Você está na página 1de 5

Como funcionava a imposição de mãos na Bíblia

Sagrada?
Impor as mãos no Antigo Testamento:

Um dos objetivos principais de impor as mãos no Antigo


Testamento era para invocar bênçãos sobre alguma pessoa. Como
exemplo disso temos a imposição das mãos de Jacó (Israel)
abençoando Manassés e Efraim: “Mas Israel estendeu a mão direita e
a pôs sobre a cabeça de Efraim, que era o mais novo, e a sua
esquerda sobre a cabeça de Manassés, cruzando assim as mãos, não
obstante ser Manassés o primogênito” (Gênesis 48. 14).

Também temos o ato de impor as mãos com o objetivo


de consagração da pessoa para uma missão, um serviço ou algum
cargo. Moisés impôs as mãos sobre Josué e o consagrou como seu
sucessor: “e lhe impôs as mãos e lhe deu as suas ordens, como o
SENHOR falara por intermédio de Moisés” (Números 27. 23).

Também observamos a imposição de uma das mãos sobre a cabeça


do animal que levaria o pecado da pessoa, como um ritual de
transferência do pecado do pecador para o animal a ser sacrificado: “E
porá a mão sobre a cabeça do holocausto, para que seja aceito a
favor dele, para a sua expiação” (Levítico 1:4). Essa forma de impor as
mãos teve validade apenas no Antigo Testamento, quando o sistema
de sacrifícios ainda vigorava. Após Cristo não é mais feita.

Impor as mãos no Novo Testamento

No Novo Testamento temos mantida a tradição de impor as mãos


como um ato de abençoar. Como exemplo, temos Jesus abençoando
as crianças. “Então, tomando-as nos braços e impondo-lhes as mãos,
as abençoava.” (Marcos 10. 16).

O ato de consagrar alguém para determinado serviço, ministério ou


cargo, impondo as mãos, também é visto no Novo Testamento. Antes
de enviarem Barnabé e Paulo para o campo missionário os apóstolos
impuseram as mãos sobre eles. “Então, jejuando, e orando, e impondo
sobre eles as mãos, os despediram.” (Atos 13. 3)

Vemos também, por várias vezes, o ato de impor as mãos com o


objetivo de invocar a cura sobre a vida de alguém. Jesus fez isso
diversas vezes: “Ao pôr-do-sol, todos os que tinham enfermos de
diferentes moléstias lhos traziam; e ele os curava, impondo as mãos
sobre cada um.” (Lucas 4. 40). Essa forma de impor as mãos também
foi realizada pelos apóstolos.

Temos também registrados casos em que eram impostas as mãos


sobre pessoas com o objetivo de conceder dons especiais a elas, num
canal da manifestação de Deus. “E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio
sobre eles o Espírito Santo; e tanto falavam em línguas como
profetizavam.” (Atos 19. 6)

No entanto, a Bíblia também nos ensina a termos cuidado quando


impormos as mãos sobre alguém, para que não sejamos precipitados
em fazer isso, nos indicando que não devemos sair por ai impondo as
mãos e aprovando as atitudes das pessoas sem uma análise prévia
dos objetivos do que estamos fazendo: “A ninguém imponhas
precipitadamente as mãos. Não te tornes cúmplice de pecados de
outrem. Conserva-te a ti mesmo puro” (1 Timóteo 5:22)

Exemplos de cenários opostos


"Disse-lhes Paulo: João realizou batismo de arrependimento, dizendo ao povo que
cresse naquele que vinha depois dele, a saber, em Jesus. Eles, tendo ouvido isto,
foram batizados em o nome do Senhor Jesus. E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio
sobre eles o Espírito Santo; e tanto falavam em línguas como profetizavam" (Atos
19:4-6).

"Ainda Pedro falava estas coisas quando caiu o Espírito Santo sobre todos os que
ouviam a palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, que vieram com Pedro,
admiraram-se, porque também sobre os gentios foi derramado o dom do Espírito
Santo; pois os ouviam falando em línguas e engrandecendo a Deus" (Atos 10:44-46).

Em 1 Timóteo 5:22, o pensamento não é nem tanto advertir sobre a ação física da
imposição de mãos, mas sim que deve-se conceder a responsabilidade da liderança
espiritual (de qualquer forma em que for feito) com muito cuidado. Não é para ser
feito "de repente" ou sem a devida consideração: "A ninguém imponhas
precipitadamente as mãos. Não te tornes cúmplice de pecados de outrem. Conserva-
te a ti mesmo puro."

- Na separação dos diáconos

Apresentaram-nos perante os apóstolos, e estes, orando, lhes impuseram as mãos.

At 6.6
- No envio para viagens missionárias
2 E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Separai-me,
agora, Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado.
3 Então, jejuando, e orando, e impondo sobre eles as mãos, os despediram.
At 13.2 – 3

A imposição de mãos também era tratada com muito cuidado. Paulo adverte
Timóteo para não impor as mãos precipitadamente, ou seja, de uma forma
leviana, sem a direção e a confirmação da separação de pessoas para o
ministério.
22 A ninguém imponhas precipitadamente as mãos. Não te tornes cúmplice
de pecados de outrem. Conserva-te a ti mesmo puro.
I Tm 5.22

“Por esta razão te lembro que despertes o dom de Deus, que há em ti pela
imposição das minhas mãos” (2 Timóteo 1:6).
Os apóstolos, pois, que estavam em Jerusalém, ouvindo que Samaria
recebera a palavra de Deus, enviaram para lá Pedro e João.
Os quais, tendo descido, oraram por eles para que recebessem o Espírito
Santo
(Porque sobre nenhum deles tinha ainda descido; mas somente eram
batizados em nome do Senhor Jesus).
Então lhes impuseram as mãos, e receberam o Espírito Santo.
E Simão, vendo que pela imposição das mãos dos apóstolos era dado o
Espírito Santo, lhes ofereceu dinheiro,
Dizendo: Dai-me também a mim esse poder, para que aquele sobre quem eu
puser as mãos receba o Espírito Santo.
Mas disse-lhe Pedro: O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois cuidaste
que o dom de Deus se alcança por dinheiro.
Tu não tens parte nem sorte nesta palavra, porque o teu coração não é reto
diante de Deus.
Arrepende-te, pois, dessa tua iniqüidade, e ora a Deus, para que porventura
te seja perdoado o pensamento do teu coração;

Atos 8:14-22

Lucas 13
…12Ao observá-la, Jesus pediu que viesse à frente e lhe afirmou: “Mulher, estás livre da
tua enfermidade”. 13Em seguida, lhe impôs as mãos; e naquele mesmo instante ela se
endireitou, e passou a glorificar a Deus. 14Entretanto, o dirigente da sinagoga, indignado
ao ver Jesus curando no sá-bado, admoestou a multidão: “Há seis dias em que se deve
trabalhar; vinde, portanto, nesses dias para serdes curados e não no sábado!”

No Novo Testamento destaca-se a imposição de mãos na vida ministerial do Senhor Jesus. Em


Mateus 11:2-5, lemos sobre as obras de Jesus Cristo, as quais realizou na terra com a
autoridade dada pelo Pai e mediante a imposição de mãos, liberando a unção derramada
sobre Ele, pelo Espírito Santo (Lucas 4:18-21).

- Jesus e a filha de Jairo. Um homem recorre a Jesus porque sua filha está agonizando. Ele
sabe que há um poder que emana do Senhor através de Suas mãos e por isso Lhe pede que as
coloque sobre o corpo de sua filha, mesmo diante das vozes de muitos declarando que já
estava morta (Marcos 5: 21-23; 35-42).

- Jesus e a mulher que toca Seu manto. Trata-se de uma mulher que havia anos sofria de um
fluxo de sangue e que, ao inteirar-se da presença de Jesus, entra na dimensão da fé e,
convencida de Seu poder, procura tocar-Lo, sabendo que esse contato de sua mão com o
corpo do Mestre produziria o milagre. (Marcos 5: 24-34).

- No Novo Testamento também observa-se a experiência do apóstolo Paulo em relação à


imposição de mãos. Em primeira instância porque, após haver sido um perseguidor da igreja,
Deus o confronta e define Seu chamado, escolhendo a Ananias para que o visite e lhe imponha
as mãos (Ver Atos 9: 10-16). Mais adiante o ministério é confirmado através do mesmo
processo (Ver Atos 13:1-3).

Posteriormente, baseado em sua própria experiência, reconhecendo o poder existente na


imposição de mãos, Paulo teve seu ministério acompanhado de sinais e prodígios realizados da
mesma forma (Ver Atos 14:3).

“Andarão dois juntos, se não houver entre eles acordo?” (Amós 3:3)

2Tm 1:6 Por cujo motivo te lembro que despertes o dom de Deus que existe em ti pela
imposição das minhas mãos.