Você está na página 1de 7

   

Home Cláudio Humberto

Política Justiça

Brasil e Regiões Exteriores

Dinheiro Opinião

Vídeos Imagens

Podcast Humor

Poder sem Pudor Poder em Números

Mulheres no Poder DP Recomenda

Empreendedorismo em Foco Especiais

JOSÉ ANTONIO SEVERO

Tucanos e petistas, abraçados na oposição

Aécio Neves e Gleisi Ho mann trocando afagos no plenário da Câmara?


Tucanos e petistas de mãos dadas? Cena inconcebível até hoje, mas que
daqui a dias será vista por todos. A única dúvida é qual dos dois partidos,
PSDB ou PT, terá maior protagonismo na oposição ao governo de Jair
Bolsonaro. A disputa já começou.

Embora alguns candidatos tucanos tenham declarado que votarão em Jair


Bolsonaro e convidando seus eleitores a fazem o mesmo. O cialmente, o
PSDB está na oposição, a julgar pelos posicionamentos de seus líderes,
como o presidente nacional, Geraldo Alckmin, o senador José Serra e, 
destacadamente, dentre outros, o emérito Fernando Henrique Cardoso.
 O PT nem se fala, pois será o antagonista nato do novo governo.

O quadro geopolítico que emerge das eleições  é claro: São Paulo perde o
comando da tropa, que pega a Via Dutra e segue para o Rio de Janeiro.
Apenas um esclarecimento: essa situação não sai dos Jardins para
aterrissar em Copacabana ou Ipanema/Leblon. O centro do poder
nacional estará em nos bairros de Deodoro e Grajaú, Zona Norte do Rio.

Esses subúrbios citados, que compõem a região mais populosa e


conservadora da antiga Guanabara, integram-se na macrorregião carioca
que se expressa com o bairro símbolo da Zona Norte do Rio, a Tijuca. Seu
líder histórico é o falecido Carlos Lacerda.

A futura aliança oposicionista ainda não foi tecida. Está sendo


mencionada em encontros furtivos nos restaurantes da rua Haddock
Lobo, em São Paulo, onde as lideranças tucanas e petistas relaxam nas
suas horas de folga. Ainda não chegou à Vila Madalena, onde estão os
lulistas empedernidos, que se arrepiam só de ouvir falar na ave do bico
comprido. Entretanto, são disciplinados. Logo-logo estarão na linha de
frente. Últimas Notícias

Bolsonaro
Esse realinhamento já pode ser observado em Minas Gerais, reduto do
representa a
tucanato moderado e do petismo exível: O governador Fernando vitória contra o
velho jeito de
Pimentel já mandou seus seguidores fecharem com o candidato Antônio fazer política
Anastasia, do PSDB. Minas, como sempre, desde os tempos do café com
Presidente eleito
leite, dá lições de política aos paulistas.  Pouco adianta, mas abre a porta articula ampla e
que estava com dobradiças enferrujadas, dando passagem para antigos confortável
maioria no
encontros. Congresso
Nacional
Com isto também começa a recomposição da vertente de centro-
Renan Filho
esquerda gestada em São Paulo ainda nos meados dos anos 1960, que deseja que
deu origem aos partidos da Aliança Liberal, que enterrou a ditadura Bolsonaro siga a
democracia e
militar em 1984. paci que o Brasil

Essa frente rompeu-se a partir de 1980 com a defecção do PT das leiras Trump telefona a
Bolsonaro e o
do antigo MDB, depois outra vez cindido com a dissidência dos tucanos. cumprimenta
Esses três formavam o núcleo desse sistema de forças que era também pela vitória deste
domingo
integrado pelos comunistas, brizolistas (no Rio e RGS) e outras facções
menores. Agora pode se juntar de novo para enfrentar a direita real. Presidente do
Senado
parabeniza
Naqueles anos de chumbo, a base de resistência ao regime militar vinha Bolsonaro e
do antigo MDB, organizado e liderado pelos deputados paulistas Ulisses conclama à
reconciliação
Guimarães e André Franco Montoro, com apoio do empresariado liberal. nacional


Nesse tempo constituiu-se o famoso Grupo dos Oito, que fez uma
dissidência empresarial que tomou o poder na Fiesp, elegendo Luiz Eulálio
de Bueno Vidigal, liderada por Antônio Ermírio de Morais, Severo Gomes,
Claudio Bardella e alguns apoios expressivos em outros estados, como
Jorge Gerdau Johannpeter e Paulo Velhinho, no Rio Grande do Sul.

Essa frente de empresários e políticos da oposição, já nos anos 1970


recebeu a adesão de novas lideranças poderosas vindas da esquerda,
como do acadêmico Fernando Henrique Cardoso e do sindicalista Luiz
Inácio Lula da Silva.

Essa vertente paulista foi agora derrotada nas urnas neste primeiro turno Opinião

de 2018, pela reação vertiginosa das classes médias conservadoras, DANTE COELHO DE
LIMA
capitaneadas pelo líder das pesquisas, Jair Bolsonaro. A se con rmarem Notas amnióticas
os resultados destas enquetes, tucanos e petistas uma vez mais estarão
MIGUEL GUSTAVO DE
na mesma vala. Tudo como dantes, no quartel de Abrantes.
PAIVA TORRES
Para todos:
José Antonio Severo é jornalista. Foi editor executivo da revista Exame, editor e diretor da Gazeta Mercantil,
editor chefe do Jornal da Globo e diretor geral de Jornalismo da Rede Bandeirantes. É autor, dentre outros, dos
negritude,
livros “Os Senhores da Guerra” (L&PM Editores) e “Cem Anos de Guerra no Continente Americano” (Editora minorias e a nova
Record).  civilização
brasileira

Comentários MARLI GONÇALVES


Em seu nome,
Brasil

Mais Notícias JOSÉ ANTONIO


SEVERO
Tucanos e
petistas,
abraçados na
oposição

ALMIR PAZZIANOTTO
PINTO
Bolsonaro x
Haddad

MIGUEL LUCENA
Fascistas de
esquerda

IPOJUCA PONTES
A democracia da
mídia amestrada

PERCIVAL PUGGINA
Quem necessita
do PT?


DANTE COELHO DE LIMA
Notas amnióticas

MIGUEL GUSTAVO DE PAIVA TORRES


Para todos: negritude, minorias e a nova civilização brasileira


MARLI GONÇALVES
Em seu nome, Brasil

ALMIR PAZZIANOTTO PINTO


Bolsonaro x Haddad

MIGUEL LUCENA
Fascistas de esquerda

IPOJUCA PONTES
A democracia da mídia amestrada


EDITORIAS

Cláudio Humberto

Política

Opinião

Justiça

Brasil e Regiões

Dinheiro

Exteriores

Mulheres no Poder

SEÇÕES

Vídeos

Imagens

Podcast

Humor

Poder sem Pudor

Poder em Números

Especiais

DP Recomenda

DIÁRIO DO PODER

Sobre o DP

Princípios Editoriais

Equipe

Trabalhe no DP

Anuncie

Contato

Politica de Privacidade