Você está na página 1de 3

GUIA DE REDAÇÃO DO ENEM: ENTENDA AS 5 COMPETÊNCIAS

Por https://foconoenem.com/guia-de-redacao-do-enem/

Conhecer as competências cobradas pelo Enem na prova de Redação é essencial para que o candidato consiga obter o
melhor desempenho e alcançar a excelência, isto é, a nota máxima: 1000 pontos (mil pontos). Com a finalidade de ajudar os estudantes
a entender melhor essas 5 competências, elaboramos um Guia de Redação do Enem explicando cada uma delas, como são avaliadas
e quais são os critérios utilizados pelos corretores do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira),
responsável pela elaboração e aplicação da prova.

COMPETÊNCIA I – DEMONSTRAR DOMÍNIO DA NORMA CULTA DA LÍNGUA ESCRITA.

A primeira competência cobrada é o domínio da gramática e estética textual. O candidato deve conhecer o uso da norma
padrão da língua portuguesa e suas aplicações. Será cobrado o conhecimento sobre todas as regras gramaticais, levando em
consideração critérios relacionados à ortografia, regência, concordância e semântica.

O que será avaliado?


1. Diferença entre modalidade oral e escrita;
2. Atenção à ortografia e às regras gramaticais;
3. Estética geral do texto e o respeito ao número de linhas;
4. Ausência de marcas da oralidade;
5. Precisão vocabular;
6. Colocação das letras maiúsculas e minúsculas;
7. Divisão silábica na mudança de linha (translineação).

COMPETÊNCIA II – COMPREENDER A PROPOSTA DE REDAÇÃO E APLICAR CONCEITOS DAS VÁRIAS ÁREAS DE


CONHECIMENTO PARA DESENVOLVER O TEMA, DENTRO DOS LIMITES ESTRUTURAIS DO TEXTO DISSERTATIVO-
ARGUMENTATIVO.

A segunda competência cobrada na Redação do Enem é a compreensão da proposta. Aqui o candidato precisa entender o
tema a ser desenvolvido, organizar as ideias e aplicá-las no texto. Para isso, é preciso ler o tema com bastante atenção para
conseguir relacionar outras áreas de conhecimento e provar que sabe o que é um texto dissertativo.

O que será avaliado?


1. Compressão da proposta: evite ficar preso aos textos motivadores. Não os copie, mas também não os ignore;
2. Conhecimento sobre outras áreas como, por exemplo, literatura, biologia, cinema, biotecnologia, entre outras;
3. Se o aluno sabe estruturar um texto dissertativo.

COMPETÊNCIA III – SELECIONAR, RELACIONAR, ORGANIZAR E INTERPRETAR INFORMAÇÕES, FATOS, OPINIÕES E


ARGUMENTOS EM DEFESA DE UM PONTO DE VISTA

Na terceira competência é cobrado se a argumentação do candidato é feita com base em fatos concretos para defender seu
ponto de vista. Tudo que será escrito na Redação do Enem precisa estar fundamentado em algo verdadeiramente comprovado. O aluno
pode usar dados estatísticos, analogias, metáforas (comparações), fatores com causa e consequência, enumerações e citações.

O que será avaliado?


1. Progressão qualitativa (relação de sentido entre as partes do texto);
2. Ordem lógica entre as ideias apresentadas;
3. Coerência: adequação entre o conteúdo do texto e o mundo real;
4. Encadeamento de ideias: cada parágrafo deve apresentar informações novas, coerentes com o que foi exposto anteriormente,
sem repetições ou saltos temáticos.

COMPETÊNCIA IV – DEMONSTRAR CONHECIMENTO DOS MECANISMOS LINGUÍSTICOS NECESSÁRIOS PARA A


CONSTRUÇÃO DA ARGUMENTAÇÃO.

Nessa competência, será avaliado se o candidato sabe escrever um texto coeso. Como na redação do Enem é exigido um
texto dissertativo-argumentativo, as ideias precisam ser bem embasadas, estar bem articuladas e organizadas por meios de parágrafos
bem estruturados. A utilização de conectivos deve ser explícita, ligando os argumentos e parágrafos, evitando repetições.

O que será avaliado?


1. Estruturação dos parágrafos: em um texto dissertativo-argumentativo, o parágrafo é formado por uma ideia principal no qual se
ligam as ideias secundárias;
2. Estruturação dos períodos: os períodos de um texto dissertativo são, normalmente, estruturados de modo complexo, formados
por duas ou mais orações, para que se possam expressar as ideias de causa-consequência, contradição, temporalidade,
comparação, conclusão, entre outras.
3. Uso de referências: lugares, pessoas, coisas, dados, informações e fatos introduzidos devem ser retomados à medida que o
texto vai progredindo. Referências podem ser expressas por meio de pronomes, advérbios e artigos.

COMPETÊNCIA V – ELABORAR PROPOSTA DE SOLUÇÃO PARA O PROBLEMA ABORDADO, MOSTRANDO RESPEITO AOS
VALORES HUMANOS E CONSIDERANDO A DIVERSIDADE SOCIOCULTURAL.
A competência cinco é a mais importante, pois a elaboração da solução do problema proposto é mais criteriosa entre os
corretores. O candidato deve ter levantado alguns aspectos voltados para uma problemática, para um fato passível de ser solucionado.
Ao concluir o texto, deve-se apresentar uma solução para o que foi discutido ao longo da redação.
A proposta de intervenção deve ser detalhada de modo a permitir ao leitor o julgamento sobre sua exequibilidade. Portanto, deve conter
a exposição da intervenção sugerida e o detalhamento dos meios para realizá-la. Além disso, é preciso considerar os pontos abordados
durante o desenvolvimento do texto e ser coerente com os argumentos utilizados, já que eles expressam a sua visão como autor, das
possíveis soluções para a questão discutida.

O que será avaliado?


1. Presença de proposta;
2. Detalhamento dos meios para realização da solução proposta;
3. Possibilidade de execução: a solução apresentada é viável?
4. Respeito aos Direitos Humanos: a intervenção não pode ferir valores como cidadania, liberdade, solidariedade e diversidade
cultural.
____________________________________________________________________________________________________________

Abaixo estão fragmentos de artigos retirados dos sites jornalísticos G1 e Estado de Minas. Leia-os atentamente para embasar
sua redação.

Polêmicas geradas em decorrência de declarações (ou tuítes) controversos são, nos dias de hoje, o arroz com feijão de sites e
redes sociais – a reverberação, antes local, ganha com o mundo digital uma dimensão globalizada. Com o caso de Júlio Cocielo, muitos
famosos na web e suas equipes resolveram rolar suas páginas e correr pela sequência de posts para ver se suas opiniões e
comentários de anos atrás podem gerar polêmica em 2018 – ou em futuro próximo.
Em seu perfil no Twitter, o youtuber Felipe Neto disse que, após o caso Cocielo, tem recebido pedidos de ajuda sobre o
assunto: “O que eu tô recebendo de mensagem de amigo influenciador perguntando ‘cara como que eu apago todos os tweets?’ num tá
no gibi”, ele disse.
Alguns internautas questionaram o fato de Felipe não citar os nomes dos “amigos”, mas o fato é que o caso mostrou um sinal
de alerta. Em especial para os "influenciadores" (como são chamados os famosos nas redes sociais) e seus assessores de
comunicação.
"Sabemos que os jovens às vezes falam e fazem coisas sem pensar. Por isso, orientamos que apaguem esses tipos de textos,
justamente porque não condizem com o momento atual e nem com a mentalidade atual do artista”, explica ao G1 um assessor de
comunicação de vários "influencers" e youtubers, com milhões de seguidores, e que preferiu não se identificar. Além de orientar, ele
também fica de olho nas redes sociais dos clientes. E, em caso de posts polêmicos, a forma de deletar é manual mesmo, sem o uso de
ferramentas que apagam tuítes em série. “Às vezes, nossos clientes começam a carreira muito cedo. Antes mesmo de ficarem famosos,
estão na internet brincando, seguindo opiniões e pensamentos politicamente incorretos”. Além de orientar, ele também fica de olho nas
redes sociais dos clientes. E, em caso de posts polêmicos, a forma de deletar é manual mesmo, sem o uso de ferramentas que apagam
tuítes em série.
Com a polêmica, Whindersson Nunes, que tem o segundo canal de Youtube com maior número de seguidores do Brasil (mais de 30,1 milhões),
foi na direção contrária. Em vez de apagar as polêmicas, deu o caminho no estilo conselho de mãe: quem procura acha.
“Pra quem quiser procurar tuítes antigos meus, é fácil. Vai na busca ali em cima boa: palavra from:whindersson. Fiquem à vontade e se deleitem no monte
de lixo que eu falava”.
O ator Bruno Gagliasso entrou na polêmica ao criticar Cocielo e, em seguida, internautas acharem piadas apontadas como homofóbicas
compartilhadas por ele em 2009. Sua resposta foi semelhante à de Whindersson: admitiu o erro e diz responder com suas "ações e atitudes" de hoje.
"Estou aqui em 2018 respondendo com minhas ações e atitudes por quem já fui também em 2009 e mesmo antes disso. De alguma forma todos
estamos. Não é passando o pano no preconceito, mas sim passando tudo a limpo, que o mundo vai se tornar um lugar melhor", disse Gagliasso.

Fenômenos com 'pouca maturidade'

“Acompanho exatamente tudo. Não apenas as redes dos meus artistas, pessoais e profissionais, mas aquilo que eles curtem,
comentam e de todas as pessoas que fazem parte do universo em que eles estão inseridos”, diz a assessora de imprensa Bianca
Ceará. “Já passei pelos dois casos, tanto apagar posts e também solicitar uma nova publicação. Muitas vezes, a pessoa não tem a
intenção, mas acaba criando ou se envolvendo em polêmicas por conta de uma vírgula ou a falta dela". "Por um lado, a rede social é
extraordinária. Aproxima o ídolo do fã de uma forma assustadora. Mas este ídolo também é um ser humano e, como ser humano,
aberto a falhas”, afirma Bianca. “Acho que o caso dele [Julio Cocielo] e outros recentes sempre me sinalizam a mesma coisa: é preciso
conhecer. E conhecer para orientar. Os 'fenômenos’ surgem como um meteoro e, pela pouca maturidade, acabam dizendo, ou melhor,
escrevendo aquilo que querem. Não pensam nas consequências”.

PROPOSTA DE REDAÇÃO

A tecnologia das redes sociais colocou o público mais perto de seus ídolos, e isso gerou uma superexposição dos
posicionamentos polêmicos e deslizes dos famosos. Alguns artistas são parte de um grupo seleto de webcelebridades ou influencers,
termos usados para designar jovens reconhecidos como formadores de opinião, e que usam as redes como plataforma para a
disseminação de conteúdo. Com base, especificamente, no caso analisado acima, redija um texto dissertativo-argumentativo,
analisando a situação vivida por essas personalidades e propondo uma solução para o chamado “tribunal da internet”, que nada mais é
que a manifestação contrária do público ao que é veiculado como brincadeira por diversas figuras ilustres do meio digital.
1

3
4

5
6

8
9

10
11

12
13

14
15

16
17

18
19

20
21

22
23

24
25

26

27
28

29
30

Você também pode gostar