Você está na página 1de 9

0

CENTRO UNIVERSITÁRIO LEONARDO DA VINCI

CRISTIANO JOSÉ MATIAS

RELATÓRIO DE OBSERVAÇÃO ESCOLA EVANGÉLICA


MISIONÁRIO GUNNAR VINGREN

CUIABÁ
2018
1

CRISTIANO JOSÉ MATIAS

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO


INFANTIL NA ESCOLA EVANGELICA MISSIONARIO GUNNAR
VINGREN – CUIABÁ MT

Relatório de Estágio Supervisionado


apresentado à professora Carol como
requisito parcial para aprovação na
disciplina Prática de Ensino e Estágio
Supervisionado em Pedagogia Pela
UNIASSELVI.

CUIABÁ
2018
2

AGRADECIMENTOS

A Deus por ter me dado saúde e força para superar as dificuldades.

Ao Centro Universitário Uniasselvi, seu corpo docente, direção e administração, que


oportunizam a janela por onde hoje vislumbro um novo horizonte.

A minha orientadora professora Carol, pelo suporte no pouco tempo que lhe coube,
pelas suas correções e incentivos.

A minha esposa e filhos e filhas, pelo amor, incentivo e apoio incondicional, e a


todos que direta ou indiretamente estão fazendo parte da minha formação...

O meu muito obrigado.


3

Não eduques as crianças nas várias


disciplinas recorrendo à força, mas como
se fosse um jogo, para que também
possas observar melhor qual a disposição
natural de cada um.

Platão
4

1 JUSTIFICATIVA

O estágio na Educação Infantil, que será realizado na Evangélica Missionário


Gunnar Vingren, é considerado de fundamental importância para a formação do
aluno de Pedagogia, para vivenciar a experiência de estar em sala de aula,
observando, aprendendo e interagindo com a professora e com os alunos, para
desenvolver as competências necessárias à docência. A oportunidade de observar a
metodologia utilizada, os conteúdos abordados, a postura adotada diante da sala,
enfim, uma observação voltada para a relação professor e alunos, no contexto do
desenvolvimento da prática de atividades da área que foi escolhida para atuar,
propicia uma reflexão sobre a teoria aplicada ao contexto escolar.
A disciplina propõe o estudo dos elementos da didática da educação infantil,
que serve de fundamento para a construção do projeto de intervenção pedagógica a
ser desenvolvido na escola campo de estágio na rede particular de ensino, vinculada
à Secretaria Municipal de Educação Cultura Esporte e Lazer.

2 CARACTERIZAÇÂO DA ESCOLA

A Escola Evangélica Missionário Gunnar Vingren, situada à Avenida


Historiador Rubens de Mendonça, 3500 – Cuiabá MT- foi fundada em janeiro de.
Oferece os cursos de Educação Infantil ao ensino médio. Há 30 anos esse espaço
educacional trabalha com seriedade e carinho para contribuir com a Educação
Infantil, de adolescentes e jovens, sempre focando na formação de cidadãos críticos
e reflexivos.
A Escola Evangélica Missionário Gunnar Vingren é uma instituição particular,
de classe média, está localizada em um dos maiores e mais populoso bairro da
capital Mato-grossense.
A escola mantém uma estrutura bem conservada, ao seu lado o Grande
Templo o maior templo evangélico da América latina e ao seu lado esquerdo, fica o
centro político do estado de Matogrosso, em seu entorno encontram-se academias,
igrejas, asilos, supermercados, clínicas, laboratórios, bares, restaurantes, escolas,
etc.
5

O seu Projeto Político Pedagógico (PPP) é constituído com flexibilidade e


dinamismo, acreditando que o conhecimento é construído com a interação do sujeito
com o ambiente, sempre considerando os aspectos cognitivo, emocional e social de
cada aluno.
As instalações da escola são compostas de Recepção, Salas de Aula,
Espaços Recreativos cobertos e em ar livre, sala de apoio ADI e Biblioteca para dar
suporte aos professores e alunos, e uma pequena Cantina que serve lanches e
sucos naturais.

3 OBJETIVOS

3.1 GERAL

Vivenciar novas práticas pedagógicas relacionadas com o ensino e


aprendizagem na Educação Infantil e desenvolver competências e habilidades
docentes.

3.2 ESPECÍFICOS

 Desenvolver atividades didáticas em sala de aula de Educação Infantil.


 Observar a organização e a gestão escolar e de sala de aula.
 Relacionar conhecimentos teóricos e práticos nas atividades desenvolvidas com
as crianças.
 Refletir, aprender e conhecer a realidade da escola no dia a dia da direção, dos
professores, dos alunos e funcionários.

4 A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Quando o aluno chega à escola, traz consigo uma grande bagagem de


conhecimentos, muito desse conhecimento é adquirido através da ludicidade. O
brincar é um impulso do ser humano e toda criança tem dentro de si esse impulso,
que leva através do lúdico para satisfazer seu interior.
Piaget (1998) acredita que os jogos são essenciais na vida da criança. De
início tem-se o jogo de exercício que é aquele em que a criança repete uma
6

determinada situação por puro prazer, por ter apreciado seus efeitos, ele também
afirma que “a infância é o tempo de maior criatividade na vida de um ser humano e a
atividade lúdica é o berço obrigatório das atividades intelectuais da criança, sendo
por isso indispensável à prática educativa” (PIAGET, 1998, p. 314).
Rebatendo o que diz Piaget, em relação às atividades lúdicas, Vyvotsky
mesmo sendo um defensor do educar brincando mostra que nem em todas as
brincadeiras a criança está satisfeita:

Ao brincar a criança assume os papéis e aceita as regras próprias da


brincadeira, executando imaginariamente, tarefas para as quais
ainda não está apta ou não sente como agradáveis na realidade
(VYGOTSKY apud LA TAILE 1992, p.104).

.
Segundo o pensamento de Vigotsky a cultura não é um sistema estático ao
qual o indivíduo se submete, mas como uma espécie de “palco de negociações “em
que seus membros estão em constante processo de recriação e reinterpretação de
informações, conceitos e significados. (VYGOTSKY apud LA TAILE 1992, p. 65).
Sendo assim, o professor deve possuir e desenvolver várias competências,
dentre elas as mais importantes que é ser lúdico, criativo, comprometido, preparado,
organizado, tolerante, aberto para perguntas, narrador, inovador, e ainda
acrescentar novas competências que surgem com o desenvolvimento tecnológico,
para modernizar a sua maneira de ensinar, levando a criança à satisfação do
brincar.

5 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS

O estágio será com o grupo 4, pré-escola no período de 12h30 às 16h30,


horas,15 dias na Escola .O trabalho irá enfatizar o aprendizado de uma postura que
possibilite o desenvolvimento individual e coletivo dos alunos, partindo dos seus
conhecimentos prévios e das suas histórias de vida. Portanto farei o possível para
ser mediadora e incentivadora no processo de ensino-aprendizagem, tornando-me
investigadora de novas descobertas, para contribuir com o desenvolvimento das
crianças.
7

5.1 ATIVIDADES PLANEJADAS

 Contação de história.
 Exibição de filmes.
 Colagem.
 Pintura.
 Cantigas de roda.
 Parquinho
 Jogos

5.2 RECURSOS DIDÁTICOS

Livro infantil de fabulas, filmes, revistas, DVD, cola colorida, tintas e folha de
oficio, cartolinas coloridas, tesoura.

6 CRONOGRAMA

ATIVIDADES PERÍODO
Rodinha, história, música 10/10/18
Desenho livre com giz de cera no papel A3 11/10/18
Brincadeira livre no parque e visita à Biblioteca 12/10/18 e 13/10/18
Assistir filme sobre a natureza (comentar) 14/10/18
Observação da sala de aula e do prédio escolar 15/10/18 e 16/10/18
Brincadeiras com massinha de modelar 19/10/18
Ajudar na organização de atividades para a classe 20/10/18 e 21/10/18
Observar as características dos alunos e como eles interagem 22/10/18e 23/10/18
Analisar a relação professor e aluno durante a aula 26/10/18 e 27/10/18
Observação da sala de aula 28/10/18
Observação sobre a organização da Escola, a gestão 29/10/18 e 30/10/18
administrativa e de sala de aula

AVALIAÇÂO
A avaliação será contínua através da participação, criatividade e interesse de cada
aluno, observando a apropriação dos conteúdos aplicados, individualmente ou em
grupo, e como eles expõem suas idéias sobre os temas desenvolvidos.
8

REFERÊNCIAS

PIAGET, Jean, A epistemologia genética: Sabedoria e ilusões da filosofia.


Problemas de psicologia genética Tradução: Nathanael C. Caixeiro; Zilda Abujamra
Daeir; Célia E. A. Di Piero. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

LA TAILLE, Yves de; OLIVEIRA, Marta Kohl; DANTAS, Heloysa. Piaget, Vigotsky,
Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. São Paulo: Summus, 1992.