Você está na página 1de 3

Pensamento - Controle comercial Mercantilismo

sobre as coloô nias


Contexto -geraçaã
Galgaro de riqueza atraveéde
da GRB ao posto s dahegemonia
acumulaçaã o de
Definiçaã o metais preciosos, demonstrada
Como o Estado nacional em formaçaã em moeda
o manteé m
Resposta a poder atraveé s da riqueza?
Correntes Historicismo (Hamilton e List)
Autores Walpole,
Jogo de somaPetty,zero
Bodin, Colbert
(deficitaé rios Vs.
Comeé rcio exterior superavitaé rios)
garante a circulaçaã o) -> Riqueza artificial
Estrutura produtiva das economias(ex.:dinheiro)
Argumentos Divisaã o Internacional do Trabalho -
Maior volume de riquezas e maior circulaçaã o
Desenvolvimento interna da moeda em prol do poder do Estado
Altamente interventor = desenvolvimento
Papel do Estado (loé gica tributaé ria) gerado pelo monopoé lio e pelo controle da BP
políética cambial superavitaé ria e controlar
Recomendaçoã es coloô niasinterna
preços
Críéticas - Comex pode gerar "ganhos absolutos"
Claé ssicos
tecnoloé gicas e políéticas) Neoclaé ssicos
keynesianosmo
- Padraã o fixo ouro-libra = Hegemonia britaô nica Defesa das nos
benesses do livre comeé rcio na BP
confiança em ganhos mué tuos como elementos - Releitura anos 70-80 apoé s crises
= Necessidade de expandir mercados e trocas = exterior a partir de perssupostos diferentes
centrais do comex
Mercantilismo = protecionismo e ganhos - Protecionismo dos anos 30
dos claé ssicos
-- Especializaçaã
relativos
Vantagensem comex (Smith) e vantagens
absolutas Modelo H-O-So(Heckscher-Olhin-Samuelson)
pela estrutura produtiva (H-O-S: dotaçaã o de fatores/Kr
-- Krugman: comeé
Economias de escalarcio apenas a partir de diferenças
comparativas (Ricardo)
Heckscher, Olhin, Samuelson, Stolper,
Hume,
de que Smith
ganharaãe Ricardo
o com a transaçaã o, logo, eé um Rybczynski (4 teoremas) e Krugman
jogo de ganhos muéotuos Jogo de benefíécios recíéprocos
comparaçaã o com outro e em comparaçaã o com produçaã o mais abundante
outro paíé s em comex
excedentes saã o vendidos ao exterior e o intensivos
excedente dequantidade
demanda eé de suprido pelo exterior. -Mais
Krugman: concorreô ncia entre
Aumento da bens disponíéveis produtos e maior poder demonopoé
compralios
dos
para compra
produtividade precisa funcionar -> Menos trabalhadores
reduz custos aà s economias de escalas
produtos
- Afastar o->Estado
Menosda desenvolvimento (economias
economia = Naã o mexer na *Liberalizar de escala
o comeé externas
rcio para queaà fima),
se atraveé s
BP
- Desaparece teoria monetaé ria e efeitos na BP impacto na dotaçaã o de fatores
aumentem as quantidades dos produtos e a
- No H-O-S, possibilidades de comeé rcio fora do
eixo Norte-Sul desaparecem
Estruturalismo
intervencionista e puxada pelos salaé rios
-relaciona
Subdesenvolvidos descobrindo
a um atraso suaseconomias
estrutural das
subdesenvolvidas em seu
metodologia, benesses do processo histoéo rico
comex e visaã sobrede
desenvolvimento (neste ué ltimo
Teorias do desenvolvimento, tambeédam
teorias
dependeô
Prebisch,nFurtado,
cia Pinto, Sunkel, Theotoé nio
Santos, Cardoso-Faletto, Tavares
Desenvolvimento para dentro
periferia
- Periferia: especializada -> Matriz indumo
Aumento do bem-estar material a partir da
Gera os seguintes
acmulaçaã o de(em problemas
capital gerada paraincorporaçaã
pela a periferia: o
Deve intervir maior ou menor grau) para
de progresso
diminuir o níévteéelcde
nico
importaçaã o na estrutura
divisas e a poupança => financiamento externo
produtiva
Para os cepalinos
*Produçaã a
o de manufaturados naã o significa
poupança antecede o investimento; implicaçoã es
de políética