Você está na página 1de 5

Questões Discursivas

( STM, 2018, CESPE) -


1- A realidade brasileira, em uma de suas faces mais
perversas, a das desigualdades sociais decorrentes da origem racial,
tem sido questionada e fortemente combatida por diversos setores da
sociedade, que ampliaram o debate público sobre a questão racial e
intensificaram na última década as discussões sobre como o setor
público poderia comprometer-se mais efetiva e continuamente com a
prevenção e o combate ao racismo e às desigualdades raciais. O
processo é contraditório e exacerba questões que por séculos o país
tenta silenciar. A tarefa é árdua, pois o racismo perpassa todas as
esferas da vida cotidiana, se reproduz nas instituições e constantemente
é naturalizado. M.C. Eurico. A percepção do assistente social acerca do
racismo institucional. In: Revista Serviço Social e Sociedade, São Paulo,
n.º 114, p.298, abr./jun./ 2013. Considerando que o fragmento de texto
acima tem caráter unicamente motivador, disserte acerca do
posicionamento do serviço social diante do histórico racismo construído
na sociedade brasileira. Ao elaborar seu texto, aborde os seguintes
tópicos:

1- Construção do racismo brasileiro e sua institucionalização;


2- Nexos entre as relações raciais e a questão social brasileira e suas múltiplas
expressões;
3- Debate sobre a questão racial pelo conjunto da categoria profissional —
desafios e posicionamento político.

- Resposta: 1- O candidato deve discorrer sobre as relações raciais no Brasil; a


situação de vulnerabilidade e invisibilidade nas suas especificidades, para as
ações das políticas públicas, em que ainda vive a população negra; o
preconceito racial e as implicações político-sociais; o consenso generalizado
de ausência de racismo, que impede que as desigualdades sociais sejam
tratadas na perspectiva das relações de classes e das relações raciais; como
também, mencionar que o racismo não pode ser atribuído ao indivíduo
isoladamente, já que perpassa as diversas relações sociais,
institucionalizando-se, por meio de práticas discriminatórias entranhadas nas
instituições públicas e privadas. 2- O candidato deve discorrer sobre como a
questão social carrega a expressão da questão racial e impede a efetivação
dos direitos sociais constitucionalmente previstos. Nesse ponto, ele poderá
citar algumas das múltiplas expressões da questão social e seu reforço ao
racismo. 3- O candidato deve discorrer sobre o posicionamento político do
serviço social diante do racismo, posicionamento esse que se encontra
nitidamente assinalado em um conjunto de valores, presentes no Código de
Ética do Assistente Social (1993), o qual introduz a questão da não
discriminação como um de seus princípios fundamentais. Ele deve fazer
menção ao projeto societário a que o projeto ético-político da categoria se
vincula, o qual visa construir uma nova ordem social, que opta pela recusa à
exploração e à dominação de classe, etnia e gênero e pela defesa dos direitos
humanos e pela rejeição aos preconceitos. Espera se que o candidato também
destaque, diante da incipiência das ações por parte dos assistentes sociais, na
perspectiva de eliminação do preconceito racial, alguns dos desafios a serem
enfrentados por essa categoria profissional: perseguir a efetivação dos
princípios que norteiam o trabalho do assistente social; contribuir para que a
questão racial esteja na agenda nacional, de maneira que esse tema se
transforme em objeto de políticas públicas; colaborar para a democratização do
acesso da população negra às políticas públicas existentes; aprofundar as
pesquisas e ampliar o debate acerca das relações raciais, a partir do
referencial teórico-metodológico que garante a direção social do atual projeto
ético-político do serviço social.

2- ( ES, 2015
De acordo com a Tipificação Nacional de Serviços
- AOCP )

Socioassistenciais (Resolução CNAS Nº. 109/2009), o Serviço de Convivência


e Fortalecimento de Vínculo é um serviço de proteção social básica ofertado de
forma complementar ao Serviço de Proteção e Atendimento Integral às
Famílias (PAIF), principal serviço de proteção básica, e referenciado ao Centro
de Referência de Assistência Social (CRAS). Tendo como referência o texto
acima, disserte em no mínimo 10 linhas sobre as competências e habilidades
do profissional de Serviço Social no trabalho social com famílias na perspectiva
do SUAS.

- Resposta: O trabalho social com família em situação de vulnerabilidade


social é um grande desafio na contemporaneidade frente aos novos arranjos
familiares presente na sociedade atual, o que demanda para o Estado a
responsabilidade de investir em programas de proteção básica e especial
conforme está previsto na Política de Assistência Social - PNAS e Sistema
Único de Assistência Social – SUAS. A equipe técnica é composta por
assistentes sociais, psicólogos e educadores sociais que tem como objetivo
acompanhar os indivíduos e famílias em situação de vulnerabilidade social,
que são atendidos nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS),
através dos Programas de Atenção Integral à Família (PAIF). O trabalho do
assistente social na composição da equipe interdisciplinar é de grande
relevância porque vai desde a entrevista para realização do diagnóstico,
utilizando-se de técnicas da escuta qualificada, relatório social dentre outros
para compor o perfil do usuário atendido frente as suas necessidades. Cabe
ainda, entre outras demandas, o encaminhamento dos indivíduos para cursos
de qualificação técnica, a exemplo do PRONATEC para a inclusão no mercado
de trabalho. Sendo o principal objetivo do trabalho social com famílias
vulneráveis, a sua emancipação e o protagonismo social.

Como o SUAS- Sistema Único de Assistência Social organiza o


3- (M .P., PR, 2014 –ESSP) -
atendimento de proteção social?

- Resposta: O SUAS organiza as ações da assistência social em dois tipos de


proteção social. A primeira é a Proteção Social Básica, destinada à prevenção
de riscos sociais e pessoais, por meio da oferta de programas, projetos,
serviços e benefícios a indivíduos e famílias em situação de vulnerabilidade
social. A segunda é a Proteção Social Especial, destinada a famílias e
indivíduos que já se encontram em situação de risco e que tiveram seus
direitos violados por ocorrência de abandono, maus-tratos, abuso sexual, uso
de drogas, entre outros aspectos.

A trajetória do serviço social também conta com a luta contra o


conservadorismo — um dos principais objetivos do projeto ético-político,
objetivado no Código de Ética, nas diretrizes curriculares e na lei de
regulamentação da profissão. Sendo assim, o combate ao preconceito,
inerente ao conservadorismo, é atual e necessário em um cenário em que a
luta de classes e a luta entre projetos societários e profissionais estão
evidentes.
CFESS. O que é preconceito? Série Assistente social no combate ao preconceito. Caderno 1. Brasília: CFESS, 2016, p. 8.

Considerando que o fragmento de texto acima tem caráter unicamente


motivador, redija um texto dissertativo acerca do seguinte tema. As razões que
justificam a recusa do preconceito pelos(as) assistentes sociais
Ao elaborar seu texto, aborde:
1- Um princípio do Código de Ética do Assistente Social; [valor: xx pontos]
2- As implicações do preconceito à concretização do projeto ético-político
profissional. [valor: XX pontos]

Questões objetivas

1- Nos últimos trinta anos, os Assistentes Sociais têm sido demandados ao


desenvolvimento de um exercício profissional direcionado à construção de uma
nova ordem social, sem exploração/dominação de classe, etnia, gênero,
através de posicionamentos radicalmente favoráveis à consolidação da
democracia, conforme preconizado pelo arsenal técnico, legal, teórico e
metodológico, conhecido como Projeto Ético Político do Serviço Social.
(MOTA, 2011).

Em relação ao Projeto, analise as afirmações a seguir.

I. O Projeto Ético Político do Serviço Social tem suas origens entre o final da
década de setenta e início dos anos oitenta do século passado, a partir de uma
crescente recusa e crítica dos profissionais aos métodos conservadores e
tradicionais utilizados na prática profissional. Esses métodos, reproduzidos das
escolas europeias e americanas base de formação técnica dos primeiros
profissionais eram tidos como distanciados da realidade brasileira e
mantenedores do status quo.

II. A difusão do projeto tem sido executada exclusivamente pelas instâncias


produtoras de conhecimentos no Serviço Social (Graduação, Pós-Graduação,
Centros de Pesquisa, Grupos de Discussão etc.).

III. O desenvolvimento do projeto tem sua maturidade na década de 1990, após


um acúmulo significativo de mudanças incorporadas pelas bases de formação
e atuação do Serviço Social, além de um cenário social favorável à sua
implementação, motivado pelo final da ditadura e início da democracia.

IV. O cenário macroeconômico, caracterizado pelo neoliberalismo, demarcou


um forte avanço na organização e desenvolvimento do projeto, pois o
consumo, o individualismo possessivo, a lógica contábil e financeira que se
impuseram às necessidades e direitos humanos e sociais colaboram para
reduzir as desigualdades sociais decorrentes dos processos de concentração
de renda, terra e poder.

Estão CORRETAS apenas

A. ( ) II, III e IV.


B. ( ) I, II e IV.
C. ( ) I e IV.
D. ( ) II e III.
E. ( ) I e III.

2- (IDECAN, 2017 - CBMDF/DF.)


Conforme Iamamoto (2008), o Projeto Ético-Político
Profissional do Serviço Social realiza-se em diferentes dimensões do universo
da profissão; analise-as.

I. Em seus instrumentos legais e nas requisições institucionais.

II. Nas expressões e manifestações coletivas da categoria e nos seus


instrumentos legais.

III. No trabalho profissional desenvolvido nos diferentes espaços ocupacionais


e no ensino universitário.
IV. Nas articulações com outras entidades de Serviço Social e com outras
categoriais profissionais e movimentos sociais organizados e no marco legal
das políticas sociais.

Estão corretas apenas as afirmativas

a. I e III.
B.II e III.
C.I e IV.
D.II e IV.