Você está na página 1de 2

COLÉGIO INOVAR

Rua Manoel Medeiros Sobrinho, SN. Nova Olinda – Atalaia/AL


Aluno (a): ____________________________________________________________________ 1ª série (Ensino Médio)

Professor(a): _____João Marcos____________________ Disciplina: ___Língua Portuguesa________ Data: __17__/__10_/___2018_

1. (IFSP 2016) Considere o seguinte texto e as lacunas: acadêmica brasileira e a contestação de uma linguagem
moderna.
__________ muito a respeito da profissão correta a escolher. C) a carta, como testemunho histórico-político, mostra o olhar
Para __________, é preciso paciência e informações. O do colonizador sobre a gente da terra, e a pintura destaca, em
jovem deve pautar sua escolha nas disciplinas que primeiro plano, a inquietação dos nativos.
__________. D) as duas produções, embora usem linguagens diferentes –
verbal e não verbal –, cumprem a mesma função social e
Levando em consideração o uso e a colocação pronominal, de artística.
acordo norma padrão da Língua Portuguesa, os termos que E) a pintura e a carta de Caminha são manifestações de grupos
melhor preenchem, respectivamente, as lacunas acima são: étnicos diferentes, produzidas em um mesmo momentos
a) Se pensa – encontra-la – agradem-lhe histórico, retratando a colonização.
b) Pensa-se – encontrar-na – o agradem ---------------------------------------------------------------------------------
c) Pensa-se – encontrá-la – lhe agradem 3) Complete os espaços da frase abaixo:
d) Se pensa – encontrar-lha – agradem-no
e) Pensa-se – encontra-lá – no agradem Quem _____________ estragado que __________ de
--------------------------------------------------------------------------------- ______________________.
2)(ENEM)
TEXTO I A) o trouxe, encarregue-se, consertá-lo.
Andaram na praia, quando saímos, oito ou dez deles; e daí a B) o trouxe, se encarregue, consertá-lo.
pouco começaram a vir mais. E parece-me que viriam, este C) trouxe-o, se encarregue, o consertar.
dia, à praia, quatrocentos ou quatrocentos e cinquenta. Alguns D) trouxe-o, encarregue-se, consertá-lo.
deles traziam arcos e flechas, que todos trocaram por E) n.d.a
carapuças ou por qualquer coisa que lhes davam. […] ---------------------------------------------------------------------------------
Andavam todos tão bem-dispostos, tão bem feitos e galantes 4)(PUC)
com suas tinturas que muito agradavam.
CASTRO, S. A carta de Pero Vaz de Caminha. Porto Alegre: L&PM, 1996
(fragmento).
TEXTO II

A fala da garota na tirinha explica-se porque o

A) menino não usou a colocação pronominal prescrita pela


norma culta em “Nunca deixe-me”.
B) pronome “me” não poderia estar depois das formas verbais
“Abrace” e “Beije”, de acordo com as normas da gramática
tradicional.
C) uso de “me” em “Beije-me” fere a prescrição gramatical,
que recomenda o uso de “eu” nesse caso.
D) menino ora usa o pronome “me” depois do verbo, ora antes
PORTINARI, C. O descobrimento do Brasil. 1956. Óleo sobre tela, 199 x 169 cm dele, o que não mantém a uniformidade pronominal.
Disponível em: www.portinari.org.br. Acesso em: 12 jun. 2013. (Foto: Reprodução) E) emprego do pronome de primeira pessoa “me” não pode
ocorrer junto de uma forma verbal no imperativo.
Pertencentes ao patrimônio cultural brasileiro, a carta de ---------------------------------------------------------------------------------
Pero Vaz de Caminha e a obra de Portinari retratam a
chegada dos portugueses ao Brasil. Da leitura dos textos,
constata-se que

A) a carta de Pero Vaz de Caminha representa uma das


primeiras manifestações artísticas dos portugueses em terras
brasileiras e preocupa-se apenas com a estética literária.
B) a tela de Portinari retrata indígenas nus com corpos
pintados, cuja grande significação é a afirmação da arte
5) O uso do pronome oblíquo na frase “Me recuso a comer B) o artista, na pintura, foi fiel ao seu objeto, representando-
comida anônima”: o de maneira realista, ao passo que o texto é apenas
fantasioso.
a) está de acordo com a norma culta. C) a pintura e o texto têm uma característica em comum, que
b) marca uma informalidade na linguagem, visto que não se é representar o habitante das terras que sofreriam processo
deve iniciar uma frase com um pronome oblíquo átono. colonizador.
c) está correto, visto que a próclise deve ser priorizada nesse D) o texto e a pintura são baseados no contraste entre a cultura
caso. europeia e a cultura indígena.
d) está incorreto, pois nunca devemos usar um pronome E) há forte direcionamento religioso no texto e na pintura,
oblíquo átono antes de um verbo conjugado no presente. uma vez que o índio representado é objeto da catequização
e) está correto e demonstra a formalidade do discurso. jesuítica.
--------------------------------------------------------------------------------- ---------------------------------------------------------------------------------
6)(UFAC) Observe o seguinte diálogo entre um rigoroso 08)(Enem)
professor de gramática e uma ex-aluna sua: A tecnologia está, definitivamente, presente na vida
cotidiana. Seja para consultar informações, conversar com
– "Professor, aonde o senhor andava, que eu nunca mais lhe amigos e familiares ou apenas entreter, a internet e os
vi?" celulares não saem das mãos e mentes das pessoas. Por esse
– "Nem a mim nem à gramática" - respondeu-lhe o mestre, motivo, especialistas alertam: o uso excessivo dessas
deixando-a um tanto embaraçada por não haver entendido o ferramentas pode viciar. O problema, dizem os especialistas,
porquê da resposta. é o usuário conseguir diferenciar a dependência do uso
considerado normal. Hoje, a internet e os celulares são
Com certeza, outra teria sido a resposta do professor, se a ferramentas profissionais e de estudo.
pergunta da aluna tivesse sido esta: MATSUURA, S. O Globo, 10 jun. 2013 (adaptado).

a)"Professor, por onde o senhor tem andado, que eu nunca O desenvolvimento da sociedade está relacionado ao avanço
mais lhe vi?" das tecnologias, que estabelecem novos padrões de
b)"Professor, por onde o senhor tem andado, que eu nunca comportamento. De acordo com o texto, o alerta dos
mais o vi?" especialistas deve-se à:
c)"Professor, por onde Vossa Senhoria tem andado, que eu
nunca mais vos vi"? a)insegurança do usuário, em razão do grande número de
d)"Professor, aonde o senhor tem andado, que eu nunca mais pessoas conectadas às redes sociais.
lhe vi? b)a de credibilidade das informações transmitidas pelos
e)"Professor, aonde o senhor tem andado, que eu nunca mais meios de comunicação de massa.
te vi?" c)comprovação por pesquisas de que os danos ao cérebro são
--------------------------------------------------------------------------------- muito maiores do que se pode imaginar.
07) d)subordinação das pessoas aos recursos oferecidos pelas
novas tecnologias, a ponto de prejudicar suas vidas.
e)possibilidade de as pessoas se isolarem socialmente, em
razão do uso das novas tecnologias de comunicação.
---------------------------------------------------------------------------------
09) Leia a tirinha para responder à questão.

A feição deles é serem pardos, maneira d’avermelhados, de


bons rostos e bons narizes, bem feitos. Andam nus, sem
nenhuma cobertura, nem estimam nenhuma cousa cobrir,
nem mostrar suas vergonhas. E estão acerca disso com tanta No segundo quadrinho, observa-se o emprego correto do
inocência como têm em mostrar o rosto. pronome, quanto à sua colocação na frase. Assinale a
CAMINHA, P. V. A carta. Disponível em: www.dominiopublico.gov.br. alternativa que nomeia essa espécie de colocação e por que
Acesso em: 12 ago. 2009.
ela é obrigatória, nesse contexto.
Ao se estabelecer uma relação entre a obra de Eckhout e o a) Próclise, pelo uso de palavra negativa.
trecho do texto de Caminha, conclui-se que: b) Mesóclise, pela utilização do imperativo.
A) ambos se identificam pelas características estéticas c) Próclise, pela utilização do gerúndio.
marcantes, como tristeza e melancolia, do movimento d) Ênclise, pelo uso de expressão negativa.
romântico das artes plásticas. e) Mesóclise, pela presença de perífrase.
---------------------------------------------------------------------------------