Você está na página 1de 5

COLÉGIO PADRÃO JUVENIL

SÉRIE NOME: __________________________________________________Nº _____ Valor da


Prova:
Professor (a):Amanda Luzia da Silva Data: ____/ 10 /2016 10,0
AVALIAÇÃO MENSAL DE PORTUGUÊS – 4º BIMESTRE
Observações Gerais Valor
* Leia atentamente o comando das questões antes de respondê-las.
* Em questão objetiva não será aceito rasura e deverá ser respondida a caneta azul ou preta. obtido:
* Responda às questões subjetivas de forma completa, para obter a totalidade dos pontos.
* Erros gramaticais serão descontados na avaliação (0,1 ponto) por cada erro.
* Ao terminar a prova, releia com atenção tudo o que você respondeu. _____
* Não faça a utilização de nenhum tipo de corretivo.

Texto I

LER, ESCREVER E FAZER CONTA DE CABEÇA

A professora gostava de vestido branco, como os anjos de maio. Carregava sempre um lenço dobrado
dentro do livro de chamada ou preso no cinto, para limpar as mãos, depois de escrever no quadro-negro.
Paninho bordado com flores, pássaros, borboletas. Ela passava o exercício e, de mesa em mesa, ia
corrigindo. Um cheiro de limpeza coloria o ar quando ela passava. Sua letra, como era bem desenhada,
amarradinha uma na outra!.
(...)
Ninguém tinha maior paciência, melhor sabedoria, mais encanto. E todos gostavam de aprender
primeiro, para fazê-la feliz. Eu, como já sabia ler um pouco, fingia não saber e aprendia outra vez. Na hora
da chamada, o silêncio ficava mais vazio e o coração quase parado, esperando a vez de responder
“presente”. Cada um se levantava, em ordem alfabética e, com voz alta, clara, vaidosa, marcava sua
presença e recebia uma bolinha azul na frente do nome. Ela chamava o nome por completo, com o pedaço
da mãe e o pedaço do pai. Queria ter mais nome, pra ela me chamar por mais tempo.
O giz, em sua mão, mais parecia um pedaço de varinha mágica de fada, explicando os mistérios. E,
se economizava o quadro, para caber todo o ponto, nós também aproveitávamos bem as margens do
caderno, escrevendo nas beiradinhas das folhas. Não acertando os deveres, Dona Maria elogiava a letra, o
raciocínio, o capricho, o aproveitamento do caderno. A gente era educado para saber ser com orgulho.
Assim, a nota baixa não trazia tanta tristeza.
(...)
Nas aulas de poesia, Dona Maria caprichava. Abria o caderno, e não só lia os poemas, mas escrevia
fundo em nossos pensamentos as idéias mais eternas. Ninguém suspirava, com medo da poesia ir embora:
Olavo Bilac, Gabriela Mistral, Alvarenga Peixoto e “Toc, toc, tamanquinhos”. Outras vezes declamava
poemas de um poeta chamado Anônimo. Ele escrevia sobre tudo, mas a professora não falava de onde vinha
nem onde tinha nascido. E a poesia ficava mais
indecifrável.” QUEIRÓS, Bartolomeu Campos de. Ler,
escrever e fazer conta de cabeça. São Paulo: Global, 2004. pp. 34-35.

01 (1,0)
Pelo texto é possível inferir que o narrador:
/ /2016 AVALIAÇÃO MENSAL I – LÍNGUA PORTUGUESA 6º ANO 1
a) Se interessava mais pela professora, seu modo de se vestir e escrever no quadro, do que pela aula em si.
b) Tinha uma profunda admiração pela professora e se esforçava em aprender, também, para agradá-la.
c) Não se interessava pelas aulas que não fossem de poesia.
d) Era o melhor aluno da classe.
02 (1,0)
Assinale o trecho em que o autor usa o recurso da comparação para descrever poeticamente a forma como
ele via o gosto da professora se vestir:
a) ( ) Carregava sempre um lenço dobrado dentro do livro de chamada ou preso no cinto, para limpar as
mãos, depois de escrever no quadro-negro.
b) ( ) Paninho bordado com flores, pássaros, borboletas.
c) ( ) A professora gostava de vestido branco, como os anjos de maio.
d) ( ) O giz, em sua mão, mais parecia um pedaço de varinha mágica de fada, explicando os mistérios.
03 (1,0)
Identifique o modo, número, pessoa e conjugação dos verbos presentes nas orações abaixo:
a) Moramos no planeta terra.
_______________________________________________________________________________________
b) Juliano corria muito nas competições escolares.
_______________________________________________________________________________________
c) Os alunos estudaram muito para a prova.
______________________________________________________________________________________
d) Tu jogaste bem hoje.
_______________________________________________________________________________________
e) Vós não sabeis que este produto é tóxico?
_______________________________________________________________________________________
f) Fomos bem recebidos na primeira aula deste ano.
_______________________________________________________________________________________
g) Marcelino Carioca chutava muito bem as cobranças de faltas.
_______________________________________________________________________________________

04 (1,0)
Complete as frases de acordo com os verbos entre parênteses e os tempos pedidos.

a) Preciso passar no vestibular, por isso......................muito. (estudar - futuro do presente do indicativo).


b) .......................boas lembranças da minha infância. (ter - presente do indicativo).
c) Marcela e Bruna.....................ao cinema ontem. (ir - pretérito perfeito do indicativo).
d) Nesta vida.....................o que plantamos. (colher - presente do indicativo).
e) Pedro...................futebol muito bem se tiver oportunidade. (jogar - futuro do presente do indicativo).
f) Os homens....................viola durante a serenata. (tocar - futuro do presente do indicativo).
g) O aluno.......................um prêmio ao final do semestre. (ganhar - futuro do presente do indicativo).
h) A menina..........................alto durante as aulas. (falar - pretérito imperfeito do indicativo)

/ /2016 AVALIAÇÃO MENSAL I – LÍNGUA PORTUGUESA 6º ANO 2


Texto II

NÃO DESPERTEMOS OS LEITORES

Os leitores são, por natureza, dorminhocos. Gostam de ler dormindo. Autor que os queira conservar
não deve ministrar-lhes o mínimo susto. Apenas as eternas frases feitas. "A vida é um fardo" - isto, por
exemplo, pode-se repetir sempre. E acrescentar impunemente: "disse Bias". Bias não faz mal a ninguém,
como aliás os outros seis sábios da Grécia, pois todos os sete, como há vinte séculos já se queixava Plutarco,
eram uns verdadeiros chatos. Isto para ele, Plutarco. Mas, para o grego comum da época, deviam ser a
delícia e a tábua de salvação das conversas. Pois não é mesmo tão bom falar e pensar sem esforço?

O lugar-comum é a base da sociedade, a sua política, a sua filosofia, a segurança das instituições.
Ninguém é levado a sério com ideias originais. Já não é a primeira vez, por exemplo, que um figurão
qualquer declara em entrevista:

"O Brasil não fugirá ao seu destino histórico!"

O êxito da tirada, a julgar pelo destaque que lhe dá a imprensa, é sempre infalível, embora o leitor
semidesperto possa desconfiar que isso não quer dizer coisa alguma, pois nada foge mesmo ao seu destino
histórico, seja um Império que desaba ou uma barata esmagada.

(QUINTANA, Mário. Prosa & Verso. 6. ed. São Paulo: Globo, 1989, p. 87)

05 (1,0)
Explique resumidamente do que se trata o texto “Não despertemos os Leitores”

___________________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________________

06 (1,0)
Leia o trecho extraído do texto e informe o que se pede.

A CAUSA DA CHUVA
(MILLOR FERNANDES, Fábulas Fabulosas)

Não chovia há muitos e muitos meses, de modo que os animais ficaram inquietos. Uns diziam que ia chover
logo, outros diziam que ainda ia demorar. Mas não chegavam a uma conclusão.
– Chove só quando a água cai do teto do meu galinheiro, esclareceu a galinha.
– Ora, que bobagem! disse o sapo de dentro da lagoa. Chove quando a água da lagoa começa a borbulhar suas
gotinhas.
– Como assim? disse a lebre. Está visto que chove quando as folhas das árvores começam a deixar cair as
gotas d’água que tem dentro.
Nesse momento começou a chover.
- Viram? gritou a galinha. O teto do meu galinheiro está pingando. Isso é chuva!
– Ora, não vê que a chuva é a água da lagoa borbulhando? disse o sapo.

/ /2016 AVALIAÇÃO MENSAL I – LÍNGUA PORTUGUESA 6º ANO 3


– Mas, como assim? tornava a lebre. Parecem cegos? Não vêem que a água cai das folhas das árvores?

a) Transcreva do trecho verbos da 1ª, 2ª e 3ª conjugações. ( Um de cada)


___________________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________________

b) Copie três pronomes diferentes e classifique-os.


___________________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________________

c) Retire um verbo no singular, terceira pessoa e um verbo no plural terceira pessoa.


____________________________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________________________________

07 (1,0)
No quadro abaixo, são apresentados verbos retirados do texto. De acordo com seus conhecimentos,
complete-o adequadamente.

Verbos Tempo Modo Pessoa Número Terminação conjugação


Tornava
Pediu
Bebessem
Comece

08 (1,0)
Conjugue os verbos abaixo nos tempos do indicativo.

Cantar

Presente Pretérito perfeito Pretérito imperfeito


Eu:____________________________________________________________________________________
Tu:____________________________________________________________________________________
Ele:___________________________________________________________________________________
Nós:___________________________________________________________________________________
Vós:___________________________________________________________________________________
Eles:_______________________________________________________________________________________________________________

Morder
Presente Pretérito perfeito Pretérito imperfeito

Eu:____________________________________________________________________________________
Tu:____________________________________________________________________________________
Ele:___________________________________________________________________________________
Nós:___________________________________________________________________________________
Vós:___________________________________________________________________________________
Eles:_______________________________________________________________________________________________________________

/ /2016 AVALIAÇÃO MENSAL I – LÍNGUA PORTUGUESA 6º ANO 4


Pedir
Presente Pretérito perfeito Pretérito imperfeito

Eu:____________________________________________________________________________________
Tu:____________________________________________________________________________________
Ele:___________________________________________________________________________________
Nós:___________________________________________________________________________________
Vós:___________________________________________________________________________________
Eles:_______________________________________________________________________________________________________________

09 (1,0)
Assinale a única opção correta de acordo com o texto:
1. Percebe-se claramente que a causa principal da inquietação dos animais era:
a.( ) a chuva que caía b.( ) a falta de chuva c.( ) as discussões sobre animais
d.( ) a conclusão a que chegaram

10 (0,5)

Nas orações abaixo separe o sujeito e predicado e classifique os sujeitos em simples, composto, oculto ou
indeterminado.

a) Eu acredito em você e não confio em boatos.


b) A moça não resistiu ao beijo do namorado.
c) Sem dúvida, este jovem gosta de música.
d) Não duvides das verdades divinas
e) Esse garoto desconfia das pessoas .

”Quando você quer alguma coisa, todo o universo conspira para que você realize o seu
desejo”
Paulo Coelho

Lembre-se, leia a prova com atenção e


só depois responda.
Boa prova! Professora Amanda.

/ /2016 AVALIAÇÃO MENSAL I – LÍNGUA PORTUGUESA 6º ANO 5