Você está na página 1de 20

Visagismo

Material Teórico
Introdução ao Visagismo

Responsável pelo Conteúdo:


Prof.ª Esp. Ionice Silva Melo

Revisão Textual:
Prof.ª Dr.ª Selma Aparecida Cesarin
Introdução ao Visagismo

• Introdução ao Visagismo;
• A História do Visagismo;
• O que é Visagismo;
• Áreas de Atuação Profissional.

OBJETIVO DE APRENDIZADO
• Conhecer o conceito do termo Visagismo, seus fundamentos, a história e seus
precursores. Reconhecerá as possíveis áreas de atuação profissional e a importância
do Visagismo na sociedade.
Orientações de estudo
Para que o conteúdo desta Disciplina seja bem
aproveitado e haja maior aplicabilidade na sua
formação acadêmica e atuação profissional, siga
algumas recomendações básicas:
Conserve seu
material e local de
estudos sempre
organizados.
Aproveite as
Procure manter indicações
contato com seus de Material
colegas e tutores Complementar.
para trocar ideias!
Determine um Isso amplia a
horário fixo aprendizagem.
para estudar.

Mantenha o foco!
Evite se distrair com
as redes sociais.

Seja original!
Nunca plagie
trabalhos.

Não se esqueça
de se alimentar
Assim: e de se manter
Organize seus estudos de maneira que passem a fazer parte hidratado.
da sua rotina. Por exemplo, você poderá determinar um dia e
horário fixos como seu “momento do estudo”;

Procure se alimentar e se hidratar quando for estudar; lembre-se de que uma


alimentação saudável pode proporcionar melhor aproveitamento do estudo;

No material de cada Unidade, há leituras indicadas e, entre elas, artigos científicos, livros, vídeos
e sites para aprofundar os conhecimentos adquiridos ao longo da Unidade. Além disso, você
também encontrará sugestões de conteúdo extra no item Material Complementar, que ampliarão
sua interpretação e auxiliarão no pleno entendimento dos temas abordados;

Após o contato com o conteúdo proposto, participe dos debates mediados em fóruns de discus-
são, pois irão auxiliar a verificar o quanto você absorveu de conhecimento, além de propiciar o
contato com seus colegas e tutores, o que se apresenta como rico espaço de troca de ideias e
de aprendizagem.
UNIDADE Introdução ao Visagismo

Introdução ao Visagismo
Observe estas imagens e reflita!

Que mensagem elas passam?

Que sensação provocam em você?

Todas estas pessoas passam uma imagem homogênea no que se refere a carac-
terísticas de comportamento e personalidade?

Qual a profissão que cada uma delas pode ter?

Você se identifica com alguma delas?

Figura 1
Fonte: iStock/Getty Images

Em todas estas imagens podemos observar linhas de contorno, cores diferentes, texturas
Explor

lisas e onduladas, gestuais diferenciados... Todos estes pontos traduzem uma mensagem...

A partir destas reflexões, convidamos você a conhecer o universo do Visagismo


e responder a grande questão que envolve este conceito:

QUE IMAGEM VOCÊ QUER TER?

Vamos estudar linhas, formas, cores, texturas….. Reconhecer o universo da


leitura de imagens e decidir se a mensagem que passamos através de nossa imagem,
realmente revela nossa essência.

Nós queremos expor nossa personalidade ou não? Vamos conhecer e viajar a


ciência, falar um pouco sobre Leonardo da Vinci e a proporção Áurea, saber quem
foi Fernand Aubry, quem iniciou o Visagismo e como isso ocorreu?

8
Bem vindos ao Visagismo que pertence a nossas vidas. Você é nosso ilustre
convidado.
Uma forma sempre define a função. (Louis Sullivan)
Explor

Design Culture: https://goo.gl/y8nMTg

Você deve estar imaginando de que forma este destaque dado ao arquiteto Louis
Sullivan, poderá se conectar ao tema Visagismo… Não se preocupe, temos muito
a conversar e será incrível descobrir toda esta conexão.

A História do Visagismo
Vamos iniciar esta unidade passeando pela história do visagismo. Já se perguntou,
como se originou o visagismo?

A palavra visagismo é derivada do francês, visage, que significa rosto. Este termo
foi criado por Fernand Aubry, com o intuito de integrar a arte de criar uma imagem
pessoal a esse mesmo conceito, da valorização do rosto.

...por conter o sufixo “ismo”, o visagismo deve ser um conceito e não uma
técnica (exemplo: surrealismo, cubismo, modernismo), significam um concei-
to, estilo ou procedimento, baseado numa filosofia. (HALLAWELL, 2009).

Fernand Aubry, grande maquiador e cabeleireiro francês. Foi um dos primeiros


profissionais a criar e integrar a harmonização da imagem para seus clientes com
o corte, o penteado e a maquiagem de acordo com a intenção…..

Ele tratava o rosto como uma escultura exaltando-o com as técnicas de maquia-
gem, com objetivo de exteriorizar a beleza em cada mulher.

Com o slogan “Não há mulher sem beleza, apenas belezas escondidas”. Em


1936, ele criou o “LE VISAGISME”, uma técnica para se adequar a imagem para
cada personalidade. Seu salão tornou-se referência de mulheres elegantes que que-
riam encontrar as suas originalidades.

Aubry não tem livro publicado, mas seus discípulos e seguidores mantiveram vivo
o conceito ao longo do tempo. O visagismo, no entanto, atende as necessidades
das pessoas que buscam personalização em todos os sentidos.

Ao estabelecer este conceito, Aubry tinha como objetivo a criação de uma


imagem pessoal que definisse cada indivíduo. Ele buscava identificar sempre o
tipo físico, traços de personalidade, profissão, preferências pessoais, para somente
depois definir o visual. Para personalizar a imagem, o francês utilizou o conceito
criado pelo arquiteto da famosa escola de arte Bauhaus.

9
9
UNIDADE Introdução ao Visagismo

Você Sabia? Importante!

A escola bauhaus é considerada o berço do Visagismo. Foi fundada no intuito de desenvolver


trabalhos de design, principalmente na área da arquitetura e artes plásticas. Tudo relacionado
ao ensino criativo, sendo a primeira escola de design, e considerada a maior expressão do mod-
ernismo. A Bauhaus combatia a arte pela arte e estimulava a livre criação com a finalidade
de ressaltar a personalidade do homem. Mais importante que formar um profissional, era for-
mar homens ligados aos fenômenos culturais e sociais mais expressivos do mundo moderno.
O estilo Bauhaus era fruto do pensamento dos professores, recrutados, sem discriminação de
nacionalidade, entre membros dos movimentos abstrato e cubista.
Saiba mais sobre esse movimento no link a seguir: https://goo.gl/h1UB5o

Será que a primeira impressão é a que fica?


Segundo Aubry, a primeira impressão que se causa ao conhecermos alguém,
mexe com o emocional, sendo apropriada a harmonização, para manter um equi-
líbrio visual. A aparência consiste não somente no visual do rosto, mas em tudo
aquilo que é expresso pelo corpo.
Louis Sullivan arquiteto americano e teórico, foi o primeiro arquiteto modernista
que defendia a máxima de que “a forma segue a função”. Os arranha-céus e mo-
numentos são provas vivas da interveniência da arquitetura de Sullivan na época
modernista, que desenvolveu a estética funcionalista. Trabalhou pela renovação da
arquitetura e para impor a imagem do arquiteto como artista e criador, contra o
ecletismo tradicional. Ele foi um marco importante na história da arquitetura mo-
derna e deixou os seus ideais bem definidos. O design teve muitas influências na
arte, arquitetura, comunicação e área da beleza.
Defendia a ideia de que antes de pensar no ser bonito, ou esteticamente agra-
dável, é preciso pensar:
Qual é a função da imagem?
Suas influências vêm sendo desenvolvidas e melhoradas ao longo da história,
muitos movimentos colaboraram para as diversidades do design.

O design moderno, estilo do séc. XX surgiu de uma junção de movimentos com grandes
Explor

influências artísticas, art nouveau, cubismo, futurismo, dadaísmo, surrealismo, construti-


vismo, art déco, bauhaunismo entre outras.
Explor

Art nouveau: https://goo.gl/hzEvtq e Art déco: https://goo.gl/FxRXL3

Outro nome importante que contribui para o estudo do visagismo Claude Juillard,
Co. Autor do livro formes Et couleurs (Solar, Paris, 1999), criou o método baseado
na análise do comportamento da linguagem corporal e nas características físicas.

10
Depois de estudar belas artes, voltou a atuar como cabeleireiro, melhorando a cria-
ção de cortes, cores e penteados, minimizando os descontentamentos de suas
clientes,criando um conceito de beleza plena. Ele é um dos discípulos de Fernand
Aubry, iniciando seus trabalhos como visagista nos anos 80. Em Paris ele é diretor
em uma instituição, onde ministra seus cursos e dissemina seu conceito visagisme
total look. Cortes geométricos, cores contrastantes criam design para uma imagem
pessoal, transmitindo ritmos e gestos, sendo fundamental na customização da ima-
gem pessoal, podendo realçar ou até mesmo dar a ilusão de alguma intenção.
Claude afirma que a maneira de analisar comportamentos influencia a forma de
combinar conhecimentos no momento do desenvolvimento artístico, que ajudará a
definir a imagem desejada e adequada para a individualização, social e pessoal de
qualquer pessoa.
Explor

Acompanhe no link abaixo um pouco mais de Claude: https://goo.gl/5W8GKB

Uma contribuição muito importante que nos auxilia na compreensão do efeito


psicológico do conceito do visagismo veio através do professor Joseph LeDoux
do Center for Neural Science da New York University.
Pesquisador respeitado na área, seu trabalho é focado
nos mecanismos cerebrais da emoção e da memória,
que rendeu vários prêmios. LeDoux afirma que, as rea-
ções emocionais são produzidas de maneira inconscien-
te. Emoções em ação tornam-se poderosos fatores de
motivação para futuras atitudes. São elas que definem o
rumo de cada ação e dão partida nas realizações de longo
prazo. Em seu livro “O Cérebro Emocional” traz valiosa
contribuição logo no início. Relacionou como o cérebro
processa emoções e símbolos arquetípicos. A beleza es- Figura 2 – O cérebro emocional:
tética de uma pintura pode atrair-nos mesmo quando não Os misteriosos alicerces da vida
entendemos conscientemente por que gostamos dela. emocional. Joseph LeDoux
Explor

O cérebro emocional: https://goo.gl/Vksphz

E não poderíamos deixar de falar sobre Philip Hallawell artista plástico brasileiro
de renome internacional dirige o Centro de Visagismo, conferencista muito requi-
sitado nas áreas de beleza, estética e artes. Escritor de vários títulos dentre eles
“Visagismo: harmonia e estética”, onde ele explica como descobriu a presença de
símbolos e arquétipos na composição de qualquer imagem, inclusive na imagem do
rosto, no seu formato e nas linhas das feições. Associando seu estudo ao trabalho
de Joseph Le Doux.

Philip então estabelece as bases da individualização da imagem pessoal de


acordo com a personalidade, estilo de vida, posição social e características físicas.

11
11
UNIDADE Introdução ao Visagismo

Explica o funcionamento da linguagem visual, como entender o que uma imagem


expressa e como identificar as características físicas de uma pessoa. No seu livro
“Visagismo integrado: identidade, estilo e beleza”, desenvolveu um método que foi
criado a partir da associação de conhecimentos de quatro áreas de estudo científico:
a linguagem visual, a psicologia, a ciência cognitiva e a antropologia. Na área da psi-
cologia engloba a teoria de símbolos arquetípicos, do psicólogo Carl Jung, estudos
sobre identidade, personalidade e temperamento, e técnicas de indução à reflexão
e à criação de conceitos, desenvolvidos para estimular a criatividade. A identificação
dos símbolos arquetípicos nas estruturas da imagem pessoal, nos formatos do rosto
das feições e do formato do cabelo e nas linhas que compõem as feições da face e
os cabelos permitindo fazer uma leitura do que a imagem pessoal como um todo ex-
pressa e o que a face revela do temperamento*. (estudaremos na unidade III). Traba-
lhos na área da ciência cognitiva, vistas à luz dessa percepção, indicam que imagens
provocam reações emocionais, antes que possam ser analisadas racionalmente, o
que explica porque a imagem pessoal tem tanta influência na auto-estima, no com-
portamento, no estado psicológico e emocional e nas relações com outras pessoas.
Explor

Leia mais no link a seguir: https://goo.gl/aLUS8c

Baseado nestes estudos e conceitos, convidamos você a descobrir ao avançar


das unidades desta disciplina, o que o visagismo pode proporcionar na sua vida!

Linha do tempo

Em Síntese Importante!

Ao discorrer pela unidade, citamos diversos nomes, que são fundamentais para compreensão
do Visagismo acadêmico. Os locais onde tudo se iniciou,qual país, de que forma ocorreu e suas
referências. As influências e conexões com áreas distintas como arquitetura, design, paisagismo e
arte. Vamos caminhar para o Visagismo prático e aplicado, onde estas origens farão todo sentido.

Linha do Tempo - Importantes nomes do Visagismo

Fernand Aubry- Claude Juillard-


França 1936 França 1980

Louis Sullivan - Joseph Le Doux - Philip Hallawell -


Estados Unidos França Brasil
1895 1970 2002

Figura 3

12
O que é Visagismo
O Visagismo é na realidade um conceito, que exige aprender técnicas novas,
adquirir novos saberes e mudar procedimentos. Esse conceito de personalizar a
imagem foi desenvolvido ao longo de toda a humanidade, muitas vezes incons-
ciente, sendo generalizado em algumas culturas, como as indígenas e africanas
onde as necessidades eram de proteção, imitação, diferenciação que seria o foco
de construções de imagens. As pessoas adornavam-se e ajustavam-se conforme os
seus gostos, buscando melhorar suas imagens, para alguma eventualidade. Sempre
deixando o que realmente caracteriza suas personalidades, buscando os recursos
disponíveis e conforme as suas realidades. Somente depois da Primeira Guerra
Mundial este mesmo conceito foi disseminado onde qualquer pessoa poderia ter
uma imagem personalizada.

Muitas vezes por modismo, acabamos seguindo um padrão de beleza específico,


o qual devemos perceber que causamos um impacto emocional para nós e para
mundo. Este impacto pode ser diferente do que gostaríamos de transmitir.

Será que todos nós estamos em plena concordância interior com a imagem
exterior que temos?

Trocando ideias...Importante!
Convido você a buscar fotos suas em situações diversas. pesquise seu arquivo pessoal de ima-
gens. Outra opção é buscar um olhar diferenciado em algum meio de transporte, ambiente,
nas ruas movimentadas, televisão com suas novelas e personagens, perfil de imagem do jor-
nalista e infinitos programas de entretenimento, ou ainda, qualquer local com muitas pes-
soas. Isso é muito fácil.

Pode ter certeza que você terá opiniões (julgamentos) diferentes para cada indi-
víduo observado.

Isso é visagismo, leitura de uma imagem que compreende decodificar, interpretar,


entender a expressão e os efeitos psicológicos que cada uma delas transmite.

E a partir dessa premissa, com técnicas visagistas, adequar a imagem pessoal


com as necessidades individuais, algumas vezes são claras e conscientes e algumas
vezes não são percebidas para cada indivíduo.
Explor

Olhe-se no espelho. O que você observa no seu estilo?

Perceba a mensagem que transmite sua imagem. Sugiro a você, e talvez seja
interessante, um exercício pessoal: faça um auto retrato e guarde até o final de nos-
sos estudos. Muito provavelmente você estará motivado a passar por um processo
visagista para uma transformação em seu visual.

13
13
UNIDADE Introdução ao Visagismo

Áreas de Atuação Profissional


Em tempos de crise o mercado de trabalho se torna ainda mais exigente re-
ferente diversos aspectos; quanto a sua formação acadêmica e profissional, sua
desenvoltura em comunicar-se adequadamente com as pessoas (relacionamento
interpessoal), e feliz ou infelizmente, a imagem pessoal é muito importante. Não
existe profissão que você não lide com pessoas. Você pode trabalhar ‘home office’,
manter diálogos virtuais, mas em algum momento sua imagem vai aparecer e trans-
mitir uma mensagem.

E no caso de seu trabalho aconteça em contato direto com as pessoas, se torna


imprescindível que sua imagem passe uma mensagem preferencialmente assertiva
sobre você.
“Não importa ter beleza ou não, ser jovem ou ter uma idade mais avan-
çada, ser gordo ou magro; o que vale é a imagem pessoal como um todo.
O conjunto precisa ser harmônico.” (KAWASAKI,2014)

E qual é a realidade da atuação do profissional Visagista?

Temos duas visões a explanar: a primeira como o profissional Visagista pode


atuar em diversos cenários e a segunda forma e possibilidade é como o conceito
Visagista é inserido e aplicado em diversas áreas.

O profissional Visagista e sua atuação no universo da beleza e estética:


• Atuação dentro de um salão de beleza:
»» Cabeleireiro Visagista: realiza adequação de imagem através de cortes de
cabelo, cor e forma dos cabelos. Estilo de penteado dos cabelos.
»» Maquiador Visagista: atua de forma expressiva com técnicas de luz e sombra
»» Consultor Visagista: realiza o dossiê visagista e encaminha aos demais pro-
fissionais para realização práticas das sugestões.

O Dossiê Visagista - será o projeto em “book”(formato de livro), que será projetado e de-
Explor

senvolvido especialmente para cada cliente, e que o acompanhará sempre, como uma rica
fonte de consulta que o auxiliará na escolha da adequação de imagem personalizada.

Importante! Importante!

Não é obrigatório que o profissional visagista possua as habilidades técnicas do profissio-


nal de beleza para realizar cortes de cabelo, coloração e diversos procedimentos estéticos.

14
• Atuação corporativa/consultoria
» O profissional visagista atua no mundo corporativo com adequação de ima-
gem para o propósito que a empresa necessita. Seguramente a imagem
destes profissionais transmite um mensagem.

Conforme a literatura do autor Philip Hallawell, na página 201 do livro Visagis-


mo Integrado, ele descreve várias áreas de atuação do conceito visagista, como:
artes cênicas, artes plásticas, estética, arquitetura, design de interiores, literatura,
moda, consultoria de imagem, produção de moda, criação de moda, publicidade,
marketing, área da saúde, medicina, estética, cirurgia plástica, fonoaudiologia, psi-
cologia, odontologia, educação, esportes, negócios, área da beleza em geral.

Para darmos início a leitura da imagem, observe as figuras abaixo num contexto
geral, essa será nossa primeira observação e interpretação da imagem.

O perfil estético de comissárias de vôo, atendentes de laboratórios de análises clínicas,


Explor

escritórios de advocacia, concierges dos Hotéis, publicitários e os infinitos cenários comerciais


possíveis. O que cada cenário apresenta em comum?

Figura 4
Fonte: iStock/Getty Images

15
15
UNIDADE Introdução ao Visagismo

Nós podemos perceber que não é somente o cabelo e o rosto que compõe uma
imagem. A importância das vestimentas e acessórios compõem o que chamamos
de TOTAL LOOK.

TOTAL LOOK: composição de imagem total, cabelos, maquiagem, roupas, acessórios.


Explor

A importância das linhas, formas, cores e texturas nessa composição.


Explor

Total look: o visagismo aplicado à moda: https://goo.gl/N6BihU

Uma das ocupações em maior ascensão, é o Consultor de Imagem. A atuação é


bastante ampla. O mercado vende diversas nomenclaturas, termos da língua inglesa
e podemos apresentar as seguintes práticas do consultor de imagem: acompanha o
cliente para compras de roupas e acessórios, organiza o guarda roupas com ‘looks’
específicos para cada ocasião. Combinação de roupas e acessórios para festas,
reuniões de trabalho, lazer, etc...

O conceito Visagista inserido em diversas profissões


Neste tópico damos destaque à aplicação do Visagismo, como harmonização
facial na profissão do dentista. A odontologia, adota de forma definitiva as téc-
nicas de análise do rosto e aplicam o Visagismo na forma dos dentes e também
em procedimentos estéticos. A cirurgia plástica também tem ampla atuação
deste conceito.

Visagismo na Odontologia (Visagismo Odontológico)


Explor

Esta matéria traz a dimensão da prática do visagismo na odontologia. Aqui encontraremos,


textos, entrevistas em vídeo, imagens e referências profissionais no assunto.
https://goo.gl/dZL9kV

Finalizo esta parte de atuação profissional, recomendando que leia esta obra: Uma leitura
Explor

indispensável, é o livro ‘DRESS CODE, imagem pessoal dos negócios’ da autora Bia Kawasaki,
com informações importantes sobre a percepção das pessoas sobre nossa imagem.

16
Material Complementar
Indicações para saber mais sobre os assuntos abordados nesta Unidade:

Vídeos
CBN – Mundo Corporativo – Entrevista com Bia Kawasaki
Esta entrevista é muito esclarecedora para a realidade do mundo corporativo. Ouça com
muita atenção, logo no início da entrevista quando a profissional Bia Kawasaki, fala sobre
diversas pesquisas mundiais sobre a importância da imagem no ambiente de trabalho.
https://youtu.be/Z43JOTHbI9c
Dove Retratos da Real Beleza
As mulheres são as principais críticas em relação à sua própria beleza. Na verdade,
apenas 4% da população feminina mundial se considera bonita. Este vídeo aponta
crítica muito particular de cada mulher, como cada uma se via e como eram vistas por
outras pessoas desconhecidas.
Dove assumiu o compromisso de incentivar uma auto-estima positiva e inspirar mulhe-
res e meninas a atingir seu potencial máximo. Realizaram uma experiência que com-
prova algo muito importante para a criação de um novo olhar mais reflexivo, crítico e
questionador sobre o próprio eu, pois a beleza não está apenas na aparência, mas sim
na sensibilidade que são percebidas pelo outro.
Assista ao vídeo atentamente, e comece a refletir como o visagismo pode contribuir
para a valorização da auto-estima.
https://youtu.be/Il0nz0LHbcM

Filmes
A Dama de Ferro
Duração de 1h 44 minutos. Assista o filme “A DAMA DE FERRO”, um filme biográfico
do Reino Unido de 2011 baseado na história de Margareth Thatcher (1925-2013),
primeira ministra do reino Unido no século 20. O filme relata sua trajetória até se tornar
uma verdadeira “dama de ferro”.
Nesta trajetória adequações de imagem, comportamento e gestuais são conduzidos
a transmitir uma imagem de total poder e liderança. Uma história impactante e real.

Leitura
Meghan Markle vs. Kate Middleton: Whose Royal Wedding Dress Do You Love the Most
Não podemos deixar de falar sobre o grande evento do ano: O Casamento Britânico
Real. Conforme os especialistas Meghan Markle usou um look minimalista, clássico e
com sua personalidade em evidência, Já Kate Middleton , que casou em 2011 usou um
estilo diferenciado mais tradicional para a ocasião, observe as imagens no link a seguir,
e faça uma reflexão a respeito da expressão de cada imagem. Na unidade 2 você
conhecerá todas as técnicas para uma compreensão detalhada de qualquer imagem
dentro do conceito visagista.
https://goo.gl/LBd44p

17
17
UNIDADE Introdução ao Visagismo

Referências
HALLAWELL, P. Visagismo, Integrado: Identidade, estilo e beleza. 1 ed. São
Paulo: Senac, (2010).

KAWASAKI, B. Dress Code. – São Paulo: Bia Kawasaki Publicações, (2014).

MARTINEZ, Valquiria. Os mistérios do rosto: manual de fisiognomonia. 4ª Ed.


São Paulo: Madras, (1997).

PASQUALI, Luiz. Os tipos humanos: a teoria da personalidade. São Paulo:


Market, (2000)

18