Você está na página 1de 20

Por onde começar

Colabore, pergunte, ajude: 56 Comments

Sei como é difícil no início analisarmos e sabermos com certeza absoluta em qual mercado queremos atuar.
Afinal, já ouvimos diversas e diversas vezes “Faça o que você ama“, mas este não foi um conselho muito
bom foi?

* Nota: recomendo que leia o post linkado acima em meu site para entender porque simplesmente fazer “o
que se ama” não é um bom conselho. Bem pelo contrário … é um péssimo!

E o pior: um excelente produto, marketing, suporte e empresa num mercado muito ruim, tem grandes
chances de fracassar ou nunca “decolar”. Já um produto ruim dentro do mercado certo tem bem mais
chance!

E é exatamente aqui que nós, empreendedores efetivos, nos diferenciaremos. Através de estratégias e
análise você aprenderá exatamente como, quando e o que você deve fazer para descobrir o seu mercado.

Não foi possível carregar o plug-in.

Também há um comentário que escrevi esses tempos em um post que fiz no DigitaisDoMarketing que,
apesar de ser focado em fotografia, acho que resume bem o que acredito ser a melhor maneira de se iniciar
um empreendimento (online ou não):

Viviane disse:

“Adorei as dicas !! =)
Você conseguiria me dar um exemplo de combinação de mercado para o
serviço de fotografia para que eu possa entender melhor? Não consegui fazer
a combinação com alguma dessas dicas que vc deu, não sei se foi por que não
consegui entender rs ou por que não consegui combinar um ao outro. =/”

E a minha resposta:

Bruno disse:

“Eai Vivi! Td bem?

Claro! Deixa eu ver se consigo te ajudar:

O que eu geralmente recomendo é que vc se especialize: seja qual for o nicho que
vc decidir entrar (no caso dentro do ramo de fotogragia), você tem que ter uma
CLARISSISSIMA visao de como seria possivel vc se tornar A MELHOR no que vc faz
… nem que para isso vc precisa subdividir (pode ser um nicho menor, ou
começando pela sua propria cidade/bairro/grupo já é um bom ponto de partida)

Depois disso vc poderia combinar com por exemplo o mercado “quero transar” que
envolve relaçoes num geral. Uma que imediatamente vem a cabeça: casamento (pq
acredito que vc não quer entrar na industriia porno haha apesar de provavelmente
ter um bom $$$ envolvido ;))

Vc poderia simplesmente se posicionar como A fotografa de casamento. Vc faz e


somente faz casamentos e nada mais .. mas vc é a melhor nisso!

“ah mas vou estar deixando de lado um monte de gente ..”

Sim … mas isso é bom!

O que é melhor? 5 clientes pagando $100 … ou 1 cliente pagando $500?

Financeiramente, igual .. agora em termos de stress e negocio, eu prefiro MUITO


mais 1 cliente de $500

E vc sendo especialista vc pode cobrar preços assim .. pq vc é uma especialista, vc


se dedicou a somente essa area

Fora que o casal que já está gastando uma paulada no casamento, n vai se importar
em gastar um pouco a mais pra pegar “aquela fotografa DE CASAMENTOS que
alguem do trabalho recomendou”

Percebe como tem muito mais poder!?

Dá uma procurada por “Kyle Hepp”. Ela tem um trabalho especializado em


casamento bem diferenciado e nd digamos, “comum”..

Com ctz um monte de gente n gosta e jamais contrataria … em compensação os


POUCOS que gostam AMAM o trabalho dela e n se importam de pagar um pouco a
mais .. e é exatamente estes que devem importar mesmo!

Outra ideia: fotografia por si só já é um hobby. Há diversos cursos sobre como


fotografar melhor etc. De repente vc poderia se especializar e ser professora de
fotografos mesmo!! Mas nao geral … pq ninguem iria lhe pagar isso ..

Novamente a resposta é especialização ..

Por ex, se especiliza em fotos noturnas … ou de paisagens .. ou de animais .. ou de


bebes .. e monta um curso sobre isso…

Ai adivinha só quando aquele outro fotografo precisar aprender mais sobre sei lá,
fotografia de bebes, quem ele vai ir atras!?

O curso “aprenda a fotografar tudo, todos, em qualquer hora, lugar e dia”

Ouuuuu…

“Aprende a fotografar bebes, faze-los rir e tirar aquela foto que farão seus pais
choraraem!”

É esse que deve ser o pensamento

Ultima dica: VIAGEM + HOBBY (fotografia): como viajar o mundo tirando fotos e
vender para revistas como national geographic.

APOSTO que já algum curso assim nos EUA .. por aqui? Nao sei .. Quem sabe vc
não faz o primeiro!?

Espero ter ajudado e qualquer coisa só aparecer lá no blog para mais dicas! Tb já
recomendo que baixe o manual que tenho lá no site de graça que ai tb vc já recebe
minha newsletter com mais um monte de dicas

Abraçao e sucesso!!”

E ela respondeu (último eu juro haha):

Viviane disse:

“Oi Brunoooo =)

Td bem sim e vc?

Fato, voce acabou de descrever meus pensamentos sombrios quando eu pensava


em relação a só fotografar casamentos ou fotografar só um tipo de nicho, sempre
pensei que se eu fotografar só casamentos ou só ensaios talvez eu estaria me
limitando demais, porém lendo o que vc me escreveu, compreendi perfeitamente
que vale MUITO MAIS a pena ser uma fotógrafa especialista em determinado nicho
da fotografia do que ser a FOTOGRAFA que não tem especialidade em nada e
fotografa tudo, não soa como confiavel e muito menos como bom fotógrafo pois
quem não é especialista em nada, é como se não tivesse se encontrado ainda na
fotografia !!

Obrigada, por gartar seu tempo escrevendo e me ajudando, vc não sabe o quanto
isso me acrescentou !! Obrigada !! Agora é hora de colocar os pensamentos no
lugar e correr pra coloca por em prática ebaaaa =) YEHHHH”

No Vídeo
Esqueça de você mesmo – comece pelas necessidades e dores do mercado: sim, eu admito que também
demorei um pouco para entender este conceito, mas comece focando 100% nas outras pessoas e
principalmente em seus problemas. O dinheiro virá atrás;

Paixão e Interesse: se você conseguir aliar paixão e interesse pelo seu mercado que irá atuar – ótimo!
Muitos têm a simples paixão por resolver problemas dos outros e criar algo do zero. Descubra o seu
interesse;

Potencial de Lucro: não há nada errado em olharmos para o potencial de lucro dum mercado antes de
atuarmos nele. Deixe aquelas relações de amor e ódio para artistas. Você amar o que você faz não
significa, necessariamente, que você ama o seu mercado em si;

Pense nos outros antes – sempre!: para reiterar o primeiro ponto. Sempre pense nos outros antes de
você. Esqueça que você quer enriquecer, e viajar, e ter 3 Ferraris na sua garagem – pense
nosoutros primeiro. O que eles querem; o que eles necessitam; o que eles sofrem; o que eles gostam.

Já tenho o meu negócio: há sempre diversos nichos e maneiras de se atuar dentro do seu mercado. Com
calma analisaremos se o público e o mercado que você está focando é o com maior potencial de lucro no
menor tempo possível.

56 Responses to “Por onde começar”

Read below or add a comment...

George Newton says:


dezembro 7, 2012 às 2:54 am

Bacana Bruno!
Posso dizer que para gerarmos lucro e ter sucesso em qualquer empreendimento, o nosso amor precisa ser
ou o “amor de criar” ou o “amor de ajudar”. Se você consegue unir os dois meu camarada, tu tá bem haha
Convergência sempre é bem vinda
O problema é quando surge a pergunta: “Mas o que eu vendo?” – Antes disso temos que entender, além o
mercado e nicho, quais as dores das pessoas deste nicho que você escolheu. O que elas precisam? Quais sua
dúvidas? Será que um eBook é melhor ou tudo em vídeo? Qual o perfil dessas pessoas? etc
Só não cometa o erro de pensar, agir e criar algo somente baseado no seu EU. Isto pode não ter mercado e
sem isso, sem $$$ no teu bolso. Algo como “hmm eu adoro comprar meia de couro pro meu coelho!! Vou criar
um ebook para mostar todos os modelos que existem e lojas que vendem” – Sem noção, mas pegaram a ideia

Responder

Bruno M. Picinini says:


dezembro 7, 2012 às 11:39 pm
haha é isso ai Geroge! Concordo com o comentário
Diversas vezes eu e alguns amigos estamos discutindo estratégia, marketing e o que fazer nos negócios e
uma e duas sai um comentário do tipo:
“Ah mas eu não faço/gosto/uso assim! Eu faço/gosto/uso desse jeito!”

E alguém invarialmente responde:


“Sim .. mas não é uma boa ideia baseasr nosso marketing no que A GENTE faz .. bem pelo contrário até”
Nós, e eu já incluo o pessoal aqui do curso, somos uma parcela da população que muito provavelmente
NÃO faz as mesmas coisas que o resto da população. Por isso temos que ter cuidado
Responder

Ana Paula de Souza says:


dezembro 8, 2012 às 6:08 pm
É verdade, temos que analisar muito bem o que estamos fazendo e para quem iremos fazer.
É isso ai!
Responder

Ana Paula de Souza says:


dezembro 8, 2012 às 6:05 pm
Acredito que o nicho seja algo importante, mas não adianta ter um nicho bom e não manter
foco. Acredito que em primeiro lugar, manter o foco e verificar as necessidades dos clientes, para assim
começar a famosa operação “tapa buracos” rsrs… e suprir as necessidades dos clientes. Para fazer tudo da
certo tem que haver uma junção, escolher o mercado, escolher o nicho e manter o foco.
Responder
Bruno M. Picinini says:
dezembro 10, 2012 às 5:49 pm
É realmente tudo tem que funcionar junto, mas tendo o nicho e mercado certo ($$) facilita
bastante porque as pessoas simplesmente vão gastar mais em certos mercados
Responder

George Newton says:


dezembro 9, 2012 às 1:10 am
Boa Ana.

Manter o foco anda de mãos dadas com o nicho. Pois se não escolher um nicho certo a gente fica querendo
juntar vários assuntos do mercado, aí já viu que vai sair um “bem bolado”.

Responder

Aurino Jr says:
dezembro 12, 2012 às 2:26 am

Vlw Bruno. Ótimas explicações sobre o que é mercado e nicho. Realmente faz bem mais sentido
atacar um nicho do que um mercado e tornar-se um especialista no que está focando.

Responder

Bruno M. Picinini says:


dezembro 12, 2012 às 7:19 pm
Isso ai! Vou adicionar depois no post, mas isso me lembra um comentário que tive bastantes
respostas positivas e acho que o conselho que dei lá vale para todos:
Seja o MELHOR em qualquer mercado que você escolher

Abraços!
Responder

jose_junior says:
dezembro 17, 2012 às 10:43 pm
hahahahah…..Mercados e Nichos……..aprendi e entendi…….ate k enfim…..hahahhaha…….para o
nicho ser bom e a quantidade de pessoas que passam por ele?
Responder

George Newton says:


dezembro 18, 2012 às 4:58 pm
Não diria quantidade José, mas a qualidade das pessoas e o potencial de lucro do nicho que
vc escolher.
Responder

Bruno M. Picinini says:


dezembro 19, 2012 às 6:03 pm

Concordo com o George!


Olha isso cai um pouco na verficação de mercado. Números são bastante importantes, mas ao mesmo
tempo bastante relativos. Existe o que chama da “magia de pequenos números”. Se você comprou uma
casa e agora quer revender com um lucro de R$100.000 após reformas. Quantos clientes você precisa pra
isso?
Um

Mas claro, o mercado em si é gigante e dentro dele você tem seu cliente que pode lhe pagar bastante. 1
cliente pagando R$ 1.000 vai dar na mesma que 10x pagando R$100, mas a primeira opção é bem melhor.

Responder

Ana Paula de Souza says:


dezembro 20, 2012 às 12:08 am
Veja as ferramentas do Google disponibilizadas pelo Bruno nos próximos artigos, são ótimas
dicas par a escolha do mercado.
Responder

Marcelo Aristeu da Cru Silva says:


dezembro 18, 2012 às 12:49 am

Que tremendas dicas vc deu para a Viviane hein Bruno! É legal poder ver em ti
esta camaradagem e total comprometimento.
Parabéns pelo seu profissionalismo. CONTINUE sempre assim! valeu
Responder

Bruno M. Picinini says:


dezembro 19, 2012 às 6:04 pm
Obrigado Marcelo

Responder

Marcelo Aristeu da Cru Silva says:


março 12, 2013 às 12:48 pm

Olá Bruno.
Mê dá uma dica por favor…Não sei que tipo de nicho é direito. Meu desejo é falar ou até ensinar,
escrevendo artigos ou ebooks a respeito de ¨Crescimento Pessoal¨ ou ¨Desenvolvimento Pessoal¨.
Como atitudes, disciplina, ansiedade, motivação, influência, prioridades, atitude, autodisciplina,
integridade… enfim elaborar uma forma de passar uma mensagem bastante relevante acerca do
assunto com bastante propriedade e trazer a solução para o devido problema de forma prática e
divertida, mexendo com alguma tipo de dor , por Ex. A esposa do camarada vive pedindo para ele
colocar aquele parafuso na parede e ele nunca faz, ou seja ele precisa de atitude. Então eu ensino que
atitude é um ingrediente básico para o sucesso…que não tem nada a ver com motivação, que vc não
precisa sentir para tomar uma atitude. As vezes todos nós nos sentimos mal; nossas ATITUDES não podem
impedir nossos sentimento,mas podem fazer com que nossos sentimentos NÃO obstrua nosso caminhar.
Infelizmente, muitos de nós permitimos que os sentimentos nos controlem.
Mais ou menos por aí, não sei direito o que eu faço, a vida nos exorta a cerca de muitas coisas com bastante
desafios e precisamos ser, ensinados e encorajados com estes tipos de assuntos…, Por fim a minha idéia é
ensinar e depois encorajar de forma que seja passo a passo, colocar em prática mesmo. E aí o que vc me
aconselha…tem mercado….a onde? como? JÁ TE AGRADEÇO!!!

Responder

Bruno M. Picinini says:


março 13, 2013 às 1:46 pm

Se tem mercado … TEM DEMAIS! haha .. Por exemplo nos EUA é um mercado giagnte!

É um mercado interessante, só que tem que ter muito, mas MUITO cuidado como você se posiciona e tal.
Em nível de Brasil não tenho certeza os nomes tops na área. Internacionalmente temos Tony Robbins
como o top dos tops, Brian Tracy, Jim Rohn e vários outros.

Outro cuidado que eu teria, e MUITO novamente, é na questão DO QUE exatamente você vai vender.
Cuidado pra não cair em algo muito … vago … do tipo “seja mais feliz e tenha certeza da sua vida!” Algo
assim. Por que? Porque é muito generico!

Feliz pra mim pode ser COMPLETAMENTE diferente pra você. E assim vai
Pra isso recomendo imensamente o vídeo que fiz aqui no curso, o conceito MOEDA. Ele é justamente pra
evitar cair nessa armadilha de ser muito generico e tentar vender algo muito intangivel, dificil de medir.
Quanto mais você transformar em algo CONCRETO (MOEDA), melhor

Responder

Marcelo Aristeu da Cru Silva says:


março 15, 2013 às 9:01 pm

Ok. Acho que entendi bem o quê vc está falando… Algo que traga um valor percebido para as
pessoas.
Preciso amadurecer a idéia…
Uma outra preocupação… Vamos supor que eu tenha um blog, a respeito deste assunto acima, e eu
venha a escrever artigos; não corro o risco de me faltar assunto para monetizar ou seja vender meu
produto?
O que eles fazem e vendem? Tony Robbins, Brian Tracy e Jim Rohn.
VALEU!!!

Responder
Bruno M. Picinini says:
março 16, 2013 às 4:25 am

Pode ter certeza que NUNCA faltará assunto. Isso eu agarantio!! hehe

Pense você: por mais que você talvez tenha um conhecimento avançado no assunto, aposto que você
ainda procura livros, novos cursos, se educar mais e mais … e sempre acha uma pérola perdida aqui e lá
que você não sabia.
Claro, o ritmo diminui mas a gente nunca para de aprender

Responder

Lucas Andrade da Costa says:


abril 17, 2013 às 11:31 pm
Quer dizer que tudo que temos de fazer é achar uma solução para um problema(necessidade)
encontrado em um nicho muito especifico dentro de um mercado em crescimento constante? Parece fácil, so
parece. Como iremos achar a necessidade do nicho que escolhemos ajudar?

Responder

Bruno M. Picinini says:


abril 24, 2013 às 2:56 pm

Dá uma olhada nos vídeos seguinte sobre como escolher e também seu cliente que falo um
pouco mais sobre isso. Vou ver se abordo esse assunto com mais alguns exemplos no aúdio da semana
que vem.
Você tem algum mercado que você trabalha ou gostaria de trabalhar? Ai tento fazer os exemplos mais
focados nisso já
Responder

Dora Goncalves says:


abril 19, 2013 às 12:25 pm
Olá ! Bom dia a todos! oi Bruno!

Como autora, e tenho um produto especifico, por acaso até são vários.Até já identifiquei vários sentimentos
e desejos do meu nicho de mercado. No entanto, continua a existir um gap entre o produto e cliente. Ou
ainda não achei o cliente? :\
Pelo que entendi é necessário especificar no produto, mas sendo um conceito novo no mercado com de um
produto já existente, Volto a especificar…eu vendo só o desenho que terá uma serie de aplicações em
produtos. Sugestiono e explico cada aplicação.
Se ainda não achei o mercado, como achar?
Colocando Post com o produto? Ou criar página…coisa que já estou a fazer, pelo sim ou pelo o não!
Bolas! Isto mais parece um desabafo que uma questão!No fundo é um conjunto de duvidas e incertezas, por
onde começar.
Responder
Bruno M. Picinini says:
abril 24, 2013 às 2:58 pm
Oi Dora!

Desculpa mas não entendi direito sua pergunta. Poderia tentar me explicar ela melhor?

Responder

Dora Goncalves says:


abril 24, 2013 às 6:05 pm

Olá Bruno!
Dou um exemplo que é mais fácil de explicar. Existe por ai pessoas a vender camisetas “tshirt”, com
bonecada na frente. A minha proposta é vender só o desenho, preço é mais baixo, trabalho original e
criativo. O cliente recebe logo o desenho e pode coloca-lo em várias camisetas, e até fazer venda.
Como o preço é mais baixo pode também comprar mais. O custo da camiseta e do papel, fica por parte
do cliente, eu vendo só o desenho.
Se tem hipótese de dar certo? Depois de procurar nas keywords e olhar mercado concorrente achei
que antes matar a ideia ou a modificar devia de lhe dar uma chance. Por isso estou a elaborar uma
página para testar a ideia de negócio. Foi depois de ouvir o teu video sobre o mercado que achei
mesmo sem testar não adiante estar a fazer conjecturas! Por isso estou a trabalhar para concluir esta
etapa. E já agora! posso divulgar por aqui a página loja teste por aqui?
A pergunta do post anterior relacionava-se com isto! No fundo estava a tentar não ver o óbvio! Sem
testar o mercado, são conjecturas. Não é assim?
A pergunta era o mercado existe, mas está funcionar de um modo diferente. Se colocar a minha ideia
no mercado, vou encontrar nicho? eu resolvi responder assim!
Se o nicho vale a pena? pela as keywords, não! Mas eu sou como São Tomé. Ver para crer!
Eu disse que era mais uma desabafo!! não foi!? às vezes as coisas são assim necessitamos de
escrever, para ver o óbvio. Coisas!
Responder

Bruno M. Picinini says:


maio 2, 2013 às 2:22 am
Pode postar o site aqui sim

De repente até se quiser pode usar os fóruns que ai o pessoal pode comentar e se ajudar

Responder

Kelton Tartarotti says:


abril 23, 2013 às 1:21 pm
Bom dia a todos,

Realmente focar o Nicho dentro de um Mercado é uma escolha difícil (ao menos para mim).

Trabalho com preparação física e como Personal Trainer. Meu público vai de senhoras de meia idade a
Lutadores de MMA, passando pelos famosos Marombeiros. As possibilidades são muitas, os nichos são
interessantes e opostos. Acho que essa é uma daquelas situações aonde ter muitas opções não ajuda muito.

Enquanto dá pra se trabalhar muito bem com Hobbies por exemplo ( Melhorar tacada de golf, evitar dores
lombares de moticicilistas de fim de semana, etc…), também existe o mercado fitness tradicional e ainda essa
área de preparação física de atletas de alto rendimento, essa área específica ainda não é (ao menos no meu
estado) onde o dinheiro está circulando, mas pode passar a ser no futuro.
Hoje termino uma aula com uma senhorinha, vou para outra academia treinar um lutador de evento
internacional, volto para dar aula para alguma menina querendo dar uma “enrigecida”, etc…
Sem dúvida FOCAR é algo que será necessário para ver meu negócio crescer, principalmente na Web… Mas
vamos lá, estamos no começo desse novo web-passo, estou gostando dos vídeos por enquanto.
Abraços a todos,
Kelton.

Responder

Bruno M. Picinini says:


abril 24, 2013 às 3:10 pm
Exatamente Kelton! Acho que você pegou o espírito! Meu conselho é foco, foco, foco! Tudo
bem que no seu trabalho aí você atende públicos BEM diferentes, mas na internet eu focaria total!

É pra marombeiro? Meninas querendo enrijecer? Ou senhoras de idade querendo melhorar a saúde?
Responder

adriano oliveira feitosa says:


abril 23, 2013 às 2:52 pm

Estou com muita dúvida no nicho que irei escolher. Já fiz os exercícios propostos tanto nos
vídeos como no manual gratuito. Que dúvida cruel que me persegue. Quero realmente querer ajudar as
pessoas antes do lucro, o dinheiro é apenas uma consequência do meu trabalho. Vou começar com algo
muito especifico… Preciso fazer algum exercício prático para aprender a ter empatia pelos outros. Valeu!

Responder

Bruno M. Picinini says:


abril 24, 2013 às 3:12 pm
Humm eu tenho um exercício que ajuda a ter BASTANTE empatia, mas esse funciona melhor
quando já se tem definido o mercado e o cliente.

Só uma dica: se ficar com muita dificuldade em escolher, não tenha medo de começar com algo que você
NÃO ama mais que tudo nesse mundo! Não tem problema nenhum! Começando já é ótimo e depois
resolvendo a questão de dinheiro entrando, ai sim dá pra fazer o que quiser

Responder
adriano oliveira feitosa says:
abril 23, 2013 às 2:56 pm
Gosto de algo relacionado a alimentação saudável. Talvez seja um começo.

Responder

Bruno M. Picinini says:


abril 24, 2013 às 3:12 pm
É uma área MUITO interessante!
Responder

adriano oliveira feitosa says:


abril 25, 2013 às 3:22 am
BRUNO FIZ PESQUISA COM PALAVRAS CHAVE NO ADWORDS POREM ALIMENTACAO SAUDAVEL
NAO TEM RANKIN MUITO BOM NAO DE MERCADO. QUE SUGESTAO VC ME DA P ESSA AREA. HA. SE PUDER ME
DAR A DICA DA EMPATIA AGRADECIDO BLZ OBRIG
Responder

Bruno M. Picinini says:


maio 2, 2013 às 2:28 am

Não se preocupe tanto com uma palavra-chave só. O importante é tentar ver se o mercado
em si tem procura. Por experiência própria sei que esse nicho em si com certeza tem uma bela procura
Dietas, emagrecimento, etc.
Responder

André Machado K says:


abril 26, 2013 às 1:08 am
Bruno, gostei deste video.
Antes estava com duvidas sobre o que fazer.
Agora já começo a pensar melhor sobre varios nichos, dentro da minha area inclusive, e sobre competição.
como vc disse…se tem competição é por que tem mercado.
Vou ficar “matutando” as ideias aqui e ver o que vai sair.
Obrigado!!!

Responder

André Luiz dos Santos Lisboa says:


abril 28, 2013 às 12:31 am

Olá Bruno
As coisas estão começando a clarear , Essa aula a respeito do nicho foi show .
Minha cabeça já está fervilhando de ideias………..
Responder

Leonardo Toledo says:


abril 30, 2013 às 3:21 am
Caro Bruno, parabéns pelo formato do curso.

Discordo do ponto onde você menciona que 1 cliente de R$ 1.000,00 é melhor do que 10 de R$ 100,00. Isso me
remete a hipótese de uma empresa estar bem financeiramente (fez 1 negócio de 1.000,00) e não estar bem
economicamente ( e se não tiver esse cliente de novo? ). A possibilidade de ter um leque maior de clientes é
sempre mais promissora e atende muito melhor a questão da multiplicação do negócio. Não achas?

Um abraço.
Leonardo Toledo
Responder

Geraldo José Botura Lacerda says:


maio 22, 2013 às 2:17 pm

Oi Leonardo, a metáfora de 1 cliente de R$1000,00 versus 10 de R$100,00 do seu ponto de


vista faz sentido, mas eu a entendo como algo mais flexível. Flexível a ponto de atender clientes (entre 3 e
5 talvez) que realmente valham a pena o esforço e enxergam valor ao seu serviço. Dessa forma, a perda de
2 clientes por exemplo não acabaria ainda com o oxigênio da empresa.

Escalar um negócio de muitos clientes como solo empreendedor por exemplo pode ser uma opção ruim,
mas se o seu negócio permite está tudo certo.
Não podemos esquecer do próprio Bruno, que neste curso tem 100 clientes como solo empreendedor,
fora outros serviços que já presta e poderá prestar para o mesmo grupo.
No final, tudo dependerá mesmo de um modelo de negócio bem estruturado e acertivo e esse ao meu ver
é o maior desafio.
Um abraço e sorte para nós!
Geraldo Lacerda

Responder

Marcelo Fernandes says:


maio 9, 2013 às 1:56 am
Vejam se é válido…
Um determinado nicho que possa vir a “descobrir” se mostra muito promissor e rentável, porém, pode ser
que não seja o que está o que traga satisfação pessoal em trabalhar nele, abre um paradoxo aí, então, vale a
pena procurar uma parceria para explorar este nicho???
Responder
Bruno M. Picinini says:
maio 13, 2013 às 5:26 pm

Vale! Gosto desse seu modo de pensar e acho BASTANTE válido!


Eu por exemplo, o que gosto mesmo é marketing e empreendedorismo. Tenho em mente desenvolver
algumas parcerias com por exemplo academias, fitness, etc. Eles fazem o conteúdo e eu o marketing.
Outra: nada impede de fazer isso para gerar uma renda e garantir o financeiro e depois sim, achar aquilo
que você gosta demais de fazer
Tentar fazer o que ama ao mesmo tempo que se ganha dinheiro com isso as vezes pode ser MUITO
perigoso. Já viu meu post no blog sobre isso?
http://www.empreendedor-digital.com/nao-faca-o-que-voce-ama

Responder

Adilson Francisco de Paula says:


maio 21, 2013 às 4:16 am

E aí, Bruno. Me diga uma coisa. No caso do comércio de eletro-eletrônicos, eles entrariam no
quero viver???
Um abraço.
Adilson – MG

Responder

Bruno M. Picinini says:


maio 21, 2013 às 10:31 am
Não exatamente.
Obivamente esse é um mercado com potencial, MAS é uma venda mais difícil. É só pensarmos,
exagerando no exemplo, qual seria mais fácil vender:
A) Um remédio que o médico mandou tomar e que vai melhorar e MUITO a vida da pessoa; ou …
B) Uma TV de plasma que vai fazer ela ficar mais sedentária?

O segredo está em tentar achar dentro disso um outro ângulo.


Por exemplo uma vez tinha um comercial da Sony acho que a propaganda em si não era só sobre a
televisão, mas sim “o jeito de reunir a família novamente”.
A TV assim ganha outras conotações BEM maiores.

Dá uma olhada nos Podcasts que falo mais sobre essa questão com algumas dicas.
Responder

Geraldo José Botura Lacerda says:


maio 22, 2013 às 2:48 am
Oi Bruno, sou designer e exceto vídeos posso dizer que faço tudo. Mas é exatamente esse “tudo
sem foco” que venho caregando comigo nos últimos anos. As vezes me sinto como uma loja de
departamentos de design…faz um logo aí, e me vende um site aqui, uma apresentação acolá, um folheto pra
amanhã…?
Para tentar minimizar esse problema de foco, de tempos em tempos venho tentando navegar na crista da
onda. Como assim? Comecei com foco em publicidade impressa como diretor de arte em agências
tradicionais, depois em 1999 decidi me dedicar em design digital, aí foquei na época do estouro da bolha nas
campanhas de banner em portais e hotsites, depois foquei somente em Flash, depois em sites com CMS
Open Sourse, e agora estou na época do site mobile/apps. A ironia é que no final a gente acaba fazendo de
tudo e sempre esperando a próxima onda…rs!!!
Será que o mercado que molda as minhas “pseudos especializações” ou sou eu que não parei para me
especializar em algumas delas e me tornar o melhor em apenas uma?

Abç a todos!
Geraldo
Responder

Dora Goncalves says:


maio 22, 2013 às 12:29 pm

Oi Geraldo, desculpa estar a responder, mas como designer sei bem o que é isso. Em 1999
desisti de exercer a profissão de designer exactamente por causa disso. Hoje vejo bem que foi um erro! O
que te posso dizer, é que uma vez designer sempre será designer e com isso vamos saber sempre
bocadinhos de tudo, pois faz parte da profissão, no entanto recemente percebi que tinha que ser
excelente numa só coisa, mas essa coisa, tinha de estar relacionada com design. Algo que gosta-se tanto
que pudesse ficar dias sem durmir e não sentisse o tempo a passar. Acredita existe! Eu achei! E é isso que
te recomendo! procura dentro da área o que tu mais gostas de fazer, não é só o que te preenche, tem que
ser mais . Tem que ser o que te renova, aquilo que sentes que por fazeres vai, ati fazer a diferença. E por
isso fazes!
Continuas a dar resposta ás solicitações logotipos, paginações…..por ai fora!, mas procura dentro do teu
tempo um tempo para trabalhares essa área escolhida e alcançares a excelencia daquilo realmente gostas
de executar. De inicio até podes não ter dos teus semelhantes uma resposta positiva, não te preocupes
com isso, tens que continuar e perceber a razão da resposta. Isso é um pouco como procura de mercado
mas nunca modifiques a essência do que queres.
Naquilo que procurares ser realmente bom e especializar, não procura mercado. O mercado vem até ti.
Parece contra senso, mas acontece!
A unica coisa que tens que garantir é uma boa comunicação (legível, bem expressiva e que não deixe
duvidas quanto ao que estás a fazer) o senhor ai do marketing é bom nisso! não é Bruno?
e por fim, como uma vez me disseram: não te disse que era fácil, disse-te que ia valer a pena!
Fica bem,
Dora
Responder

Geraldo José Botura Lacerda says:


maio 22, 2013 às 1:31 pm

Eu é que me desculpo (rs)!


Obrigado pelas colocações Dora. Valeu mesmo!
Responder
Adriana D'Almeida says:
setembro 25, 2013 às 12:43 am
Noooossa, questão difícil essa, não?
Para definir meu nicho, quero aproveitar meus conhecimentos nas áreas que já ensino (cargos e salários,
planejamento de carreira, remuneração) já que assim não vou precisar começar do zero e poderei aproveitar
a bagagem que já possuo. Só que isso ai ainda se subdivide em muuuitas áreas.
Minha cabecinha está fervilhando rsrsrs que bom! rsrsrs
Vamo q vamo!
Adriana

Responder

Bruno M. Picinini says:


setembro 25, 2013 às 4:32 am
Isso ai! Você vai ver que conforme formos evoluindo aqui no curso vai ficar pior ainda!! Mais
e mais ideias haha

Responder

Rafael Barros says:


setembro 25, 2013 às 11:47 pm
Prezado Bruno, vendo o seu video agora concluí que essa é a principal fase do curso. Estou eu
correto ou não?
Responder

Bruno M. Picinini says:


outubro 1, 2013 às 10:40 am

Sim e não. A execução e as ações que você tomar depois também contam bastante
Responder

Vinicius Correa says:


setembro 27, 2013 às 10:34 pm

Muito bom esses ensinamentos de mercado e me fizeram pensar fortemente em duas


possibilidades pra mim que já vivenciei.
Uma das ideias é algo relacionado a “pagar suas dívidas sem mágica” tipo tentando passar pras pessoas como
sair do buraco de endividamentos com o próprio trabalho e uma dose de organização. Gosto do assunto,
vivenciei o assunto, tinha dívida, hoje já saí e reverti totalmente minha vida financeira. Sei que o mercado é
concorridíssimo, mas algo me faz acreditar que posso me sair bem… Dos vários livros e artigos que li sobre,
tenho várias anotações minhas aqui e pude ver que dá até pra bolar um ebook… só me resta saber como
vencer a concorrência, isso que me incomoda.
A outra ideia é relacionado a casamento. Vou casar ano que vem e decidi participar ativamente da
organização dele, pra poder economizar o máximo possível. Fiz um acordo com minha noiva: ela quer uma
festa grande e eu quero não gastar muito com uma festa pra convidados… então tive de me dedicar pra
economizar…e achei uma brecha muito grande no mercado… duas brechas… não existe muita informações de
fornecedores concentrados em um só lugar da região q moro (Vitória ES), tive q vasculhar o google inteiro, e
tudo é muito bagunçado, tive de criar uma própria planilha pra organizar. Minha ideia é criar tipo um portal
pra fornecedores inicialmente da região q vivo e implantar essa ferramenta de organização q criei como uma
ferramenta online…
Tudo só ideias que foram despertadas com esse vídeo…. nada nem perto de concreto ainda..
Mas vamos lá..
Vlw Bruno pela luz!!!!
Responder

Marcia R. Tedeschi says:


setembro 30, 2013 às 12:02 am
Olá Bruno…
Entrei no seu curso pq achei uma postagem no Vivendo de Blog e logo me identifiquei com o seu perfil.

Minha questão: eu não sou especialista em nada e tenho a dura tarefa de aconselhar todos os negócios que
temos em família :
1. Clube de Colecionadores de Vinil – meu marido é um colecionador especializado em Pop Americano, Jazz e
Bandas, dentre outros, todos raríssimos e escolhidos a dedo – a menina dos olhos dele!;
2. Temos uma Importadora e Distribuidora de flores e plantas Artificiais Chinesas;
3. Um Grupo de MMN que trabalha com produtos para Fitness, Saúde e Beleza – toda a parte de vendas e
marketing é feita por sistema próprio da empresa .
Pelo que entendi estamos atuando nos mercados de :
1. sobreviver – com o MMN – nicho Saúde, estética, emagrecimento, celulite
2. enriquecer – com a Distribuidora – nicho Atacado, melhor preço, oferta, conveniência
3. hobbies – Música – Colecionáveis, Pop Americano, vinil
O que eu gostaria de fazer:
Caso do MMN – Aumentar vendas e adesão para a marca através de site próprio, oferecendo treinamento de
vendas diferenciado e uso/benefício dos produtos da marca, além de seminários abertos ao público com foco
no mercado de MMN sem distinção de marca ;
Caso da Distribuidora – Criar Kits de Decoração para festas e vendê-los por internet;
Caso da Coleção – focar vendas para colecionadores e DJs no Japão, Austrália, Inglaterra, Alemanha e USA – o
caso aqui é que a idade média desse público que coleciona hoje é de 65 anos, muitos nunca comprarão pela
internet, mas a grande maioria lê emails.
Seguramente desenvolverei um por vez, e não terei tempo para desenvolver artigos por que atuo sozinha.
Por favor, acertei ou errei os mercados/nicho?
Estou no caminho certo? Vou conseguir me diferenciar?
Me preocupo em fazer um trabalho simples a ponto de que possa ser mantido por outra pessoa ou duplicado
como se fosse para franquias.
Não tenho intenção de me prender, meu “tesão” é criar, organizar, entregar… e ter uma renda vitalícia.
Abraços
“Good Bless You (GBU)”
Márcia
Responder

Bruno M. Picinini says:


outubro 1, 2013 às 10:49 am

Olha não é fácil comentar de algo assim tao complexo. Acredito que você está no caminho
certo e tem boas alternativas.
E você tem mais do que razão de começar por uma por vez – tentar todas ao mesmo tempo é pedir pra dar
problema.

Qual? Eu começaria por aquela que você acha que tem maior potencial no menor espaço de tempo
Responder

vanessa zechin says:


outubro 3, 2013 às 9:39 pm
Bruno, tu comentaste varias vezes sobre essa questao de que “ganhar dinheiro com o que voce
ama fazer pode ser perigoso”. O que tu achar que è exatamente esse perigo? O fato de nao conseguir manter
o foco e a produtividade?
Eu nao me sinto muito especializada em nenhuma area, mas provavelmente as minhas possibilidades de
aprofundamento sao baseadas nas duas areas em que eu atuo: paisagismo e meditaçao.
A primeira delas com uma abordagem mais tecnica e como forma atual de trabalho; e a meditaçao como uma
curiosidade pessoal infinita na qual poderia se encaixar bem o “ajudar os outros” visto que è uma experiencia
pessoal que ajudou a transformar a minha vida…
No meu caso, incluindo inclusive a tua experiencia de mercardos, por onde seria mais facil começar: trabalhar
com paisagismo e me especializar em “exportaçao de objetos de design para paisagismo da italia para o
Brasil” (que seria no “eu quero enriquecer”), por exemplo; ou seguir uma linha do “eu quero sobreviver” com
cursos sobre meditaçoes ativas?

Responder

Bruno M. Picinini says:


outubro 5, 2013 às 4:14 am
Os dois mercados são interessantes mesmo pra um negócio
Quanto a questão de “fazer o que você ama”, dá uma olhada no podcast #6 que coloquei no ar ontem.
Nele falo bastante sobre essa questão e acho que vai ajudar a esclarecer.
Ambos mercados teriam potencial por si só, mas eu tava pensando se não teria uma forma de combinar os
dois?
Acho que um caminho de repente seria ir pela parte de paisagismo mesmo e incorporar mensagens do
porque um ambiente confortável e tranquilo vai refletir e melhorar toda sua vida.
Tudo isso com os ensinamentos de meditação que você pode passar junto.
Esse de exportação de objetos também é interessante. De repente voltado para arquitetos mesmo que
trabalham com projetos mais caros e que muitas vezes querem incorporar isso, mas só não sabem como e
por onde começar.
Mas assim, depois vai entrar mais uns podcasts e umas aulas sobre o Experts Academy que você vai ver
que vai ajudar bastante
Até o final do curso também provavelmente as ideias vão clarear mais.
Ai depois voltamos a conversar pra ver o que dá pra fazer

Responder

LUCILENE ALVES DE LIMA says:


outubro 4, 2013 às 8:12 pm

Olha não sou especializada em nada,estou entrando sem nenhuma estrutura,peso um pouco de
paciência comigo,pois não entendo nada de mercado,marketing,etc…
Eu trabalho na área de saúde ,sou Técnica administrativa.Gostaria de trabalhar com saúde/bem-estar ou não
sei se existe algo no mercado direcionado à dívidas,pois tem tantos como eu super endividados.É isso aí,vou
precisar da ajuda de vocês.
Um forte abraço
Responder

Bruno M. Picinini says:


outubro 5, 2013 às 3:50 am
Boas notícias: os DOIS mercados que você citou são ótimos haha. Saude e dividas.

Se você tem alguma área específica em saude que você pode contribuir, eu com certeza começaria por ai

E “nao ser especializada em nada” é questão de TEMPO.


Todos experts um dia também começaram do zero
Responder

Fabio Marques says:


outubro 27, 2013 às 10:01 pm
Olá Bruno, desculpe não ter me apresentado antes mas a correria (como sempre) está me
impedindo até de aproveitar melhor o curso, mesmo assim estou tentando levar da melhor maneira e
gostaria muito que você me respondesse a principal questão que está me tirando horas de sono.
Eu tenho um negócio local com minha esposa, com endereço, telefone e o negócio tem o nome da minha
esposa. A idéia é fazer um curso online sobre uma das especialidades dela, mas a principal questão é:
- Será que as pessoas que comprarem o curso online, não irão começar a entrar em contato via telefone para
o negócio local, atrapalhando assim o trabalho em horário comercial?
Fazer o curso sem o nome dela também não teria a credibilidade de ela ter mais de 5 anos na área e sendo até
um pouco conhecida no ramo.
Estamos confusos, tenho tudo planejado mas esta dúvida está me matando… rsrs

Forte Abraço e vamos que vamos!


Responder

Bruno M. Picinini says:


novembro 11, 2013 às 1:50 pm

Olha depende de como você colocar Fábio. Pode não atrapalhar


Responder