Você está na página 1de 12

Ácidos e Bases: introdução

Quais as diferenças entre os ácidos e as bases?


11.º ano - Física e Química A Ácidos Bases
2017/2018 • São em geral pouco solúveis em água
• São eletrólitos
• São em geral pouco solúveis
em água
• Têm sabor azedo • São eletrólitos
• Avermelham a tintura azul de tornesol • Têm sabor amargo
• São corrosivos • Tornam carmim a solução
• Reagem com metais como o zinco, alcoólica de fenolftaleína
libertando hidrogénio • São escorregadias ao tato
• Reagem com o carbonato de cálcio, • São corrosivas
libertando dióxido de carbono

Existem substâncias (como o açúcar ou o cloreto de sódio) que


Química: Unidade 2.1 não pertencem a nenhuma destas categorias, as respetivas
Reações Ácido-Base soluções aquosas são quimicamente neutras.
Professor: Benjamim Medeiros
Site: http://sites.google.com/site/benjamimfq/ prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)

Ácidos e Bases: introdução Teoria Protónica de Brønsted-Lowry


O que afirmam as teorias mais recentes sobre ácidos e bases? Que teoria é mais abrangente que a de Arrhenius?
O sueco Arrhenius (1887) considerou que: Os cientistas Brønsted e Lowry (1923) afirmam que:
- ácido: substância que em meio aquoso liberta iões H+; - ácido: uma substância que tende a ceder protões (H+);
- base: substância que em meio aquoso liberta iões OH−. - base: uma substância que tende a receber protões (H+).
HNO3 (aq) → H+ (aq) + NO3–(aq) KOH (aq) → OH− (aq) + K+ (aq)
CH3COOH (aq) → H+ (aq) + CH3COO− (aq) Ca(OH)2 (aq) → 2 OH− (aq) + Ca2+ (aq)

Nota: a teoria de Arrhenius falha por não explicar a acidez e a


basicidade de soluções aquosas de alguns sais ou a basicidade
do amoníaco, NH3, uma substância molecular.

Essa definição tinha sido pensada apenas para a água como solvente e
não explicava o comportamento de ácidos e bases noutros solventes ou
mesmo em fase gasosa.
prof. Benjamim Medeiros (2017-2018) prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)
Teoria Protónica de Brønsted-Lowry Espécies Anfotéricas
Em que diferem as teorias de Brønsted e de Lowry? Já viram exemplos em que a água é por vezes ácido e noutras base.
Afinal o que é?
A água (H2O) funciona como:
- ácido na ionização do NH3
Que outras inovações trazem as Teorias de Brønsted-Lowry?
- base na ionização do HCℓ.
Nota: um ácido só se comporta como tal na presença de uma
substância que atue como base. Substância anfotérica: espécie química que pode atuar como
Uma substância só é um ácido se cede H+ a outra substância. ácido ou como base, dependendo da espécie com a qual reaja.
A água é um dos melhores exemplos.
CH3COOH (aq) + H2O (ℓ) ⇌ CH3COO- (aq) + H3O+ (aq)
ácido

CH3COOH (aq) + HCℓ (aq) ⇌ CH3COOH2+ (aq) + Cℓ- (aq)


base
prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)

Pares Conjugados Ácido-Base Pares Conjugados Ácido-Base


E se analisar uma reação ácido-base no sentido direto vs inverso? Pág. 85
CH3COOH (aq) + H2O (ℓ) ⇌ CH3 COO– (aq) + H3 (aq) O+
ácido base base ácido

Quando um ácido cede um protão transforma-se numa base,


dá origem à base conjugada desse ácido.
Pares Conjugados Ácido/Base: CH3COOH / CH3COO-
H3O+ / H2O
Um par conjugado ácido-base é constituído por duas espécies
químicas que diferem num protão (H+).
H2SO4 (aq) + 2 H2O (ℓ) → SO42 – (aq) + 2 H3O+ (aq)
Nota: na representação do par ácido-base, primeiro escreve-se a O H2SO4 e SO42 – não são um par conjugado ácido-base, pois
espécie ácida e depois a básica (ordem decrescente de carga). diferem em dois protões e não em apenas um.
prof. Benjamim Medeiros (2017-2018) prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)
Autoionização da Água Autoionização da Água
Vamos começar por estudar os pares ácido-base da água. Se a água entra em equilíbrio químico, terá uma constante de eq...
Qualquer amostra de água líquida, por mais pura que seja, tem 2 H2O (ℓ) ⇌ H3O+ (aq) + OH– (aq)
sempre iões hidrónio (oxónio), H3O+, e iões hidróxido, OH–. OH × H O
Mas porquê? A água pura não devia ser apenas H2O? =
H O
As moléculas de água reagem entre si, originando H3 O+ e OH–, Recordando: Se há um líquido puro (como solvente) ou sólido puro, Kc não depende do
num processo denominado autoionização da água. valor da sua concentração, é omitido dos cálculos.
Ao produto iónico da água também se chama constante de
H2O (ℓ) + H2O (ℓ) ⇌ H3O+ (aq) + OH– (aq)
ionização da água ou constante de autoprotólise.
2 H2O (ℓ) ⇌ H3O+ (aq) + OH– (aq)
Kw = |H3O+| × |OH−|
Qual a relação entre as concentrações de H3O+ e OH− para a água?
Nota: na autoionização da água, a qualquer temperatura:

prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)


[H3O+] = [OH-]
prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)

Autoionização da Água Ionização vs Dissociação


Mas qual o valor do produto iónico da água? Como é que os ácidos e as bases formam iões na presença de água?
2 H2O (ℓ) ⇌ H3O+ (aq) + OH– (aq) Kw = |H3O+| × |OH−| Chamam-se eletrólitos às substâncias que, dissolvidas em água,
originam iões, sendo a solução resultante boa condutora elétrica.

Mas já vimos antes que a temperatura altera o valor da Kc… Essas substâncias podem ser moleculares, como o NH3 ou o
HCℓ, ou iónicas (sais), como o hidróxido de sódio, NaOH.
2 H2O (ℓ) ⇌ H3O+ (aq) + OH– (aq) ΔH > 0
Como sei, observando uma fórmula química, se é molécula ou sal?
A reação de autoionização da água é um
Revisão do 10.º ano – Tipos de Ligação Química
processo endotérmico (pouco extenso). Lig. Covalente  moléculas  entre átomos não-metais (incluindo o hidrogénio).
Lig. Iónica  sais  átomos de metais com átomos de não-metais.
Portanto, ao aumentar a temperatura, a reação evolui no
sentido direto, há mais formação de iões, mas mantém-se
a proporção:
[H3O+] = [OH−]
E é por isso que, independentemente da temperatura, a
água é sempre neutra. prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)
Ionização vs Dissociação Ionização vs Dissociação
Como as substâncias moleculares formam iões? E em relação aos sais (substâncias iónicas)?
Ionização: formação dos iões a partir de moléculas polares, por Dissociação: devido a interações entre as moléculas de água e
ação do solvente polar (água). os iões do sal, a sua estrutura iónica é destruída, ocorrendo a
separação dos iões que ficam, assim, em solução aquosa.

Depois de formarem iões e se separarem, irão sofrer solvatação.


No final ocorre, novamente, solvatação.
Solvatação: união entre os iões do soluto e as moléculas polares H2O
do solvente. NaOH (s) → Na+ (aq) + OH– (aq)
+ (ℓ) → + ( ) Assim, a única diferença prática entre a ionização e a dissociação é o facto do soluto
ser molecular (ligação covalente) ou iónico (ligação iónico), respetivamente.
+ (ℓ) → + ( ) Na dissolução não existem pares conjugados ácido-base.

Ionização vs Dissociação Constantes de Acidez/Basicidade


Mas os sais e as moléculas dissociam-se/ionizam-se completamente? Então os ácidos e as bases não têm todos a mesma “força”. Como
Conforme já vimos antes, existem reações completas e incompletas. podemos “medir” a força de um ácido ou de uma base?
Para avaliar a força de um ácido ou de uma base, podemos determinar a À reação de espécies ácidas ou básicas com a água, chama-se
fração de substância que se ioniza a partir da relação entre o número de hidrólise; à respetiva constante de acidez/basicidade chama-se
moles inicial, ninicial, e o número de moles que sofrem ionização, nion. constante de hidrólise.
'$!% '$!% Portanto, para compararmos a força de ácidos e de bases fazemos
çã! "# $!%$& çã! = % "# $!%$& çã! = × -..
'('()(*+ '('() sempre em relação à mesma substância: a água.
Nota: para ácidos de concentração semelhante, quanto maior a Como se determina a constante de hidrólise de um ácido?
percentagem de ionização, mais forte o ácido. HNO3 (aq) + H2O (ℓ) ⇌ NO3– (aq) + H3O+ (aq)
O mesmo é válido para as bases e para a dissociação. A extensão da reação relaciona-se com a constante de equilíbrio
chamada constante de acidez, Ka, da ionização do ácido em
Ácido/Base Forte se %ion./diss. ≈ 100% (reação completa)
água:
# × #
Ácido/Base Fraco se %ion./diss. << 100% (reação incompleta) / =
prof. Benjamim Medeiros (2017-2018) # prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)
Constantes de Acidez/Basicidade Constantes de Acidez/Basicidade
É aplicada a constante de equilíbrio para todos os ácidos? E se o valor de Ka não é elevado?
Ácidos fortes Constante de acidez Ácido fraco: a constante de acidez é muito pequena. A ionização
H2SO4 Ácido sulfúrico ∼1010 é parcial e pouco extensa.
HI Ácido iodídrico ∼109 Ácidos fortes Constante de acidez
HCℓ Ácido clorídrico ∼107 HF Ácido fluorídrico 6,8 x 10-4
HNO3 Ácido nítrico ∼103 HNO2 Ácido nitroso 5,2 x 10-4
CH3COOH Ácido acético 1,8 x 10-5
Nota: para os ácidos fortes o valor de Ka é muito elevado (a CH3COOH (aq) + H2O (ℓ) ⇌ CH3COO− (aq) + H3O+ (aq)
reação é muito extensa) considera-se a sua ionização completa.
# × #
HNO3 (aq) + H2O (ℓ) → NO3– (aq) + H3O+ (aq) / =
#
HCℓ (aq) + H2O (ℓ) → Cℓ– (aq) + H3O+ (aq) Um ácido forte ioniza-se completamente (reação completa).
Um ácido fraco ioniza-se parcialmente (reação incompleta).
prof. Benjamim Medeiros (2017-2018) prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)

Constantes de Acidez/Basicidade Constantes de Acidez/Basicidade


E em relação às bases? E em relação às bases fracas?
Em relação às bases aplicamos o mesmo raciocínio que para ácidos. A constante de equilíbrio das bases (com água) chama-se
Bases fortes constante de basicidade (Kb).
LiOH Hidróxido de lítio Base fraca: a constante de basicidade é muito pequena. A
NaOH Hidróxido de sódio ionização (ou dissociação) é parcial e pouco extensa.
Ba(OH)2 Hidróxido de bário Bases fracas Constante de basicidade
Bases fortes: dissociam-se completamente em água. CH3NH2 Metilamina 5,5 x 10-4
NH3 Amoníaco 1,8 x 10-5
N2H4 Hidrazina 1,8 x 10-7

Nem todos os hidróxidos são bases fortes. NH3 (aq) + H2O (ℓ) ⇌ NH4+ (aq) + OH− (aq)
Contudo, todos os hidróxidos são bases que sofrem dissociação em água
# × #
(mesmo que alguns não sejam bases fortes). /1 =
prof. Benjamim Medeiros (2017-2018) # prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)
Constantes de Acidez/Basicidade Constantes de Acidez/Basicidade
Existirá alguma relação entre Ka e Kb de pares conjugados ácido-base?
Reações de ionização do par conjugado HCN / CN−:
# × #
HCN (aq) + H2O (ℓ) ⇌ CN− (aq) + H3O+ (aq) / =
#

# × #
CN− (aq) + H2O (ℓ) ⇌ HCN (aq) + OH− (aq) /1 =
#

O que obtemos ao multiplicarmos Ka por Kb de pares conjugados?

Para todos os pares conjugados ácido-base existe a relação:

/ × / 1 = /2
Nota: em todas as soluções aquosas estão sempre presentes os Relembrar: para uma dada temperatura, o valor de Kw é constante.
iões H3O+ e OH– devido à autoionização da água.
prof. Benjamim Medeiros (2017-2018) prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)

Constantes de Acidez/Basicidade Escala de Sørensen e pH


Que conclusão podemos retirar de Ka × Kb = Kw? Que escala podemos usar para medir, de forma prática, a acidez ou
basicidade de uma determinada solução aquosa?
Se, a uma dada temperatura, o Kw é constante, então para um
par conjugado ácido-base, quanto maior o Ka, será menor o Kb. O caráter ácido de uma solução aquosa está relacionado com a
concentração de iões hidrónio nessa solução; quanto mais ácida for a
A relação entre Ka e Kb do par é de proporcionalidade inversa.
solução, maior será a concentração em iões H3O+.
Nota: quanto mais forte for um ácido (maior Ka), mais fraca será a O pH é uma grandeza que está
sua base conjugada (menor Kb), e vice-versa. relacionada com o maior ou menor grau
de acidez ou de basicidade de soluções
aquosa.
Como se calcula o pH de uma solução?
pH = – log |H3O+|

prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)


Pág. 93
Escala de Sørensen e pH Escala de Sørensen e pH
E como funciona a escala de Sørensen? É possível, a partir do pH, determinar a concentração em H3O+?
Na escala de Sørensen, definida para 25 °C, os valores de pH |H3O+| = 10−pH
mais usuais variam entre 0 e 14:
Isso tem a ver com a função inversa da função logaritmo, aprendem isso
 pH = 7, a solução é neutra. melhor em Matemática do 12.º ano.
 pH < 7, a solução é ácida.
Então, se o pH aumentar (ou diminuir 1) de que forma afeta |H3O+|?
 pH > 7, a solução é básica.
Uma variação positiva de 1 unidade no pH, ΔpH = 1, significa:
• um aumento de uma unidade no valor de pH;
• uma diminuição de acidez (logo aumenta da basicidade);
• uma diminuição de 10 vezes na [H3O+]: a [H3O+] passa a ser
10 vezes menor;

prof. Benjamim Medeiros (2017-2018) prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)

Escala de Sørensen e pH Escala de Sørensen e pH


Porque é que pH = 7 apenas corresponde a neutro se T = 25º C?

Se pH = 7 a 25º C, então [H3O+] = [OH–] = 1×10–7 mol.dm-3


Logo, se [H3O+] = [OH–] → solução neutra.
Porque se o pH = 7 mas T ≠ 25º C?
Vamos considerar pH = 7 a 60º C, Kw = 9,55×10-14.
Só existe uma escala em relação à concentração em H3O+?
[H3O+] = 1×10–7 mol.dm-3 [OH–] = 9,55×10–7 mol.dm-3
Na realidade também existe uma escala em relação ao OH−, chamada de
pOH. Contudo, a escala de pH é muito mais usual. Se [OH–] > [H3O+] → solução básica

pOH = – log |OH–| |OH–| = 10−pOH Portanto, uma solução com pH = 7 a 60º C é básica…
Nota: apenas a 25º C podemos considerar que:
Existe alguma relação entre o pH e o pOH?  pH = 7 corresponde a uma solução neutra.
Se T = 25 °C, então: pH + pOH = 14  pH + pOH = 14
prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)
Escala de Sørensen e pH Escala de Sørensen e pH
Então como sabemos se uma solução é ácida, básica ou neutra? Qual será o pH de soluções, com a mesma concentração, de um ácido forte e
de um ácido fraco?
A qualquer temperatura:
[H3O+] = [OH–] → solução neutra Ex.: Determine o pH, a 25º C, de uma solução de 0,020 mol.dm-3:
[H3O+] > [OH–] → solução ácida a) de HCℓ (Ka muito elevado). b) de CH3COOH (Ka = 1,8×10-5)
[H3O+] < [OH–] → solução básica Nota: as soluções de ácidos fracos têm valores de pH mais
elevados do que ácidos fortes de igual concentração porque os
ácidos fracos sofrem menos ionização (formando menos H3O+).

prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)

Reações de Neutralização Reações de Neutralização


O que acontece quando se faz reagir um ácido com uma base? Existe alguma “receita” associada às reações de neutralização?
Vamos considerar a reação entre HCℓ (ácido forte) e NaOH (base forte) HCℓ (aq) + NaOH (aq) → NaCℓ (aq) + H2O (ℓ)
HCℓ (aq) + H2O (ℓ) → Cℓ- (aq) + H3O+(aq) ácido + base → sal + água
NaOH (aq) → Na+ (aq) + OH- (aq) As pastilhas para diminuir a azia contêm
Cℓ- (aq) + Na+ (aq) + H3O+(aq) + OH- (aq) substâncias básicas que realizam reações de
neutralização para diminuir a acidez estomacal.
1 1
H3O+ (aq) + OH– (aq) ⇌ H2O (ℓ) + H2O (ℓ) = ⇒ =
10 78
= 1078
4 CH3COOH (aq) + NaOH (aq) → NaCH3COO (aq) + H2O (ℓ)
NaOH (aq) + HCℓ (aq) → NaCℓ (aq) + H2O (ℓ) ácido + base → sal + água
As reações entre ácidos e bases são reações de neutralização,
As reações de neutralização são utilizadas em análise química,
onde o H3O+ reage com o OH– produzindo H2O.
numa técnica chamada titulação ácido-base, em que se
Nota: no final da reação de neutralização o pH não é determina a concentração desconhecida de um ácido (ou base).
necessariamente neutro, depende da concentração e “força” das
espécies envolvidas. prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)
prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)
Titulação Ácido-Base Titulação Ácido-Base
O que é e como é feita uma titulação ácido-base? O que é o ponto de equivalência?
Titulação ácido-base: consiste em descobrir a concentração O ponto de equivalência atinge-se quando as quantidades de
desconhecida de ácido ou de base, usando um reagente (ácido ácido e base estão nas proporções estequiométricas da reação
ou base) de concentração conhecida (solução-padrão). (nenhum está em excesso).
Ponto de Equivalência
Na titulação coloca-se na bureta o titulante
9á ;<= a
a ácido + b base → sal + água =
(concentração conhecida) e no balão 9>?@ b
erlenmeyer o titulado (concentração Nota: no caso do ácido e a base serem monopróticos:
desconhecida). 9á ;<= = 9>?@ ⇒ Cá ;<= × Dá ;<= = C>?@ × D>?@
Aos poucos adiciona-se titulante ao titulado
até atingir o ponto de equivalência. HCℓ (aq) + NaOH (aq) → NaCℓ (aq) + H2O (ℓ) P.E.: nácido = nbase
H2SO4 (aq) + 2 KOH (aq) → K2SO4 (aq) + H2O (ℓ) P.E.: 2 na = nb
Titulante + Titulado → Sal + Água
prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)
prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)

Indicadores Ácido-Base Indicadores Ácido-Base


Mas como conseguimos saber quando se atinge o ponto de equivalência? Mas como pode uma substância mudar de cor de acordo com o pH do meio?

O ponto de equivalência é difícil de determinar em termos


operacionais; por isso determina-se o ponto final, a altura em que
Nota: a mudança de cor de um indicador pode ser explicada com
há variação de uma propriedade física, como a cor do indicador.
base no Princípio de Le Chatelier.
Na prática, consideramos que ponto de equivalência e ponto final são a mesma
coisa. De uma forma mais simplista, podemos afirmar que: ↓ pH  ↑ acidez  ↑ [H3O+]  segundo PLC contraria a alteração
- ponto de equivalência: é teórico, se ácido e base estão nas proporções certas.  sentido inverso  cor A
- ponto final: resulta da experiência, geralmente usando um indicador.
É possível um indicador ficar com uma cor intermédia das cores principais?
Que característica tem de ter um indicador ácido-base?
Ao intervalo de pH em que coexistem as cores da forma ácida e
Os indicadores ácido-base são substâncias que apresentam cor
da forma básica de um indicador chama-se zona de viragem.
diferente consoante o intervalo de pH.

prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)


Carácter Ácido ou Básico de um Sal
Apenas os ácidos e as bases podem alterar o pH de uma solução?
Na água quimicamente pura verifica-se que [H3O+] = [OH−].
Há sais que adicionados à água aumentam [H3O+] ou que
aumentam [OH−] e outros que não fazem variar qualquer destas
concentrações.

Quais são os sais capazes de alterar o pH de uma solução?


Os sais capazes de alterar o pH são compostos por iões
provenientes de:
- ácidos fracos, que dão origem a iões básicos.
- bases fracas, que dão origem a iões ácidos. prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)

Carácter Ácido ou Básico de um Sal Carácter Ácido ou Básico de um Sal


Que tipos de sais podem então resultar das reações ácido-base? E se reagir uma base fraca com um ácido fraco, de que tipo será o sal?
Os sais resultantes de reações ácido-base podem ser: Um sal da reação entre um ácido fraco e base fraca terá
1. neutros, no resultado da reação entre ácido forte e base forte. características:
HCℓ (aq) + NaOH (aq) → NaCℓ (aq) + H2O (ℓ) - ácidas, se Ka > Kb. Kb (CH3COO–) = 5,6 × 10–10
NaCℓ (aq) → Na+ (aq) + Cℓ- (aq) (não reagem mais) - básicas, se Kb > Ka.
Ka (NH4+ ) = 5,6 × 10–10
- neutras, se Ka = Kb.
2. ácidos, na reação entre ácido forte e base fraca.
Meta 1.21: Interpretar o carácter ácido, básico ou neutro de soluções aquosas de sais com base
HCℓ (aq) + NH3 (aq) → NH4Cℓ (aq)
nos valores das constantes de acidez ou de basicidade dos iões do sal em solução.
NH4Cℓ (aq) → NH4+ (aq) + Cℓ- (aq)
NH4 (aq) + H2O (ℓ) NH3 (aq) + H3O+ (aq)
+ Ka (NH4+) = 5,7×10-10

3. básicos, na reação entre ácido fraco e base forte.


CH3COOH (aq) + NaOH (aq) → NaCH3COO (aq) + H2O (ℓ)
NaCH3COO (aq) → Na+ (aq) + CH3COO- (aq)
CH3COO-(aq) + H2O (ℓ) CH3COOH (aq) + OH- (aq) prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)
Kb (CH3COO-) = 5,5×10-10
Aspetos Ambientais das Reações Ácido-Base Aspetos Ambientais das Reações Ácido-Base
De que forma o ambiente é afetado por substâncias ácidas? O que é a “chuva ácida” e de onde se origina?
As soluções ácidas e básicas têm uma enorme influência no meio ambiente e Consideram-se chuvas ácidas as chuvas cuja água tem valores
podem afetá-lo das mais diversas formas. Contudo, vamos concentrar a nossa
de pH inferiores a 5 (ou pH < 5,5, depende da fonte).
atenção no problema das chuvas ácidas.
Qual o pH da “chuva normal”? Este tipo de chuva tende a ocorrer mais frequentemente a elevadas altitudes.
A água da chuva será, provavelmente, a água líquida com que contactamos Os principais responsáveis pelas chuvas ácidas são os óxidos de
regularmente que é mais aproximada da água “pura”.
azoto (ou nitrogénio) e óxidos de enxofre.
Durante a precipitação, a água da chuva dissolve os gases
presentes na atmosfera. A água da chuva, ao absorver CO2,
origina ácido carbónico, H2CO3 (ionização incompleta).
CO2 (g) + H2O (ℓ) H2CO3 (aq)
H2CO3 (aq) + H2O (ℓ) ⇌ HCO3– (aq) + H3O+ (aq)
Meta 1.22: Interpretar a acidez da chuva normal com base na dissolução do dióxido de carbono
A água da chuva, na ausência de poluição, é ligeiramente ácida, presente na atmosfera.
apresentando um valor de pH ≈ 5,6. prof. Benjamim Medeiros (2017-2018) prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)

Aspetos Ambientais das Reações Ácido-Base Aspetos Ambientais das Reações Ácido-Base
Porque são estes óxidos tão nocivos para o meio ambiente? O calcário e o mármore são essencialmente formados por
Os óxidos de enxofre, SO2 e SO3, na presença de água, originam carbonato de cálcio, CaCO3.
ácido sulfuroso, H2SO3, e ácido sulfúrico, H2SO4 (um ácido forte):
A degradação de monumentos pode ser explicada pelo efeito da
SO2 (g) + H2O (ℓ) → H2SO3 (aq) SO3 (g) + H2O (ℓ) → H2SO4 (aq)
chuva ácida sobre o CaCO3:
O dióxido de azoto (NO2) reage com a água da atmosfera, dando CaCO3 (s) + 2 H3O+ (aq) → Ca2+ (aq) + CO2 (g) + 3 H2O (ℓ)
origem a ácido nitroso, HNO2, e ácido nítrico, HNO3 (ácido forte):
2 NO2 (g) + H2O (ℓ) → HNO2 (aq) + HNO3 (aq)
2 NO (g) + O2 (g) → 2 NO2 (g)
Quais os efeitos negativos das “chuvas ácidas”?
Os principais efeitos das chuvas ácidas são:
- Corrosão de metais e degradação de calcário.
- Redução da vida aquática.
- Modificação do pH do solo e arrastamento de nutrientes.
- Fragilização de espécie vegetais, favorecendo o aparecimento de doenças. prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)
Aspetos Ambientais das Reações Ácido-Base Aspetos Ambientais das Reações Ácido-Base
Quais as origens dos óxidos que originam as chuvas ácidas? Como podemos evitar ou minorar os problemas das chuvas ácidas?
Os óxidos de enxofre (SOx) são libertados Pode diminuir-se os efeitos e ocorrência de chuvas ácidas por:
nas indústrias e centrais elétricas. - diminuição de emissão de óxidos nocivos (SOx e NOx).
Os óxidos de azoto (NOx) têm a sua origem - neutralização dos ácidos que caem no solo.
principalmente nos transportes. Como se neutralizam os solos ou meios aquáticos que se pretende proteger?
As chuvas ácidas também podem ter origem natural,
pois a atividade vulcânica liberta para a atmosfera Neutralização dos Solos: pulverizam-se com carbonato de
gases ricos em enxofre. cálcio (CaCO3) ou cal (CaO) os solos ou meios aquáticos.
CaO (s) + 2 H3O+ (aq) Ca2+ (aq) + 2 H2O (ℓ)
CaCO3 (aq) + 2 H3O+ (aq) Ca2+ (aq) + CO2 (g) + H2O (ℓ)

A neutralização da acidez não faz com que o pH final seja neutro,


apenas garante que ocorra diminuição da acidez.

prof. Benjamim Medeiros (2017-2018) prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)

Aspetos Ambientais das Reações Ácido-Base Aspetos Ambientais das Reações Ácido-Base
Como podemos reduzir as emissão de óxidos nocivos? 2. Redução da Emissão de NOx: os automóveis são obrigados a ter
1. Redução da Emissão de SOx: faz-se reagir o SO2 com CaCO3 conversores catalíticos nos tubos de escape para reduzir a emissão
(cal viva), formando um depósito de sulfato de cálcio (CaSO4). de gases nocivos.
CaCO3 (s) + SO2 (g) → CaSO3 (s) + CO2 (g) NOx (g) + CO (g) + Conversor Catalítico → N2 (g) + CO2 (g) + H2O (g)

prof. Benjamim Medeiros (2017-2018) prof. Benjamim Medeiros (2017-2018)