Você está na página 1de 9

Primeira Lista - lei de Coulomb

FGE211 - Fı́sica III

1 Sumário
• A força elétrica que uma carga q1 exerce sobre uma carga q2 é dada
pela lei de Coulomb:
q1 q2 1 q1 q2
F~12 = ke 2 r̂ = r̂,
r 4π0 r2
onde
1
ke = = 8, 99 × 109 N m2/C 2
4π0
• O campo elétrico em um ponto no espaço é definido como a força
elétrica atuando em uma carga de teste q0 dividida pela carga q0 :
~
~ = lim Fe
E
q0 →0 q0

• O campo elétrico a uma distância r de uma carga q é


~ = ke q r̂
E
r2
• Usando o princı́pio da superposição, o campo elétrico devido a
uma coleção de cargas é
X qi
~ = ke
E r̂i
i
ri2

• A aceleração de uma partı́cula de massa m e carga q é


~
qE
~a =
m
• O campo elétrico em qualquer lugar no espaço devido a uma distri-
buição infinitesimal de carga dq é

~ = ke dq
dE r̂
r2
• Numa distância suficientemente grande de uma distribuição contı́nua
qualquer de carga, o campo elétrico se aproxima ao de uma carga
pontual.

1
Cartesiano (x, y, z) Cilı́ndrico (r, θ, z) Esférico (r, θ, φ)
dl dx, dy, dz dr, rdθ, dz dr, rdθ, r sin θdφ
dA dxdy, dxdz, dydz drdz, rdθdz, rdθdr rdrdθ, r sin θdrdφ, r2 sin θdθdφ
dV dxdydz rdrdθdz r2 sin θdrdθdφ

Tabela 1: Elementos diferenciais de comprimento, área e volume em dife-


rentes sistemas de coordenada.

2 Estratégia para resolução de problemas: campo


elétrico de distribuições contı́nuas de carga
Para calcular campos elétricos de distribuições discretas de carga use
X qi
~ = ke
E r̂i .
i
ri2

Para distribuições contı́nuas use


dq
Z Z
~ =
E ~ = ke
dE r̂.
r2
~ = ke dq2 r̂
1. Comece com dE r

2. Rescreva o elemento de carga dq como



 λdl
 (comprimento)
dq = σdA (area)

 ρdV (volume)

~
3. Substitua dq na expressão de dE.

4. Especifique um sistema de coordenadas apropriado e expresse r e os


elementos diferenciais (dl, dA e dV ) em termos destas coordenadas.
(vide tabela 1 abaixo).

5. Rescreva dE ~ em termos das novas variáveis e use argumentos de sime-


tria para identificar os termos não nulos do campo elétrico.
~
6. Complete a integração para achar E.

3 Questões conceituais
1. Compare e contraste a lei da gravitação de Newton com a lei de Cou-
lomb. Qual a principal diferença?

2. Linhas de campo elétrico podem cruzar entre si?

2
3. Uma carga de prova é posta perto de um bastão isolante carregado.
Como mudaria a magnitude e direção do campo elétrico se a carga
de prova diminuı́sse e mudasse de sinal com todo o resto se mantendo
igual?

4 Problemas
4.1 Átomo de hidrogênio
No modelo clássico do átomo de hidrogênio, o elétron gira em torno do
próton com um raio r = 0, 53 × 10−10 m. A carga do próton é a mesma do
elétron e vale e = 1, 6 × 10−19 C.

(a) Qual a magnitude da força elétrica entre o próton e o elétron?

(b) Qual a magnitude do campo elétrico do próton a uma distância r dele?

(c) Qual a razão das magnitudes da força elétrica e gravitacional entre o


elétron e o próton? Esse resultado depende da distância entre ambos?

(d) Baseado nos cálculos realizados no item (b), explique porque forças
elétricas não influenciam no movimento de planetas.

4.2 Átomo de Hélio


Considere dois prótons separados por uma distância d = 10−14 m. Supondo
que a segunda lei de Newton se aplique nesse caso, qual a aceleração que
cada próton sofre devido a presença do outro?

4.3 Repulsão interestelar!


Considere dois pedaços de poeira interestelar de diâmetro d = 1, 8 × 10−4 m
e densidade ρ = 2, 5 × 103 kg · m3 . A distância entre eles é r. Se os grãos
estiverem eletricamente neutros eles serão atraı́dos apenas devido a força
gravitacional. Assuma que eles são feitos de prótons, nêutrons e elétrons e
que a massa é devida somente aos prótons e os nêutrons que são iguais em
massa e quantidade. Suponha que cada grão está carregado com n elétrons
em excesso. Ache o valor mı́nimo de n tal que a repulsão Coulombiana
compense a atração gravitacional. Compare este resultado com o número
total de elétrons do grão (você terá de estimar este resultado).

4.4 Campo elétrico de duas cargas


Considere o sistema descrito na figura 1. Além do infinito, onde mais o
campo elétrico é nulo?

3
Figura 1: Duas cargas.

4.5 Campo elétrico de três cargas pontuais


Considere o sistema descrito na figura 2. Calcule o campo elétrico no ponto
P.

Figura 2: Três cargas colocadas nos vértices de um triângulo isoceles.

4.6 Força de três cargas pontuais


Considere o problema descrito na figura 3. Calcule a força elétrica sofrida
por cada uma das cargas.

Figura 3: Três cargas pontuais

4
4.7 Duas bolas condutoras penduradas
Considere duas pequenas bolas condutoras idênticas de massa m e carga q
penduradas por fios de comprimento l (figura 4). Devido a repulsão ele-
trostática entre elas, cada bola forma um ângulo θ com a vertical. Suponha
θ pequeno o suficiente para que tan θ ' sin θ.

Figura 4: Bolas carregadas penduradas por fios.

(a) Mostre que, no equilı́brio, a separação entre as bolas é


!1
q2l 3
r=
2π0 mg

(b) Se l = 1, 2m, m = 10g e r = 5cm, quanto vale q?

4.8 Experimento de Milikan


Uma gota de óleo de raio r = 1, 64 × 10−6 m e densidade de massa ρm =
8, 51×102 kg/m2 é posta para cair, do repouso, em uma região com um campo
elétrico constante E~ aplicado para baixo. A gota de óleo tem uma carga
desconhecida q (devido a irradiação por raios X). A magnitude do campo
elétrico é ajustada até cancelar a força gravitacional F~g = m~g = −mg ĵ.
Suponha que tal balanceamento ocorre quando E ~ = −Ey ĵ = −(1, 92 ×
105 N/C )ĵ.

(a) Qual a massa da gota de óleo?

(b) Qual a carga na gota de óleo?

(c) Escreva o resultado do item anterior em unidades de carga elementar


e = 1, 6 × 10−19 C.

Millikan, usando esta mesma idéia foi o primeiro a provar que a carga
elétrica é quantizada.

5
4.9 Carga se movendo perpendicularmente a um campo elétrico
Um elétron é injetado horizontalmente em uma região que contém um campo
elétrico uniforme produzido por duas placas paralelas carregadas como mos-
tra a figura 5. O elétron tem velocidade inicial ~v0 = v0 î perpendicular a
~ Este sistema é comumente denominado de um tubo de raios catódicos ou
E.
também, osciloscópio.

Figura 5: Carga movendo-se perpendicularmente a um campo elétrico

(a) Enquanto entre as placas, qual a força sobre o elétron?

(b) Qual a aceleração do elétron entre as placas?

(c) As placas tem comprimento L1 na direção x. Em que tempo t1 o


elétron sai da placa?

(d) Suponha que o elétron entra nas placas no tempo t = 0. Qual a


velocidade do elétron no tempo t1 quando ele sai das placas?

(e) Qual o deslocamento vertical do elétron quando ele sai da placa? (Dica:
sabendo a aceleração, ache a função horária verical)

(f) Qual o ângulo θ1 que o elétron faz com a horizontal, logo após sair da
placa?

(g) O elétron atinge uma tela localizada a um distância L2 do fim das


placas em um tempo t2 . Qual o deslocamento vertical total do elétron
entre os tempos t = 0 e t2 ?

4.10 Equilı́brio
Uma carga negativa fica em equilı́brio quando colocada no ponto médio do
segmento de reta que une duas cargas positivas idênticas. Mostre que:

6
(a) Para pequenos deslocamentos da carga negativa perpendicularmente
a reta que une as duas cargas, este equilı́brio é estável.
(b) Para pequenos deslocamentos da carga negativa paralelamente as duas
cargas, o equilı́brio é instável.
(c) Finalmente, mostre que para o caso do item (a), que quando o deslo-
camento vertical é pequeno comparado com a distância entre as cargas
positivas, a carga negativa executa um movimento harmônico simples
em torno do centro. Calcule a frequência angular ω de oscilação.

4.11 Campo elétrico de um arco carregado


Considere um bastão fino carregado com densidade linear de carga λ. Su-
ponha que ele tenha sido entortado até formar um semi-cı́rculo de raio R.
O ângulo que o raio subentende é 2θ0 , simétrico com relação ao eixo dos x
(vide figura 6).

Figura 6: Arco de raio R carregado com densidade linear de carga λ.

(a) Qual o campo elétrico na origem?


(b) Qual o campo elétrico na origem no caso θ0 = π/2?
(c) Qual o campo elétrico na origem no caso θ0 = π?

4.12 Campo elétrico de um disco carregado sobre seu eixo


de simetria
(a) Considere um anel circular de raio r e carga Q uniformemente dis-
tribuı́da. Calcule o campo elétrico em um ponto sobre o seu eixo de
simetria.
(b) Considere agora um disco de raio R e carga Q uniformemente dis-
tribuı́da. Calcule o campo elétrico em um ponto sobre o seu eixo de
simetria. (Dica: utilize o resultado do item anterior considerando anéis
de raio r, espessura dr e carga dq.)
(c) Seja z a distância entre o disco e o ponto onde o campo elétrico foi
calculado. Estime o limite R >> z.

7
4.13 Densidade não constante em anel circular
Considere o anel circular mostrado na figura 7. A densidade linear de carga
varia da forma λ = λ0 cos θ.

Figura 7: Anel circular com densidade não constante.

(a) Qual a relação entre λ0 , R e Q?

(b) Qual o campo elétrico gerado por este anel na origem?

(c) Se uma carga q é posta na origem, qual a força que ela sente?

4.14 Fio infinito carregado


Considere um fio infinito carregado com uma densidade linear de carga λ
constante. Calcule o campo elétrico em um ponto a uma distância a do fio.

4.15 Fio finito


Considere um fio de comprimento L posto no eixo dos x entre as posições
(−L/2, 0) e (L/2, 0). O fio está carregado com uma densidade linear de carga
λ uniforme.

(a) Calcule o campo elétrico no ponto (x, 0) para x > L/2.

(b) Calcule o campo elétrico no ponto (0, b). Ou seja, em um ponto sobre
o fio em uma distância intermediária dele.

(c) Calcule o campo elétrico em todo o espaço.

4.16 Espira quadrada


Uma espira quadrada de lados 2l está carregada uniformemente com uma
densidade de carga λ constante. Calcule o campo elétrico em um ponto
sobre o eixo de simetria da espira a uma distância D dela.

8
4.17 Problema Desafio: campo elétrico de um dipolo
Deixe por último e não fique preocupado caso encontre dificuldades. É um
problema essencialmente matemático.
Um dipolo elétrico é um sistema composto de duas cargas elétricas de
mesma magnitude e sinais opostos separadas por uma distância 2a. como
mostra a figura 8.

(a) Calculo campo elétrico devido ao dipolo no ponto P = (x, y, 0).

(b) Mostre que no limite r  a, o campo elétrico se torna


3p
Ex = 4π0 r3
sin θ cos θ

p
Ey = 4π0 r3
(3 cos2 θ − 1)

onde p = 2aq é o momento de dipolo.

(c) Mostre que a expressão acima pode ser escrita em termos das coorde-
nadas polares como
~ θ) = Er r̂ + Eθ θ̂,
E(r,
onde
2p cos θ
Er = 4π0 r3

p sin θ
Eθ = 4π0 r3

Figura 8: Dipolo elétrico