Engenharia e Obras Pág. 3/5


ITA – 012 Rev. 1 Ampla

COMPRIMENTO RESISTÊNCIA NOMINAL


NOMINAL (daN)

FACE A FACE B
(m)

100 200
9
200 400

100 200

11 200 400

300 600

200 400
12
300 600

O valor da resistência nominal dos postes de concreto duplo T refere-se a


esforços aplicadas na face B (lisa), sendo que a face A (cavada) suporta 50 %
dessa resistência.

Sempre que possível as estruturas deverão ser do tipo M (meio-beco) e B


(beco), exceto nos fins de linha, derivações, estruturas de mudança de bitola e
transições, que deverão ser utilizadas estruturas N (normal).

Para o dimensionamento dos postes devem ser efetuados os cálculos


mecânicos que consistem na determinação da resultante dos esforços
aplicados e na identificação dos dispositivos necessários para absorver estes
esforços (capacidade adequada do poste, estais, concretagem de base, etc).

Para cálculo da resultante poderá ser utilizado o seguinte método:

Engenharia e Obras Pág. 4/5


ITA – 012 Rev. 1 Ampla

Com os valores de F1 e F2 e os ângulos ∝ e β, a resultante R é obtida pela


fórmula abaixo:

R = √ (F1)² + (F2)²+ 2.F1.F2.cos ∝ , fazendo F1 = F2 = F, temos que:

R = 2 F sem (β/2)

Nas estruturas em ângulo, o poste duplo T deve ser instalado no sentido da


bissetriz, de modo que a resultante dos esforços esteja aplicada
perpendicularmente à face B.

Em fins de linha, o poste deve ser instalado com o lado de maior resistência
(face B) voltado para o sentido dos esforços.

Em fins de linha, com instalação de transformador na mesma estrutura, deverá


ser analisado o carregamento do poste na face A, em função do peso do
transformador a ser instalado.

Nos pontos com derivações e estruturas com 2 (duas) ou mais ancoragens em


ângulo devem ser utilizados postes de concreto circular.

Nos pontos de mudança de bitola e de encabeçamento duplo (estruturas tipo


4), o poste duplo T deve ser instalado com a face B no sentido dos condutores.

5. PADRONIZAÇÃO DE ESTRUTURAS

As estruturas de montagens em postes de concreto duplo T são semelhantes


às montagens com postes de madeira.

6. RELAÇÃO DE MATERIAIS

As relações de materiais que compõem as estruturas primárias e secundárias


com poste duplo T estão disponíveis na Intranet, através do sistema OPD –
Orçamento de Projetos de Distribuição, para elaboração dos orçamentos.

7. VIGÊNCIA

Esta ITA entra em vigor a partir de 02/01/2007.

Engenharia e Obras Pág. 5/5