Você está na página 1de 119

MORFOSSINTAXE

DA LÍNGUA
PORTUGUESA

Profª Dra. Maria Cecília Pereira Soares Ribeiro


Jaú/ 2018
O QUE É MORFOSSINTAXE?
É a junção entre a morfologia e a
sintaxe. Trata-se de duas partes da
gramática que apesar de estarem
envolvidas entre si, constituem-se de
particularidades distintas.

A morfologia divide as palavras em classes gramaticais;


já a sintaxe estuda a função das palavras dentro de um
contexto oracional.
 É a palavra que colocamos antes ao
substantivo para que possamos
determiná-lo.
 Ao mesmo tempo. O artigo indica o
gênero e o número do substantivo que
o antepõe.
 Podem ser dos tipos:
 Os artigos definidos, então,
determinam o substantivo de modo
particular e preciso.

 Os artigos indefinidos são os que


determinam o substantivo de modo
vago, geral.
 É a a palavra que dá nome aos seres.
Podem exercer as funções:
 Sujeito
 Objeto direto e indireto
 Complemento nominal
Podem ser dos tipos:

o Comuns: nomeiam seres da mesma espécie (animal)


o Próprio: se referem a um ser em particular (Brasil)
o Concretos: tem existência (mãe)
o Abstrato: não tem existência própria, depende de um
ser para existir (amor)
o Simples: formados por um só radical (chuva)
o Compostos: formados por dois ou mais radicais (guarda-
chuva)
o Primitivos: não derivam de outras palavras (vieram
primeiro) (chave)
o Derivados: formados a partir de uma palavra já existente
(chaveiro)
o Coletivos: mesmo no singular designam um conjunto de
seres de uma mesma espécie (álbum)
Variam/ flexionam de acordo com
o Gênero (Masculino e Feminino)
o De maneira geral, troca-se a terminação O por A (aluno-
aluna)
o Acrescenta-se A no masculino (freguês-freguesa; inglês-inglesa
o ÃO / A= patrão – patroa
o ÃO / Ã = campeão – campeã
o ÃO / ONA = solteirão – solteirona

Exceção: barão, ladrão, sultão.


o Gênero (Masculino e Feminino)
o Substantivos terminador em or
o Leitor = leitora
o Cantor = cantadeira / cantora
o Embaixador = embaixatriz (esposa do embaixador);
embaixadora (funcionária do embaixador)
o Feminino em –esa, -essa, -isa: abade-abadessa; barão-baronesa;
conde-condessa; sacerdote-sacerdotisa
o Feminino trocando e por a: elefante-elefanta; presidente-
presidenta; mestre-mestra; parente-parenta
oGênero (Masculino e Feminino)

o Formam o feminino com palavras de radicais


diferentes: bode-cabra; carneiro-ovelha; zangão-abelha

oFormam o feminino de maneira especial: cônsul-


consulesa; cônego-canonisa; czar-czarina; maestro-
maestrina; frade-freira
o Alguns substantivos não se alteram ao formar o
feminino. São chamados de substantivos uniformes:
a) Comuns de dois gêneros: o/a pianista; o/a colega; o/a herege; o/a
imigrante; o/a jovem; o/a indígena;
b) Sobrecomuns: apresentam um só gênero para designar o masculino e
feminino: o cônjuge/ o indivíduo / a criança / a criatura / a
pessoa / a vítima
c) Epicenos: são nomes de animais que apresentam uma só forma para
designar os dois sexos. Quando há necessidade de especificar o sexo,
anexam-se as palavras macho ou fêmea: a baleia, a cobra, a
borboleta, a mosca, a onça, a minhoca, a águia, a pulga, a sardinha, o
crocodilo, o gavião, o tatu, o sabiá, o tigre, o jacaré, a tainha, a
barata, a andorinha.
oNúmero (Singular ou plural)

o Seguem as seguintes regras gramaticais para a


formação do plural:
 Substantivos terminados em al, el, il, ol, ul = IS
(canal, motel, anzol)
 Acréscimo de ES a substantivos terminados em r, z,
n (açúcar, vez, abdômen)
oSubstantivos terminados em S:
oAcrescenta-se ES quando oxítonos (francês)
oSão invariáveis quando paroxítonos (o pires; o
atlas)
oSão invariáveis os substantivos terminados em x (o
tórax)
oSubstantivos terminados em il: oxítonos (cantil),
paroxítonos (fóssil)
oSubstantivos que só se empregam no plural: fezes,
pêsames, núpcias, condolências.

oPlural metafônico: alguns substantivos alteral, no


plural, o O tônico fechado para O tônico aberto: ovo-
ovos; caroço-caroços; corpo-corpos; corvo-corvos; posto-
postos; esforço-esforços; tijolo-tijolos.
oRegras especiais:

oÃO – ÕES = ação – ações


oÃO – ÃES = pão – pães
oÃO – ÃOS = mão - mãos
o Plural dos substantivos compostos:

o Variam sempre os substantivos, os adjetivos, os numerais e os


pronomes adjetivos:

o carta-bilhete / cartas-bilhetes
o gentil-homem / gentis-homens
o amor-perfeito / amores-perfeitos
o meio-termo / meios-termos
o padre-nosso / padres-nossos
o Plural dos substantivos compostos:

o Ficam no singular os verbos e as palavras invariáveis:

o guarda-chuva / guarda-chuvas
o abaixo-assinado / abaixo-assinados
o o bota-fora / os bota-for a
o o leva-e-traz / os leva-e-traz
oPlural dos substantivos compostos:

oSó o primeiro elemento vai para o plural, quando o


segundo termo da composição é um substantivo que
funciona como determinante específico. Exemplos:
salário-família / salários-família; banana-maçã /
bananas-maçã; escola-modelo / escolas-modelo
oPlural dos substantivos compostos:

oQuando os elementos se ligam por preposição, só o


primeiro nome é flexionado.

Exemplo:
Pé-de-moleque; pão-de-ló; pôr-do-sol; mal-de-fígado
oPlural dos substantivos compostos:

oSó o último elemento vai para o plural, se o


substantivo é formado por palavras repetidas ou
onomatopaicas
Exemplo:
Reco-reco / reco-recos;
Tico-tico / tico-ticos;
Bem-te-vi / bem-te-vis
Tique-taque / tique-taques
Variam/ flexionam de acordo com:

o Grau: os substantivos podem ser modificados para exprimir


intensidade, exagero ou diminuição:

o Aumentativo
o Forma analítica: casa grande – nariz grande
o Forma sintética: casarão - narigão
o Diminutivo:

o Podem ser sintéticos: com sufixo que designa o grau (ão


/ inho) (casinha / narizinho)

o Podem ser análiticos: quando se usa uma palavra que


designa o aumento ou diminuição (grande, enorme,
gigantesco / pequeno, diminuto) (casa pequena / nariz
pequeno)
ADJETIVO

 Função: atribuir propriedade ao ser, exprimindo


aparência, modo de ser ou qualidade.
FLEXÃO DO ADJETIVO
 A flexão do adjetivo pode se dar de três maneiras:

> Flexão de Gênero (Masculino / Feminino)


bonito – bonita

> Flexão de Número (Singular / Plural)


regular – regulares

> Flexão de Grau (Comparativo / Superlativo)


João é mais bonito que José.
João é o mais bonito da sala.
GÊNERO
 Uniformes: única forma pra o dois gêneros.
Ex: céu azul – malha azul.

 Biformes: uma forma para cada gênero.


Ex: homem nu – mulher nua.

Regra geral:
o ∕a: belo∕bela
eu ∕eia: europeu∕europeia (exceção judeu ∕judia)
eu ∕oa: tabaréu ∕tabaroa (caipira)
ão ∕ã: cristão ∕cristã
ão ∕ona: chorão ∕chorona
SÃO INVARIÁVEIS:
 Adjetivos terminados em e, l, z, m: forte, amável, capaz (exceção bom
∕boa).

 Adjetivos hindu, cortês, melhor, maior, menor, interior, pior.

 Adjetivos pátrios terminados em a e ense: belga, cearense.


NÚMERO
 As regras dos adjetivos simples assemelham-se às dos substantivos.
Ex: Meninas ricas.

 Adjetivos compostos: varia o último elemento. Ex: poesias luso-


brasileiras

Exceção: surdos-mudos, carros verde-abacate, vermelho-sangue, azul-marinho etc.


NÚMERO

Exceções: 1. adjetivos compostos invariáveis:


sapato azul-marinho – sapatos azul-marinho, camisa
azul-celeste – camisas azul-celeste.
São invariáveis os adjetivos compostos cujo último
elemento é um substantivo:
Blusa verde-bandeira– blusas verde-bandeira

Tecido verde-abacate– tecidos verde-abacate

Batom vermelho-paixão– batons vermelho-paixão


GRAU

 Comparativo: expressa uma comparação de:

Superioridade: mais do que


Igualdade: tão quanto
Inferioridade: menos do que

 Superlativo: Intensifica uma característica. Pode ser relativo


ou absoluto.
IMPORTANTE:

a) As formas menor e pior são comparativos de


superioridade, pois equivalem a “mais pequeno e mais
mau”, respectivamente.

b) Bom, mau, grande e pequeno têm formas sintéticas


(melhor, pior, maior e menor), porém, em comparações
feitas entre duas qualidades de um mesmo elemento,
deve-se usar as formas analíticas mais bom, mais mau,
mais grande e mais pequeno.
Pedro é maior do que Paulo - Comparação de dois
elementos.

Pedro é mais grande que pequeno - comparação de duas


qualidades de um mesmo elemento.
Pronome

É a palavra que acompanha ou


substitui o substantivo, indicando
sua posição em relação às pessoas
do discurso ou mesmo situando-o no
espaço e no tempo.
Referem-se às três pessoas do discurso

1ª Pessoa: Aquela que fala


2ª Pessoa: A quem se fala
3ª Pessoa: Aquela ou aquilo de que / quem se fala
Pronomes Pessoais
são divididos em 3
subgrupos
Caso Reto
Caso Oblíquo
Pronomes de Tratamento
Pronome pessoais.

Os pronome pessoais são aqueles que indicam as


pessoas do discurso. Dividem-se em retos que exercem
a função de sujeito e os oblíquos que exercem a função
de complemento.
RETOS
Número 1ª pessoa 2ª pessoa 3ª pessoa
Singular *Eu *Tu (você) Ele
Plural Nós Vós (Vocês) Eles
EXERCEM A FUNÇÃO DE SUJEITO / PODEM EXERCER A FUNÇÃO DE
COMPLEMENTO
Pronomes Pessoais
Emprego dos pronomes pessoais
Os pronomes pessoais retos funcionam como sujeitos de
frases:

Eu vou à loja, talvez ele esteja lá. (eu sujeito do verbo “vou”)
“ele” sujeito do ver esteja.

Retos: Eu, tu, ele, nós, vós, eles. .

Os pronomes pessoais retos (eu, tu, ele, nós,vós, eles) NUNCA


aparecem DEPOIS DE UMA PREPOSIÇÃO. Torna-se obrigatório o
uso dos pronomes oblíquos:

Entre mim e ti há uma distância enorme.

Preposição (palavras invariáveis)


Os pronomes pessoais oblíquos podem ser átonos ou
tônicos.

•São pronomes oblíquos átonos: ( sem preposição)


me, te, o, a, lhe, se, nos, vos, os, as, lhes.
Os pronomes pessoais oblíquos átonos, com formas verbais:
A mãe esperava-o ansiosa

•São pronomes oblíquos tônicos: ( com preposição)


mim, ti, ele, ela, si, nos, vos, eles, elas.

Os pronomes pessoais oblíquos tônicos são usados com


preposição:

A mãe ansiosa esperava por mim. – oblíquo


tônico. (Observe que o pronome veio precedido de preposição)
EMPREGO DOS PRONOMES PESSOAIS

• Os pronomes oblíquos átonos “o, a, os, as” exercem a função de


objeto direto:

A enfermeira examinou o garoto. Objeto direto


A enfermeira examinou-o
(quem examina, examina alguma coisa – VTD)

•Os pronomes oblíquos átonos “lhe, lhes” exercem a função de


objeto indireto.
O garçom oferece-lhe bebida.
(quem oferece, oferece alguma coisa a alguém)
preposição
Os oblíquos “o, os ,a ,as” quando precedidos de verbos
que terminem em “r, s, z” assumem as formas: lo, los, la,
las. (VTD).
(VTD) – verbo transitivo direto

Vou (amar) amá-lo por toda a vida.


O jogo (fiz) fi-lo sozinho.
Tu (amas) amá-lo como a ti mesma.

Quando precedidos de verbos que terminam em “-m, -


ão, -õe, assumem a forma no, nas, nos, nas.
Entregaram-no ao professor.
Entregaram o livro ao professor. – objeto direto.
O assunto, dão-no por encerrado.
PRONOME SUBSTANTIVO DE TRATAMENTO (P.
PESSOAL)
Atenção: Usa-
se “SUA”
quando a
autoridade
está ausente
e “VOSSA”
Os principais são: quando se
dirige a ela.

Você - para tratamento familiar (expressa intimidade)


Senhor / senhora - tratamento de respeito
Vossa Senhoria - tratamento comercial
Vossa Excelência - tratamento para autoridades
Vossa Santidade - tratamento para o papa
Vossa Alteza - tratamento para príncipes e duques
Vossa Majestade - tratamento para reis e rainhas
Vossa Reverendíssima - tratamento para sacerdotes
PRONOME POSSESSIVO:
Pronomes Possessivos

São aqueles que indicam posse, em relação às três pessoas do


discurso. São eles: meu(s),minha(s), teu(s), tua(s), seu(s), sua(s),
nosso(s), nossa(s), vosso(s), vossa(s).

Empregos dos pronomes possessivos - O emprego dos


possessivos de terceira pessoa seu, sua, seus, suas pode dar duplo
sentido à frase (ambiguidade). Para evitar isso, coloca-se à frente
do substantivo dele, dela, deles, delas, ou troca-se o possessivo por
esses elementos.
Ex: Joaquim contou-me que Sandra desaparecera com seus
documentos. De quem eram os documentos? Não há como saber.
Então a frase está ambígua. Para tirar a ambiguidade, coloca-se,
após o substantivo, o elemento referente ao dono dos documentos:
se for Joaquim: Joaquim contou-me que Sandra desaparecera
com documentos dele; se for Sandra: Joaquim contou-me que
Sandra desaparecera com documentos dela.

É facultativo o uso de artigo diante dos possessivos.


Ex.• Trate bem seus amigos. ou Trate bem os seus amigos.

Não se devem usar pronomes possessivos diante de partes


do próprio corpo
Ex. • Amanhã, irei cortar os cabelos. (meus)
• Vou lavar as mãos. (minhas)
• Menino! Cuidado para não machucar os pés! (seus)
PRONOME DEMONSTRATIVO
Pronomes Indefinidos

Portanto, o pronomes indefinidos referem-se à terceira pessoa


do discurso de uma maneira vaga, imprecisa, genérica. São eles:
alguém, ninguém, tudo, nada, algo, cada, mais, menos, demais,
algum, alguns, alguma, algumas, nenhum, nenhuns, nenhuma,
nenhumas, todo, todos, toda, todas, muito, muitos, muita,
muitas, bastante, bastantes, pouco, poucos, pouca, poucas, certo,
certos, certa, certas, tanto, tantos, tanta, tantas, quanto, quantos,
quanta, quantas, um, uns, uma, umas, qualquer, quaisquer além
das locuções pronominais indefinidas cada um, cada qual, quem
quer que, todo aquele que, tudo o mais...
Qualquer - não deve ser usado em sentido negativo.
Em seu lugar, deve-se usar algum, posteriormente ao
substantivo, ou nenhum. Ex.• Ele entrou na festa sem
qualquer problema. Essa frase está inadequada
gramaticalmente. O adequado seria
• Ele entrou na festa sem problema algum.
• Ele entrou na festa sem nenhum problema
PRONOME INTERROGATIVO

Principais pronomes interrogativos: que, qual, quem, quanto - quando estiverem em


frases interrogativas diretas ou indiretas.
EXEMPLOS DE PRONOMES INTERROGATIVOS:

Quem é você?

Quantos anos você tem?

Qual seu sobrenome?

Quais suas disciplinas favoritas?


ADVÉRBIO

É a palavra invariável que modifica o verbo,


acrescentando-lhe circunstância de tempo, modo,
lugar, intensidade, ...

Ex. Ele cantou pouco.


CLASSIFICAÇÃO DO ADVÉRBIO:

1)AFIRMAÇÃO= sim, deveras, certamente, efetivamente,


incontestavelmente, realmente ...

2) DÚVIDA= provavelmente, talvez, acaso, porventura,


decerto ...

Fonte: www.faroldacaserna.blogspot.com
3) INTENSIDADE = muito, pouco, bastante,

Fonte: www.miniquim.wikispaces.com
mais, menos, demais, tão, tanto, meio, todo,
demasiadamente...

4) LUGAR = aqui, ali, aí, perto, longe, atrás,


abaixo, além, aquém, adiante ...

Fonte: www.cursosgratuitosonline.com.br
5) MODO= bem, mal, assim, apenas, depressa,
devagar e a maior parte dos que terminam em –
mente: tristemente, calmamente...

6) TEMPO= hoje, amanhã, ontem, breve, logo, antes,


jamais, outrora, antigamente, diariamente...

7) NEGAÇÃO= não, absolutamente.


O advérbio denota uma circunstância em
que as coisas ocorrem.
É muito ligado ao verbo.
Há uma regra comum para essas

t
Fonte:www.escrevendoemagrecendo.zip.ne
palavras:

a) Se funcionam como advérbio, não


flexionam.
b) Se funcionam como adjetivo, flexionam.
EXEMPLOS :
a) Havia bastantes laranjas maduras.
__ O que havia ? Bastantes laranjas =
muitas laranjas.

O termo “bastantes” está ligado ao


substantivo “laranjas” e concorda com
ele plenamente , é portanto , um
adjetivo. FONTE:WWW.DREMSTIME.COM
Esta questão está meio confusa.

Fonte:www.soulluz.blogspot.com.br
O termo ”meio” é um advérbio,
porque representa a circunstância em
que a questão está sendo apresentada.
Poderia estar completamente,
parcialmente confusa.
Você escovou os dentes

pronome verbo artigo substantivo

Sujeito adj.adn objeto direto


Simples v. transitivo.

Núcleo Núcleo
Predicado verbal
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

A análise sintática deve se realizar em conjunto


com a análise semântica.

Ex.: O aluno tocou a campainha nervoso.


O aluno nervoso tocou a campainha.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

A gramática tradicional convencionou que os termos da


oração são classificados em:

•Sujeito e Predicado

•Complementos verbais, Comp. Nominal e


Agente da Passiva

•Adj. Adnominal, Adj. Adverbial e Aposto

•Termo isolado
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

DIFERENCIANDO AS ESTRUTURAS

FRASE – É todo enunciado linguístico (palavra ou


conjunto de palavras) que possui sentido completo.
Independe de extensão e deve terminar com pausa bem
definida expressa pelos sinais de pontuação . ; ! ? ...

Ex.: Final de ano, início de tormento.


Fogo!
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

DIFERENCIANDO AS ESTRUTURAS

ORAÇÃO – É todo enunciado que se organiza ao redor


de um verbo ou locução verbal.

Ex.: Tudo começa com o pagamento da dívida.

OBSERVAÇÃO: O verbo pode estar elíptico (não aparece)


Ex.: O filme fez tanto sucesso quanto (fez) a novela.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

DIFERENCIANDO AS ESTRUTURAS

PERÍODO – É a frase organizada em uma, duas ou mais


orações.

Ex.: Os morcegos possuem hábitos noturnos.


SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

CLASSIFICAÇÃO DO PERÍODO
SIMPLES – Formado por uma única oração ou apenas uma
locução verbal.

Ex.: O professor utilizou o quadro.


O professor pode utilizar o retroprojetor.

COMPOSTO – Formado por mais de uma oração. O número


de verbos é igual ao número de orações.

Ex.: Espero que os homens respeitem a natureza.


SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

SUJEITO

 É o termo que pratica uma ação;


 É o termo que sofre uma ação;
 É o termo sobre o qual declaramos ou dizemos algo.

Exemplos:
Jéssica estudou muito.
Vanessa foi maltratada.
Geize é uma ótima aluna.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

NÚCLEO DO SUJEITO

Quando o sujeito é formado por mais de uma palavra, há


sempre uma de maior importância semântica designando
o ser sobre o qual de declara algo. A essa palavra damos
o nome de núcleo do sujeito.

Ex.: Os jovens adoraram a iniciativa.


SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

TIPOS DE SUJEITO
Determinados

Simples: Possui apenas um núcleo


Ex.: A menina sorriu.

Composto: Dois ou mais núcleos.


Ex.: Romeu e Julieta morreram do mal de amor.

Oculto: É identificado pela terminação do verbo.


Ex.: Visitei uma intrigante exposição.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

TIPOS DE SUJEITO
Indeterminado

Conceito: Quando não se pode ou não se quer identificar.

1ª ocorrência: Verbo na 3ª do plural sem haver sujeito expresso no


contexto.
Ex.: Telefonaram para você.

2ª ocorrência: Verbo na 3ª do plural + índice de indeterminação


do sujeito “se”.
Ex.: Precisa-se de digitadores.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

QUANDO A PARTÍCULA “SE” É APASSIVADORA

Basta verificar as duas condições:


1.Verbo transitivo direto flexionado na terceira pessoa
do singular ou plural;
2.Possibilidade de transformação para a voz passiva
analítica.

Ex.: Quebrou-se a vidraça.


Venderam-se carros.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

ORAÇÃO SEM SUJEITO

Temos oração sem sujeito quando a informação veiculada


pelo predicado centra-se num verbo impessoal. Portanto,
não há relação sujeito/verbo.

1.VERBOS QUE EXPRIMEM FENÔMENOS DA NATUREZA


(chover, ventar, anoitecer, amanhecer, relampejar,
trovejar, nevar, etc.)

Ex.: Choveu torrencialmente em Mato Grosso.


SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

ORAÇÃO SEM SUJEITO

EXCEÇÃO: Se o verbo que exprime fenômeno


natural for empregado no sentido figurado,
então haverá sujeito.

Ex.: Choveram reclamações contra aquela


empresa.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

ORAÇÃO SEM SUJEITO

2. VERBOS FAZER, SER, ESTAR, NA INDICAÇÃO


DE TEMPO CRONOLÓGICO OU CLIMA:

Ex.: Faz dois anos que ele saiu.

É uma hora.

Está frio.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

ORAÇÃO SEM SUJEITO

3. O VERBO HAVER NO SENTIDO DE EXISTIR OU


INDICANDO TEMPO TRANSCORRIDO.

Ex.: Há muitos alunos na sala.

Há dois meses que não vejo Maria.


SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

ORAÇÃO SEM SUJEITO

ATENÇÃO !

O verbo existir não é impessoal. Sendo assim,


ele possuirá sujeito expresso na oração.

Ex.: Existiam quatro pessoas interessadas na


vaga.
Predicado é o termo da
oração que, geralmente:
•apresenta um verbo;
•está em concordância com o
sujeito;
•contém uma afirmação a
respeito do sujeito.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

PREDICAÇÃO VERBAL

 Trata do modo pelo qual os verbos formam o


predicado, isto é, se exigem ou não
complementos.

 Quanto a predicação, os verbos podem ser


intransitivos, transitivos e de ligação.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

VERBOS TRANSITIVOS CIRCUNSTANCIAIS

Há certos verbos intransitivos que exigem adjuntos


adverbiais ou predicativos para que possam
construir o predicado. São os chamados transitivos
circunstanciais.

Ex.: Lígia sumiu de casa.

Lampião morreu feliz.


SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

VERBOS NOCIONAIS (AÇÃO) E NÃO-NOCIONAIS (DE


LIGAÇÃO)

NOCIONAIS – Verbos que indicam ação.


Ex.: Maísa apresentou o programa.

NÃO-NOCIONAIS – Verbos que exprimem estado ou


mudança de estado.
Ex.: Érica é magra.
VERBOS SIGNIFICATIVOS
(DE AÇÃO OU NOCIONAIS)

 Indicam ação, acontecimento, fenômeno


natural, desejo, atividade mental.
 Apresentam transitividade ou não.

A transitividade verbal é a necessidade que


alguns verbos apresentam de ter outras
palavras como complemento. A esses verbos
que exigem complemento chamamos de
transitivos e aos que não exigem complemento
chamamos de intransitivos.
VERBOS DE LIGAÇÃO
(OU DE ESTADO)
 Não expressam ações do sujeito;
 Ligam o sujeito a seu atributo, estado ou característica;
 Eu sou o poeta solitário.

 Minha namorada está atrasada.

 Pedro parecia feliz em sua nova casa.

 Todos permaneceram calados.

 A novela continua enfadonha.

 O rapaz tornou-se um grande político.

 Joana anda preocupada com as dívidas.

 Nós ficamos alegres por sua nomeação.

 Nós viramos fãs do novo candidato


VERBOS INTRANSITIVOS
 São verbos intransitivos os que não necessitam de
complementação, pois já possuem sentido completo.
Observe estas frases, retiradas de manchetes de jornais:
 Rei Hussein, da Jordânia, morre aos 63.
 24 mil casam-se ao mesmo tempo.
 Nascem trigêmeos na virada do ano.

Perceba que esses verbos não necessitam de qualquer


elemento para complementar seu sentido, pois quem morre,
morre, quem se casa, casa-se, quem nasce, nasce.
VERBOS TRANSITIVOS
 São verbos que necessitam de complementação, pois têm
sentido incompleto. Observe as orações:
O Flamengo venceu o Vasco.
Cliente reclama de promoção da BCP.
Medida em estudo promete alívio para os Estados.

Perceba que os três verbos utilizados nos exemplos


necessitam de complementação, pois quem vence, vence
alguém, quem reclama, reclama de algo e quem promete,
promete algo a alguém.
 TRANSITIVO DIRETO
 Exige complemento sem preposição obrigatória. O
complemento é denominado objeto direto.
 Presidente receberá governadores.
 Prefeitura compra novos computadores.
 TRANSITIVO INDIRETO
 Exige complemento com preposição obrigatória. O
complemento é denominado objeto indireto.
 Eleitor não obedece à convocação do TRE.
 População ainda acredita nos políticos.
 TRANSITIVO DIRETO E INDIRETO
 Possuem dois complementos; o objeto direto e o objeto
indireto.
 Governador perdoa a Deputado traição do passado.
 Empresário doa rendimentos do mês à UNICEF.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

O PREDICATIVO

 Faz parte do predicado;


 Funciona como núcleo de um predicado nominal;
 Sua função é atribuir uma característica ao sujeito ou
ao objeto.

PREDICATIVO DO SUJEITO: A informação ou característica


atribuída é sobre o sujeito.

Ex.: A terra é redonda.


O aluno caminha distraído.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

O PREDICATIVO

PREDICATIVO DO OBJETO: A informação ou


característica atribuída é sobre o objeto (direto
ou indireto).

Ex.: O juiz julgou o réu culpado. (mais comuns)

Gosto dela alegre. (raros casos)


SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

O PREDICADO – TIPOS

 O predicado é tudo aquilo que se informa a respeito do


sujeito. Dependendo do núcleo temos:

VERBAL – O núcleo é um verbo (transitivo ou intransitivo)

Ex.: O menino chegou ao colégio.

O viajante caminhava pela estrada.


SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES
Português – Prof. Chagas

O PREDICADO – TIPOS

NOMINAL – O núcleo é um nome (predicativo do


sujeito) e o verbo é de ligação.

Ex.: O simulado está difícil.

O jogador estava machucado.


SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

O PREDICADO – TIPOS

VERBO-NOMINAL – Um dos núcleos é um nome


(predicativo do sujeito ou do objeto) e o outro é
um verbo (transitivo ou intransitivo).

Ex.: O menino chegou machucado ao colégio.


Os compradores consideram a proposta
razoável.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

TERMOS INTEGRANTES

A nomenclatura está
relacionada com a função dos
termos, que é a de integrar
significados e, com tal ligação
dar sentido às informações.

 Sem eles as informações


podem apresentar-se
incompletas ou vagas.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

TERMOS INTEGRANTES

Segundo a gramática, são termos


integrantes da oração: complementos
verbais - objeto direto e objeto indireto,
complemento nominal e agente da
passiva.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

TERMOS INTEGRANTES

Complementos Verbais

Objeto Direto: Complemento que se liga a um verbo sem


preposição.
Ex.: “Solto a voz nas estradas”.

Objeto Indireto: Complemento que se liga a um verbo


por meio de uma preposição obrigatória.
Ex.: “O país necessita de investimentos na educação”.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

TERMOS INTEGRANTES

OBJETO CONSTITUÍDO POR PRONOME OBLÍQUO.

o, a, os, as são utilizados como complemento de verbos


transitivos diretos, exercendo portanto, função de objeto
direto.

Os pronomes lhe, lhes devem ser utilizados como


complemento de verbos transitivos indiretos, exercendo
portanto, a função de objeto indireto.

Os pronomes me, te, se, nos e vos podem assumir


função sintática de objeto direto ou objeto indireto.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

TERMOS INTEGRANTES - COMPLEMENTO NOMINAL

 Termo que completa o sentido de um


substantivo, adjetivo ou advérbio;
 Sempre vem introduzido por preposição.

SUBSTANTIVO

Ex.: O povo tinha necessidade de alimentos.


SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

TERMOS INTEGRANTES - COMPLEMENTO NOMINAL

ADJETIVO

Ex.: Este remédio é prejudicial ao organismo.

ADVÉRBIO

Ex.: Falou favoravelmente ao réu.


SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

AGENTE DA PASSIVA

 Termo que se refere a um verbo na voz


passiva;
 Sempre vem introduzido por preposição;
 Indica o elemento que executa a ação.

Ex.: A cidade estava cercada de inimigos.


SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

TERMOS ACESSÓRIOS

São termos que vão trazer pormenores, detalhes e


particularizar os nomes.

ADJUNTO ADNOMINAL – Se refere a um substantivo com


função de caracterizá-lo. As palavras que funcionam
como Ajunto Adnominal sempre concordam em gênero e
número com o sujeito a que se referem.

Ex.: Aqueles dois meninos estudiosos saíram.


SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

DIFERENÇA ENTRE ADJUNTO ADNOMINAL E


COMPLEMENTO NOMINAL

1. Se o termo introduzido por preposição estiver ligado


a adjetivo ou advérbio, será, sem dúvida,
complemento nominal.

Ex.: Era favorável ao divórcio.

Depôs favoravelmente ao réu.


SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

DIFERENÇA ENTRE ADJUNTO ADNOMINAL E


COMPLEMENTO NOMINAL

2. Quando o termo introduzido por preposição estiver


ligado a um substantivo, reflita sobre o sentido ativo
ou passivo desse termo. Se ativo, será adjunto
adnominal.

Ex.: A resposta do aluno foi satisfatória. (A. ADNOMINAL)

A resposta ao aluno foi satisfatória. (C. NOMINAL)


SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

TERMOS ACESSÓRIOS – ADJUNTO ADVERBIAL

Termo da oração que se liga a um verbo, com ou


sem preposição, a fim de indicar uma circunstância
qualquer ou intensificar o sentido de um verbo

Ex.: O professor ensinou bem.

Os estudantes leram o livro na biblioteca.


SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

TERMOS ACESSÓRIOS – ADJUNTO ADVERBIAL

O adjunto também pode ligar-se a adjetivos ou


advérbios, intensificando o sentido de ambos.

Ex.: Lindalva é muito bonita.

Natália fala muito bem.


CLASSIFICAÇÃO DOS ADJUNTOS ADVERBIAIS
 01) Adjunto Adverbial de Tempo:
O avião chegará à tarde.
De vez em quando, vou ao teatro
 02) Adjunto Adverbial de Lugar:
O namorado olhava a namorada a distância.
Viveremos aqui para sempre.
 03) Adjunto Adverbial de Modo:
A s crianças falavam com medo.
Caminhei à toa pela cidade.
 04) Adjunto Adverbial de Negação:
Não terás mais a minha confiança.
De modo algum, farei o que você quer.
 05) Adjunto Adverbial de Afirmação:
Denise é uma excelente amiga, efetivamente.
Sem dúvida alguma, faremos prova amanhã.
ADJUNTOS ADVERBIAIS (CONT.)
 06) Adjunto Adverbial de Dúvida:
Quem sabe, faremos uma boa
Talvez encontremos a solução.
 07) Adjunto Adverbial de Intensidade:
Ela estava chorando à beça.
Não sabíamos quão longe era a casa.
 08) Adjunto Adverbial de Meio:
Ela viajou de avião.
Prefiro ir de automóvel.
 09) Adjunto Adverbial de Causa:
O homem trabalha por necessidade.
O filho partiu por conselho da mãe.
 10) Adjunto Adverbial de Companhia:
Iremos à cidade com o professor.
Voltarei a praça contigo.
ADJUNTOS ADVERBIAIS (CONT.)
 11) Adjunto Adverbial de Finalidade:
Estudemos para vida.
Vestiam-se para o casamento
 12) Adjunto Adverbial de Oposição:
O Flamengo jogará contra o Fluminense.

 13) Adjunto Adverbial de Assunto:


Conversamos sobre a fome.
Discutiremos acerca de seu problema.
 14) Adjunto Adverbial de Preço:
Comprei esta camisa por dez reais.
 15) Adjunto Adverbial de Matéria:
Fiz de ouro, as alianças.
ADJUNTOS ADVERBIAIS ( CONT.)
 16) Adjunto Adverbial de Concessão:
Apesar de você, amanhã há de ser outro dia. (Chico
Buarque).

 17) Adjunto Adverbial de Condição:


Sem disciplina, não há educação.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

TERMOS ACESSÓRIOS – APOSTO

O aposto é um termo que amplia, explica,


desenvolve ou resumo o conteúdo de outro
termo.

Ex.: Nossa terra, o Brasil, carece de políticas


sociais sérias.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

TERMOS ACESSÓRIOS – APOSTO – CLASSIFICAÇÃO

 EXPLICATIVO:

Ex.: A ecologia, ciência que investiga as relações


dos seres vivos entre si e com o meio em que
vivem, adquiriu grande destaque no mundo
atual.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

TERMOS ACESSÓRIOS – APOSTO – CLASSIFICAÇÃO

 ENUMERATIVO:

Ex.: Minhas reivindicações são muitas: trabalho,


saúde, educação e moradia.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

TERMOS ACESSÓRIOS – APOSTO – CLASSIFICAÇÃO

 ESPECIFICATIVO

Ex.: O compositor Chico Buarque de Holanda


continua a produzir uma obra representativa.
APOSTO (CONT.)

 Aposto Resumidor:
O aposto resumidor é usado para resumir termos
anteriores. É representado, geralmente, por um
pronome indefinido.
 Alunos, professores, funcionários, ninguém deixou
de lhe dar os parabéns.
SINTAXE DA ORAÇÃO PERÍODO SIMPLES

O VOCATIVO

 Termo isolado da oração;


 Serve para invocar, chamar, interpelar um
ouvinte.

Ex.: “Colombo, fecha a porta de teus mares!”

Obs.: pode vir no início, meio ou no fim da frase e deve


sempre ser separado por vírgulas.
TAREFA
Contato:
Profª DRA. Maria Cecília P. S. Ribeiro

Email: ceci_biologa@yahoo.com.br
Facebook: Cecilia Professora
Telefone e WhatsApp: (11) 97796-7606