Você está na página 1de 5

LEANDER CÉSAR DO AMARAL

SEMINÁRIO TEOLÓGICO

PESQUISA SOBRE:

ANSIEDADE

SINDROME DO PÂNICO

ABANDONO FAMILIAR

Trabalho de conclusão de curso apresentado como


requisito parcial à obtenção do título Bacharel em
Teologia

Professora: Dulce

SÃO JOÃO DE MERITI/RJ

2018
Tema: Ansiedade

O que é?

A ansiedade é uma emoção normal do ser humano, comum ao se enfrentar algum


problema no trabalho, antes de uma prova ou diante de decisões difíceis do dia a dia. No
entanto, a ansiedade excessiva pode se tornar uma doença, ou melhor, um distúrbio de
ansiedade.

Quais são as causas de ansiedade?

1. Problemas de sono
Ter uma boa noite de sono é fundamental para que a pessoa tenha um dia produtivo e
livre dos estresses diários. A dificuldade em adormecer ou manter uma sequência de
horas dormindo é uma das causas da ansiedade.
2. Preocupações excessivas
Todos nós temos problemas, mas o que diferencia as pessoas que não são ansiosas das
que apresentam a chamada ansiedade patológica é a maneira como cada uma delas lida
com as situações adversas.
3. Medo e insegurança estão na lista das causas da ansiedade
Outra causa da ansiedade está relacionada a dois sentimentos presentes em todos nós: o
medo e a insegurança. Quando em excesso, esses sentimentos podem nos levar a crises
de ansiedade.

Quais as características da ansiedade?


Ela pode ser tanto física (dor no corpo exemplo dor de barriga, boca seca) e emocional
(medo, insegurança, problemas de concentração).

Quais são consequências da ansiedade?


A ansiedade causa, sensações corporais desagradáveis, tais como falta de ar, aperto no
peito, palpitação, frio no estômago, medo intenso, transpiração, tremor no corpo, entre
outros.
Conheça alguns dos sintomas mais comuns: resposta inadequada ou exagerada diante de
uma situação cotidiana; nervosismo, inquietude ou tensão frequentes; dificuldade em
lidar com incertezas; incapacidade em controlar pensamentos constantes sobre uma
preocupação, ainda que trate-se de uma questão cotidiana; tendência ao pessimismo ao
imaginar um desfecho para essas preocupações; dificuldade em tomar decisões;
dificuldade em concentrar-se nas tarefas cotidianas, acompanhada da sensação de que a
sua mente fica “em branco”.
Tratamento:
Psicoterapia
A terapia com um psicólogo pode ajudar o paciente a entender os fatores do dia a dia
que desencadeiam sua ansiedade, reduzir seus sintomas e trabalhar os eventos que o
levaram a desenvolver este problema.
Remédios para ansiedade
Diversos remédios podem ser usados para o tratamento da ansiedade, como:
Antidepressivos: Ansiolíticos: Antipsicóticos.

Versículo bíblico:
Filipenses 4: 6-8; Mateus 6: 31-34; Salmos 56:3
TRANSTORNO DO PÂNICO
O que é o transtorno do pânico?
O transtorno do pânico, também conhecido como síndrome do pânico ou ataque de
pânico, se caracteriza por crises de ansiedade intensa com duração relativamente curta
(por cerca de 20 minutos). Um ataque de pânico, por exemplo, acontece de maneira
aguda e pontual, também sem um fator desencadeante,

Quais são os principais sintomas do transtorno do pânico?


Seus sintomas incluem taquicardia, sudorese, tremores, mal estar e sensação de morte
iminente. É frequente os pacientes acharem que estão tendo um infarto e procurarem
pronto-socorros por esse motivo.

Quais são as características do transtorno do pânico?


O transtorno pode se apresentar com ou sem agorafobia, que é um medo de lugares
públicos (agora= pública). Os pacientes com agorafobia tendem a evitar situações em
que podem ter uma crise sem que haja algum conhecido para ajuda-lo e muitos
pacientes ficam confinados em seus lares ou somente são capazes de sair caso haja
quem os acompanhe.

Quais são as causas do transtorno do pânico?


Quando existe um fator desencadeante ele é identificável na(s) primeira(s) crise(s).
Posteriormente os ataques surgem sem fator identificável e, em muitos casos, nem no
primeiro episódio se consegue identifica-lo. O transtorno do pânico tem maior
prevalência em indivíduos jovens e sem causa conhecida.

Qual é o tratamento do transtorno do pânico?


O tratamento deve ser conduzido por um psiquiatra e consiste no uso de antidepressivos
e ansiolíticos (“calmantes”). Uma combinação adequada de ambos pode levar a um
maior sucesso terapêutico. O uso de um calmante logo nos princípios de um ataque
pode ser muito eficaz no seu controle. Muitos pacientes carregam a medicação consigo
o que lhes dá segurança e, em muitos casos, já é fator preventivo de novos episódios.
Abordagens psicoterápicas podem ser úteis, especialmente o aprendizado de técnicas de
relaxamento e da identificação precoce das causas e dos sintomas.

Versículos bíblico:
Salmo 23; 34 e 116.
ABANDONO FAMILIAR
O que é?
O Abandono Afetivo consiste no afastamento pessoal cometido pelos pais para com
seus filhos. Vale pontuar que o distanciamento não depende de ausência física,
verificando-se, majoritariamente, por laudo psicológico e social, uma vez que
irresponsabilidade consistente no abando afetivo pode gerar diversos sentimentos
negativos ao filho.

Causas do Abandono
Usuários de drogas; Separação; Doenças mentais.

Característica do abandono familiar


Consiste na omissão de cuidado, de criação, de educação, de companhia e de
assistência moral, psíquica e social que o pai e a mãe devem ao filho quando criança
ou adolescente.

Principais consequências do abandono.


Considera-se como crime de acordo com a PLS 700/2007
As decisões judiciais buscam reparar com indenizações pecuniárias o abandono sofrido
pelo filho, na fase da formação de sua personalidade, diante dos pais que se abstêm total
ou parcialmente do contato com seus filhos.Ressalta-se que, a condenação não busca
reparar a falta de amor, ou desamor, ou a preferência de um pai por um ou outro filho,
mas sim, procura penalizar a violação dos deveres morais, o qual é direito do filho
rejeitado.

Tratamento
Nesses casos se recorre à esfera jurídica familiar.

Versículo bíblico.
Salmos 27; - Lucas 13:34 – Mateus 21: 42