Você está na página 1de 2

Espiritualidade e Liturgia

Admiravelmente desenhado no "Liber ad Milites Templos de laude novae militiae" a


antiga Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo encontrou na escrita de St. Bernard a base
necessária para a nova espiritualidade monástica e cavalheiresco, contemplativo e
combativa, que teria o caracterizou em sua quase duzentos anos de vida gloriosa ao
serviço da Igreja e do próximo.
Na liturgia tradicional
(Do documento "Critérios de desenvolvimento e desenvolvimento")
A Milícia do Templo na liturgia tradicional reconheceu uma ferramenta valiosa para
resistir à agressão que a mentalidade contemporânea traz constantemente contra a
religião e moralidade através de ateísmo e agnosticismo;
o Capítulo Geral
- considerando ineficaz e perniciosa todos os esforços para mediar entre a Santa
Tradição da Igreja de Cristo e da mente moderna, de acordo com as palavras do Senhor:
"Não uniformatevi em seu comportamento mundo presente, mas ser continuamente
transformado pela gradual renovação da sua consciência, para que você possa discernir
praticamente o que Deus quer de você, o que é bom, particularmente agradável a Ele,
perfeito (Rm 12: 2) e "Esta é a religiosidade pura e imaculada diante de Deus Pai: ... para
se manter imune ao contágio do mundo (Tiago 1:27) e "Não amemos o mundo nem o
que há no mundo (1 Jo 2:15),
- Notando que a abordagem para as sensibilidades modernas leva os fiéis a compartilhar
as tendências a-religioso e anti-religioso, estar se movendo mais longe da prática
religiosa para baixo para uma partilha de erro e disseminação do pecado, reafirma a
fidelidade à Tradição qual estação fiel do ensinamento divino de Jesus Cristo, sem o qual
não é o risco de ser confrontado com uma mensagem meramente humano, acredito que
não pode ser dado enfoque à verdade sem respeito, conhecimento e adesão à tradição.
1) A Milícia do Templo tinha adotado para isso, desde 1993, o Rito Romano que antigo
ritual da Ordem para todas as celebrações litúrgicas e para o Ofício Divino, uma escolha
que tem trazido grandes benefícios espirituais; Capítulo vê esta escolha como uma
implementação perfeita dos seus objectivos estatutários da Milícia (cf. Constituições,
art. 3, § 1, que identifica um de propósito específico da Ordem no "cuidado da liturgia,
de acordo com a Tradição eo Magistério Pontifício).
A Milícia, portanto, confirma seu compromisso com a defesa e manutenção da Tradição
litúrgica latina como riqueza da Igreja, segundo o ensinamento constante do Magistério
e em conformidade com a vontade repetida do Papa João Paulo II, reinando alegremente
(cf. Carta Apostólica). Dominicae Cenae "de 24 de fevereiro de 1980, Motu Proprio"
Ecclesia Dei adflicta "de 2 de julho de 1988, dirigida ao Plenário da Congregação para o
Culto Divino de 28 de setembro de 2001).
Portanto, o Capítulo convida urgentemente todas as estruturas da Ordem a
implementar essa escolha em todos os níveis e em todos os lugares: recorda que os
Livros Litúrgicos são aqueles reformados por B. João XXIII ou, em resumo, os
imediatamente precedentes; apela à superação de dificuldades objetivas em obediência
e caridade.
2) O Capítulo convida os Cavaleiros a enraizar seu amor pela Liturgia com sua
preparação para servir o Altar.
3) Em obediência ao prescrito pela Regra "/" os irmãos devem recorrer mais vezes do
que é possível à confissão de seus pecados e "tanto quanto possível, cada irmão é
nutrido por Cristo (Regra, Capítulo XIV), o Capítulo:
- prescreve que todo confrade deveria confessar-se ordinariamente pelo menos uma vez
por mês;
- aconselha a Santa Comunhão pelo menos uma vez por semana e, possivelmente, toda
vez que ele frequenta o Santo Sacrifício da Missa.
No Ofício Divino
(Da Regra)
Capítulo V - " ... os Cavaleiros recitam o Ofício de acordo com os usos da Igreja Romana,
possivelmente todas as horas diurnas, mas, se isto não for possível, pelo menos tomam a
intenção de sempre recitar Lodi ou Vespri ... "
Capítulo VII - " ... a atitude do Noviço à oração deve ser examinada e deve ser dirigida, em
primeiro lugar, à prática constante da recitação do Ofício Divino, em comum ou sozinha
... "
No silêncio
(Da Regra)
Capítulo XIV - " Lembrando que o silêncio faz sentir melhor a voz do Senhor e prepara a
alma para ouvir cada irmão retira anualmente na solidão da oração e meditação por pelo
menos dois dias completos, ... "