Você está na página 1de 3

PROGRAMA DE DISCIPLINA

POÉTICAS CONTEMPORÂNEAS – POESIA BRASILEIRA, IMAGEM E MEMÓRIA

Código: LL1005 Carga horária: 60h Créditos: 04


Professor: Dr. Fábio Cavalcante de Andrade

Ementa:

Estudo da literatura contemporânea. Seus possíveis aspectos teóricos e críticos, bem como sua
contextualização na cultura e sociedade contemporâneas. A literatura e as modalidades do
pensamento filosófico contemporâneo.

Apresentação:

A disciplina tem como ponto de partida o pensamento e as ideias de Aby Warburg, teórico e
historiador da arte, que se ocupou principalmente da força recorrente de imagens fundamentais de
sofrimento e movimento que estariam na base da tradição iconográfica da arte ocidental. Embora
Warburg seja a base teórica e metodológica, a ele se somarão outros teóricos, filósofos e pensadores
que, nutrindo-se de suas idéias, fizeram repercutir um olhar sobre a literatura e a arte em geral que
desafiava a visão racionalista tanto da arte antiga como de suas repercussões crônicas ao longo do
tempo; é o caso de Georges Bataille, Walter Benjamin, Emil Cioran, Georges Didi-Huberman,
Giorgio Agamben, Carlo Ginzburg, Cornelus Castoriadis, Paul Zunthor e Paul Ricoeur. A eles se
somam filósofos que foram a base de seu pensamento, como é o caso de Nietzsche, ou aqueles em
que repercutiram inquietações semelhantes, como é o caso de Heidegger. Esse repertório de
pensadores será a base para desenvolver cinco eixos de leitura da poesia brasileira contemporânea, a
saber: o tempo, a imagem, a sacralidade, a animalidade e o corpo. Dentro de uma constelação de cem
poemas (principalmente de autores brasileiros modernos e contemporâneos), os alunos se moverão
buscando associar imagens a esses textos, a partir dos eixos de leitura propostos pela disciplina; o
que, por sua vez, resultará na composição, por parte dos discentes, de pranchas em que poesia e
imagem se conjugam constituindo um “Atlas em movimento”, inspirado no famoso projeto
“Mynemosine” – o atlas de imagens que Warburg passou os últimos anos de sua vida elaborando.
Esse “Atlas em movimento” consistirá objetivamente numa exposição das pranchas no hall do CAC
como culminância da disciplina, entre os dias 18 e 22 de junho.

Objetivos:

1. Apresentar a partir da noção de nachleben (vida póstuma das imagens), de AbyWarburg,


modos de leitura da poesia brasileira contemporânea;
2. Realizar o estudo da poesia brasileira contemporânea através de cinco eixos temáticos: o
tempo, a imagem, a sacralidade, a animalidade e o corpo.
Conteúdos:

• Tempo da arte, arte no tempo, crise e contemporaneidade;


• Anacronismo na poesia contemporânea: lirismo e subjetividade;
• Poesia, imagem e visibilidade;
• As imagens sobreviventes, as fórmulas de pathos e as presenças invisíveis;
• Memória como criação: a morte e a linguagem das ruínas;
• O sagrado como resíduo e fantasma na poesia contemporânea;
• Os paradoxos e a cinética do corpo na poesia contemporânea brasileira;
• Animalidade como decomposição do antropomorfismo;
• Imaginário e imagopoética: uma introdução ao conceito de eidologia.

Metodologia:

As aulas serão divididas em dois blocos: um primeiro de composição do arcabouço teórico que
atende a duas frentes - o conhecimento das teorias de Aby Warburg e a leitura dos pensadores e
filósofos que se debruçaram sobre as questões que assinalam os cinco eixos temáticos; e um segundo
que terá um caráter essencialmente prático representado pela elaboração das pranchas que formatarão
o “Atlas em movimento”. Para cada aula do primeiro bloco, são previstos dois textos, um deles a ser
apresentado por um dos alunos do curso, e o outro a ser debatido conjuntamente por professor e
discentes. Visa-se assim a integração maior possível no fluxo de discussão e reflexão que a proposta
pode suscitar. A cada passagem por um dos eixos temáticos será pedido que realizem a leitura dos
poemas selecionados, de modo a propiciar a percepção de sua presença – dos eixos – não apenas
num poema específico, mas também nas possíveis relações entre um texto e outro. Nas leituras, por
sua vez, serão evocadas imagens (da pintura, do cinema, da fotografia etc.) que possibilitem o
diálogo entre texto e imagem, núcleo central do trajeto da disciplina. O segundo bloco será um
exercício de análise e estudos de alguns desses textos de modo a valorizar a dimensão simbólica das
imagens poéticas e permitir a montagem das pranchas, o diálogo entre os pesquisadores e a
organização da exposição “Atlas em movimento”.

Avaliação:

A obtenção do conceito decorrerá da participação em todas as etapas do trajeto proposto na


disciplina: a compreensão dos seus fundamentos teóricos, através da apresentação dos textos e dos
debates que essas apresentações fomentarão; e participação na elaboração do produto final da
disciplina que consiste na exposição das pranchas do “Atlas em movimento”.
Bibliografia Básica:

AGAMBEN, Giorgio. Nudez Trad. de Davi Pessoa. São Paulo: Autêntica, 2014.
_______. O Aberto: o homem e o animal. Tradução de Pedro Mendes. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 2017.
ALVES, Ida; PEDROSA, Celia. Subjetividades em Devir: estudos de poesia moderna e
contemporânea. Rio de Janeiro: 7Letras, 2008.
BARROS CAMARGO, Maria Lúcia de; PEDROSA, Celia. Poéticas do Olhar. Rio de Janeiro: 7
Letras, 2006.
_______. Poesia e contemporaneidade: leituras do presente. Chapecó: Argos, 2001.
BATAILLE, Georges. O Erotismo. Trad. de Fernando Sheibe. São Paulo: Autêntica, 2013.
CALASSO, Roberto. A Literatura e os deuses. Trad. de Jônatas Batista Neto. São Paulo:
Companhia das letras, 2004.
CASTORIADIS, Cornelius. As encruzilhadas do labirinto II: Trad. de
CIORAN, Emil. História e Utopia. Trad. de José Thomaz Brun. Rio de Janeiro: Rocco digital, 2014.
DIDI-HUBERMAN, Georges. A imagem sobrevivente: história da arte e tempo das fantasmas
segundo Aby Warburg. Trad. de Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013.
_______. A semelhança informe: ou o gaio saber visual segundo Georges Bataille. Trad.de Caio
Meira, Fernando Scheibe e Marcello Jacques de Moraes. Rio de Janeiro: Contraponto, 2015.
_______. Cascas. Trad. de . São Paulo: Editora 34, 2017.
PAZ, Octavio. A Outra Voz. Trad. de . São Paulo: Siciliano, 1992.
SCHOLLHAMMER, Karl Erik. Além do visível: o olhar da literatura. Rio de Janeiro: 7 Letras,
2016.
SISCAR, Marcos. Poesia e crise. Campinas: Editora da UNICAMP, 2012.
WARBURG, Aby. Histórias de fantasmas para gente grande: escritos, esboços, conferências.
Trad. de Lenin Bicudo Bárbara. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.
OLIVEIRA, Alexandre et Al. Deslocamentos críticos / Itaú Cultural. São Paulo: Babel, 2011.

Bibliografia complementar:

ALLOA, Emmanuel (org). Pensar a imagem. Trad. de Carla Rodrigues et AL. São Paulo:
Autêntica, 2015.
ANDRADE, Fábio. A transparência impossível: poesia brasileira e hermetismo. Recife:
Bagaço/PPGL, 2010.
BATAILLE, Georges. Teoria da Religião. Trad. de Fernando Sheibe. São Paulo: Autêntica, 2015.
CALABRESE, Omar. A linguagem da Arte. Trad. de Tânia Pellegrini. Rio de Janeiro: Globo, 1987.
ELIADE, Mircea. O Sagrado e o profano: a essência das religiões. Trad. de Rogério Fernandes. São
Paulo: Martins Fontes, 1999.
GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais. Trad. de Federico Carotti. São Paulo: Companhia das
Letras, 2003.
WARBURG, Aby. A renovação da antiguidade pagã. Trad. de . São Paulo: Contraponto, 2013.