Você está na página 1de 42

DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MINAS GERAIS

Belo Horizonte, Ano 2013, Número 058 Disponibilização: quarta-feira, 3 de abril de 2013
Publicação: quinta-feira, 4 de abril de 2013

Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais

Desembargador ANTÔNIO CARLOS CRUVINEL


Presidente

Desembargador WANDER PAULO MAROTTA MOREIRA


Vice-Presidente e Corregedor

ELIZABETH REZENDE BARRA


Diretora-Geral

Gabinete da Diretoria-Geral

Edição e Publicação

Fone/Fax: (31) 3307-1157 / 3307-1158


dgst@tre-mg.jus.br

Sumário
PRESIDÊNCIA .......................................................................................................................................................................................................... 2
ATOS DA PRESIDÊNCIA...................................................................................................................................................................................... 2
PORTARIA......................................................................................................................................................................................................... 2
CORREGEDORIA REGIONAL ELEITORAL ............................................................................................................................................................ 2
ATOS DA CORREGEDORIA ................................................................................................................................................................................ 2
DESPACHO ....................................................................................................................................................................................................... 2
PORTARIA......................................................................................................................................................................................................... 3
DIRETORIA-GERAL ................................................................................................................................................................................................. 4
ATOS DA DIRETORIA GERAL ............................................................................................................................................................................. 4
PORTARIA......................................................................................................................................................................................................... 4
SECRETARIA JUDICIÁRIA................................................................................................................................................................................... 4
COS - SEÇÃO DE REVISÃO E PUBLICAÇÃO DE ACÓRDÃOS ..................................................................................................................... 4
CRI - SEÇÃO DE CONT. DE FEITOS E ATOS PROCESSUAIS...................................................................................................................... 9
CRI - SEÇÃO DE AUTUAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO PROCESSOS .................................................................................................................. 15
CRP - SEÇÃO DE GERENCIAMENTO DE DADOS PARTIDÁRIOS.............................................................................................................. 17
COS - SEÇÃO DE APANHAM. E COMPOS. DE NOTAS TAQUIG. ............................................................................................................... 17
SECRETARIA DE ORÇAMENTO E FINANÇAS................................................................................................................................................. 17
ATOS DA SECRETARIA ................................................................................................................................................................................. 17
ZONAS ELEITORAIS.............................................................................................................................................................................................. 19
26ª ZONA ELEITORAL........................................................................................................................................................................................ 19
ATOS JUDICIAIS ............................................................................................................................................................................................. 19
EDITAL............................................................................................................................................................................................................. 20
29ª ZONA ELEITORAL........................................................................................................................................................................................ 25
ATOS JUDICIAIS ............................................................................................................................................................................................. 25
30ª ZONA ELEITORAL........................................................................................................................................................................................ 25
EDITAL............................................................................................................................................................................................................. 25
33ª ZONA ELEITORAL........................................................................................................................................................................................ 26
ATOS JUDICIAIS ............................................................................................................................................................................................. 26
EDITAL............................................................................................................................................................................................................. 26
35ª ZONA ELEITORAL........................................................................................................................................................................................ 27
EDITAL............................................................................................................................................................................................................. 27
36ª ZONA ELEITORAL........................................................................................................................................................................................ 27
ATOS JUDICIAIS ............................................................................................................................................................................................. 27
38ª ZONA ELEITORAL........................................................................................................................................................................................ 32

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 2
EDITAL............................................................................................................................................................................................................. 32
331ª ZONA ELEITORAL...................................................................................................................................................................................... 33
ATOS JUDICIAIS ............................................................................................................................................................................................. 33
EDITAL............................................................................................................................................................................................................. 35
333ª ZONA ELEITORAL...................................................................................................................................................................................... 37
EDITAL............................................................................................................................................................................................................. 37
071ª ZONA ELEITORAL DE CARATINGA.......................................................................................................................................................... 37
ATOS JUDICIAIS ............................................................................................................................................................................................. 37
090ª ZONA ELEITORAL DE CONTAGEM.......................................................................................................................................................... 38
ATOS JUDICIAIS ............................................................................................................................................................................................. 38
141ª ZONA ELEITORAL DE ITUIUTABA............................................................................................................................................................ 38
ATOS JUDICIAIS ............................................................................................................................................................................................. 38
220ª ZONA ELEITORAL DE PIUMHI .................................................................................................................................................................. 38
ATOS JUDICIAIS ............................................................................................................................................................................................. 38
318ª ZONA ELEITORAL DE GOVERNADOR VALADARES .............................................................................................................................. 41
ATOS JUDICIAIS ............................................................................................................................................................................................. 41
PROCURADORIA REGIONAL ELEITORAL .......................................................................................................................................................... 42

PRESIDÊNCIA

ATOS DA PRESIDÊNCIA

PORTARIA

Portarias assinadas em 01/04/2013

O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MINAS GERAIS, no uso de suas atribuições, nos termos da
Resolução nº 866/2011/TRE-MG, e tendo em vista o que foi decidido nos autos do Procedimento Administrativo nº 1301651/2013,

Portaria nº 39/2013
DISPENSANDO, a pedido, HÉRCULES GOMES JÚNIOR, Técnico Judiciário, Área Administrativa, Classe C, Padrão 15, do Quadro de
Pessoal deste Tribunal, da Função Comissionada, nível FC01, de Chefe na Região Eleitoral Noroeste, com sede em Paracatu, a partir de
4/4/2013, nos termos do PAD nº 6008186/2011.

Portaria nº 40/2013
DESIGNANDO ADRIANA APARECIDA DE OLIVEIRA, Servidora à disposição deste Tribunal, lotada na 203ª Zona Eleitoral – Paracatu - MG,
para exercer a Função Comissionada, nível FC-01, de Chefe na Região Eleitoral Noroeste (RENORO), com sede em Paracatu, a partir de
4/4/2013, nos termos do PAD nº 6008186/2011.

CORREGEDORIA REGIONAL ELEITORAL

ATOS DA CORREGEDORIA

DESPACHO

Designação de Juiz Eleitoral - suspeição na 22ª Zona Eleitoral

PAD n.º 1209535/2012


Zona Eleitoral de Barão de Cocais– 22ª
Assunto: Designação de Juiz Eleitoral -suspeição
Vistos etc,
Tendo em vista que o Dr. Wellington Reis Braz, MM. Juiz de Direito de Barão de Cocais e Eleitoral da 22ª Zona, declarou-se suspeito para
processar e julgar a AIME n. 1-93.2013, pelos motivos expostos no doc. PAD n. 036152/2013, esta Corregedoria, em ato do dia 28.2.2013,
designou o Juízo da 132ª Zona Eleitoral de Itabira para responder pelo referido feito.
No entanto, o Dr. Haroldo Pimenta, MM. Juiz de Direito de Itabira e Eleitoral da 132ª ZE, solicita a indicação de outro magistrado para atuar no
feito em razão dos motivos alegados no Ofício de 21.3.2013, doc. PAD n.065085/2012.
Diante do exposto designo o Juiz de Direito responsável pelo Juízo Eleitoral da 12ª ZE de Alvinópolis para atuar na AIME 1-93.2013 bem como
na Representação 976-52.2012.6.13.0022 e demais feitos correlatos em que constarem as mesmas partes em obediência à Resolução nº
803/09-TRE/MG combinada com a Resolução nº 22.197/06-TSE.
Lembro, por fim, que havendo necessidade de designar novo Juízo substituto, deverá o fato ser comunicado a esta Corregedoria para adoção
das providências cabíveis.
Publique-se.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 3
Comunique-se com urgência.
Em 02 de abril de 2013.
Des. Wander Marotta
Vice-Presidente e Corregedor Regional Eleitoral

Designa Juiz para a 55ª ZE de Cabo Verde

Processo n. 6003010/2011
Zona Eleitoral de Cabo Verde–55ª
Assunto: Designa MM. Juiz para exercer as funções eleitorais.
Vistos etc.,
Tendo em vista que o Tribunal de Justiça designou o Dr. Hélio Marcos Mioto, MM. Juiz de Direito da Comarca de Botelhos e Eleitoral da 49ª
ZE, para responder pela Comarca de Cabo Verde, a partir de 18.3.2013, ou do afastamento do atual titular/substituto designo-o para exercer as
funções eleitorais perante a 55ª ZE, até o provimento, nos termos da Resolução nº 21.009/2002/TSE, combinada com a Resolução nº 803/09-
TRE/MG.
Publique-se.
Comunique-se com urgência.
Em 21 de março de 2013.
Des. Wander Marotta
Vice-Presidente e Corregedor Regional Eleitoral

PORTARIA

Portaria substituilão assinada em 02/04/2013.

O VICE-PRESIDENTE E CORREGEDOR DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MINAS GERAIS, no uso de suas atribuições conferidas
pela Resolução nº 873/2011/TRE-MG, e nos termos da Resolução nº 803/2009/TRE-MG, alterada pela Resolução nº 836/2010/TRE-MG e pela
Resolução nº 905/2012/TRE-MG, assinou as seguintes portarias:

Portaria nº 335/2013
DESIGNANDO EUNICE MARIA DE MORAIS, servidora à disposição deste Tribunal, para substituir Viviane Lima Alves de Souza, ocupante da
Função Comissionada - FC-01, de Chefe de Cartório Eleitoral, na 254ª Zona Eleitoral, de São Gotardo – MG, no dia 01/04/2013, em virtude da
inexistência de servidor do Quadro de Pessoal deste Regional naquela Zona, nesse dia, nos termos do PAD nº 1202566/2012.

Portaria assinada em 02/04/2013

O VICE-PRESIDENTE E CORREGEDOR DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MINAS GERAIS, no uso de suas atribuições conferidas
pela Resolução nº 873/2011/TRE-MG, e nos termos da Resolução nº 803/2009/TRE-MG, alterada pela Resolução nº 905/2012/TRE-MG,
assinou as seguintes portarias:

Portaria nº 329/2013
DESIGNANDO RODRIGO ALMEIDA LEAL, matrícula 9121836, Analista Judiciário, Área Judiciária, Classe A, Padrão 5, do Quadro de
Pessoal deste Tribunal, para substituir Joel Antunes Ferreira, ocupante da Função Comissionada - FC-01, de Chefe de Cartório Eleitoral, na
94ª Zona Eleitoral, de Coração de Jesus - MG, durante seus afastamentos ou impedimentos legais, a partir de 7/3/2013, nos termos do PAD nº
1200076/2012.

Portarias assinadas em 02/04/2013

O VICE-PRESIDENTE E CORREGEDOR DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MINAS GERAIS, no uso de suas atribuições conferidas
pela Resolução nº 873/2011/TRE-MG, e nos termos da Resolução nº 803/2009/TRE-MG, alterada pela Resolução nº 905/2012/TRE-MG,
assinou as seguintes portarias:

Portaria nº 332/2013
DISPENSANDO VINÍCIUS BARROS MARTINS, servidor à disposição deste Tribunal, da Função Comissionada de Chefe de
Cartório Eleitoral, nível FC-01, na 97ª Zona Eleitoral, de Coronel Fabriciano – MG, a partir de 1º/3/2013, nos termos do PAD nº 1200084/2012.

Portaria nº 331/2013
DESIGNANDO MARIA DO ROSÁRIO SILVA, Técnico Judiciário, Área Administrativa, Classe C, Padrão 13, do Quadro de Pessoal deste
Tribunal, para exercer a Função Comissionada de Chefe de Cartório Eleitoral, nível FC-01, na 97ª Zona Eleitoral de Coronel Fabriciano – MG,
a partir de 1º de março de 2013, nos termos do PAD nº 1200084/2012.

Portaria nº 330/2013
DESIGNANDO BERNARDETE DE SOUSA COURA, Técnico Judiciário, Área Administrativa, Classe B, Padrão 6, do Quadro de Pessoal deste
Tribunal, para substituir Maria do Rosário Silva, ocupante da Função Comissionada - FC-01, de Chefe de Cartório Eleitoral, na 97ª Zona
Eleitoral, de Coronel Fabriciano - MG, durante seus afastamentos ou impedimentos legais, a partir de 1º/3/2013, nos termos do PAD nº
1200084/2012.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 4

DIRETORIA-GERAL

ATOS DA DIRETORIA GERAL

PORTARIA

NOMEAÇÃO DE COMISSÃO

PORTARIA Nº 337/2013

Nomeia Comissão para apuração de valor a ser indenizado à SETRA-BH e ao SINTRAM pelo transporte de urnas eletrônicas nas Eleições de
2012.

A DIRETORA-GERAL DA SECRETARIA DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE MINAS GERAIS, no uso de suas atribuições e nos
termos do art. 34, XVI, do Regulamento da Secretaria deste Tribunal, Resolução nº 570/98,

RESOLVE:

Art. 1º Ficam designados os servidores abaixo relacionados para, sob a presidência do primeiro, proceder à análise da
documentação apresentada pela SETRA-BH e pelo SINTRAN, pertinente às despesas de pessoal, encargos, alimentação e combustíveis,
decorrentes das requisições de ônibus com motoristas para transporte de urnas eletrônicas nas Eleições 2012, conforme consta do Processo
1209890/2012 (Cartórios Eleitorais da Capital), bem como Processo nº 1211127/2012 (Cartórios Eleitorais de Contagem), com vistas à
conferência dos comprovantes de custos com referidas despesas e apuração do valor a ser indenizado às empresas de transporte de
passageiros respectivas.

- Humberto Santana Santos (CCF/SOF)


- Cleomar de Paula Ferreira (SEFIN/CCF)
- Robson Gondin Leandro (SEFIN/CCF)
- Thiago Alexandre Harmônico (SECON/CCF)
- Cristina Batista Ribeiro (SECOP/CCF)
- Geraldo Márcio Reis (SAEOR/COR/SOF)
- Maria Isabel Baeta de Melo Cançado (SAEOR/COR)

Art. 2º Fica estabelecido o prazo de trinta dias para conclusão dos trabalhos.

Art. 3º Esta portaria entra em vigor na data da sua publicação.

Belo Horizonte, 26 de março de 2013.


ELIZABETH REZENDE BARRA
Diretora-Geral

Portarias de dispensa e designação de substituto

A Diretora-Geral do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, no uso de suas atribuições conferidas pela Portaria nº 133/2012, assinou as
seguintes portarias:

Portaria nº 332/2013
Dispensando LEILA VERÔNICA ALVES STEIN, Analista Judiciário, Área Administrativa, Classe A, Padrão 5, do Quadro de Pessoal deste
Tribunal, do encargo de substituto de Manoel Pereira Vargens, Função Comissionada – FC-06, na Seção de Urna Eletrônica e Logística, a
partir de 25/03/2013.

Portaria nº 333/2013
Designando ARÍZIO ALVES DAS NEVES, Técnico Judiciário, Área Apoio Especializado – Assistência à Microinformática, Classe C, Padrão 13,
para substituir Manoel Pereira Vargens, ocupante da Função Comissionada – FC-06, na Seção de Urna Eletrônica e Logística, durante seus
afastamentos e impedimentos legais, a partir de 25/03/2013.

SECRETARIA JUDICIÁRIA

COS - SEÇÃO DE REVISÃO E PUBLICAÇÃO DE ACÓRDÃOS

PUBLICAÇÃO DE ACÓRDÃOS

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 5
Recurso Eleitoral Nº 1029-55.2012.6.13.0241. 241ª ZONA ELEITORAL - SABARÁ Município: SABARÁ.
Recorrente(S): COLIGAÇÃO UNIDOS POR UM NOVO TEMPO
ADVOGADO(S): ELCIO FONSECA REIS - OAB: 63292/MG; CARLOS EDUARDO DE TOLEDO BLAKE - OAB: 76149/MG; CARLOS
HENRIQUE SALGE RECIFE - OAB: 63470/MG; EVARISTO FERREIRA FREIRE JÚNIOR - OAB: 86415/MG; BRUNO VOLPINI RAMOS -
OAB: 90422/MG; ENRIQUE FONSECA REIS - OAB: 90724/MG
Recorrido(S): WILLIAN LÚCIO GODDARD BORGES, Prefeito, candidato à reeleição; ARGEMIRO AFONSO RAMOS, Vice-Prefeito, candidato
à reeleição
ADVOGADO(S): MARIA PAULA TEIXEIRA GOMES - OAB: 59009/MG
Interessados: COLIGAÇÃO "UNIDOS POR UM NOVO TEMPO"
Assunto: AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL - ABUSO - DE PODER POLÍTICO / AUTORIDADE - AÇÃO JULGADA
IMPROCEDENTE
Relator: . Juiz Maurício Pinto Ferreira Revisor: .
ACÓRDÃO
Recurso Eleitoral nº 1029-55.2012.6.13.0241
241ª Zona Eleitoral, de Sabará
Recorrente: Coligação "Unidos Por Um Novo Tempo"
Recorridos: Willian Lúcio Goddard Borges, Prefeito candidato à reeleição; Argemiro Afonso Ramos, Vice-Prefeito candidato à reeleição
Relator: Juiz Maurício Pinto Ferreira
Recurso Eleitoral. Ação de Investigação Judicial Eleitoral. Abuso de Poder Político e Autoridade. Ação julgada improcedente.
Alegação de abuso de poder. Atividade escolar que propagaria a legenda dos candidatos. Programa "Família na Escola - Café com o Prefeito"
que teria fins eleitorais. Assevera a inversão do ônus da prova.
Dicção do artigo 333 do Código de Processo Civil. Inexistência de alegações de fatos impeditivo, modificativo ou extintivo do direito do autor.
Ausência de inversão do ônus da prova.
Exigência pacífica na jurisprudência de necessidade de prova inconcussa para caracterizar o abuso de poder. As provas coligidas não
mostraram a necessária suficiência para comprovação do suposto ilícito. Atos caracterizados como simples atividade escolar corriqueira e atos
administrativos correntes. Conformidade com a legislação eleitoral
Recurso a que se nega provimento, mantendo, in totum, a sentença recorrida.
ACORDAM os Juízes do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, à unanimidade, em negar provimento ao recurso, nos termos do voto do
Relator.
Belo Horizonte, 19 de março de 2013.
Juiz Maurício Pinto Ferreira
Relator

Recurso Eleitoral Nº 593-47.2012.6.13.0225. 225ª ZONA ELEITORAL - PONTE NOVA Município: AMPARO DO SERRA.
Recorrente(S): LEANDRO ADELÁVIO TEODORO
ADVOGADO(S): NÉLIO FERREIRA DE SOUZA - OAB: 38681/MG; MARIANA VIEIRA SOUZA - OAB: 119117/MG
Recorrido(S): JUSTIÇA ELEITORAL
Interessados: LEANDRO ADELAVIO TEODORO
Assunto: PRESTAÇÃO DE CONTAS - DE CANDIDATO - CARGO - VEREADOR - DESAPROVAÇÃO / REJEIÇÃO DAS CONTAS
Relator: . Juiz Maurício Pinto Ferreira Revisor: .
ACÓRDÃO
RECURSO ELEITORAL Nº 593-47.2012.6.13.0225
225ª Zona Eleitoral, de Ponte Nova, Município de Amparo do Serra
Recorrente: Leandro Adelávio Teodoro.
Recorrida: Justiça Eleitoral.
Relator: Juiz Maurício Pinto Ferreira.
Recurso Eleitoral. Prestação de Contas. Candidato a Vereador. Eleições 2012. Sentença julgou desaprovadas as contas.
Inobservância dos requisitos estabelecidos na Lei n.º 9.504/97 e na Resolução n.º 23.376/2012/TSE.
Ausência de emissão de recibo eleitoral referente à cessão de veículo utilizado na campanha.
Falha essa que compromete a confiabilidade das contas.
Recurso a que se nega provimento. Desaprovação das contas.
ACORDAM os Juízes do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, por maioria, em negar provimento ao recurso, nos termos do voto do
Relator, vencido o Juiz Flávio Bernardes.
Belo Horizonte, 18 de março de 2013.
Juiz Maurício Pinto Ferreira
Relator

Ação Cautelar Nº 114-16.2013.6.13.0000. 29ª ZONA ELEITORAL - BELO HORIZONTE Município: BELO HORIZONTE.
Requerente(S): LEONARDO SILVEIRA DE CASTRO PIRES, Vereador reeleito
ADVOGADO(S): WEDERSON ADVÍNCULA SIQUEIRA - OAB: 102533/MG; MATEUS DE MOURA LIMA GOMES - OAB: 105880/MG; ANA
CAROLINA DINIS DE MATOS - OAB: 135963/MG; Isabelle Maria Gomes Fagundes de Sá - OAB: 130872/MG; MATHEUS SILVA CAMPOS
FERREIRA - OAB: 130564/MG; LAYZA QUEIROZ SANTOS - OAB: 131048/MG; RAMON DINIZ TOCAFUNDO - OAB: 121917/MG; FLÁVIO
CARVALHO DE QUEIROZ TOMÉ - OAB: 109527/MG; ANDRÉ LUIZ MARTINS LEITE - OAB: 139940/MG; SÉRGIO AUGUSTO SANTOS
RODRIGUES - OAB: 98732/MG
Requerido(S): MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL
Interessados: LEONARDO SILVEIRA DE CASTRO PIRES
Assunto: AÇÃO CAUTELAR - INCIDENTAL - AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL - ABUSO - DE PODER ECONÔMICO - DE
PODER POLÍTICO / AUTORIDADE - CONDUTA VEDADA A AGENTE PÚBLICO - DESPESA COM PUBLICIDADE INSTITUCIONAL ACIMA
DA MÉDIA DE GASTOS - AÇÃO JULGADA PROCEDENTE - CASSAÇÃO DE REGISTRO DE CANDIDATURA - CASSAÇÃO DE DIPLOMA -
DECLARAÇÃO DE INELEGIBILIDADE - PEDIDO DE CONCESSÃO DE LIMINAR - PEDIDO DE EFEITO SUSPENSIVO A RECURSO
Relator: . Juiz Maurício Pinto Ferreira Revisor: .
ACÓRDÃO

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 6
Ação Cautelar nº 114-16.2013.6.13.0000.
29ª Zona Eleitoral, de Belo Horizonte.
Requerente: Leonardo Silveira de Castro Pires, Vereador reeleito.
Requerido: Ministério Público Eleitoral.
Relator: Juiz Maurício Pinto Ferreira.
Ação Cautelar Incidental. Ação de Investigação Judicial Eleitoral. Abuso de poder econômico, de poder político/autoridade. Conduta vedada a
agente público. Despesa com publicidade institucional acima da média de gastos. Ação julgada procedente. Cassação de diploma. Declaração
de inelegibilidade. Pedido de concessão de liminar. Pedido de efeito suspensivo a recurso. Liminar deferida.
Preliminar de inépcia da inicial. Rejeitada. Não há que se falar em inépcia da inicial, pois há estrita consonância entre os fatos narrados e o
pedido, constituindo este decorrência lógica dos fatos e fundamentos jurídicos e permitindo o exercício pleno do direito de defesa das partes
envolvidas.
Mérito.
Em regra, não se suspende a decisão de primeiro grau pela interposição de recurso eleitoral, procedendo-se à sua imediata execução.
A jurisprudência dessa Especializada admite, em circunstâncias excepcionais, a concessão de efeito suspensivo ao recurso eleitoral, por
intermédio de cautelar incidental, desde que se demonstre a satisfação cumulativa dos requisitos da fumaça do bom direito e do perigo da
demora.
Presença do perigo da demora e da fumaça do bom direito.
Procedência do pedido. Suspensão da decisão até o julgamento do recurso eleitoral por essa Corte, interposto nos autos da Representação nº
3-42.2013.6.13.0029.
ACORDAM os Juízes do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, à unanimidade, em rejeitar a preliminar de inépcia da inicial e, no mérito,
à unanimidade, em julgar procedente o pedido, nos termos do voto do Relator. Deu-se por suspeito o Juiz Flávio Couto Bernardes.
Belo Horizonte, 19 de março de 2013.
Juiz Maurício Pinto Ferreira
Relator

Recurso Eleitoral Nº 839-83.2012.6.13.0244. 244ª ZONA ELEITORAL - SALINAS Município: RUBELITA.


Recorrente(S): COLIGAÇÃO TODOS UNIDOS POR UM SÓ IDEAL, AVANTE RUBELITA!; OSVAN OTÁVIO DAVID MIRANDA, candidato a
Prefeito, não eleito; SEBASTIÃO FERREIRA SOUZA, candidato a Vice-Prefeito, não eleito
ADVOGADO(S): LEÔNIDAS DAVID MIRANDA - OAB: 55762/MG
Recorrido(S): INAEL DE ALMEIDA MURTA, candidato a Prefeito, eleito; JAIRISLANE FREIRE LOIOLA, candidato a Vice-Prefeito, eleito;
WANDERLEY ALVES DIAS, candidato a Vereador, não eleito; ARIDELÇO ALVES FLORES; JOÃO RODRIGUES FONSECA, candidato a
Vereador, eleito
ADVOGADO(S): YURI JIVAGO DE ARAÚJO - OAB: 120500/MG; HENRIQUE MATHEUS MARIANI SOSSAI - OAB: 134380/MG; ADRIANNA
BELLI PEREIRA DE SOUZA - OAB: 54000/MG; GABRIELA BERNARDES DE VASCONCELLOS LOPES - OAB: 123176/MG; RAFHAELA
NERY - OAB: 125029/MG
Interessados: Coligação "Todos Unidos Por Um Só Ideal. Avante Rubelita! (Pmdb/Dem/Phs/Prb), Representante; Jairislane Freire Loiola,
Representado; Adriana Belli Pereira De Souza Oab 54000, Advogada dos Representados; Osvan Otávio David Miranda, Representante;
Leônidas David Miranda, Advogado do representante OAB/MG 55.762; Inael De Almeida Murta, Representado; Wanderley Alves Dias,
Representado; Sebastião Ferreira De Souza, Representante; João Rodrigues Fonseca, Representado; Aridelço Alves Flores, Representado;
Yuri Jivago De Araújo Murta - Oab/Mg 120.500, Advogado dos Representados
Assunto: REPRESENTAÇÃO - CAPTAÇÃO ILÍCITA DE SUFRÁGIO - AÇÃO JULGADA IMPROCEDENTE
Relator: . Desembargador Wander Marotta
ACÓRDÃO
Recurso eleitoral. Representação. Art. 41-A da Lei nº 9.504/97, c/c o art. 22 da LC nº 64/90. Ação julgada improcedente.
1º Agravo retido
Indeferimento de contradita da testemunha dos autores. Não demonstração das hipóteses previstas no art. 405 do CPC. Ausência de prova de
interesse jurídico no litígio. A simples preferência política não enseja motivo para suspeição.
Agravo a que se nega provimento.
2º Agravo retido
Indeferimento da contradita. Alegação de que a testemunha é companheiro político dos representantes. Requerimento de prova da contradita.
Simples indeferimento da contradita ao fundamento de que advogada não fez prova das alegações, tampouco a testemunha se enquadra nas
hipóteses do art. 405 do CPC. Cerceamento de defesa configurado. Não concessão de oportunidade à defesa de provar a contradita.
Provimento não concedido apenas em razão da aplicação da regra prevista no art. 249, § 2º, do CPC.
3º Agravo retido
Indeferimento da contradita. O magistrado indeferiu a contradita ao fundamento de que a testemunha contraditada esclareceu que não possui
vínculos de amizade ou político com o autor, salientando ser a prova da contradita desnecessária. A parte tem o direito de provar a contradita,
a teor do art. 414, § 1º, do CPC. Cerceamento de defesa caracterizado. Provimento não concedido em virtude da aplicação do art. 249, § 2º, do
CPC.
4º Agravo retido
Não inquirição de três testemunhas de defesa. Alegação de que não foram devidamente qualificadas na defesa. Ausência da profissão,
nacionalidade, endereço. Irregularidade que por si só não enseja a dispensa dos depoimentos. Testemunhas residentes em município
pequeno, o que possibilita serem conhecidas. Cerceamento de defesa configurado. Provimento não concedido em razão da regra do art. 249,
§2º, do CPC.
5º Agravo retido
Acolhimento da contradita da testemunha de defesa. Dispensa da testemunha. O magistrado entendeu ser suspeita a testemunha ao
fundamento de que teve contato com a parte antes da audiência e ela possui veículo com adesivo de um dos representados. Fatos que não
ensejam a suspeição da testemunha. Obrigação da parte de levar a testemunha em Juízo, a teor do art. 22, V, da Lei Complementar nº 64/90.
Previsibilidade de um contato prévio. Não demonstração de suspeição. Caracterização de cerceamento de defesa. Provimento não concedido
tendo em vista o art. 249, § 2º, do CPC.
6º Agravo retido
Acolhimento da contradita da testemunha de defesa. Confissão da testemunha quanto à amizade com um dos representantes. Hipótese de
suspeição configurada. Agravo não provido.
Mérito.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 7
Alegação de captação ilícita de sufrágio. Fragilidade do arsenal probatório consistente em oferecimento de dinheiro, abertura de estrada, ajuda
na compra de mangueiras e realização de exame de ultrassom em troca de voto. Captação ilícita de sufrágio não comprovada. Provas frágeis.
Testemunhas que participaram da gravação de vídeos e da elaboração de declarações extrajudiciais com o advogado dos representantes.
Contradições entre os depoimentos das testemunhas.
Recurso a que se nega provimento.
Vistos, relatados e discutidos os autos do processo acima identificado, ACORDAM os Juízes do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais
em negar provimento aos agravos retidos e, no mérito, à unanimidade, em negar provimento ao recurso, nos termos do voto do Relator.
Belo Horizonte, 18 de março de 2013.
Desembargador Wander Marotta
Relator

Recurso Eleitoral Nº 1396-26.2012.6.13.0000. 256ª ZONA ELEITORAL - SÃO JOÃO DEL REI Município: SÃO JOÃO DEL REI.
Agravante(S): NIVALDO JOSÉ DE ANDRADE, candidato a Prefeito
ADVOGADO(S): PEDRO HENRIQUE SANTANA PEREIRA - OAB: 121434/MG; CAROLINE JORDANA BARRAMANSA - OAB: 141319/MG
Agravado(S): MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL
Interessados: NIVALDO JOSÉ DE ANDRADE
Assunto: AGRAVO DE INSTRUMENTO - EXCEÇÃO - DE PRE-EXECUTIVIDADE - MULTA POR PROPAGANDA ELEITORAL IRREGULAR -
AÇÃO JULGADA IMPROCEDENTE - PEDIDO DE EFEITO SUSPENSIVO
Relator: Juíza Alice de Souza Birchal
Recurso Eleitoral 1396-26.2012.6.13.0000 (Agravo de Instrumento)
Zona Eleitoral: 256ª, de São João Del Rei
Agravante: Nivaldo José de Andrade
Agravado: Ministério Público Eleitoral
Relatora: Juíza Alice de Souza Birchal
ACÓRDÃO
Recurso Eleitoral. Agravo de instrumento. Exceção de pré-executividade. Multa por propaganda eleitoral irregular. Ação julgada improcedente.
Pedido de efeito suspensivo. Liminar indeferida.
Reexame de toda a questão tratada na fase cognitiva do procedimento. Impossibilidade. Somente as matérias amparadas por provas
documentais e pré-constituídas são passíveis de argüição em exceção de pré-executividade, bem como aquelas questões de ordem pública,
como os pressupostos processuais e as condições da ação, que podem ser conhecidas ex officio pelo magistrado. Decisão liminar confirmada.
Litigância de má-fé. Não caracterizada.
Recurso a que se nega provimento.
Vistos, relatados e discutidos os autos do processo acima identificado, ACORDAM os Juízes do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, à
unanimidade, em negar provimento ao recurso, nos termos do voto da Relatora.
Belo Horizonte, 21 de março de 2013.
Juíza Alice de Souza Birchal
Relatora

Recurso Eleitoral Nº 307-20.2012.6.13.0112. 112ª ZONA ELEITORAL - EXTREMA Município: EXTREMA.


Recorrente(S): COLIGAÇÃO A HORA É AGORA
ADVOGADO(S): TEREZA CRISTINA ZABALA - OAB: 161894/SP; REGIS LEMOS JÚNIOR - OAB: 144446/MG
Recorrido(S): LUIZ CARLOS BERGAMIN, candidato a Prefeito reeleito; JOÃO BATISTA DA SILVA, candidato a Vice-prefeito eleito;
COLIGAÇÃO CADA VEZ MELHOR
ADVOGADO(S): WELLINGTON RICARDO SABIÃO - OAB: 104744/MG
Interessados: COLIGAÇÃO A HORA É AGORA
Assunto: AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL - ABUSO - DE PODER POLÍTICO / AUTORIDADE - LITISPENDÊNCIA -
EXTINÇÃO DO PROCESSO SEM RESOLUÇÃO DE MÉRITO
Relator: . Juíza Alice de Souza Birchal
Recurso Eleitoral n.º 307-20.2012.6.13.0112
Zona Eleitoral: 112ª Zona Eleitoral de Extrema - Município de Extrema
Recorrente: Coligação "A Hora é Agora"
Recorrido: Coligação "Cada Vez Melhor"
Relatora: Juíza Alice de Souza Birchal
ACÓRDÃO
Recurso Eleitoral. Ação de Investigação Judicial Eleitoral. Abuso de poder político/autoridade - litispendência - Extinção do Processo sem
Resolução de Mérito. Eleições. 2012.
O recurso foi recebido, via fac-símile, no módulo automático do aparelho, no último dia do prazo recursal, após expirado 03 (três) minutos do
horário de funcionamento forense e a transmissão ocorreu sem interrupção.
Nos termos do art. 301, § 1º e § 2º do CPC, verifica-se a litispendência quando se reproduz ação anteriormente ajuizada, com as mesmas
partes, mesma causa de pedir e mesmo pedido. Constatando nos autos a tríplice identidade, assentada nos mesmos fatos entre as duas ações
ajuizadas, perseguindo os mesmos objetivos, deve ser mantida a litispendência reconhecida em primeiro grau.
Recurso não provido.
Vistos, relatados e discutidos os autos do processo acima identificado, ACORDAM os Juízes do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais
em rejeitar a preliminar de intempestividade e, à unanimidade, negar provimento ao recurso, nos termos do voto da Relatora.
Belo Horizonte, 21 de março de 2013.
Juíza Alice de Souza Birchal
Relatora

Agravo Regimental na Ação Cautelar Nº 1315-77.2012.6.13.0000. 68ª ZONA ELEITORAL – CARANDAÍ. Município: CAPELA NOVA.
Agravante(S): LUIZ GONZAGA DA SILVA, candidato a Prefeito, eleito; IRIS BATISTA GOMES, candidata a Vice-Prefeita, eleita
ADVOGADO(S): BERNARDO ANANIAS JUNQUEIRA FERRAZ - OAB: 87253/MG; NEANDER SILVA ARAÚJO - OAB: 90559/MG; EDILENE
LÔBO - OAB: 74557/MG

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 8
Agravado(S): ADELMO DE REZENDE MOREIRA, candidato a Prefeito, não eleito; ALESSANDRO GLÁUCIO GONÇALVES PEREIRA,
candidato a Vice-Prefeito, não eleito
ADVOGADO(S): LEANDRO AUGUSTO PINTO ABIDALLA - OAB: 66062/MG; RICARDO VANDERLEI SILVA - OAB: 66056/MG
Assunto: Agravo Regimental interposto contra decisão que extinguiu o processo sem julgamento do mérito
ACÓRDÃO:
Agravo regimental. Ação cautelar incidental. Representação captação ilícita de sufrágio. Procedência. Cassação do registro de candidatura.
Condenação em multa. Pedido de efeito suspensivo a recurso. Pedido de concessão de liminar. Liminar deferida até o julgamento do recurso.
Independentemente de publicação do acórdão do recurso principal, a decisão liminar deferida nesta ação cautelar foi proferida em juízo de
cognição sumária ou superficial. O julgamento realizado pelo Tribunal Regional Eleitoral do recurso eleitoral principal foi de cognição plena e
exauriente. Agravo regimental não provido.
Vistos, relatados e discutidos os autos do processo acima identificado, ACORDAM os Juízes do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais,
em negar provimento ao agravo regimental, nos termos do voto do Relator, vencido o Juiz Flávio Couto Bernardes.
Belo Horizonte, 21 de março de 2013.
Juiz Maurício Soares
Relator
PF

Recurso Eleitoral Nº 543-26.2012.6.13.0288. 288ª ZONA ELEITORAL – IBIRITÉ. Município: IBIRITÉ.


Recorrente(S): COLIGAÇÃO JUVENTUDE, TRABALHO E HONESTIDADE; ANTÔNIO PINHEIRO NETO, candidato a Prefeito; DOLORES DE
OLIVEIRA SOUZA, candidata a Vice-Prefeita
ADVOGADO(S): BRUNO DE MENDONÇA PEREIRA CUNHA - OAB: 103584/MG; IGOR BRUNO SILVA DE OLIVEIRA - OAB: 98899/MG;
THIAGO LOPES LIMA NAVES - OAB: 96182/MG; JOSÉ SAD JÚNIOR - OAB: 65791/MG; RODRIGO ROCHA DA SILVA - OAB: 79709/MG;
JOÃO BATISTA DE OLIVEIRA FILHO - OAB: 20180/MG
Recorrente(S): ELMO ANTÔNIO DE OLIVEIRA; GERALDO DE MATOS BARROSO; ALAIR JOSÉ DE SOUZA; RIVALDO PEREIRA DE
SOUZA; DJAN MARCELO UGOLINE ALVES DE CASTRO FREITAS; WEMBERSON MARCELINO DE ANDRADE; JOSÉ GONZAGA DA
SILVA; FÁBIO BATISTA ARAÚJO; JOSÉ CATULINO VERSIANI NETO; CLÁUDIO ROBERTO DA SILVA, candidatos a Vereador
ADVOGADO(S): VIRGÍNIA MARTINS DE PAIVA LIMA - OAB: 140590/MG; MÁRCIO LEONARDO BRANDÃO GROSSI - OAB: 98544/MG
Recorrido(S): COLIGAÇÃO IBIRITÉ PERTENCE AO POVO
ADVOGADO(S): ANA PAULA ROCHA TEIXEIRA - OAB: 101874/MG; VÂNIA LOPES LISA - OAB: 76501/MG; ANDRÉ WEISS TELLES - OAB:
98847/MG
Assunto: REPRESENTAÇÃO - PROPAGANDA ELEITORAL IRREGULAR - BANNER / CARTAZ / FAIXA - FOLHETOS / VOLANTES /
SANTINHOS / IMPRESSOS - AÇÃO JULGADA PROCEDENTE - CONDENAÇÃO EM MULTA
ACÓRDÃO:
Recurso Eleitoral. Representação. Eleições 2012. Propaganda Eleitoral Irregular. Impressos. Pedido Julgado Procedente. Preliminar de
nulidade da segunda sentença. Acolhida. A partir da prolação da sentença, o magistrado encerra sua atividade jurisdicional, não comportando
mais modificações em seu conteúdo, salvo nos casos expressos em lei, em função do princípio da preclusão pro judicato. Mérito. Na hipótese
de coligação, constarão da propaganda do candidato a prefeito, obrigatoriamente e de modo legível, sob a denominação da coligação, as
legendas de todos os partidos políticos que a integram. Alegação de ausência de previsão legal quanto à multa processual. Não ocorrência de
qualquer vulneração ao princípio da legalidade, insculpido em sede constitucional (art. 5º, II, da CFRB/88), haja vista que a penalidade, tem
como base o disposto, no art. 461, §4º, do CPC, atuando como verdadeiro instrumento destinado a conferir efetividade às decisões judiciais. 1
º recurso não provido. 2º e 3º recursos providos para anular a segunda sentença de mérito.
Vistos, relatados e discutidos os autos do processo acima identificado, ACORDAM os Juízes do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, à
unanimidade, em negar provimento ao primeiro recurso; e, por maioria, em acolher a preliminar de nulidade da segunda sentença e, no mérito,
dar provimento ao segundo e terceiro recursos, nos termos do voto da Relatora.
Belo Horizonte, 14 de março de 2013.
Juíza Alice de Souza Birchal
Relatora
PF

Mandado de Segurança Nº 1413-62.2012.6.13.0000. 148ª ZONA ELEITORAL – JANUÁRIA. Município: JANUÁRIA.


Impetrante(S): RENATO PEREIRA DOS SANTOS, candidato a Vereador eleito
ADVOGADO(S): AURO NOGUEIRA DE BARROS - OAB: 87344-B/MG
Impetrado(S): MM JUIZ ELEITORAL
Assunto: MANDADO DE SEGURANÇA - PRESTAÇÃO DE CONTAS - DE CANDIDATO - CARGO - VEREADOR - NÃO APRESENTAÇÃO
DAS CONTAS - PEDIDO DE CONCESSÃO DE LIMINAR - PEDIDO DE EFEITO SUSPENSIVO A RECURSO
ACÓRDÃO:
Mandado de Segurança. Prestação de contas de candidato. Cargo vereador. Contas julgadas não prestadas. O art. 53 da Resolução
23.376/2012 do TSE preceitua que as contas julgadas como não prestadas acarretarão, ao candidato, o impedimento de obter a certidão de
quitação eleitoral até o final da legislatura, persistindo os efeitos da restrição após esse período até a efetiva apresentação das contas. Contas
prestadas com graves irregularidades por isso consideradas não prestadas. Impedimento de diplomação não previsto na legislação de
regência.
Segurança concedida.
Vistos, relatados e discutidos os autos do processo acima identificado, ACORDAM os Juízes do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais,
por maioria, em conceder a ordem, nos termos do voto da Relatora.
Belo Horizonte, 18 de março de 2013.
Juíza Alice de Souza Birchal
Relatora
pf

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 9
CRI - SEÇÃO DE CONT. DE FEITOS E ATOS PROCESSUAIS

PUBLICAÇÃO DE DESPACHOS E DECISÕES

AÇÃO CAUTELAR Nº 183-48.2013.6.13.0000 NINHEIRA-MG 237ª Zona Eleitoral (RIO PARDO DE MINAS)
Requerente: NARQUES ROCHA, eleito Prefeito
ADVOGADO: GUILERME OCTÁVIO SANTOS RODRIGUES
ADVOGADO: TARSO DUARTE DE TASSIS
ADVOGADO: LEONARDO DIAS SARAIVA
Requerido: PARTIDO TRABALHISTA BRASILEIRO - PTB
Requerido: PARTIDO DA MOBILIZAÇÃO NACIONAL - PMN
Juiz Flávio Bernardes
Protocolo: 85.345/2013
Vistos, etc.
Trata-se de ação cautelar incidental, com requerimento liminar, ajuizada pelo Prefeito eleito de Ninheira-MG, Narques Rocha, objetivando a
concessão de efeito suspensivo ativo ao recurso interposto em face de sentença, proferida pelo MM. Juiz da 237ª ZE de Rio Pardo de Minas-
MG, que julgou parcialmente procedente o pedido formulado em sede de AIJE n. 1135-29.2012.6.13.0237 para cassar o registro do requerente
e de seu vice, além de cominação de multa de 50 mil UFIRs, para cada um, declaração de inelegibilidade pelo prazo de oito anos e
determinação de imediato cumprimento da sentença para que o Presidente da Câmara Municipal de Ninheira-MG assuma interinamente a
Prefeitura Municipal até realização de novas eleições, nos termos do art. 224 do Código Eleitoral.
Narra, em apertada síntese, que, conquanto o ora requerente não ostentasse a qualidade de agente público anteriormente ao pleito de 2012 e,
portanto, não figurasse como candidato à reeleição, não estando à frente da máquina administrativa, teve contra si imputadas condutas
incidentes àqueles que ostentam tal predicativo, porquanto as causas de pedir constantes da AIJE se basearam, em maioria, no art. 73 da Lei
n. 9.504/97 - condutas vedadas aos agentes públicos em campanhas eleitorais.
Sustenta que a petição inicial foi composta de 09 (nove) causas de pedir, três das quais foram acolhidas na sentença de parcial procedência,
todavia, o recurso eleitoral interposto no bojo da AIJE referida comprova a necessidade de sua reforma, eis que a sentença laborou em
equivocada análise dos fatos e do caderno probatório inexistindo qualquer ilícito atribuível ao requerente.
Cita precedentes deste TRE-MG, relativos às eleições municipais de 2012: AC n. 946-83 (Juíza Alice Birchal), AC n. 893-05 (Juiz Carlos
Alberto Simões de Tomaz) e AC n. 998-79 (Juiz Flávio Couto Bernardes).
Visando à concessão da liminar para atribuir efeito suspensivo ao recurso interposto no bojo da AIJE referida, sustenta presentes o fumus
bonus iuris, ante a maior probabilidade de acolhimento das razões do recurso interposto (cópia anexa), bem como o periculum in mora,
segundo alega, evidencia-se flagrante em razão da iminente alternância no Poder Executivo local, uma vez que a sentença referida determinou
que se oficiasse imediatamente o Presidente da Câmara Municipal para o exercício interino do cargo de Prefeito, até a realização de novas
eleições.
Assim, requer a concessão de medida liminar para: 1) deferir efeito suspensivo ao recurso suspendendo a execução imediata das sanções
impostas pela sentença recorrida a fim de assegurar o pleno exercício do cargo ou determinar sua recondução, caso haja o afastamento
oriundo do decisum objurgado; 2) procedência do pedido para tornar definitiva a liminar deferida para impedir a execução da sentença até
decisão definitiva a ser proferida em grau recursal, em análise do recurso interposto na AIJE nº 1135-29.2012.6.13.0237. Por fim, requer a
citação dos requeridos para, querendo, manifestarem-se no feito e intimação do douto Procurador Regional Eleitoral - fls. 02/11.
Junta vasta documentação, a saber: andamento processual da AIJE; cópia integral dos autos até a sentença; original dos embargos de
declaração opostos da sentença; sentença que julgou os embargos de declaração; cópia original do recurso eleitoral interposto no bojo da
AIJE.
Procuração às fls. 13.
É, no necessário, o relatório.
Passo a decidir.
O requerente pretende obter efeito suspensivo ao recurso, com a finalidade de possibilitar sua manutenção no cargo de Prefeito até ulterior
julgamento do recurso por ele interposto no bojo da AIJE n. 1135-29.2012.6.13.0237.
Há muito se pacificou o entendimento de que para a concessão de medida liminar deve haver a presença simultânea da aparência do bom
direito e do perigo da demora. É relevante obtemperar, com relação ao primeiro requisito, que, em meu invariável entendimento - externado
como magistrado e como professor, registre-se - a possibilidade jurídica do pedido é elemento suficiente a revelar seu preenchimento.
Contudo, o c. Tribunal Superior Eleitoral pacificou jurisprudência estabelecendo que a fumaça do bom direito consubstancia-se na
plausibilidade do direito invocado (Agravo Regimental em Ação Cautelar nº 130275, Relatora Min. Fátima Nancy Andrighi, in DJE - Diário da
Justiça Eletrônico, Data 22/09/2011, Página 54). Assim, ressalvado meu ponto de vista, cumpre apreciar ambos os requisitos.
Passando os autos em revista, entendo que se mostra densa a plausibilidade jurídica da pretensão cautelar ora deduzida. Assim, em juízo de
estrita delibação, sem prejuízo de ulterior reexame da questão processual suscitada nesta sede processual, vislumbro a existência de fumus
boni iuris e do periculum in mora a autorizar o exercício do poder geral de cautela por este Relator, como passo a expor.
O periculum in mora é patente, uma vez que a sentença determinou ao requerente o afastamento imediato do cargo, exercício interino deste
pelo Presidente da Câmara Municipal, bem como realização de novas eleições, em razão de a chapa majoritária encabeçada pelo requerente
ter conquistado 63,98% dos votos válidos, logo, a incidir a regra preconizada no art. 224 do Código Eleitoral.
No que se refere ao fumus boni iuris, a prevalência da soberania popular é, especialmente no caso telado, suficiente para determinar a
manutenção do requerente no cargo. Isso porque a controvérsia dos autos principais cinge-se, sobretudo, à matéria probatória, isto é, à
suficiência ou não das provas produzidas para afirmar a caracterização do ilícito.
Nesse cenário, deve-se permitir que o eleito seja mantido no cargo. A gravidade do decreto de cassação do registro decorre de ser este
suficiente para impedir o exercício do mandato para o qual a chapa majoritária foi legitimamente eleita e faz concluir pela necessidade de
reapreciação dos fatos pelo Juízo ad quem para que se possa executar essa excepcional medida com razoável segurança jurídica.
Cabe ressaltar que a concessão da presente liminar é reversível, pois o conteúdo do decreto condenatório se mostra plenamente exequível
após o julgamento do recurso.
Com tais considerações, defiro a liminar pleiteada, para conceder efeito suspensivo ao recurso eleitoral aviado no bojo da AIJE n. 1135-
29.2012.6.13.0237 e assegurar que a manutenção no cargo de Prefeito não seja obstada em razão da decisão proferida no referido processo.
Comunique-se ao MM. Juiz Eleitoral, imediatamente e pelo meio mais célere.
Notifiquem-se os requeridos para, querendo, apresentar contestação no prazo de 03 (três) dias.
Após, remetam-se os autos ao d. Procurador Regional Eleitoral, para parecer.
P. I.
Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 10
Belo Horizonte, 02 de abril de 2013.
Juiz Flávio Couto Bernardes
Relator

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 1195-34.2012.6.13.0000 SANTA MARGARIDA-MG 2ª Zona Eleitoral (ABRE CAMPO)


Impetrante: COLIGAÇÃO O COMPROMISSO CONTINUA
ADVOGADO: ANTÔNIO EDWARD JORGE BEDETTI
ADVOGADO: AFRÂNIO OTONI
ADVOGADO: RODRIGO JOSÉ DE ALMEIDA
Impetrado: MM JUIZ ELEITORAL
Litisconsorte: COLIGAÇÃO NOVOS TEMPOS
Juiz Flávio Bernardes
Petição Protocolo: 82.703/2013, subscrita pelo Dr. AFRÂNIO OTONI:
Autos desarquivados e à disposição do interessado, conforme requerido.

RECURSO CONTRA EXPEDIÇÃO DE DIPLOMA Nº 97-77.2013.6.13.0000 FRUTAL-MG 116ª Zona Eleitoral (FRUTAL)
Recorrente: COLIGAÇÃO POR AMOR A FRUTAL
Recorrente: ANTÔNIO HEITOR DE QUEIROZ, candidato a Prefeito, 2º colocado
ADVOGADO: RODRIGO RIBEIRO PEREIRA
ADVOGADO: ARNALDO SILVA JÚNIOR
ADVOGADA: JULIANA DEGANI PAES LEME
ADVOGADO: RAFAEL TAVARES DA SILVA
ADVOGADO: FLÁVIO ROBERTO SILVA
ADVOGADO: PEDRO FELIPE NAVES MARQUES CALIXTO
ADVOGADA: ANA CLAUDIA LEÃO CARNEIRO
ADVOGADA: MARINA BORGES PAES LEME
ADVOGADO: LEANDRO DE PAULA ASSUNÇÃO ABATI
ADVOGADA: MARIANA DE PAULA PEREIRA
ADVOGADA: AMANDA MATTOS CARVALHO ALMEIDA
ADVOGADO: RAPHAEL DAVID DUARTE MARIANO
ADVOGADO: GILDO MARTINS SOARES
ADVOGADO: VINÍCIUS BRAZ DE ALMEIDA
Recorrido: FRONTINO ÉSIO SANTANA, Vice-Prefeito eleito
Recorrido: MAURI JOSÉ ALVES, Prefeito eleito
ADVOGADO: RICARDO REZENDE ROCHA
ADVOGADO: MÁRCIO MARTINS MARANO
ADVOGADO: CLÁUDIO RODRIGUES BORGES
ADVOGADO: GUILERME OCTÁVIO SANTOS RODRIGUES
ADVOGADO: TARSO DUARTE DE TASSIS
Juíza Alice de Souza Birchal
Protocolo: 824.444/2012
DECISÃO
Trata-se de recurso contra expedição de diploma interposto nos com esteio no art. 262, I, do Código Eleitoral, combinado com o art. 1º II, "i", da
LC nº 64/1990.
Em suma, apontam os recorrentes a incompatibilidade eleitoral surtida em face do segundo requerido, eleito ao cargo de Vice-Prefeito, nas
eleições municipais de 2012.
Para fins de comprovação dos fatos alegados na exordial, protestam pela realização do depoimento pessoal dos investigados e oitiva de
testemunhas arroladas; requerem a expedição de ofício à Prefeitura Municipal, com vistas à apresentação dos procedimentos licitatórios e
contratos firmados com o Hotel Três Poderes, pugnando, também, pela exibição de cópias das carteiras de trabalho dos funcionários.
Examinando o feito, contudo, tenho ser prescindível maior dilação probatória, para além dos elementos documentais já carreados nos autos.
Em primeiro lugar, entendo descaber a expedição de ofício com o objetivo de serem exibidas cópias de todos os contratos e procedimentos
licitatórios por ventura firmados, entre a sociedade empresarial do primeiro recorrido e a Prefeitura de Frutal. Averbo, nesse passo, que o
caderno processual inclui em seu bojo elementos suficientes à adequada elucidação dos fatos delineados na inicial. Em segundo plano, os
recorridos, em contrarrazões, se desincumbiram fielmente da apresentação dos documentos relacionados ao atual instrumento jurídico
estabelecido entre o Hotel Três Poderes e o Município de Frutal (fls. 47-124).
No que diz respeito ao pedido de produção de prova testemunhal, devo frisar que, consoante a jurisprudência do TSE, os requerimentos não
dispensam especificação. Vejo, aliás, que os requerentes se resumem ao pleito genérico pela produção de prova, sem indicar o rol de
depoentes, o que afasta o acolhimento do pedido.
Nesse sentido, destaco os precedentes abaixo:
AGRAVO REGIMENTAL. RECURSO CONTRA EXPEDIÇÃO DE DIPLOMA. UTILIZAÇÃO ABUSIVA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO.
REQUERIMENTO. PROVA. DILIGÊNCIA. PERCENTUAL. PARTICIPAÇÃO. JORNAL. IRRELEVÂNCIA. INDICAÇÃO. INICIAL.
NECESSIDADE. CE, ART. 270. EXIBIÇÃO. INDEFERIMENTO.
1. A produção de provas no curso do processo, em se tratando de RCED, limita-se àquelas indicadas na peça inicial ou nas contrarrazões.
Precedentes.
2. Segundo o disposto no art. 356, I, do Código de Processo Civil, o pedido de exibição deve conter a individuação, tão completa quanto
possível, do documento ou da coisa. A ordem judicial deve ter destinatário e objeto certos, não sendo esta a hipótese dos autos.
3. Agravo regimental desprovido.
(Agravo Regimental em Recurso Contra Expedição de Diploma nº 787, Acórdão de 13/08/2009, Relator(a) Min. MARCELO HENRIQUES
RIBEIRO DE OLIVEIRA, Publicação: DJE - Diário da Justiça Eletrônico, Volume -, Tomo -, Data 13/08/2009, Página 10) (g.n.)
GOVERNADOR. CONDUTA VEDADA A AGENTE PÚBLICO E ABUSO DO PODER POLÍTICO E ECONÔMICO. POTENCIALIDADE DA
CONDUTA. INFLUÊNCIA NO RESULTADO DAS ELEIÇÕES. CAPTAÇÃO ILÍCITA DE SUFRÁGIO. É DESNECESSÁRIO QUE TENHA
INFLUÊNCIA NO RESULTADO DO PLEITO. NÃO APLICAÇÃO DO DISPOSTO NO ARTIGO 224 DO CÓDIGO ELEITORAL. ELEIÇÕES

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 11
DISPUTADAS EM SEGUNDO TURNO. CASSAÇÃO DOS DIPLOMAS DO GOVERNADOR E DE SEU VICE. PRELIMINARES:
NECESSIDADE DE PROVA PRÉ-CONSTITUÍDA, INEXISTÊNCIA DE CAUSA DE PEDIR, AUSÊNCIA DE TIPICIDADE DAS CONDUTAS,
PRODUÇÃO DE PROVAS APÓS ALEGAÇÕES FINAIS, PEDIDO DE OITIVA DE TESTEMUNHA, PERÍCIA E DEGRAVAÇÃO DE MÍDIA DVD,
DESENTRANHAMENTO DE DOCUMENTOS. RECURSO PROVIDO.
Preliminares:
1. Admite-se a produção de prova em Recurso Contra Expedição de Diploma, desde que indicadas na petição inicial. Precedentes.
(...) 16. Recurso provido.
(Recurso Contra Expedição de Diploma nº 671, Acórdão de 03/03/2009, Relator(a) Min. EROS ROBERTO GRAU, Publicação: DJE - Diário da
Justiça Eletrônico, Tomo 59, Data 03/03/2009, Página 35) (d.n.)
No que toca ao pleito de expedição de ofício, visando à exibição das cópias dos contratos de trabalho da sociedade empresarial e seus
empregados, penso, igualmente, ser despropositado tal pedido. Entendo que o ônus da constituição do direito afirmado incumbe, nesse caso,
ao interessado que evoca a existência dos fatos narrados.
Por fim, quanto à tomada de depoimento pessoal, a meu sentir, este é incabível na espécie, haja vista a ausência de previsão legal. A
corroborar tal entendimento, trecho da decisão proferida pelo i. Ministro Aldir Guimarães Passarinho Junior, no julgamento do REsp nº 35932,
ocorrido em 14/4/2010:
"2- O silêncio da lei eleitoral a respeito não é casual, mas eloqüente: o depoimento pessoal, no processo civil, é primacialmente um ensaio de
obter-se a confissão da parte, a qual, de regra, não tem relevo no processo eleitoral, dada a indisponibilidade de que nele se cuidam. 3- Entre
as diligências determináveis de ofício previstas no art. 22, VI, da LC 64/90 não está a de compelir o representado - ainda mais, sob a pena de
confissão, de manifesta incompatibilidade no Processo Eleitoral - à prestação de depoimento pessoal, ônus que a lei não lhe impõe."
Sob tais fundamentos, indefiro os pedidos de tomada de depoimento pessoal, oitiva de testemunhas e expedição de ofícios, com vistas à
exibição de documentos, todos formulados pelos recorrentes.
Saneado o processo, portanto, DETERMINO, nos moldes do §3º do art. 270 do Código Eleitoral, a abertura de vista às partes, seguidamente,
pelo prazo de 24 (vinte e quatro) horas, para dizerem a respeito do processado. Após, dê-se vista dos autos ao Procurador Regional Eleitoral.
P.R.I.
Belo Horizonte, 2 de abril de 2013.
Juíza Alice de Souza Birchal
Relatora

RECURSO CONTRA EXPEDIÇÃO DE DIPLOMA Nº 900-74.2012.6.13.0233 RESPLENDOR-MG 233ª Zona Eleitoral (RESPLENDOR)
Recorrente: GUILHERME DIETRICH FERNANDES MOREIRA, candidato a Prefeito, 2º colocado
Recorrente: GUILHERMINA BARBOSA DIAS, candidata a Vice-Prefeita, 2ª colocada
ADVOGADO: SILVÉRIO DE OLIVEIRA CÂNDIDO
ADVOGADO: RAIMUNDO CÂNDIDO NETO
ADVOGADO: EDSON DE ARAÚJO FREITAS
ADVOGADO: ALEXANDRE SOARES DE SOUZA
Recorrido: CESAR ROMERO E SILVA, eleito Prefeito
Recorrido: AZEMAR DA SILVA DORNELES, eleito Vice-Prefeito
ADVOGADO: SAINT CLAIR CAMPANHA FILHO
ADVOGADA: CELISE BARREIROS LAVIOLA CABRAL DE LIRA
ADVOGADO: AIRTON BONISSON JÚNIOR
ADVOGADO: ANDRÉ LUÍS TONANI DE OLIVEIRA
Juíza Alice de Souza Birchal
Protocolo: 805.645/2012
DESPACHO
Trata-se de recurso contra expedição de diploma interposto nos termos do art. 262, IV, do Código Eleitoral.
Noticiam os recorrentes que “o RECORRIDO foi eleito Prefeito municipal de RESPLENDOR pelo Partido dos Trabalhadores, juntamente com o
candidato a Vice-Prefeito, beneficiaram-se de ações políticas, através de abuso de poder econômico, de poder político e de autoridade,
interferindo diretamente no resultado das eleições” (fl. 3).
Requerem a procedência do pedido para “cassar o diploma dos candidatos eleitos” (fl. 43).
Em contrarrazões (fls. 252-281), os recorridos suscitam, preliminarmente, a ocorrência de litispendência com a Ação de Investigação Judicial
Eleitoral nº 898-07.2012.6.13.0233 e, no mérito, nega a ocorrência das condutas apontadas e requer a improcedência do recurso.
Remetidos os autos a este Regional, a d. Procuradoria Regional Eleitoral manifesta-se por aguardar nova vista para emissão de parecer, após
a conclusão da instrução probatória (Código Eleitoral, art. 270, caput) (fl. 86).
Às fls. 869-871, foi determinada a realização de audiência para oitiva de testemunhas, em decisão saneadora por mim proferida.
Colhidas os depoimentos testemunhais, perante o juízo a quo, retornaram-me os autos.
Promovidas adequadamente as providências acima delineadas e saneado o processo, DETERMINO, nos moldes do §3º do art. 270 do Código
Eleitoral, a abertura de vista dos autos às partes, seguidamente, pelo prazo de 24 (vinte e quatro) horas, para dizerem a respeito do
processado. Após, dê-se vista dos autos ao Procurador Regional Eleitoral.
P.R.I.
Belo Horizonte, 02 de abril de 2013.
Juíza Alice de Souza Birchal
Relatora

RECURSO ELEITORAL Nº 1-41.2013.6.13.0007 ALÉM PARAÍBA-MG 7ª Zona Eleitoral (ALÉM PARAÍBA)


Recorrente: PARTIDO DO MOVIMENTO DEMOCRÁTICO BRASILEIRO - PMDB
Recorrente: PARTIDO COMUNISTA DO BRASIL - PC DO B
Recorrente: FLÁVIO HENRIQUE SENRA FERNANDES
ADVOGADO: SÉRGIO HANNAS SALIM
Recorrido: FERNANDO LÚCIO FERREIRA DONZELES, eleito Prefeito
Recorrido: MARCO ANTÔNIO CAMILO JORGE
ADVOGADA: THAÍS OLIVEIRA SANTOS
Juiz Carlos Alberto Simões de Tomaz

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 12
Protocolo: 80.366/2013
Trata-se de remessa do Juiz Eleitoral da 07ª ZE, de Além Paraíba, de termo de declarações tomados naquele Juízo para seja juntado aos
autos n. 1-41.2013.6.13.0007.
Entendo que o termo de declarações não deve ser juntado aos autos, uma vez que a instrução probatória já findou e mais que isso a prestação
jurisdicional a cargo da primeira instância já se encontra encerrada.
Sem dúvida, as partes poderiam pedir a juntada de documento novo nessa fase do processo, mas como não se trata de pedido das partes,
indefiro o pedido do Juiz Eleitoral para juntada do termo.
Encaminhem-se os documentos de volta ao Juízo Eleitoral.
P. I.
Belo Horizonte, 02 de abril de 2013.
Juiz Carlos Alberto Simões de Tomaz
Relator

RECURSO ELEITORAL Nº 1-49.2013.6.13.0166 MATIAS CARDOSO-MG 166ª Zona Eleitoral (MANGA)


Recorrente: JUAREZ ALVES PEREIRA, candidato a Prefeito, não eleito
ADVOGADO: ELVIS SINATRA DE SOUZA
Recorrido: EDMARCIO MOURA LEAL, candidato a Prefeito, eleito
Recorrido: CÍCERO CORDEIRO DO NASCIMENTO, candidato a Vice-Prefeito, eleito
Juiz Maurício Pinto Ferreira
Protocolo: 612/2013
Vistos, etc.
Trata-se de recurso interposto por Juarez Alves Pereira contra sentença que extinguiu o feito sem resolução do mérito, suscitando de ofício a
decadência do direito do impugnante, nos termos do art. 14, § 10 da Constituição Federal e do art. 269, IV do CPC.
Alega o recorrente que o prazo decadencial para propositura da AIME não se suspende, prorrogando-se ao primeiro dia útil subseqüente acaso
finde-se durante o recesso forense.
O Ministério Público de primeiro grau manifestou-se pelo provimento do recurso (fls. 40/42) a que lhe seguiu o douto Procurador Regional
Eleitoral (fls. 45/47).
A sentença recorrida aponta que os candidatos eleitos foram diplomados no dia 17.12.2012 (segunda-feira), quando o prazo para a
interposição da ação iniciou-se dia 18.12.2012 (terça-feira) e, computados os 15 dias a partir da referida diplomação, teria como termo o dia
1º.01.2013 (terça-feira), feriado da Confraternização Universal, o que autorizaria sua prorrogação, de toda forma, até o dia 2.01.2013, quando,
protocolizado aos 3.01.2013, determinou o reconhecimento da decadência do direito do impugnante.
Ora, reiterada jurisprudência desta e. Corte Eleitoral e da c. Corte Superior conforma-se no sentido de que, em se tratando de prazo
decadencial cujo termo para a propositura da AIME dá-se durante o recesso forense, mesmo que haja funcionamento do cartório em regime de
plantão, prorroga-se para o primeiro dia útil seguinte, não se consumando a decadência.
Assim sendo, tendo em vista que o prazo para a propositura da Ação de Impugnação de Mandato Eletivo, ora promovida contra os ora
recorridos, terminou aos 7.01.2013, primeiro dia útil subseqüente ao fim do recesso forense, quando a ação fora proposta aos 03.01.2013,
afasta-se a decadência suscitada pela magistrada de primeiro grau, a sustentar sentença que extinguiu o feito com resolução de mérito para
anulá-la, nos termos da jurisprudência desta e. Corte Eleitoral, determinando-se o regular prosseguimento do feito.
Assim determino a baixa dos autos a ZE de origem para regular processamento do feito.
Cumpra-se.
Belo Horizonte, 2 de abril de 2013.
Juiz Maurício Pinto Ferreira
Relator

RECURSO ELEITORAL Nº 103-84.2013.6.13.0000 UBERABA-MG 276ª Zona Eleitoral (UBERABA)


Recorrente: ANDERSON ADAUTO PEREIRA
Recorrente: ÂNGELA MAYRINK PEREIRA
Recorrente: CLEBER HUMBERTO DE SOUSA RAMOS
Recorrente: ADALBERTO PAGLIARO JÚNIOR
Recorrente: EURÍPEDES ALVES CARVALHO
Recorrente: EDSON PEREIRA DE ALMEIDA
Recorrente: ALEXANDRE DE SOUSA PIRES
Recorrente: HÉLIO LUIZ DE SOUSA MELO
Recorrente: AYMAR JORGE RIBEIRO HYAL
Recorrente: LUIS FLÁVIO VILELA MESQUITA
Recorrente: DJALMA VIEIRA DO CARMO
Recorrente: VIVIANE LOMBARDI MASCARENHAS
Recorrente: RAIMUNDO ANTÔNIO VIEIRA
Recorrente: PAULO AFFONSO SILVEIRA
Recorrente: JOÃO ADALBERTO DE ANDRADE
Recorrente: ALAN KARDEC BATISTA DE OLIVEIRA
Recorrente: MARIA APARECIDA FERREIRA
Recorrente: CESAR DONIZETTI MARTINS
Recorrente: FERNANDO BARBOSA VILAS BOAS
Recorrente: DANILO COSTA FERRARI
Recorrente: NARA SILVA DE OLIVEIRA
Recorrente: ALCEU VIEIRA DE SOUSA NETO
Recorrente: RODRIGO MATEUS DE OLIVEIRA SIGNORELLI
Recorrente: HÉLIO FRANÇA DE OLIVEIRA
Recorrente: RICARDO RIBEIRO SARMENTO
Recorrente: JOSÉ LUIZ GUIMARÃES DO AMARAL
Recorrente: RAFAEL MENDES
Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 13
Recorrente: RONEI DA SILVA NUNES
Recorrente: JOSÉ VANDIR DE OLIVEIRA
Recorrente: VALDEMAR HIAL
Recorrente: GERALDO AFONSO MILAGRES
ADVOGADO: JOÃO BATISTA DE OLIVEIRA FILHO
ADVOGADO: JOSÉ SAD JÚNIOR
ADVOGADO: RODRIGO ROCHA DA SILVA
ADVOGADO: THIAGO LOPES LIMA NAVES
ADVOGADO: IGOR BRUNO SILVA DE OLIVEIRA
ADVOGADO: BRUNO DE MENDONÇA PEREIRA CUNHA
ADVOGADO: JOÃO ADALBERTO DE ANDRADE
ADVOGADO: PAULO AFFONSO SILVEIRA
ADVOGADO: ALEXANDRE DE SOUSA PIRES
Recorrido: DIRETÓRIO ESTADUAL DO PARTIDO DO MOVIMENTO DEMOCRÁTICO BRASILEIRO - PMDB
ADVOGADO: MATEUS MOURA LIMA GOMES
ADVOGADO: WEDERSON ADVÍNCULA SIQUEIRA
ADVOGADO: RODRIGO LÁZARO DA SILVA
ADVOGADA: DÉBORA MÉRCIA DE OLIVEIRA GOMES
ADVOGADO: CARLOS MAGNO BRACARENSE
ADVOGADO: PÚBLIO EMÍLIO ROCHA
Recorrido: COMISSÃO INTERVENTORA DO PARTIDO DO MOVIMENTO DEMOCRÁTICO BRASILEIRO - PMDB
Recorrido: ANTÔNIO EUSTÁQUIO ANDRADE FERREIRA
Recorrido: FERNANDO CARLOS HUEB DE MENEZES
Recorrido: MAURIDES PAULO DUTRA
Recorrido: MAURO RIBEIRO LOPES
Recorrido: ANTÔNIO JÚLIO DE FARIA
Juíza Alice de Souza Birchal
Protocolo: 40.021/2013
DECISÃO
Trata-se de recurso contra a sentença de extinção do processo sem resolução de mérito por ilegitimidade ativa, proferida nos autos nº
0216745-51.2012.8.13.0701, que tramitaram na 3ª Vara Cível da Comarca de Uberaba, no qual, em segunda instância, houve o declínio da
competência da Justiça Comum Estadual para esta Justiça Especializada.
Os recorrentes, membros do Diretório Municipal do Partido do Movimento Democrático Brasileiro - PMDB no Município de Uberaba,
propuseram a presente ação ordinária para a declaração de nulidade da intervenção determinada pelo Diretório Estadual no órgão municipal.
Antes da decisão terminativa, houve interposição de agravo de instrumento 1.701.12.021674-5/002 contra decisão que revogou a primeira
decisão liminar, com concessão de efeito suspensivo pelo Desembargador José Marcos Vieira, da 16ª Câmara Cível do TJMG, para suspender
os efeitos da intervenção. Foi proposta a ação cautelar nº 1.0000.12.084119-2/000, onde foi concedido pedido liminar para a suspensão do
agravo até o julgamento da cautelar.
Nos dois processos ocorreu o declínio de competência para esta Justiça Eleitoral, encontrando-se os dois arquivados por perda de objeto,
tendo em vista o transcurso das eleições. Agora vieram os autos principais.
É o necessário relatório.
DECIDO.
Analisando o feito, verifico que a questão controvertida cuida da nulidade, ou não, da intervenção do Diretório Estadual do PMDB no Diretório
Municipal de Uberaba. As decisões que reconheceram a competência absoluta desta Justiça Especializada se basearam nos inquestionáveis
reflexos para o processo eleitoral.
De fato, nos autos dos RE 326-19, RE 327-04 e RE 139-11, este Tribunal Regional, com base em assentada jurisprudência do TSE, conheceu
das questões eminentemente intrapartidárias com reflexos diretos nas Eleições 2012 e julgou válidas as deliberações da Comissão
Interventora por meio da convenção partidária realizada em 17/6/2012.
Confira:
Recurso Eleitoral. Registro de Candidatura. Eleições 2012. Coligação. Majoritária. DRAP. Impugnação. Invalidade de convenção partidária.
Registro deferido em parte. Exclusão de partidos.
1- Quanto ao PMDB - Convenção realizada por Comissão Interventora. É pacífico na jurisprudência eleitoral que atos de natureza
intrapartidária em período eleitoral e que tenham potencial de influenciar no pleito passam a ser apreciados por esta Justiça Especializada.
Precedente.
Violação às regras estatutárias e aos princípios do contraditório e da ampla defesa não evidenciada. Existência de procedimento
administrativo, com defesa escrita, instrução e julgamento. Convenção realizada por órgão legítimo para representar o partido e praticar o ato.
Deliberações da convenção aprovadas pelos órgãos superiores do PMDB. Requerimento de registro assinado pelo Presidente do Diretório
Municipal restituído à função de representante do partido na mesma data. Registro deferido para o partido integrar a coligação.
(...) Recurso parcialmente provido.
(RE 326-19, Acórdão de 17/8/2012, Relator(a) ALICE DE SOUZA BIRCHAL, Publicação: PSESS - Publicado em Sessão, data 17/8/2012) (g.n.)
Desse modo, a questão já foi decidida, encontrando-se sob o manto da coisa julgada material.
Ademais, verifico que a demanda merece ser extinta porque perdeu seu objeto com a realização das eleições.
Com efeito, consumadas as eleições municipais, houve a consolidação das candidaturas conforme decidido nos autos de registro não
pendentes de recurso eleitoral.
Vê-se, portanto, que o presente recurso perdeu seu objeto, sobrevindo, dessa maneira, a perda superveniente do interesse recursal, na
medida em que não há mais utilidade da prestação jurisdicional para as eleições 2012.
Nesse sentido, já decidiu o c. TSE:
ELEIÇÕES 2008. Agravo regimental no agravo de instrumento. Exceção de incompetência. Convenção partidária. Pré-candidatos aos cargos
de prefeito e vice excluídos por intervenção do diretório regional na comissão municipal. Ocorrência das eleições. Inviabilidade prática do
recurso. Prejudicado. Perda do objeto. Agravo a que se nega provimento. A ocorrência das eleições fulmina a viabilidade recursal, por absoluta
superveniência fática que atingiu o direito material pleiteado e o interesse recursal temporal. O debate da causa, caso ocorresse, seria
meramente teórico, o que não é admitido nesta via. (d.n.)

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 14
(Agravo Regimental em Agravo de Instrumento nº 9541, Acórdão de 18/11/2008, Relator(a) Min. JOAQUIM BENEDITO BARBOSA GOMES,
Publicação: PSESS - Publicado em Sessão, Data 18/11/2008)
Assim, ante a manifesta prejudicialidade, nos termos do inciso XXIV do art. 69 do Regimento Interno desta Casa, nego seguimento ao recurso.
P.R.I.
Belo Horizonte, 2 de abril de 2013.
Juíza Alice de Souza Birchal
Relatora

RECURSO ELEITORAL Nº 335-47.2012.6.13.0157 LAGOA SANTA-MG 157ª Zona Eleitoral (LAGOA SANTA)
Recorrente: BRENO SALOMÃO GOMES, candidato a Prefeito, não eleito
Recorrente: REINALDO PINTO COELHO, candidato a Vice-Prefeito, não eleito
Recorrente: COLIGAÇÃO LAGOA SANTA NO RUMO CERTO
ADVOGADA: ANA MÁRCIA DOS SANTOS MELLO
ADVOGADA: RENATA CASTANHEIRA DE BARROS WALLER
ADVOGADA: CARLA MÁRCIA BOTELHO RUAS
ADVOGADO: MARCOS DE OLIVEIRA VASCONCELOS JÚNIOR
ADVOGADO: CÉLIO LOPES DE ASSIS
ADVOGADA: TÚLIA DIAS MARTINS
ADVOGADA: BEATRIZ SANTANA DUARTE
ADVOGADO: BRUNO PEREIRA SANTOS
Recorrido: PARTIDO SOCIALISMO E LIBERDADE - PSOL
ADVOGADO: WELLINGTON OLIVEIRA DE ANDRADE
Juiz Carlos Alberto Simões de Tomaz
Petição Protocolo: 780.233/2012, subscrita pela Dra. ANA MÁRCIA DOS SANTOS MELLO e outra:
Defiro o pedido de vista requerido, pelo prazo de 05 dias.
P.I.
Belo Horizonte, 02 de abril de 2013.
Juiz Carlos Alberto Simões de Tomaz

RECURSO ELEITORAL Nº 575-21.2012.6.13.0259 POUSO ALTO-MG 259ª Zona Eleitoral (SÃO LOURENÇO)
Recorrente: ERIK BRUNO RIBEIRO
Recorrente: PAULO MANCILHA RANGEL
Recorrente: JOÃO CARLOS RIBEIRO RABELO
ADVOGADO: JOSÉ MANOEL GUIMARÃES PEREIRA
ADVOGADA: NÁDIA FLAUZINO DIAS PEREIRA
Recorrente: COLIGAÇÃO RENOVA POUSO ALTO JÁ
Recorrente: ALEX FABIANO RUSSANO FONSECA
Recorrente: JULIANO CLÁUDIO DA SILVA
ADVOGADO: GIOVANNI DE PAULA MARTINS
ADVOGADO: LÚCIO OLIVEIRA SILVA
ADVOGADA: RENATA LAUDIZIA FRANZ DE OLIVEIRA SILVA
ADVOGADO: FABRÍCIO SOUZA DUARTE
Recorrido: MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL
Juiz Maurício Soares
Protocolo: 470.673/2012
Intime-se a COLIGAÇÃO "RENOVA POUSO ALTO JÁ", para que junte procuração, nos autos, conforme art. 13, do Código de Processo Civil,
no prazo de cinco dias.
P.I.
Belo Horizonte, 02 de abril de 2013.
Juiz Maurício Soares
Relator

RECURSO ELEITORAL Nº 875-61.2012.6.13.0233 ITUETA-MG 233ª Zona Eleitoral (RESPLENDOR)


Recorrente: ORESTES BALDON, candidato a Prefeito, eleito, 1º recorrente
ADVOGADO: SAINT CLAIR CAMPANHA FILHO
ADVOGADO: AIRTON BONISSON JÚNIOR
ADVOGADO: GUILERME OCTÁVIO SANTOS RODRIGUES
ADVOGADO: TARSO DUARTE DE TASSIS
ADVOGADO: LEONARDO DIAS SARAIVA
Recorrente: CLÁUDIO BORCHADT, candidato a Vice-Prefeito, eleito, 2º recorrente
ADVOGADA: CELISE BARREIROS LAVIOLA CABRAL DE LIRA
ADVOGADO: SAINT CLAIR CAMPANHA FILHO
ADVOGADA: GIOVANA CREMASCO BARACHO
ADVOGADA: THAUANA TRINDADE MENDES
ADVOGADO: JORGE LUIZ XAVIER DA SILVA
ADVOGADO: AIRTON BONISSON JÚNIOR
ADVOGADO: GUILERME OCTÁVIO SANTOS RODRIGUES
ADVOGADO: TARSO DUARTE DE TASSIS
ADVOGADO: LEONARDO DIAS SARAIVA
Recorrente: COLIGAÇÃO A MUDANÇA QUE O POVO QUER, 3º recorrente
ADVOGADO: ROMILDO VELLO CREMASCO TAVARES
Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 15
Recorrido: COLIGAÇÃO A MUDANÇA QUE O POVO QUER, 1º e 2º recorrido
Recorrido: ORESTES BALDON, 3º recorrido
Recorrido: CLÁUDIO BORCHADT, 3º recorrido
Juiz Maurício Soares
Protocolo: 763.687/2012
Intime-se ORESTES BALDON a regularizar sua representação, no prazo de três dias, considerando que, conforme nota da contestação de fls.
295, os Doutores Saint-Clair Campanha Filho, Celise Barreiros Laviola Cabral de Lira, Giovana Cremasco Baracho, Thauara Trindade Mendes,
Jorge Luiz Xavier da Silva não possuíam procuração dele para atuar em juízo e que com o recurso apresentado por ORESTES BALDON
houve substabelecimento, em que o Dr. Saint-Clair Campanha Filho substabelece, com resevas de poderes, ao Dr. Airton Bonisson Júnior.
Após, conclusos.
P.I.
Belo Horizonte, 2 de abril de 2015.
Juiz Maurício Soares
Relator

RECURSO ELEITORAL Nº 1440-45.2012.6.13.0000 GURINHATÃ-MG 141ª Zona Eleitoral (ITUIUTABA)


Agravante: GILVAN GONÇALVES DE SOUZA, candidato a Vereador eleito
ADVOGADO: ORLANDO ARAGÃO NETO
ADVOGADA: LIZZA BETHONICO ARAGÃO
ADVOGADO: TIAGO GAUDERETO STRINGHETA
Agravado: JUSTIÇA ELEITORAL
Juiz Maurício Soares
Protocolo: 823.751/2012
DECISÃO
A e. Juiz Plantonista, Alice de Souza Birchal, assim relatou:
"Trata-se de agravo de instrumento, com pedido de liminar, impetrado por GILVAN GONÇALVES DE SOUZA, candidato a Vereador, contra
decisão liminar, proferida nos autos de nº 1326-71.2012.6.13.0141, pelo MM. Juiz da 141ª Zona Eleitoral, de Ituiutaba.
Relata o agravante que teria proposto "ação declaratória de nulidade de sentença em face de decisão que indeferiu o registro de candidatura
para disputar as eleições proporcionais (...)" (fl. 4) Alega haver vício na decisão em tela, pois teria partido de premissa falsa. Aventa, assim,
não haver alternativa, senão a propositura da ação de nulidade contra a sentença que indeferira seu registro. Nesse contexto, assevera ser
irrazoável impedir a contabilização dos votos em seu nome ao cargo de Vereador, através do quociente eleitoral.
Evoca o risco de dano irreparável, em vista da proximidade da posse e da passagem da data da diplomação, no dia 19.12.2012. Invoca a
aplicação do art. 273, §2º do CPC, repisando que "impedir a diplomação/posse de um candidato com base em premissa inexistente, sendo que
reunia todos os requisitos de elegibilidade e teve sua candidatura referendada nas urnas é, em última análise, impedir que a própria
comunidade que o elegeu exerça efetivamente seu sagrado direito de escolher seus representantes." (fl.11)
Por derradeiro, clama provimento ao agravo, confirmando-se a antecipação dos efeitos da tutela, de modo a resguardar-lhe o direito à posse,
até decisão final da ação anulatória.
É o breve relato do que se faz necessário."
Em decisão de fls. 159-161, a Juíza Alice Birchal indeferiu a liminar.
O Procurador Regional Eleitoral opinou pelo não provimento do agravo (fls. 163-164).
É o relatório. DECIDO.
Em consulta ao Sistema de Acompanhamento de Documentos e Processos - SADP -, nota-se que, em 4-2-2013, foi proferida sentença nos
autos da Petição 1326-71.2012.6.13.0141. Assim sendo, houve a perda superveniente do interesse de agir em relação a esse agravo de
instrumento.
Posto isso, com base no art. 557 do Código de Processo Civil, nego seguimento ao recurso. P.I.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013.
Juiz Maurício Soares
Relator

REGISTRO DE ÓRGÃO DE PARTIDO POLÍTICO EM FORMAÇÃO Nº 1435-23.2012.6.13.0000 BELO HORIZONTE-MG


Requerente: PARTIDO DA TRANSFORMAÇÃO SOCIAL - PTS
Juiz Carlos Alberto Simões de Tomaz
Protocolo: 820.358/2012
Indefiro o pedido de desentranhamento das 312 certidões, de fls. 397. O interessado poderá extrair cópias das referidas certidões, caso queira.
O requerente já teve o prazo prorrogado para apresentar a documentação faltante, como se vê do despacho de fls. 385.
Intime-se o requerente para juntar os documentos indicados no parecer da secretaria judiciária às fls. 326, no prazo de 60 dias improrrogáveis.
Após esse prazo, faça conclusão do processo.
P. I.
Belo Horizonte, 02 de abril de 2013.
Juiz Carlos Alberto Simões de Tomaz
Relator

Rogério de Faria Corrêa, Seção de Controle de Feitos e Atos Processuais.

CRI - SEÇÃO DE AUTUAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO PROCESSOS

Ata de distribuição de 02/04/2013

Ata de Distribuição Ordinária, realizada em 2 de abril de 2013, presidida pelo Exmo. Sr. Desembargador Antônio Carlos Cruvinel, Presidente.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 16
Foram distribuídos pelo Sistema de Acompanhamento de Documentos e Processos - SADP, os seguintes feitos:

Ação Cautelar nº 183-48.2013.6.13.0000. NINHEIRA-MG (237ª ZONA ELEITORAL - RIO PARDO DE MINAS). Requerente(S): NARQUES
ROCHA, eleito Prefeito. ADVOGADO(S): GUILERME OCTÁVIO SANTOS RODRIGUES, TARSO DUARTE DE TASSIS, LEONARDO DIAS
SARAIVA. Requerido(S): PARTIDO TRABALHISTA BRASILEIRO - PTB, PARTIDO DA MOBILIZAÇÃO NACIONAL - PMN. RESUMO: AÇÃO
CAUTELAR - INCIDENTAL - AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL - ABUSO - DE PODER ECONÔMICO - DE PODER
POLÍTICO / AUTORIDADE - CAPTAÇÃO ILÍCITA DE SUFRÁGIO - CONDUTA VEDADA A AGENTE PÚBLICO - AÇÃO JULGADA
PARCIALMENTE PROCEDENTE - CASSAÇÃO DE DIPLOMA - CONDENAÇÃO EM MULTA - DECLARAÇÃO DE INELEGIBILIDADE -
REALIZAÇÃO DE NOVA ELEIÇÃO - PEDIDO DE EFEITO SUSPENSIVO A RECURSO - PEDIDO DE CONCESSÃO DE LIMINAR. Relator:
Juiz Flávio Bernardes. Distribuição automática. Protocolo: 85.345/2013.

Ação Penal nº 184-33.2013.6.13.0000. ITAMOGI-MG (301ª ZONA ELEITORAL - ITAMOGI). Denunciante(S): JANOÁRIO ARANTES.
ADVOGADO(S): JOÃO JOSÉ DE OLIVEIRA JÚNIOR. Denunciado(S): OSMAIR MARTINS, Prefeito, LUCIANO AUGUSTO COSTA DE LIMA,
Vice-Prefeito, JOSÉ OSMAR ROBERTO CARDEAL. RESUMO: AÇÃO PENAL - C.E., ART. 324 - C.E., ART. 325 - C.E., ART. 326 - C.E., ART.
327 - PEDIDO DE CONDENAÇÃO CRIMINAL. Relator: Juíza Alice de Souza Birchal. Distribuição por prevenção. Protocolo: 86.035/2013.

Ação Penal nº 185-18.2013.6.13.0000. ITAMOGI-MG (301ª ZONA ELEITORAL - ITAMOGI). Denunciante(S): JOÃO BATISTA SALOMONE.
ADVOGADO(S): JOÃO JOSÉ DE OLIVEIRA JÚNIOR. Denunciado(S): OSMAIR MARTINS, Prefeito, LUCIANO AUGUSTO COSTA DE LIMA,
Vice-Prefeito, JOSÉ OSMAR ROBERTO CARDEAL. RESUMO: AÇÃO PENAL - C.E., ART. 324 - C.E., ART. 326 - C.E., ART. 327 - PEDIDO
DE CONDENAÇÃO CRIMINAL. Relator: Juíza Alice de Souza Birchal. Distribuição por prevenção. Protocolo: 86.037/2013.

Ação Penal nº 186-03.2013.6.13.0000. ITAMOGI-MG (301ª ZONA ELEITORAL - ITAMOGI). Denunciante(S): AGMAR CARLOS DE PARIZ.
ADVOGADO(S): JOÃO JOSÉ DE OLIVEIRA JÚNIOR. Denunciado(S): OSMAIR MARTINS, Prefeito, LUCIANO AUGUSTO COSTA DE LIMA,
Vice-Prefeito, JOSÉ OSMAR ROBERTO CARDEAL. RESUMO: AÇÃO PENAL - C.E., ART. 324 - C.E., ART. 325 - C.E., ART. 326 - C.E., ART.
327 - PEDIDO DE CONDENAÇÃO CRIMINAL. Relator: Juíza Alice de Souza Birchal. Distribuição por prevenção. Protocolo: 86.036/2013.

Recurso Eleitoral nº 19-71.2013.6.13.0101. DIAMANTINA-MG (101ª ZONA ELEITORAL - DIAMANTINA). Recorrente(S): COLIGAÇÃO
DIAMANTINA UNIDA MAIS AINDA. ADVOGADO(S): GUILHERME DIAS BRUCE. Recorrido(S): RAGOSINO FERREIRA DE ARAÚJO,
candidato a Prefeito, RONALDO FERREIRA DA SILVA, candidato a Vice-Prefeito. ADVOGADO(S): JEAN KARLLO DE ARAÚJO, ITAMAR
COTA PIMENTEL, MAURO JORGE DE PAULA BOMFIM. RESUMO: IMPUGNAÇÃO AO REGISTRO DE CANDIDATURA - RRCI -
CANDIDATO INDIVIDUAL - CARGO - PREFEITO - VICE-PREFEITO - REQUERIMENTO INTEMPESTIVO - ELEIÇÃO SUPLEMENTAR -
AÇÃO JULGADA IMPROCEDENTE - REGISTRO DEFERIDO. Relator: Desembargador Wander Marotta. Distribuição automática. Protocolo:
65.509/2013.

Recurso Eleitoral nº 382-23.2012.6.13.0124. GUARANI-MG (124ª ZONA ELEITORAL - GUARANI). Recorrente(S): COLIGAÇÃO GUARANI EM
BOAS MÃOS. ADVOGADO(S): MAURO JORGE DE PAULA BOMFIM, JOÃO FRANCISCO DA SILVA, RODRIGO SILVA MORAIS, ALFREDO
AMARAL DE CARVALHO JÚNIOR, ANA ANGÉLICA OTTONI. Recorrido(S): PAULO CÉSAR SANTOS NEVES, candidato a Prefeito, eleito,
GILSEIA APARECIDA DE FREITAS SILVA, candidata a Vice-Prefeita, eleita. ADVOGADO(S): GERALDO LUIZ COSTA DOMINATO.
RESUMO: REPRESENTAÇÃO - CAPTAÇÃO OU GASTO ILÍCITO DE RECURSOS FINANCEIROS DE CAMPANHA ELEITORAL - AÇÃO
JULGADA IMPROCEDENTE. Relator: Juiz Carlos Alberto Simões de Tomaz. Distribuição automática. Protocolo: 822.383/2012.

Recurso Eleitoral nº 453-96.2012.6.13.0068. CAPELA NOVA-MG (68ª ZONA ELEITORAL - CARANDAÍ). Recorrente(S): LUIZ GONZAGA DA
SILVA, candidato a Prefeito, eleito, IRIS BATISTA GOMES, candidata a Vice-Prefeita, eleita. ADVOGADO(S): GISELA SILVEIRA ALVES DE
MIRANDA, EDILENE LÔBO. Recorrido(S): ADELMO DE REZENDE MOREIRA, candidato a Prefeito, não eleito, ALESSANDRO GLÁUCIO
GONÇALVES PEREIRA, candidato a Vice-Prefeito, não eleito. ADVOGADO(S): LEANDRO AUGUSTO PINTO ABIDALLA, RICARDO
VANDERLEI SILVA. RESUMO: REPRESENTAÇÃO - CAPTAÇÃO ILÍCITA DE SUFRÁGIO - AÇÃO JULGADA PROCEDENTE - CASSAÇÃO
DE REGISTRO DE CANDIDATURA - CONDENAÇÃO EM MULTA. Relator: Juiz Flávio Bernardes. Redistribuição não Automática. Protocolo:
588.056/2012.

Recurso Eleitoral nº 523-46.2012.6.13.0155. CHÁCARA-MG (155ª ZONA ELEITORAL - JUIZ DE FORA). Recorrente(S): MARCELO
GONÇALVES GAMA. ADVOGADO(S): ANDRE ROCHA COUTO. Recorrido(S): MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL. RESUMO: PRESTAÇÃO
DE CONTAS - DE CANDIDATO - VEREADOR - DESAPROVAÇÃO / REJEIÇÃO DAS CONTAS. Relator: Juiz Flávio Bernardes. Distribuição
automática. Protocolo: 681.153/2012.

Recurso Eleitoral nº 641-93.2012.6.13.0196. NOVO CRUZEIRO-MG (196ª ZONA ELEITORAL - NOVO CRUZEIRO). Recorrente(S):
RONALDO VAZ RAMOS. ADVOGADO(S): QUINTINO GOMES FILHO, VANDERLEI LAGO RAMOS. Recorrido(S): JUSTIÇA ELEITORAL.
RESUMO: PRESTAÇÃO DE CONTAS - DE CANDIDATO - CARGO - VEREADOR - NÃO APRESENTAÇÃO DAS CONTAS. Relator: Juiz
Maurício Pinto Ferreira. Redistribuição ao Efetivo. Protocolo: 611.099/2012.

Recurso Eleitoral nº 772-56.2012.6.13.0200. OURO PRETO-MG (200ª ZONA ELEITORAL - OURO PRETO). Recorrente(S): MAURÍCIO
MOREIRA. ADVOGADO(S): ANTÔNIO RAMOS, FELIPE DE ALMEIDA PEREIRA RAMOS, MÁRCIO GABRIEL DINIZ, RENATO CAMPOS
GALUPPO, ADRIANA DE OLIVEIRA MARTINI, SÂMIA DINIZ, ANDRÉ SOUSA DINIZ, VIVIANE DINIZ. Recorrido(S): JUSTIÇA ELEITORAL.
RESUMO: PRESTAÇÃO DE CONTAS - DE CANDIDATO - CARGO - VEREADOR - NÃO APRESENTAÇÃO DAS CONTAS. Relator: Juiz
Carlos Alberto Simões de Tomaz. Redistribuição ao Efetivo. Protocolo: 598.825/2012.

Recurso Eleitoral nº 1063-02.2012.6.13.0218. PIRAPORA-MG (218ª ZONA ELEITORAL - PIRAPORA). Recorrente(S): HELIOMAR VALLE DA
SILVEIRA, candidato a Prefeito. ADVOGADO(S): DEOCLIDES WELLINGTON SOARES FIGUEIREDO, ADRIANNA BELLI PEREIRA DE
SOUZA, GABRIELA BERNARDES DE VASCONCELLOS LOPES, HENRIQUE MATHEUS MARIANI SOSSAI, Gabriel Eustáquio Maia da Silva,
RAPHAELA APARECIDA NERY. Recorrente(S): COLIGAÇÃO JUNTOS SOMOS MUITO MAIS. ADVOGADO(S): FABIANO MEDEIROS
PINTO, ADRIANNA BELLI PEREIRA DE SOUZA, GABRIELA BERNARDES DE VASCONCELLOS LOPES, HENRIQUE MATHEUS MARIANI
SOSSAI, Gabriel Eustáquio Maia da Silva, RAPHAELA APARECIDA NERY. Recorrido(S): MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL. RESUMO:
REPRESENTAÇÃO - PROPAGANDA ELEITORAL IRREGULAR - INTERNET - AÇÃO JULGADA PROCEDENTE - CONDENAÇÃO EM
MULTA. Relator: Juiz Maurício Soares. Redistribuição não Automática. Protocolo: 404.500/2012.

Recurso Eleitoral nº 1191-15.2012.6.13.0091. CONTAGEM-MG (91ª ZONA ELEITORAL - CONTAGEM). Recorrente(S): CIRO WELINGTON
DE CAMPOS. ADVOGADO(S): SILVÉRIO DE OLIVEIRA CÂNDIDO, RAFAEL BAUDSON FRANÇA, ALEXANDRE SOARES DE SOUZA.
Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 17
Recorrido(S): MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL. RESUMO: PRESTAÇÃO DE CONTAS - DE CANDIDATO - CARGO - VEREADOR - NÃO
APRESENTAÇÃO DAS CONTAS. Relator: Juiz Carlos Alberto Simões de Tomaz. Redistribuição ao Efetivo. Protocolo: 717.348/2012.

Recurso Eleitoral nº 1202-72.2012.6.13.0017. ARAXÁ-MG (17ª ZONA ELEITORAL - ARAXÁ). Recorrente(S): PARTIDO DA REPÚBLICA -
PRARACELY DE PAULA, candidato a Prefeito não eleito. ADVOGADO(S): GUILERME OCTÁVIO SANTOS RODRIGUES, TARSO DUARTE
DE TASSIS, LEONARDO DIAS SARAIVA, JOSÉ GAUDÊNCIO ROCHA DA CUNHA, DÉBORA DE MELO VALE, JOSÉ GAUDÊNCIO ROCHA
DA CUNHA JÚNIOR. Recorrido(S): JEOVÁ MOREIRA DA COSTA, candidato a Prefeito reeleito, FÁTIMA ALVES E CASTRO, candidata a
Vice-Prefeita eleita. ADVOGADO(S): RODRIGO FARNESI DE ARAÚJO, ANTÔNIO CARLOS GONÇALVES, JONATHAN RENAULD DE
OLIVEIRA FERREIRA. RESUMO: AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO JUDICIAL ELEITORAL - ABUSO - DE PODER ECONÔMICO - DE PODER
POLÍTICO / AUTORIDADE - USO INDEVIDO DE MEIO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL - CONDUTA VEDADA A AGENTE PÚBLICO -
LITISPENDÊNCIA - AÇÃO JULGADA IMPROCEDENTE. Relator: Juíza Alice de Souza Birchal. Distribuição por prevenção (art. 260, CE)
Municipal. Protocolo: 810.506/2012.

Sara Mansur Martinello, Seção de Autuação e Distribuição de Processos.

CRP - SEÇÃO DE GERENCIAMENTO DE DADOS PARTIDÁRIOS

Editais e Avisos

A Secretaria do e. Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais torna pública a obrigatoriedade do encaminhamento de novo recibo do SGIPEX
pelo partido político a seguir relacionado, a fim de sanar irregularidade apresentada em requerimento de anotação de órgão partidário
municipal:

Partido do Movimento Democrático Brasileiro - PMDB


Município: Moema
Protocolo nº 85.277, de 01/04/2013
O partido deverá gerar e encaminhar novo recibo de anotação do SGIPEX corrigindo a coincidência de título eleitoral havida entre o 2º Vice-
Presidente e o Secretário Geral.

Publica-se o presente para ciência dos interessados.


Belo Horizonte, 04 de abril de 2013.
Paulo Rogério Moura Drummond – Chefe da Seção de Gerenciamento de Dados Partidários/ Annelise Barbosa Duarte – Coordenadora de
Registros Eleitorais e Partidários/ Barbara Maria Marotta- Secretária Judiciária

COS - SEÇÃO DE APANHAM. E COMPOS. DE NOTAS TAQUIG.

COBRANÇA DE AUTOS

Intimamos o Dr. Vlarismar José Aguiar Mota, inscrito na OABMG sob o nº 112.753, a devolver a esta Seção, no prazo de 24 (vinte e quatro)
horas, sob pena de busca e apreensão, os autos do Recurso Eleitoral nº 1097-37.2012.6.13.0101 retirados mediante carga em 1º/4/2013.

Danuza de Oliveira Canabrava Maia, Chefe da SACOM.

SECRETARIA DE ORÇAMENTO E FINANÇAS

ATOS DA SECRETARIA

Concessão de diárias

O Presidente e a Diretora-Geral do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, no uso de suas atribuições e de acordo com a Resolução nº
23.323/10, do c. Tribunal Superior Eleitoral e Resolução TRE-MG nº 738/09, concederam diárias e autorizaram o respectivo pagamento,
conforme abaixo:

Concessão de diárias nº 84/2013


FAVORECIDO: Rogério Bernardes de Faria Tavares
CARGO/FUNÇÃO: CJ-02
NÚMERO DE DIÁRIAS : 3,50
VALOR UNITÁRIO: R$ 316,00
DEDUÇÃO AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO: R$ 96,81
DEDUÇÃO AUXÍLIO TRANSPORTE:
DEDUÇÃO INSS:
ADICIONAL (IS): R$ 211,20
VALOR TOTAL: R$ 1.220,39
VIAGEM A : CE - Fortaleza
Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 18
DIA(S) DE ESTADA: 10/04/2013 a 13/04/2013
NATUREZA DO SERVIÇO: 59º Encontro do Colégio de Presidentes - 2013 - 11/04/2013 09:00 a 12/04/2013 18:00 - Assessorar o
desembargador presidente no Encontro do Colégio de Presidentes de TREs, do qual é o secretário
PT: (59444 - Julgamento de Causas e Gestão Administrativa na Justiça Eleitoral - AOSA DIARIA )
DATA AUTORIZAÇÃO DESPESA: 01/04/2013
Belo Horizonte, 02/04/2013
ELIZABETH REZENDE BARRA
Diretora-Geral

Concessão de diárias nº 87/2013


FAVORECIDO: Júlio César Diniz Rocha
CARGO/FUNÇÃO: CJ-02
NÚMERO DE DIÁRIAS : 0,50
VALOR UNITÁRIO: R$ 316,00
DEDUÇÃO AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO: R$ 32,27
DEDUÇÃO AUXÍLIO TRANSPORTE:
DEDUÇÃO INSS:
ADICIONAL (IS): R$ 211,20
VALOR TOTAL: R$ 336,93
VIAGEM A : DF - Brasília
DIA(S) DE ESTADA: 02/04/2013 a 02/04/2013
NATUREZA DO SERVIÇO: II Reunião do Grupo de Trabalho de Normas e Sistemas Eleitorais - 02/04/2013 09:00 a 03/04/2013 18:00 -
APRESENTAR AOS PARTICIPANTES DO GRUPO DE TRABALHO DAS CONTAS ELEITORAIS O SICOF - SISTEMA DE CONTROLE
CONCOMITANTE E FISCALIZAÇÃO DOS GASTOS DE CAMPANHA, UTILIZADO NAS ELEIÇÕES DE 2010 E 2012 EM MG E
DESENVOLVIDO PELA CEP/SCI/TRE-MG.
PT: (59444 - Julgamento de Causas e Gestão Administrativa na Justiça Eleitoral - AOSA DIARIA )
DATA AUTORIZAÇÃO DESPESA: 01/04/2013
Belo Horizonte, 02/04/2013
ELIZABETH REZENDE BARRA
Diretora-Geral

Concessão de diárias nº 90/2013


FAVORECIDO: Antônio Vieira dos Reis Carellos
CARGO/FUNÇÃO: CJ-03
NÚMERO DE DIÁRIAS : 1,00
VALOR UNITÁRIO: R$ 289,00
DEDUÇÃO AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO: R$ 32,27
DEDUÇÃO AUXÍLIO TRANSPORTE:
DEDUÇÃO INSS:
ADICIONAL (IS):
VALOR TOTAL: R$ 256,73
VIAGEM A : MG - Brasópolis
DIA(S) DE ESTADA: 03/04/2013 a 03/04/2013
NATUREZA DO SERVIÇO: Viagem em cumprimento à Portaria 35 de 2013 - 01/04/2013 08:00 a 05/04/2013 18:00 - visita nos termos da
portaria 35/2012
PT: (59444 - Julgamento de Causas e Gestão Administrativa na Justiça Eleitoral - AOSA DIARIA )
DATA AUTORIZAÇÃO DESPESA: 01/04/2013
Belo Horizonte, 02/04/2013
ELIZABETH REZENDE BARRA
Diretora-Geral

Concessão de diárias nº 90/2013


FAVORECIDO: Antônio Vieira dos Reis Carellos
CARGO/FUNÇÃO: CJ-03
NÚMERO DE DIÁRIAS : 1,00
VALOR UNITÁRIO: R$ 289,00
DEDUÇÃO AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO: R$ 32,27
DEDUÇÃO AUXÍLIO TRANSPORTE:
DEDUÇÃO INSS:
ADICIONAL (IS):
VALOR TOTAL: R$ 256,73
VIAGEM A : MG - São Lourenço
DIA(S) DE ESTADA: 04/04/2013 a 04/04/2013
NATUREZA DO SERVIÇO: Viagem em cumprimento à Portaria 35 de 2013 - 01/04/2013 08:00 a 05/04/2013 18:00 - visita nos termos da
portaria 35/2012
PT: (59444 - Julgamento de Causas e Gestão Administrativa na Justiça Eleitoral - AOSA DIARIA )
DATA AUTORIZAÇÃO DESPESA: 01/04/2013
Belo Horizonte, 02/04/2013
ELIZABETH REZENDE BARRA
Diretora-Geral

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 19
Concessão de diárias nº 90/2013
FAVORECIDO: Antônio Vieira dos Reis Carellos
CARGO/FUNÇÃO: CJ-03
NÚMERO DE DIÁRIAS : 1,00
VALOR UNITÁRIO: R$ 289,00
DEDUÇÃO AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO: R$ 32,27
DEDUÇÃO AUXÍLIO TRANSPORTE:
DEDUÇÃO INSS:
ADICIONAL (IS):
VALOR TOTAL: R$ 256,73
VIAGEM A : MG - Cristina
DIA(S) DE ESTADA: 02/04/2013 a 02/04/2013
NATUREZA DO SERVIÇO: Viagem em cumprimento à Portaria 35 de 2013 - 01/04/2013 08:00 a 05/04/2013 18:00 - visita nos termos da
portaria 35/2012
PT: (59444 - Julgamento de Causas e Gestão Administrativa na Justiça Eleitoral - AOSA DIARIA )
DATA AUTORIZAÇÃO DESPESA: 01/04/2013
Belo Horizonte, 02/04/2013
ELIZABETH REZENDE BARRA
Diretora-Geral

Concessão de diárias nº 90/2013


FAVORECIDO: Antônio Vieira dos Reis Carellos
CARGO/FUNÇÃO: CJ-03
NÚMERO DE DIÁRIAS : 0,50
VALOR UNITÁRIO: R$ 289,00
DEDUÇÃO AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO: R$ 32,27
DEDUÇÃO AUXÍLIO TRANSPORTE:
DEDUÇÃO INSS:
ADICIONAL (IS):
VALOR TOTAL: R$ 112,23
VIAGEM A : MG - Lambari
DIA(S) DE ESTADA: 05/04/2013 a 05/04/2013
NATUREZA DO SERVIÇO: Viagem em cumprimento à Portaria 35 de 2013 - 01/04/2013 08:00 a 05/04/2013 18:00 - visita nos termos da
portaria 35/2012
PT: (59444 - Julgamento de Causas e Gestão Administrativa na Justiça Eleitoral - AOSA DIARIA )
DATA AUTORIZAÇÃO DESPESA: 01/04/2013
Belo Horizonte, 02/04/2013
ELIZABETH REZENDE BARRA
Diretora-Geral

Concessão de diárias nº 91/2013


FAVORECIDO: Hamilton José Rodrigues de Lima
CARGO/FUNÇÃO: CJ-02
NÚMERO DE DIÁRIAS : 4,50
VALOR UNITÁRIO: R$ 289,00
DEDUÇÃO AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO: R$ 161,35
DEDUÇÃO AUXÍLIO TRANSPORTE:
DEDUÇÃO INSS:
ADICIONAL (IS):
VALOR TOTAL: R$ 1.139,15
VIAGEM A : MG - Porteirinha
DIA(S) DE ESTADA: 01/04/2013 a 05/04/2013
NATUREZA DO SERVIÇO: Viagem em cumprimento à Portaria 35 de 2013 - 01/04/2013 08:00 a 05/04/2013 18:00 - Realizar trabalho de
pesquisa do preço do aluguel de imóveis locados pelo TRE/MG, para fins de revisão contratual.
PT: (59444 - Julgamento de Causas e Gestão Administrativa na Justiça Eleitoral - AOSA DIARIA )
DATA AUTORIZAÇÃO DESPESA: 01/04/2013
Belo Horizonte, 02/04/2013
ELIZABETH REZENDE BARRA
Diretora-Geral

ZONAS ELEITORAIS

26ª ZONA ELEITORAL

ATOS JUDICIAIS

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 20
Inquérito Policial

IP 164-95.2012.6.13.0026
Juiz: Dr. Renato Luiz Faraco
Promotor: Dr. Evaristo Soares Moreira Júnior
Chefe: Vinicius Vasconcelos de Ávila Pereira
Investigado: Divino Soares Pereira Assunto: Incidência penal nos Arts. 299 e 334 do Código Eleitoral " DESPACHO Acolho o parecer do
Ministério Público Eleitoral; remetam-se estes autos ao arquivo local. Belo Horizonte, 25 de fevereiro de 2013.
Renato Luiz Faraco
Juiz da 026ª Zona Eleitoral

IP 149-29.2012.6.13.0026
Juiz: Dr. Renato Luiz Faraco
Promotor: Dr. Evaristo Soares Moreira Júnior
Chefe: Vinicius Vasconcelos de Ávila Pereira
Investigado: Geraldo Félix de Jesus Assunto: Incidência penal nos Arts. 299 e/ou 334 do Código Eleitoral " DESPACHO Acolho o parecer do
Ministério Público Eleitoral; remetam-se estes autos ao arquivo local. Belo Horizonte, 25 de fevereiro de 2013.
Renato Luiz Faraco
Juiz da 026ª Zona Eleitoral

EDITAL

Direitos Políticos

Edital n.º 036/2013

Juiz Eleitoral: Renato Luiz Faraco


Promotor Eleitoral: Evaristo Soares Moreira Júnior
Diretor: Vinícius Vasconcelos de Ávila Pereira

DP N.º 51-10.2013.6.13.0026
Interessado: Moacir Ferreira Paes Junior
Vistos etc...
Trata-se de informação encaminhada pela Vara de Execuções Criminais da Comarca de Caratinga/MG a respeito da extinção da pena do réu
MOACIR FERREIRA PAES JUNIOR, TE 045087820221, com data da extinção da punibilidade em 06/07/2012, relativo ao processo n.º
013498001319-4. Em consulta ao cadastro nacional de eleitores (f. 08), foi constatado que a pessoa em foco pertence a esta Zona Eleitoral, de
Belo Horizonte/MG, e que não consta o lançamento da condenação supra referida. Embora a condenação não tenha sido registrada no seu
devido tempo, será necessário fazê-lo agora, em razão de que o crime no qual foi apenado o eleitor se enquadra dentre as hipóteses de que
trata a alínea "e", inciso I, do art. 1º, da LC 64/90. Sendo assim, determino que se proceda ao registro de inelegibilidade para o eleitor
MOACIR FERREIRA PAES JUNIOR, TE 045087820221, na forma legal. Publique-se e registre-se. Após, sem retorno, arquivem-se. Belo
Horizonte, 26 de março de 2013.

DP N.º 40-78.2013.6.13.0026
Interessado: Catarina Bittencourt de Alencar
Vistos, etc...
Trata-se de comunicação enviada pela 5ª Vara de Família da Comarca de Belo Horizonte/MG informando a interdição de CATARINA
BITTENCOURT DE ALENCAR. Dispõe o artigo 15 da Constituição Federal: "Art. 15. É vedada a cassação de direitos políticos, cuja perda ou
suspensão só se dará nos casos de:
(...)
II – Incapacidade civil absoluta;
(...)."
In casu, o documento de f. 2 comprova a incapacidade civil absoluta de CATARINA BITTENCOURT DE ALENCAR, TE 052755000221, eleitora
desta 26ª ZE-MG, com sentença datada de 18/02/2013, nos autos do processo n.º 024.11.284.730-6, o que implica a suspensão de seus
direitos políticos. Sendo assim, determino que se proceda ao registro relativo à suspensão dos direitos políticos de CATARINA BITTENCOURT
DE ALENCAR, TE 052755000221, a partir da data da sentença, qual seja, 18/02/2013. À Secretaria para as providências cabíveis. Publique-
se. Após sem retorno, arquivem-se. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP N.º 85-19.2012.6.13.0026
Interessado: Daniel de Jesus Oliveira
Vistos, etc...
Trata-se de comunicação enviada pelo Juizado Especial Criminal da Comarca de Belo Horizonte – MG, informando a condenação de DANIEL
DE JESUS OLIVEIRA. Dispõe o artigo 15 da Constituição Federal: "Art. 15. É vedada a cassação de direitos políticos, cuja perda ou
suspensão só se dará nos casos de:
[...}
III – Condenação criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos
[...]."
In casu, os documentos de f. 13-9 comprovam a condenação criminal de DANIEL DE JESUS OLIVEIRA, TE 123934700221, transitada em
julgado em 27/06/2012, nos autos do processo n.º 0340254-47.2011.8.13.0024, o que implica a suspensão dos seus direitos políticos. Cumpre
observar que o delito pelo qual foi condenado o eleitor não se enquadra nas hipóteses de que trata a alínea "e", inciso I, do art. 1º, da LC
64/90. Sendo assim, determino que se proceda ao registro relativo à suspensão dos direitos políticos de DANIEL DE JESUS OLIVEIRA, TE
Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 21
123934700221, a partir da data do trânsito em julgado da decisão, e a prevalecer até a extinção da pena aplicada. Publique-se. Após, sem
retorno, arquivem-se. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP N.º 32-04.2013.6.13.0026
Interessado: Hélia Adriana Ataíde Barbosa
Vistos, etc...
Trata-se de comunicação enviada pela 1ª Vara Federal de Marília - SP, informando a condenação criminal de HÉLIA ADRIANA ATAÍDE
BARBOSA. Dispõe o artigo 15 da Constituição Federal: "Art. 15. É vedada a cassação de direitos políticos, cuja perda ou suspensão só se
dará nos casos de:
[...}
III – Condenação criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos
[...]."
In casu, os documentos de f. 04-31/36-47 comprovam a condenação criminal de HÉLIA ADRIANA ATAÍDE BARBOSA, TE 053388320213,
transitada em julgado em 02/04/2012, nos autos do processo n.º 0004033-91.2012.403.6111, o que implica a suspensão dos seus direitos
políticos. Cumpre observar que o delito pelo qual foi condenado o eleitor enquadra-se nas hipóteses de que trata a alínea "e", inciso I, do art.
1º, da LC 64/90. Sendo assim, determino que se proceda ao registro relativo à suspensão dos direitos políticos de HÉLIA ADRIANA ATAÍDE
BARBOSA, TE 053388320213, a partir da data do trânsito em julgado da decisão, e a prevalecer até a extinção da pena aplicada. Publique-se.
Após, sem retorno, arquivem-se. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP N.º 53-77.2013.6.13.0026
Interessado: Hilton Ferreira da Silva
Vistos, etc...
Trata-se de comunicação enviada pela 1ª Vara de Família da Comarca de Belo Horizonte/MG informando a interdição de HILTON FERREIRA
DA SILVA. Dispõe o artigo 15 da Constituição Federal: "Art. 15. É vedada a cassação de direitos políticos, cuja perda ou suspensão só se dará
nos casos de:
(...)
II – Incapacidade civil absoluta;
(...)."
In casu, o documento de f. 2 comprova a incapacidade civil absoluta de HILTON FERREIRA DA SILVA, TE 011847470264, eleitor desta 26ª
ZE-MG, com sentença datada de 22/02/2013, nos autos do processo n.º 024.12.292.074-7, o que implica a suspensão de seus direitos
políticos. Sendo assim, determino que se proceda ao registro relativo à suspensão dos direitos políticos de HILTON FERREIRA DA SILVA, TE
011847470264, a partir da data da sentença, qual seja, 22/02/2013. À Secretaria para as providências cabíveis. Publique-se. Após sem
retorno, arquivem-se. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP nº: 187/2007
Interessado: Adailton Sérgio Lopes de Souza
Vistos etc.
Face ao exposto, considerando que as formas visam a finalidade do ato; considerando que este Procedimento Administrativo, embora tenha
sido conduzido, em parte, de forma inadequada, não chegou a produzir qualquer forma de prejuízo aos interessados; considerando, também,
1
que os objetivos normativos foram atingidos; nos termos do art. 244 do CPC tomo como regulares todos os atos praticados no sentido de
suspender os direitos políticos de Adailton Sérgio Lopes de Souza. Publique-se. Após as devidas providências, sem retorno, remetam-se estes
autos ao arquivo local. Belo Horizonte, 19 de março de 2013.

DP N.º 187-2007
Interessado: Adailton Sérgio Lopes de Souza
Vistos, etc...
Trata-se de comunicação enviada pelo I Tribunal do Júri da Comarca de Belo Horizonte, informando a condenação criminal de ADAILTON
SÉRGIO LOPES DE SOUZA. Em consulta ao Cadastro Nacional de Eleitores (f. 19/22), verifica-se que o interessado não é eleitor desta 26ª
ZE, constando seu nome na Base de Perda e Suspensão de Direitos Políticos. Dispõe o artigo 15 da Constituição Federal: "Art. 15. É vedada
a cassação de direitos políticos, cuja perda ou suspensão só se dará nos casos de:
[...}
III – Condenação criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos
[...]."
In casu, o documento de f. 21 comprova a condenação criminal de ADAILTON SÉRGIO LOPES DE SOUZA transitada em julgado em
08/02/2013, nos autos do processo n.º 024.99.036.698-0, o que implica a suspensão dos seus direitos políticos. Cumpre observar que o delito
pelo qual foi condenado o interessado enquadra-se nas hipóteses de que trata a alínea "e", inciso I, do art. 1º, da LC 64/90. Sendo assim,
determino a suspensão dos direitos políticos de ADAILTON SÉRGIO LOPES DE SOUZA e que se remeta a presente informação à d. CRE-
MG, nos termos do ofício-circular n.º 47/CRE/2012, para as providências cabíveis, com as nossas homenagens. Publique-se. Após lançada e
certificada a suspensão dos direitos políticos, arquivem-se.
Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP nº: 187/2007
Interessado: Adailton Sérgio Lopes de Souza
Vistos etc.
Face ao exposto, considerando que as formas visam a finalidade do ato; considerando que este Procedimento Administrativo, embora tenha
sido conduzido, em parte, de forma inadequada, não chegou a produzir qualquer forma de prejuízo aos interessados; considerando, também,
1
que os objetivos normativos foram atingidos; nos termos do art. 244 do CPC tomo como regulares todos os atos praticados no sentido de
suspender os direitos políticos de Adailton Sérgio Lopes de Souza. Publique-se. Após as devidas providências, sem retorno, remetam-se estes
autos ao arquivo local.Belo Horizonte, 19 de março de 2013.

DP N.º 187-2007
Interessado: Adailton Sérgio Lopes de Souza
Vistos, etc...

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 22
Trata-se de comunicação enviada pelo I Tribunal do Júri da Comarca de Belo Horizonte, informando a condenação criminal de ADAILTON
SÉRGIO LOPES DE SOUZA. Em consulta ao Cadastro Nacional de Eleitores (f. 19/22), verifica-se que o interessado não é eleitor desta 26ª
ZE, constando seu nome na Base de Perda e Suspensão de Direitos Políticos. Dispõe o artigo 15 da Constituição Federal: "Art. 15. É vedada
a cassação de direitos políticos, cuja perda ou suspensão só se dará nos casos de:
[...}
III – Condenação criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos
[...]."
In casu, o documento de f. 21 comprova a condenação criminal de ADAILTON SÉRGIO LOPES DE SOUZA transitada em julgado em
08/02/2013, nos autos do processo n.º 024.99.036.698-0, o que implica a suspensão dos seus direitos políticos. Cumpre observar que o delito
pelo qual foi condenado o interessado enquadra-se nas hipóteses de que trata a alínea "e", inciso I, do art. 1º, da LC 64/90. Sendo assim,
determino a suspensão dos direitos políticos de ADAILTON SÉRGIO LOPES DE SOUZA e que se remeta a presente informação à d. CRE-
MG, nos termos do ofício-circular n.º 47/CRE/2012, para as providências cabíveis, com as nossas homenagens. Publique-se. Após lançada e
certificada a suspensão dos direitos políticos, arquivem-se. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP N.º 1416-2008
Interessado: Geovane Pereira de Souza
Vistos, etc...
Trata-se de comunicação enviada pelo Juizado Especial Criminal de Belo Horizonte, informando a condenação criminal de GEOVANE
PEREIRA DE SOUZA. Em consulta ao Cadastro Nacional de Eleitores (f. 22), verifica-se que o interessado não é eleitor desta 26ª ZE,
constando seu nome na Base de Perda e Suspensão de Direitos Políticos. Dispõe o artigo 15 da Constituição Federal: "Art. 15. É vedada a
cassação de direitos políticos, cuja perda ou suspensão só se dará nos casos de:
[...}
III – Condenação criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos
[...]."
In casu, os documentos de f. 11-21 comprovam a condenação criminal de GEOVANE PEREIRA DE SOUZA, transitada em julgado em
25/04/2012, nos autos do processo n.º 024.11.131.265-8, o que implica a suspensão dos seus direitos políticos. Cumpre observar que o delito
pelo qual foi condenado o interessado não se enquadra nas hipóteses de que trata a alínea "e", inciso I, do art. 1º, da LC 64/90. Sendo assim,
determino a suspensão dos direitos políticos de GEOVANE PEREIRA DE SOUZA e que se remeta a presente informação à d. CRE-MG, nos
termos do ofício-circular n.º 47/CRE/2012, para as providências cabíveis, com as nossas homenagens. Publique-se. Após lançada e certificada
a suspensão dos direitos políticos, arquivem-se.
Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP N.º 1078/2008
Interessado: Jacimar Alves Ribeiro
Vistos, etc...
Trata-se de comunicação enviada pelo Juizado Especial Criminal da Comarca de Belo Horizonte, informando a condenação criminal de
JACIMAR ALVES RIBEIRO. Em consulta ao Cadastro Nacional de Eleitores (f. 28), verifica-se que o interessado não é eleitor desta 26ª ZE,
constando seu nome na Base de Perda e Suspensão de Direitos Políticos. Dispõe o artigo 15 da Constituição Federal: "Art. 15. É vedada a
cassação de direitos políticos, cuja perda ou suspensão só se dará nos casos de:
[...}
III – Condenação criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos
[...]."
In casu, os documentos de f. 22-7 comprovam a condenação criminal de JACIMAR ALVES RIBEIRO, transitada em julgado em 09/03/2012,
nos autos do processo n.º 024.10.134.736-7, o que implica a suspensão dos seus direitos políticos. Cumpre observar que o delito pelo qual foi
condenado o interessado não se enquadra nas hipóteses de que trata a alínea "e", inciso I, do art. 1º, da LC 64/90. Sendo assim, determino a
suspensão dos direitos políticos de JACIMAR ALVES RIBEIRO e a remessa da presente informação à d. CRE-MG, nos termos do ofício-
circular n.º 47/CRE/2012, para as providências cabíveis, com as nossas homenagens. Publique-se. Após lançada e certificada a suspensão
dos direitos políticos, arquivem-se. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP N.º 1508-2007
Interessado: Júlio Rafael Fraga
Vistos, etc...
Trata-se de comunicações enviadas pelas 11ª e 4ª Varas Criminais da Comarca de Belo Horizonte, f. 24-6 e 29-31, respectivamente,
informando a condenação criminal de JÚLIO RAFAEL FRAGA, nos autos dos processos n.º 024.09.505.952-3 e 024.07.662.239-8. Em
consulta ao Cadastro Nacional de Eleitores (f. 35-6), verifica-se que o interessado não é eleitor desta 26ª ZE, constando seu nome na Base de
Perda e Suspensão de Direitos Políticos. Verifica-se também que já foi registrado o lançamento da condenação criminal, referente aos autos
do processo n.º 024.07.662.239-8, razão pela qual, quanto a este, nada resta a providenciar. No que diz respeito aos autos do processo n.º
024.09.505.952-3, o documento de f. 32-4 comprova a condenação criminal de JÚLIO RAFAEL FRAGA, transitada em julgado em 22/11/2012,
o que implica a suspensão dos seus direitos políticos. Cumpre observar que o delito pelo qual foi condenado o interessado enquadra-se nas
hipóteses de que trata a alínea "e", inciso I, do art. 1º, da LC 64/90. Sendo assim, determino a suspensão dos direitos políticos de JÚLIO
RAFAEL FRAGA, no que tange aos autos do processo n.º 024.09.505.952-3, e que se remeta a presente informação à d. CRE-MG, nos
termos do ofício-circular n.º 47/CRE/2012, para as providências cabíveis, com as nossas homenagens. Publique-se. Após lançada e certificada
a suspensão dos direitos políticos, arquivem-se. Belo Horizonte, 07 de março de 2013.

DP nº: 1508/2007
Interessado: Júlio Rafael Fraga
Vistos etc.
Face ao exposto, considerando que as formas visam a finalidade do ato; considerando que este Procedimento Administrativo, embora tenha
sido conduzido, em parte, de forma inadequada, não chegou a produzir qualquer forma de prejuízo aos interessados; considerando, também,
1
que os objetivos normativos foram atingidos; nos termos do art. 244 do CPC tomo como regulares todos os atos praticados no sentido de
suspender os direitos políticos de Júlio Rafael Fraga. Publique-se. Após as devidas providências, sem retorno, remetam-se estes autos ao
arquivo local. Belo Horizonte, 12 de março de 2013.

DP N.º 52-92.2013.6.13.0026

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 23
Interessado: Nilton Carlos Pimenta Gomes
Vistos, etc...
Trata-se de comunicação enviada pela 7ª Vara Criminal da Comarca de Belo Horizonte, informando a condenação criminal de NILTON
CARLOS PIMENTA GOMES. Em consulta ao Cadastro Nacional de Eleitores (f. 03), verifica-se que o interessado não é eleitor desta 26ª ZE,
constando seu nome na Base de Perda e Suspensão de Direitos Políticos. Dispõe o artigo 15 da Constituição Federal: "Art. 15. É vedada a
cassação de direitos políticos, cuja perda ou suspensão só se dará nos casos de:
[...}
III – Condenação criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos
[...]."
In casu, o documento de f. 02 comprova a condenação criminal de NILTON CARLOS PIMENTA GOMES, transitada em julgado em
01/03/2013, nos autos do processo n.º 024.12.085.024-3, o que implica a suspensão dos seus direitos políticos. Cumpre observar que o delito
pelo qual foi condenado o interessado enquadra-se nas hipóteses de que trata a alínea "e", inciso I, do art. 1º, da LC 64/90. Sendo assim,
determino a suspensão dos direitos políticos de NILTON CARLOS PIMENTA GOMES e a remessa da presente informação à d. CRE-MG, nos
termos do ofício-circular n.º 47/CRE/2012, para as providências cabíveis, com as nossas homenagens. Publique-se. Após lançada e certificada
a suspensão dos direitos políticos, arquivem-se. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP nº: 1284/2007
Interessado: Ananias Pereira Rocha
Vistos etc.
Face ao exposto, considerando que as formas visam a finalidade do ato; considerando que este Procedimento Administrativo, embora tenha
sido conduzido, em parte, de forma inadequada, não chegou a produzir qualquer forma de prejuízo ao interessado; considerando, também, que
1
os objetivos normativos foram atingidos; nos termos do art. 244 do CPC tomo como regulares todos os atos praticados no sentido de inativar a
ocorrência criminal atribuída a Ananias Pereira Rocha, relativa autos do processo n.º 024.06.071.397-1. Publique-se. Após as devidas
providências, sem retorno, remetam-se estes autos ao arquivo local. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP nº: 1165/2008
Interessado: Anderson Alves dos Santos
Vistos etc.
Face ao exposto, considerando que as formas visam a finalidade do ato; considerando que este Procedimento Administrativo, embora tenha
sido conduzido, em parte, de forma inadequada, não chegou a produzir qualquer forma de prejuízo ao interessado; considerando, também, que
1
os objetivos normativos foram atingidos; nos termos do art. 244 do CPC tomo como regulares todos os atos praticados no sentido de inativar a
ocorrência criminal atribuída a Anderson Alves dos Santos, relativa autos do processo n.º 024.05.857.052-4. Publique-se. Após as devidas
providências, sem retorno, remetam-se estes autos ao arquivo local. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP nº: 1424/2008
Interessado: Aristides Lima de Souza
Vistos etc.
Face ao exposto, considerando que as formas visam a finalidade do ato; considerando que este Procedimento Administrativo, embora tenha
sido conduzido, em parte, de forma inadequada, não chegou a produzir qualquer forma de prejuízo ao interessado; considerando, também, que
1
os objetivos normativos foram atingidos; nos termos do art. 244 do CPC tomo como regulares todos os atos praticados no sentido de inativar a
ocorrência criminal atribuída a Aristides Lima de Souza, relativa autos do processo n.º 024.08.841.135-0. Publique-se. Após as devidas
providências, sem retorno, remetam-se estes autos ao arquivo local. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP nº: 761/2008
Interessado: Bruno Goulart Ferreira
Vistos etc.
Face ao exposto, considerando que as formas visam a finalidade do ato; considerando que este Procedimento Administrativo, embora tenha
sido conduzido, em parte, de forma inadequada, não chegou a produzir qualquer forma de prejuízo ao interessado; considerando, também, que
1
os objetivos normativos foram atingidos; nos termos do art. 244 do CPC tomo como regulares todos os atos praticados no sentido de inativar
as ocorrências criminais atribuídas a Bruno Goulart Ferreira, relativa aos autos dos processos nºs 024.08.979.935-7 e 024.07.468.153-7.
Publique-se. Após as devidas providências, sem retorno, remetam-se estes autos ao arquivo local. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP nº: 2652/2008
Interessado: Bruno Rodrigues Diniz
Vistos etc.
Face ao exposto, considerando que as formas visam a finalidade do ato; considerando que este Procedimento Administrativo, embora tenha
sido conduzido, em parte, de forma inadequada, não chegou a produzir qualquer forma de prejuízo ao interessado; considerando, também, que
1
os objetivos normativos foram atingidos; nos termos do art. 244 do CPC tomo como regulares todos os atos praticados no sentido de inativar a
ocorrência criminal atribuída a Bruno Rodrigues Diniz, relativa autos do processo n.º 024.08.996.579-2. Publique-se. Após as devidas
providências, sem retorno, remetam-se estes autos ao arquivo local. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP nº: 245/2008
Interessado: Charles Gonçalves Pereira
Vistos etc.
Face ao exposto, considerando que as formas visam a finalidade do ato; considerando que este Procedimento Administrativo, embora tenha
sido conduzido, em parte, de forma inadequada, não chegou a produzir qualquer forma de prejuízo aos interessados; considerando, também,
1
que os objetivos normativos foram atingidos; nos termos do art. 244 do CPC tomo como regulares todos os atos praticados no sentido de
suspender os direitos políticos de Charles Gonçalves Pereira. Publique-se. Após as devidas providências, sem retorno, remetam-se estes
autos ao arquivo local. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP nº: 2714/2008
Interessado: Cleidimar Mendes André
Vistos etc.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 24
Face ao exposto, considerando que as formas visam a finalidade do ato; considerando que este Procedimento Administrativo, embora tenha
sido conduzido, em parte, de forma inadequada, não chegou a produzir qualquer forma de prejuízo ao interessado; considerando, também, que
1
os objetivos normativos foram atingidos; nos termos do art. 244 do CPC tomo como regulares todos os atos praticados no sentido de inativar
as ocorrências criminais atribuídas a Cleidimar Mendes André, relativa aos autos dos processos nºs 024.07.402.643-6 e 024.05.640.315-7.
Publique-se. Após as devidas providências, sem retorno, remetam-se estes autos ao arquivo local. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP nº: 2065/2008
Interessado: Gleison da Conceição Gomes Martins
Vistos etc.
Face ao exposto, considerando que as formas visam a finalidade do ato; considerando que este Procedimento Administrativo, embora tenha
sido conduzido, em parte, de forma inadequada, não chegou a produzir qualquer forma de prejuízo aos interessados; considerando, também,
1
que os objetivos normativos foram atingidos; nos termos do art. 244 do CPC tomo como regulares todos os atos praticados no sentido de
suspender os direitos políticos de Gleison da Conceição Gomes Martins. Publique-se. Após as devidas providências, sem retorno, remetam-
se estes autos ao arquivo local. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP n.º: 5979/2009
Interessado: Pedro Henrique Mendes
Vistos etc...
Considerando que a decisão de f. 32, determinando modificações nos registros de código de ASE consignados no histórico do interessado, foi
devidamente cumprida, conforme se depreende do documento de f. 33, nada mais resta a ser providenciado. Dessa forma, determino a
remessa dos presentes autos ao arquivo. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP n.º: 2597
Interessado: Warley Alves Gomes
Vistos etc...
Considerando que a determinação de f. 51, exclusão de códigos de ASE consignados indevidamente no histórico do interessado, foi
devidamente cumprida, conforme se depreende do documento de f. 54, nada mais resta a ser providenciado. Dessa forma, determino a
remessa dos presentes autos ao arquivo. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP n.º: 211-02.2012.6.13.0016
Interessado: Walker Claret Alves Martins
Vistos etc...
Considerando que a determinação de f. 15, exclusão de código de ASE consignado indevidamente no histórico do interessado, foi devidamente
cumprida, conforme se depreende do documento de f. 18, nada mais resta a ser providenciado. Dessa forma, determino a remessa dos
presentes autos ao arquivo. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

DP N.º 45-03.2013.6.13.0026
Interessado: Eder Vieira da Costa
Vistos, etc...
Trata-se de comunicação enviada pela 8ª Vara Criminal da Comarca de Belo Horizonte/MG, informando a condenação criminal de EDER
VIEIRA DA COSTA TE 178481510230, nos autos n.º 024.10.775.959-9. Dispõe o artigo 15 da Constituição Federal: "Art. 15. É vedada a
cassação de direitos políticos, cuja perda ou suspensão só se dará nos casos de:
[...]
III – Condenação criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos
[...]."
In casu, o documento de fl. 02 comprova a condenação criminal de EDER VIEIRA DA COSTA TE 178481510230, cancelado, eleitor desta 26ª
ZE/MG, transitada em julgado em 26/06/2012, nos autos do processo 024.10.775.959-9, o que implica a suspensão dos seus direitos políticos.
Cumpre observar que o delito no qual foi condenado o eleitor se enquadra nas hipóteses de que trata a alínea "e", inciso I, do art. 1º, da LC
64/90, alterado pela LC 135/2010. Sendo assim, determino que se proceda ao registro relativo à suspensão dos direitos políticos de EDER
VIEIRA DA COSTA TE 178481510230, a partir da data do trânsito em julgado, qual seja, 26/06/2012, e a prevalecer até a extinção da pena
aplicada. Publique-se. Após, sem retorno, arquivem-se. Belo Horizonte, 26 de março de 2013.

Protocolo: n.º 467230


Interessado: José Carlos Oliveira Francisco
Vistos, etc.
Determino o arquivamento do presente expediente, tendo em vista que a condenação de José Carlos Oliveira Francisco nos autos de n.º
0830734-06.2011.8.13.0024 não foi lançada, na Base de Perda e Suspensão dos Direitos Políticos, em tempo hábil, e que o crime cometido
(Art. 28 da Lei 11343/06) não se enquadra nas hipóteses de inelegibilidade prevista na Lei Complementar n.º 135/2010. Publique-se. Belo
Horizonte, 12 de novembro 2012.

Protocolo: n.º 478431/2012


Interessado: Alan de Sousa Silva
Vistos, etc.
Determino o arquivamento do presente expediente, tendo em vista que a condenação de Alan de Sousa Silva nos autos de n.º
024.03.895.875-7 não foi lançada, na Base de Perda e Suspensão dos Direitos Políticos, em tempo hábil, e que o crime cometido (Art. 10 da
Lei 9437/97, art. 65 inc.I e art. 65 III, alínea "d" do CP) não se enquadra nas hipóteses de inelegibilidade prevista na Lei Complementar n.º
135/2010. Publique-se. Belo Horizonte, 12 de novembro 2012.

Protocolo: n.º 530525


Interessado: Flávio de Souza Lisboa
Vistos, etc.
Determino o arquivamento do presente expediente, tendo em vista que a condenação de Flávio de Souza Lisboa nos autos de n.º
024.01.560.228-7 não foi lançada, na Base de Perda e Suspensão dos Direitos Políticos, em tempo hábil, e que o crime cometido (Art. 129 § 3º

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 25
e art. 65 inc. III alínea "d" do CP) não se enquadra nas hipóteses de inelegibilidade prevista na Lei Complementar n.º 135/2010. Publique-se.
Belo Horizonte, 12 de novembro 2012.

Protocolo: n.º 535468


Interessado: Thiago dos Passos de Andrade
Vistos, etc.
Determino o arquivamento do presente expediene, tendo em vista que a condenação de Thiago dos Passos de Andrade nos autos de n.º
024.07.545.627-7 já foi inativada na Base de Perda e Suspensão dos Direitos Políticos, não cabendo nesse caso, nova analise da
inelegibilidade, tendo em vista que essa analise ocorreu quando da determinação do nome do réu na Base de Perda e Suspensão. Publique-
se. Belo Horizonte, 12 de novembro 2012.

29ª ZONA ELEITORAL

ATOS JUDICIAIS

JUÍZO DA 29ª ZONA ELEITORAL EM BELO HORIZONTE

PUBLICAÇÃO DE DESPACHO

Nos autos do(s) processo(s) abaixo listado(s), o Exmo. Sr. Manoel dos Reis Morais, Juiz Eleitoral da 29ª Zona Eleitoral de Minas Gerais,
proferiu os seguinte(s) despacho(s):

Recorrente(s): Fernando da Mata Pimentel; Roberto Vieira de Carvalho, 1ºs recorrentes; Marcio de Araújo Lacerda, 2º recorrente
Advogados: João Batista de Oliveira Filho OAB 20.180/MG; José Sad Júnior OAB 65791/MG; Rodrigo Rocha da Silva OAB 79.709/MG; Thiago
Lopes Lima Naves OAB 96.182/MG; Igor Bruno Silva de Oliveira OAB 98.899/MG; Haylson de Souza Pinel OAB 52.510-B/MG; Lênin de Moura
Bragança OAB 100.965/MG; Érico Andrade OAB 64.102/MG; Mariana Cristina Xavier Galvão OAB 122.230/MG; Pedro Augusto de Araújo
Freitas OAB 106.581/MG.
Recorrido: Ministério Público Eleitoral
Resumo: Representação por propaganda eleitoral extemporânea. Imprensa Escrita. Abuso de poder econômico. Ação Julgada procedente.
Condenação em Multa. Eleições 2008. Nº de Origem: 28/2008 (CPFPE).
Relator: Juíza Mariza de Melo Porto
Vistos, etc.
Como o substabelecimento apresentado às fls. 880 apenas contempla o AI 12158, determino que Dr. Rodrigo Rocha da Silva, OAB/MG
79709, regularize sua representação processual nos autos do RE 211/2008, para o recorrente Márcio Araújo de Lacerda, em 72(setenta e duas
horas), sob pena de desentranhamento do requerimento de fls. 820/881.
Após, voltem-me conclusos.
Belo Horizonte, 03/04/2013.
Manoel dos Reis Morais
Juiz Eleitoral da 29ª ZE
Juiz Diretor do Foro Eleitoral de Belo Horizonte

Processo: CIE nº 21-63.2013.6.13.0029


Vistos, etc.
Nos termos do art. 71, inciso IV, e art. 74 da Lei 4.737/65, determino sejam canceladas as inscrições eleitorais relacionadas na folha 120 dos
autos, por motivo dos falecimentos comunicados através dos documentos juntados às fls. 002 a 119, caso não tenham sido canceladas
automaticamente mediante cruzamento de dados entre o Cadastro Nacional de Eleitores e os registros de óbitos fornecidos pelo INSS. Não
havendo manifestação dentro do prazo legal, providenciem-se as anotações pertinentes, especialmente a emissão do ASE código 019.
Publique-se. Certifique-se.
Após, arquivem-se os autos com as cautelas de praxe.
Belo Horizonte, 22 de março de 2013
Manoel dos Reis Morais
Juiz Eleitoral

30ª ZONA ELEITORAL

EDITAL

Edital de Apoiamento ao Partido do Desenvolvimento Nacional

Edital nº 021/2013

O Dr. Francisco Ricardo Sales Costa, MM. Juiz da 30 Zona Eleitoral de Belo Horizonte, em pleno exerc io de suas fun es e na forma da lei
etc.

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 26
FAZ SABER a quantos virem o presente Edital ou dele conhecimento tiverem, nos termos do 4 do art. 11 da Resolu o n 23.282, de
22/06/2010, que, para fins de impugna o, no prazo de 05 (cinco) dias desta publica o, conforme 5 do art. 11 da citada Resolu o,
encontram-se disposi o, na sede do Cart io Eleitoral, na Av. do Contorno n 7038 – 9 andar – Lourdes, a rela o dos nomes e n eros
dos t ulos eleitorais apresentados pelo Partido do Desenvolvimento Nacional - PDN, protocolizada nesta ZE sob o n 84833/2013 e n
84834/2013, em 01/04/2013, para obten o do apoiametno m imo forma o do referido Partido.
E para conhecimento de todos, publica-se o presente Edital.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013.
(a)Anna Beatriz Rodrigues Rocha – Chefe da 30 ZE
Visto: Francisco Ricardo Sales Costa – Juiz Eleitoral

33ª ZONA ELEITORAL

ATOS JUDICIAIS

Publicação de despachos

Processo n.º 252-78.2013.6.13.0033 Classe DP


Interessado(s): DANILO ANDRONICO RIBEIRO
Assunto: Suspensão dos Direitos Políticos de DANILO ANDRONICO RIBEIRO, em razão de incapacidade civil absoluta, proc.
024.12.269.310-4, da 1ª Vara de Família de Belo Horizonte/MG
Inscrição : 034153670256
DECISÃO: "Vistos etc. Trata-se de suspensão de direitos políticos de DANILO ANDRONICO RIBEIRO, filho de Jaime Andronico Ribeiro e de
Ana Ribeiro Carvalho, nascido aos 12/09/1934, natural Oliveira/MG, por incapacidade civil absoluta, transitada em julgado nos autos do
processo nº 024.12.269.310-4, da 1ª Vara de Família de Belo Horizonte/MG. Considerando que o eleitor é inscrito sob o nº 034153670256,
33ª ZE de Belo Horizonte/MG, em situação REGULAR, e as informações daquele Juízo, estão completas (Ofício Circular nº 047-CRE/2012),
DETERMINO, aos fundamentos do parágrafo do art. 51, da Resolução TSE nº 21.538/2003, suspender direitos políticos do eleitor. Após o
processamento da informação no sistema, cumpridas as formalidades legais sem manifestação, remessa ao arquivo. Publique-se. Registre-se.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013."
Maria Dolores Giovine Cordovil
Juíza Eleitoral

Direitos políticos nº 253-63.2013.6.13.0033


Interessado: ELYR DE SOUZA LIMA FILHO
Assunto: Sentença de Extinção da Suspensão de direitos políticos em razão de condenação criminal transitada em julgado nos autos do
processo nº 002403146599-0, da 8ª Vara Criminal de Belo Horizonte/MG
Inscrição: 082240950272
DESPACHO: "Vistos, etc. Trata-se de Regularização de Direitos Políticos de ELYR DE SOUZA LIMA FILHO, em razão de extinção da
punibilidade decretada aos 05/03/2013, pelo Juiz da Vara de Execuções Criminais de Belo Horizonte/MG, relativo a suspensão decorrente de
condenação criminal contida nos autos do processo nº 002403146599-0, da 8ª Vara Criminal de Belo Horizonte/MG. Quanto à necessária
análise de inelegibilidade, o tipo penal em que foi incurso o réu – art. 155 e art. 14, inc. II, do CPB enquadram-se nas hipótese de
inelegibilidade previstas no art. 1º, inciso I, da Lei Complementar nº 64/1990. CONSIDERANDO que a inscrição do eleitor encontra-se em
situação SUSPENSA, e os dados cadastrais estão conforme Ofício Circular nº 047-CRE/2012, DETERMINO, aos fundamentos dos Art. 52,
parágrafo 3º e Art. 53, Inciso II, alínea "a" da Resolução 21.538/03-TSE, restabelecer os direitos políticos de ELYR DE SOUZA LIMA FILHO,
inscrição nº 082240950272. Após o processamento do ASE no sistema, cumpridas as formalidades legais sem nenhuma manifestação,
arquive-se. PR. Belo Horizonte, 03 de abril de 2013."
Maria Dolores Giovine Cordovil
Juiza Eleitoral

EDITAL

Edital 016/2013

Apoio à fundação do Partido da Transformação Social - PTS


Protocolo: 80841/2013

A MMª. Juíza da 33ª. Zona Eleitoral de Belo Horizonte – MG, Maria Dolores Giovine Cordovil , etc., faz saber a quantos virem o presente edital,
ou dele conhecimento tiverem, que, em conformidade com a Lei 9.096/95 e § 5º da Resolução 23.282/2010 do TSE, tem o presente a
finalidade de cientificar a todos do prazo de 5 (cinco) dias, a partir da presente publicação para interposição de eventual impugnação contra a
listagem, apresentada abaixo, de eleitores desta 33ª. ZE, que manifestam o apoio ao registro do Partido da Transformação Social.

Nome Inscrição
Daniel Dias Oliveira 137905260221
Taisa de Carvalho Siqueira 167718840230

Faz saber, ainda, que a certidão encontra-se à disposição do Partido na Sede do Cartório da 33ª. ZE, na Avenida do Contorno, 7038, Bairro
Lourdes.
Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 27
Belo Horizonte, 02 de abril de 2013.
(a) Andréa Chaves Faria Carvalho , Diretora do Cartório da 33ª Zona
Visto: - Maria Dolores Giovine Cordovil - Juíza Eleitoral da 33ª Zona Eleitoral.

35ª ZONA ELEITORAL

EDITAL

JUÍZO DA 35ª ZONA ELEITORAL DE BELO HORIZONTE/MG

Edital n.º 033/13

A Dra. Moema de Carvalho Balbino Lucas, MMª. Juíza da 35ª Zona Eleitoral de Belo Horizonte/MG, no uso de suas atribuições e na forma da
lei, etc...
Faz saber, a todos quantos virem ou tiverem conhecimento do presente Edital, em especial aos partidos políticos, que, a pedido do eleitor
Robson Braga de Andrade, inscrito sob o n.º 0409.9098.0221, foi cancelada a sua filiação do Partido da Social Democracia Barasileira –
PSDB, no âmbito da justiça Eleitoral.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013.
(a) Márcia Mendes Raid Soares – Chefe do Cartório
Visto: Moema de Carvalho Balbino Lucas – Juíza Eleitoral.

36ª ZONA ELEITORAL

ATOS JUDICIAIS

JUÍZO DA 36ª ZONA ELEITORAL DE BELO HORIZONTE

Processo: Prestação de Contas n.º 581-18.2012.6.13.0036


Classe PC Protocolo: 705.809/2012
Assunto: Prestação de Contas Eleitorais – Eleições 2012
Interessado: Maria Aparecida Marques Campos, candidato(a) a vereador
Partido: PSDB
No processo em epígrafe, o MM Juiz Eleitoral desta 36ª ZE exarou o seguinte despacho: Defiro o pedido de dilação de prazo retro ( 15
(quinze) dias). Belo Horizonte,03 de abril de 2013. Ronaldo Claret de Moraes -Juiz Eleitoral

Processo: Prestação de Contas n.º 556-05.2012.6.13.0036


Classe PC Protocolo: 603.825/2012
Assunto: Prestação de Contas Eleitorais – Eleições 2012
Interessado: Nirce Martins do Carmo, candidato(a) a vereador
Partido: PTC
No processo em epígrafe, o MM Juiz Eleitoral desta 36ª ZE exarou a seguinte decisão: Vistos etc...Trata-se de prestação de contas do(a)
candidato(a) ao cargo de Vereador do Município de Belo Horizonte, NIRCE MARTINS DO CARMO, pelo PTC, referente às Eleições de 2012.
Contas prestadas dentro do prazo fixado por este Juízo, nos termos do artigo 38 da Resolução n° 23.376/2012/TSE. Submetidos os
documentos à análise, verificou-se as incongruências constantes do parecer técnico juntado aos autos (fls. 39/41). Intimado(a) para esclarecer
tais irregularidades, o(a) interessado(a) cumpriu as exigências. O Ministério Público Eleitoral manifestou-se pela aprovação das contas com
ressalvas (fls. 52). É o relatório. A documentação apresentada está em consonância com a legislação em vigor e demonstra regularidade das
contas, conforme, inclusive, conclui o parecer técnico. Isto posto, JULGO APROVADAS, COM RESSALVAS as contas do(a) candidato(a)
NIRCE MARTINS DO CARMO. Registre-se. Publique-se. Intime-se. Belo Horizonte, 03 de abril de 2013. Ronaldo Claret de Moraes -Juiz
Eleitoral

Processo: Prestação de Contas n.º 565-64.2012.6.13.0036


Classe PC Protocolo: 687.155/2012
Assunto: Prestação de Contas Eleitorais – Eleições 2012
Interessado: Washington de Oliveira Goulart, candidato(a) a vereador
Partido: PT
No processo em epígrafe, o MM Juiz Eleitoral desta 36ª ZE exarou a seguinte decisão: Vistos etc...Trata-se de prestação de contas do(a)
candidato(a) ao cargo de Vereador do Município de Belo Horizonte, WASHINGTON DE OLIVEIRA GOULART, pelo PT, referente às Eleições
de 2012. Contas prestadas dentro do prazo fixado por este Juízo, nos termos do artigo 38 da Resolução n° 23.376/2012/TSE.Submetidos os
documentos à análise, verificou-se as incongruências constantes do parecer técnico juntado aos autos (fls. 38/40). Intimado(a) para esclarecer
tais irregularidades, o(a) interessado(a) cumpriu as exigências. O Ministério Público Eleitoral manifestou-se pela aprovação das contas com
ressalvas (fls. 56). É o relatório. A documentação apresentada está em consonância com a legislação em vigor e demonstra regularidade das
contas, conforme, inclusive, conclui o parecer técnico. Isto posto, JULGO APROVADAS, COM RESSALVAS as contas do(a) candidato(a)
WASHINGTON DE OLIVEIRA GOULART. Registre-se. Publique-se. Intime-se. Belo Horizonte,03 de abril de 2013. Ronaldo Claret de Moraes -
Juiz Eleitoral

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 28

Processo: Prestação de Contas n.º 586-40.2012.6.13.0036


Classe PC Protocolo: 705.814/2012
Assunto: Prestação de Contas Eleitorais – Eleições 2012
Interessado: Miliane Amélia de Aguiar, candidato(a) a vereador
Partido: PSDB
No processo em epígrafe, o MM Juiz Eleitoral desta 36ª ZE exarou a seguinte decisão: "Vistos, etc...Cuida-se de prestação de contas do(a)
candidato(a) ao cargo de Vereador do Município de Belo Horizonte MILIANE AMÉLIA DE AGUIAR, pelo PSDB, referente às Eleições de 2012.
Contas prestadas dentro do prazo legal, nos termos do artigo 38 da Resolução/TSE nº 23.376/2012. Em Relatório Preliminar de Diligências e
Relatório Final de Exame, verificou-se impropriedades/irregularidades na presente prestação de contas, sendo que o(a) candidato(a) não foi
encontrado(a) para receber intimação sobre o mesmo, não sendo possível sua localização, encontrando-se em local incerto e não sabido. É
sabido que o (a) candidato (a) não procedeu a atualização de seu endereço, telefone ou e-mail para fins de intimação junto a esta Justiça
Especializada, não sendo possível sequer contato via telefone.
Verificou-se que foram detectadas divergências entre os dados dos fornecedores constantes da prestação de contas e as informações
constantes da base de dados da Receita Federal do Brasil, no que tange ao fornecedor relativo ao CPF nº 079.452.906-20, em desacordo
com o disposto nos arts. 47 e 61 da Resolução TSE nº 23.376/2012 (fls. 16).
No que tange a análise da conta bancária do (a) candidato (a), verifica-se:
- Os extratos bancários não foram apresentados em sua forma definitiva, conforme prescreve o art. 40, § 8º, da Resolução TSE 23.376/2012
(fls. 25/26).
- Os extratos apresentados não contemplam todo o período da campanha eleitoral, desatendendo ao disposto no art. 40, XI, § 8º da Resolução
TSE 23.376/2012.
- As contas foram apresentadas sem movimentação financeira e os extratos bancários não comprovam a ausência dessa movimentação OU
não foi apresentada declaração emitida pelo banco certificando a ausência da movimentação financeira, infringindo o disposto no art. 40, XI, §
8º, da Resolução TSE 23.376/2012 (fls. 24 a 26).
- A movimentação bancária não registra todos os ingressos que representam receita financeira lançados no Demonstrativo dos Recursos
Arrecadados (fls. 06), sendo inferior em R$ 5.000,00 (cinco mil reais) ao montante de recursos declarados na prestação de contas (fls. 44).
- Ficou impossibilitado o confronto entre as informações do extrato eletrônico e a prestação de contas, em virtude do extrato apresentado
pelo(a) candidato(a) não contemplar todo o período da campanha.
O Ministério Público opinou pela desaprovação das contas (fls. 52/53)
É o relatório. Decido.
Denoto que através de Relatório Preliminar de Diligências e Relatório Final de Exame, foram apontadas impropriedades/irregularidades na
prestação de contas ofertada pelo(a) candidato(a).
Impropriedades: demonstram o descumprimento de obrigações que não são suficientes para comprometer, isoladamente, a regularidade das
contas prestada
Irregularidades: demonstram o descumprimento de obrigações de maior gravidade e repercussão sobre as contas, comprometendo sua
regularidade, quando examinadas em conjunto.
Em se tratando de divergência entre a base da RFB e os dados de fornecedor da presente prestação de contas, dispõe a Portaria Conjunta
TSE/SRFB nº 74/2006 que:
o
Art. 1 O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) encaminhará à Secretaria da Receita Federal (SRF), em conformidade com prazos e procedimentos
por ele fixados para cada pleito eleitoral, informações relativas a prestação de contas dos candidatos a cargos eletivos e dos comitês
financeiros de partidos políticos, especificando: (...)
IV – o nome da pessoa física ou razão social da pessoa jurídica e respectivo número de inscrição no CPF ou no CNPJ, os valores recebidos, a
data e, quando for o caso, o número do documento fiscal, relativos à prestação de serviços e fornecimento de mercadorias na campanha
eleitoral.
o
Art. 4 Com base nas análises realizadas, a SRF, sem prejuízo de outros procedimentos a serem adotados no âmbito de sua competência,
informará ao TSE qualquer infração tributária detectada, especialmente no que se refere: (...)
II – fornecimento de mercadorias ou prestação de serviços por pessoa jurídica, cuja situação cadastral perante o CNPJ revele a condição de
inapta, suspensa ou cancelada, ou, ainda. de inexistente;
III – prestação de serviços por pessoa física com CPF inexistente ou cancelado; (...)
VI – simulação de ato, inclusive por meio de interpostas pessoas.
No que tange a conta bancária do(a) candidato(a) , dispõe a Resolução nº 23.372/2012:
Art. 16. As instituições financeiras que procederem à abertura de conta bancária específica para a campanha eleitoral de 2012 fornecerão aos
órgãos da Justiça Eleitoral os extratos eletrônicos do movimento financeiro para fins de instrução dos processos de prestação de contas dos
candidatos, dos comitês financeiros e dos partidos políticos (Lei 9.504/97, art. 22). (...)
Art. 33, parágrafo único. A comprovação dos recursos financeiros arrecadados será feita mediante a apresentação dos canhotos de recibos
eleitorais emitidos e dos correspondentes extratos bancários da conta de que trata o art. 12 desta resolução. (...)
Art. 40. A prestação de contas, ainda que não haja movimentação de recursos financeiros ou estimáveis em dinheiro, deverá ser instruída com
os seguintes documentos: (...)
§ 8º Os extratos bancários deverão ser entregues em sua forma definitiva, contemplando todo o período de campanha, vedada a apresentação
de extratos sem validade legal, adulterados, parciais, ou que omitam qualquer movimentação financeira.
As irregularidades apresentadas, em seu conjunto, afligem a transparência e lisura da prestação de contas e dificultam o efetivo controle, por
parte da Justiça Eleitoral sobre a licitude do movimento dos recursos de campanha, além de denotar possíveis desvios na administração
financeira da campanha. Diante do exposto, JULGO DESAPROVADAS as contas apresentadas pelo(a) candidato(a) MILIANE AMÉLIA DE
AGUIAR.P.R.I. Belo Horizonte, 03 de abril de 2013. Ronaldo Claret de Moraes - Juiz Eleitoral

Processo Prestações de Contas nº 604-61.2012.6.13.026


Classe: PC Protocolo: 722.672/2012
Assunto: Prestação de Contas Eleitorais
Interessado: Sandra de Souza Cruz
Partido: PRB
No processo em epígrafe, o MM Juiz Eleitoral desta 36ª ZE exarou a seguinte decisão: Vistos, etc... Cuida-se de prestação de contas do(a)
candidato(a) ao cargo de Vereador do Município de Belo Horizonte SANDRA DE SOUZA CRUZ, pelo PRB, referente às eleições de 2012. O
relatório conclusivo de fls. 51/54 mostra que remanesceram algumas das incongruências relativas a despesas e movimentação financeira,
quais sejam:
Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 29
-.divergências entre os dados dos doadores constantes da prestação de contas do candidato e as informações constantes da base de dados
da Receita Federal do Brasil, em virtude de erro de digitação (eleição/eleicao)
- inconsistências no confronto entre as doações declaradas na prestação de contas em exame e as informações prestadas pelos doadores
(outro(s) candidato(s), comitê(s) financeiro(s) e/ou partido(s) político(s)), em virtude de indisponibilidade do Sistema SPCEWeb
- doações recebidas em data anterior à entrega da primeira prestação de contas parcial, ocorrida em 30/07/2012, porém informadas à época
da 2ª Prestação de Contas Parcial
- detectados gastos de campanha junto a pessoas jurídicas sem comprovação por meio de notas fiscais, tratando-se de sobras financeiras de
campanha, erroneamente lançadas, no Relatório de Despesas Efetuadas, no Relatório de Despesas Diversas a Especificar e Das Despesas
Pagas Após a Eleição (fls. 15/17/21), e não no Demonstrativo de Receitas/Despesas - item 7.2 (fls. 13), configurando evidente erro de
digitação;
- houve realização de despesa(s) após a data da Eleição, ocorrida em 07/10/2012, tratando-se de sobras financeiras de campanha, que
somente após esta se é possível verificar;
- divergências entre o montante de receitas financeiras constantes do extrato eletrônico e as receitas financeiras declaradas no Demonstrativo
de Recursos Arrecadados, tratando-se de devolução de cheque sem fundos doc.: nº 850002, em 13.02.2012, no valor de R$ 114,00 ( cento e
quatorze reais), sendo o mesmo posteriormente compensado, em 17.08.2012.
O DD Representante do Ministério Público Eleitoral, em minucioso relatório, opina pela desaprovação das contas sob exame.
É o relatório. Decido.
Apesar das incongruências apresentadas, verifica-se que as mesmas decorrem de erros de digitação ou de lançamento das receitas/despesas
nos campos dos demonstrativos apresentados.
Todavia, ainda assim, não se pode falar em comprometimento da regularidade da administração financeira da campanha, visto que as
referidas incongruências não denotam a captação de recursos de fontes vedadas ou despesas ilícitas, ou vícios graves e insanáveis que
contrariam a legislação vigente referente a movimentação financeira da campanha e à correspondente prestação de contas. Diante do
exposto, APROVO, COM AS RESSALVAS mencionadas nos relatórios de fls. 51/54, as contas de campanha sob exame. P.R.I. Belo
Horizonte, 21 de março de 2013. Ronaldo Claret de Moraes - Juiz Eleitoral

Processo: Prestação de Contas n.º 614-08.2012.6.13.0036


Classe PC Protocolo: 781.867/2012
Assunto: Prestação de Contas Eleitorais – Eleições 2012
Interessado: Olivia Maria das Graças Campos, candidato(a) a vereador
Partido: PC do B
No processo em epígrafe, o MM Juiz Eleitoral desta 36ª ZE exarou a seguinte decisão: "Vistos, etc...Cuida-se de prestação de contas do(a)
candidato(a) ao cargo de Vereador do Município de Belo Horizonte OLIVIA MARIA DAS GRAÇAS CAMPOS, pelo PC do B, referente às
Eleições de 2012. Contas prestadas dentro do prazo concedido por este Juízo, nos termos do § 4º do artigo 38 da Resolução/TSE nº
23.376/2012. Em relatório conclusivo, verificou-se que houve irregularidades, sendo que o(a) candidato(a) deixou trancorrer "in albis" o prazo
para oferecer esclarecimentos e/ou sanear as falhas, restando caracterizado:
- Ausência de discriminação do critério de avaliação da descrição, da quantidade ou valor de mercado dos recursos estimáveis em dinheiro,
nos termos do artigo 40, § 3º da Resolução nº 23.372/2012;
- Recursos estimáveis em dinheiro não legítimos arrecadados de pessoa(s) física(s) ou jurídica(s), nos termos do artigo 23, parágrafo único da
Resolução nº 23.372/2012; qual seja, bens e/ou serviços estimáveis em dinheiro - doados por pessoas físicas e jurídicas - que não constituem
produto de seu próprio serviço ou de suas atividades econômicas;
- Não observância do prazo de dez dias da concessão do CNPJ para abertura da conta bancária, nos termos do artigo 12, § 1º, alínea a da
Resolução nº 23.372/2012.
O Ministério Público opinou pela desaprovação das contas (fls. 61/62)
É o relatório. Decido.
Denoto que, através de Relatório Final de Exames, foram apontadas irregularidades na prestação de contas ofertada pelo(a) candidato(a).
Irregularidades: demonstram o descumprimento de obrigações de maior gravidade e repercussão sobre as contas, comprometendo sua
regularidade, quando examinadas em conjunto.
Nos termos da Lei nº 9.504/97 e Resolução nº 23.372/2012 e, seu artigo 23, in verbis:
"São considerados bens estimáveis em dinheiro fornecidos pelo próprio candidato apenas aqueles integrantes do seu patrimônio em período
anterior ao pedido de registro da candidatura.
Parágrafo único. Os bens e/ou serviços estimáveis em dinheiro doados por pessoas físicas e jurídicas, com exceção de partidos políticos,
comitês financeiros e candidatos, devem constituir produto de seu próprio serviço, de suas atividades econômicas e, no caso dos bens
permanentes, deverão integrar o patrimônio do doador.
Em análise particular do Recibo Eleitoral nº 6523441238MG00005, foi procedida a arrecadação de material impresso fornecido pela pessoa
física Maria do Socorro Jô Moraes, parlamentar - eleita Deputada Federal no Pleito de 2010, que diferentemente do descrito no Demonstrativo
de Receitas Estimadas - não se enquadra na categoria Partido Político/Comitê Financeiro e Candidato, pois não concorreu no Pleito em
exame. Ademais, não consta que seja produto da atividade do parlamentar (função legislativa) a produção de material gráfico; atribuição
própria de empresa voltada a atividade econômica offset, fotolito, silk, etc...
Em conformidade ao artigo 40, § 3º da Resolução nº 23.372/2012, verifica-se que:
§ 3º O demonstrativo com as receitas estimadas em dinheiro deverá descrever o bem e/ou serviço recebido, informando a quantidade, o valor
unitário e AVALIAÇÃO PELOS PREÇOS PRATICADOS NO MERCADO, acompanhado do respectivo recibo eleitoral, com a origem de sua
emissão. (grifo nosso)
No que tange a abertura da conta bancária, dispõe a Resolução nº 23.372/2012:
Art. 12. É obrigatória para os candidatos, comitês financeiros e partidos políticos, em todos os níveis de direção, a abertura de conta bancária
específica, na Caixa Econômica Federal, no Banco do Brasil ou em outra instituição financeira com carteira comercial reconhecida pelo Banco
Central do Brasil, para registrar o movimento financeiro de campanha eleitoral, vedado o uso de conta bancária preexistente (Lei nº 9.504/97,
art. 22, caput).
§ 1º A conta bancária específica de que trata o caput deverá ser aberta:
a) pelo candidato e pelo comitê financeiro no prazo de 10 dias a contar da concessão do CNPJ pela Secretaria da Receita Federal do Brasil;
Tais irregularidades, em seu conjunto, afligem a transparência e lisura da prestação de contas e dificultam o efetivo controle, por parte da
Justiça Eleitoral sobre a licitude do movimento dos recursos de campanha, além de denotar possíveis desvios na administração financeira da
campanha. Diante do exposto, JULGO DESAPROVADAS as contas apresentadas pelo(a) candidato(a) OLIVIA MARIA DAS GRAÇAS
CAMPOS. P.R.I. Belo Horizonte, 03 de abril de 2013. Ronaldo Claret de Moraes -
Juiz Eleitoral

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 30

Processo: Prestação de Contas n.º 615-90.2012.6.13.0036


Classe PC Protocolo: 786.820/2012
Assunto: Prestação de Contas Eleitorais – Eleições 2012
Interessado: Francisco Eustáquio de Moura Braga, candidato(a) a vereador
Partido: PHS
No processo em epígrafe, o MM Juiz Eleitoral desta 36ª ZE exarou a seguinte decisão: Vistos etc...Trata-se de prestação de contas do(a)
candidato(a) ao cargo de Vereador do Município de Belo Horizonte, FRANCISCO EUSTÁQUIO DE MOURA BRAGA, pelo PHS, referente às
Eleições de 2012.Contas prestadas dentro do prazo fixado por este Juízo, nos termos do § 4º do artigo 38 da Resolução n° 23.376/2012/TSE.
Submetidos os documentos à análise, verificou-se as incongruências constantes do parecer técnico juntado aos autos (fls. 29).
Intimado(a) para esclarecer tais irregularidades, o(a) interessado(a) cumpriu as exigências. O Ministério Público Eleitoral manifestou-se pela
aprovação das contas (fls. 34).
É o relatório.
A documentação apresentada está em consonância com a legislação em vigor e demonstra regularidade das contas, conforme, inclusive,
conclui o parecer técnico.
Isto posto, JULGO APROVADAS, COM RESSALVAS as contas do(a) candidato(a) FRANCISCO EUSTÁQUIO DE MOURA BRAGA. Registre-
se. Publique-se. Intime-se. Belo Horizonte, 21 de março de 2013. Ronaldo Claret de Moraes - Juiz Eleitoral

Processo Prestações de Contas nº 617-60.2012.6.13.026


Classe: PC Protocolo: 807.084/2012
Assunto: Prestação de Contas Eleitorais
Interessado: Vera Lucia Silva Mariano
Partido: DEM
No processo em epígrafe, o MM Juiz Eleitoral desta 36ª ZE exarou a seguinte decisão: Vistos, etc... Cuida-se de prestação de contas do(a)
candidato(a) ao cargo de Vereador do Município de Belo Horizonte VERA LUCIA SILVA MARIANO, pelo DEM, referente às eleições de 2012.
O relatório conclusivo de fls. 67/69 mostra que remanesceram algumas das incongruências relativas a diligências e movimentação financeira,
quais sejam:
- houve omissão quanto à entrega da 1ª prestação de contas parcial (28/07 a 02/08/2012)
- houve omissão quanto à entrega da 2ª prestação de contas parcial, no período de 28/08/2012 a 02/09/2012.
- inconsistências no confronto entre as doações declaradas na prestação de contas em exame e as informações prestadas pelos doadores
(outro(s) candidato(s), comitê(s) financeiro(s) e/ou partido(s) político(s)), em virtude de indisponibilidade do Sistema SPCEWeb
- a(s) conta(s) bancária(s) extrapolou(aram) o prazo de dez dias contados da concessão do CNPJ, em desatendimento ao estabelecido no art.
12, § 1º da Resolução TSE 23.376/2012:
- os extratos bancários apresentados às fls. 24/25, pelo(a) candidato(a) não comprovam a ausência de movimentação financeira, todavia,
informam abertura e encerramento da mesma, assim como os demonstrativos de receitas e despesas não informam qualquer movimentação
financeira, somente recursos estimáveis em dinheiro (fls. 52/53).
- o extrato eletrônico de fls. 44, emitido pelo Sistema SPCEWeb, não informa qualquer movimentação financeira. Também, os documentos de
fls. 29/30, referentes as prestações de contas parciais, emitido pelo Sistema SPCEWeb informam como saldo do extrato bancário em cada
período como R$ 0,00 (zero centavos).
- o saldo final do extrato eletrônico da conta bancária diverge em R$ 0,00 da apuração do saldo financeiro constante do Demonstrativo de
Receitas e Despesas.( fls. 44 e 52/53)
- o Resumo Financeiro de fls. 60 informa que não houve recursos próprios e de pessoas físicas/jurídicas na campanha em exame.
- a candidata informa em petição juntada às fls. 46, "in verbis": I – De fato, reconheço ter deixado de prestar as contas parciais, pois não
havia realizado nenhum gasto. Todavia, ao final, apresentei as minhas contas à Justiça Eleitoral, as quais, à evidência, apenas a arrecadação
e aplicação de recursos estimados."
O DD Representante do Ministério Público Eleitoral, em minucioso relatório, opina pela desaprovação das contas sob exame.( fls. 70/72)
É o relatório. Decido.
Apesar das incongruências apresentadas, como acima exposto e dos documentos carreados aos autos, não se pode falar em
comprometimento da regularidade da administração financeira da campanha, visto que as referidas incongruências não denotam a captação
de recursos de fontes vedadas ou despesas ilícitas, ou vícios graves e insanáveis que contrariam a legislação vigente referente a
movimentação financeira da campanha e à correspondente prestação de contas. Diante do exposto, APROVO, COM AS RESSALVAS
mencionadas nos relatórios de fls. 67/69, as contas de campanha sob exame. P.R.I. Belo Horizonte, 21 de março de 2013. Ronaldo Claret de
Moraes -Juiz Eleitoral

Edital n.º 012/2013

O Dr. Ronaldo Claret de Moraes, MM. Juiz da 36ª Zona Eleitoral de Belo Horizonte, em pleno exercício de suas funções e na forma da lei,
etc....
"Faz saber aos partidos políticos e especialmente aos interessados, para fins do art. 17 e 18 da Resolução n.º 21.538, que a relação dos
eleitores que requereram alistamento eleitoral, transferência e revisão, no período de 16/3/2013 a 31/3/2013, encontra-se afixada no Cartório
da 36ª Zona Eleitoral, situado na Rua Alcindo Vieira n.º 67, Barreiro, para efeito de eventual impugnação do deferimento, na forma da lei.
E, para conhecimento de todos, publica-se o presente edital.
Belo Horizonte, 1º de abril de 2013.
(a) José Tiago Fernandes Monteiro - Chefe do Cartório.
Visto : Ronaldo Claret de Moraes - Juiz Eleitoral."

Procedimento Administrativo Direitos Políticos


Protocolo n.º 10.248/2013
Interessado: Jonatas Vinicios de Souza
Assunto: Suspensão dos Direitos Políticos em virtude de condenação criminal
Vistos, etc...
Trata-se de procedimento visando a suspensão dos direitos políticos de Jonatas Vinicios de Souza, inscrito nesta 36ª Zona Eleitoral sob o nº
192444150281, condenado no processo n.º 0477686-06.2012.8.13.0079, da 1ª Vara Criminal da Comarca de Contagem - MG, cuja decisão

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 31
transitou em julgado em 17/12/2012. Verifica-se o réu foi condenado pelo crime tipificado no artigo 157, § 2º, inciso II, do CPB, que o tipo penal
se enquadra nas hipóteses de inelegibilidade de que trata o art. 1º, inciso I, alínea "e", da LC n.º 64/90 (Alterada pela LC n.º 135, de 04 de
junho de 2010), e no art. 14, "caput", da Lei nº 10.826/03. Assim, considerando o documento retro, determino a suspensão dos direitos políticos
do eleitor Jonatas Vinicios de Souza, inscrição eleitoral n.º 192444150281, enquanto durarem os efeitos da condenação (CF, art. 15, III) com o
devido lançamento do ASE 337, no histórico do eleitor, ficando inelegível conforme alínea "e" do inciso I do art. 1º da LC n.º 64/90, devendo o
ASE 540, referente à inelegibilidade, ser anotado após a extinção da punibilidade. Publique-se. Registre-se. Após, remeta-se o expediente ao
arquivo.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013.
Ronaldo Claret de Moraes - Juiz Eleitoral

Procedimento Administrativo Direitos Políticos


Protocolo n.º 13.870/2013
Interessado: Warlei Leal Amorim
Assunto: Suspensão dos Direitos Políticos em virtude de condenação criminal
"Vistos, etc...
Trata-se de procedimento visando a suspensão dos direitos políticos de Warlei Leal Amorim, inscrito nesta 36ª Zona Eleitoral sob o nº
135958220299, condenado no processo n.º 0258162-76.2009.8.13.0090, do Juizado Especial Cível/Crime Comarca de Brumadinho - MG, cuja
decisão transitou em julgado em 31/07/2012. Verifica-se o réu foi condenado pelo crime tipificado no artigo Art. 330, do CPB, e que o tipo penal
não se enquadra nas hipóteses de inelegibilidade de que trata o art. 1º, inciso I, alínea "e", da LC n.º 64/90 (Alterada pela LC n.º 135, de 04 de
junho de 2010), e no art. 14, "caput", da Lei nº 10.826/03. Assim, considerando o documento retro, determino a suspensão dos direitos políticos
do eleitor Warlei Leal Amorim, inscrição eleitoral n.º 135958220299, enquanto durarem os efeitos da condenação (CF, art. 15, III) com o devido
lançamento do ASE 337, no histórico do eleitor. Publique-se. Registre-se. Após, remeta-se o expediente ao arquivo.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013.
Ronaldo Claret de Moraes - Juiz Eleitoral."

Procedimento Administrativo – Direitos Políticos


Protocolo58.600/2013
Interessado: Reinaldo de Oliveira Cesário
Assunto: Restabelecimento dos direitos políticos – Registro da inelegibilidade
"Vistos, etc...
Trata-se de procedimento visando o restabelecimento dos direitos políticos de Reinaldo de Oliveira Cesário, inscrito nesta 36ª ZE de Belo
Horizonte/MG sob o nº 093155430230, condenado no processo n.º 018006033798-7, da 1ª Vara Cível/Crime e VEC da Comarca de
Congonhas/MG, tendo sido decretada a extinção da punibilidade em 29/05/2012, fls. 02. Verifica-se que o réu foi condenado pelo crime
tipificado no artigo 33 da Lei nº 11.343/2006, e que o tipo penal se enquadra nas hipóteses de inelegibilidade de que trata o art. 1º, I, "e", da LC
n.º 64/90. (Alterada pela LC nº 135/2010). Assim, considerando o documento retro, determino o restabelecimento dos direitos políticos do
eleitor Reinaldo de Oliveira Cesário, inscrição eleitoral n.º 093155430230, com o devido lançamento, no cadastro eleitoral, do ASE 370,
referente ao restabelecimento, e ASE 540, referente à inelegibilidade, a ser anotada com a data da extinção da punibilidade.
Após, remeta-se o expediente ao arquivo. Publique-se. Registre-se.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013.
Ronaldo Claret de Moraes - Juiz Eleitoral."

Procedimento Administrativo – Direitos Políticos


Protocolo: 814.770/2012
Interessado: Welton Ferreira Júnior
Assunto: Comunicação de extinção da punibilidade – Registro da inelegibilidade
"Vistos, etc...
Trata-se de procedimento visando o restabelecimento dos direitos políticos de Welton Ferreira Júnior, inscrito nesta 36ª ZE de Belo
Horizonte/MG sob o nº 166304840213, condenado no processo n.º 007908431648-2, da 2ª Vara Criminal da Comarca de Contagem/MG, tendo
sido decretada a extinção da punibilidade em 31/07/2012, fls. 02. Verifica-se que o réu foi condenado pelo crime tipificado no artigo 157, caput,
e 14, inc. II, do CPB, e que o tipo penal se enquadra nas hipóteses de inelegibilidade de que trata o art. 1º, I, "e", da LC n.º 64/90. (Alterada
pela LC nº 135/2010). Verifica-se, ainda, que a referida condenação não foi registrada no histórico do eleitor. Assim, considerando o
documento de fls. 01 a 04, determino a inelegibilidade do eleitor Welton Ferreira Júnior, inscrição eleitoral n.º 166304840213, nos termos da
alínea "e" do inciso I do art. 1º da LC n.º 64/90, com o devido registro do ASE 540, no cadastro eleitoral, com a data extinção da punibilidade.
Após, remeta-se o expediente ao arquivo. Publique-se. Registre-se.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013.
Ronaldo Claret de Moraes - Juiz Eleitoral."

Processo Petição n.º 31-86.2013.6.13.0036


Classe PA Protocolo: 82.762/2013
Interessada: Cleusa Figueiredo Costa
Assunto: Requerimento de Certidão de Quitação com prazo de validade indeterminado – e alteração de dados no cadastro de eleitores
"Vistos, etc.
Trata-se de procedimento visando a emissão de Certidão de Quitação Eleitoral com prazo de validade indeterminado, requerida pela eleitora
Cleusa Figueiredo Costa, inscrita nesta 36.ª Zona Eleitoral, sob o n.º 0371 1884 0264, portadora de deficiência que torna impossível ou
oneroso o exercício das obrigações eleitorais, fls. 03.
Na oportunidade, requer, também, que seja feita a correção do nome da requerente – de Cleuza para Cleusa, conforme documentos
apresentados, e que seja acrescentado o sobrenome de casada.
Considerando os documentos de fls. 02 a 07, determino seja feita a alteração no cadastro nacional de eleitores, conforme requerido, e, em
seguida, com fulcro no art. 2º da Resolução n.º 21.920/TSE, de 19.4.2004 (caput com redação alterada pela Resolução n.º 22.545/TSE, de
24.5.2007), seja lançado, no cadastro eleitoral, o código ASE 396, motivo 4, e a expedição, em favor da referida eleitora, da Certidão de
Quitação Eleitoral com prazo de validade indeterminado.
Publique-se. Registre-se. Intime-se.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013.
Ronaldo Claret de Moraes - Juiz Eleitoral."
Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 32

Filiação Partidária nº 30-04.2013.6.13.0036


Classe FP Protocolo: 80.613/2013
Interessado: Flavinei Luciano Mendes
PR – Partido da República
Assunto: Comunicação de Desfiliação – Cancelamento de filiação partidária a pedido do eleitor
Vistos, etc....
Considerando documentos de fls. 02 a 05, determino o cancelamento da filiação de Flavinei Luciano Mendes, inscrição eleitoral n.º
133947540281, na relação do PR, do sistema de filiação partidária - FILIAWEB, nos termos do § 1º, do artigo 13, da Resolução TSE nº
23.117/2009, informando, como data da desfiliação, a data da comunicação do filiado ao Cartório Eleitoral. Publique-se. Registre-se. Após,
remetam-se os autos ao arquivo.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013.
Ronaldo Claret de Moraes – Juiz Eleitoral."

Filiação Partidária nº 29-19.2013.6.13.0036


Classe FP Protocolo: 79.554/2013
Interessado: Sandra de Souza Cruz
PRB – Partido Republicano Brasileiro
Assunto: Comunicação de Desfiliação – Cancelamento de filiação partidária a pedido do eleitor
Vistos, etc....
Considerando documentos de fls. 02 a 05, determino o cancelamento da filiação de Sandra de Souza Cruz, inscrição eleitoral n.º
107898110205, na relação do PRB, do sistema de filiação partidária - FILIAWEB, nos termos do § 1º, do artigo 13, da Resolução TSE nº
23.117/2009, informando, como data da desfiliação, a data da comunicação do filiado ao Cartório Eleitoral. Publique-se. Registre-se. Após,
remetam-se os autos ao arquivo.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013.
Ronaldo Claret de Moraes – Juiz Eleitoral."

Filiação Partidária nº 30-04.2013.6.13.0036


Classe FP Protocolo: 80.613/2013
Interessado: Flavinei Luciano Mendes
PR – Partido da República
Assunto: Comunicação de Desfiliação – Cancelamento de filiação partidária a pedido do eleitor
"Vistos, etc....
Considerando documentos de fls. 02 a 05, determino o cancelamento da filiação de Flavinei Luciano Mendes, inscrição eleitoral n.º
133947540281, na relação do PR, do sistema de filiação partidária - FILIAWEB, nos termos do § 1º, do artigo 13, da Resolução TSE nº
23.117/2009, informando, como data da desfiliação, a data da comunicação do filiado ao Cartório Eleitoral. Publique-se. Registre-se. Após,
remetam-se os autos ao arquivo.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013.
Ronaldo Claret de Moraes - Juiz Eleitoral."

Recurso Eleitoral n.º 1078-20.2012.6.13.0331


Classe: 30 Protocolo: 546.808/2012
Assunto: Representação – Propaganda Eleitoral Irregular – Banner / Cartaz / Faixa – Bem material de uso comum – Ação julgada procedente /
Condenação em multa
Recorrido: Ministério Público Eleitoral
Recorrente: Marcelo Henrique Teixeira Dias
Advogada: Raquel Fernandes Silva – OAB/MG nº 97.626
"Vistos, etc....
Registre-se o ASE 264, no histórico do eleitor, referente à multa cominada por sentença, fls. 32 a 34, com a data do trânsito em julgado da
decisão de fls. 76/77.
Defiro o pedido de fls.87. O valor da multa arbitrada em sentença deverá ser quitada em 60 (sessenta) parcelas, sendo 59 (cinquenta e nove)
no valor de R$ 33,33 (trinta e três reais e trinta e três centavos) e a última, no valor de R$ 33,53 (trinta e três reais e cinquenta e três centavos)
em guias a serem fornecidas pelo Cartório Eleitoral, sendo que o primeiro pagamento deverá ocorrer até o dia 30/04/2013, e os demais, no
mesmo dia dos meses seguintes. A quitação do débito deverá ser comprovada, no Cartório Eleitoral, nos cinco dias imediatamente
subsequentes. Publique-se. Intime-se.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013.
Ronaldo Claret de Moraes - Juiz Eleitoral."

38ª ZONA ELEITORAL

EDITAL

Publicação de Decisão.

Edital nº 68/2013

O Doutor Eduardo Veloso Lago, MM. Juiz da 38ª Zona Eleitoral de Belo Horizonte, em pleno exercício de suas funções e na forma da lei, etc.
Faz saber a quantos virem o presente Edital, que nos autos do processo abaixo relacionado, foi proferida a seguinte decisão:
Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 33

Protocolo: 86.280/2013.
Interessados: Poliana Rodrigues de Sá e 38ª Zona Eleitoral de Belo Horizonte – Minas Gerais.
Assunto: Restabelecimento de Direitos Políticos. Extinção de Punibilidade. Ocorrência de Hipótese de Inelegibilidade.
Decisão: "No presente expediente observa-se que o(a) cidadão(a) Poliana Rodrigues de Sá, filho(a) de Maria José Rodrigues de Sá,
nascido(a) ao(s) 13 dias do mês de janeiro, do ano de 1988, nesta Capital, é eleitor(a) desta 38ª Zona Eleitoral de Belo Horizonte – Minas
Gerais, sendo que encontra-se com sua inscrição nº 165881720213 suspensa no Cadastro Eleitoral, em decorrência de condenação criminal
transitada em julgado, nos termos do artigo 15, inciso III, da Constituição da República Federativa do Brasil.
Deste modo, observa-se que o(a) mencionado(a) eleitor(a) foi condenado(a) conforme decisão proferida no feito nº 0024.08.007.216-8
(Numeração Única: 0072168-13.2008.8.13.0024), do(a) 2ª Vara de Tóxicos da Comarca de Belo Horizonte – Minas Gerais, sendo que houve a
extinção da punibilidade, relativamente ao mencionado feito, nos termos do Processo de Execução nº 0024.08.963.519-7 (Numeração Única:
9635197-21.2008.8.13.0024), em conformidade com documentos que acompanham o presente expediente.
Finalmente, salienta-se que ao(s) tipo(s) penal(is) constante(s) do já mencionado feito condenatório, aplicam-se as hipóteses de inelegibilidade
previstas no artigo 1º, inciso I, alínea "e" da Lei Complementar nº 64/90, com as alterações trazidas pela Lei Complementar nº 135/2010.
Face ao exposto, determino, inicialmente, o preenchimento do ASE no Código 370 para o(a) mencionado(a) eleitor(a), visando o
restabelecimento de seus direitos políticos, nos termos da legislação em vigor, e seguindo as normas contidas no Ofício-Circular nº 047-
CRE/2012.
Determino, ainda, o preenchimento do ASE no código 540 para o(a) citado(a) eleitor(a), considerando a ocorrência, no presente feito, de
hipótese de inelegibilidade.
Após o cumprimento das demais diligências cabíveis, arquivem-se os autos.
Publique-se. Registre-se. Intime-se. Cumpra-se."
Belo Horizonte, 2 de abril de 2013.
Eduardo Veloso Lago– Juiz da 38ª Zona Eleitoral de Belo Horizonte – Minas Gerais.

E, para conhecimento de todos, publica-se o presente Edital.


Belo Horizonte, 2 de abril de 2013.
(a) Vanei Miranda de Souza, Diretora do Cartório da 38ª Zona Eleitoral de Belo Horizonte.
Visto, Doutor Eduardo Veloso Lago, Juiz Eleitoral.

331ª ZONA ELEITORAL

ATOS JUDICIAIS

SENTENÇAS PRESTAÇAO DE CONTAS PLEITO 2012

Publicação de sentença

Prestação de Contas n.º 1199-48.2012.6.13.0331


Juíza Eleitoral: Dra Lilian Maciel Santos
Promotor Eleitoral: Dr. Renato Augusto de Mendonça
Diretora do Cartório: Maria Lúcia Lachini
Interessado(a): JERRI DE VASCONCELOS MARIA – Candidato(a) a cargo de vereador (a) pelo PSDC – Eleições 2012
VISTOS ETC.
Trata-se de prestação de contas apresentada pelo candidato ao cargo de Vereador do Município de Belo Horizonte pelo PSDB Sr. JERRI DE
VASCONCELOS MARIA, referente às eleições de 2012.
A apresentação das contas aconteceu em 14 de dezembro de 2012, fora do prazo estabelecido pelo art. 38 da Resolução TSE n.º
23.376/2012.
Submetidas as contas e respectivos documentos à análise técnica, foi constatada a seguinte irregularidade: abertura da conta bancária após o
prazo de dez dias contados da concessão do CNPJ, não foram apresentados extratos bancários, conforme relatório final de exame às fls.
32/33.
Aberta vista ao Ministério Público, este emitiu parecer opinando pela desaprovação das contas (fls.34/35).
É o relatório. Decido.
Compulsando os autos, examinando as contas, os documentos juntados pelo candidato, o relatório produzido pelo técnico e o parecer
ministerial, chego à conclusão que a presente prestação de contas apresenta irregularidades e impropriedades suficientes a ensejar a sua
desaprovação
A abertura da conta bancária após o prazo de dez dias contados da concessão do CNPJ, e a ausência de extratos da conta bancária aberta
em nome do candidato, tiveram o condão de macular a prestação de contas do candidato.
In casu, a conta bancária foi aberta 12 (doze) dias após a concessão do CNPJ. Em desacordo com o regramento legal, pois é de observância
obrigatória a tramitação de recursos pela conta bancária, daí a necessidade da abertura da conta bancária no prazo legal.
Esposa referido entendimento o art. 12 da Resolução TSE n.º 23.376/2012:
Art. 12. É obrigatória para os candidatos, comitês financeiros e partidos políticos, em todos os níveis de direção, a abertura de conta bancária
específica, na Caixa Econômica Federal, no Banco do Brasil ou em outra instituição financeira com carteira comercial reconhecida pelo Banco
Central do Brasil, para registrar o movimento financeiro de campanha eleitoral, vedado o uso de conta bancária preexistente (Lei n.º 9.504/97,
art. 22, caput).
§ 1º A conta bancária específica de que trata o caput deverá ser aberta:
a) pelo candidato e pelo comitê financeiro no prazo de 10 dias a contar da concessão do CNPJ pela Secretaria da Receita Federal do Brasil; e
b) pelos partidos políticos a partir de 1º de janeiro de 2012.
§ 2º A obrigação prevista neste artigo deverá ser cumprida pelos candidatos, pelos comitês financeiros e pelos partidos políticos em todos os
níveis de direção, mesmo que não ocorra arrecadação e/ou movimentação de recursos financeiros.
Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 34
In casu, o candidato foi notificado (fl. 31) para apresentação dos extratos bancários em sua forma definitiva, contemplando todo o período da
campanha eleitoral, manteve-se inerte
Diz o art. 40, XI, § 8.º da Resolução TSE n.º 23.376/2012:
“art. 40. A prestação de contas, ainda que não haja movimentação de recursos financeiros ou estimáveis em dinheiro, deverá ser instruída com
os seguintes documentos:
XI – extratos da conta bancária aberta em nome do candidato, do comitê financeiro ou do partido político, nos termos exigidos pelo inciso III do
art. 2° desta resolução, demonstrando a movimentação financeira ou a sua ausência.
§ 8° Os extratos bancários deverão ser entregues em sua forma definitiva, contemplando todo o período de campanha, vedada a apresentação
de extratos sem validade legal, adulterados, parciais, ou que omitam qualquer movimentação financeira.”
Destarte, a contrario sensu, a não apresentação dos extratos bancários pelo candidato enseja a desaprovação das contas. É o caso dos autos.
Referenda o entendimento acima a Súmula n.º 48 do TRE/MG, vejamos:
Súmula n.º 48 do TRE-MG: Nos casos de abertura obrigatória de conta bancária, a não apresentação de extrato configura óbice insuperável
para provocar a desaprovação das contas de campanha.
Diante do exposto, JULGO DESAPROVADAS, as contas do candidato JERRI DE VASCONCELOS MARIA, com fundamento no art. 51, inciso
III, da Resolução TSE n.º 23.376/2012.
Com o trânsito em julgado, ao arquivo, com baixa.
P.R.I.
Belo Horizonte, 01 de abril de 2013.
LILIAN MACIEL SANTOS
Juíza da 331ª Zona Eleitoral

PRESTAÇÃO DE CONTAS N. 1191-71.2012.6.13.0331


Juíza Eleitoral: Dra Lilian Maciel Santos
Promotor Eleitoral: Dr. Renato Augusto de Mendonça
Diretora do Cartório: Maria Lúcia Lachini
Interessado(a): GERALDO DE SOUZA GONÇALVES – Candidato(a) a cargo de vereador (a) pelo PDT – Eleições 2012
SENTENÇA
VISTOS ETC.
Trata-se de prestação de contas apresentada pelo candidato ao cargo de Vereador do Município de Belo Horizonte pelo PDT Sr. GERALDO
DE SOUSA GONÇALVES, referente às eleições de 2012.
A apresentação das contas foi recebida na base de dados da Justiça Eleitoral em 05 de novembro de 2012, fl. 321, dentro do prazo
estabelecido pelo art. 38 da Resolução TSE n.º 23.376/2012.
Submetidas as contas e respectivos documentos à análise técnica, foi constatada no Relatório Preliminar para expedição de diligências (fls.
32/33) as seguintes irregularidades: utilização de recursos próprios aplicados e não ter declarado nenhum recurso em dinheiro no momento do
registro da candidatura; e divergência no CPF do doador “JAIRO ANSELMO”.
In casu, o candidato após notificado apresentou justificativa de fl. 35 e juntou documentos de fls. 36/44, que após reavaliados pelo técnico
judiciário, ficou constatado que todas as inconsistências apontadas foram sanadas, conforme relatório final de exame às fl. 45.
Aberta vista ao Ministério Público, este emitiu parecer opinando pela desaprovação das contas, fls. 47/49.
Em cumprimento a diligência determinada por este Juízo (fl. 51), o candidato juntou aos autos extratos da sua conta corrente nº 31121-6, fls.
52/56, onde comprovam a origem e o destino dos recursos utilizados na campanha eleitoral.
Aberta nova vista ao Ministério Público, este emitiu parecer opinando pela aprovação das contas, (fl. 57).
É o relatório. Decido.
Compulsando os autos, examinando as contas, os documentos juntados pelo candidato, os relatórios produzidos pelos técnicos e o parecer
ministerial, chego à conclusão que a presente prestação de contas não apresenta irregularidades e impropriedades suficientes a ensejar a sua
desaprovação.
A utilização de recursos próprios, sem a devida declaração por ocasião do pedido de registro não teve o condão de macular a transparência
das contas, nem de impedir a fiscalização desta Justiça Especializada, não se podendo presumir a má fé do candidato.
Cumpre ressaltar, que o candidato arrecadou R$ 13.335,41 e utilizou recursos próprios no valor de R$ 4.170,00, assim podemos verificar que o
valor financeiro não é considerável, do ponto de vista do total arrecadado.
O TRE/MG já se manifestou sobre o assunto, vejamos:
RE - RECURSO ELEITORAL n.º 7415 - Ipatinga/MG
Acórdão de 15/07/2009
Relator(a) BENJAMIN ALVES RABELLO FILHO
Relator(a) designado(a) RENATO MARTINS PRATES
Publicação: - Diário de Justiça Eletrônico-TREMG, Data 30/07/2009
Ementa:Recursos Eleitorais. Ação de Impugnação de Mandato Eletivo. Art. 14, §10, da Constituição da República. Abuso de poder econômico,
corrupção e fraude. Procedência do pedido. Determinação da posse temporária do Presidente da Câmara Municipal no cargo. Realização de
novas eleições. RECURSOS DOS IMPUGNADOS
Preliminares
1. Erro na distribuição. Rejeitada. A interpretação pretendida pelos recorrentes para o art. 260 do Código Eleitoral colide com o art. 55,
parágrafo único, do Regimento Interno, que regulamenta o mencionado dispositivo.
2. Nulidade do processo. Rejeitada. Não comprovação das irregularidades alegadas. Meras especulações.
3. Nulidade da sentença. Cerceamento de defesa. Rejeitada. O julgamento antecipado da lide restou devidamente justificado pela M.M. Juíza
ante a prescindibilidade das provas requeridas pelos recorrentes. Desnecessidade de os recorrentes provarem a validade de contrato que
trouxeram aos autos, haja vista que a prova de sua inexistência ou invalidade seria de quem o alega, isto é, da outra parte. Julgamento citra
petita. Rejeitada. O magistrado não é obrigado a se manifestar sobre todas as teses articuladas pelas partes, desde que julgue o pedido e
motive suas decisões. Princípio da persuasão racional. Inteligência do art. 131 do Código de Processo Civil.
4. Inadequação da via eleita. Rejeitada. Os fatos, tal como narrados na inicial, podem ser analisados sob a perspectiva do abuso do poder
econômico ou da arrecadação e gastos ilícitos de recursos.
5. Litispendência (Impossibilidade de renovação em Ação de Impugnação de Mandato Eletivo de alegações anteriormente formuladas em
Recurso Contra Expedição de Diploma). Rejeitada. A caracterização da litispendência depende do ajuizamento de ação em que haja
coincidência dos fatos, da causa de pedir e das partes, o que não se verifica na espécie. Aplicação do Enunciado de Súmula nº 15/TRE-MG.
Mérito:Inocorrência de atos de abuso de poder econômico. Utilização de recursos do candidato em valor superior ao patrimônio pessoal
declarado à Justiça Eleitoral e em discrepância com os valores constantes da declaração de bens. Inexistência de indícios de fraude. A
Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 35
declaração de bens apresentada à Justiça Eleitoral não indica de maneira precisa a situação econômica do candidato., mas tão-somente seus
bens patrimoniais, conceito não coincidente com o de renda. Demonstração de que o candidato dispunha de meios que justificassem o volume
de recursos alocados à sua campanha eleitoral. Respeito aos limites estabelecidos no art. 23, § 1º, II, da Lei nº 9.504/97, e 17, § 1º, III, da
Resolução TSE nº 22.715/2008. A utilização de recursos próprios do candidato limita-se, apenas, ao máximo de gastos previamente fixado
pelo partido, e não ao teto de doações (10% do rendimento bruto do doador). Precedentes do TSE (CTA1258, Rel. Min. José Augusto
Delgado) e desta Corte (RE328/2005, Rel. Juiz Oscar Dias Corrêa Júnior). Questão, ademais, que não foi abordada na sentença recorrida,
nem trazida como causa de pedir na inicial. Indícios de que o candidato tenha se utilizado de recursos oriundos da renda de cartório do qual é
titular e se encontra afastado desde janeiro de 2005. Os valores recebidos pelo candidato a título de remuneração pelos serviços cartorários
integram seu patrimônio e sua renda, e como tal, podem ser utilizados por ele livremente, não caracterizando doação irregular de recursos.
Mesmo afastado da atividade cartorária, para fins de exercício do mandato eletivo, não perde o titular o direito aos emolumentos, cuja
percepção lhe é lícita Arrecadação de recursos antes do registro de candidatura. A venda de bens dos candidatos não pode ser considerada
arrecadação de recursos. A arrecadação extemporânea de recursos verifica-se nos casos em que há destinação prévia e específica de
recursos a fundo destinado a fazer frente às despesas do processo eleitoral, o que não ocorreu na hipótese dos autos. Divergência entre a
quantidade de sacas de café constantes da declaração de bens do candidato e as declaradas após provocação desta Especializada.
Impossibilidade de caracterização de tal ato como abuso de poder econômico. Suposições quanto à tentativa do candidato de omitir
informações precisas sobre seu patrimônio e renda à Justiça Eleitoral não devidamente demonstradas nos autos. Inexistência de dúvidas
quanto à capacidade financeira do candidato para fazer frente ao aporte de recursos feitos para sua campanha eleitoral.
Recursos aos quais se dá provimento para reformar a sentença de 1º grau e afastar a sanção de cassação dos diplomas, determinando o
imediato retorno dos recorrentes aos cargos de Prefeito e Vice-Prefeito, respectivamente, do Município de Ipatinga, caso não se encontrem
impedidos por outros motivos. RECURSO DO PARTIDO VERDE
Prejudicado em razão do provimento dos recursos dos candidatos impugnados.
Decisão:
Recurso Eleitoral nº 7415. Relator: Juiz Benjamin Rabello. Revisor e Relator designado: Juiz Renato Martins Prates. Recorrentes: Sebastião de
Barros Quintão e Altair de Jesus Vilar Guimarães (Advs.: Dr. João Batista de Oliveira Filho e outros). Recorridos: Coligação A Força do Povo e
outros (Advs.: Dr. José Júlio Costa Neto e outros). Assistente do recorrido: Robson Gomes da Silva (Adv.: Dr.José Júlio Costa Neto).
Recurso Eleitoral 7416. Relator: Juiz Benjamin Rabello. Revisor e Relator designado: Juiz Renato Martins Prates. Recorrentes: Sebastião de
Barros Quintão e Altair de Jesus Vilar Guimarães (Advs.: Dr. João Batista de Oliveira Filho e outros); Recorrente: Partido Verde- PV (Dr. Mauro
Jorge de Paula Bomfim) Assistente do recorrente: Coligação A Força do Povo; Francisco Carlos Chico Ferramenta Delfino, Lene Teixeira
Souza Gonçalves (Adv. Drª Edilene Lôbo) Recorridos: Partido Verde- PV. Assistente do Recorrido: Coligação A Força do Povo e outros (Advs.:
Dr. José Júlio Costa Neto e outros).
Decisão: o Tribunal, por maioria, deu provimento ao recurso de Sebastião de Barros Quintão e de Altair de Jesus Vilar Guimarães, nos termos
do voto do Revisor. Julgaram prejudicado o recurso do Partido Verde. (grifo nosso)
Na análise das prestações de contas não podemos perder de vista os princípios da razoabilidade e da proporcionalidade, além disso, a análise
deve impedir distorções no processo eletivo, o abuso do poder econômico e desvios de finalidade na utilização dos recursos arrecadados e,
ainda, preservar, dentro da legalidade, a igualdade de condições na concorrência eleitoral.
Assim, no caso em comento, verifica-se que a inconsistência não configura desequilíbrio na disputa entre os candidatos ao pleito, denota mera
impropriedade que, de per se, não é conducente à desaprovação das contas.
Referenda o entendimento acima duas súmulas do TRE/MG:
Súmula nº 42 do TRE-MG: As falhas, ainda que insanáveis, identificadas em processo de prestação de contas, podem ser relativizadas pelo
julgador, em homenagem aos princípios da razoabilidade e da proporcionalidade, desde que haja, nos autos, elementos suficientes à
comprovação, por outros meios, da regularidade das contas, o que poderá ensejar a sua aprovação com ressalvas.
Súmula nº 43 do TRE-MG: Em sede de prestação de contas de campanha, sendo a irregularidade constatada de pequena monta em
comparação com o total de recursos envolvidos, é de se aprovar, com ressalva, a prestação de contas, com base nos princípios da
razoabilidade e da proporcionalidade.
Diante do exposto, JULGO APROVADAS, com ressalvas, as contas do candidato GERALDO DE SOUSA GONÇALVES, com fundamento no
art. 51, inciso II, da Resolução TSE n.º 23.376/2012.
Com o trânsito em julgado, ao arquivo, com baixa.
P.R.I.
Belo Horizonte, 02 de abril de 2013.
LILIAN MACIEL SANTOS
Juíza da 331ª Zona Eleitoral

EDITAL

PARTIDO POLITICO - APOIAMENTO

Edital n.º 012/2013

Apoio ao Partido SOLIDARIEDADE


Protocolo: 79.100/2013
Processo n.º: 1-39.2013.6.13.0331

A MM. Juíza da 331ª Zona Eleitoral de Belo Horizonte - MG, Lilian Maciel Santos, em pleno exercício de suas funções e na forma da lei, etc.
faz saber a quantos virem o presente Edital, ou dele conhecimento tiverem, que, em conformidade com a Lei 9.096/95 e § 5º do artigo 11 da
Resolução 23.282/2010 do TSE, tem o presente a finalidade de cientificar a todos do prazo de 5 (cinco) dias, a partir da presente publicação,
para interposição de eventual impugnação contra a listagem, apresentada abaixo, de eleitores desta 331ª ZE, que manifestam o apoio ao
registro do Partido SOLIDARIEDADE.

Nome Título de Eleitor


Wanda Nicolao 129713100248

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 36
Faz saber, ainda, que a certidão encontra-se à disposição do Partido na Sede do Cartório da 331ª ZE, na Avenida do Contorno, n.º 7.038,
Bairro Lourdes.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013.
(a)Maria Lúcia Lachini - Diretora do Cartório da 331ª Zona Eleitoral
Visto: Lilian Maciel Santos, Juíza Eleitoral da 331ª Zona Eleitoral

PARTIDO POLÍTICO - APOIAMENTO

Edital n.º 013/2013

Apoio ao Partido do Desenvolvimento Nacional - PDN


Protocolos: 76.152/2013, 76.160/2013 e 76.163/2013
Processo n.º: 11-83.2013.6.13.0331

A MM. Juíza da 331ª Zona Eleitoral de Belo Horizonte - MG, Lilian Maciel Santos, em pleno exercício de suas funções e na forma da lei, etc.
faz saber a quantos virem o presente Edital, ou dele conhecimento tiverem, que, em conformidade com a Lei 9.096/95 e § 5º do artigo 11 da
Resolução 23.282/2010 do TSE, tem o presente a finalidade de cientificar a todos do prazo de 5 (cinco) dias, a partir da presente publicação,
para interposição de eventual impugnação contra a listagem, apresentada abaixo, de eleitores desta 331ª ZE, que manifestam o apoio ao
registro do Partido do Desenvolvimento Nacional - PDN.

Nome Título de Eleitor


Antônio Gonçalves Dias 127730870272
Aurea Maria de Jesus 115353940213
Débora Thaisa Caetano da Conceição 179058220230
Evaldo Cândido Viana 186533650299
Fernando Alves Santana 155242750205
Josué de Souza Lima 200873400272
Maria Aparecida de Lima 049637880264
Maria Gloria da Cruz 127708310264
Paola Chaves Costa 203665280272
Shaiene Ellen dos Santos Batista 192943120205
Sueli Aparecida de Oliveira 097233450256
Wagner Vicente de Paula Martins 100328450281
Wellington Marcos Costa 176919820213

Faz saber, ainda, que a certidão encontra-se à disposição do Partido na Sede do Cartório da 331ª ZE, na Avenida do Contorno, n.º 7.038,
Bairro Lourdes.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013.
(a)Maria Lúcia Lachini - Diretora do Cartório da 331ª Zona Eleitoral
Visto: Lilian Maciel Santos, Juíza Eleitoral da 331ª Zona Eleitoral

PARTIDO POLÍTICO - APOIAMENTO

Edital n.º 014/2013

Apoio ao Partido da Transformação Social - PTS


Protocolo: 84339/2013
Processo n.º: 625-59.2011.6.13.0331

A MM. Juíza da 331ª Zona Eleitoral de Belo Horizonte - MG, Lilian Maciel Santos, em pleno exercício de suas funções e na forma da lei, etc.
faz saber a quantos virem o presente Edital, ou dele conhecimento tiverem, que, em conformidade com a Lei 9.096/95 e § 5º do artigo 11 da
Resolução 23.282/2010 do TSE, tem o presente a finalidade de cientificar a todos do prazo de 5 (cinco) dias, a partir da presente publicação,
para interposição de eventual impugnação contra a listagem, apresentada abaixo, de eleitores desta 331ª ZE, que manifestam o apoio ao
registro do Partido da Transformação Social - PTS.

Nome Título de Eleitor


Antônio Carlos de Oliveira 0728818330264
Marcela Gonçalves Moreira 190983240281

Faz saber, ainda, que a certidão encontra-se à disposição do Partido na Sede do Cartório da 331ª ZE, na Avenida do Contorno, n.º 7.038,
Bairro Lourdes.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013.
(a)Maria Lúcia Lachini - Diretora do Cartório da 331ª Zona Eleitoral
Visto: Lilian Maciel Santos, Juíza Eleitoral da 331ª Zona Eleitoral

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 37
PARTIDO POLÍTICO - APOIAMENTO

Edital n.º 015/2013

Apoio ao Partido NOVO


Protocolo: 83241/2013
Processo n.º: 2-24.2013.6.13.0331

A MM. Juíza da 331ª Zona Eleitoral de Belo Horizonte - MG, Lilian Maciel Santos, em pleno exercício de suas funções e na forma da lei, etc.
faz saber a quantos virem o presente Edital, ou dele conhecimento tiverem, que, em conformidade com a Lei 9.096/95 e § 5º do artigo 11 da
Resolução 23.282/2010 do TSE, tem o presente a finalidade de cientificar a todos do prazo de 5 (cinco) dias, a partir da presente publicação,
para interposição de eventual impugnação contra a listagem, apresentada abaixo, de eleitores desta 331ª ZE, que manifestam o apoio ao
registro do Partido NOVO.

Nome Título de Eleitor


Bruno de Moura Souza 176738790272
Joaquim Bruno de Oliveira 031394600248

Faz saber, ainda, que a certidão encontra-se à disposição do Partido na Sede do Cartório da 331ª ZE, na Avenida do Contorno, n.º 7.038,
Bairro Lourdes.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013.
(a)Maria Lúcia Lachini - Diretora do Cartório da 331ª Zona Eleitoral
Visto: Lilian Maciel Santos, Juíza Eleitoral da 331ª Zona Eleitoral

333ª ZONA ELEITORAL

EDITAL

Editais

Edital n.º 024/2013

A Dra. Danielle Christiane Costa Machado de Castro Cotta, MM.ª Juíza da 333ª Zona Eleitoral de Belo Horizonte, em pleno exercício de suas
funções e na forma da lei, etc.
Faz saber a todos que virem o presente edital , ou dele conhecimento tiverem, para fins do § 5º do artigo 11 da Resolução nº 23.282, de
22.06.2010/TSE, encontram-se na sede do Cartório da 333ª Zona Eleitoral, Rua Alcindo Vieira, 67, Barreiro - BH, formulários de apoiamento
entregues em 01/04/2013 para conferência de assinaturas e expedição de certidão para criação do Partido do Desenvolvimento Nacional -
PDN
E, para conhecimento de todos, publica-se o presente edital.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013.
(a) Eduardo Bueno da Silva – Chefe do Cartório
Visto : Danielle Christiane Costa Machado de Castro Cotta - Juíza Eleitoral

Edital n.º 025/2013

A Dra. Danielle Christiane Costa Machado de Castro Cotta, MM.ª Juíza da 333ª Zona Eleitoral de Belo Horizonte, em pleno exercício de suas
funções e na forma da lei, etc.
Faz saber a todos que virem o presente edital , ou dele conhecimento tiverem, para fins do § 5º do artigo 11 da Resolução nº 23.282, de
22.06.2010/TSE, encontram-se na sede do Cartório da 333ª Zona Eleitoral, Rua Alcindo Vieira, 67, Barreiro - BH, formulários de apoiamento
entregues em 01/04/2013 para conferência de assinaturas e expedição de certidão para criação do Partido da Republicano da Ordem Social –
PROS.
E, para conhecimento de todos, publica-se o presente edital.
Belo Horizonte, 03 de abril de 2013.
(a) Eduardo Bueno da Silva – Chefe do Cartório
Visto : Danielle Christiane Costa Machado de Castro Cotta - Juíza Eleitoral

071ª ZONA ELEITORAL DE CARATINGA

ATOS JUDICIAIS

SENTENÇA

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 38
Processo nº 769-03.2012.6.13.0071
Decisão
Vistos, etc.
Recebo o recurso, vez que atende aos requisitos de condição de admissibilidade.
Em juízo de retratação, mantenho a sentença.
I. a outra parte para contra-razões, no prazo legal.
Apos, subir ao TRE-MG, com as nossas homenagens de estilo.
Cumpra-se.
Caratinga, 01/04/2013.
José Antônio de Oliveira Cordeiro
Juiz da 71ª Zona Eleitoral
REPRESENTANTE: COLIGAÇÃO FRENTE POPULAR DE PIEDADE DE CARATINGA, representada por RONALDO GUIDO MEDEIROS
ADVOGADOS: RONALDO GUIDO MEDEIROS – OAB/MG 48.025, RANULFO MOREIRA CUNHA FILHO – OAB/MG 73.038
REPRESENTADOS: EDINILSON DORNELAS LOPES e PATRÍCIO CAMPOS DE SOUSA
ADVOGADO: MÁRCIO ESTEVÃO DE SOUSA FURTADO – OAB/MG 25.844

090ª ZONA ELEITORAL DE CONTAGEM

ATOS JUDICIAIS

NOTIFICAÇÃO

A Dra. Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, Mª. Juíza da 90ª Zona Eleitoral de Contagem/MG, no uso de suas atribuições, na forma da Lei, etc.,
FAZ SABER a todos quantos o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem que, com fulcro no § 4º do art. 38 da Res.-nº
23.376/2012/TSE, NOTIFICA O SENHOR ANTONIO ELIAS SOARES DE ARAÚJO, candidato não eleito para apresentar no prazo de 72
(setenta e duas) horas a respectiva prestação de contas relativas ao pleito de 2012, sob pena de serem julgadas não prestadas.

141ª ZONA ELEITORAL DE ITUIUTABA

ATOS JUDICIAIS

EDITAL

EDITAL Nª 55/90ªZE/2013

EDITAL DE HASTA PÚBLICA


A Exma. Juíza desta 141ª Zona Eleitoral de Ituiutaba (MG), torna público que nos autos da Execução Fiscal n.º 617/2007, INSCRITA NA
DÍVIDA ATIVA SOB N.º 60.6.07.009249-10, proposta pela PROCURADORIA DA FAZENDA PÚBLICA NACIONAL contra JORNAL CIDADE
DE ITUIUTABA LTDA, CNPJ 17821729/0001-21, E JORGE MIGUEL JÚNIOR, CPF 508450126-49, será levado a hasta pública o seguinte
BEM: 01 (um) IMÓVEL URBANO constituído de 01 (um) terreno foreiro, situado nesta cidade, à Rua Dezoito, na quadra formada pelas ruas
Dezoito e Vinte e avenidas Dezenove e Vinte e um, cadastrado sob o n.º SE.11.05.16.16, matriculado no Cartório do 2º Ofício do Registro de
Imóveis desta comarca sob n.º 5.089, contendo a área de 850 (oitocentos e cinquenta) metros quadrados, medindo 17 (dezessete) metros de
frente para a rua Dezoito, 17 (dezessete) metros de fundo, confrontando com Gildo Vilela Cancella e Roberto Vilela Marquez de Andrade; 50
(cinquenta) metros do lado direito, confrontando com Gentil Macedo e 50 (cinquenta) metros do lado esquerdo confrontando com Jorge Miguel;
com benfeitorias constantes de 01 (uma) CASA RESIDENCIAL, com vários cômodos, paredes de tijolos, coberta de telhas, com dependências,
instalações e pertences, edificada antes da vigência do decreto n.º 60.501 de 14/03/1967. Avaliação: R$ 570.000,00 (quinhentos e setenta mil
reais), em 18.08.2011. ÔNUS E AÇÕES PENDENDES: Penhora nos autos de n.º 0342.98.005647-3 da Secretaria do Juízo da 1ª Vara Cível
da Comarca de Ituiutaba. DATA, LOCAL E HORÁRIO: 18 (dezoito) de abril de 2013, a partir das 16 (dezesseis) horas, no saguão do Fórum
Desembargador Newton Ribeiro da Luz, sito à Av. Nove-A, n.º 45, Centro, Ituiutaba-MG. COMUNICAÇÃO: OS LANCES SERÃO ORAIS e se o
bem não alcançar lanços iguais ou superiores ao da avaliação, será arrematado por quem mais der em segunda hasta, a ser realizada no dia
02 (dois) de maio de 2013, a partir das 16 (dezesseis) horas, no mesmo local. Se não houver expediente forense nas datas designadas, as
hastas realizar-se-ão no primeiro dia útil subsequente. Pelo presente, ficam também intimados os executados acima indicados das datas para
realização das hastas públicas do bem penhorado, caso não sejam intimados via mandado. DESPESAS: o arrematante pagará a comissão de
5% (cinco por cento) sobre o valor da avaliação ao leiloeiro. Em caso de adjudicação ou remição após a intimação do leiloeiro, fica estipulada a
comissão de 2% (dois por cento) sobre o valor da avaliação, a ser suportada pela parte que der causa ao ato. Para constar, digitei o presente
edital que será publicado e afixado no lugar de costume, na sede deste Juízo, e publicado na forma da lei. DADO E PASSADO nesta cidade e
Comarca de Ituiutaba, Estado de Minas Gerais, aos 15 (quinze) de março de 2013. Eu, Vinícius de Vasconcelos Sadala Chefe de Cartório, o
digitei e subscrevo. Izabel Cristina de Freitas Prudêncio, Juíza Eleitoral.

220ª ZONA ELEITORAL DE PIUMHI

ATOS JUDICIAIS

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 39
INTIMAÇÃO DE SENTENÇA

AÇÃO PENAL n. 517-38.2012.6.13.0220


DENUNCIANTE: Ministério Público Eleitoral
DENUNCIADO: Brunelly Fernandes Silva Ramos
ADVOGADOS: Rogério Marcelino Alves (OAB-MG n. 94.317) e Patrícia de Oliveira Barbosa Alves (OAB-MG 93.303)
FINALIDADE: Intimação da sentença de f. 93-95, conforme abaixo:
Sentença
Vistos, etc..
O MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL, através da ilustre Promotora de Justiça com atribuições perante a 220ª Zona Eleitoral, ofereceu
denúncia em face de BRUNELLY FERNANDES SILVA RAMOS, qualificada nos autos (f. 02), como incurso nas sanções do art. 289, do Código
Eleitoral.
Segundo a denúncia de f. 02/02v, no dia 09.05.12, a acusada dirigiu-se ao Cartório Eleitoral da 220ª ZE e se inscreveu fraudulentamente como
eleitora na circunscrição eleitoral de Doresópolis/MG, preenchendo na RAE como seu endereço a Rua João Oliverio Simões, nº 321, bairro
Orlando de Andrade.
Narrou, ainda, que em diligência realizada pelo Cartório Eleitoral no logradouro supra foi certificado que a denunciada não reside no endereço
indicado, mas outras pessoas, razão porque ter-se-ia caracterizada a infração eleitoral.
A denúncia foi recebida aos 23.10.12 (f. 51).
Citada e intimada a comparecer à Audiência Preliminar para oferta de benefícios da Lei nº 9.099/95 (f. 61v), recusou a denunciada a benesse
legal (f. 62), sendo o mesmo interrogado (f. 65).
Dentro do decêndio legal, apresentou o acusado a defesa preliminar de f. 71/72, arrolando três testemunhas diversas das indicadas pelo
parquet, juntando ainda os documentos de f. 73/79.
Diante da documentação colacionada, desistiu a ilustre Promotora Eleitoral da produção de prova oral (f. 83).
Em alegações finais em forma de memoriais, pugnou o Ministério Público Eleitoral pela improcedência da exordial, por falta de provas hábeis a
amparar um decreto condenatório (f. 89/91).
Por sua vez, a defesa técnica pugnou pela absolvição do acusado, ratificando sua manifestação preliminar (f. 87).
Em síntese, é o relatório.
DECIDO.
Feito em ordem, respeitados os princípios processuais e constitucionais das partes.
Não existem preliminares a serem examinadas, e não vislumbrando nulidades que pudessem ser declaradas de ofício, passo ao exame do
mérito.
Cuida a espécie de feito em que se apura a possível prática do crime descrito no art. 289, do Código Eleitoral, imputado à pessoa de
BRUNELLY FERNANDES SILVA RAMOS.
Reza a prótese do mencionado dispositivo legal:
Art. 289. Inscrever-se, fraudulentamente, eleitor:
Pena – reclusão até 5 anos e pagamento de 5 a 15 dias-multa.
In casu, não obstante os indícios iniciais - traduzidos pela diligência do Cartório Eleitoral da 220ª ZE – apontarem pela prática da infração pela
denunciada, afere-se que houve pela defesa técnica a produção de prova material idônea e suficiente para rechaçar a perfeita subsunção
típica entre a conduta da acusada e o modelo legal em exame.
Com efeito, as declarações escolares juntadas aos autos, dando conta que o filho da denunciada estuda em escola do município de
Doresópolis no ano de 2012, além de registro de propriedade imobiliária naquele município, mostram-se suficientes para corroborar a fixação
de domicílio da eleitora naquela circunscrição eleitoral, afastando a possível prática de crime eleitoral.
Ressalto, apenas, que o triste histórico do município de Doresópolis/MG - onde devido a práticas nefastas já se registrou mais eleitores que
moradores - motiva ações como a realizada pelo diligente Cartório Eleitoral da 220ª ZE, sendo que das cerca de 75 diligências feitas, 90%
(noventa por cento) resultaram êxito em extirpar do processo eleitoral pessoas inidôneas, sem qualquer vínculo com aquele município.
Entretanto, a situação da denunciada não se amolda à conduta daqueles maus cidadãos.
Ante o exposto, diante da IMPROCEDÊNCIA da pretensão estatal, ABSOLVO a acusada BRUNELLY FERNANDES SILVA RAMOS da
acusação que lhe foi feita, nos termos do art. 386, III, do CPP.
Após o trânsito em julgado, arquive-se, com baixa.
Registre-se. Publique-se. Intimem-se. Cumpra-se.
CHRISTIAN GARRIDO HIGUCHI
Juiz da 220ª ZE

AÇÃO PENAL n. 444-66.2012.6.13.0220


DENUNCIANTE: Ministério Público Eleitoral
DENUNCIADO: Dionathan Goulart Santos
ADVOGADOS: Rogério Marcelino Alves (OAB-MG n. 94.317) e Patrícia de Oliveira Barbosa Alves (OAB-MG 93.303)
FINALIDADE: Intimação da sentença de f. 71-73, conforme abaixo:
Sentença
Vistos, etc..
O MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL, através da ilustre Promotora de Justiça com atribuições perante a 220ª Zona Eleitoral, ofereceu
denúncia em face de DIONATHAN GOULART SANTOS, qualificado nos autos (f. 02), como incurso nas sanções do art. 289, do Código
Eleitoral.
Segundo a denúncia de f. 02/02v, no dia 26 de abril de 2012, o acusado dirigiu-se ao Cartório Eleitoral da 220ª ZE e se inscreveu
fraudulentamente como eleitor na circunscrição eleitoral de Doresópolis/MG, preenchendo na RAE como seu endereço a Rua Georgina de
Jesus, nº 124, bairro Novo Milenio.
Narrou, ainda, que em diligência realizada pelo Cartório Eleitoral no logradouro supra foi certificado que o denunciado não reside no endereço
indicado, mas outras pessoas, razão porque ter-se-ia caracterizada a infração eleitoral.
A denúncia foi recebida aos 04.09.12 (f. 41).
Citado e intimado a comparecer à Audiência Preliminar para oferta de benefícios da Lei nº 9.099/95 (f. 48v), recusou o denunciado a benesse
legal (f. 49), sendo o mesmo interrogado (f. 51/52).

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 40
Dentro do decêndio legal, apresentou o acusado a defesa preliminar de f. 55/56, arrolando três testemunhas diversas das indicadas pelo
parquet, juntando ainda os documentos de f. 57/58.
Diante da documentação colacionada, desistiu a ilustre Promotora Eleitoral da produção de prova oral (f. 62).
Em alegações finais em forma de memoriais, pugnou o Ministério Público Eleitoral pela improcedência da exordial, por falta de provas hábeis a
amparar um decreto condenatório (f. 68/70).
Por sua vez, a defesa técnica pugnou pela absolvição do acusado, ratificando sua manifestação preliminar (f. 66).
Em síntese, é o relatório.
DECIDO.
Feito em ordem, respeitados os princípios processuais e constitucionais das partes.
Não existem preliminares a serem examinadas, e não vislumbrando nulidades que pudessem ser declaradas de ofício, passo ao exame do
mérito.
Cuida a espécie de feito em que se apura a possível prática do crime descrito no art. 289, do Código Eleitoral, imputado à pessoa de
DIONATHAN GOULART SANTOS.
Reza a prótese do mencionado dispositivo legal:
Art. 289. Inscrever-se, fraudulentamente, eleitor:
Pena – reclusão até 5 anos e pagamento de 5 a 15 dias-multa.
In casu, não obstante os indícios iniciais - traduzidos pela diligência do Cartório Eleitoral da 220ª ZE – apontarem pela prática da infração pelo
denunciado, afere-se que houve pela defesa técnica a produção de prova material idônea e suficiente para rechaçar a perfeita subsunção
típica entre a conduta do acusado e o modelo legal em exame.
Com efeito, o contrato de locação imobiliária apresentado mostra-se suficiente para corroborar a fixação de domicílio do eleitor naquela
circunscrição eleitoral, afastando a possível prática de crime eleitoral.
Ressalto, apenas, que o triste histórico do município de Doresópolis/MG - onde devido a práticas nefastas já se registrou mais eleitores que
moradores - motiva ações como a realizada pelo diligente Cartório Eleitoral da 220ª ZE, sendo que das cerca de 75 diligências feitas, 90%
(noventa por cento) resultaram êxito em extirpar do processo eleitoral pessoas inidôneas, sem qualquer vínculo com aquele município.
Entretanto, a situação do denunciado não se amolda à conduta daqueles maus cidadãos.
Ante o exposto, diante da IMPROCEDÊNCIA da pretensão estatal, ABSOLVO o acusado DIONATHAN GOULART SANTOS da acusação que lhe foi feita,
nos termos do art. 386, III, do CPP.
Após o trânsito em julgado, arquive-se, com baixa.
Registre-se. Publique-se. Intimem-se. Cumpra-se.
Piumhi, 26 de março de 2013.
CHRISTIAN GARRIDO HIGUCHI
Juiz da 220ª ZE

AÇÃO PENAL n. 447-21.2012.6.13.0220


DENUNCIANTE: Ministério Público Eleitoral
DENUNCIADO: Lindomar Donizete Guimarães
ADVOGADOS: Rogério Marcelino Alves (OAB-MG n. 94.317) e Patrícia de Oliveira Barbosa Alves (OAB-MG 93.303)
FINALIDADE: Intimação da sentença de f. 74-76, conforme abaixo:
Sentença
Vistos, etc..
O MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL, através da ilustre Promotora de Justiça com atribuições perante a 220ª Zona Eleitoral, ofereceu
denúncia em face de LINDOMAR DONIZETE GUIMARÃES, qualificado nos autos (f. 02), como incurso nas sanções do art. 289, do Código
Eleitoral.
Segundo a denúncia de f. 02/02v, no dia 25 de abril de 2012, o acusado dirigiu-se ao Cartório Eleitoral da 220ª ZE e se inscreveu
fraudulentamente como eleitor na circunscrição eleitoral de Doresópolis/MG, preenchendo na RAE como seu endereço a Rua B, nº 10, bairro
Novo Tempo.
Narrou, ainda, que em diligência realizada pelo Cartório Eleitoral no logradouro supra foi certificado que o denunciado não reside no endereço
indicado, mas outras pessoas, razão porque ter-se-ia caracterizada a infração eleitoral.
A denúncia foi recebida aos 04.09.12 (f. 43).
Citado e intimado a comparecer à Audiência Preliminar para oferta de benefícios da Lei nº 9.099/95 (f. 50v), recusou o denunciado a benesse
legal (f. 52), sendo o mesmo interrogado (f. 53).
Dentro do decêndio legal, apresentou o acusado a defesa preliminar de f. 57/58, arrolando três testemunhas diversas das indicadas pelo
parquet, juntando ainda os documentos de f. 60/61.
Diante da documentação colacionada, desistiu a ilustre Promotora Eleitoral da produção de prova oral (f. 64).
Em alegações finais em forma de memoriais, pugnou o Ministério Público Eleitoral pela improcedência da exordial, por falta de provas hábeis a
amparar um decreto condenatório (f. 70/72).
Por sua vez, a defesa técnica pugnou pela absolvição do acusado, ratificando sua manifestação preliminar (f. 68).
Em síntese, é o relatório.
DECIDO.
Feito em ordem, respeitados os princípios processuais e constitucionais das partes.
Não existem preliminares a serem examinadas, e não vislumbrando nulidades que pudessem ser declaradas de ofício, passo ao exame do
mérito.
Cuida a espécie de feito em que se apura a possível prática do crime descrito no art. 289, do Código Eleitoral, imputado à pessoa de
LINDOMAR DONIZETE GUIMARÃES.
Reza a prótese do mencionado dispositivo legal:
Art. 289. Inscrever-se, fraudulentamente, eleitor:
Pena – reclusão até 5 anos e pagamento de 5 a 15 dias-multa.
In casu, não obstante os indícios iniciais - traduzidos pela diligência do Cartório Eleitoral da 220ª ZE – apontarem pela prática da infração pelo
denunciado, afere-se que houve pela defesa técnica a produção de prova material idônea e suficiente para rechaçar a perfeita subsunção
típica entre a conduta do acusado e o modelo legal em exame.
Com efeito, as declarações escolares juntadas aos autos, dando conta que os filhos do denunciado estudam em escola do município de
Doresópolis desde maio/12 mostram-se suficientes para corroborar a fixação de domicílio do eleitor naquela circunscrição eleitoral, afastando a
possível prática de crime eleitoral.
Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 41
Ressalto, apenas, que o triste histórico do município de Doresópolis/MG - onde devido a práticas nefastas já se registrou mais eleitores que
moradores - motiva ações como a realizada pelo diligente Cartório Eleitoral da 220ª ZE, sendo que das cerca de 75 diligências feitas, 90%
(noventa por cento) resultaram êxito em extirpar do processo eleitoral pessoas inidôneas, sem qualquer vínculo com aquele município.
Entretanto, a situação do denunciado não se amolda à conduta daqueles maus cidadãos.
Ante o exposto, diante da IMPROCEDÊNCIA da pretensão estatal, ABSOLVO o acusado LINDOMAR DONIZETE GUIMARÃES da acusação
que lhe foi feita, nos termos do art. 386, III, do CPP.
Após o trânsito em julgado, arquive-se, com baixa.
Registre-se. Publique-se. Intimem-se. Cumpra-se.
Piumhi, 26 de março de 2013.
CHRISTIAN GARRIDO HIGUCHI
Juiz da 220ª ZE

AÇÃO PENAL n. 501-84.2012.6.13.0220


DENUNCIANTE: Ministério Público Eleitoral
DENUNCIADO: Rosenilda Maria Teixeira
ADVOGADOS: Rogério Marcelino Alves (OAB-MG n. 94.317) e Patrícia de Oliveira Barbosa Alves (OAB-MG 93.303)
FINALIDADE: Intimação da sentença de f. 93-95, conforme abaixo:
Sentença
Vistos, etc..
O MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL, através da ilustre Promotora de Justiça com atribuições perante a 220ª Zona Eleitoral, ofereceu
denúncia em face de ROSENILDA MARIA TEIXEIRA, qualificada nos autos (f. 02), como incurso nas sanções do art. 289, do Código Eleitoral.
Segundo a denúncia de f. 02/02v, no dia 27.04.12, a acusada dirigiu-se ao Cartório Eleitoral da 220ª ZE e se inscreveu fraudulentamente como
eleitora na circunscrição eleitoral de Doresópolis/MG, preenchendo na RAE como seu endereço a Fazenda Morro Grande.
Narrou, ainda, que em diligência realizada pelo Cartório Eleitoral no logradouro supra foi certificado que a denunciada não reside no endereço
indicado, mas outras pessoas, razão porque ter-se-ia caracterizada a infração eleitoral.
A denúncia foi recebida aos 23.10.12 (f. 40).
Citada e intimada a comparecer à Audiência Preliminar para oferta de benefícios da Lei nº 9.099/95 (f. 50v), recusou a denunciada a benesse
legal (f. 51), sendo a mesma interrogada (f. 53/54).
Dentro do decêndio legal, apresentou o acusado a defesa preliminar de f. 57/58, arrolando três testemunhas diversas das indicadas pelo
parquet, juntando ainda os documentos de f. 59/63.
Diante da documentação colacionada, desistiu a ilustre Promotora Eleitoral da produção de prova oral (f. 67).
Em alegações finais em forma de memoriais, pugnou o Ministério Público Eleitoral pela improcedência da exordial, por falta de provas hábeis a
amparar um decreto condenatório (f. 73/75).
Por sua vez, a defesa técnica pugnou pela absolvição do acusado, ratificando sua manifestação preliminar (f. 71).
Em síntese, é o relatório.
DECIDO.
Feito em ordem, respeitados os princípios processuais e constitucionais das partes.
Não existem preliminares a serem examinadas, e não vislumbrando nulidades que pudessem ser declaradas de ofício, passo ao exame do
mérito.
Cuida a espécie de feito em que se apura a possível prática do crime descrito no art. 289, do Código Eleitoral, imputado à pessoa de
ROSENILDA MARIA TEIXEIRA.
Reza a prótese do mencionado dispositivo legal:
Art. 289. Inscrever-se, fraudulentamente, eleitor:
Pena – reclusão até 5 anos e pagamento de 5 a 15 dias-multa.
In casu, não obstante os indícios iniciais - traduzidos pela diligência do Cartório Eleitoral da 220ª ZE – apontarem pela prática da infração pela
denunciada, afere-se que houve pela defesa técnica a produção de prova material idônea e suficiente para rechaçar a perfeita subsunção
típica entre a conduta da acusada e o modelo legal em exame.
Com efeito, as declarações escolares juntadas aos autos, dando conta que o filho da denunciada estuda em escola do município de
Doresópolis no ano de 2012, além de registro de propriedade imobiliária naquele município, mostram-se suficientes para corroborar a fixação
de domicílio da eleitora naquela circunscrição eleitoral, afastando a possível prática de crime eleitoral.
Ressalto, apenas, que o triste histórico do município de Doresópolis/MG - onde devido a práticas nefastas já se registrou mais eleitores que
moradores - motiva ações como a realizada pelo diligente Cartório Eleitoral da 220ª ZE, sendo que das cerca de 75 diligências feitas, 90%
(noventa por cento) resultaram êxito em extirpar do processo eleitoral pessoas inidôneas, sem qualquer vínculo com aquele município.
Entretanto, a situação da denunciada não se amolda à conduta daqueles maus cidadãos.
Ante o exposto, diante da IMPROCEDÊNCIA da pretensão estatal, ABSOLVO a acusada ROSENILDA MARIA TEIXEIRA da acusação que lhe
foi feita, nos termos do art. 386, III, do CPP.
Após o trânsito em julgado, arquive-se, com baixa.
Registre-se. Publique-se. Intimem-se. Cumpra-se.
Piumhi, 26 de março de 2013.
CHRISTIAN GARRIDO HIGUCHI
Juiz da 220ª ZE

318ª ZONA ELEITORAL DE GOVERNADOR VALADARES

ATOS JUDICIAIS

RECURSO

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br
Ano 2013, Número 058
Belo Horizonte, quinta-feira, 4 de abril de 2013 Página 42
RECURSO CONTRA EXPEDIÇÃO DE DIPLOMA Nº 132-37.2013.6.13.0000 PERIQUITO-MG 318ª Zona Eleitoral (GOVERNADOR
VALADARES)
Recorrente: PARTIDO DOS TRABALHADORES – PT, Diretório Municipal
ADVOGADO: MARX VINÍVIUS NUNES PEREIRA
ADVOGADA: MARCOS MARCIANO DA LUZ
ADVOGADA: MARCOS GUILHERME NUNES PEREIRA
Recorrido: WILLIAN MATIAS DA SILVA, candidato a Vereador eleito
ADVOGADO: ALLAN DIAS TOLEDO MALTA
ADVOGADO: JAIR FELIPE REIS
Juiz Lupércio Paulo Fernandes de Oliveira
Protocolo: 823.349/2012
Vistos etc.
Considerando despacho de f. 63, designo audiência para inquirição das testemunhas arroladas em f. 7 para o dia 19/04/2013 às 15:00 horas.
Intimem-se os interessados, com a advertência de que as testemunhas deverão comparecer por iniciativa das partes que as tiverem arrolado,
º
conforme disposto no art. 5 , caput, da Lei Complementar 64/90.
Dê-se ciência ao Ministério Público Eleitoral.
Cumpra-se.
Governador Valadares(MG), 20 de março de 2013.
Lupércio Paulo Fernandes de Oliveira
Juiz Eleitoral

PROCURADORIA REGIONAL ELEITORAL

(NÃO HÁ PUBLICAÇÕES NESTA DATA)

Diário da Justiça Eletrônico - Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Documento assinado digitalmente conforme MP n. 2.200-2/2001 de 24.8.2001, que
institui a Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil, podendo ser acessado no endereço eletrônico http://www.tre-mg.jus.br