Você está na página 1de 63

GERENCIAMENTO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E GESTÃ

DADOS GERAIS

CNPJ Razão Social

Endereço

Bairro Cidade

Serviço / Escopo
Código: FQUA.18
ÉGICO E GESTÃO DOS RISCOS Revisão: 02

Página: 01 de 07

CEP

Estado
GERENCIAMENTO DO PLANEJAMENTO ESTRAT
PARTES INTERESSA

PARTES QUEM SÃO DESCRIÇÃO

Márcio
Wenderroschy/ Empresa financeiramente viável. Lucratividade e capacidade de sobrevivencia. Rentável. Su
1. Sócios
Maicon satisfazer colaboradores e clientes.
Wenderroschy

Nossos clientes buscam qualidade, preço, pontualidade, comprometimento, segurança na e


2. Clientes de um contrato sem risco quanto à qualidade dos serviços prestados. A TW busca sempre o
requisitos dos clientes e das legislaçoes aplicáveis.

Fornecedores
A tw busca qualificar todos os seus fornecedores críticos a fim de minimizar e/ou eliminar po
3. Fornecedores críticos, baseados
de fornecedores.
no IT.CMP.01

CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia);


MTE (Ministério do Trabalho e Emprego);
4. Órgaos MTE; ANTT; INEA;
ISO (International Organization for Standardization "Organização Internacional de Nor
Reguladores ISO
ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre);
INEA (Instituto Estadual do Ambiente)

Relacionamento interpessoal.
Autonomia no trabalho. (mais do que salário, segurança trabalhista).
Motoristas e Salário em dia. Ambiente de trabalho adequado (relacionamento).
5. Colaboradores
Operadores Condições para a execução do trabalho (recursos).
Possibilidade de ascensão profissional através da qualificação.
Código: FQUA.18
MENTO ESTRATÉGICO E GESTÃO DOS RISCOS Revisão: 02
ES INTERESSADAS
Página: 02 de 07

NECESSIDADES| EXPECTATIVAS

vencia. Rentável. Sustetável. Capaz de


1.1. Retorno Financeiro
s.

2.1. Preço Competitivo


ento, segurança na execução e garantia
2.2. Pontualidade no atendimento
A TW busca sempre o atendimento dos
2.3. Qualidade Técnica
plicáveis.
2.4. Segurança Operacional

izar e/ou eliminar possíveis ocorrencias


3.1 AVALIAÇÃO DOS FORNECEDORES CRÍTICOS

Agronomia);
ego);
Internacional de Normalização"). 4.1. Conformidade Legal
errestre);
te)

5.1. Relacionamento Interpessoal


5.2. Segurança Trabalhista
rança trabalhista).
5.3. Benefícios e Salário em Dia
relacionamento).
5.4. Ambiente de Trabalho Adequado
ecursos).
5.5. Possibilidade de Ascensão Profissional
da qualificação.
5.6. Capacitação e Treinamento
5.7. Há medição do clima, realizados periódicamente.
GERENCIAMENTO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
CONTEXTO DA ORGANIZAÇÃO

MISSÃO VISÃO

Realizar o serviço de transporte e movimentação de cargas rodoviárias,


oferecendo um vinculo duradouro na confiabilidade dos serviços Ser reconhecida como uma das melhores opções em transport
prestados, tendo como base a legalidade, de forma rentável, segura e movimentação de cargas rodoviárias do mercado em que atuam
dentro dos padrões de qualidade que determinamos.

POLÍTICA

Transportar cargas diversas, com responsabilidade, segurança, e confiabilidade evitando avarias e roubos com atendimento aos requisitos
fiéis e satisfeitos, seus funcionários treinados e capacitados, evitando danos ambientais e protegendo seus funcionários das doenças ocup
gestão da qualidade, considerando as seguintes
- Controle e avaliação dos processos intern
- Assegurar a capacitação interna afim de atender aos requisitos
- Assegurar os recursos necessários para alcançar a melhoria cont
- Agir para a prevenção e controle dos impactos adversos ao meio am

OBJETIVOS DA QUALIDADE PROCESSOS MONITORAMENTO

Aumentar a satisfação do cliente Comercial Pesquisa de Satisfação do cliente

Diminuir número de ocorrência de fornecedores Compras/Almoxarifado Ocorrências de Fornecedores

Alcançar Maior número de colaboradores e ter o


máximo de aproveitamento no treinamento RH Treinamentos
ministrado

Diminuir absenteísmo RH Abseteismo

Aumentar a satisfação dos colaboradores Qualidade Satisfação Interna


Propostas emitidas X Propostas
Aumentar a eficacia do processo comercial Comercial
Fechadas

Quantidade de Veículos que


realizaram a manutenção
Acompanhar as Manutenções Corretivas e sua
Manutenção Corretiva x Quantidade de
eficácia
veiculos que voltaram p/
manutenção no mesmo mês

Nº de Manutenções programadas
Realizar todas as Manutenções Preventivas para x Nº de
Manutenção
reduzir custos de manutençoões corretivas Manutenções realizadas dentro
do prazo

Acompanhar os Acidentes e Incidentes SMS N° de Ocorrências

Reduzir o número de multas e acompanhamento


Operacional N° de Multas ao Mês
destas

Reduzir os Custos e Impactos Causados ao Meio Meta de KW/H XConsumo de


Meio Ambiente
Ambiente Energia KW/H
Código: FQUA.18
ESTRATÉGICO E GESTÃO DOS RISCOS Revisão: 02
ORGANIZAÇÃO
Página: 03 de 07

VALORES

Através dos valores abaixo, pretendemos não só realizar o que determinamos com nossa
missão e visão, mas sim, nos surpreender com a força e o poder de unificação que temos
para o atendimento a qualquer objetivo proposto:
RESPEITO
CONFIANÇA
s opções em transporte e HONESTIDADE
mercado em que atuamos. COMPROMETIMENTO
PRÓ-ATIVIDADE
DESENVOLVIMENTO
LEGALIDADE
COLABORAÇÃO

LÍTICA

dimento aos requisitos dos seus clientes e legais inerentes a sua atividade com objetivo de sempre manter seus clientes
ios das doenças ocupacionais inerentes a sua atividade, se comprometendo com a melhoria continua do seu sistema de
derando as seguintes diretrizes:
o dos processos internos;
atender aos requisitos dos clientes e aplicáveis;
ançar a melhoria contínua do sistema de gestão;
adversos ao meio ambiente, a saúde e a segurança.

PERIODICIDADE
META DA COLETA DE RESPONSÁVEL NOMENCLATURA
DADOS

70% de satisfação Semestral Leonardo/Marciano IND.QUA.01

Aceitar até 5% de ocorrências no


Mensal Saidy IND.QUA.02
recebimento

90% de treinamentos programados


Mensal Cidia Cordeiro IND.QUA.03
realizados

Aceitar no máximo de 2% de faltas


Mensal Cidia Cordeiro IND.QUA.04
sobre os dias trabalhados

Ter 60% de satisfação dos


Semestral Lyncoln Reid IND.QUA.05
colaboradores
Ganhar no minimo 60% de
Mensal Leonardo/Marciano IND.QUA.06
propostas emitidas

Aceitar no máximo 10% de


veículos voltando para Mensal Jady IND.QUA.07
manutenção no mês

Realizar no minimo 85% de


Mensal Jady IND.QUA.08
manutenções planejadas

Não aceitar ocorrências Mensal Daniele Azevedo IND.QUA.09

Reduzir em 3% as multas ao
trimestre para chegar a 0 o número Mensal Wiliam/Daniel IND.QUA.10
de multas

Em análise Mensal Lyncoln/Daniele IND.QUA.11


GERENCIAMENTO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGI
SWOT

Análise do ambiente interno determina suas forças

Força Como podemos tirar vantagem dessa força?


(Storange) (Inserir no Plano de ação)

Reorganizar todos os processos, envolver todo pessoal


1 - Está em busca da Qualificação ISO 9001.
em prol da certificação.

2 - Está em busca da Qualificação SASSMAQ Expandir o mercado de transportes de produtos quimicos.

3 - Agora que a empresa conseguiu a liberação do ALVARÁ Caso solicitado por algum potencial cliente apresentar
definitivo estamos em busca da licença ambiental no INEA PROTOCOLO.
(L.O).

4 - Identificação da necessidade de possivel mudança no Aumento da eficiencia tributária e migração do lucro


processo tributário, melhorando a lucratividade. presumido para lucro real.

5 - Mão de obra Operacional Especializada em transporte Aproveitar o momento onde empresas estão procurando
rodoviário de hotelaria e produtos químicos um melhor preço, para aumentar a gama de clientes.

6 - Disponibilidade de veículos nos principais portos offshore. Ofertar veículos para retorno de cargas, reduzindo o custo
do cliente. Otimização da frota.

7 - Possuir uma área de manutenção dentro da organização. Mostrar aos clientes a positividade de se ter uma equipe
de manutenção dentro da organização, minimizando o
tempo de reparo.

Oportunidade Como se pode aproveitar essa oportunidade?


(Opportunities) (Inserir no Plano de ação)

1 - Aumentar a gama de cliente através da crise financeira no Oferecer os serviços com o melhor custo/beneficio.
país.

2 - Aumento da cadeia de clientes de hotelaria marítima | Manter os geradores com a manutenção preventiva em
Rancho devido a disponibilidade de geradores nas frotas. dia, evitando paradas e mantendo o bom atendimento do
serviço.

3 - Informatizar o processo da organização para obtenção de Desenvolver a integração do sistema globus em todos os
melhores resultados, com resultados mais precisos para setores da empresa.
análise da alta direção.
4- Melhorar disposição de espaço ADM e OPERACIONAL na Realizar obras estruturais afim de melhorar a acomodação
organização. dos funcionários.

5 -Expandir a base operacional através da aquisição de um Analisar as ofertas de terrenos ao entorno da base
novo terreno. operacional da organização, aproveitando a baixa no
preço de imóveis em nossa região.

6 - Renovar a frota de veículos com mais 10 anos de uso. Aproveitar o baixa de preço do mercado para realizar a
aquisição de equipamentos mais novos.

7 - Ganhar mercado de transporte no setor de peças Buscar novos clientes após a certificação ISO 9001.
equipamentos do setor offshore.

Cruzamento de Fatores

Forças e Fraquezas Na Organização

Envolver todo o pessoal e melhora


1 - Está em busca da Qualificação ISO 9001. Forças
Perder negócios de clientes poten

Expandir o mercado de transporte


2 - Está em busca da Qualificação SASSMAQ. Forças
Perder negócios de clientes poten

Apresentar PROTOCOLO caso so


3 - Está em busca da licença operacional - INEA. Forças
Perder negócios de clientes poten

Aumento da eficiência tributária co


4 - Identificação de necessidade de mudança tributária. Forças
N/A

Aumentar a gama de clientes ness


5 - Mão de obra operacional especializada em transporte rodoviário de hotelaria e frotas.
Forças
produtos quimicos.
Pâni nos geradores

Buscar retorno de cargas, reduzin


clientes no setor de peças e equip
6 - Disponibilidade de veículos nos principais portos offshore. Forças
N/A

Mostrar aos clientes a positividade


organização, minimizando o temp
7- Possuir uma área de manutenção dentro da organização. Forças
N/A

8- Não estar com todos os departamentos e todos os módulos do sistema


Aproveitar o engajamento da equi
operacional (GLOBUS) em funcionamento.
Fraquezas
N/A

9 - A necessidade de obras estruturais para melhor acomodação dos


Iniciar as obras aproveitando a libe
colaboradores.
Fraquezas
9 - A necessidade de obras estruturais para melhor acomodação dos
colaboradores.
Fraquezas

10 - Ter uma área operacional "pequena" comparada a quantidade de veículos. Aproveitar o bom momento da org
da base.
Fraquezas
Risco de avarias com os veículos

11 - Ter frotas com mais de 10 anos.


Aproveitar o baixa de preço do me
Fraquezas
Risco de não atendimento a deter
(sete) anos de uso.

Responsável pela Análise: Quezia Sá, Marciano Gomes e Leonardo Azevedo


Data: 01/09/2017
Código: FQUA.18
ENTO ESTRATÉGICO E GESTÃO DOS RISCOS Revisão: 02
SWOT
Página: 04 de 07

no determina suas forças e fraquezas.

Fraqueza
(Weaknesses) Qual é a forma de minimizar essa fraqueza?
(Inserir no Plano de ação)
1 - Não ter certificação de qualidade Continuar implementação do sistema de gestão da
qualidade, afim de obter a certificação na ISO 9001:2015

2 - Por não ter a qualificação SASSMAQ, podemos não Iniciar a implementação da qualificação SASSMAQ.
conseguir se cadastrar em potenciais clientes.

3 - Não ser aceito por um potencial cliente somente o Acompanhar de forma fiel o andamento da liberação da
protocolo, como por exemplo a Petrobrás. licença, afim de agilizar o processo.

4 - Menor rentabilidade com a atual tributação. Transição da tributação.

5 - Falta de controle de Pneus. Concluir controle de pneus para que haja uma
rastreabilidade de toda a vida útil do pneu.

N/A N/A

7 - Falta de setor de borracharia/marcenaria. Fazer o levantamento para verificar a possibilidade de


implementar uma borracharia interna.

Ameaças Como se pode identificar e evitar essa ameaça?


(Threats) ( Inserir no Plano de ação)

1 - Alta concorrência no mercado Atuar em nossos clientes de forma presencial, afim de


identificar possiveis ameaças em tempo hábil e ter uma
logística eficaz.

2 - Pâni nos geradores. Manter a atenção redobrada na manutenção dos


geradores.

N/A N/A
N/A N/A

5 - Devido o espaço reduzido da base (em comparação Implantar câmeras de segurança nos principais pontos da
à quantidade de equipamentos), corremos o risco de base interna e área externa (FRENTE DA EMPRESA),
avarias nas frotas fora da base. coibindo possiveis riscos de avarias.

6 - Risco de não atendimento a determinados clientes Renovação da Frota.


que aceitam FROTAS com no máximo 7 (sete) anos de
uso.

7 - Grande concorrência no mercado de transportes. Demonstrar aos potenciais clientes a qualidade dos
serviços prestados pela TW TRANSPORTADORA e sua
capacidade de atendimento aos requisitos destes
(Colaboradores capacitados e treinados| Equipamentos
em bom estado | Limpos | Documentação em dia |
Licenças em dia, etc).

amento de Fatores

Oportunidade e Ameaça No Mercado

todo o pessoal e melhorar a execução dos processos internos. ✘ Oportunidade

egócios de clientes potenciais por não está qualificado. ✘ Ameaças

o mercado de transportes de produtos quimicos. ✘ Oportunidade

egócios de clientes potenciais por não está qualificado. ✘ Ameaças

ar PROTOCOLO caso solicitado por algum cliente. ✘ Oportunidade

egócios de clientes potenciais por não portar a licença. ✘ Ameaças

da eficiência tributária com a migração do lucro presumido para luco real. ✘ Oportunidade

Ameaças

r a gama de clientes nesse ramo, aproveitando a disponibilidade de geradores nas


✘ Oportunidade

geradores ✘ Ameaças

etorno de cargas, reduzindo o custo do cliente e otimizando a frota e buscar por


✘ Oportunidade
no setor de peças e equipamentos do setor offshore.

Ameaças

aos clientes a positividade de se ter uma equipe de manutenção dentro da


✘ Oportunidade
ção, minimizando o tempo de reparo.

Ameaças

ar o engajamento da equipe para a implementação de todos as módulos. ✘ Oportunidade

Ameaças

obras aproveitando a liberação do alvará definitivo. ✘ Oportunidade


Ameaças

ar o bom momento da organização para aquisição de uma área maior para expansão ✘ Oportunidade

avarias com os veículos estacionados na área externa da base. ✘ Ameaças

ar o baixa de preço do mercado para realizar a aquisição de equipamentos mais novos. Oportunidade

não atendimento a determinados clientes que aceitam FROTAS com no máximo 7 ✘ Ameaças
os de uso.

o
G

ORIGEM IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS ANÁ

ETAPA DO
SETOR RISCO IMPACTO PROBABILIDADE SEVERIDADE
PROCESSO

Não realizar os pagamentos


nas datas de vencimento,
Contas a pagar MÉDIO MÉDIA MODERADO
pagando taxas de juros e
multas

FINANCEIRO

Não receber as faturas dos


Contas a Receber MÉDIO BAIXA TOLERÁVEL
serviços prestados

Vencimento de documentos
e licenças das frotas-
Controle de Impedindo a circulação dos
ALTA MÉDIA INTOLERÁVEL
licenças mesmos ou vencimento
durante a prestação de
serviços

Não atendimento do prazo


Programação de entrega definido com o ALTA BAIXA MODERADO
cliente
Falta de entrega nos check
Entrega de Check list, preenchimento
MÉDIO MÉDIA MODERADO
List incorreto, falta de tratativa
dos mesmos

Emitir os CT-e com os


Emissão de CT-e MÉDIO BAIXA TOLERÁVEL
dados errados

Logística/Operaci
onal

Realizar o serviço de
prestação sem qualidade,
sem segurança ou com o
Locação ALTO MÉDIA INTOLERÁVEL
equipamento sem condições
de uso por falta de chefia
imediata diariamente.

Falta de preservação com a


carga a ser transportada -
Podendo gerar incidentes e
ALTO MÉDIA INTOLERÁVEL
acidentes e gerando não
conformidades com a carga
do cliente

Transporte

Incidentes e acidentes e
multas por não obedecerem
ALTO MÉDIA INTOLERÁVEL
a legislação aplicável de
trânsito
Falta de entrega de
documentação da viagem
Fechamento de CT-e, Nota fiscal assinada e
BAIXO BAIXA TOLERÁVEL
viagem Minuta, disco de tacógrafo e
comprovante de
abastecimento

Contratar colaboradores
sem
Recrutamento e competência(experiência,
ALTA MÉDIA INTOLERÁVEL
Seleção cursos, treinamentos,
escolaridade) necessária
para função.

Não conseguir ambientar o


novo colaborador a sua
Integração função e setor. Não passar BAIXO BAIXA TOLERÁVEL
a politica e valores da
organização.

Remuneração

Vencimento de treinamentos
RH obrigatórios como MOPP,
Controle de Cargas indivisiveis, Curso
Treinamentos de Operador de ALTO MÉDIA INTOLERÁVEL
Obrigatórios Empilhadeira e CNH.
Impedindo o exercicio da
função.
Vencimento de ASO,
Impedindo o funcionário de
trabalhar conforme NR-7, ou
Controle de ASO ALTO MÉDIA INTOLERÁVEL
caso esteja trabalhando
com o ASO vencido sujeito
a multa.

DEMISSÃO

Realizar requisições de
Requisição de
compra com especificações BAIXO BAIXA TOLERÁVEL
Compras
erradas

Falta de controle do
estoque, podendo ocasionar
Estoque compras desnecessárias ou MÉDIO MÉDIA MODERADO
falta de material necessário
para estoque

Funcionários utilizando
EPI,s sem o termo de
responsabilidade, sem
Controle de EPI ALTO BAIXA MODERADO
controle de C.A. Podendo
ocasionar em multa a
Almoxarifado organização

Recebimento de produtos
ALTO BAIXA MODERADO
avariados ou vencidos

Recebimento de
produtos
Falha no recebimentos de
produtos - Produtos
Recebimento de faltantes, produtos
produtos ALTO BAIXA MODERADO
diferentes do que consta na
ordem de compra,
divergência entre N.F e O.C

Recebimento de entregas
BAIXO BAIXA MODERADO
com atrasos

Requisição de Comprar produtos com


ALTO MÉDIA INTOLERÁVEL
Compras maiores preços

Não realizar cotações,


podendo comprar produtos
Cotação ALTO MÉDIA INTOLERÁVEL
com maior preço e/ou com
um maior prazo de entrega.

Realizar compras sem


autorização da gerência
Aquisição solicitante. Realizar a ALTO BAIXA MODERADO
Compras compra sem as devidas
cotações

Não realiza a avaliação,


monitoramento e
reavaliação de fornecedores
críticos. Realizarndo
Qualificação de
compras e serviços em ALTO MÉDIA INTOLERÁVEL
Fornecedores
fornecedores que não irão
atender nossas
necessidades e
expectativas
Realizar propostas
comercias sem condições
de atendimento, proposta
sem condições de atender
Solicitação de os prazos, preços
ALTO BAIXA MODERADO
Serviço incompativeis com os
gastos, preços acima do
mercado e os requitos
regulamentares e
especificos do cliente

Comercial

Não documentar a proposta


comercial, deixando dúvidas
Proposta Comercial entre as obrigações e ALTO BAIXA MODERADO
deveres entre contratada e
contratante

Não realizar manutenções


Manutenção preventivas nas frotas.
ALTO MÉDIA INTOLERÁVEL
Preventiva Tendo um maior gasto com
manutenções corretivas

Não realizar uma


Programação de programação eficaz,
MÉDIO MÉDIA MODERADO
manutenção acarretando acúmulo de
trabalho

Manutenção

Ter instrumentos de
Medição e medição e monitoramento
BAIXO BAIXA TOLERÁVEL
Monitoramento sem uma correta aferição,
gerando dados inválidos
Confiabilidade, qualidade e
Manutenção
prazos de entrega da MÉDIO MÉDIA MODERADO
Tercerizada
manutenção tercerizada

SMS O gere

DEFINIÇÃO DAS PRIORIDADES

Probabilidade Impacto Baixa Média Alta Risco


IMPACTO

Tolerável B B M

Moderado B M A
Probabilidade
Intolerável M A A

Baixa Média Alta


Impacto
x Probabilidade

AÇÃO SOBRE O RISCO

ACEITAR
Aceitar o risco significa que quando o mesmo for identificado e registrado no plano de gerenciame
tomar nenhuma ação. Simplesmente aceitamos o que ele possa acontecer e decidirá como lida

Você pode modificar completamente as ações planejadas para evitar o risco. Esta é uma boa estr
EVITAR
potencialmente de grande impacto em seu projeto.

Transferência é uma estratégia de gerenciamento de risco que não é utilizada muito frequentem
TRANSFERIR
comum em projetos onde há várias partes. Basicamente, você transfere o impacto e gestão do

Mitigar um risco é provavelmente a técnica de gerenciamento de riscos mais utilizada. Também é a


MITIGAR de implementar. Mitigar significa que você pode limitar o impacto de um risco, de modo que mesmo
gerado é menor e mais fácil de corrigir.
GERENCIAMENTO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E GESTÃO DOS RISCOS
PLANO DE AÇÃO

ANÁLISE PLANO DE A

SEVERIDADE ESTRATÉGIA ITENS DE CONTROLE RESPONSÁVEL

Programar semanalmente os pagamentos a


serem realizados verificando os boletos
MODERADO MITIGAR Contas a Pagar
recebidos e outros vencimentos. Controlar
eficácia através de indicador mensal

Fazer uma análise financeira em novos clientes;


Controlar faturas a receber através do sistema
GlobusReportar ao setor comercial os clientes
TOLERÁVEL MITIGAR Comercial/ Financeiro
que estão em atraso para que seja analisado se
é necessário a suspensão de prestação de
serviços; Criar um indicador mensal

Acompanhamento das licenças das frotas


através FOPE.02 Controle de Equipamentos.
NTOLERÁVEL MITIGAR Para renovação das licenças deverá ser Logística
considerado o prazo de 30 dias antes do
vencimento das mesmas.

Planejamento logístico para que a execução dos


serviços seja no prazo. Acompanhamento via
MODERADO MITIGAR Logística
rastreador- telefone durante a prestação de
serviço.
Devido ao alto custo que teria em contratar um
funcionário exclusivamente para controlar os
MODERADO Aceitar check list, o risco foi aceito. Porém algumas N/A
medidas foram realizadas para controle do
processo.

Emitir CT-e de acordo com a N.F da carga do


TOLERÁVEL MITIGAR cliente, realizar uma conferência dos dois Logística
documentos

Realizar visistas semanais aos operadores


contratados, verificando a qualidade do serviço
NTOLERÁVEL MITIGAR Encarregados
prestados, o estado do equipamento locado e o
desenvolvimento do profissional no cliente.

Utilizar material de amarração apropriado e


quando necessário e quando necessário utilizar
material de proteção contra chuva e outros. A
necessidade de comprar um maior número de
NTOLERÁVEL MITIGAR Encarregados/ Motoristas
cintas para que a demanda seja atendida.
Elaborar um procedimento para que amarração
de cargas siga um padrão e assim evite
incidentes/acidentes

Realizar DDS e treinamentos de conscientização;


NTOLERÁVEL MITIGAR definir uma velocidade máxima para o tráfego e SMS/Logística
realizar monitoreamento de velocidade .
Treinar motoristas na integração como é
realizada o preenchimento de documentação e
Logística/Encarregado de
TOLERÁVEL MITIGAR como é feito o fechamento de viagem.
Pátio
Conferência do encarragado de pátio e logística
da documentação no ato de entrega.

Ter uma Matriz de Competência descrevendo o


cargo, descrição sumaria, escolaridade,
experiência e cursos obrigatórios para cada
função; Ter a participação ativa do setor
NTOLERÁVEL MITIGAR Cidia Cordeiro
solicitante na contratação de novos
colaboradores; Realizar teste de direção para os
motoristas, quando os mesmos não forem
indicados

Realizar integração em três fases RH, QSMS e


TOLERÁVEL MITIGAR Setor especifico. Utilizar formulário de integração Cidia Cordeiro
descrevendo os tópicos de cada fase.

Não foram encontrados riscos nessa etapa

Ter planilhas onde são controladas os cursos


NTOLERÁVEL MITIGAR Cidia Cordeiro
obrigatórios de cada funcionário
Controlar os ASOS dos colaboradores através de
Planilha especifica indicando a data de
NTOLERÁVEL MITIGAR realização e data de vencimento. Enviar um Cidia Cordeiro
comunicado ao colaborador e sua chefia
imediata 30 dias antes do vencimento do mesmo.

Não foram encontrados riscos nessa etapa

Realizar a requisição conforme os solicitantes,


TOLERÁVEL MITIGAR Almoxarife
através de formulário especifico

Dar entrada e baixas no sistema conforme


MODERADO MITIGAR Almoxarife
treinamento recebido do sistema Globus

Realizar o controle através de ficha de EPI com o


termo de responsabilidade conforme NR-6,
campos para que seja colocando a descrição dos
EPIs durante todo o tempo de trabalho do
MODERADO MITIGAR Almoxarife/SMS
mesmo na organização. Realizar treinamento
com o Técnico de Segurança para que o mesmo
realize o controle e preenchimento de forma
correta

Realizar inspeção de recebimento conferindo


itens conforme IT.CMP.01 e evidênciando através
de um carimbo com a data de recebimento.
MODERADO MITIGAR Almoxarife
Acompanhar desempenho de fornecedores
através de indicador. Abrir uma N.C e cobrar
melhorias ao fornecedor quando necessário.
Realizar inspeção de recebimento conferindo
itens conforme IT.CMP.01 e evidênciando através
de um carimbo com a data de recebimento.
MODERADO MITIGAR Almoxarife
Acompanhar desempenho de fornecedores
através de indicador. Abrir uma N.C e cobrar
melhorias ao fornecedor quando necessário

Acompanhar datas de entrega e realizar


cobrança aos fornecedores. Acompanhar
MODERADO MITIGAR desempenho de fornecedores através de Almoxarife
indicador. Abrir uma N.C e cobrar melhorias ao
fornecedor quando necessário
Realizar sempre que possivel cotações nos
processos de compras buscando sempre os
NTOLERÁVEL MITIGAR menores preços e melhores condições de Comprador
pagamento. Porém sempre levando em conta a
qualidade do produto adquirido

Documentar a necessidade de se realizar no


NTOLERÁVEL MITIGAR Comprador
minimo 3 cotações para realização de compras.

Antes da efetivação de compra pegar a


assinatura do responsável pelo setor solicitante
MODERADO MITIGAR Comprador
na ordem de compra, demonstrando as cotações
realizadas e o fornecedore4 escolhido.

Procedimentar metodologia de avaliação,


monitoramento e reavaliação de fornecedores
críticos. Realizar treinamento com o setor de
NTOLERÁVEL MITIGAR compras n o procedimento especifico. Ter uma Comprador
tabela especifica para controlar a data de
avaliação e reavaliações. Ter um indicador para
monitorar as ocorrências dos fornecedores
Realizar uma análise critica levando em
consideração questões financeiras, se a
MODERADO MITIGAR disponibilidade de frota e pessoal habilitado e se Comercial
outros requisitos requeridos pelo cliente serão
atendidos.

Elaborar formulário com todos os requisitos da


MODERADO MITIGAR prestação de serviço e enviar ao cliente e Gerencia
determinar uma método de aceite de proposta

Definir KM ou quantidades de horas que serão


realizadas as manutenções preventivas. Ter uma
tabela controlando a realização das
NTOLERÁVEL MITIGAR Assistente de Frota
manutenções preventivas. Atualizar
semanalmente o km e horimetro dos
equipamentos na planilha de controle.

Realizar reuniões com os mecânicos/eletricistas,


Assistente de Frota/
MODERADO MITIGAR para que cada um saiba a sua meta diária e
supervisor da mecânica
definição de prioridades

Controlar instrumentos através de planilha


especifica, controlando o vencimento dos
TOLERÁVEL MITIGAR Manutenção
certificados e verificando a tolerância para cada
instrumento.
Realizar avaliação e reavaliação de fornecedores
de fornecedores da manutenção tercerizada e Compras/ Setor de
MODERADO MITIGAR
fazer uma "inspeção de recebimento" nas frotas manutenção
provindas de manutenções externas

O gerenciamento de risco do SMS é feito através do PPRA, O.S e PCMSO

PROBABILIDADE | DESCRIÇÃO
Exposição ao agente causador da perda;
Probabilidade de ocorrência x Impacto gerado através do evento.

Impactos financeiros (Custos para


Que afetem a qualidade do
Alto
Que afete os requisitos das partes
Chance do risco ocorrer. Que não atenda aos requisitos

Dano gerado por uma eventual perda.


Não causa impacto financeiro ma
Médio pode acarretar.
Que não atenda aos requisito

Que não venha causar danos fina


Baixo
as partes interessada

lano de gerenciamento de riscos, não iremos


e decidirá como lidar com ele caso ocorra.

Esta é uma boa estratégia quando um risco é


projeto.

a muito frequentemente, e tende a ser mais


mpacto e gestão do risco para outra pessoa.

zada. Também é a mais fácil de compreender e


e modo que mesmo que ele ocorra, o problema
gir.
Código: FQUA.18

OS RISCOS Revisão: 02

Página: 05 de 07

PLANO DE AÇÃO

IMPLEMENTADO?
PRAZO DIAS A VENCER OBSERVAÇÃO
STATUS 0-100%

30-jun-17 -493 100%

30-jun-17 -493 100%

N/A #VALUE! 100%

N/A #VALUE! 100%


N/A #VALUE! N/A

N/A #VALUE! 100%

N/A #VALUE! 100%

1-jul-17 -492 100%

N/A #VALUE! 100%


N/A #VALUE! 100%

N/A #VALUE! 100%

N/A #VALUE! 100%

N/A #VALUE! 100%


N/A #VALUE! 100%

N/A #VALUE! 100%

N/A #VALUE! 100%

N/A #VALUE! 100%

N/A #VALUE! 100%


N/A #VALUE! 100%

N/A #VALUE! 100%

N/A #VALUE! 100%

N/A #VALUE! 100%

N/A #VALUE! 100%

N/A #VALUE! 100%


N/A #VALUE! 100%

N/A #VALUE! 100%

30-mai-17 -524 100%

N/A #VALUE! 100%

N/A #VALUE! 100%


30-jul-17 100%

ROBABILIDADE | DESCRIÇÃO IMPACTO | DESCRIÇÃO

Que não venha causar danos financeiros e nem


Tolerável
ao cliente.
mpactos financeiros (Custos para a organização);
Que afetem a qualidade do serviço;
Que afete os requisitos das partes interessadas; Não causa impacto financeiro mais ao persistir
Que não atenda aos requisitos normativos. Moderado pode acarretar. Que não atenda aos requisitos
internos.

Não causa impacto financeiro mais ao persistir


pode acarretar. Impactos financeiros (Custos para a
Intolerável

Que não atenda aos requisitos internos. organização).


Que afetem a qualidade do serviço.
Que afete os requisitos do cliente.
Que não atenda aos requisitos normativos.
Que não venha causar danos financeiros e nem
as partes interessadas.
GERENCIAMENTO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E G
CONHECIMENTOS

CONHECIMENTOS

Buscar sempre a qualidade do atendimento. Em busca da fidelização dos clientes.

Realização dos check list diariamente evitando problemas na base do cliente e/ou externo.

Atendimento aos questionários de clientes com a máxima agilidade, mostrando a eficácia de seus processos e
pronto atendimento.

Manter um estoque mínimo de produtos para pequenos reparos nas frotas.

Anexo dos dados da folha de pagamento ao site da contabilidade sempre no final do mês, evitando atrasos da
contabilidade no envio da folha e posterior atraso na data de pagamento.

Manter os fornecedores qualificados, evitando aquisição de materiais com fornecedores sem qualificação e
não cumprimento do procedimento estabelecido.

Manter as certidões sempre atualizadas para agilidade no caso de necessidade de envio das mesmas ao
cliente.

Manter as licenças de transporte atualizadas.

Manter as frotas com as manutenções preventivas sempre em dia.

Manter as bolsas do kit de emergencia sempre completas e inspecionadas. E


Código: FQUA.18
TRATÉGICO E GESTÃO DOS RISCOS Revisão: 02
NTOS
Página: 06 de 07

PROCESSOS

TODOS

OPERACIONAL | TRANSPORTE

QSMS | ADMINISTRATIVO

MANUTENÇÃO | ALMOXARIFADO

RH

COMPRAS

ADMINISTRATIVO | RH

COORDENAÇÃO DE LOGÍSTICA

MANUTENÇÃO

ENCARREGADO DE PÁTIO | TÉCNICO DE SEGURANÇA


GERENCIAMENTO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E
LEGISLAÇÃO APLICÁVEL

TÍTULO | ÓRGÃO
CLASSIFICAÇÃO TEMA APLICAÇÃO SUMÁRIO
EMISSOR

Promulga a Convenção Nº 155 da OIT, sobre


Segurança e a Segurança e Saúde dos Trabalhadores e o
FEDERAL DECRETO N.º 1254/94 E
Saúde Meio Ambiente de Trabalho, concluída em
genebra, em 22 de Junho de 1981.

Altera dispositivos do Regulamento da


FEDERAL Decreto N.° 4079/2002 Previdecia Social G Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº
3.048, de 6 de maio de 1999.

Altera o Regulamento da Inspeção do


Inspeção do
FEDERAL DECRETO N.º 4870/2003 G Trabalho, aprovado pelo Decreto n°- 4552, de
Trabalho
27 de dezembro de 2002.

Esta Norma estabelece os requisitos


Transporte operacionais mínimos para o transporte
Rodoviário de rodoviário de produtos perigosos referentes à
FEDERAL DECRETO 96044/88 E
Produtos saúde, segurança, meio ambiente e qualidade,
Perigosos. sem prejuízo da obrigatoriedade de
cumprimento da legislação e normas vigentes.

Dispõe sobre medidas para adequar a


Segurança e
FEDERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA DNSST Nº 1/94 E utilização dos equipamentos de proteção
Saúde
respiratória - EPR

Estabelece Regulamento técnico sobre uso de


FEDERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA MTb
saúde
Nº 01 E
equipamentos de proteção respiratória

Dispõe sobre os planos de Previdência Social,


Segurança e determina que todo acidente de trabalho ou
FEDERAL LEI Nº 8213/91 E
Saúde doença profissional deverá ser comunicado
pela empresa ao INSS.

FEDERAL LEI N.º 9503/97 Segurança E Institui o Código de Trânsito Brasileiro.


Normas de utilização de rodovias federais
Transporte
para transporte de cargas indivisíveis e
FEDERAL Resolução nº 11 DNIT rodoviário de E
excedentes em peso e/ou dimensões para o
cargas
trânsito de veículos especiais.

Promove reestruturação no setor federal de


transporte, estabeleceu, em seu artigo 22,
Produtos
FEDERAL LEI Nº 10.233/11 D inciso VII, que compete à ANTT regulamentar
Perigosos
o transporte de cargas e produtos perigosos
em rodovias e ferrovias.

Altera a Lei no 11.442, de 5 de janeiro de


Transporte
2007, que dispõe sobre o transporte rodoviário
rodoviário de
de cargas por conta de terceiros e mediante
cargas por conta
FEDERAL Lei 12.667/12 E remuneração e revoga a Lei no 6.813, de 10
de terceiros e
de julho de 1980, para determinar, no caso do
mediante
transporte de produtos perigosos, a
remuneração
observância de legislação federal específica.

Redefine os Altera o art. 193 da Consolidação das Leis do


critérios para Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº
caracterização das 5.452, de 1º de maio de 1943, a fim de
FEDERAL Lei 12.740/12 E
atividades ou redefinir os critérios para caracterização das
operações atividades ou operações perigosas, e revoga a
perigosas Lei nº 7.369, de 20 de setembro de 1985.

As Normas Regulamentadoras - NR, relativas


FEDERAL NORMA REGULAMENTADORA
Dispositivo
NºGeral
01 - (NR 1) G à segurança e medicina do trabalho, são de
observância

Necessidade de inspeção prévia antes do


FEDERAL NORMA REGULAMENTADORA
Inspeção Nº
Prévia
02 - (NR 2 ) G
inicio das atividades

Embargo e interdição são medidas de


Ermbargos e urgência, adotadas a partir da constatação de
FEDERAL NORMA REGULAMENTADORA Nº 03 -(NR 3) G
Interdição situação de trabalho que caracterize risco
grave e eminente ao trabalhador.

Obrigatoriedade dos Serviços Especializados


FEDERAL NORMA REGULAMENTADORA
SESMT
Nº 04 (NR 4) G em Engenharia de Segurança e em Medicina
do Trabalho,

Necessidade de constituição e funços dos


FEDERAL NORMA REGULAMENTADORA
CIPA
Nº 05 (NR5) G
membros da CIPA

FEDERAL NORMA REGULAMENTADOREA


EPI´sNº 06 (NR 6) G Equipamento de Proteção Individual

Obrigatoriedade das empresas em ter o


FEDERAL NORMA REGULAMENTAORA
PCMSO
Nº 07 (NR 7) G Programa de controle Médico e Saude
Ocupacional-PCMSO
Obrigatoriedade das empresas em ter o
FEDERAL NORMA REGULAMENTADORA
PPRA
Nº 09 (NR 9) G
Programa de Prevenção de Riscos Ambientais

Estabelece os requisitos e condições mínimas


objetivando a implementação de medidas de
controle e sistemas preventivos, de forma a
Instalações
FEDERAL NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 G garantir a segurança e a saúde dos
Elétricas
trabalhadores que, direta ou indiretamente,
interajam em instalações elétricas e serviços
com eletricidade.

Transporte,
Manutenção, implementação de medidas de controle e
FEDERAL NORMA REGULAMENTDORA
Armazenagem
Nº 11 (NR
e 11) G sistemas preventivos, de forma a garantir a
Manuseio de segurança e a saúde dos
Materiais

trabalhadores que, direta ou indiretamente,


FEDERAL NORMA REGULAMENTADORA
Segurança
N.º 12 - ( NR 12 ) E interajam em instalações elétricas e serviços
com eletricidade.

FEDERAL NORMA REGULAMENTADORA


RuídoN.º 15 ( NR 15 ) eEAnexos Caracterizam as atividades insalubres

Considerações sobre atividades consideradas


Atividades
FEDERAL NORMA REGULAMENTADORA Nº 16 (NR 16) E perigosas constantes nos Anexos 1 e 2 desta
perigosas
norma

FEDERAL NORMA REGULAMENTADORA


Incêndio Proteção
N.º 23 ( NR 23 ) E Dispõe sobre Proteção contra incêndio.

Resíduos
FEDERAL NORMA REGULAMENTADORA N.º 25 ( NR 25 ) E Dispõe sobre Resíduos Industriais
Industriais

Segurança
FEDERAL NORMA REGULAMENTADORA N.º 26 ( NR 26 ) E Dispõe sobre Sinalização de Segurança
Sinalização

Dispõe sobre Registro Profissional do Técnico


FEDERAL NORMA REGULAMENTADORA
Segurança
N.º 27 ( NR 27 ) E de Segurança do Trabalho no Ministério do
trabalho e da Previdência Social.

FEDERAL NORMA REGULAMENTADORA


Fiscalização
N.º 28 ( NR 28 ) G Dispõe sobre Fiscalização e Penalidades

Segurança e
Estabelece requistos minimos e medidas de
FEDERAL NORMA REGULAMENTADORA
Saúde no trabalho
Nº 35 (NR 35) G
proteção para trabalho a altura .
em altura
Dispõe sobre o transporte rodoviário de
Transporte
cargas por conta de terceiros e mediante
FEDERAL Lei nº 11.442/07 rodoviario de E
remuneração e revoga a Lei no 6.813, de 10
cargas
de julho de 1980.

Dispõe sobre o uso e abuso de substâncias


Segurança e psicoativas no trabalho, particularmente dos
FEDERAL PORTARIA MTE N.º 10/2003 E
saúde efeitos do uso de bebidas alcoólicas e sua
relação com o trabalho. (DROGAS/ALCOOL)

Dispõe sobre o dimensionamento da CIPA das


empresas constantes dos grupos C 18 e C
18a - Construção, do Quadro I anexo da
Segurança e Portaria SSST N.º 8, de 23/02/99, -
FEDERAL PORTARIA SSST Nº 24/99 E
Saúde Agrupamento de Setores Econômicos pela
Classificação Nacional de Atividades
Econômicas – CNAE. Complementa a Portaria
SSST 08/99.

Estabelece que no prazo de 120 dias a contar


da vigência da NR 5 da Portaria SSST N.º
Segurança e 8/99, o dimensionamento da CIPA das
FEDERAL PORTARIA SSST Nº 25/99 G
Saúde empresas dos grupos C 24, C 24a e C 24b -
Transporte, será o estabelecido no Quadro I
anexo da NR 5 da Portaria SSMT N.º 33/83

Dispõe sobre os procedimentos de controle e


de vigilância da qualidade da água para
FEDERAL Portaria nº 2.914 Qualidade da água
consumo humano e seu padrão de
potabilidade.

Dispõe sobre a especificação das sanções


FEDERAL DECRETO N.º 6.514/2008
Crimes Ambientais G aplicáveis às condutas e atividades lesivas ao
meio ambiente e dá outras providências

Estabelece o Código de Cores para os


diferentes tipos de resíduos, a ser adotado na
FEDERAL RESOLUÇÃO CONAMA
Resíduos
N.º 275/2001
Sólidos E identificação de coletores e transportadores,
bem como nas campanhas informativas de
coleta seletiva.

Recolhimento, Altera os arts. 9º, 16, 19, 20, 21 e 22, e


coleta e acrescenta o art. 24-A à Resolução no 362, de
destinação final de 23 de junho de 2005, do Conselho Nacional
FEDERAL RESOLUÇÃO CONAMA N.º 362/2005 E
óleo lubrificante do Meio Ambiente-CONAMA, que dispõe
usado ou sobre recolhimento, coleta e destinação final
contaminado de óleo lubrificante usado ou contaminado.

Dispõe sobre os requisitos de segurança para


Circulação de
a circulação, a Título precário, de veiculo de
FEDERAL Resolução DENATRANveiculo
nº 508 de carga G
carga ou misto transportando passageiros no
ou misto
compartimento de cargas.

Estabelece o sistema de placas de


Identificação de
FEDERAL Resolução DENATRAN nº 510 G identificação de veículos com placas padrão
veiculos
Mercosul
Dispõe sobre a especificação das sanções
FEDERAL DECRETO N.º 3179/99
Crimes Ambientais G aplicáveis às condutas e atividades lesivas ao
meio ambiente e dá outras providências

Dispõe sobre as sanções penais e


administrativas derivadas de condutas e
FEDERAL Lei 9605/98 Meio ambiente G
atividades lesivas ao meio ambiente, e dá
outras providências.

A Constituição Federal, em seu Capítulo II


Segurança e (Dos Direitos Sociais), artigo 6º e artigo 7º,
FEDERAL Constituição Federal Saúde dos G incisos XXII, XXIII, XXVIII e XXXIII, dispõe,
trabalhadores especificamente, sobre segurança e saúde
dos trabalhadores.

Os acidentes de trabalho ou doenças


ocupacionais podem implicar na configuração
dos crimes de homicídio, lesões corporais ou
de perigo comum (arts. 121, 129 e 131 do
Acidentes de Código Penal), contravenção penal por não
Trabalhos ou cumprimento das normas de segurança e
FEDERAL Código Penal Brasileiro G
doenças higiene do trabalho (art. 19 da Lei 8.213/91),
ocupacionais bem como atrair as sanções penais previstas
na legislação ambiental (art. 15 da Lei
6.938/81 e arts. 3º, 8º, 21 e 22 da Lei
9.605/98, aplicando-se inclusive à pessoa
jurídica).

A Consolidação das Leis do Trabalho - CLT -


Segurança e dedica o seu Capítulo V à Segurança e
FEDERAL Consolidação das Leis Trabalhistas
Saúde dos G Medicina do Trabalho, de acordo com a
trabalhadores redação dada pela Lei 6.514, de 22 de
dezembro de 1977.

Educação Instituição do dia nacional da educação


FEDERAL LEI Nº 12.633, DE 14 DE MAIO DE 2012 G
ambiental ambiental
Dispõe sobre o exercício da profissão de
motorista e para regular e disciplinar a
jornada de trabalho e o tempo de direção do
Exercicio da motorista profissional; e dá outras
FEDERAL LEI Nº 12.619, DE 30 DE profissão
ABRIL DEde 2012 E providências.
motorista

Dispõe sobre a educação ambiental, institui a


Educação
FEDERAL
Lei nº 9795 DE 27 de Abril de1999. E Política Nacional de Educação Ambiental e dá
ambiental
outras providências.

Transporte
Altera a Lei no 11.442/07, que dispõe sobre o
rodoviário de
transporte rodoviário de cargas por conta de
cargas por conta
FEDERAL Lei nº 12.667 de 15 de junho de 2012 E terceiros e mediante remuneração e revoga a
de terceiros e
Lei no 6.813/80, para determinar, no caso do
mediante
transporte de produtos perigosos.
remuneração

Determina curto prazo (24 hs) para


Comunicação de
encaminhamento das informações de
FEDERAL Portaria nº 589/2014 acidente de G
acidentes fatais e doença ocupacional que
trabalho
resulte em morte

Altera os arts. 173, 174, 175, 191, 202, 203,


Sansões 292, 302, 303, 306 e 308 da Lei no 9.503, de
FEDERAL Lei 12.971/2014 administrativas e 23 de setembro de 1997, que institui o Código
crimes de trânsito de Trânsito Brasileiro, para dispor sobre
sanções administrativas e crimes de trânsito.

Equipamento de proteção individual - Cinturão


OUTROS NBR 15836/2010 EPI G
e talabarte

Fixa critérios para o registro, comunicação,


estatística, investigação e análise de
acidentes de trabalho, suas causas e
Acidente do conseqüências, aplicando-se a quaisquer
OUTROS NBR 14280 G
Trabalho atividades laborativas. Aplica-se a qualquer
empresam entidade ou estabelecimento
interessado no estudo do acidente do
trabalho, suas causas e conseqüências.

Apresenta informações para a elaboração e


Ficha de
Preenchimento de uma FISPQ. Define
Informações de
OUTROS NBR 14725 G especificamente: o modelo geral de
Segurança de
apresentação da FISPQ, condições de uso,
Produtos Químicos
aplicabilidade ou utilização.
Sistema de Gestão
OUTROS NBR ISO 14001 G Requisitos com orientação para uso
Ambiental

Transporte
Instruções complementares ao regulamento
OUTROS Resolução ANTT nº 4081/2013
terrestre de G
do transporte terrestre de produtos perigosos
produtos perigosos

Transporte
Rodoviário de Atualiza o Regulamento para o Transporte
OUTROS Resolução ANTT nº 3665/11 G
Produtos Rodoviário de Produtos Perigosos.
Perigosos.

Identificação para o transporte terrestre,


Transporte
OUTROS NBR 7500 G manuseio, movimentação e armazenagem de
terrestre
produtos

Transporte Transporte terrestre de produtos perigosos -


OUTROS NBR 7501 G
terrestre terminologia

Transporte terrestre de produtos perigosos -


Ficha de
OUTROS NBR 7503 G Ficha de emergência e envelope -
emergência
Características, dimensões e preenchimento

Conjunto de
equipamentos
para emergências Conjunto de equipamentos para emergências
OUTROS NBR 9735 G
no transporte no transporte terrestre de produtos perigosos
terrestre de
produtos perigosos

Transporte
Conjunto de equipamentos para emergências
OUTROS NBR 10271 rodoviário de ácido G
no transporte rodoviário de ácido fluoridrico.
fluoridrico
Extintores de
OUTROS NBR 15809 G Extintores de incêndio sobre rodas
Incêndio

Estacionamento
para veiculos Transporte rodoviário de produtos perigosos -
OUTROS NBR 14095 rodoviários de G Área de estacionamento para veículos -
transp. de Requisitos de segurança
produtos perigosos

Transporte
Transporte terrestre de produtos perigosos —
OUTROS NBR 14619 terrestre de G
Incompatibilidade química
produtos perigosos

Transporte Transporte rodoviário de produtos perigosos -


OUTROS NBR 15480 terrestre de G Plano de ação de emergência (PAE) no
produtos perigosos atendimento a acidentes

Transporte
Transporte rodoviário de produtos perigosos
OUTROS NBR 15481 terrestre de G
— Requisitos mínimos de segurança
produtos perigosos

Amarração das Fixa os requisitos mínimos de segurança


FEDERAL RESOLUÇÃO 552:2015 cargas para E para amarração das cargas transportadas em
transportadora veículos de carga
Esta Norma estabelece os requisitos e
procedimentos operacionais mínimos a serem
considerados nas ações de preparação e de
resposta rápida aos acidentes envolvendo o
Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos
(TRPP). As ações de resposta às emergências
contidas nesta Norma não limitam ou excluem
Transporte
a adoção de procedimentos e diretrizes mais
rodoviário de
rigorosos. As diretrizes contidas neste Norma
produtos perigosos
FEDERAL NBR 14064:2015 se aplicam às instituições públicas e/ou
— Diretrizes do
privadas que respondem às emergências
atendimento à
envolvendo o TRPP. Os tipos de acidentes
emergência
tratados nesta Norma incluem qualquer evento
indesejado envolvendo o TRPP, que
representem, ou possam representar algum
tipo de perigo, efetivo ou potencial, à saúde e
à segurança da população e ao meio
ambiente, e também que coloquem sob
ameaça o patrimônio público e/ou privado.

Recolhimento, Altera os arts. 9º, 16, 19, 20, 21 e 22, e


coleta e acrescenta o art. 24-A à Resolução no 362, de
RESOLUÇÃO
destinação final de 23 de junho de 2005, do Conselho Nacional
FEDERAL CONAMA N.º E
óleo lubrificante do Meio Ambiente-CONAMA, que dispõe
450/2012
usado ou sobre recolhimento, coleta e destinação final
contaminado de óleo lubrificante usado ou contaminado.

INSTRUÇÃO Estabelece critérios para a aplicação do


FEDERAL NORMATIVA IBAMA Pneumáticos G disposto no Parágrafo Único do Art. 3º da
N.º 21/2002 Resolução Nº. 258/99

Dispõe sobre limites à exposição humana a


campos elétricos, magnéticos e
Exposição humana
FEDERAL Lei 11.934/ 2009 G eletromagnéticos; altera a Lei no 4.771, de 15
a campos elétricos
de setembro de 1965; e dá outras
providências.

A Constituição Federal, em seu Capítulo II


Segurança e (Dos Direitos Sociais), artigo 6º e artigo 7º,
FEDERAL Constituição Federal Saúde dos G incisos XXII, XXIII, XXVIII e XXXIII, dispõe,
trabalhadores especificamente, sobre segurança e saúde
dos trabalhadores.

Acidente do
Art. 927. Aquele que, por ato ilícito (arts. 186 e
Código Civil Trabalho ou
FEDERAL G 187), causar dano a outrem, fica obrigado a
Brasileiro doenças
repará-lo.
ocupacionais
Os acidentes de trabalho ou doenças
ocupacionais podem implicar na configuração
dos crimes de homicídio, lesões corporais ou
de perigo comum (arts. 121, 129 e 131 do
Acidentes de Código Penal), contravenção penal por não
Código Penal Trabalhos ou cumprimento das normas de segurança e
FEDERAL G
Brasileiro doenças higiene do trabalho (art. 19 da Lei 8.213/91),
ocupacionais bem como atrair as sanções penais previstas
na legislação ambiental (art. 15 da Lei
6.938/81 e arts. 3º, 8º, 21 e 22 da Lei
9.605/98, aplicando-se inclusive à pessoa
jurídica).

A Consolidação das Leis do Trabalho - CLT -


Segurança e dedica o seu Capítulo V à Segurança e
Consolidação das
FEDERAL Saúde dos G Medicina do Trabalho, de acordo com a
Leis Trabalhistas
trabalhadores redação dada pela Lei 6.514, de 22 de
dezembro de 1977.

LEI Nº 12.633,
Educação Instituição do dia nacional da educação
FEDERAL DE 14 DE MAIO DE G
ambiental ambiental
2012

Dispõe sobre o exercício da profissão de


LEI Nº 12.619, Exercicio da motorista e para regular e disciplinar a
FEDERAL DE 30 DE ABRIL DE profissão de E jornada de trabalho e o tempo de direção do
2012 motorista motorista profissional; e dá outras
providências.

Dispõe sobre a educação ambiental, institui a


Educação
FEDERAL
Lei nº 9795 DE 27 de Abril de1999. E Política Nacional de Educação Ambiental e dá
ambiental
outras providências.
Transporte
Altera a Lei no 11.442/07, que dispõe sobre o
rodoviário de
transporte rodoviário de cargas por conta de
Lei nº 12.667 de 15 cargas por conta
FEDERAL E terceiros e mediante remuneração e revoga a
de junho de 2012 de terceiros e
Lei no 6.813/80, para determinar, no caso do
mediante
transporte de produtos perigosos.
remuneração

Define códigos de normas e infrações para os


PORTARIA SIT N.º subitens da NR-22, que passam a integrar o
FEDERAL Segurança G
35/2001 Anexo II da Norma Regulamentadora n.º 28 -
Fiscalização e Penalidades.

Altera a Lei no 9.503, de 23 de setembro de


FEDERAL LEI Nº 12.760/12 Lei seca E 1997, que institui o Código de Trânsito
Brasileiro - Lei Sêca.

Dispõe sobre a responsabilização


administrativa e civil de pessoas jurídicas pela
FEDERAL Lei nº 12.846/13 Lei da Corrupção G prática de atos contra a administração pública,
nacional ou estrangeira, e dá outras
providências.

Determina curto prazo (24 hs) para


Comunicação de
encaminhamento das informações de
FEDERAL Portaria nº 589/2014 acidente de G
acidentes fatais e doença ocupacional que
trabalho
resulte em morte

Altera os arts. 173, 174, 175, 191, 202, 203,


Sansões 292, 302, 303, 306 e 308 da Lei no 9.503, de
FEDERAL L EI 12.971/2014 administrativas e 23 de setembro de 1997, que institui o Código
crimes de trânsito de Trânsito Brasileiro, para dispor sobre
sanções administrativas e crimes de trânsito.
Selo de
cumprimento de
Cria o selo de cumprimento de código de
ESTADUAL Lei nº 6466 código de E
segurança contra incêndio e pânico -COSCIP
segurança contra
incêndio - COSCIP

Artigos esparsos na LOM sobre a


Lei Orgânica responsabilidade do municipio sobre a
MUNICIPAL Geral E
Municipal - Macaé responsabilidade deste sobre prevenção de
atividades de SMS

Extintores de
OUTROS NBR 10721 G Extintores de incêndio com carga de pó.
Incêndio
Equipamento de proteção individual - Cinturão
OUTROS NBR 11370 EPI G
e talabarte
Extintores de Extintores de Incêndio com carga de dióxido
OUTROS NBR 11716 G
incendio de carbono

Fixa critérios para o registro, comunicação,


estatística, investigação e análise de
acidentes de trabalho, suas causas e
Acidente do conseqüências, aplicando-se a quaisquer
OUTROS NBR 14280 G
Trabalho atividades laborativas. Aplica-se a qualquer
empresam entidade ou estabelecimento
interessado no estudo do acidente do
trabalho, suas causas e conseqüências.

Apresenta informações para a elaboração e


Ficha de
Preenchimento de uma FISPQ. Define
Informações de
OUTROS NBR 14725 G especificamente: o modelo geral de
Segurança de
apresentação da FISPQ, condições de uso,
Produtos Químicos
aplicabilidade ou utilização.

Programa de "Programa de proteção respiratória -


NORMA
OUTROS proteção G Recomendações, seleções e uso de
FUNDACENTRO
respiratória respiradores"

LEGENDA

1. Classificação: Distribuição sistemática da localização das leis em categorias federais, estaduais e municipais.

2. Título / Órgão / Emissor: Designação da origem das leis ou normas.

3. Tema: Assunto a ser tratado.


4. Aplicação: Execução prática da lei ou norma. Esta pode ser especifica (E) ou geral (G)

5. Sumário: Resumo da lei ou norma.

6. Data de Criação: Data na qual a lei ou norma foi disponibilizada para a ciência desta..

7. Itens relevantes: Parte(s) da lei ou norma de interesse.

8. Nível de atendimento: Atendimento da lei, norma ou decreto inserta na planilha. Se atende é satisfatória (S), caso não atenda é insatis

9. Evidência de conformidade: Modo de comprovação da aplicação do dispositivo legal.

10. Data de verificação: Data na qual a lei ou norma foi verificada pela ultima vez.
Código: FQUA.18
TRATÉGICO E GESTÃO DOS RISCOS Revisão: 02
PLICÁVEL
Página: 07 de 07

DATA DE
ITENS NÍVEL DE EVIDENCIA DE DATA DE
CRIAÇÃO E/OU
RELEVANTES ATENDIMENTO CONFORMIDADE VERIFICAÇÃO
REVISÃO

ARTIGOS 16, 17, PPRA / PAE


9/29/1994 S 1/24/2018
18, 19, 20 e 21. /DDSMS

Conhecimento
para Gerentes,
1/10/2002 Integral S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
10/30/2003 Integral S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento da
força de trabalho
18.05.1988 Total S (Gerentes, 1/24/2018
supervisores,Lider
es e Motoristas)

4/15/1994 Integral S PPR/PPRA 1/24/2018

9/30/2008 Integral S PPR/PPRA 1/24/2018

7/24/1991 Art. 19 a Art. 23 S CAT 1/24/2018

CNH / Direção
9/23/1997 Integral S defensiva para 1/24/2018
motoristas
Publicada em
Divulgação para
25/10/2004 e
aréa de
retificada em Integral S 1/24/2018
transportes
04/01/2005 e
rodoviários
16/06/2005

Conhecimento
para Gerentes,
6/5/2001 Parcial S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
15.06.2012 Integral S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
08.12.2012 Integral S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
7/6/1978 Integral S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Planilha de
7/6/1978 Integral S inspeção pelo 1/24/2018
orgão responsável

Conhecimento
para Gerentes,
7/6/1978 Integral S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
06/07/1978/03/04/
Integral S Supervisores, 1/24/2018
2004
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
7/6/1978 Integral S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Ficha de Controle
7/6/1978 Integral S 1/24/2018
de EPI´s

Programa do
7/6/2012 Integral S 1/24/2018
PCMSO
Divulgação do
29.12.1994 Integral S PPRA para todos 1/24/2018
os colaboradores

Divulgação da
6/8/1978 Integral S norma para 1/24/2018
eletricistas

Manual de
7/6/1978 Integral S 1/24/2018
aplicação

PT / Inspeção de
7/6/1978 Integral S 1/24/2018
Segurança

7/6/1978 Integral S PCMSO/ PPRA 1/24/2018

Conhecimento
para Gerentes,
7/6/1978 Integral S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Planta de locação
de extintores /
7/6/1978 Integral S 1/24/2018
Controle de
extintores

7/6/1978 Integral S SGA 1/24/2018

Faixas e Placas
7/6/1978 Integral S 1/24/2018
de sinalização

Registro dos
5/29/2008 Integral S Técnicos de 1/24/2018
Segurança

Conhecimento
para Gerentes,
7/6/1978 Integral S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
3/23/2012 Integral S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas
Conhecimento da
força de trabalho
05.01.2007 Integral S (Gerentes, 1/24/2018
supervisores,Lider
es e Motoristas)

Treinamentos /
7/24/2003 Integral S DDSMS e 1/24/2018
atendimentos

Dimensionamento
5/28/1999 Integral S 1/24/2018
da CIPA

Conhecimento
para Gerentes,
5/28/1999 Integral S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
12.12.2011 Integral S para todos os 1/24/2018
colaboradores

Conhecimento
para Gerentes,
22.07.2008 Integral S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Contentores nas
6/19/2001 Integral S 1/24/2018
cores definidas

Divulgação para
3/6/2012 Integral S 1/24/2018
área de MA

Informação a área
27.11.2014 Integral S 1/24/2018
de SMS

Informação a área
responsável pelo
27.11.2014 Integral S controle de 1/24/2018
documentação de
veiculos
Conhecimento
para Gerentes,
9/22/2009 Integral S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
12.02.1998 Integral S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
10/5/1988 Parcial S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
12/7/1940 Parcial S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
5/1/1943 Parcial S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
5/14/2012 Integral S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas
30.04.2012 Integral S C LT 1/24/2018

Divulgação em
4/27/1999 Integral S Diálogo Diário de 1/24/2018
Segurança

6/15/2012 Integral S Leg. Ordinária 1/24/2018

Conhecimento
30.04.2014 Integral S para responsáveis 1/24/2018
das ações de SMS

Arts. 173, 174,


175, 191, 202, Conhecimento
203, 292, 302, para Gerentes,
09.05.2014 303, 306 e 308 da S Supervisores, 1/24/2018
Lei no 9.503, de Lideres e
23 de setembro de Motoristas
1997

Conhecimento
para Gerentes,
6/20/2011 Total S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
2/1/2001 Total S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
1/26/2010 Total S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas
Aquisição e
6/26/1905 Total S aplicação da 1/24/2018
norma.

Conhecimento
para Gerentes,
4/11/2013 Total S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
04.05.2011 Total S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
2013 Total S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
2005 Total S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
2015 Total S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
2014 Total S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
09.09.2012 Total S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas
Conhecimento
para Gerentes,
2013 Total S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
2008 Total S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
2015 Total S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
07.05.2007 Total S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento
para Gerentes,
2013 Total S Supervisores, 1/24/2018
Lideres e
Motoristas

Conhecimento à
9/17/2015 Total S todos os 1/24/2018
motoristas.
INFORMATIVO À
7/30/2015 Total S FORÇA DE 1/24/2018
TRABALHO

Divulgação para
3/6/2012 Total S 1/24/2018
área de MA

Definido no PDR,
Manter arquivado
licenças dos
9/25/2002 Total S 1/24/2018
destinatários de
pneus das
contratadas

5/5/2009 Total S Conhecimento 1/24/2018

10/5/1988 Parcial S Conhecimento 1/24/2018

1/10/2002 Parcial S Conhecimento 1/24/2018


12/7/1940 Parcial S Conhecimento 1/24/2018

5/1/1943 Parcial S Conhecimento 1/24/2018

5/14/2012 Total S Conhecimento 1/24/2018

30.04.2012 Total S C LT 1/24/2018

Divulgação em
4/27/1999 Integral S Diálogo Diário de 1/24/2018
Segurança
6/15/2012 Total S Leg. Ordinária 1/24/2018

12/27/2000 Total S Conhecimento 1/24/2018

Conhecimento
integral da força
de trabalho
(Gerentes,
20.12.12 Total S 1/24/2018
supervisores,Lider
es, motoristas e
demais
colaboradores)

Divulgação em
01.08.2013 Integral S DDS e Painel 1/24/2018
informativo

Conhecimento
30.04.2014 Integral S para responsáveis 1/24/2018
das ações de SMS

Arts. 173, 174,


175, 191, 202,
203, 292, 302,
Conhecimentos
09.05.2014 303, 306 e 308 da S 1/24/2018
para motoristas
Lei no 9.503, de
23 de setembro de
1997
6/6/2013 Integral S Leg. Ord. Estadual 1/24/2018

Jun-05 Integral S Conhecimento 1/24/2018

Jul/04 Total S Conhecimento 1/24/2018

Oct-01 Total S Conhecimento 1/24/2018

Jul-04 Total S Conhecimento 1/24/2018

Feb-01 Total S Conhecimento 1/24/2018

Jul/01 Total S Conhecimento 1/24/2018

1994 Total S Conhecimento 1/24/2018

A
ão atenda é insatisfatória (I).