Você está na página 1de 18

Filipe Frazao/Shutterstock.

com
A hora do voto
Em um período de incertezas, a conscientização pode ser
o caminho para oferecer um futuro certo ao Brasil?

Política se discute?
Nos dias que antecedem as eleições presidenciais,
os debates se intensificam, mas será que
são sempre construtivos?

Democracia na era digital


De que forma a internet e as redes sociais mudaram o
Edição modo de pensar e discutir política.

08
Set–2018
Carreira: Ciência Política
Descubra os detalhes da carreira que analisa
e planeja o conjunto da sociedade em busca
de uma política mais eficaz e abrangente.
Nesta edição

7 ENTRELINHAS
POLÍTICA SE DISCUTE?
E x p e d i e n t e Com a proximidade das eleições, os debates políticos são intensificados,
cabendo ao leitor buscar ferramentas para que as discussões sejam construtivas
e estar disposto a ouvir opiniões diversas.

9
CONTEXTO
Direção geral POLÍTICA NO SÉCULO XXI: DEMOCRACIA E CIBERESPAÇO
A política faz parte da vida em sociedade e, ao longo da história, foi alvo de
Nicolau Arbex Sarkis
estudos e transformações; nos dias atuais, vive uma nova
dinâmica com a era digital.
Gerente editorial
Emilia Noriko Ohno 12 ENTREVISTA
CIÊNCIA POLÍTICA
O curso mostra que a cidadania é muito importante para a
Coord. de projetos editoriais qualidade de vida da população.

Brunna Mayra Vieira da Conceição Editorial

Edição / Texto A hora do voto

D
Anaiza Castellani Selingardi
entro de poucos dias, os brasileiros retornarão às urnas para eleger
Bruno Freitas
seus representantes nas esferas federal e estadual, no Executivo e no
Cláudio Leyria Legislativo. Em época de eleições, surgem as campanhas e conselhos
Edilene Faria para que o eleitor utilize bem seu direito e vote com responsabilidade.
Letícia Mariane da Silva Paiva Porém, a destacada polarização nacional torna a cena ainda mais complexa.
A ordem predominante é convencer os eleitores a demonstrar mais empatia com
Thaís Inocêncio
as opiniões diferentes. Essa é uma missão que tem se mostrado difícil, pois, se já
é uma atividade pouco frutífera pedir às pessoas que respeitem uma preferência
Projeto gráfico contrária, imagine fazer um apelo para que se observem diversos lados da
Willyam Gonçalves situação. Seria pedir demais? A postura do povo brasileiro, verificada pelos
inúmeros exemplos nas redes sociais, mostra que é pedir demais, sim. Tendo
como base esse cenário de discussões políticas intensas, esta edição do Leia
Revisão Agora oferece um material diversificado para que se possa refletir sobre ideias e
Vivian Prado de Souza comportamentos que orbitam as eleições, o objetivo principal é pensarmos no
Carolina Genuncio futuro do país com mais consciência.
A seção “Entrelinhas” traz exemplos de textos que sugerem essa busca por
elementos que originem discussões construtivas e respeitosas. No “Contexto”, o
Diagramação
leitor descobrirá que não podemos viver civilizadamente sem a política e que as
Débora Guedes ferramentas tecnológicas têm a capacidade de melhorar muito o entendimento
dessa constatação, ao mesmo tempo em que podem prejudicar ainda mais o jogo
Licenciamento democrático.
Em “Entrevista”, o leitor vai conhecer o curso de Ciência Política e aprender que
Jade Cristina Bernardino
a cidadania é muito importante para melhorar a qualidade de vida da população.
Por isso, é atribuição do cientista político entender como se processam as
variantes de comportamento da sociedade, esteja o profissional a serviço de um
órgão público ou de uma empresa privada.
O “Parêntese” traz informações pertinentes sobre a atual presença das
mulheres na política. E, na seção “Mosaico Cultural”, é possível encontrar dicas
de documentários, filmes, livros e passeios ligados à cidadania e, principalmente,
uma boa dica para conhecer a fundo a história da democracia no Brasil.
Fechando a edição, o “Extra” nos apresenta uma reflexão sobre as eleições.
Boa leitura!
Equipe Leia Agora

2
Com 43 mortos, Itália encerra buscas Exposição em SP reúne produção
// NOTÍCIAS EM FOCO
após queda de ponte em Gênova artística feminina da América Latina
A busca por desaparecidos após o desmoronamento Com mais de 280 trabalhos de 120 artistas, a
de uma ponta na cidade portuária de Gênova, na Itália, exposição Mulheres Radicais leva para a Pinacoteca
terminou ao longo da noite, após serem encontrados de São Paulo uma amostra da produção feminina
os três últimos corpos, levando o total de mortes da América Latina entre 1960 e 1985. Segundo as
a 43. Um trecho de 200 metros da ponte Morandi curadoras, Cecilia Fajardo-Hill e Andrea Giunta, o
desmoronou terça-feira, de uma altura de 50 metros. recorte abrange um período decisivo na construção
19 ago. 2018 – UOL da arte contemporânea e na representação do
Vale lembrar! corpo feminino. Nessas décadas, artistas pioneiras
Ponte desaba na Itália e deixa ao menos 26 mortos desenvolveram investigações que desafiaram as
Leia em: <https://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/ classificações dominantes a partir do entendimento
2018/08/14/video-mostra-momento-em-que-ponte-desaba- do corpo como campo político.
em-genova-na-italia.htm>.
18 ago. 2018 – Agência Brasil

Sobe para 400 número de mortos


por inundações na Índia Exército diz que 1,2 mil venezuelanos
O balanço de mortos das piores inundações em um saíram do Brasil após violência
século no estado indiano de Kerala aumentou para 400 – Cerca de 1,2 mil venezuelanos cruzaram de volta
anunciou o governo, acrescentando que as perdas em a fronteira do país com o Brasil, após os incidentes
infraestrutura estão estimadas em US$ 3 bilhões. Esta de ontem (18) em Pacaraima, em Roraima, quando
região turística sofre com as chuvas desde o final moradores da cidade atacaram barracas e abrigos
de maio. dos imigrantes, inclusive ateando fogo, depois que
20 ago. 2018 – O Globo um comerciante local foi assaltado e espancado. De
acordo com as autoridades locais, não há registro de
Justiça diz que menores de 14 anos feridos entre os imigrantes. O comerciante brasileiro
podem visitar exposição Queermuseu que sofreu uma tentativa de assalto, supostamente por
A Justiça do Rio de Janeiro determinou que menores um grupo de venezuelanos, permanece internado em
de 14 anos podem visitar a exposição Queermuseu Boa Vista, e seu estado de saúde é estável.
– Cartografias da diferença na arte brasileira, que foi 19 ago. 2018 – Agência Brasil
reaberta no sábado (18) na Escola de Artes Visuais
(EAV). No dia da abertura, o juiz de plantão, Pedro OMS alerta para recorde de casos de
Henrique Alves, concedeu uma liminar proibindo sarampo na Europa
a entrada de menores de 14 anos, mesmo que Mais de 41 mil pessoas na Europa foram infectadas
acompanhados por seus responsáveis. No mesmo pelo sarampo nos primeiros seis meses deste ano,
dia, os advogados da EAV entraram com um agravo segundo alerta emitido hoje (20) pela Organização
de instrumento para derrubar a decisão. Mundial da Saúde (OMS). O número ultrapassa o total
21 ago. 2018 – Agência Brasil registrado ao longo de 12 meses em todos os últimos
Vale lembrar! anos desta década. Até então, o maior número de
Queermuseu reabre no Rio, sob protesto conservador casos entre 2010 e 2017 havia sido identificado no
Leia em: <http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2018-08/ ano passado, quando foram contabilizadas 23 927
queermuseu-reabre-no-rio-sob-protesto-conservador>.
infecções. Os dados mostram ainda que pelo menos
37 pessoas morreram este ano por causa da doença.
Brasil 20 ago. 2018 – Agência Brasil

Ciências

Educação

Cultura

Internacional

Cidadania

Saúde

3
// NOTÍCIAS EM FOCO Dos 27,4 mil registros de candidaturas, Nasa quer voltar à Lua – e fazer dela
8,4 mil são de mulheres um hub para viagens espaciais
As candidaturas femininas nas eleições de outubro A Nasa, agência espacial americana, está planejando
chegam a 30,7%, o equivalente a 8 435, do total de um salto gigantesco para a humanidade: a volta à Lua,
27 485 pedidos de registros encaminhados ao Tribunal não apenas para pisar no satélite natural da Terra, mas
Superior Eleitoral (TSE). O Centro-Oeste é a região com para fazer dele uma base fixa para viagens espaciais
maior percentual 31,14%, depois o Sudeste (31,02%), mais longas. Nesta semana, a agência anunciou não
Sul (30,84%), Nordeste (30,30%) e Norte (29,75%). Pela só o interesse em mandar uma missão tripulada à Lua
legislação, 30% é o percentual mínimo de candidaturas até o fim da década seguinte, como também detalhou
do sexo feminino por partido. Em 2014, as mulheres o ambicioso projeto de construir uma estação espacial
representavam 8,1 mil, ou 31,1% das candidaturas. orbitando o satélite, chamada de Orbital Platform
18 ago. 2018 – Agência Brasil Gateway.
30 ago. 2018 – BBC

Eleições: em quem mesmo eu votei? USP terá curso gratuito para meninas
Uma pesquisa divulgada em janeiro de 2018, pelo que querem se tornar cientistas
instituto Idea Big Data, a pedido do Woodrow Wilson Meninas que sonham ser cientistas contam agora
Center, dos Estados Unidos, indica que 79% dos com o incentivo de um grupo de pesquisadoras e
brasileiros entrevistados não se recordam em quem cientistas de São Paulo. É o projeto “Meninas com
votaram para deputado federal e senador na última Ciência – 2ª edição SP: de mulheres cientistas para
eleição. Ou seja, oito em cada dez eleitores não meninas que sonham” que pretende levar meninas
se lembram em quem votaram para o Congresso entre o 5º e o 9º ano do Ensino Fundamental para
Nacional em 2014. a área científica. “O objetivo é incentivar a inserção
30 ago. 2018 – Uol de mulheres nas ciências, humanizar a figura de
uma cientista, inserir a importância das ciências na
7 de cada 10 alunos do ensino médio formação dessas meninas e também para o desen-
têm nível insuficiente em português e volvimento do país”, explicou a coordenadora do
matemática evento, Camila Negrão Signori, professora doutora
Sete de cada dez alunos do 3º ano do Ensino Médio da Universidade de São Paulo (USP) e atuante na
têm nível insuficiente em português e matemática. área de Oceanografia Microbiana.
Entre os estudantes desta etapa de ensino, só 19 ago. 2018 – Agência Brasil
cerca de 2% têm conhecimento avançado nestas
disciplinas. É o que mostram os dados do Sistema
de Avaliação da Educação Básica (Saeb) 2017
divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) nesta
quinta-feira (30).
30 ago. 2018 – G1
Alexander Mak/Shutterstock.com

Brasil tem 147,3 milhões de eleitores


Aumento é de 3,14% desde 2014 Onde os eleitores estão:

em 5 550 municípios do
Brasil e em 171 localidades
Eleitores em:
de 110 países
147 302 354
142 822 046

Brasil

Ciências

Educação Eleitores de: Eleitores no exterior:


Direitos políticos suspensos:
2014 2018
Cultura
1 409 774 eleitores
1 400 617

8 178 796

500 727

não podem votar nem se


354 184

Internacional
candidatar este ano.
Cidadania
16 e 17 18 a 20 2014 2018
Saúde anos anos Fonte: Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
*Todas as notícias foram adaptadas e todos os sites foram acessados em 2 set. 2018.

4
Aretha Franklin, 'Queen of Soul', dies aged 76

Aretha Franklin, the “queen of soul” known for hits like Respect and Think, has died in Detroit at the age of 76.
The legendary singer was diagnosed with cancer in 2010 and announced last year she was retiring from music.
Franklin won 18 Grammys, and had 17 Top Ten US chart hits over a music career spanning seven decades. The
star gave her final performance last November at a gala in New York held in aid of the Elton John Aids Foundation.

16 ago. 2018 – BBC

BBC
LONDRES

El País
MADRID

El Departamento de Justicia de EE UU acusa a


Harvard de discriminación racial

El Departamento de Justicia se pone del lado de los estudiantes asiáticos-americanos que demandaron a la Universidad
de Harvard por discriminación racial en el proceso de admisión. En la opinión hecha pública este jueves se cuestiona la
legalidad de las prácticas que sigue la prestigiosa institución estadounidense para facilitar el acceso de otras minorías, al
considerar que crean una desventaja y refuerza estereotipos. El organismo defiende que se sigan en el proceso de selección
de las solicitudes métodos que sean neutros y centrados en los méritos de los estudiantes.

30 ago. 2018 – El país

5
Um incêndio de grandes proporções
destruiu o Museu Nacional, na Quinta da
Boa Vista, em São Cristóvão, Zona Norte
do Rio. O fogo começou por volta das
Tânia Rêgo/Agência Brasil

19h30 deste domingo (2) e foi controlado


no fim da madrugada desta segunda-feira
(3). Mas pequenos focos de fogo seguiam
queimando partes das instalações da
instituição que completou 200 anos em
2018 e já foi residência de um rei e dois
imperadores. A maior parte do acervo, de
cerca de 20 milhões de itens, foi totalmente
destruída. Fósseis, múmias, registros
históricos e obras de arte viraram cinzas.
2 set. 2018 – G1

// IMAGEM EM FOCO
6
ENTRELINHAS

Política se discute?
Com a proximidade das eleições de 2018, os debates políticos são intensificados, cabendo ao leitor buscar
ferramentas para que as discussões sejam construtivas e estar disposto a ouvir opiniões diversas propagadas
pelos mais variados meios de comunicação.

TEXTO 01
Com um país marcado pela polarização,
02TEXTO
“No Brasil, a influência dos debates ainda é
discussões sobre política e visões de sociedade se muito grande”, diz a jornalista e cientista política
espalharam por inúmeras esferas de nossas vidas. Deysi Cioccari, professora da faculdade Cásper Líbero,
[...] em São Paulo. “Basta observar o que aconteceu no
O problema é que parte considerável dos embates dia seguinte, após o primeiro debate (da Band, no dia
entre ideias diferentes se caracteriza quase sempre 9 de agosto). Os jornais, a mídia e as redes sociais
por dois monólogos andando em paralelo, com o amanheceram impregnadas pelo que foi dito durante o
reconhecimento da outra parte ocorrendo apenas debate. Mesmo quem não acompanhou a transmissão
através de ofensas ou sarcasmo. Muito se fala, e pouco ficou sabendo minimamente o que foi dito.”
se ouve. Muito se prega, pouco se debate. E quando há “[...]. Somos um país que assiste TV, que procura
troca, esta acontece menos como debate e mais como saber o que está sendo proposto pelos candidatos pela
disputa, sempre com cada lado buscando ter a última TV”, diz Deysi.
palavra e “vencer”. Gilberto Costa; Sabrina Craide (Ed.). “Com fim da hegemonia da
TV, internet pode ser decisiva nestas eleições”. Agência Brasil,
Ao contrário do que muitos imaginam, bons debates
16 ago. 2018. Disponível em: <http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/
servem para construir conhecimento e não disputar. São noticia/2018-08/com-fim-da-hegemonia-da-tv-internet-pode-ser-
oportunidades para que fatos e ideias circulem e sejam decisiva-nestas-eleicoes>. Acesso em: 20 ago. 2018

colocadas à prova.
Camilo Rocha. “Como discutir política sem baixar o nível”.
NEXO, 1 jun. 2016. Disponível em: <www.nexojornal.com.br/
servico/2016/06/01/Como-discutir-pol%C3%ADtica-sem-baixar-o-
n%C3%ADvel>. Acesso em: 28 ago. 2018.

TEXTO 03
Com fim da hegemonia da TV, internet pode ser decisiva nestas eleições
As próximas eleições podem ficar para história e registrar o fim da era da televisão aberta como o principal meio
de informação dos brasileiros para acompanhar a disputa de votos por cargos públicos. Especialistas ouvidos pela
Agência Brasil têm como hipótese a possibilidade de a internet ter mais peso do que nunca na decisão, e mudar, em
definitivo, a maneira de se fazer campanha eleitoral no país.
Pesquisadores de comunicação e consultores eleitorais assinalam que os 147,3 milhões de eleitores brasileiros
escolherão seus representantes sob influência inédita de conteúdos compartilhados nas redes sociais e aplicativos de
mensagens instantâneas, em especial no Facebook e no WhatsApp.
Gilberto Costa; Sabrina Craide (Ed.). “Com fim da hegemonia da TV, internet por ser decisiva nestas eleições”. Agência Brasil, 16 ago. 2018.
Disponível em: <http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2018-08/com-fim-da-hegemonia-da-tv-internet-pode-ser-decisiva-nestas-eleicoes>.
Acesso em: 20 ago. 2018

7
ENTRELINHAS
ANÁLISE

N
as eleições deste ano, 13 candidatos, sendo apenas Nesse contexto, também podemos citar que as sabatinas
duas mulheres, concorrem ao cargo de presidente realizadas pelos diferentes meios de comunicação, os
da República. Em meio à disputa eleitoral, o debate horários reservados à propaganda eleitoral gratuita e as
sobre os programas de governo e as propostas feitas pelos demais reportagens que retratam o dia a dia dos candidatos
aspirantes ao Palácio do Planalto se faz cada vez mais são bons recursos para que as pessoas possam se manter
necessário, ainda que muitos cidadãos optem por se manter ainda bem mais informadas e, como consequência, participar
alheios ao assunto. Contudo, é preciso reforçar que essas de discussões significativas.
discussões não devem se limitar apenas ao confronto de Já o texto 3 traz outra situação sobre a realidade do debate
ideologias e preferências partidárias, e sim considerar que é político: o quanto a internet pode influenciar nos resultados das
o futuro de toda uma nação que está em pauta. eleições de 2018. Nos últimos anos, o número de usuários
O texto 1 fala justamente sobre a intensificação dos assíduos das mídias sociais cresceu de maneira expressiva, e
debates de fatos e ideias durante esse período, reforçando é justamente no campo virtual que os candidatos e partidos
que essas conversas, geralmente, são caracterizadas pela encontram boas alternativas para driblar, muitas vezes, a falta de
falta de empatia entre os envolvidos. O trecho apresentado tempo nas emissoras de TV e, assim, expor seus programas de
também destaca que essas discussões não devem ser governo. Porém, como não podemos deixar de citar, a internet
encaradas como meras disputas de qual lado é melhor também propaga um grande problema: as fake news. Assim,
do que o outro, mas como uma boa oportunidade para cabe ao usuário ter muita cautela ao analisar os conteúdos
ouvir e considerar as propostas de todos os candidatos e enviados e recebidos pelos canais de comunicação on-line,
partidos, analisando quais delas são as mais construtivas buscando conferir a veracidade de todas as informações.
e interessantes para o desenvolvimento do nosso país. Em síntese, é importante que o leitor esteja atento
Recomendamos que, com a proximidade das eleições, o às propostas dos candidatos e conheça, se possível,
texto em questão seja analisado na íntegra, pois ele traz os programas eleitorais de todos eles, fazendo uma
diversas dicas ao leitor para realizar um debate produtivo, o análise concreta e ampla das ideias dos nossos futuros
qual preza pelo respeito e bom-senso. representantes. Agora, leia novamente os três textos
Uma forma interessante de conhecer as propostas de apresentados, busque suas versões na íntegra, procure
campanha dos candidatos à presidência e ter ferramentas outras fontes de informação e acompanhe o dia a dia da
para que as discussões possam ser, de fato, construtivas corrida eleitoral para que possa participar de forma mais
é acompanhar os debates realizados pelas emissoras de efetiva dos debates. Além disso, para que você exercite seus
televisão abertas. Contudo, muito se fala sobre a eficácia conhecimentos, construa argumentos a respeito do assunto
desses programas nos dias de hoje, visto que o alcance e reflita sobre a necessidade de se discutir política. Que tal
dos canais televisivos vem perdendo fôlego. De qualquer elaborar um texto dissertativo a partir do tema: “Consciência
maneira, como podemos observar no excerto da reportagem política e a importância dos debates nas vésperas das
apresentada no texto 2, debates como esses ainda têm eleições”? Boa produção textual!
muita força, pois o que é transmitido pelas emissoras de TV
Editorial
é assunto recorrente nas mais diversas rodas de conversas.
Studio_G/Shutterstock.com

8
Política no século XXI:
democracia e
ciberespaço
A política faz parte da vida em sociedade e permeia todas
as relações interpessoais. Ao longo da história, ela foi alvo de
estudos e transformações e, nos dias atuais, vive uma das
mais intensas mudanças.

POR ALEXSANDRO MELO MEDEIROS

Login/Shutterstock.com
O
filósofo grego Aristóteles, na sua obra Se, por um lado, as
Política, definiu o ser humano como um “zoon mídias sociais têm sido utiliza-
politikon”, ou seja, um “animal político”. Desde das para que cidadãos e cidadãs
então, filósofos, pensadores e cientistas expressem sua opinião, favorecendo o
políticos procuram compreender qual a melhor maneira desenvolvimento de práticas democráticas, por
de homens e mulheres se relacionarem e se organizarem outro, percebemos que essas mídias estão repletas de
em sociedade através das relações de poder que discursos de ódio e ataques pessoais, proferidos quando as
constantemente se fazem presente na esfera pública. opiniões conflitam e divergem umas das outras, favorecendo
No século XXI, essa questão tem sido potencializada o desenvolvimento de práticas antidemocráticas. Os ataques
com o surgimento das novas Tecnologias de Informação e começam a partir do momento que grupos ideológicos
Comunicação (TICs) que estão alterando profundamente as intitulam seus adversários de “coxinhas”, “esquerdopatas”,
relações sociais e políticas do nosso país. Opiniões são lidas, “socialistas de iPhone” e expressões do gênero.
relidas, compartilhadas entre pessoas de diferentes culturas
pixelrain/Shutterstock.com

e áreas do saber. Não se pode mais ignorar os espaços


que essas novas tecnologias têm criado, de tal forma que
podemos afirmar, tal como o faz Pierre Lévy, professor
da Universidade de Paris-VIII e autor do livro Cibercultura,
que “os destinos da democracia e do ciberespaço estão
amplamente ligados”.
Esse entrelaçamento entre as questões políticas e as
novas tecnologias se tornam ainda mais evidentes através
das mídias sociais. Uma olhada rápida pela timeline revela
o quanto o processo eleitoral das eleições presidenciais e
estaduais – que se aproximam – tem transformado as mídias
sociais quase que em uma arena de disputa e ataques
Os debates políticos e as novas tecnologias se unem nas mídias
políticos e ideológicos. sociais, usadas como fontes de informação e de debates.

9
Quem dera pudéssemos utilizar as mídias sociais dos partidos políticos no Congresso. Por isso, enquanto
exclusivamente para o fortalecimento de práticas alguns candidatos dispõem de um tempo maior de
democráticas. Vamos tomar, de maneira breve, dois propaganda eleitoral, outros precisam se contentar com
exemplos que ocorreram em países distintos: o primeiro meros segundos de apresentação no horário destinado
é a Primavera Árabe, uma onda de manifestações e à propaganda eleitoral. Com as mídias sociais, é possível
protestos ocorridas no Oriente Médio e no norte da ampliar a possibilidade de divulgação e campanha
África entre 2010 e 2011, ocasionada por fatores como política, seja pelo Facebook, blogs e sites e, até mesmo,
o agravamento da crise econômica e a luta a favor da grupos de WhatsApp, como é o caso de candidatos
democracia em países como a Tunísia, Egito, Líbia, Síria que criam determinados grupos para ouvir as demandas
e muitos outros; aqui as mídias sociais desempenharam populares e, assim, elaborar suas plataformas de
um papel considerável para organizar e facilitar a governo.
comunicação entre os manifestantes. O segundo Dessa forma, vemos que o advento das TICs
exemplo aconteceu aqui no Brasil, com os protestos promoveu mudanças significativas na ideia do homem
de julho de 2013, que ocorreram em várias cidades, como um “animal político”. A concepção de um espaço
inicialmente para contestar os aumentos nas tarifas de público ou esfera pública ganha novas dimensões: fala-se
transportes públicos, mas, depois, se transformaram em esfera pública virtual, esfera pública interconectada,
na expressão de descontentamento e insatisfação com ou ainda novas “ágoras on-line” (as ágoras eram as
os rumos políticos do país. Nessa ocasião, as mídias praças públicas existentes na Grécia Antiga reservadas
sociais se destacaram como forma de engajamento ao debate e disputa política).
político, além do fato de que boa parte dos cartazes
existentes nas manifestações eram comentários tirados

Nastasic/iStockphoto.com
do Facebook e do Twitter.
Hang Dinh/Shutterstock.com

A política na Grécia Antiga era discussão restrita a poucos e


acontecia nas ágoras, praças públicas reservadas ao debate
As mídias sociais tiveram papel importante nos debates políticos político.
acontecidos durante a Primavera Árabe. Na imagem, pessoas
reunidas em protesto na cidade de Cairo, no Egito, em novembro Hoje, essas “ágoras on-line” representam um
de 2011. espaço público de debate e discussão em que o cidadão
pode, de alguma forma, participar da “coisa pública”. E
É válido destacar, ainda, o uso da internet na o que vemos é que, de fato, os cidadãos têm usado
campanha eleitoral. Antes, as campanhas eleitorais o espaço das mídias sociais como uma “praça pública
eram, majoritariamente, realizadas através de meios de virtual”, um espaço de debate e discussão política até
comunicação de massa, como o rádio e a televisão. O mesmo fora de épocas eleitorais. Porém, ao mesmo
que, em certo sentido, tende a privilegiar candidatos tempo que esse espaço tem sido utilizado para ampliar
que fazem coligações com os partidos políticos com o processo democrático, tem sido alvo também de
maior representatividade no Congresso Nacional, já práticas antidemocráticas, que atingem e denigrem a
que o tempo de propaganda eleitoral é diferente para figura do outro que não compartilha da mesma postura
cada candidato e determinado pela representatividade ideológica.

10
Ciências Humanas e suas Tecnologias
História
Como na Atenas de Aristóteles, ainda hoje precisamos
continuar refletindo sobre o modo de organização política
e social. Perceber que a política não é apenas o processo TOQUE DO
ESPECIALISTA
eleitoral que ocorre a cada dois ou quatro anos e que está
presente no nosso dia a dia, ainda mais fortemente nos dias
de hoje, com o advento tecnológico da internet, das mídias POR CAMILA CALDAS PETRONI
sociais e do uso de smartphones. Os temas relacionados a
vida em sociedade, crenças e política passaram a permear
Governos: sistemas e práticas
muitos debates e estão sempre presentes na nossa vida “Pela manutenção da democracia!”, “Pela volta da
e na nossa timeline, exigindo de nós uma postura crítica monarquia!”, “Abaixo a ditadura!”.

C
e reflexiva, além de uma atitude ética e responsável, ertamente, já nos deparamos com essas frases algum dia, prin-
respeitando a diversidade de opiniões e de ideias que cipalmente em época de eleições, em que o contato com dife-
caracterizam a nossa realidade multifacetada. rentes opiniões gera debates, muitas vezes, acalorados. Mas
será que sabemos o significado do que defendemos e criticamos?
A partir de análises do historiador e filósofo Norberto Bobbio e
dos cientistas políticos Nicola Matteucci e Gianfranco Pasquino1,
vamos retomar o significado de regimes e formas de governo.
Alexsandro Melo Medeiros é mestre em Filosofia
pela Universidade Federal de Pernambuco e Lembrando que as formas de governo dizem respeito aos
professor de Filosofia da Universidade Federal modelos institucionais adotados e as práticas governamentais
do Amazonas. Doutorando do programa de são as características relacionadas a esses modelos.
pós-graduação em Sociedade e Cultura na A monarquia e a república, por exemplo, são formas de
Amazônia/Ufam. Bolsista e pesquisador da
Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado do
governo. Na monarquia, o poder, geralmente hereditário, é
Amazonas. Também é autor do site centralizado nas mãos de uma só pessoa, colocada acima de
Sabedoria política. todos. Como um dos principais exemplos históricos, temos o
Arquivo pessoal/
absolutismo, na França e na Inglaterra, durante a Idade Moderna.
Alexsandro Melo Medeiros Atualmente, há alguns Estados monárquicos no mundo, como
o Império Britânico, em que não cabe ao monarca, chefe de
Estado, tomar as decisões relativas ao governo.
O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) Já a república, modelo nascido na Roma Antiga, é vista
estabelece competências e habilidades norteadoras como uma oposição à monarquia, pois o chefe de Estado é
do estudo dos conteúdos exigidos para o Ensino eleito pelo povo, de forma direta ou indireta. Em tese, em
Médio. Por meio do texto “Política no século XXI:
uma república, os interesses de todos os cidadãos devem ser
atendidos. No Brasil, a república foi proclamada em 1889 e
como os destinos da democracia e do ciberespaço
permanece até hoje, embora tenha apresentado diferentes
estão interligados”, foram trabalhadas as seguintes
práticas em sua trajetória.
competências e habilidades da área de Ciências Como práticas governamentais, podemos citar a
Humanas e suas Tecnologias: democracia, que possui definições variadas: a aristotélica,
C3 – Compreender a produção e o papel histórico voltada somente a determinados grupos que têm direito
das instituições sociais, políticas e econômicas, à cidadania; a medieval, baseada na soberania popular;
associando-as aos diferentes grupos, conflitos e e a moderna, definida como uma forma de república. Hoje,
movimentos sociais. entendemos a democracia como um governo para todos.
H13 – Analisar a atuação dos movimentos sociais
Temos, ainda, como prática, a ditadura, conceito complexo
e com definições diversas. Com origem na república romana,
que contribuíram para mudanças ou rupturas em
tem seu significado atrelado ao poder concentrado nas mãos
processos de disputa pelo poder.
de uma só pessoa (ou de um pequeno grupo) e a um governo
C5 – Utilizar os conhecimentos históricos para que se coloca acima da lei. Ao longo da história, práticas como
compreender e valorizar os fundamentos da censura, vigilância, repressão e, até mesmo, tortura foram
cidadania e da democracia, favorecendo uma largamente utilizadas para que ditadores se mantivessem no
atuação consciente do indivíduo na sociedade. poder, o que nos faz associar regimes ditatoriais a governos
HA H21 – Identificar o papel dos meios de comunicação que afetaram significativamente as liberdades pessoais.
Com essas definições, podemos refletir juntamente com a
na construção da vida social.
BILI H23 – Analisar a importância dos valores éticos na
pergunta do início do texto: quais são as formas e as práticas
de governo que permitem a todas as pessoas o exercício pleno
DA estruturação política das sociedades.
de sua cidadania?
H24 – Relacionar cidadania e democracia na
DES organização das sociedades.
1
BOBBIO, Norberto. MATTEUCCI, Nicola. PASQUINO, Gianfranco.
Dicionário de política (trad. Carmen C. Varriale et. al.). Brasília: Editora
Universidade de Brasília, 1998.

11
E N T R E V I S TA | Rodrigo Paixão

Arquivo pessoal/
Rodrigo Paixão
CARREIRA: Ciência Política
Rodrigo Paixão é graduado em Ciência
Política pela Universidade Estadual de
Campinas (Unicamp) e especialista
em Administração Pública e Gerência
de Cidades pelo Centro Universitário
Internacional (Uninter). Atualmente, é
professor de Ciência Política no Instituto
de Educação e Ensino Superior de
Campinas (Iescamp), trabalha também
com assessoria e consultoria política e
como comentarista político de emissoras
de rádio e TV.
Donatas Dabravolskas/Shutterstock.com

12
Equipe Leia Agora: Quais devem ser os interesses tanto no ensino como na pesquisa. O egresso do curso de
de quem pensa em cursar Ciência Política? O que é Ciência Política pode atuar diretamente em organizações
estudado durante a graduação? governamentais, não governamentais e no terceiro setor,
Tendo como horizonte o fato de que a Ciência Política como assessor, administrador e planejador. Também é
se insere no campo das Ciências Humanas, o estudante possível atuar mais diretamente com o ambiente político
precisa ter, como pressuposto, interesse pelas relações e com o marketing e como profissional de imprensa
que se estabelecem na sociedade. O aluno precisa especializado na área. Portanto, existem espaços
se sentir desafiado a explicar os dilemas da condição nas faculdades, empresas, bancos, ONGs, igrejas,
humana e os problemas sociais contemporâneos, sindicatos, partidos, governos, cooperativas, federações,
com o objetivo de interpretar e apontar soluções organismos internacionais, parlamentos e na mídia.
para os desafios referentes às relações de poder nos
espaços públicos e privados. A Ciência Política está Equipe LA: Durante a graduação, o estudante precisa
entre as áreas de conhecimento mais abrangentes, fazer estágios? Como ingressar no mercado de
multidisciplinares e dinâmicas. Como ferramentas de trabalho?
análise, utiliza saberes e métodos de outras áreas, como Acredito que o estágio é uma das formas de
Relações Internacionais, História, Filosofia, Sociologia, aproximação com o mercado de trabalho durante a
Economia, Gestão Pública, Estatística, Administração, graduação. As faculdades, universidades e centros de
entre outras. pesquisas têm feito muitas parcerias com empresas,
entidades e governos para isso. Estão surgindo
Equipe LA: Quais são as áreas de atuação e as também muitas empresas juniores que trabalham
principais possibilidades de especialização para com uma lógica cada vez mais interdisciplinar (por
quem opta por essa carreira? exemplo, fazendo pesquisas de mercado e de análises
São diversas as possibilidades para a carreira do políticas junto com estatísticos). Diversos editais de
cientista político. O profissional pode atuar, por exemplo, concursos públicos para atuação na gestão pública
no universo acadêmico, mas também com assessoria admitem o cientista político justamente por existir um
e consultoria, pesquisa, análise, administração e diagnóstico de que se trata de um profissional mais
planejamento. Academicamente, existe uma demanda completo. Inúmeros centros de ensino (médio, técnico
imensa para a produção de conhecimento científico, e universitário) também buscam esses profissionais.

Microgen/Shutterstock.com
O cientista político também pode atuar com marketing político e
como profissional de imprensa especializado na área.

13
Equipe LA: Qual é a diferença entre os cursos de Ciência a opinião do eleitorado, como se formam as coalizões
Política e Administração Pública? e assim por diante. Dificilmente um cientista político
Existe grande interface entre esses dois campos vai falar com precisão sobre todos os temas que a
do conhecimento. No entanto, é possível identificar profissão o permite atuar. Se ele atua como consultor
claramente as diferenças, visto que a Ciência Política de uma federação comercial, na prática, concentrará
tem uma matriz mais ampla (poder público, empresas sua atuação em áreas que dialogam com esse setor.
privadas, entidades), e a Administração Pública
um enfoque mais ligado ao Estado e às atividades Equipe LA: Muitas pessoas acreditam que a política
governamentais. Além disso, a Administração Pública é algo restrito aos políticos e, portanto, alheio a elas.
é mais gerencial e procura dar respostas mais De que maneira o cientista político pode incentivar a
imediatas às demandas do poder público. A Ciência participação da sociedade na política e por que ela é
Política, além de instrumental, também é analítica. importante?
Enquanto a Ciência Política se aproxima mais das Os países que possuem as melhores condições de
Ciências Sociais, a Administração Pública pode ser vida, não por acaso, são também os que possuem
considerada como uma subárea do Direito, pois é maior participação política. Os direitos democráticos
organizada segundo os instrumentos previstos em lei. e as conquistas históricas de uma sociedade só são
mantidos ou ampliados com participação ativa. Na
Equipe LA: O cientista político está apto a analisar Grécia, berço da democracia, debatiam-se todos
o cenário político e, até mesmo, os movimentos os temas de interesses coletivo em praça pública.
sociais. Mas como o profissional pode aplicar esse Hoje em dia, as escalas são diferentes, mas existem
conhecimento na prática? mecanismos de participação indireta (audiências
Um cientista político, para fazer jus ao título, precisa públicas, consultas, assembleias, sessões, plenárias)
se especializar em uma área, produzir pesquisa e de intervenção direta (plebiscitos e referendos).
e conhecimento. Para analisar cenários e avaliar Na Suíça, são feitos plebiscitos até para mudar o
a conjuntura política, econômica e social, esse trânsito de um bairro. Em momentos de crise, como
profissional deve se ater a métodos científicos. Para o que estamos vivenciando, é ainda mais importante
falar, por exemplo, das relações internacionais, é o exercício da plena cidadania. O cientista político
preciso ter informações precisas sobre economia pode contribuir fazendo diagnósticos e apontando
internacional, geopolítica, história, funcionamento dos soluções. Pode, acima de tudo, utilizar sua estatura
mecanismos multilaterais (como a ONU, OTAN, OMC intelectual para o bem comum, demonstrando os
etc.). Da mesma forma, para analisar a situação político- caminhos necessários para renovar positivamente o
eleitoral, é preciso sair do que é aparente e demonstrar ambiente político.
quais são os interesses em jogo, a força dos partidos, Akarawut/Shutterstock.com

A participação política em audiências públicas


e plebiscitos é importante para que os direitos
democráticos sejam mantidos e ampliados.

14
Equipe LA: Hoje em dia, a internet tem sido palco de muitos exemplos de entidades que levam profissionais para
muitas discussões políticas. Diante disso, como você as unidades de ensino a fim de tratar da política e dos direitos
considera que as redes sociais podem ser usadas no da cidadania (“OAB na Escola”, por exemplo); o especialista
processo político? E como elas influenciam nas eleições? em Ciência Política é, sem dúvida, o profissional com grande
Da mesma forma que a internet pode ser usada para realiza- gabarito para exercer tarefas como essa.
ções muito importantes, como campanhas de cidadania e mo-
bilizações contra o mau uso dos recursos públicos, também Equipe LA: A Ciência Política é uma área em expansão?
pode ser um instrumento de propagação do ódio e da desin- Quais os desafios e as perspectivas do mercado de
formação. Portanto, é preciso cuidado para que as redes so- trabalho para os profissionais nos próximos anos?
ciais sejam efetivamente uma ferramenta usada para ampliar a A Ciência Política é uma área emergente no Brasil e deverá
participação popular e não para propagar as famigeradas fake ter maior reconhecimento nos próximos anos. Na Europa, o
news. Sem dúvida, as redes sociais terão grande influência no cientista político está no mesmo patamar do engenheiro, do
processo eleitoral, como já tiveram, notadamente, nas eleições médico e do químico. Na medida em que o país se consolida
americanas. Mas, tanto nos Estados Unidos como no Brasil, política e economicamente como uma grande nação, surge
seu uso deve ser moderado pelo controle social, e abusos com a necessidade de aperfeiçoar as instituições democráticas.
conteúdo criminoso devem ser acompanhados pela Justiça, Nesse sentido, a Ciência Política é duplamente importante:
que precisa atuar na medida do necessário, sem constranger para contribuir com a superação da crise e para avançar em
a diversidade de opiniões. novas conquistas para o país. O mercado de trabalho está
cada vez mais diversificado, pois, como já afirmado, o cientista
Equipe LA: Qual é a importância da educação política político tem uma formação abrangente e multidisciplinar nas
nas escolas e como isso contribui para a formação de Ciências Humanas, podendo atuar tanto no poder público
crianças e jovens? De que maneira o cientista político como na esfera privada.
pode atuar nesse contexto?
O processo educacional deve ser visto de uma forma mais Equipe LA: Por que você recomendaria essa carreira?
abrangente. As escolas formam não só profissionais, mas Estou convencido de que ter bons profissionais atuando na
também cidadãos, complementando os ensinamentos da Ciência Política significa ampliar a qualidade das instituições,
família, da sociedade e dos diversos círculos de convivência independentemente de onde se decida atuar. A carreira possui
de crianças e jovens. Em uma democracia, é importante que, um sentido nobre e permite pensar o conjunto da sociedade.
desde cedo, os cidadãos conheçam seus direitos e deveres e A maior parte do que se decide é feito em espaços políticos. A
os mecanismos utilizados para decidir as questões de interesse política, como já relatado, não é a única forma de atuação desse
público. O cientista político pode contribuir com o debate e a profissional, mas ela pode ser um dos caminhos, pois permite
elaboração de projetos pedagógicos que possam e que devam sua presença em governos, parlamentos, fundações, partidos,
ser inseridos nos conteúdos programáticos, sendo estes autarquias etc. A esse respeito, recomendo a leitura do artigo
reflexões sobre a cidadania e a participação política. Existem “Sobre política e jardinagem”, do professor Rubem Alves.
SpeedKingz/Shutterstock.com

O cientista político pode elaborar projetos pedagógicos


para escolas a fim de ampliar as discussões sobre
cidadania e participação política entre crianças e jovens.

15
PA R Ê N T E S E

Donatas Dabravolskas/Shutterstock.com

Simetria inexistente
Po r E d i l e n e Fa r i a

“Eleição tem maior número de vices mulheres”1, diz o jornal. A manchete, que chama a atenção do
(e)leitor, destaca a participação feminina “recorde” nas candidaturas de 2018. São 67 mulheres candidatas
a vice-governadora e 4 a vice-presidente, o que representa, respectivamente, 37,6% e 30,7% do total
de candidatos. Os homens, portanto, ainda são maioria, porém é inegável o crescimento no número de
candidatas a vice, se compararmos os números aos das eleições de 2014, quando a porcentagem ficava em
27,7% – no caso das candidatas a vice-governadora – e 27,2% – no caso das candidatas a vice-presidente.
Tal crescimento se deve também a um fator econômico, uma vez que, em 2018, será a primeira vez que o
pleito ocorrerá com uma cota de recursos financeiros para a campanha eleitoral feminina. São R$ 510 milhões do
fundo público de financiamento destinados às candidatas.
De fato, como os números comprovam, a quantidade de mulheres cresceu entre as candidaturas de mais
destaque. Mas, o curioso – ou seria o esperado? – é que os homens ainda ocupam o que chamamos de cabeça
da chapa. Isso quer dizer que, embora elas estejam mais presentes em candidaturas de destaque, a figura feminina
ainda fica em segundo plano, já que os candidatos a presidente e a governador, em sua maioria, são homens. Eles
ainda lideram as chapas e competem em maior proporção na política brasileira.
Nas eleições de 2018, são 16.160 pessoas concorrendo. Desse total, 4.946 são mulheres, o que significa que, a
cada três candidatos, apenas uma é mulher. Isso nada mais é que o contingente obrigatório previsto na lei brasileira,
a qual define uma porcentagem mínima de 30% de mulheres entre as candidaturas, em qualquer eleição.
Para refletirmos um pouco mais, podemos traçar um histórico de nossa República e de nossa democracia. Em
quase 129 anos de República Federativa e em 33 anos de democracia pós-ditadura militar, apenas uma mulher foi
eleita presidente da República – e isso demorou mais de um século para acontecer. Nas últimas eleições, apenas
uma mulher foi eleita governadora de um estado. No Senado, elas são 13 entre um total de 81 senadores. Na
Câmara dos Deputados, as mulheres são apenas 45 entre os 513 parlamentares – o que, segundo o próprio site
da Câmara, é uma “participação de tamanho constrangedor”.
Hoje, mais da metade dos eleitores brasileiros é mulher, porém as candidatas não ultrapassam os 30%. Qual
seria o papel da sociedade para mudar esses números? Como a mulher poderia ser mais representada? Por que
os homens ainda ocupam a maioria dos lugares na política nacional? Talvez seja o momento de aproveitar o seu
voto, em outubro, para responder a essas indagações.
1
Veja a reportagem completa no link: <https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/08/com-cota-fixa-em-
fundo-eleitoral-eleicao-tem-maior-numero-de-vices-mulheres.shtml>.

16
Mosaico
Will Rodrigues/Shutterstock.com

• A G E N D A •
CONHECIMENTO

Cultural
Visita ao Congresso Nacional
Permanente
ONDE: Brasília.
O Congresso Nacional oferece visita monitorada
de estudantes, que podem conhecer o trabalho
do Poder Legislativo, a arquitetura idealizada por
Oscar Niemeyer e um pouco da história política
do Brasil. Professores podem agendar visitas
VAMOS FALAR DE DEMOCRACIA? com mínimo de 72 horas de antecedência.
O Brasil vive uma democracia, mas será que os jovens de hoje
INFO: <www.congressonacional.leg.br/visite/
conseguem entender a dimensão desse benefício? A TV Justiça
agendamento>.
produziu um documentário sobre as eleições brasileiras, desde
o período colonial até a era das fake news na internet, que CINEMA
pode ajudar nessa questão. O documentário História das Hitchcock: bastidores do suspense
eleições no Brasil explica de maneira didática como a
até 21 de outubro.
democracia se manifestou no Brasil até se consolidar com
a promulgação da Constituição de 1988, que viabilizou a ONDE: São Paulo (SP).
O MIS (Museu da Imagem e do Som) promove
volta da eleição para presidente pelo voto direto.
a exposição do mestre do suspense Alfred
No Império, o direito ao voto só era acessível Hitchcock. São fotos, cartazes e esquemas
a quem tinha educação formal ou a quem era rico. de produção, saídos de acervos de entidades
Mas, aos poucos, a democracia real ia se moldando, internacionais de memória do cinema. Hitchcock
inclusive com direito de voto às mulheres. Em 1910, não só sabia contar uma boa história de suspense
foi fundado o Partido Republicano Feminino, dando como dominava a narrativa cinematográfica com
início à luta pelo voto das mulheres. Em 1928, Alzira muita maestria.
Soriano foi a primeira prefeita eleita no país (ainda INFO: <www.mis-sp.org.br>
somente com votantes homens), na cidade de Lajes
(RN). As mulheres só puderam votar a partir de 1932. MOSTRA
Nas décadas seguintes, regimes ditatoriais prejudicaram Arte no Brasil
o processo eleitoral. E foi a Constituição de 1988 que A partir de 15 out. 2018.
garantiu a atual democracia. Assim, o primeiro presidente ONDE: São Paulo (SP).
eleito pelo voto direto após o regime militar foi Fernando A Pinacoteca do Estado de São Paulo apresenta
Collor de Mello, em 1989. Essa fase da redemocratização sua nova exposição de longa duração com obras
brasileira pode ser melhor entendida no vídeo 1985 − 30 anos do seu acervo. O objetivo da mostra é oferecer
de democracia: Diretas já, produzido pela Univesp. uma jornada pela arte brasileira do período
Acesse: colonial até meados dos anos 1930. A exposição
fica aberta ao público até o fim de 2019.
História das eleições no Brasil:
<www.youtube.com/watch?v=eAJWmxv8kRA>. INFO: <pinacoteca.org.br>
1985 – 30 anos de democracia: Diretas já:
<www.youtube.com/watch?v=d8O5jTahTXo>.

Mera coincidência. Direção: Barry Levinson. Carlos Heitor Cony. O ato e o fato: o som Mario Sergio Cortella − Democracia
Com Dustin Hoffman e Robert De Niro, EUA, e a fúria de que se viu no golpe de 1964. O filósofo e educador Mario Sergio
1997. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2014. Cortella, em entrevista a uma
Às vésperas das eleições, o presidente dos Em 1964, dia a dia, o jornalista Carlos Heitor emissora de rádio, explica a essência
EUA se envolve em um escândalo sexual e Cony publicou no Correio da Manhã, jornal da democracia, o que a sociedade
sua reeleição está ameaçada. Para desviar do Rio de Janeiro, crônicas carregadas de espera de nosso comportamento e a
o assunto da opinião pública, os assessores ironia que revelavam sua posição contrária contribuição que cada cidadão deve dar
do presidente criam uma guerra fictícia na ao regime ditatorial instaurado no país. para a construção da sociedade.
Albânia, na qual o candidato se tornaria um Esses textos foram reunidos em um livro, Acesse:
mediador da paz. publicado ainda naquele ano, tornando-se <www.youtube.com/watch?v=5w9e3y0AY3s>.
o primeiro ato de protesto civil do período.
O livro foi relançado em 2014.

17
EXTRA! Jogada ensaiada
De longe, é possível ouvir os gritos. Eles marcham juntos, vestindo a camisa com
orgulho, rumo ao local de concentração. Levam bandeiras, ensinam aos filhos uma
paixão que vem de berço. Coisa de família, uma daquelas que seguem a tradição
na torcida.
Em poucas horas, sairá a decisão. Ocupando seus lugares, aguardam o juiz liberar
a disputa. É domingo e, em plena primavera, com o sol a pino, os corações estão
unidos em fila. A entrada dos torcedores é liberada, e cada um corre em direção ao
melhor lugar, evitando seu adversário. Vermelhos e azuis sentam separados, cada
qual com sua convicção aguardando a hora de gritar a plenos pulmões.
Há quem queira anular a jogada. Há quem insista no cartão vermelho. Mas,
historicamente, não há faltas suficientes que, de fato, mantenham uma partida
empatada. As vozes ecoam: “é hora da vitória”, aquela que, de quatro em quatro
anos, arranca alguns soluços de alegria e outros de tristeza e desolação.
Em uníssono, os hinos começam. Há tambores, luzes, euforia. As músicas
seguem uma cadência de versos, ritmos e compassos. Os pobres, nesse momento,
se igualam aos ricos. Os mais velhos erguem e beijam as crianças em seu colo. As
mulheres também fazem parte da torcida e gritam, querendo ocupar seu lugar. Mas
é fato que os homens ainda são aqueles que dominam o campeonato. Ocupam
cargos técnicos dos mais variados, com os mais altos gabaritos. Ditam as regras,
comandam os treinos e embalam os craques em um universo que, quando campões,
rende a eles milhões em dinheiro.
É nesse momento que o pobre volta a ser diferente. As mulheres novamente
são escondidas. As crianças descem do colo. Mas há quem diga que nada disso
importa, pois a força da camisa – seja vermelha, seja azul – é de novo predominante.
A vitória é iminente, mesmo que os pontos ainda não tenham sido, em sua totalidade,
divulgados.
Faltam cinco minutos para o encerramento da disputa. O sol já começa a esfriar,
e, juntos, os torcedores se reúnem onde podem. Quem não está no coração da
partida fica perto do rádio, do smartphone, da televisão. À espera do grito vitorioso,
Por Edilene Faria

eles roem as unhas, rezam, se abraçam, ficam em silêncio.


Ao som da última tecla, a esperança se renova. Confirma? Sim. A escolha
entre vermelho e azul já foi feita. O resultado, quatro anos depois, de novo ocupa
todos os jornais. Se aquele voto de confiança valeu a pena, se aquela torcida será
recompensada, eles ainda não sabem. Podem, talvez, esperar mais quatro anos,
sem serem lembrados e sem que a mudança ocorra.
Dois lados da mesma moeda talvez já não sejam suficientes. Mas, na falta de
um lado melhor, há quem vestirá vermelho ou azul de novo, sem questionar. Ora,
nesse campeonato democrático, em que a escolha é cada vez mais difícil, muitas
figurinhas acabam sendo repetidas. Mas será que devemos aceitar?
Há aqueles que dizem não; que ainda sonham com uma cor diferente e que
esperam a vinda de novos times que realmente lutem por mudanças no campeonato.
Afinal, jogada ensaiada pode cansar o torcedor. É assim, também, com o eleitor.

18