Você está na página 1de 6

anuncie Correio

da manhã
An o XXII • N º 5431• 25 / 1 0 / 2 0 1 8 • Ed it o r : Re f i na l d o C h i l e ngue
re daccao @co rre i o damanhamoz.com / ed it or@correiod ama nhamoz.com
www. co r re io d a m a nh a m oz . co m

As lamúrias da classe sociedade


Anteprojecto

empresarial de Nacala
de Revisão da
Lei do Trabalho:
Parceiros afinam
O empresariado local da posições
Zona Especial Económica de páG 3
Nacala (ZEEN), na província
nortenha de Nampula, ainda
E
não beneficia das condições
negócios B
para as quais a ZEEN foi Governante e
criada, o que, consequente- sul-africano T
mente, acaba contribuindo promete
para a sua “desmoralização”
e irrelevância das suas ac-
recuperar
tividades. USD130 milhões
Falando ao Correio da man- do VBS
hã, o pesquisador Yasser páG 4
Arafat Dadá, doutorando em
Desenvolvimento e Cooper-
ação Internacional no Insti-
opinião
tuto Superior de Economia Pik Botha
e Gestão da Universidade (1932-2018)
Técnica de Lisboa em Portu- páG 5
gal, diz que os empresários
daquela zona afirmam que opinião
persistem dificuldades na Ilusionismo
realização das suas activi-
dades, alegadamente... eleitoral
paG 2 páG 6

tiku 15!
Liberdade de
expressão
- R. Chilengue
páG 5
correio da manhã • outubro 2018

economia & negócios

As lamúrias da classe empresarial de Nacala


Nacala-Porto, enquanto ZEE ainda não configura um pólo de crescimento nem existe
a configuração de algum cluster e as suas actividades estão centradas em servir as
economias de outras províncias (importação e exportação) e dos países vizinhos, sendo
pouco mais que uma zona de serviços ferro-portuários e de transformação de matérias-
primas alimentares - Yasser Arafat Dadá, pesquisador e doutorando em Desenvolvimento
e Cooperação Internacional no Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade
Técnica de Lisboa em Portugal, em declarações em exclusivo ao Correio da manhã
trias agro-alimentares, não se
verificando, até ao momento,
investimento que beneficie o
empresariado local.

Conflito de terra
Outras informações avan-
çadas pela fonte, indicam
que, devido à localização es-
tratégica e às condições fa-
voráveis agro-ecológicas, ex-
iste muita procura de terras ao
longo do Corredor de Nacala
sobretudo por empresas que
O empresariado local da Zona ainda não configura um pólo lite o surgimento de pólo de investem no agro-negócio e
Especial Económica de Nacala de crescimento nem existe crescimento, são necessárias pelas comunidades locais que
(ZEEN), na província nortenha a configuração de algum políticas públicas de atracção procuram se manter na zona.
de Nampula, ainda não ben- cluster e as suas actividades do investimento privado e A proximidade dos rios (con-
eficia das condições para estão centradas em servir as a criação de condições para flitos principalmente entre
as quais a ZEEN foi criada, economias de outras provín- que seja possível que o ter- as famílias) e a presença de
o que, consequentemente, cias (importação e expor- ritório ganhe competitivi- grandes projectos (empresas
acaba contribuindo para a sua tação) e dos países vizinhos, dade por redução de custos e Estado) são as razões princi-
“desmoralização” e irrelevân- sendo pouco mais que uma de transacção e economias de pais que levam ao conflito em
cia das suas actividades. zona de serviços ferro-por- escala e de proximidade. Nacala.
Falando ao Correio da manhã, tuários e de transformação A fonte considera também Em Nacala, a agricultura é
o pesquisador Yasser Arafat de matérias-primas alimen- serem necessárias políti- praticada, essencialmente,
Dadá, doutorando em De- O ano de 2017
tares”, afirmou Dadá que, no cas que evitem os riscos dos em pequena escala e, maiori-
senvolvimento e Cooperação
Internacional no Instituto Su-
caracterizou-se
entanto, admite que não se
rejeita a hipótese nula, ou
efeitos negativos, como,
por exemplo, as questões à
tariamente, em regime de se-
queiro.
perior de Economia e Gestão por uma
seja, não surgiu um pólo de volta da terra e a criação de Os pequenos produtores en-
da Universidade Técnica de
Lisboa em Portugal, diz que
tendência de
crescimento e clusters em
Nacala-Porto.
desigualdades e fenómenos
migratórios muito superiores
frentam dificuldades, prin-
cipalmente, a baixo acesso
os empresários daquela zona aumento de preços
A fonte afirma, igualmente, à capacidade de geração de à assistência técnica; a fraca
afirmam que persistem di-
ficuldades na realização das
de Janeiro a Abril
que se tem verificado em
Nacala uma tendência posi-
emprego e de oportunidades
de negócio.
capacidade de aquisição de
insumos de produção (fertili-
suas actividades, alegada- tiva nas relações de interde- “Estes efeitos são ainda de zantes químicos e sementes
mente devido à falta de pro- pendência entre as empresas pequena escala devido ao melhoradas, instrumentos,
tecção aduaneira, elevada locais no que refere ao forne- volume reduzido e à forte entre outros); o acesso ao
fiscalidade, processos buro- cimento de matérias-primas, concentração sectorial do in- crédito; a fraca ligação com os
cráticos, centralização dos equipamentos e prestação vestimento realizado”, mini- mercados de comercialização
poderes de decisão, fraca de serviços, bem como existe miza para, em seguida, de- da produção; as deficientes
intervenção do Estado em uma transferência de está- clarar que os investimentos redes de infra-estruturas
questões relacionadas com a gios das cadeias de produção criados em Nacala estão mais públicas; as poucas ligações
ética empresarial e da concor- através da criação de filiais. direccionados para os sec- com as empresas de agro-pro-
rência, entre outros. Na sua óptica, para que Naca- tores de transportes e logís- cessamento, entre outras.
“Nacala-Porto, enquanto ZEE la-Porto, enquanto ZEE, faci- tica, infra-estruturas e indús- mpm/r

2
correio da manhã • outubro 2018

economia & negócios

Anteprojecto de Revisão
a introdução dos Mecanis- e flexível, mas sem desregu-
mos e Procedimentos para a larizar ou defender interes-
Contratação de Cidadãos de ses de grupos específicos,

da Lei do Trabalho: Parceiros Nacionalidade Estrangeira,


do Regulamento das Agên-
mas de um mercado de tra-
balho atractivo e gerador de

afinam posições
cias Privadas de Emprego, riqueza nacional, familiar e
do Regulamento do Trabalho pessoal”.
de Estiva, do Regulamento A Organização dos Trabalha-
do Trabalho em Regime de dores de Moçambique (OTM-
Empreitada, bem como a in- -Central Sindical), por seu
formatização do processo de turno, considera que, apesar
contratação da mão-de-obra de terem sido dados impor-
estrangeira, a implementa- tantes avanços, ainda se
ção do Sistema de Informa- mostra apreensiva com algu-
ção Migratória (SIMIGRA) e mas questões que não reuni-
da Folha de Relação Nominal ram consenso durante o pro-
Electrónica (e-FRN), o lan- cesso de auscultação pelos
çamento da Plataforma M- principais intervenientes na
Realizou-se esta quarta-fei- proposta, para que o resul- -Contribuição e da Prova de relação laboral (empregado-
ra o Seminário Nacional de tado esteja o mais próximo Vida Biométrica, a emissão res e trabalhadores), como
Validação do Anteprojecto possível das aspirações dos automática da Certidão de são os casos da duração do
de Revisão Pontual da Lei do moçambicanos, em geral, e Quitação de Segurança So- contrato a prazo nas Peque-
Trabalho (Lei nº23/2007), dos empregadores e dos tra- cial via electrónica. nas e Médias Empresas, o
um processo que visa ade- balhadores, em particular. Já os empregadores, repre- regime de indemnização por
quar este instrumento ao Na sua intervenção, Vitória sentados pela Confederação motivos económicos, estru-
estágio de desenvolvimen- Diogo referiu que, durante das Associações Económicas turais e de mercado, pois não
to socioeconómico de Mo- os 10 anos de vigência da de Moçambique (CTA), espe- garantem a protecção, muito
çambique, respondendo às actual Lei do Trabalho, o Go- ram que o processo de revi- menos a dignidade aos tra-
demandas do sector empre- verno deu atenção especial são torne esta lei alinhada balhadores após a cessação
sarial e às do movimento ao ajustamento do quadro às dinâmicas actuais, “o que do contrato de trabalho.
sindical cada vez mais cien- normativo e a introdução de será um passo fundamental Neste sentido, o secretário-
te dos seus direitos e deve- reformas no sector do Tra- para um desenvolvimento -geral da OTM-Central Sindi-
res, bem como à necessida- balho, Emprego e Segurança da economia que possa ge- cal, Alexandre Munguambe,
de da promoção do trabalho Social que “tiveram grande rar empregos de qualidade defende que “a melhor es-
digno. impacto na simplificação e que traga competitividade tratégia para dissipar a apre-
A cerimónia de abertura foi dos procedimentos, redu- e produtividade das empre- ensão dos trabalhadores é
dirigida pela ministra do Tra- ção do tempo de espera, sas”. levar a cabo uma revisão da
balho, Emprego e Segurança celeridade na prestação do Entretanto, Agostinho Vuma, lei de forma justa e transpa-
Social, Vitória Diogo, que serviço, prestação de con- presidente da CTA, enten- rente, onde os direitos de
instou aos participantes, em tas, e conferiram maior ri- de que “por ser um instru- cada um, ora conquistados,
particular às partes envolvi- gor e transparência”. mento transversal, a Lei do não sejam beliscados”.  
das no processo, a contribu- Dentre os ajustamentos e as Trabalho deve ser esclare-
írem no enriquecimento da reformas, destaque vai para cedora, actual, equilibrada redacção

3
correio da manhã • outubro 2018

negócios

Governante sul-africano
promete recuperar
USD130 milhões do VBS
O Ministro sul-africano da Go- nistração ou curadoria do Banco
vernação Local, Zweli Mkhi- Central, mas os pobres deposi-
ze, assegurou no parlamento tantes já estavam lesados.
que o governo vai recuperar A investigação descobriu ter
130 milhões de dólares norte- havido práticas intencionais
-americanos pilhados do Ban- de pilhagem, incluindo ordens
co VBS Mutual, na província do de pagamento de crédito a
Limpopo, descaminho esse que clientes bem conectados e su-
colapsou o banco fundando por bornos a clientes em troca de
pretos na década de 1980. depósitos de empresas públi-
O relatório forense do Banco cas e municípios.
Central sul-africano intitulado O Banco ganhou maior atenção
“Grande Roubo de Banco” so- quando em 2016 concedeu cré-
bre o colapso do VBS Mutual dito de 540 mil dólares norte-
estabelece que 130 milhões -americanos ao então Presi-
de dólares norte-americanos dente Jacob Zuma (Correio da
(cerca de dois mil milhões de manhã Nº 5422, págs. 1 e 2)
randes) foram roubados num para reembolsar o dinheiro do
período de três anos por 53 Estado usado nas obras de ane-
pessoas incluindo gestores xos da sua residência particular
executivos e políticos. de Nkandla, na província costei-
O Ministro Zweli Mkhize disse ra de KwaZulu-Natal.
aos deputados na terça-feira O novo Ministro das Finanças,
desta semana na sessão par- Tito Mboweni, tem estado a
lamentar que deu instruções falar alto contra o roubo regis-
aos advogados para abrirem tado no VBS Mutual.
processo judicial sobre o as- Mboweni, que foi primeiro Go-
sunto “de tal forma que deve- vernador negro do Banco Central
mos perseguir, julgar e recu- sul-africano depois da queda do
perar o dinheiro”. regime minoritário branco do
Zweli Mkhize descreveu a situa- apartheid, diz que está a reava-
ção no VBS Mutual como sendo liar pronunciamentos de alguns
abuso cruel de finanças desti- sectores que defendem a trans-
nadas às comunidades pobres. formação do Banco Central em
Segundo o Ministro da Gover- Banco do Estado.
nação Local, o banco adoptara O Banco Central de Reserva da
uma estrutura sistemática de África do Sul é uma instituição
processo fraudulento consis- privada com responsabilidade
tindo em drenar dinheiro para pública.
um punhado de indivíduos num Tito Mboweni apresentou na
caso de roubo aos pobres. tarde desta quarta-feira no
Para o Ministro Mkhize, não se parlamento o seu primeiro
pode permitir o desapareci- orçamento de médio prazo,
mento do dinheiro dos pobres. visando actualizar o orçamen-
O colapso do VBS Mutual é to do Estado apresentado no
considerado maior escândalo inicio deste ano pelo então
financeiro a abalar a África do Ministro Malusi Gigaba.
Sul nos últimos anos. Tito Mboweni é o quinto ministro
A investigação sobre o colapso das Finanças do governo sul-afri-
do banco foi lançada depois do cano nos últimos cinco anos.
VBS Mutual reportar crise de li- THANGANI WA TIYANI,
quidez e foi colocado sob admi- CORRESPONDENTE NA ÁFRICA DO SUL

4
correio da manhã • outubro 2018

opinião & entretenimento

(conheci Venâncio de Moura Mandela fizera-lhe pergunta à


na Cidade do Cabo, em grande qual não soubera responder.
rancor do pobre recepção ao ar livre, oferecida Quando os afrikaners começaram

Pik Botha
uma noite por Pik a delegação a recuperar da devastação, porque
angolana em 1989) passou a é que não se aproximaram dos

(1932-2018) trabalhar com mais entusiasmo


ainda e, como muitos outros
sul-africanos pretos, igual-
mente empobrecidos, de-
sul-africanos e estrangeiros, foi gradados e subjugados?
Roelof Frederik “Pik” (abrevia- ao ANC ― europeus e norte- mesmerizado por Mandela. “Disse-me isto sem rancor ou
ção de pikkewyn, pinguim em -americanos haviam passado Impressionou-o o conhecimen- inimizade.”
afrikaans, com que o achavam a condenar sem ambiguida- to pormenorizado que este ti- Na África do Sul, de 1989 a
parecido no liceu devido à ma- des, sabia servir-se de con- nha dos afrikaners, da sua lín- 2001, vi muito mais De Klerk
neira de andar e ao gosto pelo siderável intelecto e charme gua, dos seus costumes, da sua do que o vi a ele.
smoking; a alcunha ficou para a pessoal para conservar cré- história, das guerras contra os Em almoço de despedida dei-
vida) dito, conseguindo demorar a ingleses durante as quais mu- -me conta de duas coisas: per-
Botha, que morreu quando aplicação de sanções lheres e crianças boers mor- cebera tudo quanto eu lá anda-
dormia na manhã de sexta-fei- contra Pretória até 1986 e reram de fome em campos de ra a fazer e tinha-lhe dado jeito
ra, 12 do corrente, depois de apresentando-se sempre, des- concentração, da pobreza a se- e gosto que assim tivesse sido.
semanas de enfraquecimento de que Vorster o escolhera guir a essas guerras. JOSÉ CUTILEIRO
progressivo, na sua casa de em 1977, como alguém muito
Pretória, foi um dos raros po- mais democrata e defensor dos PREVISÃO DE TEMPO
líticos sul-africanos que pas- direitos do homem do que os

CANAL DO TEMPO
saram com à-vontade, boa dis- governos de que fazia parte. QUINTA SEXTA SÁBADO DOMINGO SEGUNDA
posição e boa consciência de Entre outras heresias que en- 25 Outubro 26 Outubro 27 Outubro 28 Outubro 29 Outubro

FONTE
ministro do regime do apar- fureceram os duros do regime,
theid ― com os negócios es- disse em conferência de im-
trangeiros entre 1977 e 1994, prensa no parlamento (bran- 31º 18º 31º 18º 28º 19º 27º 17º 25º 15º
sob B. J. Vorster, P. W. Botha e co) de Pretória que a África
F. W. de Klerk ― a ministro de do Sul poderia ter um dia um
governo de unidade nacional
presidido por Nelson Mande-
Presidente negro, desde que
minorias tivessem direitos ga- frase
la entre 1994 e 1996 ― com rantidos ― sendo obrigado se- Podemos pretender ser quanto queiramos; mas não é
minas e energia, tendo saído e guidamente a admitir que tal lícito fingir que somos o que não somos
abandonado a política quando não era a política do Governo. - José Ortega y Gasset (1883-1955), filósofo
F. W. de Klerk retirou o Partido Essa ambiguidade ganhou-
Nacional desse governo mas
continuou a manifestar opi-
-lhe às vezes apreço: “Homem
bom ao serviço de Governo curiosidade
niões muito suas, geralmente mau”, dissera colega europeu
com sentido de humor e joie quando Pik era ainda diplo-
de vivre bizarramente alheias mata (Estocolmo, Bona ― de-
à tradição calvinista da sua tri- pois embaixador na ONU e
bo feita de descendentes de em Washington) e o ANC, de
holandeses pobres e de Fran- quem estivera muito próximo
ceses huguenotes, fugidos depois da mudança de regi-
estes do seu país depois da me, elogiou-o num comuni-
revogação do édito de Nantes cado e deu pêsames à família.
e trazendo consigo para o que Mas também lhe ganhou ou-
é hoje a província do Cabo o tras vezes reprovação intensa:
gosto e o cultivo da vinha que nas redes sociais, activistas e
medrou bem na África do Sul. outros cidadãos e cidadãs re-
Estudante brilhante com do- jubilaram com a sua morte.
tes literários, jurista exímio, Quando a mudança por fim che-
veio a ser a cara que o Apar- gou no fim dos anos 80 (o Muro Facebook lança inquérito sobre sites de notícias
theid deu ao mundo duran- de Berlim caiu em Novembro O Facebook começou a perguntar aos utilizadores de alguns
te dezassete anos, tendo de de 1989; Mandela foi liberta- países qual o nível de confiança que depositam nos sites de
procurar as saídas menos más do a 11 de Fevereiro de 1990), diferentes meios de comunicação social.
para regime que ― sobretudo Pik Botha, que tinha entretanto Ainda não há registo desse tipo de inquérito em Moçambique,
depois do colapso da União negociado a independência da mas em Portugal deverá começar “em breve”, segundo fonte
Soviética ter retirado apoio Namíbia, precedida de acordo dos gestores do Facebook.
moral e substantivo de monta tripartido com Cuba e Angola

5
correio da manhã • outubro 2018

opinião

hounnouedwin@gmail.com A interferência da PRM foi porém,  está  a socorrer-se


crucial e determinante. A dos velhos truques para não
Miradouro Frelimo manteve-se impune sair do poder.

Ilusionismo quando impedia a Renamo e


MDM de fazerem campanha
Igual ao que se passou em
1999 em que a Frelimo e Jo-

eleitoral em Chibuto, Mandhlakazi e


em Xai-Xai. A PRM e a pro-
aquim Chissano perderam
as eleições, mas socorreram-
Os órgãos eleitorais – Co- ao partido Frelimo do soma- curadoria não levantaram a -se da  esperteza, com ajuda
missão  Nacional de Eleições tório dos votos da oposição, voz.  do Tribunal Supremo, igno-
(CNE), o Secretariado Técnico notamos que a diferença é A força sem paralelo usada raram a Renamo e Afonso
de Administração Eleitoral de 3.78 pontos percentuais pela PRM, na Cidade de Tete, Dhlakama. A história  volta a
(STAE) – e a frelimizada Polícia apenas. Ao fazermos esta contra a Renamo, foi injusti- repetir-se, embora em esca-
da República, PRM, tudo fize- análise,  temos de ter em ficada. Agredir daquela ma- la menor.
ram para evitar que o partido conta todas as circunstân- neira a um parceiro estraté- Se a regra fundamental da
governamental, a Frelimo, ca- cias que ocorreram desde a gico da paz, é provocação.  democracia é a prevalência
ísse em queda livre e se que- campanha à votação para se Em Marromeu, a PRM roubou da vontade do povo expres-
brasse pelo resto do tempo. aperceber de que a oposição as urnas a fim de dar chance sa nas urnas, então, Moçam-
A ser verdadeira a tabela es- poderia ter muito mais do a Frelimo de virar os resulta- bique não é  um país demo-
tatística posta a circular nas aquilo que aqui se apresenta dos a seu favor. O mesmo se crático. 
redes sociais que confere na tabela. Tirar conclusões pode dizer em Alto-Molócue Os que perdem uma elei-
que, nas eleições de 10 de precipitadas  a partir daqui e Gurué, Monapo e Dondo. ção, se estiverem no poder,
Outubro, foram contabiliza- nada pode ser enganador. Em Moatize, o cabeça-de- valem-se do ilusionismo
dos 2.232.888 votos válidos Se a Frelimo reduziu a fre- -lista da Frelimo, Carlos Por- eleitoral, apoiam-se em  ór-
(100%), dos quais o partido quência  de mandar largar timão,  um delinquente por gãos eleitorais e polícias,
Frelimo obteve 1.160.008 cães-polícia para rasgarem tendência, agrediu o direc- tornando, assim, as eleições 
votos (51.95%); o partido a carne dos apoiantes da tor distrital de eleições por injustas, não transparentes,
Renamo conseguiu 864.682 oposição, é verdade que as este ter “desconseguido” violentas e falsas.
votos (38.72%); o MDM teve manobras encetadas pelo falsificar os resultados. É uma brincadeira de adultos
189.915 votos (8.51%) e STAE para abortar a vitória da O teatro que está a aconte- para continuarem no poder
outros partidos receberam oposição multiplicaram-se cer na autarquia da Cidade sem grandes problemas
18.883 votos (0.85%). muitas vezes e a presença da Matola é deplorável e perante o mundo.
Subtraindo os pontos per- de carros de assalto infundiu vergonhoso.
centuais de votos atribuídos muito medo em eleitores. A Frelimo perdeu as eleições, EDWIN HOUNNOU