Você está na página 1de 2

30/10/2018 Código Civil português – Wikipédia, a enciclopédia livre

Código Civil português
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
O Código Civil português vigente foi aprovado a 25 de Novembro de 1966, e entrou em vigor a 1 de Junho de 1967,
revogando o primeiro Código Civil, elaborado pelo Visconde de Seabra e que entrara em vigor em Portugal quase um
século antes, em 1868. O seu texto foi redigido por uma equipa de Professores de Direito que na revisão e fase final foi
presidida pelo professor João de Matos Antunes Varela,  motivo  pelo  qual  é  frequente  ser  conhecido  por  "Código  de
Varela"  por  oposição  ao  "Código  de  Seabra"  anterior;  outros  professores  de  Direito  que  participaram  no
empreendimento foram Adriano Vaz Serra, Fernando Pires de Lima, António Ferrer Correia, Vasco Labo Xavier e Rui
de Alarcão (U. de Coimbra) e Manuel Duarte Gomes da Silva e Inocêncio Galvão Teles (U. de Lisboa).

O Código adopta a classificação germânica dos ramos de direito civil, conforme o BGB (acrônimo para Bürgerliches
Gesetzbuch, o Código Civil Alemão de 1900), sendo dividido em cinco livros:

1. Parte Geral, que trata dos princípios gerais do Direito Civil em Portugal.
2. Direito das Obrigações, estuda as espécies obrigacionais, suas características, efeitos e extinção.
3. Direitos Reais, trata dos direitos de propriedade, dos bens móveis e imóveis, bem como das formas pelas quais
esses direitos podem ser transmitidos.
4. Direito da Família, contém normas jurídicas relacionadas com a estrutura, organização e proteção da família, e
obrigações e direitos decorrentes dessas relações.
5. Direito das Sucessões, cuida da transmissão de bens, direitos e obrigações em decorrência da morte.
O  quarto  livro,  que  trata  da  constituição  e  funcionamento  das  relações  familiares  foi  substancialmente  alterado  em
1977,  na  sequência  da  Revolução  do  25  de  Abril  e,  em  2010,  pela  aprovação  legal  do  casamento  entre  pessoas  do
mesmo sexo, mas todos os outros têm sofrido apenas alterações pontuais.

O Código Civil português vigora ainda em algumas das antigas Províncias Ultramarinas portuguesas. Em Macau, já
não vigora, tendo sido substituído pelo Código Civil de Macau de 1999, que representa uma atualização e adaptação
do Código de 1966.

História
Antes da aprovação do primeiro Código Civil por carta de lei de 1 de Julho 1867, com entrada em vigor no dia 22 de
Março de 1868, Portugal tinha um sistema jurídico baseado no direito romano. A legislação portuguesa foi compilada
em três grandes códigos ou ordenações:

Código Afonsino ou Ordenações Afonsinas, 1448 (formalmente em 1446 por D. Pedro, Duque de Coimbra);
Código Manuelino ou Ordenações Manuelinas, 1512­1520 (por D. Manuel I; modificado em 1526, 1533 e 1580);
Código Filipino ou Ordenações Filipinas, 1603. Embora muito alteradas, constituíram a base do direito português
até a promulgação dos sucessivos códigos do século XIX. Algumas disposições das Ordenações Filipinas tiveram
vigência no Brasil até o advento do Código Civil de 1916.

Ver também
Código Civil brasileiro

Bibliografia

https://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%B3digo_Civil_portugu%C3%AAs 1/2
30/10/2018 Código Civil português – Wikipédia, a enciclopédia livre

MENEZES CORDEIRO, António de ­ Tratado de direito civil (vários volumes), Coimbra:
Almedina

Obtida de "https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Código_Civil_português&oldid=51390515"

Esta página foi editada pela última vez às 19h59min de 28 de fevereiro de 2018.

Este texto é disponibilizado nos termos da licença Atribuição­CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada (CC BY­SA 3.0) da
Creative Commons; pode estar sujeito a condições adicionais. Para mais detalhes, consulte as condições de
utilização.

https://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%B3digo_Civil_portugu%C3%AAs 2/2