Você está na página 1de 2

CÂMARA MUNICIPAL DE CUBATÃO

ESTADO DE SÃO PAULO


DECRETO MUNICIPAL Nº 9495, DE 25 DE JANEIRO DE 2010

Regulamenta o Regime de Concessão de Adiantamentos em numerário, para a realização


de despesas públicas e dá outras providências.

A PREFEITA MUNICIPAL DE CUBATÃO, no uso de suas atribuições legais e em conformidade com o que estabelece o artigo 8º, da Lei nº
2.060, de 29 de julho de 1992, alterada pela Lei nº 3.354, de 18, de dezembro de 2009; e

CONSIDERANDO a necessidade de compilar os instrumentos das matérias afetas ao Regime de Concessão de Adiantamentos; e
CONSIDERANDO que tal medida muito contribuirá para o entendimento e operacionalização da concessão por parte das unidades técnicas da
municipalidade afetas à matéria,

DECRETA:

Art. 1º O Processo de Concessão de Adiantamento, instituídos na forma de Lei nº 2.060, de 29 de julho de 1992 e alterações posteriores,
obedecerá, no âmbito do Poder Executivo, a regulamentação prevista no presente Decreto.

Art. 2º Fica delegado ao Secretário de Finanças, poderes para concessão de adiantamento às seguintes Unidades:
I - Secretários Municipais;
II - Procurador Geral;
III - Administradores Regionais.
§ 1º Na ausência do Secretário de Finanças, ficam delegados os poderes constantes deste artigo ao Diretor de Finanças.
§ 2º A critério do Chefe do Poder Executivo, tendo em vista a natureza do serviço, o adiantamento poderá ser concedido a outros servidores.

Art. 3º As requisições obedecerão à modelo próprio, aprovado pela Secretaria Municipal de Finanças.

Art. 4º Da requisição constará expressamente:


I - o dispositivo legal em que se baseia ou a delegação da autoridade competente;
II - o nome, o cargo ou função do responsável;
III - a dotação orçamentária por onde correrá a despesa;
IV - o valor do adiantamento; e
V - o prazo de aplicação, que não poderá exceder de 60 (sessenta) dias.
Parágrafo único. A requisição de adiantamento somente poderá ser apresentada para a apreciação até o 5º dia útil do mês de dezembro de
cada exercício.

Art. 5º Não se fará adiantamento:


I - para despesas já efetuadas;
II - a servidor em alcance;
III - ao responsável por 2 (dois) adiantamentos, enquanto não for prestada conta de ao menos 1 (um) e obtida sua aprovação; e
IV - para atender a despesas maiores do que as quantias adiantadas.

Art. 6º O valor do adiantamento de que trata a Lei nº 2.060, de 27 de julho de 1992, alterada pela Lei nº 3.354, de 18 de dezembro de 2009, será
de:
I - 150 (cento e cinquenta) UFESP's para a Secretaria Municipal de Saúde, Secretaria Municipal de Educação e Procuradoria Geral do Município;
II - 75 (setenta e cinco) UFESPS's para os demais titulares constantes no artigo 2º da Lei nº 2.060, de 27 de julho de 1992, alterada pela Lei nº
3.354, de 18 de dezembro de 2009.
Parágrafo único. As viagens realizadas pela Chefe do Poder Executivo e pelo Chefe do Poder Legislativo, membros do Poder Legislativo, ou
servidores por eles autorizados, para tratar de interesses do Município, excetuam-se do limite do valor mencionado no caput deste artigo.

Art. 7º O comprovante de cada despesa, unitariamente, não poderá exceder a 30% do valor do adiantamento.
Parágrafo único. Fica expressamente vedado o fracionamento de aquisições ou serviços com a finalidade de enquadrá-Ias nos limites deste
artigo, bem como a aquisição para fins de estoques.

Art. 8º O Regime de Adiantamento será aplicável aos casos de pagamento de:


I - natureza extraordinária e urgente que não possa aguardar o processamento normal ou quando se tratar de despesa a ser paga em lugar
distante da repartição pagadora;
II - serviços judiciais, despesas de cartório e oficiais de justiça;
III - passagens, estadias e refeições;
IV - festividades, recepções, homenagens e conferências;
V - tarifas postais;
VI - pequeno vulto, consideradas as despesas cujo valor seja igual ou inferior a 30% (trinta por cento) do valor concedido;
VII - manutenção de bens móveis;
VIII - conservação e adaptação de bens imóveis;
IX - participação de servidores em cursos ou congressos necessários ao desempenho de suas atribuições.
Art. 9º Os responsáveis por adiantamentos deverão prestar contas em até 10 (dez) dias úteis após o término do prazo previsto para aplicação dos
recursos.

Art. 10. Todos os adiantamentos concedidos serão obrigatoriamente liquidados até o dia 15 de dezembro de cada ano, cabendo aos respectivos
requisitantes a responsabilidade pela infração a este dispositivo. (Vide Decreto Municipal nº 10.536, de 2016)

Art. 11. Como comprovante de pagamento serão aceitos:


I - nota de venda ao consumidor, emitida por comerciante, na qual conste: número, data, nome da repartição, espécie e objeto da venda, preço
unitário e global;
II - fatura e duplicata quitadas, acompanhadas de nota fiscal;
III - recibo de serviço prestado ou fornecimento feito, quando se tratar de prestador de serviços ou de comerciante, devendo ainda constar o
nome e o endereço do beneficiário, CPF e discriminação da despesa.
Parágrafo único. As despesas em relação às quais não seja possível obter comprovante, tais como selos do correio, condução e outras, serão
relacionados discriminadamente, justificadas e visadas pelo requisitante.

Art. 12. Nenhum comprovante será considerado hábil se não atestado o gasto pelo respectivo requisitante.

Art. 13. Compete ao Secretário de Finanças decidir sobre a glosa de importância cuja comprovação esteja em desacordo com a legislação vigente,
devendo o responsável recolher à Divisão de Tesouraria a respectiva diferença.
Parágrafo único. Da decisão prevista no "caput" deste artigo, caberá pedido de reconsideração no prazo de 2 (dois) dias da data em que o
responsável dela tomar conhecimento.
Art. 14. As prestações de conta obedecerão a formulário próprio, aprovado pela Secretaria de Finanças.
Parágrafo único. A análise das prestações de contas dos adiantamentos compete à Secretaria de Finanças, que deverá indicar as despesas que
não estejam legalmente fundamentadas e comprovadas.
Art. 15. A decisão de que trata o artigo 13 será comunicada pela Secretaria de Finanças ao responsável pelo adiantamento para que efetue o
recolhimento do valor devido ou solicite a reconsideração prevista no parágrafo único daquele mesmo artigo.
Parágrafo único. O responsável pelo adiantamento que não atender o disposto no "caput" ou não prestar as contas no prazo devido, sujeitar-
se-á às sanções cabíveis, devendo, para tanto, a Secretaria de Finanças comunicar o fato à Chefe do Poder Executivo para determinação das
providências pertinentes.

Art. 16. Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.


Art. 17. Revogam-se as disposições em contrário, em especial os Decretos nºs 7.209, de 30 de janeiro de 1995 e 8.276, de 07 de maio de 2002.
PREFEITURA MUNICIPAL DE CUBATÃO EM 25 DE JANEIRO DE 2010.
"477º DA FUNDAÇÃO DO POVOADO
61º DA EMANCIPAÇÃO"
__________________________________________
MARCIA ROSA DE MENDONÇA SILVA
Prefeita Municipal
__________________________________________
JOSÉ EDUARDO LIMONGI FRANÇA GUILHERME
Secretário Municipal de Negócios Jurídicos
__________________________________________
EDGARD BRANDÃO JÚNIOR
Secretário Municipal de Finanças
__________________________________________
ADALBERTO FERREIRA DA SILVA
Secretário Municipal de Planejamento
__________________________________________
HAROLDO DE OLIVEIRA SOUZA FILHO
Secretário Municipal de Administração

Processo Administrativo nº 6.656/1985


* Este texto não substitui a publicação oficial.