Você está na página 1de 6

Cronograma Contemple a mãe

41. Encontram Ruth Checkley no Bar. Ela conta o número 35 a 37.

42. SENTINELA NORTE - Vão ao fim da tarde na Casa da Sentinela Norte. Ruth e o taxista avisam
que não é recomendado. Ja que é um bairro perigoso. Vivem ali imigrantes poloneses e irlandeses
não muito amistosos com perguntas, policiais e forasteiros.

43. Muitos homens mal encarados e desconfiados circulando pelas ruas. Alguns moleques mal
trapilhos e crianças sendo colocadas pra dentro de casa pelas mães. Alguns homens mexem com
Sheila sem se importar com a presença de Barrister...
A casa 89 da Sentinela Norte é uma casa de três pisos dedicada a moradias.
LER TODO O PRIMEIRO PARÁGRAFO – Teste de História – Casa de 1860.

44. ENTRADA DO PRÉDIOA entrada do prédio se dá por meio de um corredor escuro e de teto
baixo, cujas paredes, recobertas de gesso úmido, tem muitas manchas de mofo. Uma porta está a
direita, logo ao lado da entrada. Mais a frente, uma escada de madeira velha e rangendo leva para os
pisos superiores do prédio.
45. CORREDOR – O corredor do prédio, mais além, leva a um banheiro, com pia e latrina
comunitárias situadas em um minusculo patio nos fundos do prédio. Uma porta no pátio leva ao
sótão. Nela está pintada toscamente o número 6.
DE FORMA GERAL, OS MORADORES DO PRÉDIO SÃO DESCONFIADOS E NÃO DARÃO
INFORMAÇÕES FACILMENTE. PODEM SER PERSUADIDOS POR TESTES DE CRÉDITO,
DIREITO OU PERSUASÃO.
Barrister pode ajudar, fazendo algumas ligações, e por conhecer a passagem de alguns moradores
em pequenos delitos na polícia, pode ameaça-los, principalmente a Carrigton. Os O’Hearn inclusive
serão bastante cooperativos caso Barrister se meta.

45. O SENHORIO - Ao baterem nesta porta, quem os recebe é Ezequiel Carrington. Um homem
bastante amargurado e rude. Ele diz não conhecer Hannah. E que seus seis apartamentos estão
alugados, inclusive o porão e o sotão.
Ao recebê-los, esse velho corcunda, manco e mal encarado, se persuadido for, manda-os entrar no
apartamento. Tanto suas roupas como seu apartamento demonstram um desgaste tremendo. Ele é
sovina. Tem dinheiro mas anda aos maltrapilhos.

Ele primeiro diz que todo a fonte de renda dele está naqueles velhos apartamentos. E que não tem
ajuda nenhuma para cuidá-los. Se diz o zelador e o faz tudo dali, embora tudo pareça arruinado.
Reclama dos imigrantes a quem chama de pilantras, rudes e desconfiados.
Diz que nem sempre viveu assim. Que conseguiu fazer um bom dinheiro com o mercado industrial
de Arkham na década de 90. Mas que depois da falência das empresas, só lhe restou a fé em Cristo e
em São João Batista.
“- São João nos ensinou afinal que a pobreza é boa pra alma. Esses miseráveis precisam entender
que estão sendo iluminados por Cristo por viverem a vida que vivem. Nosso senhor sempre
ensinou que a fome é o caminho da iluminação! Que ninguém chega ao céu se não for pelo
sofrimento!”
Esses anos todos, 15 anos, aguentando essa gente!!! Foi uma prova de Deus. O proprietário daqui
morreu de cólera e o que sobrou de minha fortuna, investi aqui. Muita gente já passou aqui e ainda
passa. Umas pobres almas, por assim dizer.!”

Se os investigadores perguntarem pela inquilina do apartamento 5, ele dirá que ali não morava
nenhuma secretaria de advogados. Mas uma putinha, que dormia com tudo que é depravado do
bairro!
Busca um recibo e lhe revela o nome: “Miriam Hetfield - o nome da pequena vadia! Tenho
absoluta certeza de que vivia como prostituta. Eu só a via a noite e sempre era um entra e sai de
homens de seu apartamento! Chegava de noite e ia embora sempre ao amanhecer. Ela deveria me
pagar o aluguel anteontem e ainda não apareceu!!!! Deve estar buscando dinheiro no meio de
algumas coxas pela rua! Essa vai arder no fogo do inferno!! Rameirinha desgraçada!”

“A menina é problemática! Vive discutindo e brigando com gente aqui do prédio e da rua.
Conseguia ser pior que essas bocas de latrina que vivem aqui. Vivia me incomodando – Seu
Carrigton, a escada está quebrando! Carrigton, o banheiro está imundo! Bibibibobobo! E não
ajudava em nada, a desgraçada! Se ela não fosse sempre pontual com o aluguel, já a teria
despejado a muito tempo!”

46 – OS INQUILINOS - SE OS INVESTIGADORES FICAREM PERGUNTANDO POR HANNAH


PICKERING E DANDO DESCRIÇÕES DE SEU COMPORTAMENTO OS MORADORES DIRÃO
QUE NÃO A CONHECEM. MAS SE MOSTRAREM SUA FOTO OU DESCREVEREM UMA
MOÇA LOIRA, MAGRINHA E BONITINHA, UM POUCO MANCA, VÃO DIZER QUE ESSA
MOÇA MORA NO APARTAMENTO 5.

APARTAMENTO 2 – SPENCER UPDIKE – Pede desculpas pelas condições do apartamento. Ao


fundo, toca jazz a todo volume em seu gramofone. Muitos livros espalhados pela casa, com
marcação e abertos, demonstrando a leitura – história, poesia, filosofia e ciências.
“Sabem como é, a vida de um poeta nem sempre é glamourosa. Minha família não gostou muito da
ideia de eu largar o Direito pela Literatura e vejam só, agora estou por aqui. Mas tudo bem, essa
gente me serve como inspiração!”
Ele tenta se passar como cínico, ou demasiado inteligente aos PC’s, mas ao fim, é um bobão.

Ao responder sobre Miriam - “Sim conheci bem. Quero dizer, assim, muiiiito bem ela, se é que me
entendem?!!! (pisca o olho) Apesar de bem rude e desbocada, a menina era uma selvagem – era
bem bonitinha. E sabe como é, dificilmente as mulheres resistem aos apelos de um poeta.

(Uma JOGADA DE PSICOLOGIA mostrará que foi Spencer que foi seduzido!)

Ele fica então vermelho, e confessa que ficou com Miriam apenas uma única vez, e porque ela
praticamente o agarrou a força e o arrastou para o quarto dela. Diz que não voltou a dormir com ela
porque ela era uma caçadora, uma selvagem. Nunca ficava com o mesmo homem duas vezes. Era
desbocada, e seu comportamento era bastante cru, quase animal.

“Parecia um núbio, um estivador!!!Depois de tudo, uma mulher como Miriam é divertida a sua
maneira, porém, bem, um cavalheiro prefere dormir com uma dama que se dê o respeito, não
acham?”

47 - APARTAMENTO 3 – Os PYZACK – Uma família polonesa, recém chegada a América. Só o


pai fala um pouco de inglês. Diz que não tem tempo de acompanhar o movimento do prédio, já que
trabalha o dia todo nas fábricas de tecelagem. Como elas estão passando por um mau momento
econômico, precisa dobrar a carga de trabalho para se manter no emprego, então só volta a noite
para casa. No apartamento um casal de gêmeos, um menino pequeno e a mulher grávida de seis
meses de um próximo. Pode-se perceber que os gêmeos choram incansavelmente de fome. A
mãe pede para que fiquem quietos!
“A mulher, como fica exausta cuidando das crianças, não tem muito tempo para estar de fofoquices!
Aqui em casa, todos dormem muito cedo. Oito da noite tá todo mundo na cama! Não fosse esse
desgraçado desse vizinho com essa música alta, conseguiríamos até descansar. Bêbado inútil! ”
Sobre essa menina, como chegamos a pouco aqui na cidade e no predio, nunca vimos nada. A via
chegar muitas vezes junto comigo. Era uma pequena ajeitada. Mas só lhe dava boa noite e ela
respondia. Só.”

48 – APARTAMENTO 4 – OsO ‘HEARN – podem ser denominados – lixo branco! Imigrantes


irlandeses pobres e muito rudes. (Ler a descrição do casal)
Um cheiro forte de álcool empesteia o apartamento. Hattie, a mãe começa falando: “Aqui
conhecemo de tudo. Ninguém passa sem esse olho aqui ver! Ninguém engana essa velha irlandesa!
Faz cinco anos que moremo aqui! Meu filho, se criou aqui. Se não fosse esse velho muquirana
cobrando essa dinheiro caro por esse pardieiro o tempo todo, isso aqui ia ser uma tranquilidade.”

Hattie é interrompida por seu filho, Davey. Que com muito mal modos lhe pede dinheiro. “Vamo
velha! Cadê o dinheiro? É só para whiskey que entra dinheiro nesse pardieiro? To devendo um
dinheiro pro Wellington. Ele vai acabar comigo se eu não pagá-lo!”

Começa uma discussão entre pai, mãe e filho. Davey antes de sair tenta extorquir Barrister e Sheila.

Ao perguntarem por Miriam tem a seguinte resposta: “Mas aquilo é uma vadia! Olha que não me
considero uma ladie, mas aquela ali me ganha! Grossa feito um asno, desbocada como um
marinheiro, braba que nem uma ratazana! O mulherzinha viu...aqui, só quem gostava dela era a
macharada daqui! Né seu desgraçado! Isso aqui dá em cima dela demais! Velho bebado
desgraçado”

“Tu é doida mulher? Logo aquela putinha desgraçada! Esse velho pau aqui não corria atrás dela
não. Bem o contrário! “
Davey se pronuncia: “Peguei várias vezes sim, muitas! Ela chorava rastejando por mim! Com
aquele corpinho delgado. Cheirosa, mas safada! Me incomodava demais!”

UM TESTE DE PSICOLOGIA MOSTRA QUE ELE ESTÁ MENTINDO.

“Não. Nunca me deitei com el. Mas conheci muitos que sim”Conta pra Barrister que uma vez se
pôs a lhe espiar pela fechadura de seu apartamento, porém não conseguiu ver nada”.

Se PERGUNTAM DE SEUS AMIGOS QUE ESTIVERAM COM ELA: Ele os leva entre os Fiins.
Lá ele é chamado entre os vagabundos de Bebê Peitinho. Muitas provocações dos Finn contra
Sheila e Barrister. Tentam primeiro intimidá-los e depois assaltá-los!

Luta com 3 Finn:


Ruffians and Cutthroats
STR 10
CON 3D6+1 09
SIZ 2D6+4 9
INT 2D6+6 09
POW 3D6+1 09
DEX 3D6 11
APP 3D6 10
HP: 8
Weapons: Dagger 31%, damage 1D4+db, Sword 32%, 1D6+1+db. Fight Punch – 30%
Skills: Hide 44%, Listen 36%, Ride: Camel 42%, Spot Hidden 29%.
Ao fim da luta, Barrister lhes obriga a dar informações sobre Miriam, ou os levará presos:
Quase a metade deles diz que dormiu com ela muitas vezes e que era ela que os caçava pela rua.
Que parecia não ter fim a vontade de Miriam em trepar. (teste de Psicologia revelam que é
verdade!)
Enquanto trepava, ela gritava muitos palavrões, e pedia aos meninos para fazerem coisas que eles
nunca ouviram falar. Não poucas vezes levou mais de um para seu quarto ao mesmo tempo.
“Ora, como bons irlandeses católicos que somos, é claro que não casaríamos com uma mulher
dessas. Mas não há mal em treinar antes das noites de núpcias, né?”

E revelam que não a vêem há pelo menos dois dias. E que ela estava sempre por essas voltas. Mas
que já fazem dois dias que ela está sumida.

49 - APARTAMENTO 5 – O apartamento de Miriam

Se o senhorio não abrirem a porta, terão de arrombá-la. Ela morava no último andar do prédio. É
perigoso porque depois de falarem com todos os vizinhos, arrombar o apartamento lhes deixarão
suspeitos.
A casa de Miriam é um constraste absoluto com o de Hannah. LER A DESCRIÇÃO.

TESTES DE DESCOBRIR:
1. FOTO DE HANNAH
teste de Medicina ou Psiquiatria demonstram um traço de senilidade na mulher.

2. DIARIO – Semi Oculto em um montão de lençóis sujos de sangue, excrementos e fluidos


jogados debaixo da cama. O livro está cheio escrito com uma letra muito desigual e levará 6 horas
para lê-lo.

LER A DESCRIÇÃO DO DIÁRIO

50. APARTAMENTO 6 – Mattehw Hemingway – um maníaco depressivo...interpretar como tal.


SUAS PINTURAS RETRATAM ORGIAS, MISSAS NEGRAS, PAISAGENS MÓRBIDAS E
NATUREZAS MORTAS.

“Porque perguntam dessa endoidecida? Estava completamente louca a menina! Tresloucada! Não
foi uma nem duas vezes que voltando de meus passeios do Cemitério (aquilo traz uma paz, não?)
lhe ouvi pela rua discutindo consigo mesma. Alternava da sua voz normal, rude, alta para outra
mais calma, quase recatada, muito diferente de sua natureza normal, selvagem! Eu mesmo, estado
muito perto da loucura, sei reconhecê-las nos outros! Olha, e a julgar pela voz normal, quando ela
discutia consigo mesma, ela tem toda o sotaque dos caipiras de Dunwich. Tem aquela forma
arrastada e plácida de falar daqueles caipiras rudes.”

NOITE! DEVEM VOLTAR PARA O HOTEL.

51. MANHÃ DO DIA 16

Possivelmente leram o diário de Hannah. Sheila acorda com o telefonema de Barrister que a
convida para o café. Ele lhe mostra o jornal da manhã.

52. Vão de carro a Dunwich – ler descrição do caminho.


No caminho, ponte sobre o pântano ruge. Parece quebrar! Teste de Pilotagem! Ou senão o carro cai
na água. Todos perdem 1d4 PV, ficam molhados e perdem sua bagagem.
53. CAMINHO PRA DUNWICH – Precisam de um mapa ou de informações de moradores.

Chegam a Dunwich por volta do Meio Dia cruzando a ponte com muito barulho que leva ao
povoado.

54. LOJA OSBORN – LER A DESCRIÇÃO DA LOJA. Alguns velhos moradores estão
discutindo os ultimos acontecimentos. Desaparecimento de animais e o cavalo pertencente a família
Horn que foi encontrado aos pedaços, devorado dentro do estábulo. Todos parecem bastante tensos
e desconfiados. Principalmente com a chegada de novos visitantes fazendo perguntas.
Na conversa, mostram o pedaço de jornal! HANDOUT NUMERO 5.

Se perguntam sobre a localização da casa: “Sigam a estrada de Dunwich até passar a casa dos
Benson, uma que tem varias marcas hexagonais pintadas na parede de vermelho. Ao passarem
dela, vão chegar na casa do velho Charles Holloway. É ali perto.”.

Sobre Hillary Hetfield: “A velha está cada vez pior da cabeça, depois que sua filha foi embora de
casa há uns seis meses!”. De vez em quando o Doutor Jones passa lá na casa dela para ver se ela
está bem.”
Nesse momento, todos falam bem de Tucker Jones, dizendo de como ele abnegadamente cuida de
todo mundo por ali. Tem boas mãos e grande habilidade médica! Já salvou muita gente aqui sem
nunca ter pego um livro na vida!
Os caipiras não se negam a dar o endereço do velho Jones.

55. TESTE DE PERSUADIR para saber mais sobre os Hetfield! - Lembrando que são lentos
para entregarem as coisa e para falarem. Se os PC’s forem grossos ou tiverem pressa – 20 no teste.
Se jogarem uma partida de xadrez com o Willie, o cego, ou oferecem uma bebibda a Terrence Cahill
(uma boca seca impede a gente de contar boas histórias…) ou se resolverem com calma pedir
informações batendo papo no bar terão informações com tiradas normais!
“Esse povo nunca foi bem certo da cabeça...(os caipiras se confundem e discutem com datas e
locais). A Hilary, que agora é uma quarentona...mas que parece ter 60 anos, tal o estado que ela
está, foi uma jovenzinha bem selvagem, sabe. Bem atirada e braba. Rude, até mais do que o povo
daqui. Dali adolescente já começou a andar com gente que não presta...sim, tipo a defunta Lavinia
Whateley. Alguns dizem que a Hillary já era ruim da cabeça desde pequena. Ainda solteira, deu a
luz a uma menina, ali por 1900. Aaaa, ela ficou muito mal falada. Ninguém sabia dizer quem era o
pai da criança e o que e por onde essa menina andava nesses nove meses antes do nascimento da
menina. Sim, na mesma época onde se via umas luzes estranhas e uma gritaria doida em cima da
Montanha Allen, bem ali onde vive o velho Abraham Wilson. Ninguém sabia dizer onde essa
mulher tinha andado, quem a engravidou até a menina Miriam crescer. Normal sem sequelas. É
muito comum as crianças daqui de Dunwich nascerem doentes sabe? Ruins da cabeça ou
deformadas. Coisa de primo com primo. Enfim. Essa coisa da garota ter fugido, no mínimo foi
para esquecer que tem uma mãe louca dentro de casa. Fugir daqui e da responsabilidade. Se foi,
vou lhe dizer, foi pro bem! Desde que a garota se foi, a mãe Hillary está cada dia mais reclusa,
pouco a gente lhe vê. Nas poucas ocasiões que desceu das montanhas e veio aqui pela loja, foi só
para a gente perceber que a mente dela se foi….”

56. HOSPEDAGEM – Não há hotéis em Dunwich. Mas Osborm pode encontrar alguém que os
receba para uma pernoite.

57. O CORPO! - No meio da conversa na loja, a porta se abre e entra um pessoa com gorro de
carteiro e o corpo de um cachorro no ombro. Carteiro Prichett.
Ao jogar o corpo mutilado do cachorro em cima do balcão – TESTE DE SAN 0/1D2.
“Encontrei o cachorro na estrada de Hutchins e creio que pertencia aos Horn. Só essa manhã,
durante minhas entregas, devo ter ouvido falar pelo menos de mais uns 5 cachorros
desaparecidos.”

Interesses relacionados