Você está na página 1de 85

GUIA ACADÊMICO

DO CURSO DE DIREITO
Elaboração Profª Elizabeth Nunes Magno e Profº Paulo Sérgio Abreu Mendes

“TRADIÇÃO, EXPERIÊNCIA E OUSADIA DE QUEM


É PIONEIRO”

Centro de Ensino Superior do Amapá - CEAP


Rodovia Duca Serra, km 0 Alvorada - Macapá - Amapá - Brasil
Fone: (96) 3261-2133 – www.ceap.br - E-mail: ceap@ceap.br
SUMÁRIO

01. Nossa Missão 03


02. Mensagem do Diretor 03
03. Mensagem do Coordenador 03
04. Nossa Equipe 04
05. Curso de Direito 04
06. Objetivos 04
07. Coordenação do Curso 05
08. Núcleo Docente Estruturante - NDE 05
09. Reconhecimento 05
10. Matriz Curricular 06
11. Estágio Supervisionado 09
12. Atividades Complementares 10
13. Trabalho de Curso 12
14. Direitos e deveres do Acadêmico 12
15. Sistema de avaliação 13
16. Faltas 14
17. Procedimentos acadêmicos 14
18. Abandono do Curso 16
19. Horário das aulas 16
20. Secretaria 16
21. Biblioteca 16
22. Atribuições da Coordenação Psicopedagógica 16
23 Apoio psicopedagógico aos discentes 17
24. Atribuições da Coordenação Pedagógica 17
25. Dicas da Coordenação Pedagógica 18
26 Sala de Qualidade de Vida 18
27. Atendimento extraclasse 18
28. Quem é quem 19
29. Anexos 20
30. Concepção do Curso 20
31. Príncipios orientadores da formação 20
32. Perfil do egresso 23
33. Blog do Curso 24

BLOG DO CURSO DE DIREITO: direitoceap.blogspot.com

__________________________________________________ 2
NOSSA MISSÃO

“Promover educação de qualidade, visando a formação de cidadãos críticos, solidários,


éticos e inovadores, comprometidos com a sustentabilidade, a cultura amazônica e a
melhoria da qualidade de vida”.

MENSAGEM DO DIRETOR
Caro acadêmico,
Pensando em melhor acolher você em nossa Instituição, criamos este manual
que deverá acompanhá-lo durante toda sua estada no CEAP.
Primeiramente, gostaríamos de parabenizá-lo pelo sucesso obtido no vestibular
e agradecer por ter escolhido a nossa Instituição.
Aproveite ao máximo essa “oportunidade de ouro” que você conquistou.
Estude. Dedique-se. Use toda a estrutura do CEAP para tornar-se um profissional
competente e bem sucedido. Aproveite esse espaço democrático, esse grande campo
de idéias e forme-se “Cidadão”.
A jornada que você inicia é um grande desafio. Em muitos momentos o
desânimo irá bater à sua porta e virá a sensação de que o fardo é pesado demais. Isso
é natural, acontece com todo mundo que fez uma graduação... Mas insista e persista.
Talvez vencer dificuldades seja o maior aprendizado que levamos na nossa
profissionalização.
Desejamos, a você, sucesso! Estamos felizes de poder participar dessa jornada
ao seu lado e esperamos colaborar muito para a sua formação intelectual e social.
“Não há saber mais ou saber menos, há saberes diferentes” (Paulo Freire)
Pense bem nesta mensagem e valorize todas as pessoas com quem você tem
contato, pois cada uma delas tem algo diferente para lhe ensinar.
Professor Leonil de Aquino Pena Amanajás
Diretor Geral do CEAP

MENSAGEM DOS COORDENADORES

Prezado Acadêmico,
Seja bem-vindo! Temos um caminho a percorrer e o faremos juntos. Cinco
anos de um curso de graduação. Cinco anos de uma vida. Aqui vamos estudar com
alegria, amar, superar tristezas, comemorar conquistas e principalmente desenvolver o
espírito para o resto de nossas vidas. Vamos entrar de uma forma e com certeza
sairemos maiores do que entramos. Para isso é preciso muito trabalho.
Estudar é um ofício e precisamos fazê-lo bem, com afinco, paixão e dedicação.
Um bom cidadão e um bom profissional se formam com muita transpiração e uma dose
de inspiração.
Contamos com você e estamos a sua disposição na Coordenação do Curso.
Boas aulas!
Professor Msc.HELDER FERREIRA
Professora Msc. CAMILA ILÁRIO
NOSSA EQUIPE
Coordenador: Helder José Freitas de Lima Ferreira
__________________________________________________ 3
Coordenadora Adjunta: Camila Rodrigues Ilário
Coordenador do Núcleo de Pratica Jurídica – NPJ: Elias Salviano Farias

CURSO DE DIREITO

Titulação – Bacharel em Direito.


Sobre o curso - O Curso de Graduação em Direito oferecido pelo CEAP
iniciou em janeiro de 1992. Conta com um corpo docente de alto nível, com
Doutores, Mestres e Especialistas em seu quadro. O Curso de Direito do CEAP
é o único do Amapá pontuado com nota 04 (quatro) pelo MEC, e com 03 (três)
estrelas no Guia do Estudante da Editora Abril. Nossa nota no ENADE é 03
(três), reconhecimentos da qualidade implantada. A missão do curso é não
apenas formar profissionais, mas também seres humanos dignos e éticos no
exercer de suas profissões, além de aptos a adaptarem-se ao exigente
mercado atual. Durante a graduação, o aluno tem acesso ao Núcleo de Prática
Jurídica, no qual, participará de audiências simuladas e Júris Reais, bem como,
audiências da Câmara Recursal dos Juizados Especiais, além de acompanhar
e peticionar nos fóruns do Amapá. Assim, o curso de Direito do CEAP, não visa
apenas formar o tecnólogo que vai atuar no mercado, mas um Bacharel com
conhecimento crítico do conteúdo do Direito e pronto a contribuir com a
formação de uma Amazônia e um mundo mais solidário. Em outras palavras:
um CIDADÃO!

OBJETIVOS
O objetivo do Curso de Direito do CEAP é formar profissionais e cidadãos com
reflexão crítica, criativos, solidários e éticos, capazes de atuar com
competência e eficiência no setor público e no setor privado, receptivos ao
contínuo aprimoramento profissional, relacionando teoria e prática,
considerando o panorama amapaense, amazônico, nacional e global no qual
estão inseridos, sendo marcado por demandas e litígios peculiares, onde a
vertente socioambiental é determinante e no qual o Estado exerce sua
magnitude na socioeconomia.

COORDENAÇÃO DE CURSO
A Coordenação do Curso é o órgão executivo ao qual compete a
gerência e a coordenação de todas as atividades.
A Coordenação do Curso de Direito do CEAP é exercida pelo
professor Msc Helder José Freitas de Lima Ferreira, Bacharel em Direito pelo
Centro de Ensino Superior do Estado do Pará – CESEP, Licenciado em
História pela Universidade Federal do Pará – UFPA, Especialista em
Metodologia do Ensino Superior e Mestre em Planejamento e Políticas

__________________________________________________ 4
Públicas pela Universidade Estadual do Ceará – UECE; e pela Professora
Msc Camila Rodrigues Ilário, Bacharel em Direito pelo Centro de Ensino
Superior do Amapá – CEAP, Bacharel e Licenciada em Ciências Sociais pela
Universidade Federal do Amapá – UNIFAP, Especialista em Metodologia do
Ensino de Sociologia e Filosofia pelo Instituto Brasileiro de Pós-Graduação e
Extensão – IBPEX e Mestre em Direito Ambiental e Políticas Públicas pela
Universidade Federal do Amapá – UNIFAP.

NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE


O curso de Direito do CEAP implantou em agosto de 2009 o seu
Núcleo Docente Estruturante, que é composto pelos professores responsáveis
pela formulação e revisão da proposta pedagógica, do Curso, assim como
pela sua implementação e desenvolvimento, estando vinculados às atividades
essenciais do curso, entre elas: docência, orientação de estágio, orientação
de pesquisa, atualização do próprio Projeto Pedagógico entre outros.
É integrado pelos Coordenadores e por docentes do curso.

RECONHECIMENTO

Ato de Duração do
Curso Ato de autorização Turnos
reconhecimento Curso
-Portaria nº 2.670 de
07 de dezembro de
2001.
-Último Ato de
Decreto Federal S/N Vespertino 10
Direito Renovação de
03 de janeiro de 1992. Noturno semestres
Reconhecimento –
Portaria nº 150 de 17
de agosto de 2012

MATRIZ CURRICULAR
O Curso de Direito do CEAP procurou elaborar uma Matriz Curricular
em que o acadêmico desenvolva as competências, habilidades e atitudes
previstas no perfil do egresso, dentro de uma perspectiva interdisciplinar,
possibilitando-lhe lidar com as questões jurídicas de forma mais abrangente,
com a incorporação de conhecimentos de outros campos do saber
correlacionados ao Direito, e a adquirir uma visão crítica das instituições
jurídicas e de suas relações com a sociedade, capacitando-o a realizar um
trabalho competente, fundamentado em princípios éticos, voltado para o
desenvolvimento da cidadania e do desenvolvimento sustentável.

__________________________________________________ 5
Os conteúdos curriculares deverão ser desenvolvidos em 10 semestres
letivos, com uma carga horária de 3.700 horas, incluídas 340 horas reservadas
para as Atividades Complementares e 360 horas de Estágio de Prática
Jurídica, supervisionado pela instituição, a serem desenvolvidas com atividades
de prática simulada e real, no Núcleo de Prática Jurídica, e em entidades
conveniadas com o CEAP.
A orientação monográfica deverá ser desenvolvida em 02 (duas)
etapas, a partir do 8º semestre, com carga horária total de 150 horas, por meio
de 03 (três) disciplinas: Metodologia do Trabalho Acadêmico com Iniciação
Científica, no 2º semestre; Metodologia da Pesquisa em Direito, no 8º
semestre, oportunidade em que se elabora o projeto de pesquisa do Trabalho
de Curso e Trabalho de Curso, no 9º semestre, onde se executa o projeto de
pesquisa.
O 10º semestre fica reservado para a defesa da Monografia, que
servirá para orientar a produção científica do discente.
Para garantir maior diversidade e flexibilidade ao currículo, no 9º e no
10º semestre, os alunos deverão cursar obrigatoriamente uma disciplina eletiva
de 30 horas, por semestre, no total de 60 horas.
A Matriz estrutura-se sobre um conjunto tridimensional integrado por
eixos de formação fundamental, profissional e prática.
Na elaboração da Matriz Curricular, procurou-se considerar as
afinidades entre as disciplinas ofertadas a cada semestre, de forma que a
formação do acadêmico pudesse ser realizada de maneira gradual e integrada,
sem uma ruptura entre os eixos de formação.
Preocupamo-nos, também, com o equilíbrio e a integração entre as
várias disciplinas, evitando a sobreposição de conteúdos, buscando harmonizar
o teor das disciplinas teóricas de formação, que desenvolvem o senso crítico
dos alunos, propiciando-lhes um ensino interdisciplinar voltado à realidade
social, vinculando a prática à teoria, com diferentes possibilidades de
aprofundamento temático.
As disciplinas eleitas para figurarem na Matriz refletem em sua
identificação o conteúdo a ser trabalhado no semestre letivo. Abaixo, segue a
nova Matriz do Curso de Direito do CEAP que começou a ser implantada a
partir do primeiro semestre de 2010:

1º semestre 2º semestre
Disciplina CH Disciplina CH
Introdução ao Estudo do Direito 60 Direito Ambiental 60
Sociologia Geral e Jurídica 60 Teoria da Constituição 60
Metodologia do Trabalho
Ciência Política e Teoria do
60 Acadêmico com Iniciação 60
Estado
Científica

__________________________________________________ 6
Psicologia Geral e Jurídica 30 Teoria Geral do Direito Civil 60
Português e Argumentação
60 Teoria Geral do Processo 60
Jurídica
Direitos Humanos e Cidadania 30
CH – Semestral 300 CH – Semestral 300

3º semestre 4º semestre
Disciplina CH Disciplina CH
Direito Civil – Obrigações 60 Direito Civil – Contratos 60
Direito Penal – Da Ação Penal à
Teoria Geral do Direito Penal 60 60
Extinção da Punibilidade
Direito Processual Civil – Direito da Criança e do
60 30
Processo de Conhecimento Adolescente
Direito Processual Civil – da
Direito Constitucional 60 suspensão e da extinção do 60
processo
Economia Regional, Meio
30 Direito Administrativo 60
Ambiente e Políticas Públicas
Filosofia Geral e Jurídica 30 Direito Processual Constitucional 30
CH – Semestral 300 CH – Semestral 300

5º semestre 6º semestre
Disciplina CH Disciplina CH
Direito Civil – Direitos Reais 60 Direito Civil – Família 60
Direito Penal - Dos Crimes Direito Processual Civil –
contra a pessoa aos Crimes 60 Recursos e processo de 60
contra a dignidade sexual execução
Direito Processual Civil -
Processo Cautelar e 60 Direito Processual do Trabalho 60
Procedimentos Especiais
Direito Individual e Coletivo do Direito Penal - Dos Crimes contra
Trabalho 60 a família aos Crimes contra a 60
Administração Pública
Licitações e Contratos
30 Direito das Minorias 30
Prática Jurídica Constitucional e
Antropologia Geral e Jurídica 30 30
Administrativa
CH – Semestral 300 CH – Semestral 300
Estágio Curricular Supervisionado 72

7º semestre 8º semestre
Disciplina CH Disciplina CH
Direito Civil – Sucessões 60 Direito Empresarial - Títulos de 60
Crédito e Falência
Legislação Penal Especial 60 Direito Processual Penal – 60
Parte Geral
__________________________________________________ 7
Direito Financeiro 60 Sistema Constitucional 60
Tributário
Direito Empresarial – Parte 60 Direito Ambiental Urbano 30
Geral e Sociedades
Métodos Alternativos para a 30 Metodologia da Pesquisa em 60
solução de conflitos Direito
Prática Jurídica Trabalhista 30 Prática Jurídica Cível e 30
Empresarial
CH – Semestral 300 CH – Semestral 300
Estágio Curricular 72 Estágio Curricular 72
Supervisionado Supervisionado

9º semestre 10º semestre


Disciplina CH Disciplina CH
Direito Processual Penal – 60 Ética Geral e Profissional 60
Processos e Procedimentos
Direito Internacional 60 Direito da Seguridade Social 60
Direito Tributário 60 Tutela Judicial do Meio Ambiente 60
Disciplina Optativa 30 Disciplina Optativa 30
Trabalho de Curso 30 Direito do Consumidor 30
Prática Jurídica Tributária 30 Prática Jurídica Criminal 60
História do Direito 30 - -
CH – Semestral 300 CH – Semestral 300
Estágio Curricular 72 Estágio Curricular Supervisionado 72
Supervisionado

Carga
DISCIPLINAS ELETIVAS (no 9º e 10º semestre) Horária
Direito Agrário 30
Direito Eleitoral 30
Medicina Legal 30
Legislação Aplicada às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte 30
Linguagem Brasileira de Sinais – LIBRAS 30
ATIVIDADES COMPLEMENTARES
Realizadas durante os 10 semestres do Curso 340

HORÁRIO DAS AULAS


TURNO – TARDE INÍCIO TÉRMINO
1ª e 2ª AULA 14 horas 15h 40 min
INTERVALO – 10 MINUTOS
3ª e 4ª AULA 15h 50 min 17h 30 min

TURNO – NOITE INÍCIO TÉRMINO


1ª e 2ª AULA 19 horas 20h 40 min
INTERVALO – 10 MINUTOS
__________________________________________________ 8
3ª e 4ª AULA 20h 50 min 22h 30 min

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

O Curso de Direito do CEAP, com base nas Diretrizes Curriculares


Tradicionais (DCN), no Estatuto Profissional de Advocacia da Ordem dos
Advogados do Brasil – Lei nº 8.906/1994, na Lei Federal nº 11.788/2008 (nova
lei de estágio) e no PDI, entende o estágio como um “ato educativo escolar
supervisionado” vinculado ao Projeto Pedagógico. Com o Estágio pretendemos
oportunizar o aprendizado de competências, habilidades e atitudes próprias da
atividade profissional do operador do Direito com base no perfil do egresso e à
contextualização curricular, objetivando o desenvolvimento do acadêmico para
a vida cidadã e para o trabalho.
De natureza obrigatória, o Estágio é oferecido com 360 horas de
atividades teórico-práticas, simuladas e reais a partir do 6º semestre,
prolongando-se até o 10º, com previsão de 72 horas semestrais. O Curso de
Direito do CEAP prioriza a realização do Estágio interno.
Também a partir do 6º semestre, o aluno cursará as disciplinas de
Prática Jurídica em sala de aula, conduzidas com atividades reais e simuladas,
pretende-se consolidar a formação do aluno no eixo de formação profissional.
As atividades do Estágio Supervisionado serão exclusivamente práticas
e deverão incluir redação de peças processuais e profissionais, rotinas
processuais, assistência e atuação em audiências e sessões, visita a órgãos
judiciários, prestação de serviços jurídicos e técnicas de negociações coletivas,
arbitragens e conciliação, sob o controle, orientação e avaliação do Núcleo de
Prática Jurídica.
O Estágio Supervisionado será realizado no Núcleo de Prática Jurídica-
NPJ do Curso de Direito ou junto a pessoas jurídicas de Direito público ou
privado, devidamente conveniadas com o Centro de Ensino Superior do Amapá
– CEAP e que apresentem condições de proporcionar experiências na área de
formação profissional do aluno.

Os documentos presentes na formalização do estágio são: a) dados de


identificação do estagiário; b) atividades de estágio descritas no termo de
compromisso e formuladas através de um plano de estágio com datas e
assinaturas do representante legal da concedente, do estagiário e do
responsável no CEAP; c) plano de atividades de estágio elaborado pela
empresa concedente com a anuência do professor orientador.

A supervisão, acompanhamento e avaliação do Estágio são de


competência do Núcleo de Prática Jurídica-NPJ do Curso de Direito, por
intermédio dos Professores Supervisores que avaliam o desempenho dos
alunos atribuindo-lhes notas.

__________________________________________________ 9
Ao final de cada período de Estágio, o estagiário deve entregar um
relatório de todas as atividades, junto com um portfólio, de acordo com as
normas estabelecidas pelo Projeto Pedagógico.
A avaliação do desempenho do estagiário é feita pelo Professor
Orientador, de forma contínua e sistemática, por aluno, durante o
desenvolvimento do Estágio Supervisionado.
O Professor Orientador na avaliação do desempenho do estagiário
leva em consideração: coerência e aplicabilidade do Plano de Estágio;
pontualidade e assiduidade do aluno em seus compromissos, tanto com a
concedente, como com o Centro de Ensino Superior do Amapá – CEAP;
coerência e consistência dos relatórios parciais; avaliação da concedente,
através do relatório firmado pelo responsável; relatório final e portfólio,
apresentado conforme as normas do Guia de Apresentação de Trabalhos
Acadêmicos do CEAP e da ABNT.
É considerado aprovado o estagiário que tenha freqüência de 75% nas
atividades de Estágio Supervisionado e nota igual ou superior a 70,0 (setenta)
pontos na avaliação efetuada pelo Professor Orientador. No caso de
reprovação, por qualquer motivo, o aluno deve renovar sua matrícula na
atividade de Estágio Supervisionado para o período letivo seguinte.

ATIVIDADES COMPLEMENTARES
De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais e o PDI do CEAP,
as Atividades Complementares são componentes enriquecedores e
complementadores do perfil do formando, que possibilitam o reconhecimento,
por avaliação de habilidades, conhecimento e competência do aluno, inclusive
adquirida fora do ambiente acadêmico, incluindo a prática de estudos e
atividades independentes, transversais, opcionais, de interdisciplinaridade,
especialmente nas relações com o mercado do trabalho e com as ações de
Extensão junto à comunidade.
De acordo com o artigo 4º do Regulamento das Atividades
Complementares do CEAP, entende-se como Atividade Complementar toda e
qualquer atividade, não compreendida nas atividades previstas no
desenvolvimento regular dos componentes curriculares dos cursos de
graduação, desde que adequada à formação acadêmica e ao aprimoramento
pessoal e profissional do aluno. Deve-se levar em conta a conexão material
mínima da atividade com o Curso de Direito, em uma perspectiva
interdisciplinar, e analisar sua relevância para o processo de ensino-
aprendizagem.
Consideram-se Atividades Complementares aquelas promovidas pelo
Centro de Ensino Superior do Amapá – CEAP, ou por qualquer outra
instituição, classificadas nas seguintes modalidades: Grupo 1: Atividades
vinculadas ao Ensino; Grupo 2: Atividades vinculadas à Investigação Científica;
Grupo 3: Atividades vinculadas à Extensão. São consideradas atividades

__________________________________________________ 10
vinculadas ao ENSINO, no GRUPO 1, as atividades descritas no ANEXO 1 do
Regulamento das Atividades Complementares contido no Projeto Pedagógico
do Curso.
São consideradas atividade vinculada à INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA,
no GRUPO 2, o conjunto de ações sistematizadas e coordenadas por um
professor orientador, voltadas para a investigação de tema relevante para a
formação profissional, descritas no ANEXO 2 do Regulamento das Atividades
Complementares, contido no Projeto Pedagógico do Curso.
São consideradas atividades vinculadas à EXTENSÃO, no GRUPO 3,
as desenvolvidas em Cursos de Extensão, congressos, seminários, simpósios,
conferências, palestras, oficinas, semanas acadêmicas, gincanas culturais ou
outras similares conforme os ANEXOS 3 e 4 do Regulamento das Atividades
Complementares, contido no Projeto Pedagógico do Curso.
O acadêmico do Curso de Direito do CEAP deverá cumprir do 1° ao 10º
semestre carga horária de Atividades Complementares, no total de 340 horas.
As Atividades Complementares podem ser desenvolvidas no período de férias
escolares, dentro ou fora do turno regular das aulas, sem prejuízo, no entanto,
de qualquer das atividades de ensino do Curso, que são prioritárias.
Os alunos poderão desenvolver outras atividades de seu interesse e
que não estejam contempladas nos Anexos, desde que estas sejam
devidamente validadas e aprovadas pelo Coordenador do Curso, antes da sua
realização. Recomenda-se que, antes de realizar uma Atividade Complementar
não contemplada neste documento, o aluno solicite o parecer do Coordenador
do Curso sobre a relevância da atividade para a sua formação profissional
A validação das Atividades Complementares será requerida pelo aluno,
instruindo o pedido com a comprovação de freqüência, comparecimento ou
participação nos eventos extracurriculares. Serão consideradas válidas,
independente de justificação do aluno ou de exame de compatibilidade, as
Atividades Complementares oferecidas pelo Centro de Ensino Superior do
Amapá – CEAP, ou por ela referendadas. O processo de requerimento,
comprovação e validação das Atividades Complementares ficará registrado na
Coordenação do Curso de Direito.

TRABALHO DE CURSO

O Trabalho de Curso-TC contribui para a formação científica do


acadêmico no Curso de Direito, pois permite que se pesquisem temas e
práticas jurídicas de seu interesse e tentem aplicar aquilo que aprenderam no
decorrer do Curso. O trabalho é elaborado pelos alunos com base em literatura,
em suas experiências pessoais e profissionais e nas linhas de pesquisa do
professor-orientador. O TRABALHO DE CURSO é feito através da elaboração
de um projeto, de uma Monografia e da respectiva apresentação oral.
__________________________________________________ 11
Para a consecução dos objetivos do TC, tem-se um cronograma de
atividades a serem desenvolvidas desde o 2º semestre, com a disciplina
Métodos e Técnicas de Pesquisa, culminando a partir do 8º semestre até o 10º
semestre, respectivamente, com a elaboração do Projeto de Pesquisa, da
Monografia, encerrando-se com a defesa do trabalho em cerimônia pública.
Assim está organizado o processo de produção do Trabalho de Curso, por
semestre:
Oitavo Semestre: etapa de escolha da temática a ser desenvolvida no
trabalho, bem como a articulação com os professores orientadores, buscando a
adequação aos interesses da pesquisa. Elaboração do Projeto;
Nono Semestre: etapa de produção da Monografia em que é feito o
acompanhamento pelo professor orientador da pesquisa, escolhido no
semestre anterior, dos aspectos doutrinários, de sustentação legal, dos
argumentos do trabalho e da correção ortográfica e textual no que tange à
coerência e adequado encadeamento das idéias;
Décimo Semestre: fase destinada à defesa dos trabalhos em que se
propõem oficinas de técnica de apresentação, reforçando a necessidade da
correta oratória, bem como de técnicas de apresentação em público.

DIREITOS E DEVERES DO ACADÊMICO


(extraído do Regimento Interno do CEAP)
I - Freqüentar as aulas e demais atividades curriculares, aplicando a máxima
diligência no aproveitamento do processo ensino-aprendizagem;
II - Utilizar-se, de acordo com as normas próprias, dos serviços técnicos e
administrativos, bem como os decorrentes dos órgãos suplementares da
Instituição;
III - Participar dos órgãos normativos e deliberativos da Instituição, através de
seus representantes, na forma do Regimento e por indicação do órgão máximo
de representação estudantil;
IV - Recorrer, nos prazos previstos, das decisões dos órgãos normativos e
deliberativos e dos órgãos executivos da Instituição, na forma do Regimento;
V - Observar o regime escolar e disciplinar, comportando-se, dentro e fora da
Instituição de acordo com os princípios éticos e morais condizentes com a
dignidade humana e, bem assim, com os princípios e objetivos da instituição,
fixados no Regimento;
VI - Zelar pelo patrimônio utilizado pela Instituição, posto a disposição da
mesma pela Associação Amapaense de Ensino e Cultura -AAEC ou por
terceiros;
VII - Candidatar-se ao exercício da monitoria, de acordo com as normas
próprias emanadas do Conselho Superior;
VIII - Efetuar, com pontualidade, os pagamentos devidos a AAEC (Associação
Amapaense de Ensino e Cultura), Entidade Mantenedora do CEAP, na forma

__________________________________________________ 12
estabelecida em consonância com a legislação vigente sobre a matéria e
constante do Contrato de Prestação de Serviços Educacionais;
IX - Representar sua turma, na qualidade de representante ou vice-
representante, quando desta responsabilidade for investido pelos demais
componentes da classe;
X - Sugerir medidas que visem à melhoria da qualidade do ensino ministrado
pela Instituição;
XI - Cumprir as obrigações por si assumidas perante a Biblioteca da instituição;
XII - Exercer as demais atividades escolares que lhe sejam cometidas pelos
professores e dirigentes educacionais.

Observação: Na primeira semana de aula o professor deverá apresentar para


o aluno o Plano de Ensino contendo os conteúdos a serem desenvolvidos
durante o semestre, as estratégias de ensino e a sistemática de avaliação que
será utilizada na disciplina.

SISTEMA DE AVALIAÇÃO

É feito por disciplina e incide sobre:


Freqüência: será considerado aprovado na disciplina o aluno que tenha
alcançado o quociente mínimo de 75% de freqüência escolar (Lei 9394/96).

Aproveitamento escolar: serão distribuídos 100 pontos.


Avaliação continuada: 70 pontos, que deverão ser obrigatoriamente
distribuídos pelo professor, por no mínimo quatro (4) procedimentos
avaliatórios.
Avaliação final: 30 pontos (Prova escrita, individual. Só terá acesso à
avaliação final o aluno que obtiver, durante a avaliação continuada, o mínimo
de 40 pontos, além da freqüência escolar de 75%).
Critérios para aprovação: será aprovado o aluno que tenha obtido a nota final
o total de 60 pontos e alcançado a freqüência mínima escolar de 75%.
Prova de 2ª chamada: (Somente para a avaliação final): O acadêmico
deverá fazer a solicitação no protocolo, via requerimento com a documentação
em anexo (atestado médico, declaração, ou outro). O prazo para a solicitação é
de 3 (três) dias úteis, contados da data da realização da avaliação.
FALTAS
De acordo com o Regimento do CEAP é vedado o abono de faltas.
Ressalvas legais (através de atividades compensatórias):

__________________________________________________ 13
Somente terá acesso ao atendimento especial o acadêmico amparado pela
legislação.
Os alunos que forem convocados para integrar Conselho de Sentença em
Tribunal do Júri;
Serviço Militar obrigatório (LEI 4.375, DE 17 DE AGOSTO DE 1964) ou Serviço
Eleitoral, bem como aqueles que participarem de conclaves oficiais;
As gestantes (LEI Nº 6.202, DE 17 DE ABRIL DE 1975);
Portadores de doenças infecto-contagiosas, devidamente comprovadas
(DECRETO-LEI Nº 1.044, DE 21 DE OUTUBRO DE 1969).
OBS: Os prazos para pedidos formulados com base no regimento são de 03
(três) dias úteis, contados da data de início do evento.

PROCEDIMENTOS ACADÊMICOS
O aluno poderá solicitar, via Requerimento no Protocolo da Instituição,
qualquer informação sobre sua vida acadêmica e/ou informações acadêmicas
em geral, mediante o pagamento de taxa específica.
Cancelamento de matrícula: em qualquer época e mediante requerimento
expresso, será concedido o cancelamento de matrícula de aluno regularmente
matriculado, gerando este ato o rompimento definitivo do vínculo acadêmico do
discente com a Instituição e com o curso onde estiver matriculado,
condicionado o deferimento do pedido à comprovação, pelo aluno, de quitação
com todas as obrigações financeiras assumidas para com a Entidade
Mantenedora, até e inclusive o mês do pedido.
Trancamento de matrícula: poderá ser solicitado a qualquer tempo durante o
período letivo e mediante requerimento expresso à secretaria de assuntos
acadêmicos. No requerimento de trancamento deverá constar, expressamente,
o período de tempo de trancamento, o qual não poderá ultrapassar 01 (um)
período letivo.
Mudança de turma: a mudança de turma e turno só será permitida se houver
vaga disponível na referida turma e mediante justificativa plausível para tal. O
mesmo deverá ser solicitado através de requerimento próprio no protocolo.
Revisão de provas e notas: é assegurado ao aluno o Direito à revisão de
provas escritas. O professor efetuará revisão automática dos procedimentos
avaliatórios desta espécie, na forma estabelecida em regulamentação
aprovada pelo Conselho Superior. O prazo para solicitação deste recurso é de
três dias após a publicação da nota.

Registro de diploma: ao concluir o Curso o aluno deverá solicitar o seu


diploma através de requerimento.

__________________________________________________ 14
Aproveitamento de estudos: os pedidos de aproveitamento de estudos e
concessão de créditos deverão ser apresentados via Requerimento. perante a
Secretaria de Assuntos Acadêmicos. por ocasião da matrícula, os mesmos
deverão anexar à solicitação o histórico escolar e os conteúdos da disciplina.
Para graduados ou transferidos de outras instituições congêneres deverão ser
feitos até vinte (20) dias do início de cada semestre letivo.
Dependência: É admitida a re-matrícula no período letivo e no semestre
subseqüente ao aluno que tenha sido reprovado em até 2 (duas) disciplinas do
semestre imediatamente anterior àquele para a qual houver sido promovido.
O aluno deverá realizar sua re-matrícula, preferencialmente nas disciplinas de
que depende e, respeitada a compatibilidade de horários e o limite de vagas
por turma, poderá fazer re-matricula nas demais disciplinas da série para a qual
foi promovido.
OBS: O Aluno reprovado em mais de duas (2) disciplinas cursadas no semestre
imediatamente anterior, deverá fazer re-matricula exclusivamente nas
disciplinas em que ficou reprovado, em caráter de repetência, não sendo
promovido à série seguinte.

ABANDONO DE CURSO

A não renovação de matrícula ou a não confirmação de continuidade de


estudos representa abandono de curso, interrompendo-se o vínculo acadêmico
do aluno com o CEAP, independentemente da cobrança daquilo que for devido
pelo aluno abandonante.

SECRETARIA
É o órgão responsável pelo registro e controle de toda a vida acadêmica da
Instituição (discentes e docentes). O horário de funcionamento da Secretaria
Acadêmica é de 2ª a 6ª feira, das 08h às 12h e 16h às 21h. Responsável:
Rosilane Amanajás. Ramal (201). E-mail: secretaria@ceap.br .

BIBLIOTECA
A biblioteca possui um sistema informatizado dispondo de um acervo
para todos os cursos, para pesquisas, trabalhos e empréstimos, estando
disponível a toda comunidade acadêmica com a apresentação da identidade
estudantil. Esta identidade deve ser solicitada junto à Biblioteca, que irá emitir
guia para pagamento da taxa, sendo o mesmo efetuado na Tesouraria. Após a
solicitação, o acadêmico deverá retornar à Biblioteca e apresentar o
comprovante de pagamento e uma foto 3x4.

__________________________________________________ 15
A Biblioteca funciona de segunda à sexta-feira, das 13h30 às 22h30 e
aos sábados das 14h às 18h. Consulte nossa Biblioteca virtual no site do CEAP
e confira o acervo disponível. E-mail: biblioteca@ceap.br.

SETOR PSICOPEDAGÓGICO
O serviço de apoio psicopedagógico é destinado ao corpo discente e
docente da Instituição e enfoca aspectos relacionados ao processo de ensino-
aprendizagem. O mesmo é realizado por meio de sessões de atendimento
individuais garantindo o sigilo absoluto aos discentes e docentes.
APOIO PSICOPEDAGÓGICO AO DISCENTE
O CEAP oferece ao corpo discente apoio psicopedagógico para atender,
mediar e solucionar situações que possam surgir no decorrer da vida
acadêmica do corpo discente.
A psicopedagogia é um campo de atuação em saúde e educação que
lida com o processo de aprendizagem humana: seus padrões normais e
patológicos considerando a influência do meio – família, escola e sociedade no
seu desenvolvimento, utilizando procedimentos próprios da psicopedagogia. No
campo institucional, o psicopedagogo contribui com as relações, ou seja, com a
melhoria da qualidade das relações inter e intrapessoais das pessoas que
trabalham na instituição.
As atividades de apoio são executadas pela psicopedagoga Emily
Christmann.
Os alunos poderão ser encaminhados por professores, coordenadores,
responsáveis por setores ou poderão diretamente procurar a psicopedagoga.
Os alunos podem encaminhar colegas, amigos, funcionários e professores.
Caso o aluno não consiga solucionar as suas dificuldades desta maneira, a
mesma o encaminhará para um atendimento psicológico. A psicopedagoga terá
autonomia para solicitar reuniões com professores, coordenadores e ou
setores, a fim de encaminhar as situações. Sempre que necessário a
psicopedagoga solicitará dados referentes aos alunos a secretaria, setor
financeiro e/ou coordenação de assuntos acadêmicos.
Os atendimentos são realizados de segunda a sexta-feira das 16h às
21h. Os atendimentos podem ser marcados no próprio Setor.
O serviço oferecido pelo CEAP é de atendimento psicopedagógico e não
psicológico, entretanto sempre que necessário for à mesma encaminhará o
acadêmico a uma avaliação psicológica e possível acompanhamento.

__________________________________________________ 16
ATRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA
A Coordenação Pedagógica é o órgão responsável pelo planejamento e
acompanhamento pedagógico dos docentes. É o elemento chave na orientação e
gerenciamento das ações no que se refere às questões didático-pedagógicas, tendo
suas atividades voltadas para a melhoria do fazer pedagógico, não apenas na sala de
aula, mas em toda a IES. A Professora Elizabeth Nunes Magno é a Coordenadora
Pedagógica do CEAP.

As principais atividades desenvolvidas por esta coordenação são: acompanhar


os docentes na elaboração dos planos de ensino, orientar os procedimentos de
avaliação definidos pelo regimento Institucional, assessorar, teórica e tecnicamente, os
professores de modo que haja articulação didática entre todos, incentivando-os para o
desenvolvimento de um trabalho em equipe.

DICAS DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA


Orientamos aos acadêmicos a respeitarem a hierarquia da Instituição,
sempre que ocorrer alguma dificuldade ou dúvidas em relação a professores
e/ou disciplina.
Os acadêmicos deverão primeiro conversar com os professores. Caso as
dificuldades persistam, o Coordenador do Curso deverá ser informado. O
mesmo entrará em contato com a Coordenação Pedagógica que dará o melhor
encaminhamento para a situação.
Os acadêmicos que apresentarem dificuldades de aprendizagem poderão
procurar a psicopedagoga para receberem orientações adequadas.

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA


A CPA do CEAP iniciou seus trabalhos em janeiro de 2004, com
o Seminário Institucional, realizado para os membros da Comissão.
Nele foram apresentados e discutidos os procedimentos do processo da
Avaliação Institucional, objeto da Lei 10.861/04 e as dimensões que
seriam posteriormente avaliadas pela CPA, com vistas à elaboração do
Relatório de Autoavaliação.
Desde então, a CPA tem mantido reuniões regulares, conforme
atas lavradas nas respectivas ocasiões e cujas diretivas foram no
sentido a envolver toda a Instituição (corpo técnico-administrativo, corpo
discente e docente), com vistas à coleta de informações, sistematizadas
em relatórios de cada departamento da IES, do corpo docente e do
corpo discente.
Em março de 2008, foi realizado um encontro no qual foram
apresentadas, aos respectivos responsáveis dos vários departamentos

__________________________________________________ 17
do CEAP, as dimensões da Autoavaliação e a vinculação das atividades
desempenhadas pelos respectivos departamentos a cada dimensão.
Em todos os anos, foram aplicados também questionários de
avaliação ao corpo técnico-administrativo, corpo docente e corpo
discente, os quais têm sido importantes insumos para a adoção de
medidas de melhoria na IES.
Em 04 de maio de 2012, tomou posse a nova Comissão,
constituída para o biênio 2012/2013. São membros da CPA/CEAP:

COMPOSIÇÃO DA CPA
Ailton Azevedo Marques da
Corpo Docente – Titular
Nóbrega
Tizza Tamiozo Quintas
Corpo Docente – Titular
Colares*
Maria Ângela Paes Leme Corpo Técnico Administrativo –
Nogueira Presidente
Elizabeth Nunes Magno Corpo Técnico Administrativo –Titular
Alex Pinto de Carvalho Corpo Discente – Titular
José Harlan Fernandes
Corpo Discente – Titular
Aguiar
Paulo Fernando Batista
Representante da Comunidade
Guerra
Kátia Paulino dos Santos Corpo Docente – Suplente
Maria do Socorro Freitas
Corpo Discente – Suplente
Camelo
Edson Eugênio Ferreira dps
Corpo Discente – Suplente
Santoa
Corpo Técnico Administrativo –
Magda Ripke Donin
Suplente - Secretária
Ellen Kariny Rodrigues Corpo Técnico Administrativo –
Rodrigues Suplente

*Em agosto de 2012, a Professora Tizza Tamiozo Quintas Colares,


como primeira suplente do Corpo Docente, assumiu a vaga de Titular
deixada pelo Professor Charles Chelala que afastou-se da IES.

__________________________________________________ 18
ATENDIMENTO EXTRACLASSE
ATENDIMENTO EXTRACLASSE
O atendimento extraclasse aos alunos é realizado pelo Coordenador de
Curso, pelos professores em regime de trabalho de tempo integral e tempo
parcial, com jornada semanal específica para atendimento ao aluno, membros
do NDE, assim como pela psicopedagoga. Esse atendimento é feito
personalizado e individualmente, mediante a prática de “portas abertas” onde
cada aluno pode, sem prévia marcação, apresentar suas dúvidas,
questionamentos e problemas.

SALA DE QUALIDADE DE VIDA


Qualidade de vida é entendida como um produto e processo de viver,
pela participação do ser humano numa teia de relações sociais em interação
com a natureza. Na teia dessas relações sociais se dão os movimentos de
ensinar e aprender, construindo o processo de viver saudável.
Dessa maneira, o CEAP, pensando na Qualidade de vida de seus
alunos e funcionários, criou um setor (sala) com o intuito de fornecer momentos
de leitura, música, filmes e relaxamento, em um ambiente agradável, focando a
saúde física e mental dos membros do CEAP.
Sala 214, Ramal: 222 – e-mail: sevq@ceap.br

QUEM É QUEM NO CEAP

Setores Responsável Ramal E-mail


específicos
Diretor Geral Leonil de Aquino 200 diretor@ceap.br
Pena Amanajás
Vice-Diretor José Claudio da 270 vice@ceap.br
Silva
Diretor Acadêmico Paulo José dos 220 paulojosemorais_edf@hotmail.com
Santos de Morais
Diretor José Cláudio da 270 vice@ceap.br
Administrativo Silva
Gabinete da Lucijane Amanajás 200 gab@ceap.br
Direção
Ouvidoria ouvidoria@ceap.br

Assessoria Maria Angela Paes 210 angela19@ceap.br


Especial Leme Nogueira
Assessoria Jurídica Gilvan Ferreira Dias 216 assejur@ceap.br
__________________________________________________ 19
Secretaria Rosilane de 201 secretaria@ceap.br
Acadêmica Magalhães
Amanajás
Coorsenação do Hélder Ferreira 209 direito@ceap.br
Curso de Direito
Núcleo de Práticas Profº Elias Salviano 219 npj@ceap.br
Jurídicas Farias
Coordenadora da Magda Ripke Donin 213 copepe@ceap.br
COPEPE
Coordenadora Elizabeth Nunes 212 profelizabethmagno@gmail.com
Pedagógica Magno
Comissão Própria Maria Angela Paes 210 cpa@ceap.br
de Avaliação - CPA Leme Nogueira
Biblioteca Ellen Kariny 204 biblioteca@ceap.br
Rodrigues Rodrigues
Setor de Qualidade Ana Delsa Pereira 222 seqv@ceap.br
de Vida Amanajás
Setor de 206 negociação@ceap.br
Negociação
Setor de Severino Ferreira da 214 dif@ceap.br
informática Silva

EMENTÁRIO
1º SEMESTRE

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO


Ementa: Direito: objetivo, subjetivo, natural, positivo, definição, fundamentos e
fins. O Direito como objeto do conhecimento. O Direito e as demais ordens
normativas. Teoria da norma. Estrutura lógica das normas jurídicas. A relação
jurídica. A técnica do Direito. Fontes do Direito: materiais e formais. Lei:
sentidos, vigência, revogação, classificação, importância. Interpretação,
aplicação e integração do Direito. Direito intertemporal. A falsa dicotomia entre
o Direito Público e o Direito Privado. O ordenamento jurídico enquanto sistema.

Bibliografia Básica
DINIZ, Maria Helena. Compêndio de Introdução à ciência do direito. São Paulo:
Saraiva, 2006.
__________________________________________________ 20
NADER, Paulo. Introdução à ciência do direito. São Paulo: Saraiva, 2008.
REALE, Miguel. Lições Preliminares do Direito. 23ª ed. São Paulo: Saraiva,
2006.

Bibliografia Complementar
BOBBIO, Norberto. O Positivismo Jurídico: Lições de Filosofia de Direito. São
Paulo: Ícone, 1995.
DINIZ, Maria Helena. A Ciência Jurídica. 4ª ed. São Paulo: Saraiva, 2003.
______. Conflito de Normas. 2ª ed. São Paulo: Saraiva, 2007.
FERRAZ JR., Tércio Sampaio. Ciência do Direito. 2ª ed. São Paulo: Atlas,
1991.
________. Introdução ao Estudo do Direito. Técnica, Decisão, Dominação. São
Paulo: Atlas, 1988.
LYRA FILHO, Roberto. O que é Direito. Coleções Primeiros Passos. Brasília:
Editora Brasiliense, 2004.
LIMA, Hermes. Introdução à Ciência do Direito. Rio de Janeiro: Freitas Bastos,
2002.
MACHADO NETO, A .L. Compêndio de Introdução à Ciência do Direito. São
Paulo: Saraiva, 1998.
MAXIMILIANO, Carlos. Hermenêutica e Aplicação do Direito. Rio de Janeiro:
Forense, 2005.
A CONFISSÃO. Filme. Com Ben Kysley e Audrin Bauduicri.
O MERCADOR DE VENEZA. Filme De William Shekespeare.

SOCIOLOGIA GERAL E JURÍDICA


Ementa: A Sociologia como ciência. Conceitos fundamentais dos princípios
teóricos clássicos. Organização Social. O Direito como sistema social e cultural.
Controle social e ordenamento jurídico. Direito e regulação social: a norma
jurídica como instrumento de controle social. Direito e mudança social: funções
educativa, conservadora e transformadora. Pluralismo jurídico. Ordem e

__________________________________________________ 21
desordem. O normal e o patológico; crise social e anomia jurídica. Função
social do jurista e processo sócio-político.
Bibliografia Básica
CAVALIERI FILHO, Sergio. Programa de Sociologia Jurídica: Você
ª
Conhece?.10 ed. São Paulo: Atlas. 2001.
MACHADO NETO, Antonio Luiz. Sociologia Jurídica. 6ª Ed. Saraiva. São
Paulo,2007.
CASTRO, Celso Antonio Pinheiro de. Sociologia do Direito. Atlas. São Paulo,
1999.
Bibliografia Complementar
CLASTRES, Pierre. A Sociedade contra o Estado. Rio de Janeiro: Francisco
Alves, 2003.
CASTRO, Celso. A. Pinheiro. Sociologia do Direito: fundamentos para uma
sociologia geral e sociologia aplicada ao direito. São Paulo: Atlas, 1997.
ª
FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: Nascimento da Prisão. 2 ed. Petrópolis:
Vozes, 1993.
SOUTO, Cláudio e FALCÃO, Joaquim. Sociologia do Direito: leituras básicas
de sociologia jurídica. São Paulo: Editora Pioneira, 2002.

PSICOLOGIA GERAL E JURÍDICA


Ementa: Introdução a Psicologia e história da Psicologia Jurídica. Inter-
relações entre Psicologia e Direito. Fundamentos. Fontes e Métodos da
Psicologia Jurídica. O trabalho do psicólogo no Direito: penal, civil, direito da
infância e da juventude, direito de família.
Bibliografia Básica
BARROS, Daniel Martins de, et al. Temas em psiquiatria forense e
psicologia jurídica II. São Paulo. Vetor, 2006.
LOPEZ, Emilio Mira Y. Manual de Psicologia Jurídica. São Paulo: Impactus,
2007.
SOUZA, Moacyr Benedicto de. Mentira e simulação em psicologia judiciária
penal Revista dos Tribunais. São Paulo, 1998
Bibliografia Complementar

__________________________________________________ 22
SANTOS NETTO, A. B. Psicologia Criminal e Justiça. Selma. Rio de Janeiro,
1943.
FREINET, Celestin. Ensaio de Psicologia Sensivel I. Resenca. Lisboa, 1976

PORTUGUÊS E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA


EMENTA: O código lingüístico da língua portuguesa, aplicado ao contexto
jurídico. Signo verbal e não-verbal. A comunicação e a análise semântica,
incorporadas à redação jurídica. A redação: histórico, conceito, tipos e
qualidades. Estruturas redacionais, modos de desenvolver o raciocínio,
elaboração do texto. Redação jurídica: o estilo descritivo, o estilo narrativo.
Produção e compreensão de texto a partir das especificidades do curso
jurídico. Argumentação na prática discursiva jurídica.

Bibliografia Básica
DAMIÃO, Regina T. Curso de Português Jurídico. São Paulo: Atlas, 2004.
NASCIMENTO, Edmundo Dantes. Linguagem Forense: a Língua Portuguesa
aplicada à linguagem do foro. São Paulo: 1992.
XAVIER, Ronaldo Caldeira. Português no Direito. Rio de Janeiro: Forense,
1993.

Bibliografia Complementar
FERRAZ JR., Tércio Sampaio. Direito, Retórica e Comunicação. São Paulo:
Saraiva, 1997.
FAULSTICH, Enilde. Como Ler, Escrever e Redigir Um Texto. Petrópolis:
Vozes, 1991.
SILVA, Luciano Correia da. Manual de Linguagem Forense. Paraná: Edipro,
1991.
HENRIQUES, Antonio. Prática da Linguagem Jurídica. Atlas. São Paulo, 1998.
__________________________________________________ 23
DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA
EMENTA: Autonomia dos Direitos Humanos dentro da ciência do Direito.
Bases conceituais e históricas dos Direitos Humanos: reconstrução histórica do
processo de afirmação dos Direitos Fundamentais. Declaração Universal de
Direitos do Homem de 1948. O Direito Internacional dos Direitos Humanos:
formação e legislação. O Sistema Global de defesa dos Direitos Humanos:
ONU e sistemas regionais de proteção e promoção. O estudo e a análise crítica
da Teoria do Multiculturalismo e Direitos Humanos em face da Constituição
Federal de 1988. A advocacia dos Direitos Humanos no Brasil e no Amapá.
Direitos humanos e meio ambiente na Amazônia.

Bibliografia Básica
DALLARI, Dalmo de Abreu. Direitos Humanos e Cidadania. São Paulo:
Moderna, 2001.
DORNELLES, J. R.W. et alii. Direitos Humanos: um debate necessário. São
Paulo: Brasiliense, 1989.
PIOVESAN, Flávia. Direitos Humanos e o Direito Constitucional Internacional.
São Paulo, Max Limonad; 2003.

Bibliografia Complementar
COMPARATO, Fábio Konder. A Afirmação Histórica dos Direitos Humanos.
São Paulo: Saraiva, 2003.
LAFER, Flávia. Temas de direitos humanos. São Paulo: Cia das Letras. 2003
NOVAES, Carlos Eduardo; LOBO, César. Cidadania para principiantes: a
história dos direitos do homem. São Paulo: Ática, 2004.
BENTO, Maria Aparecida Silva. Cidadania em Preto e Branco: discutindo as
relações sociais. São Paulo: Ática, 2002.
CAÇADO TRINDADE, Antonio Augusto. Tratado Internacional dos Direitos
Humanos. Volumes I, II e III, São Paulo, Sérgio Antonio Fabris , 2004.

CARDIA, Nancy. Direitos humanos: ausência de cidadania e exclusão moral.


In: Princípios de Justiça e Paz. São Paulo: Comissão de Justiça e Paz, 1995.

__________________________________________________ 24
Direitos humanos e exclusão moral. In: Os direitos humanos no Brasil. São
Paulo: Núcleo de Estudos da Violência/Comissão Teotônio Vilela, 1995.

LOPES, José Reinaldo de Lima. DIREITOS HUMANOS, POBREZA E


GLOBALIZAÇÃO. Disponível em:
http://www.pge.sp.gov.br/centrodeestudos/revistaspge/revista2/artigo6.htm.
BRASIL. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos / Comitê Nacional
de Educação em Direitos Humanos. – Brasília: Secretaria Especial dos Direitos
Humanos, Ministério da Educação, Ministério da Justiça, UNESCO, 2007.
Sites com reflexões relacionadas:
www.acaodacidadania.infolink.com.br
www.onu-brasil.org.br/obrasilnaonu.php
www.presidencia.gov.br/estrutura_presidencia/sedh/
http://www.mj.gov.br/sedh/pndh3/index.html (Programa Nacional de Direitos
Humanos)

CIÊNCIA POLÍTICA E TEORIA DO ESTADO


EMENTA: Origem e evolução histórica do pensamento político. Estado e
Sociedade. A política e o poder. Teorias sobre o Estado. Formação histórica do
Estado moderno. Partidos políticos. Democracia. Estado e Direito:
Personalidade jurídica do Estado, Legalidade e legitimidade do poder estatal.
Estado e Governo: formas e regimes de governo. Tipologia do Estado. O
Estado Constitucional. A soberania: interna e externa. A cidadania. O Estado e
a nova ordem política mundial: as formas do poder global.
Bibliografia Básica:
BOBBIO, Norberto. Estado, Governo, Sociedade: para uma teoria geral da
política. 12. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

BONAVIDES, Paulo. Ciência Política. São Paulo: Malheiros, 1998.

DALLARI, Dalmo de Abreu. Elementos de Teoria Geral do Estado. 19. ed. São
Paulo: Saraiva, 2007.

Bibliografia complementar:
AZAMBUJA, Darcy. Teoria Geral do Estado. 4. ed. São Paulo: Globo, 2008.

BASTOS, Celso Ribeiro. Curso de Teoria do Estado e Ciência Política. São


Paulo: Saraiva, 1998.

BOBBIO, Norberto. O Futuro da Democracia. 11. ed. São Paulo: Paz e Terra,
2000.

__________________________________________________ 25
______. A Era dos Direitos. Rio de Janeiro: Campus, 1992.
BONAVIDES, Paulo. Teoria do Estado. 7. ed. São Paulo: Malheiros, 2008.

FERREIRA, Luiz Pinto. Teoria Geral do Estado. São Paulo: Saraiva, 1998.

GRAMSCI, Antonio. Maquiavel, a Política e o Estado Moderno. Trad. Luiz Mário


Gazzeneo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998.

GRUPPI, Luciano. Tudo começou com Maquiavel. Trad. Dário Canali. Porto
Alegre: LPR, 1986.

KELSEN, Hans. Teoria Geral do Direito e do Estado. São Paulo: Martins


Fontes,

LEBRUN, Gérard. O que é poder. São Paulo: Brasiliense, 2004.


MAAR, Wolfgang Leo. O que é política. São Paulo: Brasiliense, 2006.
REALE, Miguel. Teoria do Direito e do Estado. São Paulo: Saraiva, 1998.

WEFFORT, Francisco C. (org.) Os Clássicos da Política 1. 13. ed. São Paulo:


Ática, 2006.

______. Os Clássicos da Política 2. 10. ed. São Paulo: Ática, 2005.

2º SEMESTRE

MÉTODOLOGIA DO TRABALHO ACADÊMICO COM INICIAÇÃO


CIENTÍFICA
EMENTA: Visão geral do conhecimento científico e da metodologia com vistas
à elaboração de trabalhos científicos, desde os mais simples, como uma ficha
de leitura, até os mais complexos, como uma monografia. Elaboração de
trabalho de iniciação científica.

Bibliografia básica

OLIVEIRA, Ivan Carlo Andrade de. Introdução à metodologia científica. Pará de


Minas: Virtual Books, 2009.

__________________________________________________ 26
LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Metodologia do trabalho científico.
São Paulo: Atlas, 2000.

RUDIO, F.V. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis, Vozes,


2002.

Bibliografia complementar

CERVO, A. L. ; BERVIAN, P.A. Metodologia científica. São Paulo: Atlas, 2002.

DESCARTES, R. Discurso do método e regras para direção do espírito.


São Paulo: Martin Claret, 2002.
DIREITO CEAP. Disponível em: http://direitoceap.blogspot.com.
ECO, U. Como se faz uma tese. São Paulo: Perspectiva, 1998.

KÖCHE, José Carlos. Fundamentos de metodologia científica. Petrópolis:


Vozes, 2003.
MEZZAROBA, Orides; MONTEIRO, Cláudia Servilha. Manual
de metodologia da pesquisa no Direito. São Paulo: Saraiva, 2004.

DIREITO AMBIENTAL
Ementa: A Crise Ambiental. Desenvolvimento Sustentável. O Meio Ambiente
como um bem transnacional. Tratados, Documentos e Convenções. Princípios
do direito ambiental. Legislação Ambiental no Brasil. O meio ambiente na
Constituição brasileira. Direitos Fundamentais relacionados ao Meio Ambiente.
Políticas públicas de proteção do meio ambiente e de promoção do
desenvolvimento sustentável. Proteção dos recursos hídricos. Questão
fundiária. O papel do Ministério Público. A legislação ambiental no Amapá.

Bibliografia Básica
CANOTILHO, José Joaquim Gomes; LEITE, José Rubens Morato. Direito
Constitucional Ambiental Brasileiro. Ed. Saraiva, 2007.
MILARÉ, Édis. Direito do Ambiente. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.
SILVA, Jose Afonso da. Direito ambiental constitucional. São Paulo: Malheiros,
2007.

__________________________________________________ 27
Bibliografia Complementar
Diegues, Antônio Carlos (org.). Etnoconservação: Novos Rumos para a
Proteção da Natureza nos Trópicos. São Paulo: NUPAUB, Hucitec.
MACHADO, Paulo Affonso Leme. Direito Ambiental Brasileiro. São Paulo:
Malheiros, 2007.
SILVA, Jose Afonso da. Direito ambiental constitucional. São Paulo: Malheiros,
2007.
ALTAVILA, Jayme de. Origem dos Direitos dos Povos. São Paulo: Cone, 2007.
BOBBIO, Norberto. A Era dos Direitos. Rio de Janeiro: Ed. Campos, 2004.
MUKAI, Toshio. Direito Ambiental Sistematizado. Rio de Janeiro. Forense
Universitária. 2002
AGUIAR, Roberto Armando Ramos. Direito do meio ambiente e participação
popular. Brasília: Ministério do Meio Ambiente e da Amazônia Legal/ IBAMA,
1994.
ARAGÃO, Maria Alexandra de Sousa. O princípio do poluidor pagador: pedra
angular da política comunitária do ambiente. Coimbra: Coimbra Editora, 1997.
(Studia Ivridica, 23).
BORGES, Roxana Cardoso Brasileiro. Direito Ambiental e teoria Jurídica do
final do século XX. In: BORGES, Roxana Cardoso Brasileiro, VARELLA,
Marcelo Dias. O novo em Direito Ambiental. Belo Horizonte: Del Rey, 1998.
Leite, José Rubens Morato. Dano Ambiental: do individual ao coletivo
extrapatrimonial. São Paulo: RT,2000.
____________; AYALA, Patrick de Araújo. Direito Ambiental na Sociedade de
Risco. Forense Universitária, Rio de Janeiro, 2002, 316p.
____________. Instrumentos de proteção ambiental e o Mercosul. Revista de
Direito Administrativo Aplicado, Curitiba, vol. 2, n. 8, p. 121-130, 1996.
MARTINS JUNIOR, Wallace Paiva. Despoluição das Águas. In Revista dos
Tribunais, n.º 720, outubro-1995, São Paulo: Revista dos Tribunais, pp. 58-72.
TUCCI, Carlos E. M.; HESPANHOL, Ivanildo; CORDEIRO NETTO, Oscar de M.
CENÁRIOS DA GESTÃO DA ÁGUA NO BRASIL : uma contribuição para a
“Visão Mundial da Água”.
Disponível em: < http://www.profrios.kit.net/html/artigos/cenarios.html>.

TEORIA DA CONSTITUIÇÃO
EMENTA: Teoria da Constituição. Supremacia da Constituição. Panorama da
formação e evolução constitucional do Brasil. Princípios e normas
constitucionais: interpretação, aplicação e eficácia. Direitos e Garantias
__________________________________________________ 28
Fundamentais na Constituição Brasileira. O processo de constitucionalização
dos direitos civis individuais e coletivos.

Bibliografia Básica
BARROSO, Luís Roberto Temas de direito constitucional Rio de Janeiro.
Renovar, 2005
ª
BONAVIDES, Paulo. Curso de Direito Constitucional. 7 ed. São Paulo:
Malheiros, 2004.
MORAES, Alexandre. Direito Constitucional. São Paulo: Atlas, 2006.

Bibliografia Complementar
BARROSO, Luís Roberto. Interpretação e Aplicação da Constituição. São
Paulo: Saraiva, 2004.
BASTOS, Celso Ribeiro. Curso de Direito Constitucional. São Paulo: Saraiva,
1998.
COELHO, Inocência Mártiris. Interpretação Constitucional. Porto Alegre: Sergio
Antonio Fabris Editor, 2003.
FERREIRA FILHO, Manoel Gonçalves. Comentários à Constituição Brasileira
de 1988. São Paulo: Saraiva, 1999.
_______. Curso de Direito Constitucional. São Paulo: Saraiva, 1994.
FERREIRA, Pinto. Manual de Direito Constitucional. Rio de Janeiro: Forense,
1992.
HÄBERLE, Peter. Hermenêutica Constitucional – a sociedade aberta dos
intérpretes da constituição: contribuição para a interpretação pluralista e
procedimental da constituição. Porto Alegre: Safe, 2002.
SILVA, José Afonso da. Curso de Direito Constitucional Positivo. 13 ed. São
Paulo: Malheiros, 2004.
TEMER, Michel. Elementos de Direito Constitucional. São Paulo: Malheiros,
1995.

TEORIA GERAL DO PROCESSO


EMENTA: A Sociedade e Tutela Jurídica: noções gerais. A função pacificadora
do Estado. Acesso à justiça. Conceito de Processo. O Processo e o Direito

__________________________________________________ 29
Processual. Princípios Gerais do Direito Processual. Princípios e garantias
constitucionais do processo. A trilogia estrutural: jurisdição, ação e processo.
Jurisdição: Conceito, Finalidade, Classificação, Características, Limites,
Princípios. Jurisdição Contenciosa e Jurisdição Voluntária. Competência:
Aspectos Gerais, Divisão da competência, Competência Internacional,
Competência Interna. Critérios de fixação (valor da causa, natureza da causa,
em razão da pessoa, funcional, territorial ou de foro). Qualidade da
competência (absoluta e relativa). Modificação da competência: conexão,
continência, prevenção. Prorrogação da competência. Declaração de
incompetência absoluta. Conflito de competência: noções, espécies (positivo e
negativo), solução do conflito. Da ação: conceito, natureza jurídica, elementos
da ação (partes, pedido ou objeto, causa de pedir), condições da ação
(legitimidade (ordinária e extraordinária), interesse de agir e possibilidade
jurídica do pedido). Classificação das ações: quanto à natureza, quanto ao
direito do reclamado, quanto ao objeto, quanto ao fim. Concurso e cumulações
de ações. Das partes: conceito, capacidade de ser parte e capacidade
processual, substituição processual, substituição das partes ou sucessão
processual, capacidade postulatória. Do Ministério Público: noções, natureza
jurídica de sua atuação, princípios institucionais, formas de atuações do
Ministério Público. Do Juiz e os auxiliares da Justiça: poderes, deveres e
responsabilidade do Juiz, auxiliares da justiça. Dos atos processuais: conceito,
classificação, forma, atos processuais praticados por meio eletrônico,
linguagem, publicidade, o tempo e o lugar dos atos processuais, férias e
feriados forenses, prazos, preclusão, comunicação dos atos processuais,
nulidades.

Bibliografia básica
CINTRA, Antonio Carlos de Araújo et al. Teoria Geral do Processo. 23ª. ed. rev.
e atual. – São Paulo : Malheiros, 2007.
DONIZETTI, Elpídio. Curso Didático de Direito Processual Civil. 12ª. ed. rev.
ampl. e atual. – Rio de Janeiro : Editora Lumen Juris, 2009.
QUEIROZ, Ari Ferreira de. Direito Processual Civil. Teoria geral do processo,
processo de conhecimento, recurso. 9. ed. rev. ampl. e atual. – Goiânia : IPEC,
2008.

Bibliografia Complementar
BERMUDES, Sérgio. Direito Processual Civil. São Paulo: Saraiva, 1994.
COUTURE, Eduardo J. Interpretação das Leis Processuais. Rio de Janeiro:
Forense, 1993.
__________________________________________________ 30
FERREIRA, Luiz Pinto. Código de Processo Civil Comentado. São Paulo:
Saraiva, 1996.
MIRANDA, Francisco Cavalcanti Pontes de. Comentários ao Código de
Processo Civil. Rio de Janeiro: Forense, 2002.
MONTENEGRO, César. Dicionário de Prática Processual Civil. São Paulo:
Saraiva, 1996.
NEGRÃO, Theotonio. Código de Processo Civil e Legislação Processual em
Vigor. São Paulo: Saraiva, 2005.
NOGUEIRA, Paulo Lúcio. Curso Completo de Processo Civil. São Paulo:
Saraiva, 1995.
SANTOS, Ernane Fidélis dos. Manual de Direito Processual Civil. São Paulo:
Saraiva, 2003.

TEORIA GERAL DO DIREITO CIVIL


EMENTA: Lei de Introdução ao Código Civil. A codificação do Direito Civil – O
novo Código Civil Brasileiro. A "constitucionalização" do Direito Civil. Relação
jurídica. Pessoa física. Personalidade jurídica. Capacidade jurídica. Pessoa
jurídica. Associações, sociedades e fundações. Domicílio. Bens. Conceito.
Fatos jurídicos: conceito e classificação. Atos e negócios jurídicos: defeitos,
modalidades, forma, prova e ineficácia. Ato ilícito. Prescrição e decadência.

Bibliografia Básica
NADER, Paulo. Curso de direito civil: parte geral. 4 ed. Rio de Janeiro:
Forense, 2009. t. I.

PEREIRA, Caio Mário da Silva: Instituições de direito civil: parte geral. 4 ed. Rio
de
Janeiro: Forense, 2006. t.I.
VENOSA, Silvio de Salvo. Direito civil: parte geral. 9 ed. São Paulo: Atlas,
2009. v. 1.

Bibliografia Complementar
BRANCATO, Ricardo Teixeira. Instituições de Direito Público e de Direito
Privado. São Paulo: Saraiva, 1997.
__________________________________________________ 31
GOMES, Orlando. Introdução ao Direito Civil. Rio de Janeiro: Forense, 1999.
FACHIN, Luiz Edson. Teoria Crítica do Direito Civil. Rio de Janeiro: Renovar,
2000.
HIRONAKA, Giselda Maria Fernandes Novaes. Direito Civil - Estudos. Belo
Horizonte: Del Rey, 2000.
REALE, Miguel. Questões de Direito Privado. São Paulo: Saraiva, 1997
WALD, Arnold. Curso de Direito Civil Brasileiro. 8. ed. Rio de Janeiro: Revista
dos Tribunais, 1995. v. 1.

3º SEMESTRE

DIREITO CIVIL - OBRIGAÇÕES


EMENTA: A relação jurídica obrigacional. Conceito, elementos, fontes,
classificação/modalidades das Obrigações. Extinção das obrigações: com ou
sem pagamento. Enriquecimento indevido. Retardamento e inexecução das
obrigações. Transferência das obrigações.

Bibliografia Básica
DINIZ, Maria Helena. Curso de Direito Civil Brasileiro. São Paulo: Saraiva,
2000.
FIUZA, César. Direito Civil: Curso Completo. Belo Horizonte: Del Rey, 2007.
PEREIRA, Caio Mário da Silva. Instituições de Direito Civil. Rio de Janeiro:
Forense, 1999.
Bibliografia Complementar
BRANCATO, Ricardo Teixeira. Instituições de Direito Público e de Direito
Privado. São Paulo: Saraiva, 1997.

__________________________________________________ 32
GOMES, Orlando. Introdução ao Direito Civil. Rio de Janeiro: Forense, 1999.
FACHIN, Luiz Edson. Teoria Crítica do Direito Civil. Rio de Janeiro: Renovar,
2000.
HIRONAKA, Giselda Maria Fernandes Novaes. Direito Civil - Estudos. Belo
Horizonte: Del Rey, 2000.
REALE, Miguel. Questões de Direito Privado. São Paulo: Saraiva, 1997
WALD, Arnold. Curso de Direito Civil Brasileiro. 8. ed. Rio de Janeiro: Revista
dos Tribunais, 1995. v. 1.

TEORIA GERAL DO DIREITO PENAL


EMENTA: Conceito e Teoria do Direito Penal. História e evolução do Direito
Penal. Filosofia e Escolas Penais. Teoria da Lei Penal. Teoria do Ilícito Penal.
Crime. Conceito e elementos. Fato típico. Elementos. Exclusão da tipicidade.
Antijuridicidade. Causas de exclusão da antijuridicidade. Culpabilidade. Causas
de Exclusão da culpabilidade. Inter Criminis. Interpretação, aplicação,
integração.

Bibliografia Básica
BECCARIA, Cesare. Dos delitos e das penas. Editora Martins Fontes - 1996 -
139 pag.
CAPEZ, Fernando. Curso de Direito Penal. São Paulo: Saraiva, vol. 01, 2007.
JESUS, Damásio E. Direito Penal. Parte Geral. São Paulo: Saraiva, 1995.
Bibliografia Complementar
BRUM, Nilo Bairros de. Requisitos Retóricos da Sentença Penal. São Paulo:
Revista dos Tribunais, 1998.
FRAGOSO, Heleno Cláudio. Lições de Direito Penal (Parte Geral). São Paulo:
Forense, 1995.
GRECO, Rogério. Curso de Direito Penal. Editora Impetus, 2007.
NUCCI. Guilherme Souza. Código Penal Comentado. São Paulo: Revista dos
Tribunais, 2007.
JESUS, Damasio E. de. Direito Penal: Dos crimes contra a pessoa e dos
crimes contra o patrimônio. São Paulo: Saraiva, vol. 02, 2007.

__________________________________________________ 33
____________________. Direito Penal: Dos crimes contra a propriedade
Imaterial a dos crimes contra a Paz Pública. São Paulo: Saraiva, vol, 03, 2007
_____________________. Direito Penal: Dos crimes contra a Fé Pública a dos
Crimes contra a Administração Pública. São Paulo: Saraiva, vol. 04, 2007.
LOPES, Jair. Curso de Direito Penal. São Paulo: Revista dos Tribunais. 1993.
MIRABETE, Júlio Fabbrini. Manual de Direito Penal. 1º. Vol. São Paulo:
Atlas. 1999.
NORONHA, Edgar Magalhães de. Direito Penal (Parte Geral). São Paulo:
Saraiva, 1998.

DIREITO PROCESSUAL CIVIL – PROCESSO DE CONHECIMENTO


EMENTA: Processo e procedimento. Processo e ação. Processo e relação
jurídica processual. Espécies de processos. Espécies de procedimentos.
Procedimentos no processo de conhecimento: comum ordinário, comum
sumário e procedimentos especiais. Relação Jurídica Processual: relação
jurídica material, o processo como relação jurídica processual, natureza jurídica
do processo, características da relação processual, pressupostos processuais,
da formação da relação processual, estabilização da relação processual. Do
litisconsórcio: noções, espécies, classificação, formação do litisconsórcio. Da
intervenção de terceiros: noções, justificativas, espécies. Da assistência. Da
oposição. Da nomeação à autoria. Da denunciação à lide. Do chamamento ao
processo. Dos atos e termos processuais: noções, ato e fato processual, dos
termos processuais, dos atos processuais, o tempo dos atos processuais, do
lugar da prática dos atos processuais, dos prazos processuais, das nulidades
processuais. Da propositura da ação em procedimento ordinário: noções, início
da fase postulatória (petição inicial), requisitos essenciais.. Do pedido: noções,
importância do pedido, requisitos, espécies de pedidos, cumulação de pedidos,
interpretação do pedido, alteração do pedido, fundamentação do pedido,
pedido de antecipação dos efeitos da tutela, pedido de tutela especifica. Da
citação e da intimação. Da resposta do réu em sentido amplo: Da contestação
e da objeção: defesa processual e defesa de mérito. Das exceções
instrumentais e da impugnação ao valor da causa: Da reconvenção:

Bibliografia Básica

__________________________________________________ 34
DIDIER Júnior, Fredie; ZANETI, Hermes Júnior. Curso de Direito Processual
Civil. Teoria Geral do Processo e processo de conhecimento. Salvador:
Podivm, vol. 01, 2007.
DONIZETTI, Elpídio. Curso Didático de Direito Processual Civil. 12ª. ed. rev.
ampl. e atual. – Rio de Janeiro : Editora Lumen Juris, 2009.
QUEIROZ, Ari Ferreira de. Direito Processual Civil. Teoria geral do processo,
processo de conhecimento, recurso. 9. ed. rev. ampl. e atual. – Goiânia : IPEC,
2008.

Bibliografia Complementar
BERMUDES, Sérgio. Direito Processual Civil. São Paulo: Saraiva, 1994.
COUTURE, Eduardo J. Interpretação das Leis Processuais. Rio de Janeiro:
Forense, 1993.
FERREIRA, Luiz Pinto. Código de Processo Civil Comentado. São Paulo:
Saraiva, 1996.
MIRANDA, Francisco Cavalcanti Pontes de. Comentários ao Código de
Processo Civil. Rio de Janeiro: Forense, 2002.
MONTENEGRO, César. Dicionário de Prática Processual Civil. São Paulo:
Saraiva, 1996.
NEGRÃO, Theotonio. Código de Processo Civil e Legislação Processual em
Vigor. São Paulo: Saraiva, 2005.
NOGUEIRA, Paulo Lúcio. Curso Completo de Processo Civil. São Paulo:
Saraiva, 1995.
SANTOS, Ernane Fidélis dos. Manual de Direito Processual Civil. São Paulo:
Saraiva, 2003.

DIREITO CONSTITUCIONAL
EMENTA: Estrutura constitucional do Estado Brasileiro. Dispopsições
Constitucionais gerais. Competência Constitucional. União. Estados-Membros.
Distrito Federal, Territórios e Municípios. Poderes Legislativo, Executivo e
Judiciário. Princípios, valores e normas constitucionais relativos à ordem
econômica e social, aos direitos difusos e coletivos, à educação e à cultura.
Funções essenciais à Justiça e Defesa do Estado e das instituições

__________________________________________________ 35
democráticas. Controle de Constitucionalidade como participação aberta à
realização constitucional.

Bibliografia Básica
ª
BONAVIDES, Paulo. Curso de Direito Constitucional. 7 ed. São Paulo:
Malheiros, 2004.
LENZA, Pedro. Direito Constitucional Esquematizado. São Paulo: Saraiva,
2009.
MORAES, Alexandre. Direito Constitucional. São Paulo: Atlas, 2006.

Bibliografia Complementar
CLEVE, Clemerson Merlin. A atividade legislativa no Poder Executivo. São
Paulo: Revista dos Tribunais, 1993.
_____________. A fiscalização abstrata da constitucionalidade no Direito
Brasileiro. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2000.
FERREIRA FILHO, Manoel Gonçalves. Do Processo Legislativo. São Paulo:
Saraiva, 1995.
HESSE, Konrad. A FORÇA DA CONSTITUIÇÃO. Tradução de Gilmar Ferreira
Mendes. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 1991.
MIRANDA, Jorge. Manual do Direito Constitucional. 2. ed. Coimbra: Coimbra,
1983.
MENDES, Gilmar Ferreira. Jurisdição Constitucional. São Paulo: Saraiva, 1995.
HÄBERLE, Peter. HERMENÊUTICA CONSTITUCIONAL – a sociedade aberta
dos intérpretes da constituição: contribuição para a interpretação pluralista e
procedimental da constituição. Porto Alegre: Safe, 2002.
ECONOMIA REGIONAL, MEIO AMBIENTE E POLÍTICAS PÚBLICAS
EMENTA: Economia Regional: conceito e contexto. Desenvolvimento Nacional
e Desigualdades Regionais. Teorias de Desenvolvimento Regional. O
Desenvolvimento Regional no Brasil. Economia e meio ambiente: racionalidade
econômica e recursos naturais. Desenvolvimento sustentável. As leis de
mercado e o meio ambiente. Políticas Públicas: conceito e funções. Papel das
políticas públicas para o desenvolvimento econômico regional e o meio
ambiente.

__________________________________________________ 36
Bibliografia Básica

COELHO, Maria Célia; MATHIS, Armin; CASTRO Edna; HURTIENNE, Thomas


orgs. Estado e políticas públicas na Amazônia: gestão do desenvolvimento
regional. Belém: Cejup – UFPA - Naea, 2001

HADDAD, Paulo Roberto. Desenvolvimento Regional e Descentralização


Industrial. Rio de Janeiro, IPEA/INPS, 1975.

CHELALA, Charles Achcar. A magnitude do Estado na Socioeconomia


Amapaense. Rio de Janeiro. Publit. 2009.

Bibliografia Complementar

BURSZTYN, Marcel. A Difícil Sustentabilidade: política energética e conflitos


ambientais. Marcel Bursztyn (org.). Rio de Janeiro: Garamond, 2001.

CANO, Wilson. Desequilíbrios regionais e concentração industrial no Brasil


1930-1970 – 3ª edição. – São Paulo: Editora UNESP, 2007
CASTRO, Edna; PINTON, Florence (org.). Faces do Trópico Úmido: Conceitos
e Novas Questões sobre Desenvolvimento e Meio Ambiente. Belém: Cejup:
UFPA-NAEA, 1997.
DRUMMOND, José Augusto; PEREIRA, Mariângela de A. Póvoas. O Amapá
nos tempos do Manganês. Um estudo sobre o desenvolvimento de um estado
amazônico. 1943-2000. Garamond. Rio de Janeiro. 2007.
HADDAD, Paulo; REZENDE, Fernando. Instrumentos Econômicos para o
Desenvolvimento Sustentável da Amazônia. Brasília: Ministério do Meio
Ambiente/Secretaria de Coordenação da Amazônia, 2002.

MENDES, Armando Dias (Org.). A Amazônia e o seu Banco – Manaus: Editora


Valer/ Banco da Amazônia, 2002

MOTA, José Aroudo. O Valor da Natureza: Economia e Política dos Recursos


Naturais. Rio de Janeiro: Garamond, 2001.
SACHS, Ignacy. Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável. Rio de
Janeiro: Garamond, 2ª ed, 2002.
SCHUMPETER, J. A. Teoria do desenvolvimento econômico. São Paulo: Nova
Cultural, 1982.

FILOSOFIA GERAL E JURÍDICA

__________________________________________________ 37
EMENTA: Concepção atual de Filosofia. A reflexão filosófica e a prática social.
Parâmetros históricos da Filosofia. A filosofia do Direito. Os fundamentos
existenciais, místico, racional, utilitarista, positivista, marxista e liberal do
Direito. Os atributos de validez do Direito, a ontologia, a epistemologia e a
axiologia jurídica. Os Direitos Humanos. A vida como centralidade ética e
ecológica. Filosofia do Direito no Brasil: breve perspectiva histórica e panorama
atual.

Bibliografia Básica
BOBBIO, Norberto. O Positivismo Jurídico: Lições de Filosofia de Direito. São
Paulo: Ícone, 1995.
CHAUI, Marilena. Convite à Filosofia. São Paulo. Ática, 2005.
REALE, Miguel. Filosofia do Direito. São Paulo: Saraiva, 2002.

Bibliografia Complementar
AQUINO, Tomas de. Suma Teológica. Porto Alegre: Edições Loyola, 2001.
ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. São Paulo: Nova Cultural, 2001.
HOBBES, Thomas. Leviatã. São Paulo: Nova Cultural, 2000.
IHERING, Rudolf Von. A Luta pelo Direito. Rio de Janeiro: Forense, 2004.
REALE, Miguel. Teoria tridimensional do direito. São Paulo: Saraiva, 2005.
VILLEY, Michel. Filosofia do Direito. São Paulo: Atlas, 2003.

4º SEMESTRE
DIREITO CIVIL – CONTRATOS
EmenTa: Normas e Princípios fundamentais do direito dos contratos.
Formação dos contratos. Classificação. Efeitos dos contratos. Regime dos
__________________________________________________ 38
contratos bilaterais. Espécies contratuais. Validade e invalidade dos contratos.
Hermenêutica contratual. Efeitos e extinção dos contratos. Os contratos em
espécie. Teoria da imprevisão.

Bibliografia Básica
NERY JUNIOR, Nelson; NERY, Rosa Maria de Andrade. Código Civil
comentado São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.
FIUZA, César. Direito Civil: curso completo. Belo Horizonte: Del Rey, 2007.
DINIZ, Maria Helena. Curso de Direito Civil Brasileiro. São Paulo: Saraiva,
2000.

Bibliografia Complementar
DAIUTO, Reynaldo Ribeiro. Introdução ao Estudo do Contrato. São Paulo:
Atlas, 1995.
DIAS, José de Aguiar. Da Responsabilidade Civil. Rio de Janeiro: Forense,
1995
FACHIN, Luiz Edson. Teoria Critica do Direito Civil. Rio de Janeiro: Renovar,
2000.
FIUZA, César. Direito Civil: curso completo. Belo Horizonte: Del Rey, 2007.
NEGRÃO, Theotonio. Código Civil e Legislação Civil em Vigor. São Paulo:
Saraiva, 1998.
PEREIRA, Caio Mário da Silva. Instituições de Direito Civil. Rio de Janeiro:
Forense, 2000.
REALE, Miguel. Questões de Direito Privado. São Paulo: Saraiva,1997.
RODRIGUES, Silvio. Direito Civil. São Paulo: Saraiva, 2003.
VENOSA, Sílvio de Salvo. Teoria Geral dos Contratos. São Paulo: Atlas, 1997.
GOMES, Orlando. Contratos. Rio de Janeiro: Forense, 1999.
HIRONAKA, Giselda Maria Fernandes Novaes. Direito Civil - Estudos. Belo
Horizonte: Del Rey, 2000.

__________________________________________________ 39
DIREITO PENAL – DO CONCURSO DE PESSOAS À EXTINÇÃO DA
PUNIBILIDADE
EMENTA. Concurso. Concurso de Pessoas: noções, teorias, requisitos.
Concurso de Crimes: material, formal, continuidade, concurso aparente de
normas, especialidade, subsidiariedade, consunção e alternativa. Pena e suas
espécies. Medida de Segurança. Ação Penal: Ação Pública e de iniciativa
Privada. Extinção de Punibilidade.

Bibliografia Básica
CAPEZ, Fernando. Curso de Direito Penal. São Paulo: Saraiva, vol. 01, 2007.
JESUS, Damásio E. Direito Penal. Parte Geral. São Paulo: Saraiva, 1995.
NUCCI. Guilherme Souza. Código Penal Comentado. São Paulo: Revista dos
Tribunais, 2007.
Bibliografia Complementar
BRUM, Nilo Bairros de. Requisitos Retóricos da Sentença Penal. São Paulo:
Revista dos Tribunais, 1998.
FRAGOSO, Heleno Cláudio. Lições de Direito Penal (Parte Geral). São Paulo:
Forense, 1995.
GRECO, Rogério. Curso de Direito Penal. Editora Impetus, 2007.
JESUS, Damasio E. de. Direito Penal: Dos crimes contra a pessoa e dos
crimes contra o patrimônio. São Paulo: Saraiva, vol. 02, 2007.
____________________. Direito Penal: Dos crimes contra a propriedade
Imaterial a dos crimes contra a Paz Pública. São Paulo: Saraiva, vol, 03, 2007
_____________________. Direito Penal: Dos crimes contra a Fé Pública a dos
Crimes contra a Administração Pública. São Paulo: Saraiva, vol. 04, 2007.
LOPES, Jair. Curso de Direito Penal. São Paulo: Revista dos Tribunais. 1993.
MIRABETE, Júlio Fabbrini. Manual de Direito Penal. 1º. Vol. São Paulo:
Atlas. 1999.
NORONHA, Edgar Magalhães de. Direito Penal (Parte Geral). São Paulo:
Saraiva, 1998.

__________________________________________________ 40
DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE
EMENTA: Evolução histórica da proteção jurídica e social da criança e do
adolescente. Da teoria da situação irregular à teoria da proteção integral.
Estatuto da Criança e do Adolescente. Direitos fundamentais da criança e do
adolescente. Tutela jurídica especial à criança e ao adolescente: condição
peculiar de desenvolvimento. Medidas de proteção. Conselho Tutelar.
Conselho de Direitos da criança e do adolescente. O adolescente e o ato
infracional. Medidas sócio-educativas.

Bibliografia básica:
ELIAS, Roberto João. Direitos Fundamentais da Criança e do Adolescente. São
Paulo: Saraiva, 2005.

MACIEL, Kátia Regina Ferreira Lobo Andrade. Curso de Direito da Criança e do


Adolescente. 4. ed. Cidade: Lumen Juris, 2009.

RAMIDOFF, Mário Luiz. Lições de Direito da Criança e do Adolescente, Ato


Infracional e Medidas Sócioeducativas. 2. ed. Curitiba: Juruá, 2008.

Bibliografia complementar:
ARAÚJO, Denílson Cardoso de. Redução da maioridade penal: o Brasil numa
encruzilhada ética. Jus Navigandi, Teresina, ano 11, n. 1410, 12 maio 2007.
Disponível em: < http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=9871>. Acesso
em: 21 fev. 2008.

ARGOLO, Francisco Sales de. Redução da maioridade penal: uma maquiagem


nas causas da violência. Jus Navigandi, Teresina, ano 11, n. 1427, 29 maio
2007. Disponível em: <http://jus2.uol.br/doutrina/texto.asp?id=9943>. Acesso
em: 21 fev. 2008.

BARBATO JR., Roberto. Redução da maioridade penal: entre o direito e a


opinião pública. Jus Navigandi, Teresina, ano 8, n. 459, 9 out. 2004. Disponível
em: < http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=5771>. Acesso em: 01 maio
2007.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Brasília, 2005.


CHAVES, Antonio. Comentários ao Estatuto da Criança e do Adolescente. 2.
ed. São Paulo: Ltr, 1997.

__________________________________________________ 41
COSTA, Domingos Barroso da. A crise do superego brasileiro: aspectos da
criminalidade infanto-juvenil. Jus Navigandi, Teresina, ano 10, n. 969, 26 fev.
2006. Disponível em: http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=8023. Acesso
em: 05 abr. 2008.

FIRMO, M. F. C. A Criança e o Adolescente no Ordenamento Jurídico


Brasileiro. Rio de Janeiro: Renovar, 1999.

FASCHINETTO, Neidemar José. O Direito à Convivência Familiar e


Comunitária. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2009.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir. 10ª Ed. Petropólis: Vozes, 1987.


NOGUEIRA, Paulo Lúcio. Estatuto da Criança e do adolescente Comentado. 2ª
ed. São Paulo: Saraiva, 1993.

PRIORI, Mary Del (org.). História das Crianças no Brasil. São Paulo: Contexto,
1999.

SPOSATO, Karyna Batista. O Direito Penal Juvenil. São Paulo: Editora Revista
dos Tribunais, 2006.

DIREITO PROCESSUAL CIVIL – DA SUSPENSÃO E DA EXTINÇÃO DO


PROCESSO
EMENTA. Da suspensão e da extinção do processo: crise na instância,
espécies de suspensão (voluntária e necessária), extinção do processo (com e
sem resolução do mérito). Fase saneadora: extinção do processo, julgamento
antecipado da lide, saneamento do processo. Da Ação Declaratória Incidental.
Fase instrutória ou probatória: considerações gerais, prova emprestada,
depoimento pessoal, confissão, exibição de documento ou coisa, prova
documental, prova testemunhal, prova pericial, inspeção judicial, audiência de
instrução e julgamento. Fase decisória: considerações gerais, conceito de
sentença, sentença terminativa e sentença definitiva, requisitos, classificação e
efeitos das sentenças definitivas, sentença concisa, conformação da sentença
ao pedido, sentença citra, ultra e extra petita, modificação da sentença, efeitos
da sentença. Da coisa julgada: noções, conceito de coisa julgada, limites, da
relativização da coisa julgada, outros aspectos da coisa julgada. Da liquidação
da sentença: noções, determinação do valor da condenação por cálculo do

__________________________________________________ 42
credor, liquidação na pendência de recurso, procedimento, liquidação por
arbitramento, liquidação por artigos, outros aspectos da liquidação. Do
cumprimento da sentença: dos títulos executivos judiciais, execução definitiva e
provisória, requisitos, competência, requerimento, honorários advocatícios, da
impugnação.

Bibliografia Básica
DIDIER Júnior, Fredie; ZANETI, Hermes Júnior. Curso de Direito Processual
Civil. Teoria Geral do Processo e processo de conhecimento. Salvador:
Podivm, vol. 01, 2007.
DONIZETTI, Elpídio. Curso Didático de Direito Processual Civil. 12ª. ed. rev.
ampl. e atual. – Rio de Janeiro : Editora Lumen Juris, 2009.
QUEIROZ, Ari Ferreira de. Direito Processual Civil. Teoria geral do processo,
processo de conhecimento, recurso. 9. ed. rev. ampl. e atual. – Goiânia : IPEC,
2008.

Bibliografia Complementar
BERMUDES, Sérgio. Direito Processual Civil. São Paulo: Sarava, 2002.
DINAMARCO, Cândido Rangel. A instrumentalidade do Processo. São Paulo:
Revista dos Tribunais, 1993.
FERNANDES, T. Iara. Alimentos Provisionais. São Paulo: Saraiva, 1994.
FERREIRA, Luiz Pinto. Código de Processo Civil Comentado. São Paulo:
Saraiva, 1996.
MAZZILLI, Hugo Nigro. A Defesa dos Interesses Difusos em Juízo. São Paulo:
Saraiva, 1997.
MIRANDA, Francisco Cavalcanti Pontes de. Comentários ao Código de
Processo Civil. Rio de Janeiro: Forense, 1996.
NEGRÃO, Theotonio. Código de Processo Civil e Legislação Processual em
Vigor. São Paulo: Saraiva, 2000.
NOGUEIRA, Paulo Lúcio. Curso Completo de Processo Civil. São Paulo:
Saraiva, 1995.
TEIXEIRA FILHO, Manoel Antônio. Mandado de Segurança. São Paulo: LTr,
1997.

DIREITO ADMINISTRATIVO
__________________________________________________ 43
EMENTA. Direito Administrativo e Administração Pública: noções gerais.
Princípios Administrativos. Poderes e Deveres dos Administradores públicos.
Bens Públicos. Ato Administrativo. Serviço público: Concessões e Permissões
de serviço público. Intervenção do Estado no domínio econômico e as
restrições do Estado sobre a propriedade privada. Discricionariedade
administrativa. Os servidores públicos. A responsabilidade do Estado por
comportamentos administrativos.

Bibliografia Básica
BASTOS, Celso Ribeiro. Curso de Direito Administrativo. São Paulo: Saraiva,
1995.
DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo. São Paulo: Atlas,
2007.
GASPARINI, Diógenes. Direito Administrativo. São Paulo: Saraiva, 1995

Bibliografia Complementar
CASTRO, Alexandre Barros. Procedimento Administrativo Tributário. São
Paulo: Atlas, 1997.
DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Discricionariedade Administrativa. São Paulo:
Atlas, 2001.
_______. Parcerias na Administração Pública. São Paulo: Atlas, 1997.
MOREIRA NETO, Diogo de Figueiredo. Legitimidade e discricionariedade:
novas reflexões sobre os limites e controle da discricionariedade. Rio de
Janeiro: Forense, 1991.
MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. São Paulo: Revista
dos Tribunais, 1999.
MEDAUAR, Odete. Direito Administrativo Moderno. São Paulo: Revista dos
Tribunais, 1999.

DIREITO PROCESSUAL CONSTITUCIONAL


EMENTA: Jurisdição constitucional. O devido processo legal e do contraditório.
Controle de constitucionalidade. Mandado de segurança Individual e coletivo.

__________________________________________________ 44
Mandado de injunção. Habeas Corpus e habeas data. Ação civil pública. Ação
popular. Ação direta de inconstitucionalidade. Ação declaratória de
constitucionalidade. Ação direta de inconstitucionalidade por omissão. Argüição
de descumprimento de preceito fundamental.

Bibliografia básica
CORREIA, Marcus Orione Gonçalves. Direito Processual Constitucional. São
Paulo: Malheiros Editores, 2001.
MORAES, Alexandre. Direito Constitucional. São Paulo: Atlas, 2006.
MEDINA, Paulo Roberto de Gouveia. Direito Processual Constitucional. São
Paulo: Companhia Forense, 2004. 271 p.

Bibliografia Complementar
BARROSO, Luís Roberto. O controle de constitucionalidade no direito
brasileiro, 4ª ed., São Paulo: Rio de Janeiro, 2009.
MEIRELLES, Hely Lopes. Mandado de Segurança..., 31ª ed., Atualizada por
Arnoldo
Wald e Gilmar Mendes, São Paulo: Malheiros, 2008.
STRECK, Lênio Luiz. Jurisdição Constitucional e Hermenêutica, Rio de Janeiro:
Forense, 2ª Ed., 2004.

JOSÉ ALFREDO DE OLIVEIRA BARACHO, “Teoria Geral da Justiça


Constitucional”, in: Direito Processual Constitucional: aspectos
contemporâneos, Belo Horizonte: Ed. Fórum, 2006, pp. 277/317; LUÍS
ROBERTO BARROSO, “Retrospectiva 2008 – Judicialização – ativismo e
legitimidade democrática”, in: Revista Eletrônica sobre a
Reforma do Estado, abr.-jun/2009, n. 18.

DIETER GRIMM, “Jurisdição Constitucional e Democracia, in: Revista de


Direito do Estado, outubro/dezembro de 2006, Rio de Janeiro: Renovar;
MARGARIDA LACOMBE CAMARGO; ALEXANDRE GARRIDO; JULIANA
MAGALHAES; FERNANDO GAMA DE MIRANDA NETTO; NOEL
STRUCHINER; JOSÉ RIBAS, “A jurisdição constitucional entre o respeito ao
legislador e o ativismo judicial: o artigo 5º da Lei nº 11.105/05”, in: Revista
Jurídica da Faculdade Nacional de Direito/UFRJ, v. 3, 2008, p. 131- 169.

__________________________________________________ 45
5º SEMESTRE

DIREITO CIVIL – DIREITOS REAIS


EMENTA: Introdução ao estudo do Direito das Coisas. Classificação e
características dos direitos reais. Constituição dos direitos reais. A posse:
conceito e teorias. Classificação da posse. Aquisição, conservação e extinção
da posse. Efeitos da posse. Proteção possessória e proteção petitória. Da
propriedade: evolução histórica, características, extensão e limitações. Função
social da propriedade. Direito de Vizinhança. Aquisição e perda da propriedade.
Condomínio. Direitos Reais na coisa alheia: autônomos. Direitos reais de
garantia: acessórios.

Bibliografia Básica
FIUZA, César. Direito Civil: curso completo. Belo Horizonte: Del Rey, 2007.
DINIZ, Maria Helena. Curso de Direito Civil Brasileiro. São Paulo: Saraiva,
2000.
PEREIRA, Caio Mário da Silva. Instituições de Direito Civil. Rio de Janeiro:
Forense, 1999.

Bibliografia Complementar
FACHIN, Luiz Edson. Teoria Critica do Direito Civil. Rio de Janeiro: Renovar,
2000.
FIUZA, César. Direito Civil: curso completo. Belo Horizonte: Del Rey, 1999.
FULGENCIO, Tito. Da Posse e das Ações Possessórias. Rio de Janeiro:
Forense, 1999.
GONÇALVES, Carlos Roberto. Responsabilidade Civil. São Paulo: Saraiva,
1995.
HIRONAKA, Giselda Maria Fernandes Novaes. Direito Civil - Estudos. Belo
Horizonte: Del Rey, 2000.
NEGRAO, Theotonio. Código Civil e Legislação Civil em Vigor. São Paulo:
Saraiva, 2000
__________________________________________________ 46
PEREIRA, Caio Mário da Silva. Instituições de Direito Civil. Rio de Janeiro:
Forense, 1999.
REALE, Miguel. Questões de Direito Privado. São Paulo: Saraiva,1997.
VENOSA, Sílvio de Salvo. Direitos Reais. São Paulo: Atlas, 1997.
NERY JUNIOR, Nelson; NERY, Rosa Maria de Andrade. Código Civil
comentado São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.

DIREITO PENAL - DOS CRIMES CONTRA A PESSOA AOS CRIMES


CONTRA A DIGNIDADE SEXUAL.

EMENTA. Crimes contra a pessoa: tipos penais. Crimes contra o patrimônio:


tipos penais. Crimes contra a propriedade imaterial: tipos penais. Crimes contra
a organização do trabalho: tipos penais. Crimes contra o sentimento religioso e
contra o respeito aos mortos: tipos penais. Crimes contra a dignidade sexual:
tipos penais.

Bibliografia Básica
CAPEZ, Fernando. Curso de Direito Penal. São Paulo: Saraiva, vol. 02, 2007.
JESUS, Damasio E. de. Direito Penal: Dos crimes contra a pessoa e dos
crimes contra o patrimônio. São Paulo: Saraiva, vol. 02, 2007.
NUCCI. Guilherme Souza. Crimes contra a dignidade sexual. São Paulo:
Revista dos Tribunais, 2009.

Bibliografia Complementar
BRUM, Nilo Bairros de. Requisitos Retóricos da Sentença Penal. São Paulo:
Revista dos Tribunais, 1998.
__________________________________________________ 47
FRAGOSO, Heleno Cláudio. Lições de Direito Penal (Parte Geral). São Paulo:
Forense, 1995.
GRECO, Rogério. Código Penal Comentado. Editora Impetus, 2007.
LOPES, Jair. Curso de Direito Penal. São Paulo: Revista dos Tribunais. 1993.
MIRABETE, Júlio Fabbrini. Manual de Direito Penal. 1º. Vol. São Paulo:
Atlas. 1999.
NORONHA, Edgar Magalhães de. Direito Penal (Parte Geral). São Paulo:
Saraiva, 1998.

DIREITO PROCESSUAL CIVIL - PROCESSO CAUTELAR E


PROCEDIMENTOS ESPECIAIS
EMENTA: Teoria Geral do Processo Cautelar. Noções gerais. Dependência do
processo cautelar. Espécies de medidas cautelares. Requisitos para a
concessão da medida cautelar. Características, competência e legitimidade no
processo cautelar. Ajuizamento da ação cautelar. Procedimento comum e
procedimento cautelar. Sentença e Coisa julgada no processo cautelar.
Possibilidade de modificação e revogação da medida cautelar. Causas de
cessação da eficácia da medida cautelar. Responsabilidade civil do requerente
da medida cautelar. Intervenção de terceiro no processo cautelar.
Procedimentos cautelares específicos: Arresto. Seqüestro. Caução. Busca e
Apreensão. Exibição. Produção Antecipada de Provas. Alimentos Provisionais.
Arrolamento de Bens. Justificação. Protestos, Notificações e Interpelações.
Homologação do Penhor Legal. Posse em nome do nascituro. Atentado.
Protesto e apreensão de títulos. Outras Medidas Provisionais. Procedimentos
especiais de jurisdição contenciosa: Ação de consignação em pagamento.
Ação de depósito. Ação de anulação e substituição de títulos ao portador. Ação
de prestação de contas. Ações possessórias. Ação de nunciação de obra nova.
Usucapião. Ação de divisão e de demarcação de terras particulares. Inventário
e partilha. Embargos de terceiro. Habilitação. Restauração dos autos. Vendas a
crédito com reserva de domínio. Ação Monitória. Procedimentos Especiais de
Jurisdição Voluntária: Alienações judiciais. Separação e Divórcio. Testamentos
e Codicilos. Herança jacente. Dos bens do ausente. Das coisas vagas. Da
curatela de interditos. Da organização e fiscalização das Fundações. Da
Especialização da Hipoteca Legal.

Bibliografia Básica
DIDIER Júnior, Fredie; ZANETI, Hermes Júnior. Curso de Direito Processual
Civil: meios de impugnação às decisões judiciais e nos tribunais. Salvador:
Podivm, vol. 04, 2007.

__________________________________________________ 48
DONIZETTI, Elpídio. Curso Didático de Direito Processual Civil. 12ª. ed. rev.
ampl. e atual. – Rio de Janeiro : Editora Lumen Juris, 2009.
THEODORO JR. Humberto. Curso de direito processual Civil. Rio de Janeiro :
Forense, 2008.

Bibliografia Complementar
BERMUDES, Sérgio. Direito Processual Civil. São Paulo: Saraiva, 2003.
COUTURE, Eduardo J. Interpretação das Leis Processuais. Rio de Janeiro:
Forense, 2001.
DINAMARCO, Cândido Rangel. A instrumentalidade do Processo. São Paulo:
Revista dos Tribunais, 2002.
FERREIRA, Luiz Pinto. Código de Processo Civil Comentado. São Paulo:
Saraiva, 1996.
MAZZILLI, Hugo Nigro. A Defesa dos Interesses Difusos em Juízo. São Paulo:
Saraiva, 2001.
MIRANDA, Francisco Cavalcanti Pontes de. Comentários ao Código de
Processo Civil. Rio de Janeiro: Forense, 1996
NOGUEIRA, Paulo Lúcio. Curso Completo de Processo Civil. São Paulo:
Saraiva, 1995.

DIREITO INDIVIDUAL E COLETIVO DO TRABALHO

EMENTA: Direito individual do Trabalho. Contrato individual de trabalho:


formação, execução. Sujeitos do Contrato de Trabalho: Empregado e
empregador. Salário e remuneração. Jornada de trabalho, repouso intra e inter
jornada de trabalho. Banco de horas. Suspensão e interrupção do contrato de
trabalho. Alteração do contrato de trabalho. Adicionais de Hora extra, noturno,
insalubridade, periculosidade e transferência. Formas de estabilidade. FGTS.
Formas de extinção do contrato de trabalho. Aviso prévio, Férias e décimo
terceiro salário. Prescrição e Decadência. Cálculos trabalhistas. O movimento
sindical: novos paradigmas. Conflitos trabalhistas: greve e lockout. Formas de
composição: heterotocomposição e autocomposição: sentença normativa,
dissídio coletivo, acordo e convenção coletiva, arbitragem. Liberdade sindical.
Organização sindical. Funções do sindicato.

__________________________________________________ 49
Bibliografia Básica
NASCIMENTO, Amauri Mascaro. Curso de Direito do Trabalho. São Paulo:
Saraiva, 1997.
GOMES, Orlando. Curso de Direito do Trabalho. Rio de Janeiro: Forense,
2004.
SUSSEKIND, Arnaldo. Curso de direito do trabalho. Rio de Janeiro. Renovar.
2004.

Bibliografia Complementar
CAMPANHOLE, Hilton Lobo & CAMPANHOLE, Adriano. Consolidação das Leis
do Trabalho (CLT) e Legislação Complementar. São Paulo: Atlas, 1997.
CARDONE, Marly A. Advocacia Trabalhista. São Paulo: Saraiva, 2002.
CARRION, Valentin. Nova Jurisprudência em Direito do Trabalho. São Paulo:
Saraiva, 2001.
FERNANDES, Anibal. O Trabalhador Autônomo. São Paulo: Atlas, 1992.
GENRO, T. Direito Individual do Trabalho. São Paulo: LTr, 1994.
GONÇALVES, Victor. Advocacia Trabalhista em Primeiro Grau. São Paulo:
Saraiva, 1997.
MANUS, Pedro Paulo Teixeira. Direito do Trabalho. São Paulo: Atlas, 1999.
MARANHÃO, Délio. Direito do Trabalho. São Paulo: Difel, 1997.
NASCIMENTO, Amauri Mascaro. Iniciação ao Direito do Trabalho. São Paulo:
LTr, 2005.
OLIVEIRA, Aristeu. Cálculos Trabalhistas. São Paulo: Atlas, 1997.
_______. Manual de Prática Trabalhista. São Paulo: Atlas, 1997.
_______. Rescisão do Contrato de Trabalho: manual prático. São Paulo: Atlas,
1996.
SUSSEKIND, Arnaldo. Instituições de Direito do Trabalho. São Paulo: LTr,
1999.
CARRION, Valentin. Comentários à CLT. São Paulo: Saraiva, 2007.

LICITAÇÕES E CONTRATOS

__________________________________________________ 50
EMENTA: Licitação: conceito, modalidades e poderes unilaterais da
Administração Pública. Contrato Administrativo: conceito e características e
Teoria Geral do Contrato. Convênios administrativos. Execução do contrato
administrativo: princípios e aplicabilidade. Noções de mutabilidade e equilíbrio
financeiro. Teorias do Fato do Príncipe e da Imprevisão no âmbito da
administração pública. Extinção do contrato administrativo. Modalidades dos
Contratos Administrativos em espécie. O Estado do Amapá e as modalidades
de contratos administrativos e licitações públicas e sua aplicabilidade.
Bibliografia Básica
DALLARI, Adilson Abreu. Aspectos jurídicos da licitação. 7ª Ed. São Paulo:
Saraiva, 2007.
JUSTEN FILHO, Marçal. Curso de Direito Administrativo. 4ª Ed. São Paulo:
Saraiva, 2009.
MUKAI, Toshio. Licitações e contratos públicos. 8ª Ed. SÃO PAULO: SARAIVA,
2008.

Bibliografia Complementar
DI PIETRO, MARIA SYLVIA ZANELLA. DIREITO ADMINISTRATIVO. 17ª ED.
SÃO PAULO: ATLAS, 2004.
FERNANDES, JORGE ULISSES JACOBY. SISTEMA DE REGISTRO DE
PREÇOS E PREGÃO PRESENCIAL E ELETRÔNICO. 3ª ED. BELO
HORIZONTE. FÓRUM. 2008.
FERNANDES, JORGE ULISSES JACOBY. CONTRATAÇÃO DIRETA SEM
LICITAÇÃO. 5. ED., 2. TIR. BRASÍLIA: BRASÍLIA JURÍDICA, 2003.
GASPARINI, DIOGENES. PREGÃO PRESENCIAL E ELETRÔNICO. BELO
HORIZONTE. FÓRUM. 2006.
JUSTEN FILHO, MARÇAL. COMENTÁRIOS Á LEI DE LICITAÇÕES E
CONTRATOS ADMINISTRATIVOS. 10ª ED. SÃO PAULO. DIALÉTICA. 2004.
MOTTA, CARLOS PINTO COELHO. EFICÁCIA NAS LICITAÇÕES E
CONTRATOS: ESTUDOS E COMENTÁRIOS. 9ª ED. BELO HORIZONTE.
DEL REY. 2002.

__________________________________________________ 51
PEREIRA JUNIOR, JESSÉ TORRES. COMENTÁRIOS À LEI DAS
LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. 6ª ED.
RIO DE JANEIRO. RENOVAR. 2003.

ANTROPOLOGIA GERAL E JURÍDICA


EMENTA: Noções de antropologia: origem, objeto e campo de investigação.
Aspectos antropológicos do conceito de cultura: universalidade X
particularidades. Diversidade Cultural, Relativismo Cultural e Etnocentrismo: o
problema do outro. Antropologia e Direito: um debate possível. A constituição
dos campos de estudo e pesquisa da Antropologia Jurídica. A Antropologia
Jurídica no Brasil: desafios e práticas. Antropologia jurídica criminal – Magia,
religião e ciência. A formação de operadores do direito no Brasil e a produção
de laudos periciais antropológicos. Processos judiciais enquanto fontes para
análises antropológicas: alguns estudos recentes no Brasil e no Amapá.

Bibliografia Básica
BARBOSA, Marco Antonio. Direito antropológico e terras indígenas no Brasil.
Plêiade. São Paulo:, 2001.
CLASTRES, Pierre – A sociedade contra o Estado: pesquisas de antropologia
política. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2003.
DURKHEIM, Émile – Lições de Sociologia: A Moral, o Direito e o Estado. São
Paulo: T. A. Queiroz/EDUSP, 2002.

Bibliografia Complementar
DIREITO, Carlos Alberto Menezes. O Estado Moderno e a Proteção dos Direito
do Homem. Freitas Bastos. São Paulo, 1998.
BOWLBY, John. Formação e rompimento dos laços afetivos. São Paulo:
Martins Fontes, 2006.
CLASTRES, Pierre. A sociedade contra o Estado. São Paulo: Cosaf e Naify,
2003.
__________________________________________________ 52
6º SEMESTRE

DIREITO CIVIL - FAMÍLIA


EMENTA: Família e sociedade. Família na época contemporânea.
Especificidades das relações familiares, ou de afeto. A família na Constituição
de 1988. Famílias monoparentais. Eixo matrimonial: casamento habilitação,
impedimentos, efeitos. Regime de bens. Dissolução da sociedade conjugal e
divórcio. Eixo concubinário: união estável, histórico e evolução, visão atual,
regulamentação e legislação projetada. Eixo parental: parentesco, filiação,
filhos havidos no casamento e extramatrimonialmente, reconhecimento de
filhos, alimentos, adoção. Eixo assistencial: pátrio poder, tutela e curatela.

Bibliografia Básica
FIUZA, César. Direito Civil: curso completo. Belo Horizonte: Del Rey, 2007
BITTAR, Carlos Alberto. Direito de Família. Rio de Janeiro: Forense
Universitária. 1993.
DINIZ, Maria Helena. Curso de Direito Civil Brasileiro. São Paulo: Saraiva,
2000.

Bibliografia Complementar
ALBERGARIA, Jason. Adoção Plena. Belo Horizonte: Del Rey, 1996.
CHAVES, Antônio. Adoção. Belo Horizonte: Del Rey, 1995.
COVELLO, Sergio. Ação de Alimentos. São Paulo: Leud, 1994.
FIUZA, César. Direito Civil: curso completo. Belo Horizonte: Del Rey, 2007.
HIRONAKA, Giselda Maria Fernandes Novaes. Direito Civil - Estudos. Belo
Horizonte: Del Rey, 2000.
GOMES, Orlando. Direito de Família. Rio de Janeiro: Forense, 2001.
LEITE, Eduardo de Oliveira. Temas de Direito de Família. São Paulo: RT, 1994.
NEGRAO, Theotonio. Código Civil e Legislação Civil em Vigor. São Paulo:
Saraiva, 1998.

__________________________________________________ 53
NERY JUNIOR, Nelson; NERY, Rosa Maria de Andrade. Código Civil
comentado São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.
PEREIRA, Caio Mário da Silva. Instituições de Direito Civil. Rio de Janeiro:
Forense, 1999.
PEREIRA, Rodrigo da Cunha. Concubinato e União Estável. Belo Horizonte:
Del Rey, 1999.
PEREIRA, Tânia da Silva. Direito da Criança e do Adolescente. Rio de Janeiro:
Renovar, 1996.
PESSOA, Cláudia Grieco Tabosa. Efeitos Patrimoniais do Concubinato. São
Paulo: Saraiva, 1997.
RODRIGUES, Silvio. Direito Civil. São Paulo: Saraiva, 2003.
SANTINI, José Rafaelli. Adoção, Guarda, Medidas Socoeducativas. Belo
Horizonte: Del Rey, 1996.
VIANA, Marco Aurélio S. Alimentos: Ação de Investigação de Paternidade e
Maternidade. Belo Horizonte: Del Rey, 1998.

DIREITO PROCESSUAL CIVIL – RECURSOS E PROCESSO DE EXECUÇÃO


EMENTA: Teoria Geral dos Recursos: Conceito. Espécies e Classificação dos
Recursos. Princípios Fundamentais dos recursos. Requisitos de
admissibilidade dos recursos. Efeitos dos recursos. Apelação: Conceito, efeitos,
procedimento. Agravo: Noções gerais, o agravo retido como regra, agravo de
instrumento. Embargos Infringentes. Embargos de Declaração. Recurso
Ordinário. Recurso Extraordinário e Recurso Especial: noções gerais e
requisitos de admissibilidade em comum, do reexame necessário (arts. 543-B
e 543-C), procedimento. Recursos especial e extraordinário retidos. Embargos
de Divergência em Recurso Especial e em Recurso Extraordinário. Da
uniformização da jurisprudência: Considerações gerais, instauração do
incidente, procedimento, efeitos da súmula. Ação Rescisória: considerações
gerais, natureza jurídica da ação rescisória, pressupostos da ação rescisória,
competência, legitimidade, prazo, procedimento, processamento, interpretação
do art. 486. Teoria Geral da Execução. Introdução. Tutela Executiva.
Competência para execução. A ação de execução. Requisitos ou Pressupostos
processuais da execução. Títulos Executivos: Judiciais e extrajudiciais.
Cumulações de execuções. Atos do Processo Executivo. Execução promovida
pelo devedor. Execução definitiva e execução provisória. Intervenção de
terceiros no processo de execução (cabimento ou não). Responsabilidade
Patrimonial. Determinação do valor do título por cálculo do credor. Das diversas
espécies de execução. A execução para entregar coisa (certa e incerta). A
__________________________________________________ 54
execução de fazer e não fazer. A execução por quantia certa contra devedor
solvente. A execução contra a Fazenda Pública. A execução de prestação
alimentícia. Execução Fiscal. Execução por quantia certa contra devedor
insolvente. Suspensão e extinção do processo de execução. Embargos do
devedor: conceito e natureza jurídica, espécies de embargos do devedor,
títulos que comportam embargos, legitimidade, juízo competente, embargos à
execução, outros meios para desconstituir o título ou declarar a nulidade do
processo de execução.

Bibliografia Básica
DIDIER Júnior, Fredie; ZANETI, Hermes Júnior. Curso de Direito Processual
Civil: meios de impugnação às decisões judiciais e nos tribunais. Salvador:
Podivm, vol. 04, 2007.
DONIZETTI, Elpídio. Curso Didático de Direito Processual Civil. 12ª. ed. rev.
ampl. e atual. – Rio de Janeiro : Editora Lumen Juris, 2009.
QUEIROZ, Ari Ferreira de. Direito Processual Civil. Teoria geral do processo,
processo de conhecimento, recurso. 9. ed. rev. ampl. e atual. – Goiânia : IPEC,
2008.

Bibliografia Complementar
BERMUDES, Sérgio. Direito Processual Civil. São Paulo: Saraiva, 2002.
COUTURE, Eduardo J. Interpretação das Leis Processuais. Rio de Janeiro:
Forense, 2001.
MIRANDA, Francisco Cavalcanti Pontes de. Comentários ao Código de
Processo Civil. Rio de Janeiro: Forense, 2002.
NOGUEIRA, Paulo Lúcio. Curso Completo de Processo Civil. São Paulo:
Saraiva, 1995.
PÓVOA, Liberato. Busca e Apreensão: Teoria, Prática, Jurisprudência. São
Paulo: Atlas, 1996.

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO


EMENTA: Conceito de Direito Processual do Trabalho. Princípios do Direito
Processual do Trabalho. Partes. Procuradores. Audiência. Petição Inicial.
Contestação. Provas. Alegações Finais. Ação Individual do Trabalho. Ações
__________________________________________________ 55
Coletivas do Trabalho. Ações Plúrimas. Decisões e Sentenças. Recursos no
Processo do Trabalho.

Bibliografia Básica
GIGLIO, Wagner D. Direito Processual do Trabalho. São Paulo. Impactus,
1995.
MARTINS, Sergio Pinto. Direito Processual do Trabalho. São Paulo. Atlas,
2000.
NASCIMENTO, Amauri Mascaro. Curso de Direito do Trabalho. São Paulo:
Saraiva, 2007.

Bibliografia Complementar
CARRION, Valentin. Nova Jurisprudência em Direito do Trabalho. São Paulo:
Saraiva, 2001.
MANNRICH, Nelson. Inspeção do Trabalho. São Paulo: LTr, 1991
MANUS, Pedro Paulo Teixeira. Direito do Trabalho. São Paulo: Atlas, 1999.
NASCIMENTO, Amauri Mascaro. Iniciação ao Direito do Trabalho. São Paulo:
LTr, 2002.

DIREITO PENAL – DOS CRIMES CONTRA A FAMÍLIA AOS CRIMES


CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
EMENTA: Crimes contra a Família: tipos penais. Crimes contra a Incolumidade
Pública: tipos penais. Crimes contra a Administração da Pública: tipos penais.
Legislação Penal Especial: Contravenções penais. Crimes hediondos.

Bibliografia Básica
CAPEZ, Fernando. Curso de direito penal. São Paulo: Saraiva, vol. 04, 2007.
JESUS, Damasio E. de. Direito Penal: Dos crimes contra a Fé Pública a dos
Crimes contra a Administração Pública. São Paulo: Saraiva, vol. 04, 2007.
NUCCI. Guilherme Souza. Código Penal Comentado. São Paulo: Revista dos
Tribunais, 2007.

__________________________________________________ 56
Bibliografia Complementar
FRAGOSO, Heleno Cláudio. Lições de Direito Penal. São Paulo: Forense,
1995.
JESUS, Damásio E. Código Penal Anotado. São Paulo: Saraiva, 1996.
_______. Lei das Contravenções Penais Anotada. São Paulo: Saraiva, 1997.
_______. Novíssimas Questões Criminais. São Paulo: Saraiva, 1997.
LOPES, Jair. Curso de Direito Penal. São Paulo: Revista dos Tribunais. 1996
MONTEIRO, Antônio Lopes. Crimes Hediondos. São Paulo: Saraiva, 1997.
TOLEDO, Francisco de Assis. Princípios Básicos de Direito Penal. São Paulo:
Saraiva, 1994.
MIRABETE, Júlio Fabbrini. Manual de Direito Penal. São Paulo: Atlas, 2007.
NORONHA, Edgar Magalhães. Direito Penal. São Paulo: Saraiva, 1998.

DIREITO DAS MINORIAS


EMENTA: A proteção às minorias, no âmbito dos Direitos Humanos: questões
conceituais e críticas. Aspectos jurídicos e sociais do direito das minorias.
Conteúdos e temas do direito das minorias: abordagens e críticas. O Direito
das Minorias em face do Meio Ambiente Cultural: Pluralidade, Multiculturalismo
e à diversidade sexual, étnica, racial, cultural, de gênero e de crenças
religiosas. Discriminação, racismo, preconceito e intolerância: conflitos étnico-
raciais e religiosos. Considerações específicas sobre o direito das minorias no
Brasil e no Amapá: índios, afrodescendentes, homoafetivos, mulheres,
deficientes, idosos, ciganos, crianças e adolescentes e outros grupos não
citados.

Bibliografia básica

ROULAND, Norbert (org.). Direito das minorias e dos povos autóctones.


Brasília: Universidade de Brasília, 2004.
SEGUIN, Elida. Direitos das minorias. Rio de Janeiro: Forense, 2001.

__________________________________________________ 57
___________ Minorias e Grupos Vulneráveis: uma abordagem jurídica. Rio de
Janeiro: Forense, 2002.

Bibliografia Complementar

GONÇALVES, Luiz Alberto Oliveira & GONÇALVES E SILVA, Petronilha


Beatriz. O jogo das diferenças: o multiculturalismo e seus contextos. Belo
Horizonte: Autêntica, 2004.

Caldas, Andressa; Garcia, Luciana. DIREITO À TERRA DAS COMUNIDADES


REMANESCENTES DE QUILOMBOS: o longo e tortuoso caminho da titulação.
Disponível em: http://global.org.br/programas/direito-a-terra-das-comunidades-
remanescentes-de-quilombos-o-longo-e-tortuoso-caminho-da-titulacao.
SANTILLI, Juliana (Coord.). Os Direitos Indígenas e a Constituição. Porto
Alegre: Núcleo de Direitos Indígenas e Sergio Antonio Fabris Editor, 1993.
Diegues, Antônio Carlos (org.). Etnoconservação: Novos Rumos para a
Proteção da Natureza nos Trópicos. São Paulo: NUPAUB, Hucitec.
Posey, Darrell. Conseqüências Ecológicas da Presença do Índio Kayapó na
Amazônia: Recursos Antropológicos e Direitos de Recursos Tradicionais. In:
Cavalcanti, Clóvis (org). Desenvolvimento e Natureza: Estudo para uma
Sociedade Sustentável. São Paulo: Cortez; Recife, PE: Fundação Joaquim
Nabuco, 1995.
Viveiros de Castro, Eduardo. A Insconstância da Alma Selvagem. São Paulo:
Cosac & Naify, 2002.

PRÁTICA JURÍDICA CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVA.


EMENTA: O exercício prático das atividades forenses e não forenses; a
elaboração de peças processuais e profissionais simuladas e a atuação em
processos simulados. A pauta de atividades simuladas inclui ainda o estudo de
peças, rotinas e fases do processo, nos diversos procedimentos, pelo exame
de autos findos.

__________________________________________________ 58
7º SEMESTRE

DIREITO CIVIL - SUCESSÕES


EMENTA: Fundamentos do Direito sucessório. Sucessão em geral.
Transmissão da herança. Aceitação e renúncia. Herança jacente e herança
vacante. Capacidade sucessória. Sucessão legítima: sucessão na linha reta,
sucessão decorrente do casamento e da união estável, sucessão do colateral e
do Poder Público. Sucessão testamentária. Formas ordinárias de testamento.
Codicilo. Formas especiais de testamento. Testemunhas testamentárias.
Disposições testamentárias. Deserdação. Invalidade do testamento: revogação,
rompimento, caducidade e nulidade. Legados. Direito de acrescer.
Substituições e fideicomisso. Liquidação da herança: inventário, colações,
sonegados, partilha.

Bibliografia Básica
FIUZA, César. Direito Civil: curso completo. Belo Horizonte: Del Rey, 2007
DINIZ, Maria Helena. Curso de Direito Civil Brasileiro: Direito das Sucessões.
6ª. ed. São Paulo: Saraiva, 2007.
GOMES, Orlando. Sucessões. Rio de Janeiro: Forense, 2002.

Bibliografia Complementar
AMORIM, Sebastião e OLIVEIRA, Euclides. Inventário e partilhas. São Paulo:
Leud, 1997.

__________________________________________________ 59
MONTEIRO, Washington de Barros. Curso de Direito Civil - Direito das
Sucessões. 9ª. ed., São Paulo: Saraiva, 1972.
CATEB, Salomão de Araújo. Direito das Sucessões. Belo Horizonte: Del Rey,
1999.
CHAVES, Antônio. Lições de Direito Civil. São Paulo: Revista dos Tribunais,
1975.
FACHIN, Luiz Edson. Teoria Crítica do Direito Civil. Rio de Janeiro: Renovar,
2000.
FIUZA, César. Direito Civil: curso completo. Belo Horizonte: Del Rey, 2007.
GONÇALVES, Carlos Roberto. Sinopses Jurídicas - Direito das Sucessões.
São Paulo: Saraiva, 2001.
HIRONAKA, Giselda Maria Fernandes Novaes. Direito Civil - Estudos. Belo
Horizonte: Del Rey, 2000.
NEGRÃO, Theotonio. Código Civil e Legislação Civil em Vigor. São Paulo:
Saraiva, 1998.
PEREIRA, Caio Mário da Silva. Instituições de Direito Civil. Rio de Janeiro:
Forense, 1999.
RODRIGUES, Silvio. Direito Civil. São Paulo: Saraiva, 2000.
VENOSA, Silvio Salvo. Direito das Sucessões. São Paulo: Atlas, 1991.
WALD, Arnoldo. Direito das Sucessões. 11ª. ed. São Paulo: Revista dos
Tribunais, 1997.
NERY JUNIOR, Nelson; NERY, Rosa Maria de Andrade. Código Civil
comentado São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007

LEGISLAÇÃO PENAL ESPECIAL

EMENTA: Violência Doméstica e familiar (Lei n. 11.343/06). Nova Lei de


Drogas (Lei n. 11.340/06). Crimes de tortura. Estatuto do desarmamento.
Crimes de Trânsito. Videoconferência. Crimes contra a ordem tributária. Crimes
do Estatuto da Criança e do Adolescente. Crimes de menor potencial ofensivo
na Lei 9.099/95. Abuso de autoridade. Evolução do Direito Penal Ambiental.
Responsabilidade Penal no Campo do Direito Ambiental. Delitos Ambientais,
contravenções e Crimes. A Lei 9605.98 e o Decreto nº 3.179/99. A
__________________________________________________ 60
responsabilidade Penal da Pessoa Jurídica. Súmulas vinculantes Penais do
STF.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
NUCCI, Guilherme. Leis Penais e processuais penais comentadas. São Paulo:
Revista dos Tribunais, 2007.
CAPEZ, Fernando. Curso de direito penal. São Paulo: Saraiva, vol. 05, 2007.
MORAES, Alexandre. Legislação penal especial. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

SANCHES, Rogério. Nova Lei de Drogas Comentada. Editora: _____.São


Paulo: 2008.
CAPEZ, Fernando. Arma de fogo. São Paulo: Saraiva, 1997.

COSTA JÚNIOR, Paulo José da. Comentários aos crimes do novo código de
trânsito. 2.ed. São Paulo: Saraiva, 1999.

FRANCO, Alberto Silva. Crimes hediondos: notas sobre a lei nº 8.072/90. 3.ed.
São Paulo: Revista dos Tribunais, 1994.

FREITAS, Gilberto Passos de. Abuso de autoridade: notas de legislação,


doutrina e jurisprudência à lei nº 4.898, de 09-12-95. 7.ed. São Paulo: Revista
dos Tribunais, 1997.

JESUS, Damásio E. de. Lei das contravenções penais anotada. 8.ed. São
Paulo: Saraiva, 2001.

JESUS, Damásio E. de. Crimes de porte de arma de fogo e assemelhados:


anotações a parte criminal da lei nº 9.437/97. 3.ed. São Paulo: Saraiva, 2001.

KIST, Ataides. Responsabilidade penal da pessoa jurídica. São Paulo: LEDE,


1999.

MACHADO, Agapito. Juizados especiais criminais na justiça federal. São


Paulo: Saraiva, 2001.

__________________________________________________ 61
DIREITO FINANCEIRO
EMENTA: Atividade Financeira do Estado. Direito Financeiro: conceito e
competências. Orçamento Público: origem, conceito e natureza jurídica.
Princípios orçamentários. Leis Orçamentárias. Despesa Pública: conceito.
Classificação. Despesa Pública e a Lei de Responsabilidade Fiscal. Receita
Pública: Conceito e classificação. Crédito público: conceito e natureza jurídica.
Controle Externo: regras constitucionais de controle externo.

Bibliografia básica
HARADA, Kiyoshi. Direito Financeiro e Tributário. São Paulo: Atlas, 2006.
NASCIMENTO, Carlos Valder de. Curso de Direito Financeiro. Rio de Janeiro:
Forense, 1999.
PASCOAL, Valdecir. Direito Financeiro e Controle Externo: Teoria,
Jurisprudência e 370 Questões. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007

Bibliografia Complementar
AMARO, Luciano. Direito Tributário Brasileiro. São Paulo: Saraiva, 1999.
BASTOS, Celso Ribeiro. Curso de Direito Financeiro e de Direito Tributário.
São Paulo: Saraiva, 1997.
CAMPOS, Dejalma. Direito Financeiro e Orçamentário. São Paulo: Atlas, 1995.
LATORRACA, Nilton. Direito Tributário: imposto de renda das empresas. São
Paulo: Atlas, 1993.
LOPES, Maurício Antônio Ribeiro. Código Tributário Nacional. São Paulo:
Revista dos Tribunais, 1997.
OLIVEIRA, Regis Fernandes de. Manual de Direito Financeiro. São Paulo: RT,
2000.
WILGES, Ilmo José. Noções de Direito Financeiro. Porto Alegre: Sagra, 1996.

DIREITO EMPRESARIAL – PARTE GERAL E SOCIEDADES


EMENTA: Teoria da Empresa. Empresa. Empresário. Caracterização e
inscrição. Capacidade. Impedidos de exercer empresa. Registro empresarial.
Nome empresarial. Prepostos. Empresário irregular. Microempresa e Empresa
__________________________________________________ 62
de Pequeno Porte. Regime jurídico da livre iniciativa. Teoria geral do direito
societário: Conceito e espécies de sociedade. Personalização da sociedade
empresária. Desconsideração da personalidade jurídica. Classificação das
sociedades. Sociedade irregular. Sociedades empresárias no Novo Código
Civil. Sociedade limitada. Sociedade anônima.

Bibliografia Básica
ALMEIDA, Amador Paes. Direito de Empresa no Código Civil. São Paulo:
Saraiva, 2008.
COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de Direito Empresarial: Direito de Empresa. 21.
ed. São Paulo: Saraiva, 2009.
MARTINS, Fran. Curso de Direito Comercial: Empresa comercial, Empresários
individuais, Microempresas, Sociedades Empresárias, Fundo de comércio. 32.
ed Rio de Janeiro: Forense, 2009.

Bibliografia Complementar
COELHO, Fabio Ulhoa. Curso de Direito Comercial: Direito de Empresa. São
Paulo. Saraiva. Vol. 2.
BULGARELLI, Waldirio. Normas Jurídicas Empresariais. São Paulo: Atlas,
2000.
_______. Sociedades Comerciais. São Paulo: Atlas, 2001.
__________. Direito Comercial. São Paulo: Atlas, 2000.
COELHO, Fábio Ulhoa. Código Comercial e Legislação Complementar
Anotados. São Paulo: Saraiva, 2002.
DÓRIA, Dylson. Curso de Direito Comercial. São Paulo: Saraiva, 1997
ENGELBERG, Esther. Contratos Internacionais do Comércio. São Paulo: Atlas,
1997.
PENTEADO, Mauro Rodrigues. Consórcios de Empresa. São Paulo: Pioneira,
1979.

MÉTODOS ALTERNATIVOS PARA A SOLUÇÃO DE CONFLITOS.

__________________________________________________ 63
EMENTA: Negociação: origem, conceituação, histórico. Negociação: aspecto
sociais, políticos e econômicos. Relações interpessoais e inter-organizacionais.
Negociação e ambiente organizacional. A pessoa do negociador: criatividade e
intuição: visão holística. A negociação como atividade cotidiana. Táticas e
estratégias de negociação. Habilidades de relacionamento e tecnologia da
negociação. Mediação: princípios e conceitos fundamentais. Mediação,
jurisdição e jurisconstrução. Mediação, negociação, conciliação e transação. O
papel e a atividade do mediador. Perspectivas na mediação. Arbitragem:
princípios e conceitos fundamentais; fundamentos históricos e teoria geral.
Arbitragem e jurisdição. A arbitragem no Brasil. Análise da Lei 9.307/1996.

Bibliografia Básica
BORBA, Joselita Nepomuceno. Direito Coletivo do Trabalho e Mediação. São
Paulo. LTr. 2002.
FIGUEIRA JUNIOR, Joel Dias Manual da Arbitragem. São Paulo Revista dos
Tribunais, 1997.(5 exemp)
SOUZA NETO, João Baptista de Mello e. Mediação em juízo: abordagem
pratica para obtenção de um. São Paulo. Atlas, 1998.

Bibliografia Complementar
MAGALHAES, Jose Carlos de. Arbitragem Comercial Rio de Janeiro. Freitas
Bastos. 1996.
MUJALLI, Walter Brasil Nova Lei de Arbitragem. São Paulo. LED. 1997.
RECHSTEINER, Beat Walter. Arbitragem Privada Internacional do Brasil. São
Paulo, Revista dos Tribunais, 1997.

PRÁTICA JURÍDICA TRABALHISTA.


EMENTA: O exercício prático das atividades forenses e não forenses; a
elaboração de peças processuais e profissionais simuladas e a atuação em
processos simulados. A pauta de atividades simuladas inclui ainda o estudo de

__________________________________________________ 64
peças, rotinas e fases do processo, nos diversos procedimentos, pelo exame
de autos findos.

8º SEMESTRE

DIREITO EMPRESARIAL - TÍTULOS DE CRÉDITO E FALÊNCIA


EMENTA: Títulos de crédito. Classificação dos títulos de crédito. Operações
virtuais. Disciplina pelo Novo Código Civil. Saque. Emissão. Aceite. Endosso.
Aval. Vencimento. Pagamento. Protesto. Ação cambial. Letra de câmbio. Nota
promissória. Cheque. Duplicata. Títulos de crédito impróprios. Falência e
recuperação de devedores. Verificação e habilitação de créditos. Administrador
judicial e comitê de credores. Assembléia geral de credores. Recuperação
judicial. Requisitos, meios, pedido e processamento da recuperação judicial.
Plano de recuperação judicial. Plano para microempresas e empresas de
pequeno porte. Convolação da recuperação judicial em falência. Falência.
Classificação dos créditos. Pedido de restituição. Decretação de falência.
Inabilitação empresarial. Direitos e deveres do falido. Falência requerida pelo
próprio devedor. Arrecadação e custódia dos bens. Efeitos sobre as obrigações
do devedor. Ineficácia e revogação dos atos praticados antes da falência.
Realização do ativo. Pagamento aos credores. Encerramento da falência.
Extinção das obrigações do falido. Recuperação extrajudicial.

Bibliografia Básica
COELHO, Fabio Ulhoa. Curso de Direito Comercial: Direito de Empresa. São
Paulo: Saraiva, vol. 02, 2007.
MAMEDE, Gladston. Direito Empresarial Brasileiro – Falência e Recuperação
de Empresa. Volume 4. 1ª edição. 2006. Editora Atlas.
ALMEIDA, Amador Paes de. Teoria e prática dos títulos de crédito. 24.ed. São
Paulo: Saraiva, 2005.

Bibliografia Complementar
BULGARELLI, Waldirio. Sociedades Comerciais. São Paulo: Atlas, 1997.
COELHO, Fábio Ulhoa. Código Comercial e Legislação Complementar
Anotados. São Paulo: Saraiva, 1997.

__________________________________________________ 65
DÓRIA, Dylson. Curso de Direito Comercial. São Paulo: Saraiva, 1997.
ENGELBERG, Esther. Contratos Internacionais do Comércio. São Paulo: Atlas,
1997.
FRANCESCHINI, José Luiz Vicente de Azevedo. Títulos de Crédito e Papéis de
Crédito na Doutrina e na Jurisprudência. São Paulo: Revista dos Tribunais.
RAMALHO, Ruben. Curso Teórico e Prático de Falência e Concordatas. São
Paulo: Saraiva, 1993.
VALVERDE, Trajano de Miranda. Comentários à Lei de Falências. Rio de
Janeiro: Forense, 1999.
BULGARELLI, Waldirio. Direito Comercial. São Paulo: Atlas, 2000.
COELHO, Fábio Ulhoa. Manual do Direito Comercial. São Paulo: Saraiva,
2002.
MARTINS, Fran. Títulos de crédito.13.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2002.

REQUIÃO, Rubens. Curso de direito comercial. 25.ed. São Paulo: Saraiva,


2003. v. 1, 2.

DIREITO PROCESSUAL PENAL – Parte Geral


EMENTA: Competência: conceito, classificação, critérios determinativos.
Competência absoluta e relativa. Modificações de competência. Ação e
exceção. A ação penal e sua natureza jurídica. Condições da ação penal e
condições de procedibilidade. Elementos da ação penal. Classificação da ação
penal; pública e privada. Ação penal popular. A problemática do exercício da
ação penal: o inquérito policial. O recebimento da denúncia e da queixa. A justa
causa. Obrigatoriedade da ação penal. Exceção. Garantias constitucionais do
acusado. Prisão e liberdade. Processo e procedimento - a relação jurídica no
processo penal: sujeitos do processo; juiz e partes; pluralidade de partes;
sujeitos secundários. Assistência; terceiros. Pressupostos processuais. A
capacidade. Atos processuais. Vícios. Nulidades.

Bibliografia Básica
CAPEZ, Fernando. Curso de processo penal. São Paulo: Saraiva, 2007.
__________________________________________________ 66
MIRABETE, Júlio Fabbrini. Processo Penal. São Paulo: Atlas, 2004.
GRECO FILHO, Vicente. Manual de Processo Penal. São Paulo: Saraiva, 1997.

Bibliografia Complementar
ACOSTA, Walter P. O Processo Penal: teoria, prática, jurisprudência e
organogramas. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1991.
BONFIM, Edilson Mougenot. Júri - do Inquérito ao Plenário. São Paulo:
Saraiva, 1996.
GRECO FILHO, Vicente. Manual de Processo Penal. São Paulo: Saraiva, 1997.
JESUS, Damásio Evangelista. Código de Processo Penal Anotado. São Paulo:
Saraiva, 2001.
_______. Novíssimas Questões Criminais. São Paulo: Saraiva, 2001.
_______. Prescrição Penal. São Paulo: Saraiva, 2001.
MIRABETE, Júlio Fabbrini. Código de Processo Penal Interpretado. São Paulo:
Atlas, 1997.
_______. Execução Penal: comentários à Lei 7.210, de 11-7-84. São Paulo:
Atlas, 1997.
_______. Juizados Especiais Criminais: comentários, jurisprudência, legislação.
São Paulo: Atlas, 1997.
_______. Manual de Direito Penal. São Paulo: Atlas, 2000.
MOSSIN, Antônio Heráclito. Nulidades no Direito Processual Penal. São Paulo:
Atlas, 1998
_______. Recursos em Matéria Criminal: doutrina, jurisprudência e modelos de
petição. São Paulo: Atlas, 1997.
_______. Revisão Criminal no Direito Brasileiro. São Paulo: Atlas, 1997.
MUAKAD, Irene Batista. Pena Privativa de Liberdade. São Paulo: Atlas, 1997.
NETO, José Silva Loureiro. Processo Penal Militar. São Paulo: Atlas, 1997.
PAZZAGLINI FILHO, Marino; MORAES, Alexandre; SMANIO, Poggio;
VAGGIONE, Luiz Fernando. Juizado Especial Criminal: aspectos práticos da
Lei 9.099/95. São Paulo: Atlas, 1999.
SILVA, Marco Antônio Marques. A Vinculação do Juiz no Processo Penal. São
Paulo: Saraiva, 1993.

__________________________________________________ 67
TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Processo Penal. São Paulo: Saraiva,
1999.
GAMA, Jose de Souza. Curso de prática penal forense. Rio de Janeiro:
Renovar, 2002.

SISTEMA CONSTITUCIONAL TRIBUTÁRIO

EMENTA: Evolução do Financiamento do Estado. Conceito de Tributo. Sistema


Constitucional Tributário: Limitações Constitucionais do Poder de Tributar:
princípios constitucionais tributários, imunidades e competência tributária.
Fontes do Direito Tributário. Disciplina Constitucional dos Impostos e
contribuições. Repartição das receitas tributárias. Tributação ambiental.

Bibliografia básica
CARVALHO, Paulo de Barros. Curso de Direito Tributário. São Paulo: Saraiva,
1997.
HARADA, Kiyoshi. Direito Financeiro e Tributário. São Paulo: Atlas, 2006.
Hugo de Brito. Curso de Direito Tributário Brasileiro. São Paulo: Malheiros,
2007.

Bibliografia Complementar
AMARO, Luciano. Direito Tributário Brasileiro. São Paulo: Saraiva, 1999.
COÊLHO, Sacha Calmon Navarro. Curso de Direito Tributário Brasileiro. Rio de
Janeiro: Forense, 1999.
LATORRACA, Nilton. Direito Tributário: imposto de renda das empresas. São
Paulo: Atlas, 1993.
LOPES, Maurício Antônio Ribeiro. Código Tributário Nacional. São Paulo:
Revista dos Tribunais, 1997.
NASCIMENTO, Carlos Valder do (coordenador) e outros. Comentários ao
Código Tributário Nacional. Rio de Janeiro: Forense, 2000.
__________________________________________________ 68
NOGUEIRA, Ruy Barbosa. Curso de Direito Tributário. São Paulo: Saraiva,
1995.
PIRES, Adilson Rodrigues. Manual de Direito Tributário. Rio de Janeiro:
Forense, 2002.

DIREITO AMBIENTAL URBANO


EMENTA: O direito de todos às cidades sustentáveis. Princípios do direito
ambiental urbano. Direito ambiental urbano brasileiro. Direito Constitucional
Urbanístico. Direito Ambiental e Direito Urbanístico. Planejamento Urbano.
Desenvolvimento urbano, democracia e participação popular. O Estatuto da
cidade. Os desafios dos planos diretores. A função social da cidade e da
propriedade. Principais instrumentos urbanísticos. A reforma urbana e as
cidades da Amazônia.

Bibliografia Básica:

SILVA, José Afonso. Direito Urbanístico Brasileiro. São Paulo: Malheiros, 2006.

MUKAI, Toshio. Temas atuais de direito urbanístico e ambiental. Belo


Horizonte: Fórum, 2004.

DALLARI, Adilson Abreu; FERRAZ, Sérgio (Orgs.). Estatuto da cidade:


comentários à lei federal 10.257/2001. São Paulo: Malheiros, 2006.

Bibliografia Complementar:
FERNANDES, E. Direito Urbanístico; Belo Horizonte: Del Rey, 2003.
MUKAI, Toshio. Direito urbano-ambiental brasileiro. 2ª. ed. São Paulo:
Dialética, 2002.
DALLARI, Adilson et alli. Estatuto da Cidade. São Paulo : Malheiros, 2005.
KAUFFMANN, Ronaldo Maia. Meio Ambiente e Vida Urbana. In Revista dos
Tribunais, n.º 666, abril-1991, São Paulo: Revista dos Tribunais, pp. 246-251.
BRAZ, Petrônio. Direito Municipal na Constituição. 1.ª ed., Leme: Livraria de
Direito, 1994.
MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Municipal Brasileiro. 6.ª ed., São Paulo:
Malheiros, 1993.

__________________________________________________ 69
SOUZA, Marcelo Lopes de. Mudar a cidade: uma introdução crítica ao
planejamento e à gestão urbanos. 4ª. Edição, Rio de Janeiro: Bertrand Brasil,
2006a.
SAULE JÚNIOR, Nelson (Org.). Direito Urbanístico: vias jurídicas das
políticas públicas. Porto Alegre: Sérgio Antonio Fabris Ed., 2007.
BONAVIDES, Paulo. Teoria Constitucional da Democracia Participativa. 2.
ed. São Paulo: Editora Malheiros, 2003.
CARDOSO, Ana Cláudia Duarte (Org.). O Rural e o urbano na Amazônia:
diferentes olhares em perspectivas. Belém: EDUFPA, 2006.
CARDOSO, Ana Cláudia Duarte. Possibilidades do estatuto da cidade para
as cidades da Amazônia. 2007. Disponível em:
<http://www.comova.org.br/pdf/Possibilidades_do_Estatuto_da_Cidade_para_a
s_cidades_da_Amazonia.pdf>. Acesso em: 15 ago. 2007.
CYMBALISTA, Renato. Instrumentos de planejamento e gestão da política
urbana: um bom momento ara uma avaliação In BUENO, Laura Machado de
Mello & CYMBALISTA, Renato (org.). Planos Diretores municipais: novos
conceitos de planejamento territorial. São Paulo: Annablume, 2007.
DEXHEIMER, Marcus Alexsander. Estatuto da cidade e democracia
participativa. Florianópolis: OAB/SC Editora, 2006.
DIAS, Daniella S. Desenvolvimento Urbano. Curitiba: Juruá Editora, 2005.
OLIVEIRA, Regis Femandes de. Comentários ao Estatuto da Cidade. São
Paulo: Revista dos Tribunais, 2005.

METODOLOGIA DA PESQUISA EM DIREITO


EMENTA: A disciplina visa elaboração de projeto de pesquisa com vistas ao
TC, com tema delimitado, problema, hipótese, justificativa, objetivo,
metodologia, cronograma e revisão de literatura.

Bibliografia básica:

OLIVEIRA, Ivan Carlo Andrade de. Introdução à metodologia científica. Pará de


Minas: Virtual Books, 2009.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Metodologia do trabalho científico.


São Paulo: Atlas, 2000.

RUDIO, F.V. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis, Vozes,


2002.

Bibliografia complementar
__________________________________________________ 70
CERVO, A. L. ; BERVIAN, P.A. Metodologia científica. São Paulo: Atlas, 2002.
DESCARTES, R. Discurso do método e regras para direção do espírito.
São Paulo: Martin Claret, 2002.
DIREITO CEAP. Disponível em: http://direitoceap.blogspot.com.
ECO, U. Como se faz uma tese. São Paulo: Perspectiva, 1998.
KÖCHE, José Carlos. Fundamentos de metodologia científica. Petrópolis:
Vozes, 2003.
MEZZAROBA, Orides; MONTEIRO, Cláudia Servilha. Manual
de metodologia da pesquisa no Direito. São Paulo: Saraiva, 2004.

PRÁTICA JURÍDICA TRIBUTÁRIA


EMENTA: O exercício prático das atividades forenses e não forenses; a
elaboração de peças processuais e profissionais simuladas e a atuação em
processos simulados. A pauta de atividades simuladas inclui ainda o estudo de
peças, rotinas e fases do processo, nos diversos procedimentos, pelo exame
de autos findos.

9º SEMESTRE

DIREITO PROCESSUAL PENAL – Processos e Procedimentos


EMENTA: O procedimento comum no processo penal condenatório. O rito
sumário nas contravenções. O procedimento especial do júri. Pedido. Citação,
notificação, intimação. A defesa do réu. As exceções. Revelia. Prova. Das
provas em espécie. Processo e Procedimento - Sentença. Correlação entre
imputação e sentença. Efeitos civis da ação penal. Coisa julgada penal. Limites
objetivos e subjetivos. Processo Cautelar: prisão cautelar, fiança e liberdade
provisória; cautelas patrimoniais; cautelas referentes aos meios de prova.
Processo de Execução: jurisdicionalização da execução penal; competência;
penas privativas da liberdade, pecuniárias, restritivas de direitos; suspensão
condicional da pena; execução das medidas de segurança; incidentes da
execução. Recursos: princípios gerais. Dos recursos em espécie. Habeas
corpus. Revisão criminal.

Bibliografia básica:
__________________________________________________ 71
CAPEZ, Fernando. Curso de processo penal. São Paulo: Saraiva, 2007.
MIRABETE, Júlio Fabbrini. Processo Penal. São Paulo: Atlas, 2004.
GRECO FILHO, Vicente. Manual de Processo Penal. São Paulo: Saraiva, 1997.

Bibliografia complementar:
ACOSTA, Walter P. O Processo Penal: teoria, prática, jurisprudência e
organogramas. Rio de Janeiro, Editora do Autor, 1991.
BONFIM, Edilson Mougenot. Júri - do Inquérito ao Plenário. São Paulo:
Saraiva, 1999.
JESUS, Damásio Evangelista. Código de Processo Penal Anotado. São Paulo:
Saraiva, 1997.
_______. Novíssimas Questões Criminais. São Paulo: Saraiva, 1999.
_______. Prescrição Penal. São Paulo: Saraiva, 2001.
MIRABETE, Júlio Fabbrini. Código de Processo Penal Interpretado. São Paulo:
Atlas, 2001.
_______. Execução Penal: comentários à Lei 7.210, de 11-7-84. São Paulo:
Atlas, 1997.
_______. Juizados Especiais Criminais: comentários, jurisprudência, legislação.
São Paulo: Atlas, 2002.
MOSSIN, Antônio Heráclito. Nulidades no Direito Processual Penal. São Paulo:
Atlas, 1999.
_______. Recursos em Matéria Criminal: doutrina, jurisprudência e modelos de
petição. São Paulo: Atlas, 1997.
_______. Revisão Criminal no Direito Brasileiro. São Paulo: Atlas, 1997.
MUAKAD, Irene Batista. Pena Privativa de Liberdade. São Paulo: Atlas, 1997.
NORONHA, Edgar Magalhães de. Curso de Direito Processual Penal. São
Paulo: Saraiva, 1994.
SILVA, Marco Antônio Marques. A Vinculação do Juiz no Processo Penal. São
Paulo: Saraiva, 1993.
TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Prática de Processo Penal. São Paulo:
Saraiva, 1997.

__________________________________________________ 72
DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO E PRIVADO
EMENTA: Evolução histórica do Direito Internacional. Sujeitos do Direito
internacional. Relação entre o Direito Interno e o Direito Internacional. Atos
jurídicos internacionais. Atos internacionais. Tratados internacionais. Atos das
Organizações Internacionais. Codificação: conceito, processo, efeitos. O
Estado como pessoa internacional: elementos constitutivos. A soberania do
Estado e a ordem jurídica internacional. As Organizações Internacionais.
Organização das Nações Unidas: origem, estatuto, natureza jurídica,
composição. Estrutura das Nações Unidas. A Organização dos Estados
Americanos. Espaços Comuns Internacionais: alto-mar e fundos oceânicos.
Espaço aéreo e sideral. Zonas polares. Contencioso Internacional. Preceitos
básicos sobre solução de litígios. Solução pacífica e não pacífica de conflitos.
Processos políticos. Processos jurídicos. Medidas coercitivas. Natureza do
Direito Internacional Privado. Nacionalismo e Internacionalismo. Direito
Uniforme. Direito Comparado. Estrutura, função e natureza das normas de
Direito Internacional Privado. Objeto do Direito Internacional Privado: a
nacionalidade. Condição jurídica do estrangeiro e conflito de leis.
Reconhecimento internacional dos direitos adquiridos. Fundamento do Direito
Internacional Privado. O problema técnico conflitual: elementos de conexão.
Nacionalidade e domicílio. Qualificação, renúncia e devolução. Exceções à
aplicação do direito estrangeiro. Questões primordiais acerca do Mercosul.
Aspectos analítico-críticos dos principais institutos jurídicos, pela ótica do
Direito Internacional Privado: Pessoas Físicas; Casamento e Divórcio; Filiação
e Assistência; Sucessão Legítima e Sucessão Testamentária.

Bibliografia Básica
DEL'OLMO, Florisbal de Souza. Curso de Direito internacional público. Rio de
Janeiro: Forense, 2003.
MATTOS, Adherbal Meira. Direito Internacional Público. Rio de Janeiro:
Renovar, 2002.
ARAÚJO, Nádia. Direito Internacional Privado: Teoria e prática brasileira. Rio
de Janeiro: Renovar, 2007.

Bibliografia Complementar
ARAÚJO, Luís Ivani de Amorin. Curso de Direito Internacional Público. Rio de
Janeiro: Forense, 2002.
__________________________________________________ 73
CASELLA, Paulo Borba. Mercosul: Integração Regional e Globalização. Rio de
Janeiro: Renovar, 2000.
MELLO, Celso D. de Albuquerque. Direito Internacional Público, Tratados e
Convenções. Rio de Janeiro: Renovar, 1997.
PINHO, Ruy Rebelo. Instituições de Direito Público e Privado. São Paulo: Atlas,
2004.
STRENGER, Irineu. Arbitragem Comercial Internacional. São Paulo: LTr, 1996.
ACCIOLY, Hildebrando e NASCIMENTO E SILVA, Geraldo Eulálio. Manual de
Direito Internacional Público. São Paulo: Saraiva, 1996.
REZEK, F. J. Direito Internacional Público (curso elementar). São Paulo:
Saraiva, 1996.
AMORIM, Edgar Carlos de. Direito Internacional Privado. Rio de Janeiro:
Forense, 1995.
BATALHA, W. C. Tratado de Direito Internacional Privado. São Paulo: RT 1977.
RECHSTEINER, Walter Beat. Direito Internacional Privado - Teoria e Prática.
São Paulo: Saraiva, 2004.

DIREITO TRIBUTÁRIO
EMENTA: Relação jurídica tributária. Norma jurídica tributária. Normas gerais
de Direito Tributário. Legislação tributária: vigência, aplicação, interpretação e
integração. Obrigação tributária: classificação, fato gerador e sujeitos da
obrigação. Sujeito passivo da obrigação tributária. A sucessão empresarial por
reorganização (transformação, fusão ou incorporação) ou extinção e por
aquisição de empresas. A responsabilidade tributária dos sócios das
sociedades de pessoas e de capital. A substituição tributária: conceito e regime
jurídico. Crédito tributário: lançamento e suas modalidades; suspensão,
extinção e exclusão do crédito tributário; garantias e privilégios.
Bibliografia básica
CARVALHO, Paulo de Barros. Curso de Direito Tributário. São Paulo: Saraiva,
1997.
HARADA, Kiyoshi. Direito Financeiro e Tributário. São Paulo: Atlas, 2006.
Hugo de Brito. Curso de Direito Tributário Brasileiro. São Paulo: Malheiros,
2007.
__________________________________________________ 74
Bibliografia Complementar
AMARO, Luciano. Direito Tributário Brasileiro. São Paulo: Saraiva, 1999.
COÊLHO, Sacha Calmon Navarro. Curso de Direito Tributário Brasileiro. Rio de
Janeiro: Forense, 1999.
LATORRACA, Nilton. Direito Tributário: imposto de renda das empresas. São
Paulo: Atlas, 1993.
LOPES, Maurício Antônio Ribeiro. Código Tributário Nacional. São Paulo:
Revista dos Tribunais, 1997.
NASCIMENTO, Carlos Valder do (coordenador) e outros. Comentários ao
Código Tributário Nacional. Rio de Janeiro: Forense, 2000.
NOGUEIRA, Ruy Barbosa. Curso de Direito Tributário. São Paulo: Saraiva,
1995.
PIRES, Adilson Rodrigues. Manual de Direito Tributário. Rio de Janeiro:
Forense, 2002.

DISCIPLINA ELETIVA
EMENTA: Disciplina escolhida pelo aluno entre aquelas constantes da lista
previamente estipulada pelo CEAP, conforme apresentado no Projeto
Pedagógico do Curso de Direito.

Trabalho de Curso
EMENTA: elaboração de monografia jurídica de acordo com as normas da
ABNT e das instruções para monografia do curso de Direito do CEAP.

HISTÓRIA DO DIREITO
Ementa: Conceito e princípios da análise histórica. Direito primitivo. Direito na
antiguidade Clássica: Roma e Grécia. Direito Feudal e dogmática canônica.
Formação do Direito Moderno: Privado e Público. Cultura jurídica
contemporânea. Trajetória do direito Brasileiro.
Bibliografia Básica

__________________________________________________ 75
NASCIMENTO, W. V. do. Lições de História do Direito. Rio de Janeiro:
Forense. 2007.
LOPES, Jose Reinaldo de Lima. Direito na História. Max Limonadi. São Paulo
2002.
SILVA, Carlos Eduardo Mello. Compilações de informações sobre a história do
pensamento jurídico. Belém. Ed. Smith, 2002.
Bibliografia Complementar
WOLKMER, Antonio Carlos. Fundamentos de Historia do Direito. Del Rey. Belo
Horizonte, 2000.
ALTAVILA, Jayme. Origem dos Direitos dos Povos. Icone. São Paulo. 2001.
MIRANDA, Pontes de. Historia e Pratica do Habeas Corpus. Bookseller. São
Paulo, 1999.
WIEACKER, Franz. Historia do direito privado moderno. Fundação Calouste
Gulbenkian Lisboa, S/D.

10º SEMESTRE

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL


EMENTA: Levantamento, configuração e análise crítico-reflexiva das questões
de natureza jurídica que a vida, em suas diferentes manifestações, propõe ao
Direito. Lógica, conhecimento e mito. Desafios contemporâneos: o lugar do
homem na sociedade. O homem como ser-no-mundo - a natureza, a linguagem
e a cultura. A dimensão ética da ação humana: fenomenologia do etos. Ética.
Ciência, cultura e política. Ética e Direito. Ética Profissional no âmbito das
diversas profissões jurídicas. O papel do profissional no contexto social
brasileiro. Funções específicas, relações interdisciplinares e estratégias de
ação do profissional do Direito. Deveres e proibições. Deveres em relação aos
colegas e a classe. A Ordem dos Advogados do Brasil.

Bibliografia Básica
MARTINS, Ives Gandra da Silva. Ética no Direito e na Economia. Del Rey. São
Paulo, 1999.
__________________________________________________ 76
NALINI, J. R. Ética Geral e Profissional. São Paulo: RT, 1997, 1999 e 2004.
VALLS, Álvaro L. M. O que é ética. São Paulo: Brasiliense, 1992.

Bibliografia Complementar
COSTA, Elcias Ferreira. Deontologia Jurídica – Ética das Profissões. Rio de
Janeiro: Forense, 1996.
HUSSNI, Debora J. Resumo Jurídico Estatuto da OAB e Código de Ética. São
Paulo. 2005
LÔBO, Paulo Luiz Neto. Comentários ao Novo Estatuto da Advocacia e da
OAB. Brasília: Brasília Jurídica.
MARCILIO, Maria Luiza; RAMOS, Ernesto Lopes. Ética na Virada do Milênio:
Busca do Sentido da Vida. São Paulo: LTr, 1997.
BERLANGA, Tayon Soffener. Ética Geral e Profissional. Unimar São Paulo,
1999

DIREITO DA SEGURIDADE SOCIAL


EMENTA: Evolução histórica da Seguridade Social no Brasil e no Mundo: as
metas. A história sócio-econômica e política do Brasil. O Estado do Bem-Estar
Social e a concepção neoliberal: principais questionamentos. Constituição
Federal de 1988 e o Direito da Seguridade Social. Das Emendas
Constitucionais. Estudo da legislação infraconstitucional. Sistemas
previdenciários existentes no Direito brasileiro. Princípios e fundamentos do
ordenamento constitucional brasileiro. Leis de Custeio e de Benefícios.

Bibliografia Básica
BALERA, Wagner. Curso de Direito Previdenciário. São Paulo: LTr, 2002.
COIMBRA, F. Direito Previdenciário Brasileiro. Rio de Janeiro: Trabalhista,
2001.
MARTINS, Pinto Sérgio. Direito da Seguridade Social. São Paulo: Atlas, 2007.

Bibliografia Complementar
CARBONE, Célia Opice. Seguridade Social no Brasil: ficção ou realidade. São

__________________________________________________ 77
Paulo: Atlas, 1997.
ZAINAGHI, Domingos Sávio. Curso de Legislação Social. São Paulo: Atlas,
1998.
GONÇALES, Odonel Urbano. Manual de Direito Previdenciário. São Paulo.
Atlas, 1998.

DISCIPLINA ELETIVA
Ementa: Disciplina escolhida pelo aluno entre aquelas constantes da lista
previamente estipulada pelo CEAP, conforme apresentado no Projeto
Pedagógico do Curso de Direito.

DIREITO DO CONSUMIDOR
Ementa: Direito do Consumidor: Noções Introdutórias e Conceitos Básicos.
Direitos básicos do consumidor. Responsabilidade civil pelo fato do produto.
Responsabilidade civil por vicio do produto e do serviço. Decadência e
prescrição na relação de consumo. Desconsideração da personalidade jurídica
e sua conseqüência em face do Direito do Consumidor. Contratos mercantis e
normas contratuais do Código de Defesa do Consumidor. Proteção contratual:
cláusulas abusivas; contrato de adesão. Sistema nacional de defesa do
consumidor. A Defesa do Consumidor em Juízo. A tutela administrativa das
relações de consumo. A tutela individual do consumidor em juízo. Crimes
contra o consumidor: tipicidade e antijuridicidade.

Bibliografia Básica
ANDRADE, Ronaldo Alves de. Curso de Direito do Consumidor. Barueri:
Manole, 2006.
FERNANDES, Daniela Bacellar. Responsabilidade Civil e Direito do
Consumidor. Curitiba: Juruá, 2006.
FILOMENO, José Geraldo Brito. Manual de Direito do Consumidor. São Paulo:
Atlas, 2004.

Bibliografia Complementar
ALMEIDA, João Batista de. A Proteção Jurídica do Consumidor. São Paulo:
Saraiva, 2002.
__________________________________________________ 78
BULGARELLI, Waldirio. Questões Contratuais no Código de Defesa do
Consumidor. São Paulo: Atlas, 1999.
CARIGE, Washington Araújo. Dicionário de Direito do Consumidor. São Paulo:
Saraiva, 1999.
OLIVEIRA, Juarez de. Código de Proteção e Defesa do Consumidor
(Legislação). São Paulo: Saraiva, 1994.

TUTELA JUDICIAL DO MEIO AMBIENTE


EMENTA: O bem ambiental. Direitos Difusos e Direitos Individuais. Os meios
de obtenção de provas: inquérito civil e outros procedimentos investigatórios.
Tutela dos Direitos Individuais, Coletivos e Difusos. Ação Civil Pública.
Responsabilidade: Conceitos, modalidades e princípios. Responsabilidade Civil
do Particular e do Estado por ação e por omissão. Teorias do Risco.
Responsabilidade Civil Objetiva. Passivos Ambientais. Processo Penal
Ambiental. Os Termos de Ajustamento de Condutas. O princípio da
participação e a democratização do acesso à Justiça Ambiental.

Bibliografia Básica

ABELHA, Marcelo. Ação Civil Pública e Meio Ambiente. 2 e.d. Rio de Janeiro:
Forense Universitária. 2004.
MILARÉ, Édis. Processo coletivo do ambiente. In: BENJAMIN, Antonio Herman
V. Dano ambiental, prevenção, reparação e repressão, função ambiental. São
Paulo: Revista dos Tribunais, 1993. 470 p.
CARVALHO, Érika Mendes de. Tutela Penal do Patrimônio Florestal Brasileiro.
São Paulo: Revista dos Tribunais, 1999.

Bibliografia Complementar
MANCUSO, Rodolfo de Camargo. Interesses Difusos: Conceitos E Legitimação
Para Agir. São Paulo: RT, 2000.
AGUIAR DIAS, José de. Da Responsabilidade Civil. Rio de Janeiro: Forense,
1994.
CANOTILHO, José Joaquim Gomes. Proteção ao Meio Ambiente e Direito de
Propriedade: Crítica de Jurisprudência Ambiental. Coimbra: Coimbra Editora,
1995.
FARIAS, Paulo José Leite. Competência Federativa e Proteção Ambiental.
__________________________________________________ 79
Porto Alegre: Sergio Antônio Fabris Editor, 1999.
FREITAS, Vladimir Passos de; e FREITAS, Gilberto Passos de. Crimes Contra
a Natureza. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2000
NERO, Patrícia Aurélia Del. Propriedade Intelectual: A Tutela Jurídica da
biotecnologia. São Paulo: RT, 1998.
OLIVEIRA, Helli Alves de. Da Responsabilidade do Estado por Danos
Ambientais. Rio de Janeiro: Forense, 1990.
ROLIM, Maria Helena Fonseca de Souza. A Tutela Jurídica dos Recursos Vivos
do Mar na Econômica Exclusiva. São Paulo: Max Limonad, 1998.
VITTA, Heraldo Garcia. O Meio Ambiente e a Ação Popular. São Paulo:
Saraiva, 2000.
MILARÉ, Édis. “Tutela Jurídica do Meio Ambiente”, Editora Revista dos
Tribunais, n.º 605, p.21.
BARROSO, Luís Roberto. “Proteção do Meio Ambiente na Constituição
Brasileira”, Revista Trimestral de Direito Público, Malheiros Editores, n.º 02, p.
59.
FERRAZ, Sérgio. “Responsabilidade Civil por Dano Ecológico”, Revista de
Direito Público”, Editora Revista dos Tribunais, n.º 49-50, p. 35.
ANDRADE, Lourenço Agostini de. “A Tutela ao Meio Ambiente e a
Constituição”, COAD/ADV, Seleções Jurídicas, Fevereiro de l990.

PRADO, Luiz Regis. Crimes Contra o Ambiente. São Paulo: Revista dos
Tribunais, 1998.

Leite, José Rubens Morato. Dano Ambiental: do individual ao coletivo


extrapatrimonial. São Paulo: RT,2000.
LEME MACHADO, Paulo Affonso. Responsabilidade Civil – dano ecológico –
processo civil dos poluidores. Revista Justicia, São Paulo, vol. 48, n.º 133, p.
63-69, 1986.

PRÁTICA JURÍDICA CRIMINAL


EMENTA: O exercício prático das atividades forenses e não forenses; a
elaboração de peças processuais e profissionais simuladas e a atuação em
processos simulados. A pauta de atividades simuladas inclui ainda o estudo de
peças, rotinas e fases do processo, nos diversos procedimentos, pelo exame
de autos findos; e o treinamento simulado de técnicas de negociação,
conciliação e arbitragem. O Mini Júri se responsabilizará pela simulação a mais
aproximada possível do julgamento do réu pelo Tribunal do Júri.
DISCIPLINAS ELETIVAS:
__________________________________________________ 80
DIREITO ELEITORAL
EMENTA: Conceito. Objetivo. Fontes. Relações com as demais disciplinas
jurídicas. Evolução Histórica. Direito Eleitoral no Brasil. Organização Eleitoral.
Sufrágio. Representação política. Sistemas Eleitorais. Capacidade Eleitoral.
Elegibilidade. Justiça Eleitoral. Ministério Público na Justiça Eleitoral. Fases do
Processo Eleitoral. Garantias Eleitorais. Invalidade dos Atos Eleitorais.
Recursos Eleitorais. Crimes Eleitorais. Processos Penal e Processo Disciplinar
no Direito Eleitoral. Propaganda Política. Partidos Políticos.

Bibliografia Básica
RODRIGUES, Besaliel de Oliveira. Dicionário de Direito Eleitoral Brasileiro.
Macapá Edições da Amazônia, 2006
BRASIL, Leis e Decretos. Legislação Eleitoral. Brasília Editora: Senado
Federal, 2000.
CANDIDO, Joel J. Direito Eleitoral Brasileiro. São Paulo: Edipro, 1998.
VELLOSO, Carlos Mário da Silva. Direito Eleitoral. Belo Horizonte: Del Rey,
1996.
Bibliografia Complementar
OLIVEIRA, Juarez de. Código Eleitoral: (Lei n. 4.737, de 15 de julho de 1965).
São Paulo Editora: Saraiva, 1994.
NIESS, Pedro Henrique Távora. Ação Rescisória Eleitoral. Belo Horizonte: Del
Rey, 1997.
NOGUEIRA, José da Cunha. Manual Prático de Direito Eleitoral. Rio de
Janeiro: Forense, 1992.
TELES, Ney Moura. Direito Eleitoral. São Paulo: Atlas, 1997.

MEDICINA LEGAL
EMENTA: Conceitos básicos de Medicina Forense e suas aplicações no
mundo jurídico. Noções gerais. Instituto Técnico e Científico de Polícia.
Apresentação das principais técnicas periciais da Medicina Forense.
Diagnósticos legais. Documentos médicos legais. Determinação médico-
forense do sexo. Impotência masculina e feminina. Apresentação dos principais
problemas traumatológicos e sua relevância jurídica. Meios produtores de

__________________________________________________ 81
lesões, sevícias, torturas e simulação. Energias vulnerantes físicas, químicas e
mecânicas. Instrumentos. Lesões. Classificação. Asfixiologia. Energias
asfictícias. Laudo de exame de lesão corporal. Tanatologia Forense. Conceito e
diagnóstico médico-forense de morte. Homicídio, suicídio, acidentes, morte
cerebral e cárdio-respiratória, eutanásia e transplante. Sexologia Forense:
casamento, controle de natalidade, planejamento familiar, inseminação artificial,
doenças sexualmente transmissíveis.

Bibliografia Básica
ALMEIDA JR., A. F. de.; COSTA JÚNIOR, J. B. e. Lições de Medicina Legal.
São Paulo: Nacional, 1986.
FRANCO, Paulo Alves. Medicina Legal Aplicada. São Paulo. LED, 1999.
COSTA JÚNIOR, J. B. de O. e. Lições de medicina legal.São Paulo.
Companhia Editora Nacional, 1998.

Bibliografia Complementar
CROCE, Delton. Manual de Medicina Legal São Paulo. Impactus, 1998
FAVERO, Flaminio. Medicina Legal São Paulo. Martins Fontes, 1966.
GOMES, Helio. Medicina Legal São Paulo. Feitas Bastos, 1994.

LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS – LIBRAS


EMENTA: Vocabulário básico da LIBRAS. Dicionário da Língua Brasileira de
Sinais – LIBRAS. Expressão corporal e facial. Alfabeto manual. Sinais.
Convenções da LIBRAS. Parâmetros da Língua Brasileira de Sinais. Estrutura
gramatical da LIBRAS. Princípios lingüísticos. Diálogos e narrativas na LIBRAS.

Bibliografia Básica
CAPOVILLA, Fernando César; RAPHAEL, Walkiria D. Dicionário Enciclopédico
Ilustrado Trilíngüe – Língua de Sinais Brasileira. Vols. 1 e 2. São Paulo:
EDUSP, 2002.
QUADROS, Ronice M. de; KARNOPP, Lodenir Becker. Língua de Sinais
Brasileira – Estudos Lingüísticos. Porto Alegre: Artmed, 2003.

__________________________________________________ 82
SILVA, Ivani Rodrigues; KAUCHAKJE, Samira; GESUELI, Zilda Maria.
Cidadania, Surdez e Linguagem – Desafios e Realidades. São Paulo: Plexus,
2003.

Bibliografia Complementar
CAPOVILLA, Fernando César; RAPHAEL, Walkiria D. Enciclopédia da Língua
de Sinais Brasileira. Vols. 01 e 08. São Paulo: EDUSP, 2005.
CARVALHO, Ilza Silva de; CASTRO, Alberto R. de. Comunicação por Língua
Brasileira de Sinais. Brasília: Senac, 2005.

LEGISLAÇÃO APLICADA ÀS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE


PEQUENO PORTE
Ementa: Histórico das microempresas no mundo e no Brasil. Evolução da
legislação protetiva da microempresa no Brasil. Estatuto da Microempresa e da
Empresa de pequeno porte. Simples Nacional. Aplicação do simples nacional
no estado e nos municípios do Amapá.

Bibliografia Básica
Hugo de Brito. Curso de Direito Tributário Brasileiro. São Paulo: Malheiros,
2007.
MENDES. Paulo Sergio Abreu Mendes. Guia de Tributação da Microempresa e
da Empresa de pequeno porte: o SuperSimples. Macapá: CEAP, 2006.
SEBRAE AMAPÁ. SIMPLES ESTADUAL: Guia da Microempresa e da Empresa
de pequeno porte no estado do Amapá. Macapá: SEBRAE, 2009.

DIREITO AGRÁRIO
EMENTA: Direito agrário: conceito, natureza jurídica, conteúdo e fontes.
Princípios gerais peculiares do direito agrário. O direito agrário e a Constituição
Federal. O direito agrário e a reforma agrária. Organização da propriedade
territorial rural – registros públicos, evolução da propriedade territorial rural no
Brasil. Zoneamento rural, latifúndio e minifúndio. Desmembramento e

__________________________________________________ 83
loteamentos. Cadastro e tributação rural. Direito agrário e meio ambiente.
Problemas amapaenses de registro de terras.

Bibliografia Básica:
OLIVEIRA, Umberto Machado de. Princípios de direito agrário na constituição
vigente. Curitiba: Juruá, 2006.
MARQUES, Benedito Ferreira. Direito agrário brasileiro. 7 ed. São Paulo: Atlas,
2007.
OPITZ, Oswaldo e OPITZ, Silvia. Curso completo de direito agrário. 3 ed. São
Paulo: Saraiva, 2009.

Bibliografia Complementar:
BARROSO, Lucas A. e PASSOS, Cristiane L. Direito agrário contemporâneo.
Minas Gerais: Del Rey, 2004.
MARQUES, Benedito Ferreira. Direito agrário brasileiro. 7ª ed. São Paulo:
Atlas. 2007.
MARQUESI, Roberto Wagner. Direitos reais agrários e a função social. Santa
Catarina: Juruá, 2001.
TOURINHO NETO, Fernando da Costa et all. Introdução crítica ao direito
agrário. São Paulo: Imprensa Oficial SP, 2002.

Visite regularmente a página da internet do CEAP


Lá você poderá ler as notícias da Instituição, acessar informações, tirar
dúvidas, contatar a Direção, consultar notas, obter apostilas e planos de ensino
dos professores, entre outros serviços.
O endereço é: www.ceap.br

__________________________________________________ 84
Você tem acesso aos links de várias revistas jurídicas e ao sítio do BDJUR
(BIBLIOTECA DIGITAL) organizada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) –
Os links das revistas estão disponíveis no Espaço Acadêmico.

CONHEÇA O BLOG DO CURSO


DE DIREITO DO CEAP

direitoceap.blogspot.com
Comente, participe das enquetes e mande sua
colaboração para o e-mail
helderferreira_ap@hotmail.com e
profacamilailario@hotmail.com

__________________________________________________ 85