Você está na página 1de 8

SÍNTESE

CURSO DE PEDAGOGIA

Clécio de Macedo Miranda

2018
2

INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO SUL DO PIAUI


CANTO DO BURITI-PI
CURSO DE PEDAGOGIA

Clécio de Macedo Miranda

Síntese de Estágio desenvolvido na disciplina de


Estágio Supervisionado e apresentado ao Curso de
Pedagogia, do instituto superior de educação do sul
do Piauí, como requisito parcial para conclusão do
Curso.

Canto do Buriti, Setembro de 2018.


3

PLANEJAMENTO E AÇÃO DOCENTE NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Projeto de Intervenção: A importância

O projeto de intervenção é caracterizado por ser uma ação humana que possui uma
intencionalidade no sentido de intervir no processo de ensino-aprendizagem. Está relacionado
a projetar para o futuro a ação pedagógica, no caso do estágio, essa ação é voltada para a sala
de aula onde o estagiário terá contato com o seu futuro ambiente de trabalho, gerando assim
experiência para a ação educacional do mesmo.
É importante considerar no projeto de intervenção a finalidade da proposta que estará
baseada nos seus conteúdos, que serão meios para atingir os objetivos. É através do projeto de
intervenção que o professor deve observar todo o ambiente educacional para assim refletir
sobre as práticas pedagógicas que fazem parte do dia a dia do educando.
Para realizar as futuras intervenções é necessária a aproximação da realidade
vivenciada na escola, em outras palavras, o estagiário se desloca até o local de estágio onde
serão coletados dados e analisados, visando a compreensão e reflexão acerca do ambiente
onde se está estagiando. É aconselhável conhecer o vai e vem do local, os atores que
trabalham no local, e o processo que dirige os trabalhos dos atores, afim de se aproximar da
realidade que existe nesse determinado local.
O agir ético é responsável por permear a prática do estagiário, o mesmo deve estar
consciente de que se trata de um local de aprendizagem e trabalho, por tanto, a prática do
estagiário deve ser guiada pelo agir ético, respeitando os valores impostos pela escola e
respeitando a diversidade de pessoas que fazem parte do ambiente. É preciso, postura,
humildade, e respeito aos valores instituídos, para que seja possível uma boa prática em sala
de aula.
A etapa da observação é de suma importância, antes de tudo o estagiário é um
observador nato, o mesmo será responsável pelo levantamento de relatórios onde descreverá
com detalhes as observações feitas em sala de aula e no ambiente escolar, por isso é
importante se concentrar em descrever a realidade vivencia no ambiente escolar,
compreendendo todo o processo que se dá naquele ambiente.
Dessa forma, o projeto de intervenção é importante para desenvolver o raciocínio
construtivo do aluno que busca desenvolver seu trabalho de estágio.
4

Princípios Fundamentais para Elaborar um Plano de Ação

- Princípio da intenção: Toda ação possui uma intenção, é dever do aluno definir qual a sua
intenção ao realizar o projeto. É preciso saber exatamente o que se deseja construir e quais os
objetivos a serem alcançados.
- Princípio da situação – problema: Ao ter em mente qual o problema a ser trabalhado é
necessário verificar o que pode ser feito, objetivando a resolução do problema.
- Princípio da Ação: é necessária disposição para agir, investigar, analisar e refletir sobre o
projeto a ser pesquisado.
- Princípio da experiência real anterior: Esse tópico diz respeito a experiência anterior ao
estágio, onde a mesma facilitará o trabalho do docente, visto que toda experiência é bem-
vinda em todas as situações da vida.
- Princípio da investigação: O aluno precisa ser um investigador, analisando, interpretando
e buscando informações acerca do projeto estabelecido.
- Princípio da integração: Trata-se da compreensão da realidade vivenciada no ambiente
educacional, onde a interação com o meio faz-se um gerador de experiência transformando o
agir do profissional da educação.
- Princípio da eficácia social: O educando desenvolve suas capacitadas sociais, vivenciando
experiências em grupo, através de sua participação ativa é possível o seu crescimento social.

Para o Plano de ação temos as seguintes fases: definição do objetivo, plano de


atividades, programação, execução, controle de progresso, planejamento e reprogramação e
culminância.

Cronograma de execução

Todo e qualquer projeto precisa de um cronograma de execução através do qual será


estipulada as etapas e períodos de execução das mesmas.
O cronograma é utilizado graficamente, o mesmo é responsável por representar as
etapas do trabalho de forma clara e objetiva, de preferência em forma quadrada e limpa, para
facilitar a visualização das fases da pesquisa.
Devem ser levadas em consideração os seguintes tópicos para a elaboração do
cronograma: atividades, prazo e a preparação do quadro.
5

O professor, sua formação e seus instrumentos de trabalho

Atualmente o professor é muito mais exigido do que já foi há alguns séculos atrás, é
exigido do professor do século XXI uma atitude ativa frente às novas tendências educacionais
da sociedade. Hoje o aluno já não é mais apenas um receptor de conteúdo, trata-se de um ser
ativo que participa constantemente do processo de ensino-aprendizagem envolvido em sala de
aula. Dessa forma, o professor é um mediador de culturas e experiência que transforma a
forma como seu aluno vê o mundo, leva o aluno a pensar de forma crítica, acerca de seu meio,
refletindo sobre os processos que ocorrem constantemente ao seu redor.

OS RECURSOS DIDÁTICOS NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO: SELEÇÃO E USO


Inteligências Múltiplas como princípio de seleção e uso de recursos didáticos

Segundo Gardner, fundador da teoria das Inteligências Múltiplas existem 9 tipos de


inteligência que o professor pode buscar desenvolver no aluno, como:
1. Lógico-matemática é a capacidade de realizar operações numéricas e de fazer deduções.
2. Linguísticas é a habilidade de aprender idiomas e de usar a fala e a escrita para atingir
objetivos.
3. Espacial é a disposição para reconhecer e manipular situações que envolvam apreensões
visuais.
4. Físico-cinestésica é o potencial para usar o corpo com o fim de resolver problemas ou
fabricar produtos.
5. Interpessoal é a capacidade de entender as intenções e os desejos dos outros e
consequentemente de se relacionar bem em sociedade.
6. Intrapessoal é a inclinação para se conhecer e usar o entendimento de si mesmo para
alcançar certos fins.
7. Musical é a aptidão para tocar, apreciar e compor padrões musicais.
8. Natural é a capacidade de classificar e conhecer espécies da natureza
9. Existencial é a capacidade de refletir sobre questões fundamentais à vida.
6

O papel da ludicidade na construção dos recursos e sua aplicação no Estágio Supervisionado

A atividade lúdica são atividades que tem como objetivo ensinar e divertir ao mesmo
tempo, podem ser utilizados instrumentos como, brinquedos, brincadeiras, jogos, atividades,
desafios etc. existem vários tipos de jogos e brincadeiras e todas são importantes para o
desenvolvimento da criança, além de aprender a enfrentar desafios nos jogos, a criança
também desenvolve funções motoras, intelectuais e cognitivas, tudo isso contribui para o
desenvolvimento da criança. O professor que conseguir trazer a ludicidade para a sua prática
está preparado para vencer os desafios que são impostos em sala de aula, é na infância que a
criança consegue usar toda a imaginação em prol do seu próprio desenvolvimento, os jogos
fazem com que a criança use diversas partes do cérebro e se desenvolva com maior
velocidade.
As atividades lúdicas ajudam a aliviar a tensão do processo rotineiro em sala de aula
e trazer uma nova cara para a aula, impulsionando os alunos a um novo nível de
conhecimento. Ela ainda traz o desenvolvimento social da criança que está a todo momento se
relacionando com o colega em sala de aula.

Afinal, o que é Recurso Didático?

Os recursos didáticos são ferramentas que podem ser utilizadas pelo professor em
sala de aula, as mesmas facilitam o processo de ensino-aprendizagem, são elementos básicos e
indispensáveis em qualquer sala de aula: quadro, pincel, apagador. Quanto maior for a
diversidade de recursos utilizados em sala de aula, maior será a aprendizagem dos alunos.
Também são recursos didáticos os livros, jornais, aparelho projetor, computador etc.
A música pode ser considerada um ótimo recurso didático a ser utilizado pelo
professor em sala de aula, é interessante utilizar-se de músicas que abordem temas
relacionados as aulas. A música é um forte complemento cultural ao auxílio do entendimento
do aluno. A mesma é carregada de significados e poder cultural que auxiliará o aluno em
disciplinas como: geografia, história, português etc. Dessa forma, cabe ao professor escolher a
melhor forma de utiliza-la em sala.
7

Etapa 1
Plano de ação

O plano de ação é a parte em que é organizada as ideias, ele é utilizado para que
nenhuma tarefa seja esquecida, facilitando assim a vida do educando.
É nele onde serão organizadas e descritas as atividades que serão desenvolvidas no
estágio. Para o desenvolvimento do plano de ação temos os seguintes tópicos: identificação da
instituição e dos Estudantes, cronograma das atividades, identificação da ação que será
realizada na instituição, objetivos, descrição das atividades realizadas, avaliação, recursos,
outros aspectos que jugar relevantes, resultados esperados.

Etapa 2
Cronograma de execução

O cronograma é uma ferramenta para a gestão das tarefas que é feito normalmente
em forma de uma tabela, é útil para saber se as tarefas estão em dia, impedindo que o
educando perca tempo em tarefas que não são úteis.

Etapa 3
Elaboração dos recursos didáticos

Caso não haja recursos didáticos disponibilizados pela instituição, o próprio


professor pode elaborar seus próprios recursos didáticos de acordo com a necessidade que sua
turma enfrenta, pois em muitas escolas não possuem recursos didáticos por causa da
precariedade do local.
8