Você está na página 1de 30

Visagismo

Material Teórico
Introdução à Aplicação do Visagismo em
Maquiagem, Cabelo, Vestuário e Acessórios

Responsável pelo Conteúdo:


Prof.ª Esp. Ionice Silva Melo

Revisão Textual:
Prof.ª Dr.ª Selma Aparecida Cesarin
Introdução à Aplicação do Visagismo
em Maquiagem, Cabelo, Vestuário
e Acessórios

• Medições do Rosto;
• Perfil de Rosto;
• Silhueta do Corpo;
• Características dos Temperamentos;
• Conceitos Básicos de Coloração Pessoal;
• Anexo I;
• Anexo II.

OBJETIVO DE APRENDIZADO
• Realizar medições dos terços do rosto e significá-los sob o conceito visagista;
• Reconhecer os diferentes estilos e sua influência no comportamento do indivíduo;
• Reconhecer a aplicação de técnicas de coloração pessoal por meio de conceitos básicos.
Orientações de estudo
Para que o conteúdo desta Disciplina seja bem
aproveitado e haja maior aplicabilidade na sua
formação acadêmica e atuação profissional, siga
algumas recomendações básicas:
Conserve seu
material e local de
estudos sempre
organizados.
Aproveite as
Procure manter indicações
contato com seus de Material
colegas e tutores Complementar.
para trocar ideias!
Determine um Isso amplia a
horário fixo aprendizagem.
para estudar.

Mantenha o foco!
Evite se distrair com
as redes sociais.

Seja original!
Nunca plagie
trabalhos.

Não se esqueça
de se alimentar
Assim: e de se manter
Organize seus estudos de maneira que passem a fazer parte hidratado.
da sua rotina. Por exemplo, você poderá determinar um dia e
horário fixos como seu “momento do estudo”;

Procure se alimentar e se hidratar quando for estudar; lembre-se de que uma


alimentação saudável pode proporcionar melhor aproveitamento do estudo;

No material de cada Unidade, há leituras indicadas e, entre elas, artigos científicos, livros, vídeos
e sites para aprofundar os conhecimentos adquiridos ao longo da Unidade. Além disso, você
também encontrará sugestões de conteúdo extra no item Material Complementar, que ampliarão
sua interpretação e auxiliarão no pleno entendimento dos temas abordados;

Após o contato com o conteúdo proposto, participe dos debates mediados em fóruns de discus-
são, pois irão auxiliar a verificar o quanto você absorveu de conhecimento, além de propiciar o
contato com seus colegas e tutores, o que se apresenta como rico espaço de troca de ideias e
de aprendizagem.
UNIDADE Introdução à Aplicação do Visagismo em
Maquiagem, Cabelo,Vestuário e Acessórios

Medições do Rosto
Como determinar o formato do seu rosto?

Figura 1
Fonte: iStock/Getty Images

O formato do rosto faz toda a diferença na escolha do corte de cabelo, dos óculos
e da maquiagem. Para descobrir o seu, é necessário saber quais são os formatos
existentes. Só depois você poderá usar algumas medições para determinar sua
própria estrutura.

O próximo passo é saber os melhores modelos de acessórios e modelagens


para o seu tipo de rosto e destacá-lo positivamente. Portanto, é de suma im-
portância que o profissional visagista identifique os diferentes formatos de
rosto dos indivíduos.

Então, quais são os formatos básicos existentes de rosto?

Os formatos básicos são os identificados a seguir.

8
• Oval: o rosto oval era considerado o ideal de beleza entre as
mulheres, pois expressa delicadeza e suavidade (o que é anti-
quado no mundo atual), pois há beleza na delicadeza, na suavi-
dade, na força, na expressividade e no dinamismo.

Para identificarmos o rosto oval, temos alguns pontos im- Figura 2


portantes a serem observados:
» Testa arredondada e não muito larga;
» Têmporas não muito profundas;
» Linhas das maçãs e do queixo suaves e levemente
arredondadas.

• Redondo: formato de rosto muito encontrado em pessoas


de origem asiática e indígena. O rosto redondo possui pou-
cos ângulos, um formato angelical, infantil.

A testa e o queixo são menores que nos rostos ovais e a linha


do cabelo segue um formato arredondado. Figura 3

• Retangular: formato no qual encontramos linhas retas e testa


retangular. As maçãs do rosto não são salientes, marcadas, e
descem até a mandíbula, com pouca inclinação. A linha do ca-
belo, geralmente, segue um formato reto. Percebemos que esse
formato de rosto é mais longo.
Figura 4
• Quadrado: com as mesmas características do rosto retan-
gular, mas não é um formato tão longo quanto o rosto
retangular. Linhas retas, testa retangular, maçãs do rosto
não salientes, marcadas, que descem até a mandíbula, com
pouca inclinação. A linha do cabelo, geralmente, segue um Figura 5
formato reto.

• Hexagonal com base reta: maçãs do rosto salientes; a linha


que corre delas até a mandíbula é bem inclinada, e a testa
forma um trapézio.

Figura 6

9
9
UNIDADE Introdução à Aplicação do Visagismo em
Maquiagem, Cabelo,Vestuário e Acessórios

• Hexagonal com lateral reta: muito semelhante ao rosto


oval, o que o torna facilmente confundido com ele. Ao invés
de ter curvas suaves, ele tem bastantes ângulos e testa em
forma de trapézio, com ângulos acentuados, maçã do rosto
levemente pronunciada e têmporas mais profundas.
Figura 7
• Triangular: testa menor e estreita; as maçãs não são pro-
nunciadas e a parte inferior do rosto é semelhante à do rosto
quadrado; a linha da maçã do rosto até a mandíbula inclina-
-se para fora.
Figura 8

• Triangular invertido: testa larga e mandíbula estreita;


maçãs e têmporas não são pronunciadas. Rosto formado
por uma linha contínua e bem acentuada, da maçã do ros-
to até o queixo.
Figura 9

• Losangular: maçã do rosto pronunciada, testa mais estreita,


formando uma ponta ou uma curva pronunciada. Da maçã
do rosto até o queixo, encontramos uma inclinação, como
no rosto triangular.

Figura 10

Há rostos de pessoas que cabem perfeitamente em uma dessas formas geomé-


tricas, e outras que tem um formato de rosto um pouco mais complexo, com varie-
dade de formatos.

Será que apenas olhando para uma pessoa, você consegue identificar o formato
de rosto que ela tem?

Figura 11
Fonte: iStock/Getty Images

10
Até podemos identificar, mas existe uma medição um pouco mais complexa
e precisa. Na medição do rosto, observa-se, primeiro, a linha lateral do rosto, da
maçã (o arco zigomático), até a curva da mandíbula.

Na figura a seguir, vamos imaginar uma linha reta (vertical) sobreposta à lateral
do rosto.

Figura 12
Fonte: iStock/Getty Images

Assim, você poderá perceber se o rosto forma uma linha vertical, inclinada ou
curva nessa parte:
• Linha curva: pode ser um rosto oval ou redondo;
• Linha reta: pode ser retangular, quadrado ou hexagonal com lateral reta;
• Linha inclinada: pode ser triangular, triângulo invertido, losangular ou hexagonal
com base reta.

As feições
Além do formato do rosto, temos também de observar suas proporções, dividindo-
-as em três terços, sendo:
• Terço superior (Intelecto): a parte intelectual está relacionada à nossa inte-
ligência lógica, verbal, intrapessoal, à nossa capacidade de lidar com diversos
assuntos, de maneira que vamos agir com a parte racional;
• Terço médio (emoção, ação e ritmo): a parte emocional está relacionada
a em qual nível de emoção iremos nos posicionar em diversas situações de
nossas vidas;
• Terço inferior (expressão e intuição/ vontade): a parte inferior está re-
lacionada a como vamos agir perante uma determinada situação; qual vai
ser nossa intuição.

11
11
UNIDADE Introdução à Aplicação do Visagismo em
Maquiagem, Cabelo,Vestuário e Acessórios

Figura 13
Fonte: Adaptado de Pixabay

Perfil de Rosto
Perfil reto
Indica uma personalidade colérica ou melancólica. Temos de verificar se ele
é estreito ou largo; quanto mais estreito, mais melancólica; quanto mais largo,
mais colérico. (Figura 14)

Perfil curvo
Indica a personalidade de uma pessoa melancólica ou fleumática. Quanto mais re-
traído for o queixo, mais introvertida será a pessoa. Esse tipo de perfil é associado ao
rosto oval. Certamente, a pessoa será do tipo melancólico, e também está associado
ao rosto redondo, que provavelmente é uma pessoa fleumática. (Figura 15)

Perfil angular
Testa inclinada e nariz proeminente, uma das mais fortes características sanguíneas.
(Figura 16)

12
Figura 14 Figura 15 Figura 16
Fonte: iStock/Getty Images Fonte: iStock/Getty Images Fonte: iStock/Getty Images

Silhueta do Corpo
Você já olhou para alguém na sua frente e teve a sensação de algo errado na
composição do look completo?
Vamos fazer diferente!
Vá até o espelho mais próximo que você encontrar e tente analisar qual é o
formato do seu corpo.

Figura 17
Fonte: iStock/Getty Images

13
13
UNIDADE Introdução à Aplicação do Visagismo em
Maquiagem, Cabelo,Vestuário e Acessórios

Para iniciar um estudo de silhueta, vamos come-


çar falando que as roupas tem efeito na silhueta, nas
proporções que compõem uma pessoa.

Devemos analisar o conjunto das formas, a predo-


minância das linhas, se está acima ou não do peso, a
postura na qual a pessoa anda, se se mantém ereta
ou não…

São coisas que sempre devemos analisar e temos


como base algumas medidas importantes para iniciar
uma análise de silhueta: as medidas entre ombro, cin-
tura e quadril.

Fazer uma comparação entre essas medidas aju-


da a determinar o formato de silhueta. E é funda-
mental entender sobre o seu cliente qual o formato
ideal para ele, para adequação do look de acordo Figura 18
com a necessidade dele. Fonte: iStock/Getty Images

Ampulheta
Esse formato é caracterizado por uma cintura fina e curvilínea e ombros e quadris
na mesma proporção.

É considerado o perfil físico “ideal” pelos especialistas, sendo aquele que não precisa
de correções visíveis, e sim de algumas adequações mediante determinadas situações:
• Para ressaltar as formas, indica-se manter
a cintura marcada, sempre em evidência.
Vestidos e blusas acinturados ressaltam ain-
da mais a beleza natural do corpo ampu-
lheta. Calças a saias com padronagem risca
de giz e saia lápis alongam as pernas. Cor-
tes retos sem marcação na cintura devem
ser evitados, além de se poder usar várias
formas de cintos para realçar a cintura;
• Para disfarçar o corpo ampulheta, evi-
te usar marcação na cintura e use teci-
dos mais pesados, com corte modelagem
retos, para não marcar o corpo. Use peças
estruturadas, blusas mais curtas com corte
reto, terninhos e casacos sem marcação Figura 19
na cintura. Fonte: iStock/Getty Images

14
Pera
Também chamada de silhueta triangular, ca-
racteriza-se por ter os ombros mais finos e os
quadris largos. Os seios, geralmente, são pe-
quenos também, se comparados ao tamanho
do quadril, e a cintura é mais fina; o famoso
corpo violão.
Para equilibrar melhor, indica-se:
• Valorizar a silhueta, usar blusas e terninhos
acinturados, sobreposição. O uso de cores
escuras na região da silhueta é favorável, e
os acessórios na altura dos seios, as saias e
as calças afuniladas, com linhas mais retas
e de preferência com tecidos mais firmes,
evitam movimentos na região;
• Evite indicar: bolsos largos, volumosos, ca-
misas com punho em destaque e acessórios
caídos na altura do quadril.
Figura 20
Oval Fonte: iStock/Getty Images

Muitas linhas curvas em evidência. O pescoço pode ser largo e a cintura pode
ser maior ou ter a mesma proporção que os quadris e os ombros.
Geralmente, a silhueta oval está acima do peso, para sua altura. Para criar har-
monia, é preciso chamar atenção para outras partes do corpo, promovendo um
afinamento da cintura e escondendo a “barriga”.
• Para disfarçar a barriga, podemos indicar decotes
e blusas com linhas verticais, blazers abertos, túni-
cas, deixar o colo a mostra. Evite mangas compri-
das e golas altas, blusas fechadas e coladas.
• Indique: Sapato peep toe, para quem quer chamar
atenção no colo dos pés. O sapato scarpin também
alonga e chama atenção para as pernas. Modela-
gem mais retas, brilho e texturas também precisam
sem discretos, usados em cores neutras e modela-
gens retas, blusas até a metade do quadril, saias cal-
ças e vestidos retos, tecidos encorpados, decote U
ou V, looks monocromáticos e acessórios vazados;
• Evite: saias e modelagens rodadas, colares curtos, san-
Figura 21
dália de linhas finas, colantes e peças volumosas. Fonte: iStock/Getty Images

15
15
UNIDADE Introdução à Aplicação do Visagismo em
Maquiagem, Cabelo,Vestuário e Acessórios

Retangular
Nesse formato, notamos que os quadris, os ombros e a cintura aparentam uma
linha única, sem muitas curvas. Você pode criar artifícios que criem uma cintura e
formas, caso queira, obviamente.

Indique:
• Criar uma cintura, recortes e acessórios, como cin-
tos e faixas, na região da cintura, podem suavizar a
linha reta do biotipo retangular. Saias e calças com
modelagem evasê, movimento, tecidos leves, pre-
gas, assim com blusas e decotes com babados e co-
lares chamam a atenção para outra região;
• Estampas com formas arredondadas suavizam as li-
nhas retas do corpo. Bolsas com formas curvas e
acessórios chamativos fora da região da cintura tam-
bém fazem diferença; calças pantalona, blusas com
tecidos leves e saias com movimento rodado;
• Evite indicar: blusa justa com calça colada, golas
Figura 22
altas, cós largo e cintura alta. Fonte: iStock/Getty Images

Triângulo invertido
Fácil de identificar, nesse formato os ombros são maiores que os quadris, as costas
são mais largas, as pernas, geralmente, são longas e mais finas e a cintura é mais
reta. Bom, para promover equilíbrio, deve-se indicar suavidade na linha dos ombros e
ressaltar as demais partes.

Indique:
• Cores neutras na região dos ombros, peças com
tecidos mais leves e decotes mais fechados são
dicas para amenizar a atenção nos ombros largos.
Destaque a região do quadril com acessórios, es-
tampas, cores mais alegres, bolsos e detalhes que
chamem atenção para o local. As bolsas transpas-
sadas são uma boa saída para indicar, pois a re-
gião dos ombros fica livre e o volume atrai olhares
para o quadril; blusas com decote V, babados na
barra, mangas com punho amplo, saias e calças
mais estampadas, com movimento;
• Evite indicar: ombreiras, mangas elaboradas,
decotes com detalhes horizontais, casacos e ca-
Figura 23
misas estampados. Fonte: iStock/Getty Images

16
É importante saber que algumas cores e texturas realçam e outras disfarçam
possíveis angulosidades ou excessos indesejados do formato do corpo.

A ferramenta utiliza a ilusão de ótica visual para a harmonia na composição


de imagem para silhuetas.

Truques que disfarçam:


• Cores escuras, neutras e opacas;
• Superfície plana, lisa;
• Estampas discretas, pouco espaçadas e sem contraste;
• Pouca informação “visual”.

Truques que chamam atenção:


• Cores vibrantes, claras,
• Alto contraste, bordados, babados, amarrações, brilho e texturas felpudas.

Características dos Temperamentos


Você tem um jeito de ser dinâmico? Sério? Meigo?

Você deve estar se perguntando: o que o temperamento tem a ver com isso,
não é mesmo?

Pensar nos temperamentos no Visagismo é uma forma de harmonizar a per-


sonalidade de cada pessoa com seu visual.

Então, vamos reconhecer as características dos temperamentos.

Hipócrates, filósofo grego, foi o primeiro a formular uma Teoria dos Tem-
peramentos, baseando-se na Teoria dos Quatro Elementos, de Empédocles.

Empédocles foi um filósofo e pensador grego. É conhecido por ser o criador da Teoria dos
Explor

Quatro Elementos Clássicos, que influenciou o pensamento ocidental, de uma forma ou


de outra, até quase meados do século XVIII. Acesse: https://goo.gl/qj8txN.

Segundo ele, há quatro tipos de temperamento, conforme o domínio no corpo


do indivíduo. São quatro fluidos corporais (humores): Sanguíneo (sangue), Fleumático
(linfa ou fleuma), Colérico (bílis) e Melancólico (astrabílis ou bílis negra).

Cada um deles possui determinadas características.

Com o tempo, o médico Galeno também trabalhou com os Temperamentos.


As diversas características do homem eram, então, explicadas pelo fato de os
elementos existentes nele serem “temperados” de diversas maneiras.

17
17
UNIDADE Introdução à Aplicação do Visagismo em
Maquiagem, Cabelo,Vestuário e Acessórios

Fazia-se distinção entre quatro elementos: terra, água, ar e fogo, que em cada
pessoa se misturam de modo diferente.

Então, o que é Temperamento?

Figura 24
Fonte: iStock/Getty Images

É uma combinação de características congênitas que afetam o comportamento


e a atitude do homem. Todos temos. Isso nasce conosco.

Como recebemos?

Todos nós temos quatro avós, o pai e a mãe da minha mãe e o pai e a mãe do
meu pai, que me geraram. Assim, trazemos como herança genes variados.

O que são genes?

São características congênitas herdadas de nossos pais, quando somos concebidos.

Dessa mistura, Hipócrates observou que existia uma estreita relação entre os
quatro elementos e os quatro temperamentos, relacionando-os em Sanguíneo –
Palavra que significa sangue e vida; Colérico – Cólera, ira e explosão; Fleumático
– vem de fleuma, falta de emoção e passividade, e Melancólico – Palavra que vem
de melancolia e tristeza.

Para aprofundamento do tema, sugiro a leitura do livro de Os temperamentos, a face


Explor

revela o homem II, de Norbert Glass, que evidencia a validade das teorias antigas e a
correspondência entre os Quatro Elementos Naturais e os Quatro Temperamentos Humanos.

Quando refletimos sobre cada um dos temperamentos citados, ninguém deve jul-
gar o outro pelo que é, antes de conhecê-lo. Outro ponto importante é que temos
características de quatro avós, e de nossos pais, ou seja, pessoas diferentes umas das
outras (como vimos acima); portanto, temos um pouco de cada temperamento.

Uma pessoa pode ser 60% Colérico e 40% Sanguíneo; 60% melancólico e 40%
colérico, e assim por diante, mas um sempre será o dominante.

18
Veja as características dos temperamentos a seguir:

Sanguíneo
É uma pessoa dinâmica, calorosa, amável e simpática; atrai as pessoas como se
fosse um imã. É boa prosa, otimista, despreocupada. Para esse tipo de pessoa, a
vida é uma festa. Por outro lado, é emocionalmente explosiva, irrequieta; gesticula
bastante, tem tendência à insegurança e à teimosia e dificuldade em seguir detalhes
ou uma instrução. Os sanguíneos são, geralmente, bons vendedores, oradores,
atores, e não raro, tornam-se líderes.
• Qualidades: pessoa comunicativa, destacada, entusiasta, simpática, afável,
eufórica e boa companhia.

Colérico
É o tipo de pessoa chamada de “pavio curto”. Tem a cabeça quente, fica agitada
facilmente e quando está nervosa só se acalma após o outro desistir das discussões.
Gosta de ser reconhecida em seus trabalhos e adora ser admirada pelos outros.
É perseverante, prática, tem muita força de vontade, autossuficiente, tende a se
manter sempre ocupada. Dá muito valor à aparência, é orgulhosa e cheia de amor
próprio. Pode atrair muita oposição.
• Qualidades: é independente, eficiente, decidida, audaciosa e líder. Estimula o
próximo, não vacila sob pressão, tem cérebro prático e firmeza inabalável.

Fleumático
Pessoa de fácil convivência, conhecida como o “senhor simpatia”; agradável,
pacífica, cautelosa, amiga, calma e eficiente. Não se emociona facilmente, age
mais por princípios do que pela emoção e às vezes não percebe coisas importantes
que acontecem em sua vida.
• Qualidades: calma, fria (até sem emoção), tranquila, não se perturba facil-
mente; bem humorada, gosta do convívio social e é uma pessoa cumpridora
dos deveres.

Melancólico
É uma pessoa com grande capacidade de experimentar todo tipo de emoção;
entrega-se a pensamentos negativos que exageram sua tendência pessimista.
É perfeccionista por natureza, apreciadora de Arte, com tendência a ser geniosa,
crítica, cautelosa, desconfiada, e por isso se sente infeliz. Em todas as situações,
mede primeiro as dificuldades para depois tomar decisões.
• Qualidades: habilidosa, leal, dedicada, sensível; gosta das coisas minucio-
samente perfeitas. Não faz amigos com facilidade, é retraída e, às vezes,
é sombria e triste; deprime-se com facilidade. Possui capacidade de ver as
coisas nas minúcias; são ótimos escultores, autores e artistas.

E então, com quais desses temperamentos você mais se identificou?!

19
19
UNIDADE Introdução à Aplicação do Visagismo em
Maquiagem, Cabelo,Vestuário e Acessórios

Conceitos Básicos de Coloração Pessoal


Baseado nos estudos de Itten, Robert Dorr foi pioneiro na análise de coloração
pessoal. Ele olhou para as pessoas com um olhar novo e descobriu a diferença do
tom de peles.
Criou o Color Key System, que classifica as peles em quentes ou frias. Esse
sistema serve para harmonizar as cores, grande avanço para os maquiadores,
revolucionando a Indústria Cosmética, conscientizando de que todas as cores
contêm uma mistura de tom de azul ou amarelo. Isso foi o começo do que hoje
chamamos de análise de cor.
Em sua primeira concepção, as pessoas foram colocadas em duas categorias,
com algumas semelhanças básicas, para a sua chave de cores.
O Sr. Dorr chamou seu Sistema de “Chave de Cores”. Ele reconheceu que
todos nós podemos usar qualquer cor do arco-íris, desde que tenha o suficiente do
pigmento azul ou amarelo adicionado a ela.
As cores de hoje ainda são utilizadas pelos consultores de cores, de modo que
eles podem facilmente e de forma segura harmonizá-las, sem falhas, misturando e
combinando esquemas de cores.
Suzanne Caygill também utilizou a teoria de Johannes Itten na moda, organi-
zando as cores em quatro grupos básicos, denominando-os Primavera, Verão,
Outono e Inverno. Assim nasceu a paleta sazonal. Foi ela quem induziu a moda a
olhar para as próximas temporadas.
Suzanne Caygill fez a mais profunda pesquisa de cores de pele, identificando
32 tipos. Identificou quatro categorias básicas, cada uma com oito tons diferentes,
totalizando 32 tipos de tons de peles.
Ela chamou o Sistema de Color Harmony e batizou as quatro categorias com
os nomes das estações do ano.
Color Harmony é um desenvolvimento do Color Key System, por que
continua classificando as cores como quentes ou frias, mas identificou os tipos
básicos de cada e usou os nomes das Estações porque achava que todas as
peles se relacionam com cores da Natureza.
Foi a primeira a ver harmonias de cores pessoais, mostradas nos olhos, nos
cabelos e na pele. Semelhante às harmonias de cores encontradas na Natureza,
ela encontrou as harmonias de cores e fez uma declaração sobre a energia, a
personalidade e o estilo da pessoa.
Ela viu os seres humanos como um todo: forma, cor e caráter.
Ao observar a organização da magnífica Natureza, que desafia design e co-
res, com o violeta colorindo com sua delicadeza o tom da orquídea, expressivo
em suas arestas caneladas, reconhece que tudo na organização do Universo é
autêntico e correto.
Então, a pergunta é: essa organização também se aplica aos seres humanos?

20
Parece razoável supor que cada ser humano tem um projeto individualizado,
cor e forma, adequados ao seu valor intrínseco e intencional.
Análise de cores pessoais, análise de cores sazonais ou correspondência de
tons de pele é uma expressão usada com frequência na indústria de cosméticos
e na moda, para descrever um método que determina as cores da roupa e da
maquiagem que harmonizam com a pele de cada pessoa, assim como a cor dos
olhos e a cor do cabelo, com a vantagem de poder usar essa ferramenta para
planejamento de guarda-roupa e consultoria de estilo.
A análise de cores demonstra como certas tonalidades podem ser satisfatórias ou
desfavoráveis, observando as ilusões de ótica que ocorrem na face ao colocar cores
específicas ao lado do indivíduo.
As cores que não pertencem à nossa cartela tornam nossa pele pálida, averme-
lhada ou esverdeada, desfavorecendo nossa imagem e causando impacto negativo.
As cores pessoais iluminam o rosto e, em sintonia com a cor da roupa, dos
acessórios e dos cabelos, favorecem a aparência como um todo, tornando-a mais
interessante, harmoniosa e atraente.

Figura 25
Fonte: iStock/Getty Images

A análise de cores pessoais alcançou sua maior popularidade no início dos


anos 1980, com ressurgimento recente, na década de 2010, após desenvolvi-
mento e diferentes versões de análises sazonais, por consultores de imagem e
cor em todo o mundo.

Figura 26
Fonte: iStock/Getty Images

21
21
UNIDADE Introdução à Aplicação do Visagismo em
Maquiagem, Cabelo,Vestuário e Acessórios

A análise sazonal é uma técnica que tenta colocar cores individuais nos agrupa-
mentos tonais de Inverno, Primavera, Verão e Outono, ou suas variantes.
No entanto, a abordagem pode variar muito entre diferentes Escolas de pen-
samento. Alguns Sistemas de Análise de cores classificam a combinação pessoal
de cor do cabelo, cor dos olhos e tom de pele usando rótulos que se referem à
“temperatura” da cor: frio e quente, e ao grau de contraste das cores do cabelo,
da pele e dos olhos. As cores cosméticas são, frequentemente, determinadas
apenas pela cor dos cabelos ou dos olhos.
Veja a expressão das características das cores a seguir.

• Cores frias:
»» Tranquilidade;
»» Equilíbrio;
»» Racionalidade;
»» Frescor;
»» Iluminação;
»» Divino;
»» Distanciamento;
»» Apatia;
»» Impessoalidade;
Figura 27 Figura 28
»» Introspecção. Fonte: iStock/Getty Images
Fonte: iStock/Getty Images

• Cores quentes:
»» Agitação;
»» Dinamismo;
»» Emotividade;
»» Calor, acolhida;
»» Ação;
»» Terreno;
»» Interação;
»» Energia;
»» Proximidade;
Figura 29 Figura 30
»» Descontração. Fonte: iStock/Getty Images Fonte: iStock/Getty Images

A aplicação prática bem-sucedida de uma análise de cores permitirá que o indi-


víduo coordene suas roupas e seus acessórios com maior facilidade, e evite erros
ao comprar itens que não estejam dentro de sua paleta de cores.

22
No entanto, a análise de cores continuou a ser problemática e controversa, de-
vido à falta de treinamento padrão ou grau exigido para comercializar a si mesmo
como um analista de cores.

• Cores claras: • Cores escuras:


» Proximidade; » Autoridade;
» Descontração; » Seriedade;
» Abertura; » Credibilidade;
» Flexibilidade; » Força;
» Leveza; » Densidade;
» Casualidade. » Formalidade.

Figura 31 Figura 32
Fonte: iStock/Getty Images Fonte: iStock/Getty Images

23
23
UNIDADE Introdução à Aplicação do Visagismo em
Maquiagem, Cabelo,Vestuário e Acessórios

Anexo I
Teste seu temperamento
Instruções
• Este teste é confidencial, faça-o sozinho;
• Leia a relação dos 200 itens que correspondem aos 4 tipos de temperamentos;
• Se não souber o significado de alguma palavra, pesquise-a em um dicionário;
• Marque ao lado dos itens as características que você considera parte do
seu temperamento;
• Não é necessário pensar muito, marque pela intuição;
• Lembre-se: não marque o que você gostaria de ser, mas sim, aquilo que você
realmente é;
• Análise tanto os seus pontos positivos quanto os negativos.

Sanguíneo

Tabela 1
Pontos positivos Pontos negativos
Cordial Pouco prático e desorganizado
Alegre Age sem pensar
Contagiante Tendência a lascívia
Bem humorado Dificuldade para concentrar-se
Extrovertido Pouca produtividade
Estimulante Indisciplinado
Bondoso Começa e não termina seus planos
Emotivo Turbulento
Ingênuo Não conhece suas limitações
Faz amizade com facilidade Não cumpre horários
Mais coração do que razão Não leal
Dominador na conversa Egoísta
Sincero Desanima facilmente
Anima as pessoas Instável emocionalmente
Barulhento Vontade fraca
Otimista -
Não gosta de estar só -
Vive para o presente -
Desperta de bom humor -

24
Colérico
Tabela 2
Pontos positivos Pontos negativos
Temperamento ardente Insensível
Ativo Irado
Prático Com impetuosidade danosa
Voluntarioso Prepotente
Autossuficiente Indiferente
Decidido Agressivo
Facilidade de tomar decisões Guarda rancor
Vibra com muitas atividades Vingativo
Pouco influenciado pelo meio Cruel
Influenciador Arrogante
Mete-se em apuros devido à
Não se amedronta nas dificuldades
sua impetuosidade
Não é dado a detalhes Profere declarações cruéis
Age tiranamente sobre os
Cérebro perspicaz
sentimentos outros

Melancólico
Tabela 3
Pontos positivos Pontos negativos
Analítico Egocêntrico
Abnegado Inclinado à autoanálise
Interesse excessivo pela própria
Perfeccionista
condição física
Apreciador de Artes Alimenta desejos de vingança
Introvertido Hipocondríaco
É todo coração Ofende-se muito facilmente
Não desaponta os que dependem dele Desconfiado
Não faz amigos facilmente Dado a suposições desfavoráveis
Amigo fiel Dificilmente perdoa
Bom diagnóstico de problemas Dotado de autocomiseração
Pessoa de confiança Pessimista
Não procura as pessoas; deixa que
Inseguro
elas o procurem
Consegue prever os obstáculos de
Temeroso
um projeto
Tem confiança na própria capacidade Crítico inflexível
Sensibilidade e talento artístico Depressivo
É correto na profissão Mal humorado
Sacrifica-se pessoalmente Deixa-se levar
Criativo -
Sensível emocionalmente -

25
25
UNIDADE Introdução à Aplicação do Visagismo em
Maquiagem, Cabelo,Vestuário e Acessórios

Fleumático
Tabela 4
Pontos Positivos Pontos Negativos
Calmo Moroso
Frio Indolente
Bem equilibrado Sem motivação
É todo razão Provocador
Mantém as emoções Distante e gélido
Racional Obstinado
Raramente explode em raiva ou riso Egoísta
Aprecia Artes Indeciso
Fino gosto pelas coisas Resistente
Controlado Avarento
Gosta do convívio social Descompromissado
Despreocupado com as circunstâncias
Se forçado, torna-se vagaroso
ao redor
Sente mais emoções do que demonstra Espectador da vida sem se envolver
Prático e eficiente Acomodado
Senso de humor mordaz Usa seu humor contra outros
Cérebro organizado Disfarça sua obstinação com seu humor
Trabalha bem sob tensão Não se envolve
Vida regrada -
Tende à rotina -

26
Anexo II
Analise a imagem:
Explor

O corpo retangular, disponível em: https://goo.gl/Ka5Pxo.

Veja a reportagem do post acima.

Se uma cliente solicitar dicas de melhorar a silhueta, o que você indicaria?

Resposta

Temos uma forma semelhante com a de um retângulo. Se a cliente solicitar


ressaltar formas padrões, indica-se marcar cintura, usar saia rodadas.

27
27
UNIDADE Introdução à Aplicação do Visagismo em
Maquiagem, Cabelo,Vestuário e Acessórios

Material Complementar
Indicações para saber mais sobre os assuntos abordados nesta Unidade:

  Sites
WikiHow
Para entender o estilo de cabelo, de maquiagem e de acessórios que melhor har-
monizam em cada tipo de rosto, é preciso conhecer os diferentes padrões de rosto.
Acompanhe as medições de beleza no link a seguir.
https://goo.gl/HYvbiM
Coloração pessoal: descubra o que é e como funciona essa análise de cores
Teste de coloração pessoal. Este site traz boas informações sobre o tema. Destaque
para informação sobre ‘alto contraste ‘ e ‘baixo contraste’. Bem interessante.
https://goo.gl/HqHHK9

 Leitura
La cara oculta del rostro humano
Morfopsicologia é uma área da Psicologia ainda pouco popular; porém, bastante im-
portante para a compreensão do Visagismo. Esta é a Ciência responsável por conhecer
a personalidade por meio de características da face. Saiba mais no link a seguir.
https://goo.gl/6VLWnf
Corpo construído: Análise dos elementos do design trabalhados em produtos de moda
Este texto traz um rico conteúdo sobre a importância do estudo das silhuetas e como
são utilizadas no universo da moda. Diversos estilitas ‘recriam’ silhuetas através de ves-
timentas. Excelente referência bibliográfica.
https://goo.gl/EDoVrG
Ibrafis – Instituto Brasileiro de Fisiognomia
Este artigo do Instituto Brasileiro da fisiognomia, apresenta imagens e seus significados,
reforçando os ensinamentos desta unidade.
https://goo.gl/hCmmWw
A harmonia da cor na imagem pessoal através da maquiagem
Interessante trabalho acadêmico sobre coloração pessoal e maquiagem. As autoras fa-
lam sobre a ‘Educação Visual’.
https://goo.gl/nSKRZE

28
Referências
GLAS, N. A face revela o homem II: Os temperamentos. 2.ed. São Paulo:
Antroposófica, 1995.

HALLAWELL, P. Visagismo integrado: identidade, estilo e beleza. São Paulo:


SENAC, 2010.

PEZZOLO, D. B. Na moda sem erro: do berço à terceira idade para todas as


ocasiões. São Paulo: SENAC, 2011.

ZANETTI, C.; RESENDE, F. Vista quem você é. Rio de Janeiro: Casa da Pa-
lavra, 2013.

29
29