Você está na página 1de 91
manuscritos econémico-filoséficos ‘Taduglo Jesus Ranieri srltos em 1844, 0s Mamuscrits comico floss ou Manusorite de Pars presentam a planta fundamental clo pensamento de Marx, aconcentragto de sux filoso- fia na exten da economia politica de Adam Smith e David Ricardo, Na obra, 0 pensador alemao expe - com 0 vigor que é carscteristco de sua escrita a diserepincia entre mo ralleeconomin, enunciando a radicalidade da alienagio eda exploragio do homem pela empresa capitalist ‘Se Hegel reconheces 0 trabalho como a essénca do homem, ‘Marx clos no hagas do trabalbo espiritual abstrato a atvi dade material cbjetva do homem, estendendo a importincla dla mediagio histrica do labor na frmagdo do ser social Jé nos Manuscrias Marx siais de sua passagem do ideals. ‘mo hegeliano ao materialism dilético ¢ dedara a necessi- dade de “uma aco comunistaefetva afm de superara pro ptiedade privads ‘ros dos cpftulas deste iva so spenasesbogos, mas ainda ‘assim a obra ofeece exemplo fascinate, em enseles muitas vvezes acabados ebrlhantes, da compreensio de Marx acerca da relagesintimas entre liberdade, economia esocedade. J KARL MARX manuscritos econémico-filoséficos manuscritos econémico-filoséficos Tradugho Jesus Ranieri scritos em 1844, 08 Manuserites enti flesficos ox eto de Peri apresentam a plana fundamental do pensamento de Marx, a concentracao de sua filoso- fia na cxtica da econemia politica de Adam Smile David Ricardo, Na obra, 0 pensidor slemio expde ~ com o vigor gue & caracteristco de sua eserita~ a discrepincia entre mo- rale economia, denunciando a radiealidadeda alienacio eda ‘exploagio do homem pela empresa capitalist ‘Se Hagel reconhecou o trabalho como a essa do homem, “Marx coloca no ugar do trabalho espiital absteato a atv dade material cbjetiva do homem estendendo a importincia da mdiaghohistrica do Inbor na formagio do se social. hes Maascrits Marx dé sinais de sua passegem do ideals- mo begeiano an materialism dinltco e decara a necessi- dade de “uma ao comunita efetva” a fim de superar a pro- priedade privada ‘Varios dos capitals deste ivo so apenas esboges, mas ainda ssn a obra oferce exemplo fascinante em ens muitas veres aeabados brithantes, da compreenso de Marx acerca as rege intnias entre Hberdade, economia esocedade Jn KARL MARX manuscritos econémico-filoséficos iso floesfcos (1848) ext eae a dos rats". Fel See ee oon bate flostic e politico que contin rave deleilo de esiayconstrdo em cima do MANUSCRITOS: ECONOMICO-FILOSOFICOS Re ee sconomia policy” ¢~ apes ele Sus init ee ae Sa eat