Você está na página 1de 8

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS

UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SOCIOECONÔMICAS E HUMANAS

Carlos Alberto Francisco de Sousa


Danilo da Costa e Silva
Tiago Trindade

MERCOSUL

Trabalho apresentado a disciplina de


Economia Política Internacional. Professor:
Valmor Diemer.

5º ano de Ciências Econômicas

ANÁPOLIS
2014
Composição MERCOSUL

O Mercado Comum do Sul (MERCOSUL) é um amplo projeto de integração concebido


por Argentina, Brasil, Paraguai, e Uruguai. Envolve dimensões econômicas, políticas e sociais,
o que se pode inferir da diversidade de órgãos que ora o compõem, os quais cuidam de temas
tão variados quanto agricultura familiar ou cinema, por exemplo. Em aspectos econômicos, o
MERCOSUL assume, hoje, o caráter de União Aduaneira, mas seu fim último é constituir-se
em verdadeiro Mercado Comum, seguindo os objetivos estabelecidos no Tratado de Assunção,
por meio do qual o bloco foi fundado, em 1991.
Recentemente, com a ratificação do Protocolo de Adesão da República Bolivariana da
Venezuela ao MERCOSUL, a Venezuela tornou-se o quinto Estado Parte a integrar o bloco.
Os Estados Associados do MERCOSUL são Bolívia, Chile, Colômbia, Equador e Peru.
Sua existência justifica-se em função do compromisso do MERCOSUL com o aprofundamento
do processo de integração regional e pela importância de desenvolver e intensificar as relações
com os países membros da ALADI. Nesse sentido, apenas países membros da ALADI podem
associar-se ao MERCOSUL, desde que celebrem Acordos de Livre Comércio com o bloco.
Além disso, Estados que desejem se associar devem aderir ao Protocolo de Ushuaia sobre
Compromisso Democrático no MERCOSUL, Bolívia e Chile e à “Declaração Presidencial
sobre Compromisso Democrático no MERCOSUL”. Os Estados Associados podem participar,
na qualidade de convidados, das reuniões dos órgãos da estrutura institucional do MERCOSUL
para tratar temas de interesse comum, mas sem direito a voto.
Os principais órgãos decisórios que compõem a estrutura institucional do MERCOSUL
são o Conselho do Mercado Comum (CMC), o Grupo Mercado Comum (GMC) e a Comissão
de Comércio do MERCOSUL (CCM):

- CMC – Conselho do Mercado Comum é o órgão superior e decisório do Mercado Comum. É


integrado pelos Ministros de Relações Exteriores e da Economia de cada um dos Estados Partes.
O Conselho toma as decisões para assegurar o cumprimento dos objetivos estabelecidos no
Tratado de Assunção.

- GMC – Grupo Mercado Comum é o órgão executivo do Mercado Comum. O GMC se


pronuncia mediante Resoluções, que são obrigatórias para os Estados Partes.
- CCM – Comissão de Comércio do MERCOSUL é o órgão encarregado de assistir o Grupo
Mercado Comum. É integrada por quatro titulares e quatro alternos de cada Estado Parte e
coordenada pelos Ministérios das Relações Exteriores. Entre as suas funções estão: velar pela
aplicação dos instrumentos comuns da política comercial; regular o comércio intra-
MERCOSUL e com terceiros países e organismos internacionais. As Diretrizes feitas pela CCM
são obrigatórias para os Estados Partes.
- Além desses órgãos, deve-se mencionar o Parlamento do MERCOSUL, a Comissão de
Representantes Permanentes do MERCOSUL, as Reuniões de Ministros, o Foro de Consulta e
Concertação Política, o Foro Consultivo Econômico e Social, os Subgrupos de Trabalho, as
Reuniões Especializadas, os Comitês, os Grupos AD HOC, os Grupos, a Comissão Socio-
Laboral e os Comitês Técnicos.

Dados Básicos

Território

O MERCOSUL responde por 71,8% (12.789.558 km²) do território da América do Sul.


Possui cerca de 3 vezes a área da União Européia.

Fonte: IBGE países (http://www.ibge.gov.br/paisesat/main.php)

População

Somada, a população do MERCOSUL chega a 275 milhões de habitantes. A população


do MERCOSUL corresponde a 69,78% da população da América do Sul e conta com variadas
etnias e origens.
Fonte: FMI (http://www.imf.org/external/index.htm)

Produto Interno Bruto (PIB)

O MERCOSUL tem PIB nominal de US$ 3,32 trilhões (dados de 2011) e ocuparia a
posição de quinta economia mundial se fosse considerado como um único país. Segundo o FMI,
a perspectiva de crescimento dos países do Bloco para 2012 é entre 1,5% de 6%. Em 2013,
espera-se retomada vigorosa da atividade econômica em todo o bloco. Segundo as projeções
mais recentes, o Brasil crescerá 4%, a Argentina 3,1%, o Paraguai 11%, o Uruguai 4,0% e a
Venezuela 3,3%.

Fonte: World Economic Outlook Database - FMI


Fonte: World Economic Outlook Database – FMI

Comércio

Exportações Intrabloco 2007-2011 (US$ milhões)

Fonte: Aliceweb MERCOSUL (http://alicewebmercosul.desenvolvimento.gov.br)


Exportações brasileiras para o MERCOSUL (em US$ bilhões)

Fonte: MDIC (http://www.desenvolvimento.gov.br)


Noventa por cento (90%) das exportações brasileiras para o bloco é composta de
produtos industrializados.
Intercâmbio Comercial dos Estados Partes do MERCOSUL com o mundo 2007-2011
(US$ milhões)

Fonte: Aliceweb MERCOSUL (http://alicewebmercosul.desenvolvimento.gov.br) e Direction of Trade


Statistics, FMI (Venezuela)
Produção Industrial (US$ milhões)

Fonte: CEPAL (http://www.eclac.org/estadisticas/)


Produção Agrícola
O MERCOSUL é uma potência agrícola. Ressaltam suas capacidades de produção das
cinco principais culturas alimentares globais (trigo, milho, soja, açúcar e arroz). O MERCOSUL
é o maior exportador líquido mundial de açúcar, o maior produtor e exportador mundial de soja,
1º produtor e 2º maior exportador mundial de carne bovina, o 4º produtor mundial de vinho, o
9º produtor mundial de arroz, além de ser grande produtor e importador de trigo e milho.

Fonte: FAO (http://faostat.fao.org/site/)

Energia

O MERCOSUL é uma das principais potências energética do mundo. O bloco detém


19,6% das reservas provadas de petróleo do mundo, 3,1% das reservas de gás natural e 16%
das reservas de gás recuperáveis de xisto.
Fontes: Internacional Energy Outlook-EIA/DOE/USA 2011, Oil&Gas Journal –World Energy Outlook –
IEA
O MERCOSUL é detentor da maior reserva de petróleo do mundo, com mais de 310
bilhões de barris de petróleo em reservas certificadas pela OPEP. Desse montante, a Venezuela
concorre com uma reserva de 296 milhões de barris.

Fonte: BP Statistical Review of World Energy 2012


A Venezuela detém 92,7% das reservas de petróleo do MERCOSUL. O Brasil tenderá
a ampliar sua participação nas reservas de petróleo do Bloco à medida que os trabalhos de
certificação das reservas do pré-sal brasileiro progridam. Estimativas conservadoras calculam
essas reservas em torno de 50 bilhões de barris.

Considerações Finais

Pode-se verificar, desta forma, que mesmo sendo considerado um bloco "novo",
o MERCOSUL é de significativa relevância e exerce papel fundamental para o
desenvolvimento, fortalecimento e proteção da América Latina. A ideia inicial de se estabelecer
um grupo com uma mesma taxa aduaneira, agora caminha para um fortalecimento político,
econômico e social, expandindo sua atuação entre os países, como a de livre circulação e
educação comum, igualmente como acontece na União Europeia que exemplifica um caso com
maior experiência na integração de nações.

Referência Bibliográfica

BRASIL. Mercosul. Disponível em: <http://www.mercosul.gov.br/>. Acesso em: 22 jan. 2014.