Você está na página 1de 13

Retiro

Mantra Yoga – Sons Que Curam


Fábio Silva (Paresha Dasa)

Com Mundo Natural em Sitio Vivenda das Fontes Teresina


20-12 de Outubro de 2018
Prática de Plena Atenção

Ana-apana é uma milenar, simples e poderosa técnica de meditação originalmente


ensinada pelo próprio Budha. Trata-se de uma técnica de consciência da respiração e que
pode servir de base para toda prática meditativa. Em ana-apana aceitamos a respiração
como se encontra. Observamos o ar que entra (ana) e o ar que sai (apana) sem resistência
e com Plena Atenção. Apenas e simplesmente consciência da respiração. Se a respiração
está curta aceitamos que ela está curta. Se a respiração está longa aceitamos que ela está
longa. Apenas observamos a sensação de respirar com total presença e atenção plena.

Muitas vezes ouvimos falar que meditar é parar com os pensamentos. Tal abordagem
pode frustrar nossa experiência na medida em que observamos que os pensamentos
continuam. Pensamentos e emoções fazem parte da dinâmica da mente. Em Anapana
não rejeitamos ou agarramos os pensamentos. Sempre que um pensamento surgir nos
convidando à atenção, com paciência e generosidade, traremos nossa atenção de volta
para a respiração em plena atenção na entrada das narinas, observando o ar que entra e
o ar que sai. Assim despertaremos estabilidade interna e os nós de atração e rejeição vão
se dissolvendo, pois tudo os pensamentos são impermanentes – brotam e se dissolvem na
natureza da própria mente.

Como praticar:

Sente-se confortavelmente; mantenha a coluna ereta e sem tensão.


Repouse as mãos delicadamente sobre as pernas.
Feche levemente os olhos e a boca
Traga sua consciência para a região das narinas e observe o movimento da respiração.
Concentre-se no ar que entra e que sai desta região sem alterar a respiração.
Nadi Shodhan (Respiração Alternada)

Nadis são canais de energia (prana) que percorrem o corpo físico e sutil. Há milhares de
canais de energia por todo o corpo e, dentre estes, três são principais:
Sushumna
Ida
Pingala

Sushumna é o principal e percorre o centro do corpo entre o cóccix (posição aproximada


do muladharachakra) e o topo do crânio (sahasrarachakra).
Ida (feminino/lunar/passiva) e Pingala (masculino/solar/ativo) são frequentemente
relacionados aos dois hemisférios do cérebro. Nadi shodhan e outras técnicas especiais
de pranayama são descritas nos tratados de Yoga como meios de estimular tais correntes
energéticas e despertar a kundalini. Quando ativada a Kundalini circula dentro do canal
Sushumna ao longo dos sete chakras principais.
Nadi shodhan ajuda a limpar os canais de energia bloqueados no corpo e, por sua vez,
acalma a mente.
(nadi = canal de energia sutil; shodan = limpeza, purificação; pranayama = técnica de
respiração)
Como fazer a respiração das narinas alternadas (Nadi Shodhan Pranayama):

Sente-se confortavelmente com sua coluna ereta e os ombros relaxados.

Repouse sua mão esquerda no seu joelho esquerdo.

Posicione a ponta do seu dedo indicador e dedo do meio da mão direita no meio das
sobrancelhas, os dedos anelar e mínimo na narina esquerda, e o polegar na narina direita.

Nós iremos usar os dedos anelar e mínimo para abrir e fechar a narina esquerda, e o
polegar para abrir e fechar a narina direita.

Aperte a narina direita com seu polegar para fechá-la, e expire gentilmente pela narina
esquerda.

Agora inspire pela narina esquerda, e então pressione gentilmente essa narina esquerda
com os dedos anelar e mínimo. Remova o polegar direito da narina direita, e expire pela
direita.

Inspire pela narina direita e expire pela esquerda. Voce agora completou uma ronda do
Nadi Shodhanpranayama. Continue inalando e exalando com as narinas alternadas.

Complete 9 movimentos alternando as respirações em ambas as narinas. Após cada


expiração, se lembre de inspirar pela mesma narina que você expirou.
Mantenha seus olhos fechados por toda a prática e continue tomando longas, profundas
e suaves respirações sem nenhum esforço ou força.

Nadi Shodhanpranayama ajuda a relaxar a mente e prepará-la para entrar em estado


meditativo, portanto é uma boa ideia fazer uma meditação curta após o Nadi Shodhan.

Deve-se praticar nadishodhana de estomago vazio. Pode ser praticada duas a três vezes
no dia.

Pontos a se lembrar durante a prática da Respiração das Narinas Alternadas: Não force a
respiração. Mantenha o fluxo gentil e naturalmente. Não respire pela boca e não faça
qualquer som enquanto respira. Repouse os dedos bem suavemente na testa e no nariz.
Não é necessário aplicar nenhuma força. Em caso de você sentir tédio ou ficar bocejando
após a prática do Nadi Shodhanpranayama, perceba o tempo que você leva para inalar e
exalar. Sua expiração deve estar mais longa do que sua inspiração.
Meditação do Chakra do Coração:

A Meditação do Cakra do Coração é uma prática muito eficaz de transmutação das


emoções aflitivas a partir do amor e da compaixão. Nesta prática respiração, intenção e
visualização são utilizadas visando gerar maior conexão. De preferência escolha um local
tranquilo, arejado e limpo para a prática.

Sente-se confortavelmente e com coluna ereta.


Mantenha olhos e boca levemente fechados.
Sintonize-se com sentimentos e pensamentos de amor e compaixão.

Ao inspirar sinta que o ar é o próprio amor e compaixão; o próprio Deus adentrando seu
corpo (aqui podem ser acrescentadas outras virtudes e emoções que atendam a sua
necessidade).

Retenha o ar por um curto tempo e visualize este ar que é o próprio Deus, amor e
compaixão, tomando conta de teu peito, purificando seu coração, alcançando as células
de seu corpo e as envolvendo com amor que purifica e cura.
Expire imbuído de um sentimento de gratidão e visualize que todas as emoções
perturbadoras e estados aflitivos são automaticamente liberados na forma do ar que sai
e se fundem na totalidade do ar.

Ao realizar esse passo mantenha a postura mental de real libertação dos estados aflitivos
através da expiração e sem aversão ao que foi liberado. Tudo que um dia esteve presente
em nosso cenário mental foi fruto de nossa própria responsabilidade e, de algum modo,
nos ensinou profundas verdades.

Parte 2 (Em Benefício de Outras Pessoas) – esta prática nos coloca em sintonia com a
realidade do outro; auxilia-nos a despertar karuna (compaixão) além de ser eficaz no
auxílio ao próximo. O importante aqui é ter uma atitude de reverência ao indivíduo
visualizado por este ser parte da própria Divindade:

Sente-se confortavelmente e com a coluna ereta.


Respire normalmente por algum tempo e mantenha atenção plena e serenidade na
respiração.

Visualize diante de si a pessoa a quem escolheu para auxiliar. Pode ser alguém que esteja
vivendo algum estado aflitivo no momento ou simplesmente alguém que você deseja
beneficiar com esta prática sem que haja.

Cumprimente tal pessoa como se a tua natureza essencial saudasse a divindade no


coração da pessoa escolhida. Traga a imagem da pessoa visualizada para dentro de você
através de teu coração. Visualize a pessoa sorridentemente adentrando teu coração e
unindo o corpo dela ao teu.
Uma vez em sintonia com a pessoa como se fosse um único corpo, inspire as virtudes
medicinais amor, compaixão na forma do ar que é a própria Divindade. Inspire o ar como
se fosse a outra pessoa quem respirasse através de você.

Retenha o ar nos pulmões por certo período de tempo que não seja agressivo para você.
Sinta e visualize que este ar em teus pulmões, que é a própria medicina divina, está
envolvendo a região de teu peito – que é o mesmo peito da pessoa visualizada – em
profunda cura e limpeza e nutrindo o coração da pessoa escolhida com todo amor e
compaixão. Visualize a este ar penetrando todo corpo e células com profundo carinho e
cura.

Expire o ar com profunda gratidão e libertação das condições aflitivas internas. Visualize
o ar sendo liberado com a dor; opressão e outras condições aflitivas e especificas que
possam acometer a pessoa querida. Sinta e visualize as não virtudes e aflições se
fundirem na totalidade do ar e se transmutarem.

Finalize com uma prece e visualize em respeito e gratidão a pessoa querida saindo do
centro de seu peito e se posicionando em sua frente. Despeça-se dela saudando o eu
divino em seu interior e desfaça a imagem dela lentamente.
Sadhana Mantra 1

Guru Mantra

Oṁ Gurave Namah

O mestre é um princípio que se revela dentro e fora. Nos conectamos com o princípio do
mestre em nós para adentrarmos o conhecimento dos mantras. Também é um mantra
associado ao planeta Júpiter.

Guru Mantra

Oṁ vajra guru sarve satya dharma omkara mangalam

Om! O mestre é como um raio que corta a ignorância e brilha como um diamante. Ele é
em tudo. Ele é a virtude da veracidade que sustenta a vida. Ele é a auspiciosa silaba OM.

Mantra de Krishna para acessarmos a Sabedoria Primordial

Oṁ Namo Bhagavate Vāsudevāya

om — o pranava; namaḥ — ofereço minhas reverências; bhagavate — a Suprema


Personalidade da Divindade; vāsudevāya — a Vāsudeva (o filho de Vasudeva), o Senhor
Srī Kṛsṇ ̣a, aquele que penetra toda realidade.

Que minha consciência se absorva em Kṛsṇ ạ , o filho de Vasudeva, a todo penetrante


Personalidade Divina

Mahamantra

Oṁ Hare Krishna Hare Krishna Krishna Krishna Hare Hare


Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare

Hare – Radha, o aspecto/energia feminina da Divindade; Krishna – o todo atrativo;


Rama – a fonte de todo prazer.
Mantra da Prosperidade

Aap Sahai Hoa Sachay Daa Sachaa Doa


Har Har Har

O criador se tornou meu protetor, a verdade mais verdadeira me invadiu.


Har: Som da Shakti Criadora

O mantra da prosperidade está no idioma Gurumukh e faz parte dos mantras principiais do
Kundalini Yoga deixado pelo mestre Yogi Bhajan.

Mantra para Superação de Toda Ilusão

Oṁ Asato Mā Sadgamaya
Tamaso Mā Jyotirgamaya
Mṛtyor Mā Amṛtaṁ gamaya

Do irreal conduza-me a verdade


Da escuridão da ignorância conduza-me a luz
Da morte à imortalidade
Sadhana Mantra 2

Gayatri da Mãe Terra (Bhumi Devi)

Om Vasundharaya vidmahe
Bhutadhatraya dhimahi
Tanno Bhumih prachodayat

Om – Invocação do verbo sagrado representação sonora da Divindade; Vasundharaya –


Aquela que possui e outorga todas as riquezas; Bhutadhatraya – Que sustenta todos os
seres vivos; Tanno – meditemos; Bhumih – em Bhumi Devi (Mãe Terra); Prachodayat –
Que ela possa nos inspirar.

Om! Meditemos em Bhumi Devi (A Mãe Terra). Aquela que possui toda riqueza; que nos
abençoa com abundância e que sustenta todos os seres. Que ela possa nos inspirar!

Shanti Mantras das Upanishads

Oṁ Saha nāvavatu
saha nau bhunaktu
Saha vīryam karavāvahai
Tejasvi nāvadhītamastu
Mā vidviṣāvahai
Oṁ Shāntiḥ, Shāntiḥ, Shāntiḥ

Om! Que Ele nos proteja. Que por Ele sejamos nutridos. Que trabalhemos em união e
com vigor. Que haja clareza em nossa inteligência. Que entre nós não haja inimizade.
Que haja paz! Om Paz, Paz, Paz

Sarveśām Svastir Bhavatu


Sarveśām Shāntir Bhavatu
Sarveśām Pūrnam Bhavatu
Sarveśām Maṇgalam Bhavatu

Sarvesham – em todos/tudo; Svastir – saúde; bem estar; Bhavatu – que haja; Sarvesham
– em tudo/todos; Shantir – paz; Bhavatu – Que haja; sarvesham – em tudo/todos;
purnam – satisfeitos/plenos; sarvesham – em tudo/todos; mangalam -
auspicioso/prospero; bhavatu – que haja.
Que haja bem-estar para todos
Que todos encontrem paz
Que todos sejam plenos e satisfeitos
Que todos os seres sejam prósperos

Om, Sarve bhavantu sukhinaḥ


Sarve santu nirāmayāḥ
Sarve bhadrāṇi paśyantu
Mā kashchit duḥkha bhāgbhavet
Oṁ Shāntiḥ, Shāntiḥ, Shāntiḥ

Sarve – todos; bhavantu – sejam; sukhinah – felizes; sarve – todos; santu – se tornem;
niramayah – livres das doenças; sarve – todos; bhadrani – auspicioso, graciosidade,
bem; pashyantu – que vejam; ma – não; kashchit – ninguém; dukhah - sofrimento;
bhagbhavet – tenha que compartilhar de.

Que todos sejam felizes


Que todos tenham saúde
Que todos contemplem o bem em tudo
Que ninguém compartilhe do sofrimento
Om Shantih, Shantih, Shantih

Gayatri

Om Bhūr Bhuva Svah


Tat Savitur Varenyam
Bhargo Devasya Dhīmahi
Dhiyo Yo Nah Prachodayāt

Om – O Absoluto; bhur – a dimensão terrestre; bhuvah – dimensão superior entre a


Terra e o Sol; svah – plano superior entre o Sol e a estrela Polaris; tat – aquele/aquela;
savitur – o Sol; varenyam – o maior e fonte de virtudes; bhagah – auto-refulgente;
devasya – divino; dhimahi – meditemos nele; dhiyah – intelecto/faculdade interna de
sabedoria; yah – que; nah – nos; prachodayat – inspira.

Meditemos naquela Verdade Suprema, brilhante e auto-refulgente como o Sol que


sustenta e penetra todos os níveis de realidade (bhur, bhuvah, svah). Que tal Realidade
possa nos inspirar e iluminar nosso entendimento.
Isha Upanishad Invocação

oṁpūrṇamadaḥpūrṇamidaṁ
pūrṇātpūrṇamudacyate
pūrṇasyapūrṇamādāya
pūrṇamevāvaśiṣyate

oṁ — O Todo Completo ; pūrṇam — Perfeitamente Completo; adaḥ — aquele; pūrṇam


— perfeitamente completo; idam — este mundo fenomental; pūrṇāt — do todo
perfeito; pūrṇam — unidade completa; udacyate — surge; pūrṇasya — do Todo
Completo; pūrṇam — completamente, todo; ādāya — juntamente com; pūrṇam — o
equilibrio completo; eva — mesmo; avaśiṣyate — permanece.

Deus, a pessoa suprema, é perfeito e completo. Sendo completamente perfeito, tudo


que emana d’Ele, como por exemplo, este mundo fenomenal, é perfeitamente equipado
como todos completos. Tudo o que é produzido pelo Todo Completo é completo em si
mesmo. Porque Ele é o todo completo, muito embora tantas unidades completas
emanem d’Ele. Ele permanece o equilíbrio completo.

*A Invocação da Isha Upanishad é um mantra poderoso e em nosso sadhana ele é utilizado


como mantra de aceitação de tudo que há em nós como parte de Deus. Superando os padrões
mentais de rejeição e atração separatista. Aceitamos e integramos tudo em nós e na criação
como parte do Divino.

Mantra para Acessar o Perdão

nāyaṁ jano me sukha-duḥkha-hetur


na devatātmā graha-karma-kālāḥ
manaḥ paraṁ kāraṇam āmananti
saṁsāra-cakraṁ parivartayed yat

Ninguém é a causa de minha felicidade ou infelicidade. Tampouco são os deuses, meu


próprio corpo, os planetas, minha atividade passada ou o tempo. Ao contrário, é só a
mente que acarreta felicidade e sofrimento e perpetua o ciclo de nascimento e mortes.
Kirtan

Jai Matarani Satya Dharani Ma


Jai Ambe Gouri Ambe
Bhadra Sarani Ma
Vaishnodevi Namostute
Bhakti Daiyni Ma
Jai Ambe Gouri Ambe
Dukha Harani Ma

Ó Mãe Rainha
Sustentáculo da verdade
Mãe Dourada do Mundo
Mãe tu és o caminho de toda virtude
A Ti eu me dirijo ó Vaishnodevi

Tvameva Mata Ca Pita Tvameva


Tvameva Bandhush Ca Sakha Tvameva
Tvameva Vidya Dravinam Tvameva
Tvameva Sarvam Mama Deva Deva

Tu és minha mãe. Tu és meu pai. Tu és meu companheiro. Tu és meu amigo.


Tu és o conhecimento. Tu és a riqueza. Tu és tudo em mim. Deus dos Deuses! Senhor dos
Senhores!

Prece de dedicação de Méritos

Ao longo de minhas muitas vidas e até este momento,


todas as virtudes que eu tenha alcançado,
inclusive os méritos gerados por esta prática
e todas as que vier a conseguir,
ofereço para o bem-estar dos seres sencientes.
Possam a doença, a guerra, a fome e o sofrimento
diminuir para todos os seres,
enquanto sua sabedoria e compaixão aumentam
nesta e em vidas futuras.
Possa eu claramente perceber todas as experiências
como sendo tão insubstanciais quanto o tecido do sonho
durante a noite e imediatamente despertar para perceber
a manifestação de sabedoria pura no surgir de cada fenômeno.
Possa eu rapidamente alcançar a iluminação
para trabalhar sem cessar pela liberação de todos os seres.

Você também pode gostar