Você está na página 1de 1

Oh rama, oh que linda rama (Popular) A Roda dos Alimentos Para ti Maria (Xutos & Pontapés)

I Da roda dos alimentos, I IV I IV I V


Oh rama, oh que linda rama, De tudo devo comer, De Bragança a Lisboa são 9 horas de distância
IV I E antes das refeições, queria ter um avião p'ra lá ir mais amiúde
Oh rama da oliveira! A água eu vou beber. dei cabo da tolerância Rebentei com uns três radares
V só para te ter mais perto só para tu te dares
O meu par é o mais lindo Eu como frutos maduros,
I Leite, leite, carne peixe e pão, Refrão:
Que anda aqui na roda inteira. Como bem, não como muito,
Vario Alimentação" IV I
Que anda aqui na roda inteira, E saio agora e vou correndo
Aqui e em qualquer lugar. Eu gosto muito de legumes, I I
Oh rama, oh que linda rama, Arroz, massa e feijão, e vou-me embora e vou correndo
Oh rama do olival! Gorduras e o açúcar, IV I V
Não abuso isso não. .....já não demora e vou correndo p'ra ti
I IV I IV .I .V
Eu gosto muito de ouvir Hidratos de carbono Maria
Cantar a quem aprendeu. Eu preciso de comer, Tudo para Ti
Se houvera quem m'ensinara, Para ter muita força, Maria
Quem aprendia era eu! Para brincar e aprender.
Outra vez vim de Lisboa num comboio azarado
Não m'invejo de quem tem Uma boa alimentação nem máquina tinha ainda e já estava atrasado
Parelhas, éguas e montes; Faz muito bem ao coração. dei comigo agarrado ao ponteiro mais pequeno
Só m'invejo de quem bebe Tem cuidado com o sal, e tu de certeza à espera rebolando-te no feno
A água em todas as fontes. Em excesso faz-te mal
(Refrão)

Fui à fonte beber água, Seja de noite ou de dia trago sempre na lembrança
Encontrei um ramo verde; a cor da tua alegria o cheiro da tua trança
Quem o perdeu tinha amores, De Bragança a Lisboa são 9 horas de distância
Quem o achou tinha sede. queria ter um avião p'ra lá ir mais amiúde

Debaixo da oliveira (Refrão)


Não se pode namorar;
A folha é miudinha,
Deixa passar o luar.