Você está na página 1de 2

NOME DA DISCIPLINA DOCENTE: Dra.

Luísa Benvinda Álvares


CURSO DE ASSESSORIA E TRADUÇÃO / ANO LETIVO 2016-17
ALUNO: Gonçalo Manuel Tallone Flecha (Nº xxxxxxxxxx)

1.1- No excerto em causa podem ser observados os três códigos comunicativos abordados no
decurso das aulas. Em primeiro lugar, o código primário, isto é, a comunicação por via oral
observa-se na interação das seguintes personagens: Flora com Stewart, Stewart com um dos
trabalhadores, Stewart com Flora, Stewart para Ada. Estas interações desenvolvem-se em duas
línguas naturais diferentes, dado que, para além do Inglês, um dos emissores utiliza o Francês.
O código secundário, ou seja, a comunicação por via escrita é utilizada em apenas uma
instância, nomeadamente as duas notas que Ada escreve para a filha as entregar ao seu
marido, Stewart. Finalmente quanto ao código terciário, ele é empregue unicamente por Ada
e, dado ser compreensível unicamente por Flora, esta o traduz para a língua natural,
funcionando assim a menina como uma ponte de comunicação entre Ada e as restantes
personagens. Ainda em relação ao terceiro código, trata-se de linguagem não verbal
(contrariamente aos dois anteriores), nomeadamente a língua gestual inglesa.

1.2- São diversas as competências comunicativas das duas personagens assinaladas.


Relativamente a Stewart, observa-se, no diálogo inicial com Ada, a competência linguística (a
qual pode ser subdividida em competência fonológica, competência sintática e competência
semântica), pois recorre ao uso da linguagem natural para fala com a sua mulher, bem como a
competência cinética — quando Ada insiste em levar o piano, podemos verificar através das
manifestações corporais de Stewart que ele começa a se sentir irritado com a insistência da
mulher. Além disso, podemos verificar que Stewart utiliza a competência proxémica (antes do
diálogo com a sua mulher e na breve conversa que realiza com um dos seus trabalhadores), ao
mudar a distância interpessoal para poder dialogar de forma mais privada com o seu
trabalhador. Por outro lado, a competência linguística de Flora fica patente nos seguintes
exemplos: quando esta traduz a linguagem gestual da mãe para Stewart e quando traduz a
linguagem gestual da mãe para o trabalhador, no momento em que ambas lhe pedem para
lhes indicar o caminho até ao sitio onde o piano foi deixado.

1.3- Primordialmente, encontra-se no excerto a linguagem interpessoal, ou seja, a


comunicação entre dois indivíduos. Podem ser assinalados múltiplos exemplos durante estas
breves cenas do filme, como por exemplo, quando Stewart e o seu trabalhador dialogam no
ínicio do excerto, quando Ada e Stewart falam sobre deixar ficar o piano na praia e quando
Ada vai pedir ao trabalhador (com quem Stewart dialoga inicialmente) para lhe indicar o
caminho até ao local onde o piano foi deixado. Coloca-se, então, a questão de se esta
comunicação interpessoal é mediada ou direta. Considero que sejam ambas nos diálogos que
envolvem Ada, pois ela não é surda, logo consegue compreender tudo aquilo que lhe é dito,
sendo portanto capaz de ser o recetor de uma comunicação direta. Porém, ao não conseguir
falar numa linguagem que seja compreensível às restantes personagens, com a exceção da sua
filha, deve recorrer à mediação desta para se comunicar com os outros. Sendo assim, a filha,
como já foi referido na resposta à primeira pergunta, funciona como uma ponte para a
comunicação entre Ada (enquanto emissor) e Stewart e restantes personagens (enquanto
recetores). Contudo, apesar da mediação de Flora para tornar percetíveis as emissões de Ada,
considero estarmos perante um caso de comunicação interpessoal direta, dada a comunicação
não mediada ser predominante no fragmento do filme analisado.