Você está na página 1de 2

Diário Erótico

Fim de Semana Diferente

Enviado por casal meireles

O que vou contar aconteceu há cerca de um ano e foi uma das melhores experiências que tive até hoje e que

certamente irei guardar na memória durante muitos anos. Tenho 27 anos, sou casada há dois anos mas com uma relação de 5 anos e gosto muito do meu marido e somos bastante felizes, nunca me passando pela cabeça traí-lo. Sou uma mulher vistosa, não sou um modelo mas sempre atrai e continuo a atrair o olhar dos homens. Tenho 1,59m, peso 52 kg, olhos verdes, peito 34 muito redondinho. Pois bem, o que vou contar aconteceu há um ano atrás.

O meu marido tinha ido fazer uma formação de duas semanas a Estocolmo e como tinha algum medo de estar sozinha e

também não me apetecia fui passar o fim de semana a casa de uma amiga, a tina. A Tina tem a mesma idade que eu,

é mais alta que eu, magra, bem feita, e durante a faculdade ganhou dinheiro como modelo fotográfica o que diz da sua

beleza. Actualmente vivia com o Filipe, um modelo fotográfico 3 anos mais novo que ela, lindo e com um corpo de morrer Cheguei a casa dela na sexta feira para o jantar e a noite foi muito boa, jantamos, vimos TV, conversamos e por volta da meia noite fomo-nos deitar.

Estava um bocado nervosa por estar fora de minha casa e como tal não adormeci logo o que fez com que escutasse os barulhos vindos do quarto da Tina e do Filipe, barulhos que indicavam que faziam amor com paixão e de forma barulhenta. Os barulhos continuaram durante muito tempo o que me estava a deixar excitada e não resisiti e levantei-me para ver se conseguia ver alguma coisa. A medo, cheia de vergonha, mas também muito excitada aproximei-me lentamente da porta e por uma fresta da porta vi no espelho o reflexo dos dois. Fiquei ali especada e fascinada, pois nunca tinha visto nada assim. A tina montava o Filipe com movimentos muito lentos mas longos deixando ver um pénis muito grosso e comprido e para minha surpresa o pénis estava enterrado no seu rabo. Estiveram nisto muito tempo até que o Filipe anuncio o orgasmo e saindo de cima dele a Tina deixou-o vir-se em cima de si, no peito e na cara e por fim colocou aquele belo pau na boca só o largando quando este ficou flácido e totalmente limpo.

Eu estava hipnotizada com o que tinha visto, o mais belo pénis que alguma vez vira, também só conhecia o do meu marido e o que eles faziam e que para mim era tudo novidade pois o sexo com o marido era pouco mais que o básico. Dei por mim a masturbar-me, e a gemer baixinho o que fez a tina olhar para a porta e sorrir. Fugi para o meu quarto e

tentei adormecer, mas foi difícil pois os dois ainda fizeram amor mais uma vez fazendo questão de fazer muito barulho. No sábado acordei tarde e quando cheguei À cozinha estava a tina a preparar o almoço. Cumprimentou-me disse-me que

o Filipe tinha ido trabalhar e que só voltava ao jantar. Almoçamos, fomos às compras e regressamos ao final da Tarde.

Falamos muito e ela perguntou-me se a tinha visto com o Filipe, ao que muito embaraçada respondi que sim, perguntou se tinha gostado e mais uma vez, muito vermelha disse que sim e depois disse que nunca tinha visto um pènis tão

grande e que nunca tinha feito nada daquelas coisas.

Ela sorriu mas depois colocou um ar muito sério e disse que eu tinha uma vida sexual muito aborrecida. Não voltamos a falar do assunto, jantamos e depois fomos para a sala ver tv, ouvir musica, conversar. A tina abraçada ao Filipe a fazer- lhe festas. Subitamente disse ao Filipe que eu gostava muito do seu pénis e se ele mo mostrava. Fiquei muito vermelha e sem palavras, só me apetecia matá-la e fugir dali. Não me recordo bem como as coisas se processaram a seguir, mas sei que quando voltei a mim o Filipe estava nu e eu tinha o seu pénis na mão. Não conseguia apertá-lo todo na minha mão e com as duas mão ainda sobrava um bocado. Tinha um glande muito rosada, luzidia, e respondendo a um instinto passei a língua na pontinha sentindo a textura e o seu sabor. Era bom, rugoso com um sabor adocicado.

Encorajada pela Tina coloquei toda a sua glande na boca quase me engasgando com o tamanho. A tina veio em meu auxilio e começou a massajar as sua bolas, trocamos e a Tina conseguiu colocar metade em sua boca. Encorajou-me a tentar fazer o mesmo. Fui tentando,e quando me apercebi a Tina estava toda nua ao meu lado e começava a despir-me. Deixei-a fazê-lo. Já nada me importava, a excitação estava a tomar conta de mim, tinha deixado de pensar, só agia. Continuei a mamar o pau do Filipe quando sinto uma língua na minha xana que por esta altura ardia e pingava como uma nascente. Ela sabia o que fazia, nunca o meu marido me tinha lambido assim e foi sem surpresa que atingi rapidamente o orgasmo. A tina partilhou os meus sucos com o Filipe que lambia a sua língua e boca com gosto dizendo que eu sabia bem, que queria beber directamente da fonte. O que fez colocando a cabeça entre as minhas pernas. Também a sua língua sabia o que fazia, não era tão boa como a Tina mas não deixava de me dar muito prazer.

Concentrada nisto sinto as Mamas da tina na minha boca e abocanhei-as, fazendo-a gemer. Movendo-se em cima de colocou-se de forma a que a sua rata ficasse ao nível da minha boca convidando-me a lambê-la, sentir os seus sucos. Nem queria acreditar mas estendi a língua e pela primeira vez senti o gosto de uma mulher. Era bom, parecido com o dos homens mas menos espesso. Sem saber devo ter feito bem porque senti-a contrair-se com um orgasmo vindo-se na minha boca deixando-me toda molhada e peganhenta. O Filipe entretanto lambia-me o rabo e penetrava-me com os dedos o que me fez atingir o meu próprio orgasmo, o segundo da noite e ainda nem sequer tinha sido penetrada. Mais uma vez os dois partilharam os meus sucos e o Filipe preparou-se para me penetrar. Retraí-me um pouco com medo pois o seu pénis era muito maior que o do meu marido e estava com medo, mas todo o meu corpo pedia e fazendo um esforço para descontrair aceitei a sua penetração que foi muito carinhosa e depois de me ter acostumado com o seu

http://diarioerotico.net

Produzido em Joomla!

Criado em: 12 September, 2009, 19:07

Diário Erótico

tamanho iniciou os movimentos de entra e sai.

Em pouco tempo atingi o terceiro e o quarto orgasmo estava a ficar cansada e sem força mas a Tina ainda tinha mais uma surpresa para mim e lambendo-me o clitóris ao ritmo das estocadas do Filipe fez-me vir uma quinta vez, tendo ficado desfalecida no sofá, meio em transe sem força para nada vendo de forma enevoada o Filipe a comer a Tina. Aquele homem parecia incansável mas lá anunciou o seu orgasmo que foi totalmente recolhido pela boca da tina. Eu não acreditava aquilo parecia nojento, engolir o esperma de um homem. Piscou-me o olho, sorrio e veio ter comigo para me beijar. Aceitei o seu beijo e fui surpreendida por um liquido viscoso e quente e entrar na minha boca. ERA o Esperma do Filipe que ela fazia questão que eu provasse e engolisse. A nojo, mas sem solução fui obrigada a fazê-lo e reconheço que não foi mau. O Filipe entretanto continuava erecto como se nada tivesse acontecido e fazendo-me sinal voltou a fazer amor cmg. Durante muito tempo fez amor comigo e com a Tina em várias posições parecendo incansável e para meu espanto comeu o rabo da tina vindo-se lá dentro e quando saiu deixou um buraco muito grande que se fechava lentamente. Não sei porquê mas aquilo deixou-me muito excitada e com vontade de experimentar. Nunca tinha feito sexo anal na vida e só a ideia me assustava então sexo anal com aquele monstro deixava-me em pânico, mas estava muito excitada e com vontade de experimentar e fi-lo saber aos dois.

O Filipe que já demonstrava algum cansaço perante a ideia de disvirginar o meu rabo recuperou o entusiasmo. Colocaram-me de quatro e à vez lamberam-me bem o rabo, abrindo o olhinho com a língua e os dedos, deixando-o bem lubrificada. Eu estava a adorar aquela estimulação anal e quando senti a proximidade da cabeça do seu pénis mordi os lábios e fazendo um esforço para relaxar aceitei a sua penetração sem um gemido apesar da dor. Mais uma vez foi muito muito carinhoso mas nem por isso deixou de me ir penetrando até só as bolas estarem de fora. Eu sentia-me cheia, com vontade de ir à casa de banho, a dor gradualmente ia dando lugar a outra sensação, um calor nas entranhas que se foi espalhando e aumentando de intensidade até que sentindo o calor do seu esperma rebentou num orgasmo brutal que me deixou a tremer, exausta mas satisfeita.

Nessa noite dormimos os 3 juntos e no Domingo quando acordei mal conseguia andar. Agradeci-lhes o fim de semana maravilhoso que me tinham proporcionado e fui para casa esperar o meu marido.