Você está na página 1de 1

DISCIPULADO: SEGUINDO A CONVOCAÇÃO DO MESTRE

O CHAMADO
“E Jesus, andando junto ao mar da Galiléia, viu a dois irmãos, Simão, chamado
Pedro, e André, seu irmão, os quais lançavam as redes ao mar, porque eram
pescadores; E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.

[Mateus 4:18,19]

Jesus convoca discípulos. Fez isso no início do seu ministério e continua


fazendo isso até hoje. E, assim como fez com os primeiros, a atenção do
Mestre sempre se volta para pessoas comuns, que estão em seu dia a dia.
Não há pré-requisitos, nada de extraordinário nessas pessoas. Jesus
simplesmente passa e chama. Contudo, diferente desses aqui, existem
discípulos que não precisam “deixar as redes” para segui-lo. Na verdade, isso
acontece com a maioria dos Seus seguidores. Durante bastante tempo eu
entendia que os “vocacionados”, ou os chamados, eram pessoas convocadas
para deixar tudo, estudar num seminário para se tornarem pastores ou
missionários, e partirem para um trabalho missionário bem longe (de
preferência a África). Via essas pessoas como pessoas extraordinárias, bem
distante da minha realidade. Porém, mudei essa compreensão. Creio que
existem discípulos que são chamados para “deixar as redes” e outros não.
Além de aprender isso, aprendi também que tão importante quanto os que
partem são os que ficam. Jesus não chama ninguém para a contemplação e
sim para a ação, ou como disse Paulo, para sermos cooperadores Dele (I Co.
3.9) aqui aonde estou, ou em qualquer lugar que Ele me enviar. Portanto,
extraordinários não são os chamados e sim Aquele que chama. Daí
compreendi melhor a Missão de Deus. A urgência do engajamento missionário
é para aqui, ali e além. Não existem prioridades. Os confins da terra podem
ser muito bem a sua cidade, seu bairro, seu condomínio, sua casa. Depende
da perspectiva. Gosto da forma como a Bíblia A Mensagem traduziu o texto
de Mateus 28.18 a 20, conhecido como A Grande Comissão. Está assim:
“Resoluto, Jesus os instruiu: ‘Deus me autorizou a comissionar vocês: vão e
ensinem a todos os que encontrarem, de perto e de longe, sobre esse estilo
de vida, marcando-os pelo batismo no nome tríplice: Pai, Filho e Espírito
Santo. Vocês devem ensiná-los a praticar tudo o que tenho ordenado a vocês.
Eu estarei com vocês enquanto procederem assim, dia após dia, até o fim
dos tempos. ”
Acredito que o “ide” é melhor entendido desta forma. “Vão e ensinem a todos
os que encontrarem, de perto e de longe, sobre esse estilo de vida. ” É
exatamente isso, ser um discípulo de Jesus é ter um estilo de vida que nos
assemelha a Ele. Ser e fazer discípulos do Rabi de Nazaré acontece em nosso
dia a dia, no trabalho, em nosso bairro, na faculdade, enfim, não devemos
esperar grandes oportunidades. Nesse trecho o Mestre conclui dizendo: “Eu
estarei com vocês enquanto procederem assim, dia após dia, até o fim dos
tempos. ”. A presença do Mestre nos impulsiona ao discipulado e o discipulado
nos garante a presença do Mestre, e os dois acontecem quando estamos
envolvidos na missão do Seu Pai.