Você está na página 1de 5

16 AGO 2016 – TV GALEGA – Programa MOMENTO DA PALAVRA – Participação Especial Luiz Azevedo

“A VOCAÇÃO DOS PAIS EM SUA SUBLIME MISSÃO DE EDUCAR E CONDUZIR SEUS FILHOS AO LONGO DA VIDA”

1ª) QUAL É A IMPORTÂNCIA DO PAI E DA MÃE NA FAMÍLIA?

Mais do que uma vocação, — ser pai e ser mãe — é uma missão intransferível. E irrenunciável.
De alguma forma é um compromisso que a pessoa assume – diante de toda a civilização humana.
E também diante de Deus.

O papel do pai não se confunde com o papel da mãe na família.


Cada um tem o seu campo próprio de atuação junto aos filhos.

Na família, o pai é diferente da mãe. É tão relevante quanto, mas com funções distintas dela.

O pai e a mãe são tão importantes para os filhos, que se complementam no inconsciente deles.
E eles – pai e mãe – têm que saber que – os seus vínculos com seus filhos são tão fortes, que
transcendem essa vida. Eles continuam depois dela.

EU VOU FALAR UM POUCO MAIS SOBRE A FIGURA DO PAI PORQUE ESTAMOS EM AGO,
O MÊS DAS VOCAÇÕES E DOS PAIS:

E começo falando um pouco sobre a história dos DIA DOS PAIS.


O dia dos pais surgiu no ano de 1909 (coincidentemente o ano de nascimento de meu pai Hermógenes Azevedo)
por idéia de uma moça chamada Sonora Dodd, na cidade de Spokane, Est Washington EUA
Ela quis homenagear o pai dela, William Smart, um veterano de guerra
que ficou viúvo no momento em que estava nascendo o seu 6º filho, irmão de Sonora.
A homenagem era de gratidão – pelo fato de o pai ter criado sozinho – a partir de então todos os 6 filhos.

Nos EUA o dia dos pais é comemorado há 107 anos, sempre no 3º dom JUN.
No BR o dia dos pais passou a ser comemorado desde o ano de 1953, portanto há 63 anos,
sempre no 2º dom AGO.
ESSE ITEM 1 CONTINUA NA PÁGINA 2 ABAIXO 

1
Há algumas décadas atrás – (nem faz tanto tempo assim),
os pais eram meros provedores da família (alimentação, vestuário, saúde)

Até 11 anos atrás (+ - até o ano de 2005) quase todas as publicações que saíam na mídia
sobre a educação de filhos davam uma conotação de que a figura do pai – não era muito relevante.

Em 1970 os pais eram proibidos de entrar na sala de parto sob a alegação de que eram inúteis naquele
ambiente e só atrapalhariam o nascimento do bebê.
Em 1993, eu LSA – participei de uma experiência inesquecível: eu não só estive na sala, como fiz o parto de
minha filha.

2ª) COMO APRENDER A SER PAI?

Ser pai é muito mais do que – cumprir uma função biológica – para a geração de uma criança.

O pai não nasce pai. Ninguém nasce sabendo como é ser pai. Ele precisa apender a ser pai.
Se você – que nos assiste – vai ser pai, ou já é pai – eu tenho um pedido para você:
Dê a si mesmo a chance de aprender a ser pai. A crescer como pai. Para isso tem que ter humildade.

Prepare-se constantemente para ser pai. Informe-se mais a respeito.


Identifique e aprenda com os grandes mestres da paternidade. Eles estão por aí em toda parte.
Descubra-os. E observe-os. Sempre tem alguma coisa nova a ser assimilada.

Às vezes ser – um bom pai é desafiador. Ninguém nunca disse que seria fácil. Assim como ser mãe.

Aquele pai ou aquela mãe – que diz que – está muito fácil, muito tranquilo exercer essa função
tem que ficar atento:
pode que não esteja dando a devida atenção a algumas condições essenciais ao futuro de seus filhos.

O pai é humano. Então não precisa ser perfeito.


Mas precisa ser exemplo diante da mãe e dos filhos. Ser coerente. Fonte de amor incondicional.

2
3ª) LUIZ, VOCÊ PODERIA CITAR ALGUNS CONCEITOS – DE COMO EDUCAR OS FILHOS?

O pai é o primeiro modelo que os filhos têm do próprio Deus. Porque Deus também é pai.

Os bebês, a partir dos 4 ou 5 MESES de vida – descobrem a figura do pai na família.


E a partir do 1º ANO de vida – o pai é percebido nitidamente – pelo bebê.
A presença do pai dá ao bebê uma noção – de realidade.
E também uma idéia muito tênue, muito suave de responsabilidade.

Para bem educar o seu filho – SEJA ELE bebê, criança ou adolescente – o pai precisa primeiro conquista-lo.
Com carinho, tolerância, respeito e serenidade.
Com seu exemplo, sua personalidade de virtudes. Com amor incondicional.
O pai precisa criar laços de afinidade com o filho. Cumplicidade.

Para isso, o pai tem que estar sempre presente. Participar ativamente do dia a dia da família.
Acompanhar cada uma das etapas do desenvolvimento de seus filhos.
Nas alegrias e nas tristezas. Nas vitórias e também nos resultados inesperados.

O pai precisa também mostrar os limites. Saber dizer NÃO. Tem pais que não sabem dizer NÃO.
O fato é que:
o pai é o principal responsável pela educação dos filhos – desde seu nascimento até a idade adulta.

E não tem como – o pai querer transferir, terceirizar – para a escola do filho, ou para a Igreja,
a sua missão irrenunciável, o seu compromisso de educar pessoalmente os seus filhos.

Para bem educar, o pai e a mãe precisam também respeitar o filho.


Em cada etapa do desenvolvimento dele.
Respeitar o seu espaço. Os seus sentimentos. A sua privacidade. O seu direito de pensar diferente.

E até o seu direito de discordar dos pais – quando não existir risco grave ou iminente de danos à
saúde ou integridade do filho.

4ª) QUAIS OS COMPROMISSOS QUE O PAI TEM COM OS FILHOS?

3
Como já disse, o pai tem que estar presente na vida os filhos.
É muito mais do que dar um beijinho de manhã e ir trabalhar.

Precisar conversar com os filhos. Brincar com eles quando são pequenos.
Criar vínculos – afetivos fortes e verdadeiros – com eles.
E se interessar, sugerir, orientar, ajudar e participar de cada fase da vida do filho.

A presença do pai – é fundamental – na construção da identidade do filho ou da filha.

O conhecido André Bergè, estudioso em Educação e escritor francês disse que:


“—Os defeitos dos pais – são os pais dos defeitos dos filhos.” Ou em outras palavras:
É comum encontrarmos adultos com desvirtudes e até com vícios – os mesmos que seus pais tiveram.

O pai item que ser uma referência viva de valor e de virtudes na família.
E também uma segurança para a família. Ser uma fonte de harmonia.
E se soluções das dificuldades que possam surgir.

O pai não pode fugir de suas funções e responsabilidades.


E também não pode ser – ELE – o causador de problemas à família.

Todo filho tem o maior carinho, amor e respeito – pelo pai exemplar.
E mais que isso: tem orgulho de seu pai. Às vezes não o expressa, mas tem.
Não pelos bens que o pai possui, ou pelos presentes que ele dá ao filho.

Mas pela postura de pai. Pela qualidade de figura humana que ele é na família.
Uma família com um pai assim – é indestrutível!

Muitas vezes é pela postura do pai – que as pessoas formam a sua opinião sobre o perfil daquela família.

E PARA ENCERRAR: A família como Instituição


é indispensável, é fundamental para a sobrevivência e continuidade da civilização humana.
E ser pai é a experiência mais extraordinária que um homem – com essa vocação – pode ter.

4
INTRO – Apresentação:

Luiz Azevedo é pesquisador, escritor e conferencista.


Pós-graduado em áreas das ciências humanas.
Há 6 anos promove estudos científicos sobre Medicina Integrativa Avançada.
A ação dos princípios metafísicos na saúde.
A relação mente, corpo e espírito. E as Ciências da Espiritualidade.
Suas fontes de pesquisa incluem obras literárias de renomados cientistas e médicos da América e
da Europa.
É autor do recém-lançado livro:
ATITUDES PESSOAIS DE CURA – Os 25 Melhores Hábitos de Vida para mais Saúde, Bem-Estar,
Qualidade de Vida e Longevidade.

“A VOCAÇÃO DOS PAIS EM SUA SUBLIME MISSÃO


DE EDUCAR E CONDUZIR SEUS FILHOS AO LONGO DA VIDA”

1ª) QUAL É A IMPORTÂNCIA DO PAI E DA MÃE NA FAMÍLIA?

2ª) COMO APRENDER A SER PAI?

3ª) LUIZ, VOCÊ PODERIA CITAR ALGUNS CONCEITOS – DE COMO EDUCAR OS FILHOS?

4ª) QUAIS OS COMPROMISSOS QUE O PAI TEM COM OS FILHOS?