Você está na página 1de 8

Manual de Boas Práticas

Este manual de Boas praticas foi realizado no ano de 2008. É um manual que irá ser
dividido por temas que englobam uma rotina diária ao longo do ano lectivo.
Foi realizado em conjunto com as auxiliares e diz respeito á sala rosa, nomeadamente á
faixa etária dos 3 anos.

Tema 1: Acolhimento

• O acolhimento é a altura inicial do nosso dia-a-dia escolar e como tal das nossas
crianças. Desta forma, deve ser um momento realizado com tranquilidade e boa
disposição para que os pais se sintam seguros e confiantes. Deve-se recolher de
forma harmoniosa, a informação sobre o estado da criança ao início do dia (se
passou bem a noite, se encontra bem disposto). No acolhimento é importante
que a profissional se mostre disponível para receber e acarinhar as crianças.

• Pode-se também proporcionar ás crianças um momento de “mini-actividade” à


sua escolha mas de forma tranquila e controlada. Estas actividades, não devem
de ser repetidas depois nas actividades já planificadas tal como não se deve
repetir os locais das actividades. Desta forma e importante que se transmita á
educadora o tipo de actividade que se realizou no acolhimento.

• No acolhimento deve- se também de registar a hora de entrada das crianças.

• Horário do acolhimento: 8.00- 9.00

Tema 2: Saídas

A saída é um momento tão ou mais importante que o acolhimento, uma vez que os pais
vêem buscar os seus filhos na expectativa de saberem como correu o seu dia. Assim é
nossa função, facultar a informação do dia em relação á criança e deveremos ter em
atenção os seguintes aspectos:

• A higiene da criança (cara, cabelo e roupa em condições)


• No caso de a criança usar fralda, certificar que a fralda esta limpa e não necessita
ou necessita de ser mudada, na presença dos pais. Caso seja necessário mudar,
faze-lo igualmente na presença dos pais.
• Maior brevidade possível na entrega (não deixando de dar a atenção necessária),
uma vez que é importante o controlo do grupo que ainda esta presente quer na
sala.
• Horário da saída: 16.00-19.00

Tema 3: Rotina diária


Existem aspectos muito importantes na rotina diária de uma sala de creche na faixa
etária dos 3 anos. Como tal, e sendo vários vamos referenciar todos eles separadamente.

1º - As crianças deverão ser entregues ate as 9.30 uma vez que a actividade inicia-se
precisamente a essa hora. Como tal devemos então sensibilizar os pais para o caso de se
atrasarem (com justificação) deverão de avisar na secretaria.

2º-A actividade inicia-se …


…Com as crianças sentadas no tapete juntamente com a educadora e auxiliares.
Seguidamente a actividade decorre no período entre as 9.30 e 10.30.

• Objectivo das actividades: cada actividade tem objectivos específicos a


desenvolver.
• Organização do grupo: As crianças são organizadas em grupos nas mesas ou
noutros espaços e são acompanhadas sempre por um adulto da sala.

3º-As crianças quando acabam a actividade vão para o recreio para actividades livres.
Neste caso, existem cuidados a ter no recreio que são precisamente:
• Estarem sempre presentes 2 pessoas da sala presente no recreio
• Ter em atenção situações de perigo como por exemplo: quedas e conflitos
• Especial atenção á movimentação do grande grupo (não deixar o grande grupo
dispersar)
• Observação nas idas a casa de banho nessa mesma hora.
• Colocar ao dispor das crianças água e lenços de papel.
• Manter a porta da sala fechada tal como a cancela que se encontra no corredor.
• Colocar os chapéus em caso de sol.
• Ser o mais breve possível na entrega das crianças aos pais com o objectivo de
facultar a informação necessária mas sem perder o controle do grande grupo.
• É muito importante que o recreio seja totalmente livre e como tal a atenção deve
ser sempre redobrada para evitar acidentes que possam vir a acontecer
• Deve-se dialogar e alertar as crianças para os perigos e também sensibilizar os
pais para que tragam roupa e calçado confortável.

• Horário do recreio de Inverno: Manha: 10.30-11.00/ Tarde: 16.00-17.00

• Horário do recreio de Verão: Manha: 10.30-11.00/ Tarde: 17.00-18.00

4º- A hora do almoço decorre posteriormente ao recreio e ao momento de higiene em


que as crianças fazem xixi e lavam as mãos. O almoço decorre entre as 11.15 e as 12.00
No início do ano as crianças deverão de utilizar babete mas gradualmente poderão
retira-lo conforme as suas necessidades. Depois do almoço, as crianças tornam a fazer
xixi, a lavar a boca e as maõs (autonomamente).

5º-A sesta decorre das 12.30 até ás 15.00 sempre na presença de uma auxiliar ou da
educadora:
• As persianas só devem de ser colocadas para baixo na hora da sesta

• Inverno: As crianças devem de dormir com meia calça e blusa vestida.


_Os sapatos são colocados dentro da sala mais precisamente á entrada uns a seguir aos
outros
_No inicio do ano lectivo os bacios são colocados dentro da sala, sendo retirados
gradualmente ao longo do ano.

_Para se dirigirem á casa de banho, as crianças devem de calçar as pantufas disponíveis


na sala.(um de cada vez)

• Verão: As crianças dormem com cuecas e t-shirt e quando se dirigem á casa


de banho têm de calçar os chinelos a disposição na sala(um de cada vez).

6º-Quando acordam, as crianças fazem xixi e começam a vestir-se para ir lanchar. As


crianças tentam e são incentivadas a vestirem-se sozinhas. São também penteadas e
mudadas em caso de necessidade.

7º-As crianças lancham por volta das 15.30 até ás 16.00

8º-Depois do lanche as crianças brincam novamente no recreio livremente

9º-A partir das 16.00 procede-se à saída das crianças.

Tema 4: Higiene

Em relação à higiene, existem factos importantes que se realizam diariamente e que não
podem ficar esquecidos:

• É importante lavar a cara da criança, tal como o nariz que deve ser limpo
sempre que esteja sujo. Nesta sala já existe uma certa autonomia das
crianças em relação a este assunto. Quanto ao cabelo, convêm que esteja
penteado nomeadamente antes do lanche e á saída.

• Acompanhar e vigiar as crianças na sua higiene. É comum incentivar as


crianças a aprenderem a limpar-se e a irem sozinhos (com vigilância) à
casa de banho.

• Quando existe roupa suja, esta deve ser mudada e colocada num saco
plástico no respectivo cabide da criança ou na mochila.

• As batas devem de ser vestidas pelos pais no acto da entrega das crianças
Ao constatar que as batas se encontram sujas, as mesmas devem de ser
colocadas num saco plástico no cabide respectivo de cada criança
costume, as batas serem levadas para casa à 6ª feira.
• Em caso de assaduras nas crianças que utilizam fralda, para prevenção
deve-se mudar a fralda com regularidade e aplicar sempre o creme
específico de cada criança em cada muda.

• Em caso de uma ferida que poderá ocorrer em alguma situação esta deve
ser desinfectada e tratada com os medicamentos e utensílios que se
encontram na enfermaria. Se em vez da ferida ocorrer um galo, devera se
proceder ao gelo em primeiro lugar.

Tema 5: Saúde

No que diz respeito á saúde das crianças na instituição e na própria sala existem factores
determinantes no modo de agir em certas situações:

• Febre: A partir dos 38,5ºC deverá-se contactar o encarregado de educação, para


vir buscar a criança. Como tal, deve-se perguntar ao encarregado se quer que se
administre o medicamento específico para o efeito. Como tal se essa autorização
for dada procede-se á administração e regista-se o telefonema na folha de registo
da criança. Se constatarmos que a espera da criança se torna muito prolongada
devemos de controlar ao máximo a febre e também se deve telefonar novamente
ao encarregado de educação ou a outra pessoa responsável pela criança.

• Diarreia/ Vómitos: Nos casos de diarreia e vómitos devemos de observar se são


persistentes e caso sejam então a atitude correcta é telefonar ao encarregado de
educação a informar e a solicitar para que venha buscar a criança. Deveremos de
sensibilizar os pais, em caso de quadro viral e não só, para levarem a criança ao
medico como objectivo de ser observada e trazer a declaração comprovativa de
como se encontra bem para regressar á sua salinha.

• Quedas: Quando ocorrem quedas ligeiras e sem gravidade deverá-se proceder


ao tratamento caso seja necessário. No entanto se for uma queda grave que
inspire cuidados mais urgentes devemos de telefonar a informar o encarregado
de educação de uma forma calma sem sobressaltar e assustar, para que a criança
seja encaminhada para o serviço de urgência mais próximo.

• Medicamentos sem receita médica: Os medicamentos para administrar aqui na


sala que não necessitam de receita médica, terão de ser acompanhados de uma
folha de registo e de autorização do encarregado de educação para ser dado. Essa
autorização decorre desde o dia inicial até ao dia final da administração do
medicamento.

• Antibióticos: Os antibióticos só podem ser dados com a receita médica


nomeadamente a fotocopia da mesma, onde vem estipulada a hora e a medida
que deve ser dada á criança.

• Telefonemas para pais: Os telefonemas para os pais devem de ser feitos com
calma e somente nas situações de informação ou de real necessidade em
situações de saúde. Todos esses telefonemas terão de ser registados na folha
individual de registo de cada criança.

• Declarações médicas: As declarações médicas devem de ser pedidas somente


em caso de doenças infecto-contagiosas e em quadros virais significativos. Estas
têm o objectivo de comprovar como a criança se encontra bem de saúde para
frequentar a instituição e a sua respectiva sala.

• Informação aos Pais: é importante, que de uma forma harmoniosa nós


educadoras e auxiliares, mantenhamos ao longo de todo o ano uma relação
próxima com os pais das crianças, no sentido de haver partilha de informação
acerca do bem-estar das crianças. Nesse sentido deve-se sempre facultar a
informação necessária aos pais para que posteriormente também possa existir a
nossa preocupação em relação as crianças, e para que os próprios pais nos
facultem a informação sobre os seus filhos.

Tema 6: Atitudes correctas na Rotina Diária

Em relação ás atitudes estas são várias e todas de igual importância no nosso dia-a-dia
Desta forma irão ser referidas as atitudes que se devem tomar em diversas situações.

• No retirar a fralda: incentivar a criança a aprender a fazer as suas necessidades


no sítio adequado, fomentando a sua autonomia e auto-estima (estimulação e
compensação)

• Em situações de sujidade: Não repreender mas sim demonstrar atitude de


compreensão e de incentivo a melhorar. Deve-se também ter atenção ao
vocabulário e linguagem utilizada com as crianças nestas situações.

• Cuidados diários com o material individual da criança:

1. Escovas de cabelo: Devem de ser mandadas sempre que necessário para


casa, com o objectivo de serem lavadas e depois devolvidas á salinha.
Cada escova, deve de estar numa caixinha individual devidamente
identificada.
2. Chapéus: Devem de ser identificados com o nome, e devem de ser
levados frequentemente para casa para serem lavados. Nesta situação, os
Pais devem de assinar na listagem das crianças, comprovando que o
chapéu foi levado no dia a designar com o objectivo de ser lavado.

3. Copos de Água: Cada copo, deve de estar identificado e todos os dias


têm de ser lavados devidamente, uma vez que a agua deve estar á
disposição das crianças ao longo do dia.

4. Higiene: Deve-se trabalhar a autonomia mas sempre organizadamente.


Deve-se orientar e preparar as crianças para lavarem as mãos, a cara, o
nariz, para se limparem quando fazem as suas necessidades. A roupa suja
das crianças, será colocada num saco de tecido personalizado em vez dos
sacos plásticos.(para ser levada para casa inclusive a bata ao final da
semana).

• Cuidados a ter na sala:

1. Arrumação do material: Todo o material dos cantinhos deve de


ser arrumado no sítio respectivo, depois das crianças brincarem.
(incentivar as crianças a ajudarem nesta tarefa). Caso haja algum
desse material que não esteja adequado ou em bom estado, deve
de ser retirado.

2. Material de actividades: Deve ser requisitado e depois


adquirido na despensa de material. Quando este material já não
faz falta ás actividades da sala, o próprio deve ser colocado na
respectiva despensa.

3. Mesas de actividades: devem de ser limpas sempre e após


qualquer actividade tal como no final do dia.

4. Material Pessoal: Todo o material pessoal da educadora e


auxiliares, não deverá ficar exposto na sala mas sim nos
respectivos cacifos.

5. Outros: Convêm que a sala esteja a mais arejada possível, tal


como arrumada, principalmente no local da bancada da sala.

6. Cumprimento de normas fora do regulamento:

• Bolos: Deve-se informar os pais que os bolos de


aniversário deverão de ser sem creme por dentro e por
fora. o mais aconselhá vel é o pão de ló
• Máquinas fotográ ficas: É importante que se informe
que não é permitido tirar fotografias com as máquinas dos
pais. Apenas é permitido se forem os pais a tirarem.

• Autorizações de saída: Em relação ás autorizações de


saída, é importante que sejam regularmente actualizadas,
e para alem disso, caso exista alguma situação em que a
criança não esteja autorizada a sair com a pessoa em
questão, os pais devem de dar essa mesma autorização por
escrito ou por telefone.

• Circulares: Deverão ser entregues aos pais e estes


deverão de assinar uma listagem comprovando que a
receberam.

Tema 7: Relação com os Pais

A relação com os pais deve ser de segurança e confiança,


facultando sempre a informação necessária. Deveremos de
transmitir firmeza e cordialmente estabelecer uma relação
positiva e de proximidade.

Tema 8: Planificações

As planificações, devem de estar quinzenalmente expostas na


sala, com o objectivo de os pais as poderem consultar. Desta
forma, as mesmas estarão também á disposição das auxiliares
para no caso da falta da educadora as poderem seguir tal
como estão planificadas.

Tema 9: Projecto Curricular

O projecto deve estar ao dispor dos pais e das auxiliares na


sala. Deve ser frequente a sua consulta, para que as auxiliares
estejam a par do desenvolvimento do projecto e do trabalho
que vem a ser realizado ao longo do ano.
Desta forma, as auxiliares seguem a metodologia de trabalho
utilizada na sala. As reuniões de pais, nomeadamente para os
pais que não estão presentes; as auxiliares poderão assim
facultar informações acerca do trabalho de projecto.